Usina de Letras
Usina de Letras
Usina de Letras
90 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

Artigos ( 53110 )
Cartas ( 21431)
Contos (12807)
Cordel (9247)
Crônicas (20452)
Discursos (3149)
Ensaios - (10271)
Erótico (21315)
Frases (43404)
Humor (21971)
Infantil (4506)
Infanto Juvenil (3266)
Letras de Música (5687)
Peça de Teatro (1371)
Poesias (139240)
Redação (2958)
Roteiro de Filme ou Novela (1092)
Teses / Monologos (2634)
Textos Jurídicos (2131)
Textos Religiosos/Sermões (4028)




= SERVIÇOS =
Patrocine um Autor
Vitrine
Copia CD
Facilidades para o QA
Nossa Proposta
Fale Conosco
Nota Legal
 




 
Busca | Placar | Assine/Renove | Quadro de Avisos: 1 2 | Ajuda | Autores | Central do Autor | Contato | Logoff
Serviços: Patrocine um Autor ou Texto | Vitrine | Cópia de seus Textos | | Publique seu E-BOOK|

Receba um aviso sempre que este autor publicar novos textos, clique aqui
Ensaios-->Antônio Carlos Jobim e seus Antepassados -- 22/02/2006 - 23:59 (Pedro Wilson Carrano Albuquerque)
Patrocine esse Autor Patrocine esse Texto envie este texto para um amigoveja outros textos deste autor
Este autor concorda com o uso dos seus textos, desde que informem a autoria e o local da divulgação
ANTÔNIO CARLOS JOBIM E SEUS ANTEPASSADOS


O COMPOSITOR:

1. Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim. Conhecido como Tom Jobim, Nasceu na Rua Conde de Bonfim, no. 634, no Bairro da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ) em 25-JAN-1927. O parto foi assistido pelo Dr. Graça Melo, o mesmo que havia acompanhado a chegada ao mundo do compositor Noel Rosa. Tom é considerado um dos mais importantes compositores populares brasileiros. Seus primeiros sucessos, de parceria com Newton Mendonça, datam de 1956 (“Teu Castigo”, “Caminhos Cruzados” e “Só Saudade”). Posteriormente, trabalhou com Vinícius de Moraes na peça “Orfeu da Conceição”, depois transformada em filme. Com o poeta iniciou uma parceria que produziria músicas como: “Se todos fossem iguais a você”, “Modinha”, “Canção do Amor Demais”, ”Luciana” e “Janelas Abertas”. Sua participação na evolução da bossa-nova foi importante, sendo de sua autoria arranjos para o “long-playïng” de João Gilberto com o título de “Chega de Saudade” (1959). Com Vinícius compôs, ainda, “Garota de Ipanema” (1964), que teve grande sucesso nos Estados Unidos da América, onde ficou muito conhecido ao gravar com Frank Sinatra o disco “Francis Albert Sinatra & Antônio Carlos Jobim. Com Chico Buarque de Holanda venceu, em 1968, o II Festival Internacional de Canção. Carlos Drumond de Andrade, em seu artigo “Som sobre Tom”, assim se pronunciou sobre o compositor: “Tom Jobim, deputado eleito pelos sabiás, canários e curiós para falar, não aos poucos da Zona Sul, mas a toda criatura capaz de ouvir e de entender pássaros, trazendo-nos uma interpretação melódica da vida. Isso que ele fez tão bem, cativando a todos. Ou a quase todos, pois seria vão esperar que os amantes do barulho erguido à categoria de música estimassem o antibarulho, o refinamento do som organizado em fonte de prazer estético e explicação do homem por si mesmo. O som de Tom, o som que uma fada (iara, sereia, camena?) lhe deu há 50 anos, presente das matas da Tijuca ao futuro morador do Leblon, ao mais despreocupado dos mestres, e por isso também o mestre que é mais agradável reverenciar”. Casou-se, em primeiras núpcias, com Teresa Otero Hermanny, filha de Artur Hermanny, com quem teve os filhos Paulo Hermanny Jobim e Elisabete Hermanny Jobim. Posteriormente, foi celebrado seu matrimônio com Ana Beatriz Lontra, de que se originaram os filhos João Francisco Lontra Brasileiro de Almeida Jobim e Maria Luísa Helena Lontra Jobim. Tom Jobim faleceu em Nova Iorque, Estados Unidos da América, em 8-DEZ-1994. Seu corpo desembarcou no Rio de Janeiro, cidade que amou e cantou, no dia seguinte ao de sua morte, tendo sido velado no Jardim Botânico e, após desfile pela cidade, foi sepultado no Cemitério São João Batista.

OS PAIS

2. Jorge de Oliveira Jobim. N. em 23-ABR-1889 em São Gabriel (RS), onde iniciou seus estudos. Secundarista em Porto Alegre (RS), formou-se em Direito em 1910, no Rio de Janeiro (RJ). Seguiu carreira diplomática, tendo sido Primeiro Secretário das Legações em Quito, Buenos Aires, Lima e Valparaíso, além de Encarregado de Negócios na Embaixada Brasileira no Peru, último cargo que ocupou no exterior. Com saudades do Brasil, voltou para Porto Alegre, onde trabalhou como professor-assistente da cadeira de Direito Internacional. Poeta, escritor, crítico e jornalista, realizou confrerências literárias e colaborou na imprensa do Rio de Janeiro e de Porto Alegre. Deixou livros de poesias e trabalhos inéditos. Foi condecorado com a Ordem do Rei Leopoldo por Alberto I, Rei da Bélgica, quando este esteve visitando o Brasil. Com 36 anos, casou-se em 1926 em Porto Alegre (RS) com Nilza Brasileiro de Almeida, então com 15 anos. O casal teve os filhos Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim e Helena Isaura de Almeida Jobim. Como conta sua filha Helena no livro “Antônio Carlos Jobim – Um Homem Iluminado”, Jorge era um homem com vastíssima cultura e talento, mas profundamente angustiado, possessivo, desconfiado e ciumento. Faleceu na Casa de Saúde Dr. Eiras, no Rio de Janeiro (RJ), em 19-JUL-1935, em virtude de súbita e fulminante parada cardíaca.

3. Nilza Brasileiro de Almeida. N. por volta de 1910. Tinha olhos verdes luminosos. Era inventiva, de imaginação muito fértil. Tocava violão e cantava, com muita afinação. Também chegou a pintar alguns quadros e escrever versos. Considerada brilhante professora, fundou o Colégio Brasileiro de Almeida, ao qual, conforme informa sua filha, se entregou de corpo e alma. Após a morte de Jorge de Oliveira Jobim, casou-se com Celso Frota Pessoa (falecido em 2-FEV-1979). Faleceu em 7-NOV-1989 no Rio de Janeiro (RJ).

AVÓS:

4. Francisco Martins de Oliveira Jobim. N. em Rio Pardo (RS) em 1832. Casou-se com Antônia Cândida da Trindade, com quem teve os seguintes filhos: Jorge de Oliveira Jobim, Maria Cândida de Oliveira Jobim, Luís Augusto de Oliveira Jobim, Teresa de Oliveira Jobim, Francisca de Oliveira Jobim, Urbana de Oliveira Jobim, Julieta de Oliveira Jobim e Eliezer de Oliveira Jobim. Faleceu em São Gabriel (RS) em 15-ABR-1891.

5. Antônia Cândida da Trindade. Faleceu em 27-JUN-1908.

6. Azor Brasileiro de Almeida (ou Azor de Almeida Leme). Capitão. N. por volta de 1874 em Capivari (SP). Citado na página 98 do Vol. IX do livro “Genealogia Paulistana”, de Silva Leme. Casou-se com Emília Aurora Pereira da Silva, com quem teve os filhos: Nilza Brasileiro de Almeida, Nilo Brasileiro de Almeida, Iolanda Brasileiro de Almeida e Marcelo Brasileiro de Almeida. Faleceu no Rio de Janeiro (RJ) em 1-NOV-1962.

7. Emília Aurora Pereira da Silva. N. em torno de 1878 no Rio de Janeiro (RJ). Faleceu em 17-AGO-1931.

BISAVÓS:

8. Bento José de Oliveira. N. no Porto, em Portugal.

9. Maria Joaquina Martins da Cruz Jobim. N. em 5-ABR-1815 em Rio Pardo (RS).

10. Antônio de Sousa Trindade.

11. Urbana de Sousa.

12. Manoel José de Almeida Leme. Casou-se com Maria Umbelina de Almeida, com quem teve os filhos: João Batista de Arruda Leme e Azor Brasileiro de Almeida.

13. Maria Umbelina de Almeida.

14. Afonso Luís Pereira da Silva. N. em Aracati (CE). Casou-se com Emília Henriqueta de Freitas. Pais de: Emília Aurora Pereira da Silva e Raul Emílio Pereira da Silva. Possivelmente, era filho de João Luís Tavares Pereira da Silva e Maria Firmina Caminha, que deixaram geração em Aracati.

15. Emília Henriqueta de Freitas. N. no Rio de Janeiro (RJ).


TRISAVÓS:

16. Manoel José de Oliveira. N. no Porto, Portugal.

17. Teresa Maria de Macedo. N. no Porto, Portugal.

18. José Martins da Cruz Jobim (ou José Martins da Cruz). N. na Freguesia de Santa Cruz de Jovim, Concelho de Gondomar, Distrito do Porto, Portugal. Acrescentou ao seu nome o de “Jobim”, em face do nome da vila onde nasceu. Serviu no Regimento de Dragões de Rio Pardo, estabelecendo-se, posteriormente, na costa do Ibirapuitã, como fazendeiro. Casou-se em primeiras núpcias com Eugênia Joaquina Rosa Pereira Fortes (filha de João Pereira Fortes e de Eugênia Rosa Ribeiro), com quem teve os filhos Antônio Martins da Cruz Jobim (o Barão de Cambai), Manoel Martins da Cruz Jobim e Luísa Marcondes Jobim (Viscondessa de Sabóia). Do segundo casamento, com Ana Pereira Viana, originaram-se os filhos Francisco Martins de Azevedo Jobim (ou Francisco Martins da Cruz Jobim), Maria Joaquina Martins da Cruz Jobim, Ana Maria Martins da Cruz Jobim e Isabel Martins da Cruz Jobim. Faleceu em 20-NOV-1819 em Rio Pardo (RS).

19. Ana Pereira Viana. Nasceu em 4-DEZ-1785 em Porto Alegre (RS), onde foi batizada em 10-DEZ-1785. Após enviuvar-se de José Martins da Cruz Jobim, casou-se com João José Pinheiro, com quem teve os filhos Joana Pinheiro e José João Pinheiro.

20. Manoel Gonçalves da Trindade. N. em Rio Pardo (RS). Casou-se com Vicência Rosa em 10-OUT-1792 em Rio Pardo (RS).

21. Vicência Rosa. Foi batizada em 29-MAR-1776 em Rio Pardo (RS).

24. Francisco de Almeida Pires. Casou-se com Maria de Camargo, com quem teve os seguintes filhos: Joaquim de Almeida Pires, José Pires de Almeida Leme, Gentil Leme, Rita Leme, Teresa Leme, Maria Leme, Ana Leme, Francisca Leme, Manoel José de Almeida Leme e Francisco Teófilo de Almeida.

25. Maria de Camargo. N. por volta de 1826.

26. João de Arruda.

28. João Luís Tavares Pereira da Silva (possivelmente). N. em Portugal. Deixou geração em Aracati (CE). Casou-se em 1842 com Maria Firmina Caminha.

29. Maria Firmina Caminha (possivelmente).

30. Vasco de Freitas. N. em Portugal.

31. Emília Eduarda.

TETRAVÓS:

36. Domingos João. N. na Freguesia de São Cosme e São Damião, Portugal.

37. Teresa Martins. N. na Freguesia de Santa Cruz de Jovim, Concelho Gondomar, Distrito do Porto, Portugal.

38. Francisco Pereira Viana. N. em Braga. Foi comerciante estabelecido em Porto Alegre (RS) com “loja de varejo”. Casou-se com Maria Dorotéia de Figueiredo, com quem teve os seguintes filhos. Joaquina Pereira Viana (I), José Pereira Viana, Ana Pereira Viana, Joaquina Pereira Viana (II), Domingos Pereira Viana, Manoel Pereira Viana, Isabel Pereira Viana, Joana Pereira Viana (I), Joana Pereira Viana (II), Antônio Pereira Viana (I), Antônio Pereira Viana (II), Dorotéia Maria da Anunciação, Francisca Antônia Viana, Maria Francisca Viana e Brígida Maria Viana.

39. Maria Dorotéia de Figueiredo. N. em 16-NOV-1761 na Freguesia de São Pedro de Rio Grande (RS), tendo sido batizada no mesmo lugar em 26-NOV-1761. Faleceu em NOV-1839 em Viamão (RS).

40. Antônio Gonçalves da Trindade. N. em 1738 em Fontinhas, Ilha Terceira, Portugal. Casou-se em 25-JUN-1768 em Rio Pardo (RS) com Maria Teresa de Jesus.

41. Maria Teresa de Jesus. N. em 1755 em Rio Pardo (RS), onde faleceu em 1822.

42. Jorge de Sousa Nunes. N. em 1741 em Norte Grande, Ilha de São Jorge, Açores, Portugal. Casou-se com Francisca dos Anjos. Faleceu em 16-MAI-1817 em Rio Pardo (RS).

43. Francisca dos Anjos. N. por volta de 1740 na Vila do Porto, Ilha de Santa Maria, Açores, Portugal.

48. Manoel José de Almeida Leme. Capitão. N. em Sorocaba (SP). Casou-se em 1803 em Itu (SP) com Maria da Anunciação Arruda, com quem teve os seguintes filhos: Manoel de Arruda Castanho, Vítor de Arruda Castanho, Joaquim de Almeida Leme, Antônio de Almeida Leme, Maria de Almeida Leme, João de Almeida Leme, Joaquim Pires de Almeida, Ana de Arruda Leme, Manoela de Arruda Leme, Francisco de Almeida Pires, Fernando de Almeida Leme e José de Almeida Leme.

49. Maria da Anunciação Arruda.

50. Gentil Antônio de Camargo. Casou-se em 1823 em Itu (SP) com Umbelina Maria de Arruda. Pais de: Maria de Camargo, Gertrudes de Camargo, Escolástica de Camargo e Ana de Camargo.

51. Umbelina Maria de Arruda.




PENTAVÓS:

76. José Pereira da Silva. N. na Freguesia de São Vítor, no Concelho de Braga, Distrito de Braga, Portugal.

77. Brígida Maria de Sousa. N. na Freguesia de Gemieira, Concelho de Ponte de Lima, Distrito de Viana do Castelo, Portugal.

78. João Antônio Fagundes. N. na Freguesia de São João do Souto, Concelho de Braga, Distrito de Braga, Portugal. Veio para o Brasil na primeira metade do Século XVIII, estabelecendo-se em Porto Alegre (Rs) com loja de varejo. Casou-se em 5-SET-1757 no Rio Grande (RS) com a viúva Luzia Rita da Esperança, com quem teve os seguintes filhos: Ana Felícia Séria, Maria Dorotéia de Figueiredo, Antônia Mariana da Esperança, José Antônio Fernandes Lima e Francisca da Esperança. Faleceu em 17-MAI-1781 em Porto Alegre (RS).

79. Luzia Rita da Esperança. Nasceu na Freguesia de Nossa Senhora da Conceição, arraial de Carijós, Bispado de Mariana (MG). Antes de casar-se com João Antônio Fagundes, foi esposa de André da Costa, com quem teve a filha Teresa Rosa da Esperança. Faleceu de apoplexia, com oitenta e oito anos, em 31-JAN-1822, em Porto Alegre (RS).

80. João Gonçalves da Cunha. N. em São Pedro dos Biscoitos, Ilha Terceira, Portugal. Casou-se com Maria dos Anjos em Fontinhas, Ilha Terceira, Portugal.

81. Maria dos Anjos. N. em Fontinhas, Ilha Terceira, Portugal.

82. Antônio de Ávila Bica. N. em 23-OUT-1725 em Madalena, Ilha do Pico, Açores, Portugal. Casou-se com Rita Maria em 21-FEV-1751, na mesma localidade de seu nascimento.

83. Rita Maria. N. em 1-OUT-1728 em Madalen, Ilha do Pico, Portugal. Faleceu em 16-MAI-1816 em Rio Pardo (RS).

84. Silvestre Machado de Lemos. N. em Norte Grande, Ilha de São Jorge, Açores, Portugal. Casou-se com Marta Siríaca de Sousa.

85. Marta Siríaca de Sousa. N. em Norte Grande, Ilha de São Jorge, Açores, Portugal.

86. João Cabral. N. na Vila do Porto, Ilha de Santa Maria, Açores, Portugal. Casou-se com Rosa de Sousa.

87. Rosa de Sousa. N. na Vila do Porto, Ilha de Santa Maria, Açores, Portugal.

96. Tenente Fernando de Almeida Paes Leme. Casou-se em Sorocaba (SP), em 1775, com Ana de Arruda Pacheco. Pais de: Manoel José de Almeida Leme, Joaquim Pires de Almeida, Ana Gertrudes de Almeida, Maria Joaquina de Almeida, Francisca de Paula Leite e Antônio Pires de Almeida Moura. Faleceu antes de 1797.

97. Ana de Arruda Pacheco. N.por volta de 1757.

98. Vítor Antônio de Arruda. Casou-se em 1781, em Itu (SP), com Manoela Dias Pacheco, com quem teve os filhos: Gertrudes Pacheco da Silva, Maria da Anunciação Arruda, Bernardo de Arruda e Manoel Pinto.

99. Manoela Dias Pacheco.

100. Jerônimo Pedroso de Barros. Casou-se com Gertrudes de Camargo Penteado, com quem teve os filhos: Indalécio de Camargo Penteado, Joaquim de Camargo Penteado, José de Camargo Penteado, Gentil Antônio de Camargo, Saloméia de Camargo Penteado e Maria de Camargo Penteado. Faleceu em 1798 na Vila de São Paulo (SP).

101. Gertrudes de Camargo Penteado.

102. Manoel Vieira Pinto. Alferes. Casou-se em 1792, em Araritaguaba, depois Porto Feliz (SP), com Maria de Arruda Leite.

103. Maria de Arruda Leite (ou Maria Leite de Arruda). Fal. em 1823 em Porto Feliz (SP).


HEXAVÓS:

156. Santos Fernandes Lima. N. na Freguesia de São João do Souto, Braga, Portugal.

157. Custódia Maria da Silva. N. na Freguesia de São João do Souto, Braga, Portugal.

158. Domingos Rodrigues. N. na Ilha Terceira, Açores, Portugal.

159. Catarina Maria. N. na Ilha Terceira, Açores, Portugal.

192. Capitão-Mor José de Almeida Leme. Casou-se em 1742, em Sorocaba, com Maria Egipcíaca de Moura. Pais de: Antônio Bonifácio de Almeida Leme, José de Almeida Leme, Fernando de Almeida Paes Leme, Escolástica Maria de Almeida Paes, Francisco Xavier de Almeida, Luís Antônio de Almeida e Pedro Domingues de Paes Leme.

193. Maria Egipcíaca de Moura. Fal. em 1797 em Sorocaba (SP).

194. Capitão José Pires de Arruda. Casou-se em primeiras núpcias, em 1756, com Ana de Arruda Pacheco e em segundas núpcias, em 1760, em Sorocaba (SP), com Isabel Maria de Madureira (filha de Matias de Madureira Calheiros e de Gertrudes de Almeida). Filha oriunda do 1º casamento: Ana de Arruda Pacheco.

195. Ana de Arruda Pacheco. Faleceu antes de 1767.

196. José de Arruda Sá. Casou-se em 1732, em Itu (SP), com Escolástica de Góes Bicudo. Pais de: Francisco de Arruda Sá, José Bicudo d Barros, Mateus de Arruda, Antônio de Arruda, Indalécio de Arruda, Maria Bicudo, Inácia de Arruda, Ana de Arruda, Isabel de Arruda e Vítor Antônio de Arruda.

197. Escolástica de Góes Bicudo. N. em Parnaíba (SP).

198. Guilherme Vaz Pinto. Nasceu por volta de 1726. Casou-se em 1756, em Itu (SP), com Bárbara Dias Leite. Pais de: Antônio Vaz Pinto, Maria Pinto da Silva, José Vaz Pinto Ribeiro, Manoela Dias Pacheco e Andreza Pacheco de Arruda. Faleceu em 1776, em Itu (SP).

199. Bárbara Dias Leite.

200. Capitão Bernardo Bicudo Chassim. Capitão da infantaria auxiliar de Araçariguama, foi notável pela força muscular e velocidade na carreira conquanto fosse muito gordo. Casou-se em Sorocaba com Verônica Dias Paes Leite, com quem teve os filhos: Rodrigo Pedroso de Barros, Domingos Soares Paes, José Pedroso de Barros, Inácio Pedroso de Barros, Jerônimo Pedroso de Barros, Salvador Pires de Barros, Gertrudes Maria de Barros Leite e Ana Pedroso de Barros.

201. Verônica Dias Paes Leite. N. em Sorocaba (SP).

202. José de Camargo Paes. Foi Ouvidor no processo do Caetaninho, em São Paulo (SP). Casou-se em primeiras núpcias em 1757, em Parnaíba (SP), com Bárbara Paes de Barros e em segundas núpcias, em 1793,em Itu (SP), com Inácia de Arruda (viúva de Antônio Soares da Costa). Teve com a primeira esposa os seguintes filhos: Capitão José de Camargo Penteado, Alferes Antônio Pompeu de Camargo Penteado, Reducindo de Camargo Penteado, Capitão-Mor Floriano de Camargo Penteado, Gertrudes de Camargo Penteado, Manoela de Camargo Penteado, Capitão Joaquim de Camargo Penteado, Ana Esméria de Camargo, Teresa de Camargo Penteado e Bárbara Paes de Barros. Sem filhos com a segunda esposa.

203. Bárbara Paes de Barros.

204. Antônio Vieira da Silva Pinto. Oriundo de Pouso Alto, Bispado de Mariana (MG). Casou-se com Maria de Jesus da Conceição, com quem teve, pelo menos, os filhos Manoel Vieira Pinto e Francisca Antônia Vieira. Faleceu em Itu por volta de 1782.

205. Maria da Conceição (ou Maria de Jesus da Conceição). N. em Araritaguaba (SP).

206. Pascoal Leite Justiniano (ou Pascoal Leite Penteado). Casou-se em 1774 em Itu (SP) com Joana Francisca da Silva. Pais de: Isabel Maria de Arruda e Maria Leite de Arruda.

207. Joana Francisca da Silva. N. em Meia Ponte (GO).


HEPTAVÓS:

384. Fernando de Almeida Leme. N. na Ilha de São Sebastião (SP). Casou-se em primeiras núpcias, em 1713, em Sorocaba (SP) com Andreza de Almeida Leite. Filhos do casal: José de Almeida Leme, João de Almeida Leite, Maria de Almeida Leite e Francisco Paes de Almeida. Casou-se, em segundas núpcias, em 1722, em Itu (SP), com Maria de Arruda (filha de Francisco de Arruda Sá e Ana de Proença), com quem teve os filhos Ana de Almeida Leme (ou Ana de Arruda) e Francisco de Almeida Leme.

385. Andreza de Almeida Leite.

386. João de Moura Gavião. Nasceu em São Paulo (SP). Casou-se em 1689 em Sorocaba (SP) com Mécia Soares Paes. Filhos: Padre Pedro Domingues Paes, Gertrudes Domingues, Frei João de Jesus Maria, Isabel Soares, Escolástica de Moura, José de Moura e Maria Egipcíaca de Moura.

387. Mécia Soares Paes. Faleceu antes do inventário de sua mãe, ocorrido em 1730.

388. Miguel de Arruda Sá. N. em Parnaíba (SP). Casou-se com Maria de Almeida Pimentel, com quem teve os seguintes filhos: Antônio Rodrigues, Sebastião de Arruda Sá, Miguel de Arruda, Antônio de Arruda Penteado, Capitão Gonçalo Vaz Botelho, Capitão José Pires de Arruda, Maria de Arruda e Isabel de Arruda.

389. Maria de Almeida Pimentel. N. em Sorocaba (SP).

390. Sargento-Mor Antônio Ferraz de Arruda. Casou-se em primeiras núpcias em 1727, em Itu (SP), com Maria Pacheco de Sousa Menezes. Pais de: Antônia Pacheco de Arruda, Padre João Leite Ferraz, Maria de Arruda Pacheco, Padre Antônio Ferraz Pacheco, Bárbara Dias Leite, Padre José Ferraz, Mariana Leite Pacheco, Capitão Bento Dias Pacheco e Ana de Arruda Pacheco. Em segundas núpcias, casou-se em 1768, em Sorocaba (SP), com Maria de Camargo Paes, falecida em 1772 em Itu (SP), filha de Mateus de Camargo e Siqueira e Maria Paes da Silva. Filho oriundo do segundo casamento: Manoel Ferraz de Camargo. Faleceu em 1774 em Itu (SP).

391. Maria Pacheco de Sousa Menezes. Faleceu em 1767 em Itu (SP).

392. Francisco de Arruda e Sá. Casou-se com Ana de Proença. Pais de: João de Arruda e Sá, José de Arruda Sá, Antônio de Arruda Sá, Francisco de Arruda, Manoel de Arruda e Sá, João de Arruda, Maria de Arruda, Rosa de Arruda, Marta de Arruda, Isabel de Arruda e Ana de Arruda. Faleceu em 1743 em Itu (SP).

393. Ana de Proença. N. em Parnaíba (SP).

394. José de Barros Bicudo Leme. Casou-se em 1695 em São Paulo (SP) com Inácia de Góes. Filhos: Bento de Barros, Inácia de Góes, Maria de Araújo, João de Almeida Pedroso e Escolástica de Góes.

395. Inácia de Góes.

396. Capitão Antônio Vaz Pinto. N. em Santos (SP). Casou-se com Mariana Leme da Silva, com quem teve os filhos: Lucrecia Leme da Silva, Maria Pedroso de Jesus, Mariana Leme da Silva, Escolástica Pinto, Guilherme Vaz Pinto, Antônio Vaz Pinto e Antônio Francisco Baruel. Faleceu em 1764.

397. Mariana Leme da Silva.

398. Sargento-Mor Antônio Ferraz de Arruda. V. nº 390.

399. Maria Pacheco de Sousa Menezes. V. nº 391.

400. Capitão Rodrigo Bicudo Chassim. Batizado com o prenome de Gonçalo, mudado, quando foi crismado, para Rodrigo. Segundo Pedro Taques, era nobre cidadão de Parnaíba, onde teve sempre as rédeas do governo. Foi estabelecido na Freguesia de Nossa Senhora da penha de Araçariguama, onde teve uma opulenta fazenda com numerosos escravos que lhe dava avultados rendimentos. Conforme consta do Dicionário de Bandeirantes e Sertanistas do Brasil, de Francisco de Assis Carvalho Franco, "muito se distinguiu nas lides bandeirante, tendo sertanejado em Minas Gerais e em Mato Grosso, adquirindo grande fortuna. Em 1711, nas Minas Gerais, acudiu com duzentos homens armados, à sua custa, ao apelo do governador Antônio de Albuquerque Coelho de Carvalho, para socorro do Rio de Janeiro, invadido pelos franceses. Em Cuiabá foi juiz ordinário, em 1727, e ouvidor, em 1729. Dessas minas voltou a São Paulo, onde tinha uma fazenda em Araçariguama. Casou-se em 1698, em São Paulo (SP), com Maria Pires de Barros. Pais de: Maria Leite do Rosário, Ana Pires de Barros, Bento da Gama de Alvarenga Chassim, Escolástica Leite de Barros, Capitão Bernardo Bicudo Chassim, Maria Pires de Barros e Inácio Xavier Bicudo de Barros. Faleceu em Parnaíba (SP), com testamento, em 30 de março de 1742.

401. Maria Pires de Barros (ou Maria Pires).

402. Capitão Domingos Soares Paes. N. em Paranaguá (PR). Casou-se em 1702, em Sorocaba (SP), com Maria Leite da Silva, com quem teve os seguintes filhos: Jerônimo Soares de Araújo, Francisco Soares de Araújo, Maria Paes de Jesus, Francisca Soares Paes, Isabel Soares de Araújo, Verônica Dias Paes Leite, Maria Paes de Araújo, José Soares e Escolástica Soares.

403. Maria Leite da Silva. N. em Itu (SP).

404. Coronel Tomás Lopes de Camargo. Fez parte da bandeira em que esteve o Padre João de Faria Fialho, sendo, assim, um dos descobridores e fundadores de Ouro Preto (MG). Minerou algum tempo no Ribeirão do Carmo e em 1701, acompanhado de outros sertanistas, seguiu para o norte, encontrando um ribeiro aurícola onde se estabeleceu. Daí foi criada a povoação que hoje tem o nome de Camargos. Foi casado com Paula de Costa, com quem teve os filhos Inácio de Camargo Paes, José de Camargo Paes, Rita Maria de Camargo, Francisco de Camargo Paes, Frei João do Monte Serrate, Vicente Ferrer de Camargo, Ana de Camargo Paes, Luísa de Camargo Paes e Benta Paes de Camargo. Faleceu por volta de 1756, quando foi aberto seu inventário em São Paulo (SP).

405. Paula da Costa.

406. Antônio Rodrigues Penteado. N. por volta de 1698. Casou-se em 1729, em São Paulo (SP), com Rosa Maria da Luz do Prado. Pais de: João Correia de Lemos Penteado, Francisco Xavier Leite Penteado, Lourenço Justiniano Leite Penteado, Manoel Rodrigues Penteado, José Rodrigues Penteado, Maria Delfina de lemos, Isabel Paes de Barros, Bárbara Paes de Barros, Ana Vicência de Barros, Rosa Maria Leite, Maria Rodrigues Penteado e Maria Leite de Barros. Faleceu em 1789 em Parnaíba (SP).

407. Rosa Maria da Luz do Prado.

408. João Vieira da Silva. N. em Braga, Portugal. Com Teresa Pinto teve, pelo menos, o filho Antônio Vieira da Silva Pinto.

409. Teresa Pinto. N. em Pouso Alto (MG).

410. Cristóvão Borges. N. na Ilha Terceira ou na Ilha de São Miguel, Portugal. Foi morador de Cuiabá (MT). Casou-se com Leonor Cardoso. Pais de: Isabel Nobre Pereira e Maria da Conceição. Faleceu antes de 1754.

411. Leonor Cardoso.

412. Pedro Vaz Justiniano. Casou-se em 1721, em Itu (SP), com Isabel de Arruda. Pais de: Maria Dias Leite, Pedro Dias Leite, Francisco Leite Justiniano, Pascoal Leite Penteado e Miguel de Arruda Justiniano. Em 1758 ainda minerava nas minas ocidentais de Mato Grosso, no sítio chamado Onça, conforme carta anexada ao seu inventário, aberto em 1762 em Itu (SP). Segundo Pedro Taques, faleceu em Cuiabá (MT).

413. Isabel de Arruda.

414. Domingos da Silva Bueno. Nasceu na Ilha de São Sebastião (SP). Casou-se em 1734, em Itu (SP), com Maria Paes de Almeida, com quem teve os filhos: Vicente da Silva Bueno, Maria de Jesus de Almeida, Joana Francisca da Silva, Ângela da Silva e Inês da Silva Bueno. Faleceu em Cuiabá (MT).

415. Maria Paes de Almeida.

OCTAVÓS:

768. Francisco de Almeida Cabral. Casou-se no Rio de Janeiro (RJ) com Maria de Cáceres. Pais de: Francisco Paes de Almeida e Fernando de Almeida Leme.

769. Maria de Cáceres. N. no Rio de Janeiro (RJ), onde foi batizada em 16-MAI-1632.

770. Antônio Rodrigues Penteado. N. em Parnaíba (SP). Morou em Sorocaba (SP), onde teve as rédeas do governo e casou-se com Maria de Almeida Leite, com quem teve os filhos: Francisco Rodrigues Penteado, Tomé de Lara Penteado, Amaro Rodrigues Penteado, José Rodrigues Penteado, Clara de Miranda, Inácia de Almeida, Potência Leite de Almeida, Antônia de Almeida, Ana de Almeida Lara, Maria de Almeida Pimentel e Andreza de Almeida Leite (ou Andreza Leite de Almeida). Faleceu em 1728.

771. Maria de Almeida Lara.

772. João de Moura Gavião. Nasceu na Freguesia de São Julião, Lisboa, Portugal. Casou-se em 1661 com Maria da Luz Cardoso. Pais de: Catarina Correia Perestrelo, Maria Antunes de Moura, Manoel de Moura e João de Moura Gavião.

773. Maria da Luz Cardoso.

774. Sargento-Mor Pedro Domingues Paes. Foi morador em Sorocaba (SP), onde era Juiz de Órfãos em 1689. Tomou parte em várias bandeiras, uma das quais em Mato Grosso, em 1682, da qual foi chefe o seu irmão, Capitão-Mor Brás Mendes Paes. Foi casado com Isabel Soares de Pontes, com quem teve os filhos seguintes: Mécia Soares Paes, Sargento-mor Estêvão Sanches Paes e Maria Paes Domingues.

775. Isabel Soares de Pontes. Faleceu em 1722 em Sorocaba (SP).

776. Sebastião de Arruda Botelho. N. na Vila da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Açores, Portugal. Casou-se com Isabel de Quadros. Pais de: Francisco de Arruda e Sá, Antônio de Arruda, Pascoal de Arruda Botelho, José de Arruda Botelho, Sebastião de Arruda Botelho, Miguel de Arruda e Sá, Jerônimo de Arruda Botelho, Simão de Arruda, Maria de Arruda, Bernarda de Arruda, Francisca de Arruda, Ana de Arruda e Gertrudes de Arruda.

777. Isabel de Quadros. Nasceu em São Paulo (SP), onde foi batizada em 1643. Fal. em 1721 em Itu (SP).

778. Antônio Rodrigues Penteado. V. nº 770.

779. Maria de Almeida Lara. V. nº 771.

780. Capitão Pedro Dias Leite. Nasceu em São Paulo (SP). Foi Juiz em Itu (SP) em 1715. Casou-se em 1692, em Parnaíba (SP), com Antônia de Arruda. Pais de: Pedro Dias Ferraz, Antônio Ferraz de Arruda, Padre Bento Dias Pacheco, Maria de Arruda Leite, Gertrudes de Arruda Leite, Verônica Dias Leite, Francisca de Arruda Leite, Isabel de Arruda Leite, Josefa de Arruda e Escolástica de Arruda.

781. Antônia de Arruda (ou Antônia de Arruda Sá).

782. Manoel de Sampaio Pacheco. N. na Ilha de São Miguel, Vila de Ribeirão Grande, Açores, Portugal. Foi Capitão-Mor de Itu (SP). Casou-se em primeiras núpcias, em 1710, em Itu (SP), com Bárbara de Sousa Menezes e em segundas núpcias em torno de 1717, em Itu (SP), com Verônica Dias Leite. Filhos: Francisco Pacheco de Menezes e Maria Pacheco (oriundos do 1º casamento) e Jacinta de Arruda, Manoel Pacheco Botelho, Pedro Ferraz Pacheco, José do Rego de Sampaio, Antônia de Arruda, Nicolau da Costa de Arruda, Inácio Dias de Sampaio, Vicente Leite de Sampaio, Ana Maria de Arruda e Inácia de Arruda (do 2º casamento). Faleceu em 1762 em Itu (SP).

783. Bárbara de Sousa Menezes. N. em Itu (SP), onde faleceu em 1716.

784. Sebastião de Arruda Botelho. V. nº 776.

785. Isabel de Quadros. V. nº 777.

786. Paulo de Proença de Abreu. Passou para São Paulo (SP) e fez assento na Vila de Parnaíba (SP), onde ocupou cargos públicos, inclusive o de Juiz Ordinário e de Órfãos. Casou-se a primeira vez com Benta Dias Fernandes, viúva de Antônio Furtado de Vasconcelos e filha de Manoel Fernandes Ramos e de Susana Dias. Em segundas núpcias, uniu-se a Maria Bicudo de Brito. Fez seu testamento em 1642, no qual declarou sua naturalidade e filiação. Faleceu em Parnaíba em 1676, com geração apenas da segunda mulher, com quem teve os seguintes filhos: Domingos de Brito, João Bicudo de Proença, Paulo de Proença de Abreu, Antônio de Proença de Abreu, Ana de Proença e Francisca Cubas de Brito.

787. Maria Bicudo de Brito.

788. Capitão Antônio Bicudo Leme. Cognominado “o Via Sacra”, pelo amor que tinha a este santo exercício. Segundo Silva Leme, foi morador em Pindamonhangaba (SP), onde foi pessoa de respeito, estima e de grandes cabedais que adquiriu nas Minas Gerais nos primeiros anos do descobrimento daquela região. Praticou as virtudes morais com amor da justiça e da retidão nos empregos que teve no governo da terra. Faleceu em Pindamonhangaba em 1716, com testamento em que dispôs que fosse seu cadáver sepultado ao pé das três cruzes da via-sacra, dentro dos muros da Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, na referida localidade. Foi, com seu cunhado Brás Esteves Leme e seus genros e filhos, fundador de Pindamonhangaba, porque conseguiu a sua criação em 1705, apesar da oposição dos moradores de Taubaté, a que estava subordinada a Vila. Foi casado com Francisca Romeiro Velho Cabral (filha de Manoel da Costa Cabral e de Francisca Cardoso; faleceu em 1764, em Guaratinguetá, São Paulo), com quem teve os filhos Margarida Bicudo Romeiro, Maria Bicudo Cabral, Francisca Romeiro Velho Cabral, Helena do Prado Cabral, Isabel Bicudo de Brito, Frei Serafino de Santa Rosa, Sargento-Mor Antônio Bicudo de Brito e Manoel da Costa Leme. Em segundas núpcias, o Capitão Antônio Bicudo casou-se com Luzia Machado, originando-se deste matrimônio os filhos Padre Domingos Machado, Pedro Machado (Frei Pedro) e José de Barros Bicudo Leme. Casou-se pela terceira vez com Ana Cabral da Silva, não tendo havido geraç

789. Luzia Machado. N. em São Paulo (SP). Faleceu em 1707, tendo sido inventariada em Taubaté (SP).

790. Lourenço Castanho Taques. Segundo Francisco de Assis Carvalho Franco, em seu Dicionário de Bandeirantes e Sertanistas do Brasil, foi bastante rico, sendo encontrado, desde 1631, no Guairá, atacando a Vila Rica e fazendo parte do grupo de seus destruidores. Fez várias entradas ao sertão, sempre com o objetivo de capturar escravos índios. Uma das maiores foi realizada em 1676, no sertão mineiro. De acordo com o mesmo autor, foi fazendeiro em Parnaíba e em Itu e só na primeira propriedade tinha mais de cem índios ao seu serviço. Silva Leme diz que era um santo varão por antonomásia, porquanto herdou de seu pai o ardor e zelo pela utilidade pública e o real serviço. Foi Juiz Ordinário e de Órfãos em São Paulo (SP). Extremamente caritativo no exercício de seu cargo de Juiz de Órfãos, mandava ensinar a ler e escrever e os ofícios mecânicos aos pupilos de inferior condição. Foi muito abastado em bens, esmerando-se na educação religiosa e instrução de seus filhos. Depois de dotadas as suas filhas e bem colocados os seus filhos, ficando livre das pensões a que era obrigado quando estavam sob seu pátrio poder, dedicou-se, com o resto de seus rendimentos, à prática da caridade, socorrendo os pobres. Foi o fundador do recolhimento de Santa Teresa, juntamente com o Capitão-Mor Pedro Taques de Almeida, seu irmão, auxiliados por Manoel Vieira Barros, que cedeu o terreno de duas casas que no local possuía. Casou-se com Maria de Araújo, com quem teve os filhos: Lourenço Castanho Taques, Capitão Maximiano de Góes e Siqueira, Luís Pedroso de Barros, Capitão José Pompeu Castanho, Leonor de Siqueira, Ângela de Siqueira, Maria de Araújo, Inácia de Góes, Teresa de Araújo, Antônio Pompeu Taques e Maria de Lara. Faleceu em São Paulo (SP) em 1708.

791. Maria de Araújo. N. em São Paulo (SP), onde faleceu em 1683.

792. Capitão Manoel Pinto Ribeiro. Faleceu em 1731 em São Paulo (SP). Casou-se com Maria de Moraes Pedroso, com quem teve os filhos: Capitão Antônio Vaz Pinto e João Pinto de Moraes.

793. Maria de Moraes Pedroso. Faleceu em 1737 em São Paulo (SP).

794. João Henrique de Siqueira Baruel. Casou-se com Lucrécia Leme da Silva. Pais de: Ana Maria de Siqueira Leme, Mariana Leme da Silva, Isabel de Siqueira da Silva, Maria Garcia Leme e Francisco Henrique da Silva.

795. Lucrécia Leme da Silva.

796. Pedro Dias Leite. V. nº 780.

797. Antônia de Arruda. V. nº 781.

798. Manoel de Sampaio Pacheco. V. nº 782.

799. Bárbara de Sousa Menezes. V. nº 783.

800. Gonçalo Simões Chassim. N. em Portimão, no Reino do Algarve. Foi o progenitor da Família Chassim na Capitania de São Paulo. Estabeleceu-se em São Paulo (SP) e depois na Vila de Parnaíba, com grande fazenda de cultura. Em Parnaíba teve repetidas vezes as rédeas do governo. Casou-se em São Paulo (SP) com Maria Leme de Brito, com quem teve os filhos: Antônio Pedroso, Joana Leme de Brito, João Bicudo Chassim, Manoel Monteiro Chassim, Maria Simões, Rodrigo Bicudo Chassim, José Simões, Francisco Bicudo Chassim e Ana Leme de Brito. Foi fundador da Capela de Nossa Senhora de Nazaré, construída em sua fazenda, junto ao rio Tietê. Para a festa anual de Nossa Senhora de Nazaré, em 8 de setembro, deixou em testamento, feito de mão comum com sua mulher, a quantia de 200$000. No mesmo testamento, determinou o casal que seus corpos fossem sepultados na Capela da Ordem Terceira de São Francisco, em São Paulo (SP), onde eram professos. Faleceu em São Paulo (SP) em 25-MAI-1720.

801. Maria Leme de Brito. Fal. em 1688 em São Paulo (SP).

802. Pedro Vaz de Barros. N. por volta de 1645 em S. Paulo (SP). Herdeiro de grande fortuna, foi um dos maiores potentados de seu tempo. Como sertanista, é encontrado em 1667 seguindo, possivelmente, na vanguarda de Lourenço Castanho Taques, o Velho, cujo grosso da bandeira partiu em princípios de 1668 para o sertão dos índios cataguases, à procura de ouro. Regressando em 1670, não tardou a seguir novamente para o interior e, em 1673, ainda se achava em bandeira. Essas entradas, ao que parece, foram em direção de Minas Gerais, pois Pedro Vaz de Barros foi dos primeiros a descobrir ricos aluviões auríferos no Ribeirão do Carmo, no Tripuí e nas proximidades do Furquim, entre 1695 e 1696. Foi morador e proprietário da célebre Fazenda Quitaúna que, pelo número de casas e seu arruamento, parecia uma vila, com uma capela onde eram administrados sacramentos a mais de 600 almas. Muito ouro deve ter extraído da minas que encontrou, pois o seu inventário revela que ainda tinha, ao falecer, grande quantidade do metal precioso em pó. C. c Maria Leite de Mesquita. Pentavós do Dr. Prudente José de Moraes Barros, Presidente da República do Brasil de 1894 a 1898. Filhos do casal: Beatriz de Barros, Luzia Leme de Barros, Isabel Paes de Barros, Lucrécia Leme de Barros, Maria Pires, Maria Leite Pedroso, Domingos Rodrigues, Antônio Pedroso de Barros, Capitão João Leite de Barros, Valentim Pedroso de Barros, Coronel Jerônimo Pedroso de Barros, José de Barros, Capitão Pedro Vaz de Barros, Francisco de Barros, Manoel Pedroso Barros e Padre Eusébio Pedroso de Barros. Fal. por volta de 1697 (testamento de 22-MAR-1695) em São Paulo (SP).

803. Maria Leite de Mesquita. Fal. em 1732 em S. Paulo (SP).

804. Manoel Soares. N. em Viana, Portugal. Sertanista de São Paulo, foi um dos fundadores de Curitiba (PR). Obteve uma sesmaria em 1683 nas terras do Botiatuva, marginais do Rio Paçaúna. Em 1684, encontrava-se no povoado de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais (PR) e em 1693 era Juiz Ordinário eleito de Curitiba. Casou-se em Parnaíba (SP) com Maria Paes, com quem teve os seguintes filhos: Capitão Domingos Soares Paes, Maria Soares Paes, Joana Garcia Soares, Isabel Soares Paes e Gonçalo Soares Paes. Faleceu em 8 de fevereiro de 1705, em Curitiba (PR).

805. Maria Paes. Residiu em Curitiba (PR).

806. Capitão Jerônimo Ferraz de Araújo. Atuou como imediato de seu irmão Antônio Ferraz de Araújo na bandeira de 1690 contra os índios chiquitos, então em território paraguai. Foi morador em Itu (SP) e depois em Sorocaba (SP), onde ocupou importantes cargos, sendo Juiz Ordinário e de Órfãos em 1710. Casou-se em 1684 em Sorocaba com Maria Riquelme de Gusmão. Pais de: João de Araújo Cabral, Maria Leite da Silva, Isabel Paes, Jerônimo Ferraz de Araújo e Manoel Ferraz de Araújo.

807. Maria Riquelme de Gusmão.

808. Fernando de Camargo Ortiz. Foi Capitão sob as ordens do Capitão-Mor Domingos Barbosa Calheiros na expedição contra os bárbaros gentios do sertão da Bahia em 1658. Casou-se com Joana Lopes, com quem teve os seguintes filhos: Coronel Estêvão Lopes de Camargo, Maria de Camargo, Mariana de Camargo, Catarina de Camargo, Vitória de Camargo, Joana Lopes de Camargo, Ana Maria de Camargo, Isabel de Camargo, Capitão Fernando Lopes de Camargo, Pedro Lopes de Camargo, Coronel Tomás Lopes de Camargo, Gonçalo Lopes de Camargo e João Lopes de Camargo. Faleceu em 1690.

809. Joana Lopes.

810. Capitão Martinho Paes de Linhares. Casou-se com Isabel da Silva, tendo com ela os filhos seguintes: Diogo da Silva Paes, Frei Martinho de Santa Isabel, Martinho Paes da Silva, Paula da Costa Paes, Catarina Paes da Silva e Maria Paes da Silva.

811. Isabel da Silva. Natural de São Paulo (SP). Faleceu com testamento em 1726, havendo no documento sua declaração de que era cunhada de Félix Machado.

812. João Correia Penteado. Foi nobre cidadão de São Paulo (SP). Casou-se em 1689 com Isabel Paes de Barros, com quem teve os seguintes filhos: Pedro Rodrigues Penteado, Francisco Rodrigues Penteado, Antônio Rodrigues Penteado, Caetano Rodrigues Penteado, Maria Leite de Barros e Águeda Xavier de Barros. Faleceu com testamento em 1726.

813. Isabel Paes de Barros. Nasceu por volta de 1673. Faleceu em 1763 em Parnaíba (SP), com testamento, em que declarou sua filiação e ter quatro filhos vivos.

814. Capitão-Mor Antônio Correia de Lemos. Paulista, nasceu por volta de 1651. Em 1677, era Capitão de Infantaria. Muito auxiliou o Mestre de Campo Jorge Soares de Macedo em sua missão referente à fundação da Colônia do Sacramento. Explorou com seu irmão José Correia de Lemos ribeirões auríferos em Minas Gerais, logo após a descoberta de ouro naquele território. Apaziguou várias contendas surgidas entre os mineiradores. Recebeu em 1678 sua legítima, como consta dos autos do inventário de seu pai. Nessa época, foi nomeado Capitão de Cavalaria em São Paulo, tendo, em 1703, recebido o posto de Capitão-Mor Governador da Capitania, conservando-se nele até 1707. Por uma questão de jurisdição, teve, durante seu governo, grande luta com o Ouvidor-Geral João Saraiva de Carvalho, que, após Antônio ter largado o cargo e ido para seu sítio em Caguaçu, resolveu prendê-lo em nome do Rei, prisão logo tornada sem efeito. Casou-se com Mariana da Luz do Prado. Pais de: João Correia de Lemos, Capitão Antônio Correia de Lemos, Capitão Francisco Correia de Lemos, Capitão Lourenço Correia de Lemos, Capitão Manoel Correia de Lemos, Capitão José Correia de Lemos, Capitão Salvador Correia de Lemos, Maria da Luz, Isabel Correia do Prado e Rosa Maria da Luz do Prado. Faleceu em 1739.

815. Mariana Luz do Prado (também citada como Maria da Luz do Prado). N. por volta de 1678 e faleceu em 1721.

822. João Machado de Lima. Casou-se em 1712, em Itu (SP), com Rosa Cardoso Pimentel, com quem teve os seguintes filhos: Isabel Nobre Cardoso, Rosa Cardoso, Maria de Lima Cardoso, Leonor Cardoso, Rita Cardoso Pimentel e Ângela Cardoso. Deve ser o sertanista João Machado de Lima que Francisco de Assis Carvalho Franco, em seu Dicionário de Bandeirantes e Sertanistas do Brasil, diz ter combatido índios paiaguás em Mato Grosso, em 1733.

823. Rosa Cardoso Pimentel. Faleceu em 1754 em Itu (SP).

824. Capitão Pascoal Leite Penteado. Casou-se com Luzia Leme de Barros. Filhos do casal: Pedro Vaz Justiniano, Francisco Leite Penteado, Antônio Leite Penteado, José Correia Penteado, Manoel Leite, Maria Leite de Mesquita, Maria Pires de Barros e Clara de Miranda. Faleceu em 1707 em Cotia (SP), com testamento.

825. Luzia Leme de Barros.

826. Pedro Dias Leite. V. nº 780.

827. Antônia de Arruda. V. nº 781.

828. Pedro Dias Raposo. Casou-se em primeiras núpcias com Isabel de Ribeira da Silva Bueno e na segunda vez com Rosa da Apresentação (filha do Sargento-Mor Manoel Gomes Marzagão e de Bárbara Moreira). Teve da primeira mulher: Domingos da Silva Bueno, Maria Teresa Bueno e Isabel Bueno. Do segundo casamento originou-se o filho José Dias Paes.

829. Isabel de Ribeira da Silva Bueno.

830. João Gago Paes. Nasceu em São Paulo (SP) por volta de 1683. Casou-se em 1710, em Itu (SP), com Maria de Almeida. Pais de: Padre Ângelo Paes de Almeida, João de Almeida Paes, José de Almeida Paes, Inácio de Almeida Paes, Úrsula Paes de Almeida, Miguel Paes de Almeida, Maria Paes de Almeida, Josefa Paes de Almeida, Francisco Paes de Almeida, Ana de Almeida, Joana de Almeida e Antônio de Almeida Paes. Faleceu em 1747 em Itu (SP).

831. Maria de Almeida. Faleceu em 1788 em Itu (SP).


NONOS AVÓS:

1536. Luís Dias Leme. Foi casado com Ana Cabral, com quem teve os filhos Francisco de Almeida Cabral e Antônio de Almeida Cabral.

1537. Ana Cabral.

1538. Manoel Fernandes Cáceres. Seria natural da Vila de Viana do Castelo, onde teria nascido por volta de 1601, e de conhecida nobreza. Casou-se com Maria de Sousa Coutinho, com quem teve os filhos Maria de Cáceres e João da Veiga Coutinho de Cáceres. Faleceu por volta de 1633.

1539. Maria de Sousa Coutinho (ou Maria Coutinha). Nasceu por volta de 1614. Após enviuvar-se de Manoel Fernandes Cáceres, casou-se, por volta de 1635, com Antônio da Veiga, que, por sua vez, faleceu em 17-ABR-1639 no Rio de Janeiro (RJ). Em terceiras núpcias, casou-se no Rio de Janeiro, em torno de 1641, com o Capitão Antônio Pompeu de Almeida, filho de Pedro Taques e de Ana de Proença, sobre quem Pedro Taques de Almeida assim se refere: “Em vida de seu pai Pedro Taques, foi mandado por ele a Lisboa, de onde passou a Angola e dali a São Paulo sua pátria. Passados alguns anos foi encarregado da administração das rendas reais pela provedoria da fazenda da mesma capitania de São Paulo e São Vicente. Para dar as contas suas na provedoria mor do Estado do Brasil, foi à cidade da Bahia, donde, recolhendo-se, casou na cidade do Rio de Janeiro com (....). Pouco tempo se lograram os desposados, porque tendo ela umas diferenças com certa senhora da dita cidade, os do partido desta, temendo algum excesso de parte de Antônio Pompeu, se anteciparam com a bárbara resolução que tomaram. Bateram em uma noite à porta de Pompeu, que, acordando, a mandou abrir, e no mesmo instante lhe subiram a escada uns rebuçados, que chegando de tropel à câmara onde pousavam marido e mulher, dispararam os bacamartes, e no mesmo leito ficaram ambos mortos”. Assim, Maria de Sousa Coutinho faleceu de forma trágica, juntamente com o marido.

1540. Francisco Rodrigues Penteado. N. no Estado de Pernambuco. Casou-se em São Paulo (SP) com Clara de Miranda. Pais de: Manoel Correia Penteado, Pascoal Leite Penteado, Andreza Leite, João Correia Penteado, José Correia Penteado, Antônio Rodrigues Penteado e Francisco Rodrigues Penteado. Fal. em 1673 em Santana do Parnaíba (SP).

1541. Clara de Miranda. Fal. em 1682 em São Paulo (SP).

1542. Tomé de Lara e Almeida. Casou-se com Maria de Almeida Pimentel. Pais de: Francisca de Almeida, Luzia Leme, Branca de Almeida, Lucrécia Pedroso de Barros, Antônio de Almeida Lara, Maria de Almeida Pimentel e Lara e Maria de Almeida Lara.

1543. Maria de Almeida Pimentel.

1544. Manoel de Fonseca e Moura.

1545. Catarina Correia Perestrelo.

1546. Gabriel Antunes Maciel. Com Mécia Cardoso teve os filhos: João e Gabriel Antunes Maciel, Maria da Luz Cardoso e Antônio Antunes Maciel. Fal. em 1649, em Santos (SP), com testamento.

1547. Mécia Cardoso. C. em primeiras núpcias c. Gabriel Antunes Maciel e em segundas núpcias, antes de 1659, c. Francisco da Fonseca Aranha. Teve com o 2º esposo os filhos: Isabel Cardoso, Margarida Cardoso da Fonseca, Francisca Cardoso e Salvador da Fonseca.

1548. Capitão Diogo Domingues de Faria. Foi sertanista, tendo feito parte da expedição que, de São Paulo (SP), foi à Bahia em 1658, sob as ordens do Capitão Domingos Barbosa Calheiros, para mover guerra contra o bárbaro gentio. Ele e o Padre Mateus Nunes de Siqueira foram testamenteiros nomeados por Manoel Garcia Bernardes em seu codicilo escrito no sertão da Bahia em 1659, na aldeia Tapurissé, para o efeito de prestarem seus serviços na cidade da Bahia, onde, de fato, requereram perante o Juiz a inquirição das testemunhas do codicilo, para ser aprovado. Com o posto de Capitão-Mor, esteve também em Paranaguá (PR), onde, por ordem de D. Rodrigo de Castelo Branco, Administrador-Geral das Minas, fez entradas ao sertão, à procura de minas, em 1679. Casou-se com Maria Paes, com quem teve os filhos: Maria Domingues das Candêas, Ana Domingues, Sargento-Mor Pedro Domingues Paes, Capitão-Mor Brás Mendes Paes, Martinho de Faria Paes, Amaro Domingues, e João Paes Domingues. Faleceu em Sorocaba (SP) em 9 de fevereiro de 1690.

1549. Maria Paes.

1550. Estêvão Sanches de Pontes. Com Mécia Soares Correia teve os filhos Isabel Soares de Pontes, Sargento-Mor Estêvão Sanches de Pontes e Inês Sanches de Pontes. Tomou parte na bandeira ao Guairá, em 1628, sob a chefia de Antônio Raposo Tavares e até a abertura do inventário de seu pai, em 26 de março de 1629, ainda não havia retornado. Em 1639, recebeu sesmaria no Rio de Jaguari.

1551. Mécia Soares Correia.

1552. Gonçalo Vaz Botelho. N. na Ilha de São Miguel, Açores, Portugal. Com Ana de Arruda teve os filhos: Francisco de Arruda e Sá, André de Sampaio Arruda, Nicolau da Costa de Arruda e Sebastião de Arruda Botelho.

1553. Ana de Arruda. N. na Ilha de São Miguel, Açores, Portugal.

1554. Bartolomeu de Quadros. Foi sertanista que, entre outras entradas, tomou parte na destruição de Vila Rica do Espírito Santo, no Guairá, no período de 1631 a 1632. Casou-se em 1635, em São Paulo (SP), com Isabel Bicudo de Mendonça, com quem teve os seguintes filhos: Antônio de Quadros, Bartolomeu de Quadros, Bernardo de Quadros, Maria de Quadros, Cecília Ribeiro, Isabel de Quadros, Ana de Quadros, Estefânia de Quadros e Baltazar de Quadros. Faleceu em 1649 em São Paulo (SP).

1555. Isabel Bicudo de Mendonça (ou Isabel Bicudo).

1556. Francisco Rodrigues Penteado. V. nº 1540.

1557. Clara de Miranda. V. nº 1541.

1558. Tomé de Lara e Almeida. V. nº 1542.

1559. Maria de Almeida Pimentel. V. nº 1543.

1560. Manoel Ferraz de Araújo. N. em Porto, Portugal. C. antes de 1670, no Brasil, c. Verônica Dias Leite, com quem teve três filhos: Pedro Dias Leite e Antônio e Jerônimo Ferraz de Araújo. Pentavós de Manoel Ferraz de Campos Sales, Presidente da República do Brasil nos períodos de 15-NOV-1898 a 17-OUT-1900 e 08-NOV-1900 a 15-NOV-1902.

1561. Verônica Dias Leite. N. em Santana do Parnaíba (SP).

1562. Francisco de Arruda e Sá. N. na Vila da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Arquipélago dos Açores, Portugal. Ocupou os honrosos cargos da governança de Parnaíba (SP). C. em São Paulo (SP) c. Maria de Quadros. Pais de: Ana de Arruda Castanho, Maria de Arruda (I), Isabel de Arruda, Antônia de Arruda, Capitão Manoel do Rego Cabral, João de Macedo, José de Sá, Maria de Arruda (II) e Francisco de Arruda Sá. Fal. em 1684 em Parnaíba (SP).

1563. Maria de Quadros. N. em São Paulo (SP).

1564. Capitão Manoel Pacheco Botelho. N. na Ilha de São Miguel, Açores, Portugal.

1565. Maria de Arruda. N. na Ilha de São Miguel, Açores, Portugal.

1566. Sargento-Mor João Falcão de Sousa. N. na Ilha de São Miguel, Açores, Portugal. Irmão do Morgado Inácio de Sousa Falcão. Casou-se com Antônia de Campos, com quem teve a filha Bárbara de Sousa Menezes.

1567. Antônia de Campos. Nasceu em 1660 em Parnaíba (SP). Faleceu em Itu (SP) em 1728.

1568. Gonçalo Vaz Botelho. V. nº 1552.

1569. Ana de Arruda. V. nº 1553.

1570. Bartolomeu de Quadros. V. nº 1554.

1571. Isabel Bicudo de Mendonça (ou Isabel Bicudo). V. nº 1555.

1572. João de Abreu. N. na Ilha Terceira, Portugal. Pessoa nobre, como consta do provimento que lhe passou o Governador Geral Dom Francisco de Sousa para Administrador da Fazenda Real em Santos (SP). Segundo Francisco de Assis Carvalho Franco, foi "valente guerreador de gentio, tendo tomado parte nas jornadas de Cabo Frio, em 1575, e na de Paranaguá, em 1585, ambas dirigidas pelo Capitão-Mor Jerônimo Leitão". Obteve no litoral vicentino duas sesmarias, a última das quais em 1614, tendo falecido logo após esta data.

1573. Isabel de Proença Varela.

1574. João Bicudo de Brito. Foi bandeirante do Capitão-Mor João Mendes Geraldo, em 1645, nos sertões do sul brasileiro. Casou-se em 1632 em São Paulo (SP) com Ana Ribeiro, com quem teve os seguintes filhos: Antônio Bicudo de Brito, Manoel Bicudo de Brito, Tomásia de Almeida, Sebastião Bicudo de Brito, Maria Bicudo de Brito, Francisco Bicudo de Brito e Luzia Leme de Brito. Faleceu após 10-MAR-1653.

1575. Ana Ribeiro. Nasceu em São Paulo (SP).

1576. Capitão Brás Esteves Leme. Casou-se com Margarida Bicudo de Brito. Pais de: Maria Leme Bicudo, Maria de Brito Leme, Capitão Antônio Bicudo Leme, Alcaide-Mor Brás Esteves Leme, Helena do Prado da Silva e Margarida Bicudo.

1577. Margarida Bicudo de Brito.

1578. Domingos Machado Jácome. Casou-se com Catarina de Barros. Pais de Domingos Machado Jácome, João Machado Jácome, Francisca Vieira, Frei Antônio da Purificação, Catarina Jácome, Manoel Vieira Barros, Luzia Machado, Isabel Vieira, Pedro Jácome Vieira e Inácio Vieira.

1579. Catarina de Barros. Faleceu em 1667 em São Paulo (SP). Antes de casar-se com Domingos Machado Jácome, foi esposa de Sebastião Coelho Barradas (falecido em 1627), com quem teve os filhos Maria Carneiro e Ana da Fonseca.

1580. Lourenço Castanho Taques. Em 1669, internou-se nas Minas Gerais para atacar os ferozes cataguazes, tendo ficado muito tempo no interior do País. Consta ter sido um dos primeiros a encontrar amostras de ouro no território mineiro. Acredita Elis Júnior que ele atingiu o Rio Paracatu, afluente do São Francisco. Casou-se em 1631 em São Paulo (SP) com Maria de Lara. Pais de: Antônio de Almeida Lara, Maria de Lara, Ana de Proença, Lourenço Castanho Taques, Branca de Almeida e Tomé de Lara e Almeida. Fal. em 1677 em São Paulo (SP).

1581. Maria de Lara.

1582. Luís Pedroso de Barros. Participou, em 1639, no posto de Capitão de Infantaria, da mesma expedição de que fez parte seu irmão Valentim Pedroso, que de São Paulo (SP) foi socorrer a Bahia e Pernambuco contra a invasão dos holandeses. O Capitão Luís Pedroso levou em sua companhia muitos índios de sua propriedade, sendo Antônio Raposo Tavares o Governador e Capitão-Mor de toda a expedição. Na Bahia, casou-se com Leonor de Siqueira Góes Araújo, com quem teve as filhas Maria de Araújo e Ângela de Siqueira. Retornou a São Paulo com a esposa, tendo falecido em 1662, no Sertão dos Serranos, no Reino do Peru, para onde tinha feito uma entrada, depois que voltou da Bahia.

1583. Leonor de Siqueira Góes Araújo (ou Leonor de Siqueira). N. na Bahia. Faleceu em 1699 em São Paulo (SP).

1584. Antônio Vaz Pinto. N. em Santos (SP). Com Inocência Ribeiro teve, pelo menos, o filho Manoel Pinto Ribeiro.

1585. Inocência Ribeiro.

1586. João de Freitas. N. em São Paulo (SP). Casou-se com Ana de Moraes, de quem foi o 1º marido. Pais de: José de Moraes, Ana de Moraes, Joaquim Pedroso de Moraes e Maria de Moraes Pedroso. Faleceu em 1655 com testamento. Deve ser o mesmo João de Freitas que figurou na bandeira de João Mendes Geraldo, entre 1645 e 1646, e que foi ao sertão dos guaianás ou guaianazes, indígenas que se encontravam, então, no Rio Iguaçu.

1587. Ana de Moraes. Tornando-se viúva de João de Freitas, casou-se novamente com Francisco Pinto Guedes Alcoforado.

1588. Francisco Henrique (ou Francisco Henrique Barwell)..Do casamento com Isabel de Siqueira teve, pelo menos, o filho João Henrique de Siqueira Baruel.

1589. Isabel de Siqueira.

1590. Capitão-Mor Fernão Dias Paes. Nasceu em São Paulo (SP) por volta de 1609. Descobridor das esmeraldas e seu governador, foi cidadão que deixou seu nome gravado na História do Brasil por diversos feitos que o imortalizaram, principalmente pelo que representou na expansão geográfica de nosso País. Desde 1638, devassou regiões dos atuais Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, chegando até mesmo, segundo alguns autores, ao Uruguai. Uma de suas últimas entradas foi à Serra de Apucarana, nos sertões do Paraná, onde conquistou três tribos guaianás, trazendo-as para suas terras à margem do Rio Tietê, logo abaixo da Vila de Parnaíba, passando a ter em 1661, dessa forma, a administração de aldeia com cerca de quatro a cinco mil índios. Tendo recebido uma carta régia, datada de 21-SET-1664, recomendando-lhe prestasse todo auxílio possível a Agostinho Barbalho Bezerra em expedição para descobrimento de minas, resolveu, ele mesmo, procurar minas de prata e esmeraldas na região de Sabarabuçu. Com a patente que lhe foi dada de Governador das Esmeraldas, datada de 30-OUT-1672, e à custa de sua fazenda, Fernão Dias Paes, acompanhado de 674 homens e com mais de 64 anos de idade, partiu, em JUL-1674, para a descoberta da Sabarabuçu. Não é bem conhecida a rota da expedição, mas supõe-se que rumou para as cabeceiras do Rio das Velhas, vencendo a Serra da Mantiqueira, e passando por Paraopeba, Sumidouro do Rio das Velhas e Serro Frio. Não obtendo êxito na busca de minas de prata na Serra de Sabarabuçu, a bandeira entrou ainda mais pelo sertão. As dificuldades eram muitas, o que levou descontentes a conspirar contra Fernão Dias e tramar sua morte e a volta da bandeira a São Paulo. Presos os conspiradores, o "Caçador de Esmeraldas" mandou enforcar o líder do movimento: José Dias Paes, seu filho natural. Sete anos decorridos, escrevia do sertão, a 27-MAR-1681, poucos dias antes de seu falecimento: "... deixo abertas cavas de esmeraldas, no mesmo morro donde as levou Marcos de Azeredo, já defunto, cousa que há de estimar-se em Portugal". A morte do grande bandeirante deu-se em 1681 às margens do Rio das Velhas, quando se recolhia para o Sumidouro, em busca de D. Rodrigo de Castelo Branco. Fernão Dias Paes morreu pensando ter descoberto esmeraldas, mas os ourives portugueses proclamaram o pequeno valor das pedras verdes, que seriam simples turmalinas. A fortuna que encontrara não existia, mas a decepção dos paulistas logo ia se transformar em vitória, pois membros da bandeira iriam, pouco depois, encontrar jazidas de ouro. Certidão do Padre Domingos Dias, Reitor do Colégio dos Jesuítas da Vila de São Paulo, define bem a personalidade de Fernão Dias Pais, ao dizer que "foi um dos homens mais notáveis e principais desta capitania". Os restos mortais do Governador das Esmeraldas foram levados para São Paulo (SP), onde foram sepultados no Mosteiro de São Bento, ali sendo guardados até os nossos dias. Casou-se com Maria Garcia Bettimk (ou Maria Garcia Betting), com quem teve os seguintes filhos: Garcia Rodrigues Paes, Capitão-Mor Pedro Dias Leite, Custódia Paes, Isabel Paes, Mariana Paes Leme, Catarina Dias Paes, Maria Leite e Lucrecia Leme da Silva.

1591. Maria Garcia Bettimk.

1592. Manoel Ferraz de Araújo. V. nº 1560.

1593. Verônica Dias Leite. V. nº 1561.

1594. Francisco de Arruda e Sá. V. nº 1562.

1595. Maria de Quadros. V. nº 1563.

1596. Manoel Pacheco Botelho. V. nº 1564.

1597. Maria de Arruda. V. nº 1565.

1598. João Falcão de Sousa. V; nº 1566.

1599. Antônia de Campos. V. nº 1567.

1600. Rodrigo Simões. Foi morador, com a esposa Joana Jorge Chassim, à Rua Cariana, em São Paulo (SP), em casa própria. Filho conhecido: Gonçalo Simões Chassim.

1601. Joana Jorge Chassim.

1602. Antônio Bicudo de Brito. N. em S. Paulo (SP). Casou-se duas vezes: a primeira em 1635, em São Paulo (SP), com Maria Leme de Alvarenga, e a segunda com Vicência da Costa (filha de João de Siqueira e de Juliana de Oliveira). Filhos: Capitão Antônio Bicudo Leme, João Bicudo Leme, Bento Bicudo de Alvarenga, Maria Bicudo Leme, Maria Leme de Brito, Tomásia Ribeiro, Ana Bicudo, Maria de Alvarenga, Pascoal Bicudo Leme, Luzia Leme Bicudo e Margarida Bicudo (do primeiro casamento) e Potência, Isabel, Juliana e Joaquim Bicudo de Brito (do segundo casamento). Sertanista, tomou parte na invasão do Guairá, em 1628, e na entrada de João Mendes Geraldo, em 1645, em sertão do sul. Fal. em 1666.

1603. Maria Leme de Alvarenga. Faleceu em Santana do Parnaíba (SP) em 1654.

1604. Antônio Pedroso de Barros. N. em torno de 1610 em S. Paulo (SP), onde C. em 1639 e fal. em 1652. Teve fazendas em Apoterebu, à margem do Rio Tietê, no Guaré e em Jaguari. Possuiu cerca de quinhentos índios administrados, pois foi bandeirante dos mais ativos. Em 1637 tomou parte em uma bandeira destinada ao Rio Grande do Sul, chefiada por Francisco Bueno, e em 1641 em uma outra que foi destroçada em Mbororé, pequeno arroio da margem direita do Rio Uruguai. Regressando em maio de 1652 de bandeira nas regiões sulinas, onde aprisionou índios carijós e guaianás, morreu assassinado, havendo duas versões a respeito: a primeira, acolhida por Afonso de Taunay, dizia que foi morto pelo cunhado Alberto Pires, que o acusou de adultério c. sua mulher Leonor de Camargo Cabral, morta também na ocasião; a segunda, informava ter sido morto em levante de seus índios na Fazenda Apoterebu. Teve c. a esposa Maria Pires de Medeiros: Pedro Vaz de Barros, Antônio e Inês Pedroso de Barros e Luzia Leme de Barros. Teve, também: Sebastiana e Paula (filhos de Maria Pequena), Pascoal (filho da índia Vitorina) e Ventura (filho da índia Iria).

1605. Maria Pires de Medeiros. Fal. em 1651.

1606. Domingos Rodrigues de Mesquita. N. em Torre de Moncorvo, Distrito de Bragança, Portugal. C. em 1636 em S. Paulo (SP) c. a viúva Maria Dias, com quem só teve uma filha (Maria Leite).

1607. Maria Dias. C. em primeiras núpcias c. Diniz Cardoso (n. na Freguesia de Santo Antão do Tojal, Concelho de Loures, Distrito de Lisboa, Portugal) e em segundas núpcias c. Domingos Rodrigues de Mesquita. Não houve filhos oriundos do primeiro casamento. Fal. em 1669 em S. Paulo (SP).

1608. Gonçalo Soares Paes (ou Gonçalo Rodrigues Soares). N. em Portugal.

1609. Ana Gonçalves. N. em Lisboa, Portugal.

1610. Capitão Baltazar Carrasco dos Reis. N. em S. Paulo (SP). Um dos fundadores de Curitiba (PR). C. em Santana do Parnaíba (SP) antes de 1645, quando já tinha feito entrada no sertão, onde aprisionou muitos índios que ficaram sob sua administração. Em 1648 seguiu para a região de Curitiba (PR), em bandeira que tinha como chefe Antônio Domingues. Após residir por muitos anos na Vila de Parnaíba (SP), onde ocupou o cargo de Juiz de Órfãos, mudou-se com toda a família para Curitiba (PR) no meado do Século XVII, obtendo uma sesmaria em Barigüi em 28-JUN-1661. Fal. em Curitiba em 15-OUT-1697, com testamento em que é informado que foi o fundador e protetor de uma capela sob a invocação de Nossa Senhora de Guadalupe e que tinha recebido como dote de casamento umas terras em Parnaíba. Com a esposa teve os seguintes filhos: André Fernandes, Gaspar e Belquior Carrasco dos Reis, Margarida Fernandes, Maria Paes, Isabel Garcia Antunes, Maria das Neves e Domingas Antunes. Nº 1502 da árvore de costado de Iolanda Supplicy (CAPÍTULO LI).

1611. Isabel Antunes da Silva. Fal. antes de 22-JUL-1697 em Curitiba, tendo sido sepultada em sepultura localizada defronte do altar de Nossa Senhora de Guadalupe, na Igreja Matriz da Vila.

1612. Manoel Ferraz de Araújo. V. nº 1560.

1613. Verônica Dias Leite. V. nº 1561.

1614. Capitão André de Zunega y Leon (ou André de Zunega). Casou-se com sua tia Cecília de Abreu, com quem teve os seguintes filhos: Lourenço de Zunega, Gabriel Ponce de Leon, Isabel de Proença, Maria Riquelme de Gusmão, Cecília de Abreu, Luzia de Abreu e Susana Dias.

1615. Cecília de Abreu.

1616. Capitão Fernão de Camargo (ou Fernando de Camargo). Alcunhado de “o Tigre”. Ocupou o cargo de Juiz Ordinário em São Paulo (SP), que ocupava em 1653. Em 1630, quando faleceu sua mãe, já estava casado com Mariana do Prado, com quem teve os seguintes filhos: Capitão Fernando de Camargo Ortiz, Francisco de Camargo Santa maria, José Ortiz de Camargo, João Ortiz de Camargo, Manoel Ortiz de Camargo, Coronel Lucas de Camargo Ortiz, Padre Domingos de Camargo, Ana Maria de Camargo, Gabriela ortiz, Maria de Camargo, Leonor Domingues de Camargo,Capitão Pedro Ortiz de Camargo, Mariana de Camargo e Felipa de Camargo. Fernão, com seu irmão José Ortiz, foi chefe do partido dos Camargos, quando os membros desta família se levantaram contra os Pires, capitaneados por João Pires e seu genro Francisco Nunes de Siqueira. Pedro Taques de Almeida acusou Fernão de Camargo de ter assassinado Pedro Taques, no Largo da Sé (então Igreja Matriz de São Paulo), em 1641.

1617. Mariana do Prado.

1618. Gonçalo Lopes. N. na Freguesia de Sardoura (orago: Santa Maria), Concelho de Castelo de Paiva, Distrito de Aveiro, Portugal. Vindo para o Brasil, C. a 03-JUN-1640 em S. Paulo (SP) c. Catarina da Silva, com quem teve as filhas Francisca da Silva, Joana Lopes, Maria e Felícia da Silva. Viveu de forma opulenta em São Paulo, tendo residido na Rua Santo Antônio. Tinha fazenda no Bairro da Cotia, com terras na paragem chamada Iratá, onde possuía roças e criação de porcos. Era capitalista em São Paulo, tendo financiado várias entradas ao sertão, dentre elas a última de Fernão Dias Paes. Em 1658 era Procurador do Conselho da Câmara de São Paulo. Fal. por volta de 1689, quando fez seu testamento.

1619. Catarina da Silva. N. por volta de 1625 em S. Paulo (SP), onde faleceu em 1694, com testamento. Seu inventário, aberto em 5-JUL-1694, está transcrito no Vol. XXIII da publicação "Inventários e Testamentos", editada pelo Arquivo do Estado de São Paulo. Deixou pedido para ser sepultada na Capela de São Francisco e dote de dois mil cruzados para cada uma das quatro filhas. Fez, ainda, várias doações para parentes e amigos de São Paulo e da Freguesia da Cotia. Entre os bens de raiz que constaram do inventário estão uma morada de casas na Rua de Santo Antônio, em São Paulo (SP), e uma fazenda lançada pelo valor de 6.636$700.

1620. Manoel Pacheco Gato. Casou-se com Ana da Veiga. Pais de: Ana da Veiga, Antônio Paes, Sebastiana Rodrigues, Martim Rodrigues e João Paes Rodrigues. Faleceu em 1692.

1621. Ana da Veiga.

1622. Diogo da Silva de Carvalho. N. em Lisboa, Portugal. Segundo Silva Leme, era descendente da ilustre Casa dos Senhores de Veiros do Reino de Portugal. Teve, com a esposa Paula da Costa, com quem casou em São Paulo (SP) por volta de 1670, os filhos Francisco da Silva de Carvalho, Isabel da Silva, Maria da Silva, Ana de Barros, Antônio da Silva de Carvalho, Capitão Diogo da Silva e José da Silva de Carvalho. Faleceu com testamento em Cotia (SP).

1623. Paula da Costa. N. em São Paulo (SP), onde faleceu por volta de 1732.

1624. Francisco Rodrigues Penteado. V. nº 1540.

1625. Clara de Miranda. V. nº 1541.

1626. Pedro Vaz de Barros. V. nº 802.

1627. Maria Leite de Mesquita. V. nº 803.

1628. Antônio Correia de Lemos. Natural da Capitania do Espírito Santo. Casou-se com Maria de Quadros, com quem teve os filhos seguintes: Capitão-Mor Antônio Correia de Lemos, José Correia de Lemos, Salvador Correia de Lemos, Maria das Neves e Francisca Correia de Lemos. Faleceu em 1664 em São Paulo (SP).

1629. Maria de Quadros.

1630. Capitão João Lopes de Medeiros. Foi casado com Mariana da Luz, com quem teve os seguintes filhos: Ana Maria do Prado, Maria do Prado, Catarina Cortes, Mariana da Luz do Prado, Matias Lopes de Medeiros e João Lopes Cortes. Faleceu em 1686 em seu sítio no bairro chamado Atibaia.

1631. Mariana da Luz.

1644. Manoel Machado de Lima. Teve com Leonor Faleiros, pelo menos, o filho João Machado de Lima.

1645. Leonor Faleiro.

1646. Antônio Cardoso Pimentel. Nasceu por volta de 1638. Casou-se pela primeira vez com Feliciana da Rocha (falecida em 1685; filha de Domingos da Rocha e de Domingas Ribeiro) e em segundas núpcias, em 1693, em Parnaíba (SP), com Isabel Nobre. Filhos: Brás Cardoso Pimentel, Antônio Cardoso, Manoel Cardoso Pimentel, José Cardoso Pimentel, João Cardoso Pimentel, Antônia Cardoso Pimentel, Mariana Cardoso, Catarina Cardoso Pimentel, Ana Cardoso Pimentel, Domingas Cardoso Pimentel e Maria Cardoso Pimentel (do 1º casamento) e Rosa Cardoso Pimentel (do 2º casamento). Faleceu em 1721 em Itu (SP).

1647. Isabel Nobre.

1648. Francisco Rodrigues Penteado. V. nº 1540.

1649. Clara de Miranda. V. nº 1541.

1650. Pedro Vaz de Barros. V. nº 1626.

1651. Maria Leite de Mesquita. V. nº 1627.

1652. Manoel Ferraz de Araújo. V. nº 1560.

1653. Verônica Dias Leite. V. nº 1561.

1654. Francisco de Arruda e Sá. V. nº 1562.

1655. Maria de Quadros. V. nº 1563.

1656. Estevão Raposo Bocarro. Casou-se com Maria de Abreu Pedroso Leme, com quem teve os seguintes filhos: Pedro Dias Raposo, Estevão Raposo Bocarro, João Leite da Silva Ortiz, Diogo de Escobar Ortiz, Bartolomeu Paes de Abreu, Bento Paes da Silva, Inês de Oliveira Cotrim, Verônica Dias Leite, Isabel Paes da Silva, Catarina de Oliveira Cotrim, Antônia Requeixo de Peralta e Leonor Correia de Abreu.

1657. Maria de Abreu Pedroso Leme.

1658. Domingos de Castro Correia. N. em Viana do Minho, Portugal, pertencendo à nobre família dos Pereiras da região. C. c. Isabel da Silva Bueno, com quem teve os filhos: João Correia da Silva, Isabel de Ribeira da Silva Bueno, Inês de Castro Correia e Maria da Silva.

1659. Isabel da Silva Bueno. C. em primeiras núpcias c. Domingos da Silva Monteiro e em segundas núpcias c. Domingos de Castro Correia. Filho oriundo do primeiro casamento: Domingos da Silva Monteiro.

1660. João Gago Paes. Foi prestigioso cidadão de São Paulo (SP), onde ocupou os honrosos cargos do governo da terra. Foi proprietário de uma fazenda de cana de açúcar no Arujá, junto ao Bom Sucesso. Do casamento com Ana de Proença originaram-se onze filhos, dos quais apenas sete, a seguir mencionados, foram mencionados em seu inventário: João Gago Paes, José Pompeu Paes, Teodósio Paes, Francisco Xavier Paes, Antônio Paes de Almeida, Maria de Almeida e Maria Paes. Faleceu em 1729.

1661. Ana de Proença.

1662. Capitão Jordão Homem Albernaz. Natural da Ilha de São Sebastião (SP), onde nasceu por volta de 1663. Casou-se em 1683, em Itu (SP), com Joana de Almeida, com quem teve, pelo menos, os seguintes filhos: Joana de Almeida, Maria de Almeida e Pedro Homem Albernaz. Faleceu em 1743 em Itu (SP).

1663. Joana de Almeida.

DÉCIMOS AVÓS:

3072. Antão Leme. Nasceu por volta de 1500 na Ilha da Madeira, Portugal, onde faleceu antes de 1628.

3074. Pedro Álvares Cabral. N. na Ilha de S. Miguel, Portugal. Pelejou na África, onde recebeu uma cutilada do inimigo que lhe deixou uma cicatriz no rosto. Descendente da Casa de Belmonte, à qual pertenceu o seu homônimo que descobriu o Brasil. Foi Governador da Capitania de S. Vicente. Na pág. 284 do livro "Dona Joaquina de Pompéu", de Coriolano Pinto Ribeiro e Jacinto Guimarães, este Pedro Álvares Cabral é citado como irmão mais velho do descobridor do Brasil, cujo nome seria Pedro Álvares de Gouveia (o almirante português teria passado a assinar Pedro Álvares Cabral após a morte do irmão). O autor não encontrou nos compêndios genealógicos por ele consultados nada que possa confirmar tal afirmação, que lhe parece incorreta em função das épocas distintas em que viveram os dois ilustres membros da Família Cabral (Inocêncio Preto, genro do Governador da Capitania de S. Vicente, faleceu em 1648, não podendo o seu sogro, portanto, ter nascido em 1467, ano em que veio ao mundo o nosso descobridor). Filhos c. Susana Moreira: Maria Moreira, Branca Cabral, Capitão Pedro Álvares Moreira Cabral, Inês Pedroso, Ana Cabral, Capitão João Moreira e Isabel de Pedrosa.

3075. Susana Moreira. Antes de casar-se com o Governador Pedro Álvares Cabral, foi esposa do francês Estevão Furquim, nascido em Lorraine, tendo este matrimônio sido celebrado em São Paulo (SP). Originou-se deste enlace o filho Cláudio Furquim Francês.

3078. Jerônimo de Sousa de Brito. N. por volta de 1586. Casou-se antes de 1613, em primeiras núpcias, com Bárbara Coutinha, com quem teve os seguintes filhos: Maria de Sousa Coutinho (ou Maria Coutinha), Isabel Coutinha, Ana Coutinha, Salvador de Sousa, Luzia Coutinha, Antônio de Sousa Coutinho, Branca Coutinha, Andreza de Sousa Coutinho. Em segundas núpcias, Jerônimo casou-se com Ana de Azeredo. Pais de: Cônego João de Sousa Pereira e Jerônimo de Sousa (ou Jerônimo de Sousa Botafogo).

3079. Bárbara Coutinha.

3080. Manoel Correia. N. em Lisboa, Portugal.

3082. Antônio Rodrigues de Miranda. N. em Lamego, Viseu, Portugal. Casou-se com Potência Leite, com quem teve os seguintes filhos: Maria Leite de Miranda, Pascoal Leite de Miranda, Clara de Miranda, Sebastião Leite de Miranda, Antônio Rodrigues de Miranda, Isabel de Miranda, Sebastiana Leite de Miranda, Madalena Leite de Miranda, Mariana de Miranda, Potência Leite e João Leite de Miranda. Fal. por volta de 1637 em São Paulo (SP).

3083. Potência Leite. Fal. em 1689 em São Paulo (SP).

3084. Lourenço Castanho Taques. . V. nº 1580.

3085. Maria de Lara. V. nº 1581.

3086. Capitão Antônio de Almeida Pimentel. N. em Portugal. Conforme Silva Leme, foi de conhecida nobreza, motivo por que foi muito estimado em São Paulo e na Bahia. Segundo Pedro Taques, após enviuvar-se, em 1648, de Lucrecia Pedroso de Barros, passou-se para a cidade da Bahia, onde casou-se pela segunda vez e deixou descendência ali conhecida pela sua qualidade. Passou da Bahia para Angola, onde faleceu em 1653. Teve, de seu casamento com Lucrecia Pedroso de Barros, uma única filha: Maria deAlmeida Pimentel.

3087. Lucrecia Pedroso de Barros. Faleceu em 1648.

3092. Antônio Nunes (ou Antônio Antunes). N. entre 1550 e 1569. Paulista. Foi casado c. Maria Maciel, com quem teve os filhos: Catarina, João, Antônio, Francisco e Manoel Nunes de Siqueira, Maria de Siqueira Nunes e Paula Nunes. Participou de algumas entradas, entre as quais a que seguiu em 1608 com Martim Tenório aos bilreiros. Faleceu nos sertões, tendo sido inventariado. em São Paulo (SP), em 1612.

3093- Maria Maciel. N. entre 1560 e 1573 em Viana do Minho, Portugal. C. em S. Paulo (SP) em 1587.

3094. Antônio Lourenço. C. em primeiras núpcias c. Mariana de Chaves (fal. em 1615) e em segundas núpcias com Isabel Cardoso. Filhos: Maria Leme de Chaves, Antônia e Ana de Chaves e Domingos Luís Leme (com a 1ª mulher) e Antônio Lourenço Cardoso, Antônio Cardoso, Manoel Cardoso, Gaspar Vaz Cardoso, Capitão Feliciano Cardoso, Mécia e Francisca Cardoso e Ana Maria da Luz. Fal. Antônio Lourenço em S. Paulo (SP) em 1658.

3095- Isabel Cardoso. Fal. em 1661 em S. Paulo (SP).

3096. Amaro Domingues. Natural de São Paulo (SP). Foi casado com Catarina Ribeiro, com quem teve os seguintes filhos: Capitão Diogo Domingues de Faria, André Mendes Vidigal, Pedro Domingues, Capitão Domingos Ribeiro Vidigal, Amaro Domingues, Clara Domingues e Maria Domingues. Faleceu em 1636, com testamento.

3097. Catarina Ribeiro.

3100. Lourenço Fernandes. Casou-se em primeiras núpcias com Isabel Freire e em segundas núpcias com Isabel Gonçalves, com quem teve o filho Estêvão Sanches de pontes. Faleceu em 1627 em São Paulo (SP).

3101. Isabel Gonçalves. Residiu na Capitania do Espírito Santo.

3102. Geraldo Correia Sardinha. Nasceu em Braga, Portugal. Aparece por volta de 1595 em São Paulo (SP), onde exerceu cargos na Câmara. Fez parte de várias entradas ao sertão do Brasil, inclusive das bandeiras do Capitão Nicolau Barreto, em 1602, e de Antônio Raposo Tavares, em 1628, ambas ao Guairá. Era prático de minas, tendo realizado várias diligências na capitania nesse serviço, quando descobriu ouro no ribeirão do Maquirobu, em Guarulhos, em 1612, em lavras que adotaram o seu nome. Teve com Maria Soares, pelo menos, os filhos Geraldo Correia e Mécia Soares Correia. Faleceu em São Paulo (SP) em 24-ABR-1668.

3103. Maria Soares. Faleceu em 1671 em São Paulo (SP).

3120. Lourenço de Araújo Ferraz. Oriundo da cidade do Porto, Portugal, onde foi Vereador no ano de 1690. C. em Portugal c. Brites Ribeiro, com quem teve, entre outros, os seguintes filhos: Manoel Ferraz de Araújo, João de Araújo Cabral e Frei Jerônimo do Rosário. Fal. em 1685 em S. Paulo (SP).

3121. Brites Ribeiro. Residiu na Freguesia de Paço de Sousa, Concelho de Penafiel, Distrito do Porto, em Portugal. Fª de Bento Ribeiro e de Maria Moreira.

3122. Pedro Dias Paes Leme. N. em S. Paulo (SP). Foi bandeirante que realizou entradas antes de 1633. Foi pessoa muito estimada e respeitada, tendo ocupado, muitas vezes, cargos públicos em São Paulo, onde teve o posto de Capitão da Milícia da Vila. C. c. Maria Leite (ou Maria Leite da Silva), com quem teve os seguintes filhos: Fernão Dias Paes, o "Governador das Esmeraldas", Pascoal Leite Paes, Pedro Dias Leite, João Leite da Silva, Maria Leite, Isabel Paes da Silva, Potência Leite, Verônica Dias Leite e Sebastiana Leite da Silva. Fal. em 1633 em São Paulo (SP), tendo sido sepultado na Capela-Mor da Igreja do Carmo.

3123. Maria Leite (ou Maria Leite da Silva). N. em S. Paulo (SP), onde fal. em 1670.

3124. Gonçalo Vaz Botelho. V. nº 1568.

3125. Ana de Arruda. V. nº 1569.

3126. Bartolomeu de Quadros. V. nº 1570.

3127. Isabel Bicudo de Mendonça. V. nº 1571.

3130. Capitão Nicolau da Costa de Arruda. Nasceu na Vila da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Portugal. Era irmão dos três Arrudas que formaram a Família Arruda Botelho de que trata Silva Leme em sua obra “Genealogia Paulistana”. Casou-se com Inês Tavares. Pais, pelo menos, do Capitão Manoel Pacheco Botelho e de Francisco de Arruda de Sá (genro do bandeirante Manoel de Borba Gato, extraordinário e lendário desbravador de nossos sertões).

3131. Inês Tavares. N. em Calhetas, Portugal.

3133. Margarida do Rego.

3134. Felipe de Campos Banderborg. N. em Portugal. Alistou-se como soldado voluntário e veio para o Rio de Janeiro, de onde passou para São Paulo (SP), onde chegou a Capitão e foi muito estimado por sua civilidade, cortesia e boa instrução, tendo ocupado honrosos cargos no Governo da Cidade. Fal. em Santana do Parnaíba (SP) em 1681, com testamento. Do casamento c. Margarida Bicudo, celebrado em S. Paulo em 1643, teve os filhos: Felipe, Estanislau, Manoel e Francisco de Campos, José, Bernardino e Nuno de Campos Bicudo, Ana de Campos, Maria de Campos Bicudo, Antônio, Isabel e Margarida de Campos.

3135. Margarida Bicudo. Fal. em 1708 em Parnaíba (SP).

3136. Jerônimo Botelho de Macedo. Casou-se na Ilha de Santa Maria, Açores, Portugal, com Guiomar Faleira Cabral. Pais de sete filhos, entre os quais Gonçalo Vaz Botelho.

3137. Guiomar Faleira Cabral.

3138. Capitão Francisco do Rego Cabral.

3139. Ana de Macedo.

3140. Bernardo de Quadros. Natural de Sevilha, Reino da Espanha. De nobre ascendência, ocupou em São Paulo (SP) os cargos de provedor e administrador das minas e de Juiz de Órfãos (em 1599). Casou-se em São Paulo com Cecília Ribeiro, originando-se deste casamento os filhos: Ascenço de Quadros, Bartolomeu de Quadros, Maria de Quadros, Estefânia Ramires, Benta das Neves e Bernardo Ribeiro de Quadros. Faleceu com testamento em 1642.

3141. Cecília Ribeiro. Natural do Porto, Portugal. Faleceu em São Paulo em 1642, com testamento.

3142. Capitão Manoel Pires. N. em S. Paulo (SP). Sertanista que aparece desde 1615 nas entradas com destino à região sul brasileira. Em 1628, esteve no Guairá, com a bandeira de Antônio Raposo Tavares, seu genro. Retornando a São Paulo, ingressou com violência no Colégio dos Jesuítas e promoveu outras arruaças que implantaram o terror na vila. Logo depois, assaltou o colégio dos mesmos padres em Barueri. Em 1641, encontrava-se no sertão a destruir obras dos padres inacinos. Foi um dos chefes da grande bandeira que foi destroçada em Mbororé no sul do Brasil. Teve fazendas em Parnaíba e Cotia, onde trabalhavam mais de cem escravos índios apresados no sertão. Silva Leme diz ter sido Manoel Pires um homem de grandes virtudes morais. Fal. antes de JUN-1659. Filhos oriundos do casamento c. Maria Bicudo: Padre Estêvão Rodrigues, Gonçalo Pires Bicudo, Capitão Nuno Bicudo de Mendonça, Salvador, Isabel e Ana Bicudo de Mendonça, Margarida Bicudo, Beatriz Furtado de Mendonça e Maria Bicudo.

3143. Maria Bicudo. Fal. em 1659 em Santana do Parnaíba (SP). O seu inventário, acompanhado de testamento, consta do Vol. XVI da publicação "Inventários e Testamentos", editada pelo Arquivo do Estado de São Paulo.

3146. Paulo de Proença (ou Paulo de Proença Varela). N. na Vila de Alenquer, Portugal. A seu respeito, Pedro Taques deixou um manuscrito onde dizia que ela natural da comarca e bispado da cidade da Guarda, na Província da Beira Alta, Portugal, e que teria vindo para o Brasil em 1540, sendo parente de Antônio de Proença, que em São Paulo foi Capitão de Cavalos e Ouvidor da Capitania de São Vicente (1599). Casou-se na Vila de Santos (SP), em 1557, com Isabel Cubas, com quem teve o filho Paulo de Proença Varela, .

3147. Isabel Cubas.

3148. Antônio Bicudo. N. em S. Paulo (SP). Foi sucessor de seu pai na Fazenda de Carapicuíba. Fez várias entradas no sertão, onde conquistou muitos índios, que, depois de instruídos nos dogmas do catolicismo, lhe prestaram serviços na cultura de sua fazenda e na extração de ouro da Serra do Jaraguá e do Ribeirão de Santa Fé. Esteve na invasão do Guairá, em 1628. C. c. Maria de Brito em São Paulo (SP), onde fal. em 4-DEZ-1650. Filhos do casal: Margarida, Isabel, Maria, João, Antônio, Francisco e Domingos Bicudo de Brito.

3149. Maria de Brito. Fal. após 22-DEZ-1648 em S. Paulo (SP).

3150. Francisco de Alvarenga. N. em São Paulo (SP), onde faleceu em 1675. Residiu em Parnaíba (SP), onde foi Capitão e teve as rédeas do governo. Casou-se com Luísa Leme. Pais de: Ana Ribeiro, Francisca Leme de Alvarenga, Luzia Leme de Alvarenga, Frei Bento da Trindade, Antônio Pedroso de Alvarenga, Aleixo Leme de Alvarenga, Sebastião Leme de Alvarenga, Maria Leme de Alvarenga, Tomásia Ribeiro e Inês Dias de Alvarenga.

3151. Luísa Leme. N. em São Paulo (SP), onde faleceu em 1653.

3152. Pedro Leme. N. em torno de 1566 em S. Vicente (SP). Foi ouvido em 6-ABR-1622 e em 18-OUT-1627 sobre o Padre José de Anchieta em processo de canonização do jesuíta, de quem havia sido discípulo. Foi homem nobre e da governança da terra onde nasceu, como consta de um seu depoimento como testemunha, em 1640, em uma demanda entre Catarina do Prado e Salvador Pires de Medeiros sobre reivindicação envolvendo terrenos na Vila de São Paulo. Antepassado do Marechal Hermes Rodrigues da Fonseca, que presidiu o Brasil entre 1910 e 1914. C. em primeiras núpcias c. Helena do Prado (fª de João do Prado e de Felipa Vicente) e em segundas núpcias c. Maria de Oliveira. Filhos: Lucrécia Leme, Brás Esteves Leme, Mateus Leme do Prado, Capitão Pedro Leme do Prado, Capitão Domingos Leme da Silva, Aleixo e João Leme do Prado, Helena e Felipa do Prado (do 1º casamento) e Maria de Oliveira (do 2º matrimônio). Fal. após 1640.
.
3153. Helena do Prado. N. em Olivença, Portugal.

3154. Antônio Bicudo. V. nº 3148.

3155. Maria de Brito. V. nº 3149.

3156. Pedro Jácome Vieira. Com Antônia Machado de Toledo teve, pelo menos, o filho Domingos Machado Jácome..

3157. Antônia Machado de Toledo.

3158. Dom Jorge de Barros Fajardo. Nasceu em Ponte-Vedra, Reino de Galiza. Casou-se com Ana Maciel. Pais de Catarina de Barros. Faleceu em São Paulo (SP) em 1615.

3159. Ana Maciel. Nasceu em Portugal, vindo com seus pais para o Brasil, já casada com Dom Jorge de Barros Fajardo.

3160. Pedro Taques. N. em Portugal. Passou para o Brasil como Secretário, em companhia de Dom Francisco de Sousa, 7o. Governador Geral em 1591. Esteve na Bahia até 1598, ano em que, com Dom Francisco, foi a São Paulo visitar as minas de ouro e ferro então descobertas por Afonso Sardinha. Deixando o cargo de Secretário em 1602, diante de viagem de Dom Francisco de Sousa para o Reino de Portugal, serviu em honrosos cargos em São Paulo, até que, em 1609, recebeu daquela autoridade a mercê do ofício de Juiz dos Órfãos da Vila de São Paulo, em caráter vitalício, conforme provisão de 6-jun-1609. Do casamento com Ana de Proença, celebrado em São Paulo (SP), originaram-se os filhos: Pedro Taques de Almeida, Guilherme Pompeu de Almeida, Sebastiana Taques, Antônio Pompeu de Almeida, Maria Pompeu Taques (também citada como Mariana Pompeu) e Lourenço Castanho Taques. Fal. em 26-OUT-1644 em São Paulo (SP).

3161. Ana de Proença. N. em São Paulo (SP).

3162. Dom Diogo de Lara. Natural da Freguesia de Santo Antônio e Santo Estevão, Vila de Zamora, no Reino de Castela, onde residiu na Praça de Tordegrado. Veio nos primeiros anos do Século XVIII para São Paulo (SP) onde, em 1631, se celebrou seu matrimônio com Madalena Fernandes de Moraes. Filhos: Joaquim de Lara Moraes, Mariano de Lara, João de Lara Moraes, Maria de Lara, Ana de Lara, Maria Pedroso, Isabel de Lara e Pedro de Lara. Faleceu em São Paulo (SP) em 18-JUL-1661.

3163. Madalena Fernandes de Moraes. Faleceu em São Paulo (SP) em 22-OUT-1665.

3164. Capitão-Mor Pedro Vaz de Barros. V. nº 1604.

3165. Luzia Leme. V. nº 1605.

3166. Jorge de Araújo de Góes. V. nº 1606.

3167. Ângela de Siqueira. V. nº 1607.

3172. Capitão Sebastião de Freitas. N. em torno de 1565 em Lagoa, Comarca de Silves, Distrito de Faro, Província do Algarve, Portugal. Cavaleiro Fidalgo da Casa Real Portuguesa. Foi provedor da Santa Casa de Misericórdia na cidade onde nasceu. Em 1591, passou de Portugal para a Bahia como soldado da Companhia do Capitão Gabriel Soares de Sousa, encarregado de acompanhar o Governador-Geral Francisco de Sousa em expedições destinadas ao descobrimento de minas de prata no Brasil. Da Bahia passou para S. Paulo (SP), onde C. em 1592 c. Maria Pedroso, com quem teve os filhos: Isabel, Maria, Catarina e Mécia de Freitas, Ana Ribeiro, João de Freitas e Antônio Pedroso de Freitas. Em 1594, acompanhou o Capitão Jorge Correia ao sertão em guerra contra os gentios de Mogi que cercavam a Vila de S. Paulo. Em 1595, acompanhou, com seus escravos, o Capitão Jerônimo Pereira de Sousa em nova guerra contra o inimigo gentio. Pelos serviços prestados, foi armado Cavaleiro por D. Francisco de Sousa em 1600, em São Paulo, onde foi pessoa de respeito, autoridade e estima, tendo sempre as rédeas do governo local. Em 2-JAN-1604, recebeu "terras de sesmaria para fazer suas roças", conforme carta de Pedro Vaz de Barros, Governador da Capitania de São Vicente, publicada na publicação "Sesmarias" (Vol. I). Em 1606, recebeu de Jerônimo Correia Souto Maior, Capitão-Mor Governador da Capitania, em nome do Donatário Lopo de Sousa, a patente de Capitão da Gente de Piratininga do Campo de São Paulo, para com ela combater os inimigos da Vila. Em 1628, tomou parte na bandeira de Antônio Raposo Tavares ao Guairá. Fal. em sua fazenda em Juqueri (SP) em 1644.

3173. Maria Pedroso (ou Maria Pedrosa ou, ainda, Maria Pedroso de Alvarenga). Segundo o inventário de seu filho João de Freitas, aberto em 1655, o Juiz de Órfãos Simão de Toledo atribuiu a Maria a responsabilidade de cuidar de duas filhas bastardas e mamelucas daquele sertanista (Inês e Isabel), apartando-as do mal e aproximando-as do bem.

3174. Baltazar de Moraes de Antas. Paulista. Tomou parte na bandeira de 1628, ao Guairá, sob o comando de Antônio Raposo Tavares. Foi casado com Inês Rodrigues, com quem teve os seguintes filhos: Manoel Rodrigues de Moraes, Ana de Moraes, Ascenço de Moraes d’Antas, Inês Rodrigues de Moraes, Isabel de Moraes, Maria de Moraes, Rufina de Moraes e Álvaro de Moraes Madureira.

3175. Inês Rodrigues.

3178. João Baruel (ou João Barwell). N. em São Paulo (SP). Foi casado com Ana Maria de Siqueira (ou Maria Ana de Siqueira), com quem teve os filhos Maria de Siqueira, Padre Francisco Baruel, João Baruel, Frei Salvador Baruel, Isabel de Siqueira, Frei Aleixo de Madalena, André Baruel e Francisca de Siqueira (ou Fancisca de Siqueira Baruel). Faleceu em 1665.

3179. Mariana de Siqueira (também citada como Maria Ana de Siqueira e Ana Maria de Siqueira).

3180. Pedro Dias Paes Leme. V. nº 3122.

3181. Maria Leite da Silva. V. nº 3123.

3182. Garcia Rodrigues Velho. Paulista. Foi prestigioso cidadão de São Paulo, potentado em arcos, como mencionado por Silva Leme. Tomou parte em várias entradas ao sertão e muito se salientou na luta dos Pires e Camargos. Do casamento com Maria Betting originaram-se os seguintes filhos: Miguel Rodrigues Velho, Maria Garcia Betting, Jorge Rodrigues Velho, Antônio Rodrigues Velho, Ana Maria Rodrigues Garcia, Coronel Garcia Rodrigues Velho, Custódia Dias e José Rodrigues Betting. Fal. em 1671 em S. Paulo (SP).

3183. Maria Betting.

3184. Lourenço de Araújo Ferraz. V. nº 3120.

3185. Brites Ribeiro. V. nº 3121.

3186. Pedro Dias Paes Leme. V. nº 3122.

3187. Maria Leite da Silva. V. nº 3123.

3188. Gonçalo Vaz Botelho. V. nº 3124.

3189. Ana de Arruda. V. nº 3125.

3190. Bartolomeu de Quadros. V. nº 3126.

3191. Isabel Bicudo. V. nº 3127.

3194. Nicolau da Costa de Arruda. V. nº 3130.

3195. Inês Tavares. V. nº 3131.

3197. Margarida do Rego. V. nº 3133.

3198. Felipe de Campos Banderborg. V. nº 3134.

3199. Margarida Bicudo. V. nº 3135.

3204. Antônio Bicudo. V. nº 3148.

3205. Maria de Brito. V. nº 3149.

3206. Francisco de Alvarenga. V. nº 3150.

3207. Luzia Leme. V. nº 3151.

3208. Pedro Vaz de Barros. N. no Algarve, Portugal. Fidalgo português. Residia em Lisboa quando veio para o Brasil, com o irmão Antônio Pedroso de Barros, com provisões do Donatário Lopo de Sousa para servirem no respectivo Governo. Em 18-AGO-1603 já se encontrava na qualidade de Capitão-Mor Governador da Capitania de São Vicente, onde se radicou definitivamente, estabelecendo-se com uma fazenda em Pinheiros, além de possuir o Sítio Itacoatiara e grande número de escravos índios. Em 1640, fundou a fazenda de criar do Rio Pequeno. Foi um dos maiores sertanistas dos primórdios do Século XVII. A partir de 1611 participou de bandeiras nas terras do Guairá, onde assaltou a redução de Paranambaré, apresando muitos selvícolas. Em 1623, estava no sertão dos abueus, fazendo parte da bandeira de Sebastião Preto, que aí faleceu. Em 1628, foi o chefe da vanguarda da grande expedição de Antônio Raposo Tavares e Manoel Preto ao Guairá, salientando-se pela sua audácia e infatigabilidade. Na Vila de São Paulo exerceu os cargos de Vereador, em 1619, e de Capitão da Vila, em 1624. Por duas vezes (em 1614 e 1626) foi com gente armada à sua custa em socorro dos habitantes de Santos, ameaçados por corsários holandeses. Seria meio cristão-novo, conforme declaração de seu irmão Antônio junto à Visitação na Bahia em 1591. Casou-se na Capitania de São Vicente c. Luzia Leme, com quem teve os seguintes filhos: Valentim de Barros, Antônio e Luís Pedroso de Barros, Pedro Vaz de Barros, Fernão e Sebastião Paes de Barros, Jerônimo Pedroso e Lucrécia Pedroso de Barros. Fal. em 1644 em S. Paulo (SP), com testamento.

3209. Luzia Leme. Fal. em 1655 em S. Paulo (SP).

3210. Salvador Pires de Medeiros. Paulista. Foi capitão da gente de São Paulo pelos anos de 1620, como pessoa das principais da terra, como declarado na sua patente, registrada na Câmara de São Paulo. Estabeleceu-se na serra ou sítio do Ajuá, onde teve uma fazenda de grandes culturas e uma dilatada vinha, da qual, em todos os anos, obtinha excelente vinho, com muita abundância. Fundou a capela da mártir Santa Inês, cuja devoção tomou por ter a santa o mesmo nome de sua mulher, Inês Monteiro de Alvarenga, com quem teve os filhos Alberto Pires, Maria Fernandes Pires, Antônio Pires de Medeiros, Isabel Pires de Medeiros, Maria Pires de Medeiros, Ana Pires de Medeiros, Bento Pires de Medeiros, Maria Pires Fernandes, Salvador Pires de Medeiros e João Pires Monteiro. Doou, com sua mulher, a Bartolomeu Bueno, as terras que herdara de seus pais, em escritura de 1625.

3211. Inês Monteiro de Alvarenga. Cognominada “a Matrona”.

3220. Miguel Garcia Carrasco. N. em S. Lucas de Cana Verde, Espanha. Sertanista, tomou parte em lutas com os tamoios e tupiniquins e esteve na invasão do Guairá em 1628, na divisão de Mateus Luís Grou. Foi um dos signatários da aclamação de Amador Bueno de Ribeira, juntamente com fidalgos espanhóis que a promoveram. Entretanto, poucos dias depois assinou a solene aclamação de D. João IV, de que se fez auto em São Paulo (SP) em 3-ABR-1641. Em 1638 solicitou a concessão de uma sesmaria para si e dois de seus filhos, alegando que eles participaram das guerras da Capitania. C. em primeiras núpcias c. Margarida Fernandes, antes de 1616, e em segundas núpcias c. Isabel João. Filhos: Capitão Baltazar Carrasco dos Reis, Miguel e João Garcia Carrasco (do 1º casamento) e Gaspar João, Capitão-Mor Martim Garcia Lumbria, Francisco João, Antônio Carrasco, Leonor, Isabel e Benta Garcia. Fal. em 1658 em S. Paulo (SP), com testamento.

3221. Margarida Fernandes. Fal. em 1629 em S. Paulo (SP).

3222. João de Pinha (ou João de Pina). N. em Itanhaém (SP). C. em primeiras núpcias em 1612 c. Domingas Antunes e em segundas núpcias c. Andreza Dias (com quem não teve filhos). Filhos oriundos do primeiro casamento: Maria Pinha, Isabel Antunes da Silva, Ascença de Pinha Cortes e João de Pinha. Bandeirante, tomou parte na entrada de Jerônimo Pedroso de Barros ao sul brasileiro, em 1641. Fal. em 1645.

3223. Domingas Antunes. N. em São Paulo (SP). Fal. em 1624.

3224. Lourenço de Araújo Ferraz. V. nº 3120.

3225. Brites Ribeiro. V. nº 3121.

3226. Pedro Dias Paes Leme. V. nº 3122.

3227. Maria Leite da Silva. V. nº 3123.

3228. Gabriel Ponce de Leon. Natural da cidade de Guaíra, Paraguai. Ilustre cavaleiro de sua terra, dali veio por terra para São Paulo, juntamente com outros fidalgos seus parentes. Nesse trajeto demoraram algum tempo na Campanha da Vacaria, passando para São Paulo pelos anos de 1630 a 1634, dando lugar a que se desconfiasse que a transmigração fosse motivada por algum crime de lesa-majestade. Casou-se em Parnaíba (SP) com Maria de Torales. Pais de: Capitão André de Zunega y Leon, Sebastião de Contreras, Gabriel Ponce de Leon, Bartolomeu de Contreras e Ana Rodrigues de Torales. Faleceu em 1655 em São Paulo (SP).

3229. Maria de Torales.

3230. Capitão Baltazar Fernandes. Foi o fundador de Sorocaba (SP). Em 1645, subindo de Parnaíba (SP), com alguns de seus genros, fundou no lugar a Capela de Nossa Senhora da Ponte de Sorocaba, sendo a povoação elevada à categoria de vila em 1661. A Capela foi doada por Baltazar, por escritura pública lavrada em 1660 em Parnaíba, aos frades de São Bento, juntamente com uma parte de terras e com a terça do doador, sob a condição de rezarem os frades uma missa por mês. Casou-se primeiramente com Maria de Zunega, filha de Bartolomeu de Torales e de Violante de Zunega, e, em segundas núpcias, com Isabel de Proença. Filhos: Maria de Torales (do primeiro casamento), Benta Dias, Maria de Proença, Isabel de Proença, Potência de Abreu, Ana de Proença, Cecília de Abreu, Custódia Dias, Mariana de Proença, Verônica de Proença, Manoel Fernandes de Abreu, Luís Fernandes de Abreu e Antônio Fernandes de Abreu (do segundo matrimônio).

3231. Isabel de Proença. Fez seu testamento em 1648 em Parnaíba (SP), tendo sido inventariada em 1654.

3232. Jusepe de Camargo (ou José Ortiz de Carvalho). N. em Castrogeriz, Castela. Veio para o Brasil na última parte do Século XVI. Foi pessoa de autoridade e respeito em São Paulo, onde ocupou o cargo de Juiz Ordinário em 1611. José Gonçalves Salvador registra em seu livro "Os Cristãos-Novos, Povoamento e Conquista do Solo Brasileiro", sua suspeita de que Jusepe era cristão-novo. C. em S. Paulo (SP) c. Leonor Domingues. Pais de: Capitão Fernão de Camargo, José Ortiz de Camargo, Capitão Francisco de Camargo, Jerônimo de Camargo, Gabriela Ortiz de Camargo, Mariana e Ana Maria de Camargo. Fal. antes de 1630.

3233. Leonor Domingues. Fal. em 1630 em S. Paulo (SP).

3234. João de Santa Maria. Natural de Castela. Veio para o Brasil como secretário de Dom Francisco de Sousa, Governador-Geral do Brasil em 1699. Com Felipa do Prado teve os seguintes filhos: Joana do Prado, Mariana do Prado, Helena do Prado, Pedro de Leão Santa Maria, Antônio do Prado Santa Maria, Domingos Leme da Silva e João do Prado Santa Maria..

3235. Felipa do Prado.

3236. Pedro Lopes Pelicão (ou Pedro Lopes).. N. em Portugal. Vivia com sua esposa no lugar de Cacavelos, Freguesia de Sardoura, Concelho de Castelo de Paiva, Distrito de Aveiro, Portugal, onde fal. em 14-JAN-1652 e deve ter casado por volta de 1610. Filhos com Francisca Gonçalves: Manoel e Francisco Lopes, Domingos Gonçalves Montalegre, Pedro e Gonçalo Lopes.

3237. Francisca Gonçalves (ou Ana da Costa?). N. em Portugal. Fal. em 14-OUT-1638 na Freguesia de Sardoura, Castelo de Paiva, Aveiro, Portugal.

3238. Cosme da Silva. C. em S. Paulo (SP). Viveu em São Paulo, onde exerceu, por diversas vezes, o cargo de Procurador do Conselho da Câmara. Do casamento c. Isabel Gonçalves originaram-se as filhas Catarina, Maria, Joana, Francisca e Ângela da Silva.

3239. Isabel Gonçalves.

3240. Manoel Pacheco. Com Beatriz Gato teve, pelo menos, o filho Manoel Pacheco Gato.

3241. Beatriz Gato.

3242. João Paes. Casou-se, antes de 1612, com Susana Rodrigues, com quem teve os filhos: Ana da Veiga, Antônio Paes, Sebastiana Rodrigues, Martim Rodrigues e João Paes Rodrigues.

3243. Susana Rodrigues.

3244. Domingos Fernandes. Com Maria Antunes teve, pelo menos, o filho Diogo da Silva de Carvalho.

3245. Maria Antunes.

3246. Domingos Gonçalves.. Teve com Isabel da Costa, pelo menos, as filhas Paula da Costa e Francisca da Costa.

3247. Isabel da Costa.

3248. Manoel Correia. V. nº 3080.

3250. Antônio Rodrigues de Miranda. V. nº 3082.

3251. Potência Leite. V. nº 3083.

3252. Antônio Pedroso de Barros. N. em torno de 1610 em S. Paulo (SP), onde C. em 1639 e fal. em 1652. Teve fazendas em Apoterebu, à margem do Rio Tietê, no Guaré e em Jaguari. Possuiu cerca de quinhentos índios administrados, pois foi bandeirante dos mais ativos. Em 1637 tomou parte em uma bandeira destinada ao Rio Grande do Sul, chefiada por Francisco Bueno, e em 1641 em uma outra que foi destroçada em Mbororé, pequeno arroio da margem direita do Rio Uruguai. Regressando em maio de 1652 de bandeira nas regiões sulinas, onde aprisionou índios carijós e guaianás, morreu assassinado, havendo duas versões a respeito: a primeira, acolhida por Afonso de Taunay, dizia que foi morto pelo cunhado Alberto Pires, que o acusou de adultério c. sua mulher Leonor de Camargo Cabral, morta também na ocasião; a segunda, informava ter sido morto em levante de seus índios na Fazenda Apoterebu. Teve c. a esposa Maria Pires de Medeiros: Pedro Vaz de Barros, Antônio e Inês Pedroso de Barros e Luzia Leme de Barros. Teve, também: Sebastiana e Paula (filhos de Maria Pequena), Pascoal (filho da índia Vitorina) e Ventura (filho da índia Iria).

3253. Maria Pires de Medeiros. Fal. em 1651.

3254. Domingos Rodrigues de Mesquita. V. nº 1606.

3255. Maria Dias. V. nº 1607.

3256. José Correia de Lemos. Com Francisca de Lira teve, pelo menos, os filhos Antônio Correia de Lemos, Francisco Correia de Lemos e Lourenço Correia de Lemos.

3257. Francisca de Lira.

3258. Bernardo de Quadros. V. nº 3140.

3259. Cecília Ribeiro. V. nº 3141.

3260. Sargento-Mor Matias Lopes. Com Catarina do Prado teve os seguintes filhos: Catarina do Prado, Catarina de Medeiros, Isabel Lopes do Prado, João Lopes de Medeiros e Zuzarte Lopes de Medeiros.

3261. Catarina do Prado.

3262. Inocêncio Fernandes Preto. Paulista. Em 1634, residia em São Paulo (SP) com sua esposa Catarina Cortes. Com o irmão Gaspar Fernandes Preto, participou da bandeira de 1636 dirigida ao sul brasileiro. Filhos: Juliana Antunes Cortes, Inocêncio Fernandes Preto, Mariana da Luz, Sebastião de Pinha e Matias Fernandes.

3263. Catarina Cortes.

3292. Brás Cardoso. Casou-se com Antônia de Chaves, com quem teve os seguintes filhos: Antônio Cardoso Pimentel, João Cardoso, José Cardoso, Gaspar Cardoso, Isabel Cardoso, Maria Cardoso, Ana de Chaves, Mariana Cardoso e Catarina Cardoso.

3293. Antônia de Chaves. Faleceu em 1661 em São Paulo (SP).

3294. Luís Nobre Pereira. Do casamento com Jerônima de Mendonça originaram-se os filhos: Isabel Nobre, Antônio Nobre Pereira, Teodósio Nobre, José Nobre Pereira, Francisca Nobre Pereira e Luís Nobre Pereira. Faleceu em 1725 em Itu (SP).

3295. Jerônima de Mendonça. Casou-se a primeira vez com João da Rocha Marinho e a segunda com Luís Nobre Pereira. Faleceu em 1673. Com o primeiro marido teve os seguintes filhos: Isabel Bicudo, Maria Bicudo do Rosário, Luzia Bicudo, Catarina Bicudo, Sebastiana Bicudo e Antônio Rodrigues Bicudo.

3296. Manoel Correia.

3298. Antônio Rodrigues de Miranda. V. nº 3082.

3299. Potência Leite. V. nº 3083.

3300. Antônio Pedroso de Barros. V. nº 3252.

3301. Maria Pires de Medeiros. V. nº 3253.

3302. Domingos Rodrigues de Mesquita. V. nº 3254.

3303. Maria Dias. V. nº 3255.

3304. Lourenço de Araújo Ferraz. V. nº 3120.

3305. Brites Ribeiro. V. nº 3121.

3306. Pedro Dias Paes Leme. V. nº 3122.

3307. Maria Leite da Silva. V. nº 3123.

3308. Gonçalo Vaz Botelho. V. nº 1568.

3309. Ana de Arruda. V. nº 1569.

3310. Bartolomeu de Quadros. V. nº 1570.

3311. Isabel Bicudo de Mendonça. V. nº 1571.

3312. Gaspar Picão (ou Gaspar Picam). Capitão. N. em Santos (SP). Foi proprietário do Engenho da Praia do Barro, em São Sebastião (SP), onde recebeu sesmaria. Com Catarina de Oliveira Cotrim teve, pelo menos, os seguintes filhos: Paula de Oliveira, Estevão Raposo Bocarro Sênior, Antônia Paes de Queiroz e o Capitão Diogo de Escobar Ortiz.

3313. Catarina de Oliveira Cotrim (ou Catarina de Oliveira).

3314. Bartolomeu Simões de Abreu. N. em Santos (SP). Casou-se em 1636 em São Paulo (SP) com Isabel Paes da Silva. Pais de: Francisco Paes da Silva, Potência Leite da Silva e Maria de Abreu Pedro Leme.

3315. Isabel Paes da Silva. Após enviuvar-se de Bartolomeu Simões de Abreu, casou-se na Ilha de São Sebastião (SP) com o Capitão Simão Ferreira Delgado (n. na Bahia; filho de Sebastião Fernandes Tourinho e Maria Brás Reis). Deste segundo casamento originaram-se os filhos Lucrécia Leme, Sebastiana Paes Leme e Ana Ferreira Tourinho. Fal. em 1666 na Ilha de São Sebastião (SP).

3318. Domingos da Silva Guimarães. N. na Freguesia de Macieira, Concelho de Sernancelhe, Distrito de Viseu, Portugal. Foi o primeiro guarda-mor das minas do Sabarabuçu (Sabará), onde se estabeleceu com muitos escravos e extraiu grande quantidade de ouro. C. em 1642 em S. Paulo (SP) c. Isabel da Ribeira, que lhe deu os seguintes filhos: Domingos da Silva Bueno, Maria, Isabel e Bernarda da Silva e outros quatro que faleceram na infância. Fal. em 1681 em São Paulo (SP).

3319. Isabel da Ribeira. Fal. em 1698 em S. Paulo (SP).

3320. Antônio Paes (ou Antônio Soares Paes). Como Capitão-Mor de uma entrada, penetrou em 1671 por sertões de Goiás, onde ainda encontrou o restante da bandeira destroçada de LuísCastanho de Almeida. Prosseguiu ele, no entanto, para o âmago daquelas terras, onde veio a falecer. Foi casado com Ana da Cunha. Pais de: Catarina Rodrigues, Susana Rodrigues, João Gago Paes, Martinho Paes, Tomás Rodrigues, Maria Paes da Cunha, Paula da Cunha e Josefa Paes do Prado. Seu inventário foi aberto em São Paulo (SP) em 1675.

3321. Ana da Cunha. Faleceu em 1675.

3322. João Pires Rodrigues (ou João Rodrigues). Paulista de muita veneração, chamado, por antonomásia, o Pai da Pátria, pelo grande zelo que mostrou sempre pelos interesses do bem do público. Foi casado com Branca de Almeida, com quem teve os seguintes filhos: Lourenço Pires, João Pires Rodrigues, Capitão Francisco de Almeida Lara, Pedro Taques Pires, Capitão José Pires de Almeida, Salvador Pires de Almeida, Ana de Proença, Maria de Lara, Francisca de Almeida, Mécia Rodrigues, Isabel de Almeida e Ana Maria de Almeida. Faleceu em 1708, tendo sido sepultado no jazigo concedido a seu pai na igreja do Colégio dos Jesuítas, em São Paulo (SP).

3323. Branca de Almeida. Faleceu em São Paulo (SP) em 1714.

3324. Capitão Manoel Homem Albernaz. Casou-se em primeiras núpcias com Isabel de Barros Freire e em segundas núpcias com Maria Cordeito de Almada. Filhos oriundos do primeiro casamento: Capitão Jordão Homem Albernaz, Capitão Manoel Homem Albernaz, Ana Maria Albernaz, Vitorino Homem, Francisca de Barros, João Homem Albernaz, Isabel de Barros, Inês Pedroso de Alvarenga e Pascoal Homem Albernaz. Faleceu em 1726 em Itu, com testamento.

3225. Isabel de Barros Freire. Faleceu antes de 1726.

3226. Capitão-Mor João de Anhaia e Almeida. Casou-se em 1654 em Parnaíba (SP) com Isabel Delgado. Pais de: Florência Delgado, Francisca Delgado, Ana Delgado, Pascoal Delgado Lobo, Capitão Matias de Oliveira Gago, Isabel Delgado, Felipa Gago, João Delgado, Joana de Almeida e Maria Coelho de Almeida.

3227. Isabel Delgado. Batizada em 1660 em Parnaíba (SP). Faleceu em 1668.

DÉCIMOS PRIMEIROS AVÓS:

6144. Mateus Leme. N. em São Vicente (SP), onde faleceu em 1633. Casou-se com Antônia de Chaves, com quem teve os seguintes filhos: Leonor Leme, Maria da Silva, Mariana de Chaves, Antônia Leme, Antão Leme, Domingos Leme, Mateus Leme e Francisco Leme da Silva. Em segundas núpcias, casou-se com Antônia Gago da Cunha.

6145. Antônia de Chaves. N. em São Vicente (SP). Faleceu em 1610.

6150. Jorge Moreira. N. em Rio Tinto, Porto, Portugal. Foi um dos primeiros povoadores da Capitania de São Vicente (SP), tendo chegado àquela localidade em 1545. Pessoa de conhecida nobreza e de grande prestígio, foi, em 1550, um dos promotores da mudança da Vila de Santo André para a de São Paulo de Piratininga. Um dos fundadores de Santo André (SP), ali exerceu o cargo de Almotacel em 1557. Em 1561 chefiou uma expedição contra os índios do Vale do Rio Paraíba, da qual José de Anchieta participou como intérprete. Por diversas vezes, foi Juiz Ordinário da Câmara de São Paulo, tendo exercido também, em 1575, o cargo de Capitão da Vila. Foi Capitão-Mor e Governador da Capitania de São Vicente. Casou-se após 1575 com Isabel Velho, com quem teve os filhos: Ângela Moreira, Susana Moreira, Paula Moreira, Ana Moreira, Maria Moreira, Lucrécia Moreira, Custódia Moreira e Diogo Moreira.

6151. Isabel Velho.

6156. João de Sousa Pereira Botafogo. Teria nascido por volta de 1540 na cidade de Elvas, em Portugal. De seu casamento com Maria da Luz Escórcio Drumond originaram-se os filhos: Andreza de Sousa, João de Sousa, Pedro de Sousa de Brito, Jerônimo de Sousa de Brito, Helena de Sousa, Maria de Sousa, Úrsula de Brito e Ana de Sousa. Em Elvas, seus pais e avós tiveram casa que se perdeu, confiscada por ordem régia. Chegou ao Rio de Janeiro, quando a cidade velha já estava principiada e ali se fazia guerra ao gentio Tamoio. Foi então nomeado Capitão de uma das canoas de guerra e o mandaram para Cabo Frio para impedir o comércio de pau Brasil pelos franceses. Foi tão feliz em tal conduta que, pelejando com valor e ousadia com os franceses em vários encontros, aprisionou vários deles, inclusive Tucen Grugel, cabo de toda a armada.

6157. Maria da Luz da Escórcia Drumond.

6164. ..... de Miranda. Pai de Antônio Rodrigues de Miranda, Manoel Vieira e Diogo de Madureira e irmão de Clara de Miranda (esposa de Diogo Perdigão da Costa).

6166. Pascoal Leite Furtado. N. em Santa Maria dos Açores, Portugal. Foi fidalgo de linhagem. Veio para o Brasil em 1591 com Dom Francisco de Sousa, nosso 7o. Governador-Geral, e quando este delegado régio determinou a entrada de João Pereira de Sousa Botafogo, da Bahia, o acompanhou Pascoal, em 1595, ata a Vila de São Paulo, onde exerceu os cargos de Almotacel (em 1597) e de Vereador (em 1602). Casou-se em São Paulo (SP) com Isabel do Prado. Pais de: Isabel do Prado, Pascoal Leite Furtado, Úrsula Pedroso, Potência Leite, Maria Leite, Páscoa Leite e João Leite Furtado.
Faleceu em São Paulo (SP), na Fazenda dos Pinheiros (de sua propriedade), em 4-MAI-1614, com testamento.

6167. Isabel do Prado. N. em São Vicente (SP). Faleceu em 1668 em Santana do Parnaíba (SP).

6168. Pedro Taques. V. nº 3160.

6169. Ana de Proença. V. nº 3161.

6170. Diogo de Lara. V. nº 3162.

6171. Madalena Fernandes de Moraes. V. nº 3163.

6174. Capitão-Mor Pedro Vaz de Barros. V. nº 3208.

6175. Luzia Leme. V. nº 3209.

6184. Antônio Rodrigues.

6185. Maria Peres.

6186. João Maciel. N. em Viana do Minho, Portugal. Passou ao Brasil com filhos antes de 1570, quando já se encontrava em São Paulo (SP). Fal. antes de 1609 em S. Paulo (SP). Com Paula Camacho teve os filhos: Ana e Maria Maciel, Catarina Camacho, João, André, Justa, Batista, Lucrécia e Domingos Maciel.

6187. Paula Camacho. N. em Viana, Portugal.

6188. Domingos Luís, o Carvoeiro. N. em Marinhota, Freguesia de Carvoeiro (orago: Santa Maria), Concelho e Distrito de Viana do Castelo, Portugal. Cavaleiro Professo da Ordem de Cristo. Cidadão influente de São Paulo (SP), Domingos Luís foi nomeado Capitão dos Índios em 1563 e Procurador do Concelho em 1575. Por volta de 1579, fundou a Capela de Nossa Senhora da Luz, no Bairro do Ipiranga, onde residia, transferindo-a, mais tarde, para o Sítio do Guará ou Guarepe, no Bairro da Luz. Em 1603, essa capela foi transferida para o lugar onde hoje existe o Recolhimento da Luz, fundado em fins de 1773 por Helena Maria do Espírito Santo, religiosa do Convento de Santa Teresa. Possuía terras no Ipiranga e, em 1594, era proprietário dos primeiros sobrados cobertos de telhas da Vila de São Paulo. Foi Vereador de São Paulo em 1596 e em 1607. C. em São Paulo (SP) em primeiras núpcias c. Ana Camacho e em segundas núpcias c. Branca Cabral (viúva de Simão da Costa). Com a 1ª esposa, Domingos teve os seguintes filhos: Inês Camacho, Leonor Domingues, Domingas e Bernarda Luís, Domingos Luís, o "Moço", Antônio Lourenço e Miguel Luís. Fal. por volta de 1613 em São Paulo (SP).

6189. Ana Camacho. Fal. em 1613, com testamento, em S. Paulo (SP), onde há um logradouro com o seu nome.

6190. Gaspar Vaz Guedes. N. no Estado do Espírito Santo. Em 1628, acompanhou Antônio Raposo Tavares na sua entrada ao Guairá (região situada no antigo território do Paraguai, que abrangia a quase totalidade do atual Estado do Paraná). Considerado o fundador de Mogi das Cruzes (SP). C. em S. Paulo (SP) c. Francisca Cardoso.

6191. Francisca Cardoso. Fal. em 1611 em S. Paulo (SP).

6192. Pedro Domingues. Foi um dos povoadores de São Vicente e São Paulo, como o declarou seu filho do mesmo nome quando, em 1638, requereu, juntamente com sua cunhada Catarina Ribeiro, viúva, ao Capitão Antônio de Aguiar barriga, Governador da Capitania de São Vicente, uma sesmaria em Santo Amaro, perto de São Paulo. De Pedro Domingues e sua mulher Clara Fernandes descendem os seguintes filhos: Amaro Domingues, Pero Domingues e Leonor Esteves.

6193. Clara Fernandes.

6194. Brás Mendes. Com Catarina Ribeiro teve, pelo menos, os filhos: André Mendes Ribeiro, Catarina Ribeiro e Brás Dias Mendes.

6195. Catarina Ribeiro.

6200. Domingos Luís. V. nº 6188.

6201. Ana Camacho. V. nº 6189.

6202. Bartolomeu Gonçalves. Casou-se três vezes. Não se conhece o nome da primeira esposa, com quem teve duas filhas: Isabel Gonçalves e Maria Gonçalves. Do segundo casamento, com Bárbara Nogueira, originaram-se os filhos Ana Gonçalves, Ângela Nogueira, Domingas Gonçalves, Luzia Nogueira e Antônio Nogueira. Da terceira esposa, Domingas Rodrigues (faleceu em 1630, viúva de Fulano da Paz), teve os filhos Belquior de Pontes e Catarina de Pontes. Bartolomeu faleceu em 1626, com testamento.

6204. Francisco Correia. Natural do Porto, Portugal. Com Atanásia Sardinha teve, pelo menos, o filho Geraldo Correia Sardinha.

6205. Atanásia Sardinha. Nasceu em Braga, Portugal.

6206. João Soares. Com Mécia Rodrigues teve, pelo menos, a filha Maria Soares.

6207. Mécia Rodrigues.

6240. Jerônimo Ferraz. Nobre cidadão do Porto, Portugal. Pai de Lourenço de Araújo Ferraz. Foi provedor da Santa Casa de Misericórdia da cidade do Porto em 1583.

6242. Bento Ribeiro. Teve, com Maria Moreira, a filha Brites Ribeiro, da Freguesia do Paço de Sousa, em Portugal.

6243. Maria Moreira.

6244. Fernão Dias Paes. V. nº 3210.

6245. Lucrecia Leme. V. nº 3211.

6246. Pascoal Leite Furtado. V. nº 6166.

6247. Isabel do Prado. V. nº 6167.

6248. Jerônimo Botelho de Macedo. V. nº 3136.

6249. Guiomar Faleira Cabral. V. nº 3137.

6250. Francisco do Rego Cabral. V. nº 3138.

6251. Ana de Macedo. V. nº 3139.

6252. Bernardo de Quadros. V. nº 3140.

6253. Cecília Ribeiro. V. nº 3141.

6254. Manoel Pires. V. nº 3142.

6255. Maria Bicudo. V. nº 3143.

6260. Gonçalo Vaz Botelho. V. nº 1568.

6261. Ana de Arruda. V. nº 1569.

6268. Filippe de Ban der Borg. N. na Bélgica. Pertencente à nobreza belga, por duas vezes foi enviado pelos seus patrícios, como Embaixador, ao Rei da Espanha, a quem estavam sujeitos os Países Baixos, tendo obtido sucesso apenas na primeira vez, motivo por que, envergonhado, não se animou a voltar a sua terra. C. na Espanha c. Antonia del Campo, com quem teve três filhos, sendo Felipe de Campos Banderborg o mais novo.

6269. Antonia del Campo. N. na Espanha.

6270. Capitão Manoel Pires. V. nº 3142.

6271. Maria Bicudo. V. nº 3143.

6272. Nuno Gonçalves Botelho. Foi provedor do resíduo na Ilha de São Miguel, Açores, Portugal. Casou-se com sua prima segunda Isabel de Macedo.

6273. Isabel de Macedo.

6276. Gaspar do Rego.

6277. Margarida Coutinho.

6278. Sebastião de Arruda.

6282. Estêvão Ribeiro Baião Parente. N. em Beja, Portugal. Chegando de Portugal, estabeleceu-se em S. Vicente e, posteriormente, em S. Paulo (SP), com a esposa e filhos. Foi Almotacel em São Paulo (SP) em 1587, 1588 e 1590. Em 1592, interferiu a favor dos padres da Companhia de Jesus na questão de proteção ao gentio. Com Madalena Fernandes Feijó Madureira teve: Ana e Cecília Ribeiro, Leonor e Pantaleão Pedroso e Estêvão e Ascenso Ribeiro.

6283. Madalena Fernandes Feijó Madureira. N. no Porto, Portugal.

6285. Beatriz Pires. Não é conhecido o nome do esposo.

6286. Antônio Bicudo Carneiro. N. na Ilha de S. Miguel, Arquipélago dos Açores, Portugal. C. em S. Paulo (SP), onde exerceu vários cargos governamentais, como os de Juiz em 1574 e 1584, de Vereador em 15675 e de Ouvidor da Capitania em 1585, quando mandou levantar pelourinho na vila. Como sertanista, participou das entradas de Afonso Sardinha, o Moço, ao sertão do Jeticaí, em 1593, de Nicolau Barreto, em 1602, e de Antônio Raposo Tavares9. C. em S. Paulo com Isabel Rodrigues, com quem teve os filhos: Antônio Bicudo, Domingos Nunes Bicudo, Maria Bicudo, Marta e Jerônima de Mendonça e Guiomar Bicudo.

6287. Isabel Rodrigues. N. em S. Paulo (SP).

6294. Brás Cubas. Filho de João Pires Cubas e de Isabel Nunes. Cavaleiro Fidalgo da Casa Real. Veio do Porto, Portugal, para São Vicente (SP), na companhia do Donatário Martim Afonso de Sousa, pelos anos de 1531, com os irmãos Antônio Cubas, Gonçalo Nunes Cubas e Catarina Cubas. Foi o fundador da Vila de Santos (SP), onde erigiu a Casa de Misericórdia. Descobridor de ouro e pedras preciosas. Faleceu em 1592 em Santos, onde está sepultado na Matriz local. Ignora-se o nome de sua mulher, conhecendo-se os seguintes filhos: Isabel Cubas e Pedro Cubas.

6296. Antônio Bicudo Carneiro. V. nº 6286.

6297. Isabel Rodrigues. V. nº 6287.

6298. Diogo Pires. Teve culturas em Juqueri. Casou-se com Isabel de Brito. Pais de: Francisco Pires de Brito, Salvador Pires, Manoel Pires de Brito, Maria de Brito, Margarida de Brito, Beatriz Pires e Maria de Brito.

6299. Isabel de Brito.

6300. Antônio Rodrigues de Alvarenga. N. em Lamego, Distrito de Viseu, Portugal. Passou, a serviço do Rei, a ser um dos primeiros povoadores da Vila de S. Vicente, fundada em 1531 pelo Donatário Martim Afonso de Sousa, por concessão de D. João III. De S. Vicente passou para S. Paulo, conseguindo ali, por sua distinção, o respeito e veneração de todos. Foi proprietário, por mercê do Donatário, do Ofício de Tabelião do Judicial e Notas de São Paulo. Fal. a 14-SET-1614 em S. Paulo (SP), deixando testamento. C. em S. Vicente (SP) c. Ana Ribeiro. Pais de: Maria Pedroso, Inês Monteiro, Francisco de Alvarenga, Luís Monteiro, Estêvão Ribeiro de Alvarenga, Ana de Alvarenga, Antônio Pedroso de Alvarenga, Frei Bento, Tomásia de Alvarenga, Maria Rodrigues de Alvarenga e Jerônimo de Alvarenga.

6301. Ana Ribeiro. Silva Leme, em seu "Genealogia Paulistana", informa que seu nascimento se deu no Porto, Portugal. Tal informação não guarda consonância com depoimentos de Ana Ribeiro constantes do processo de canonização do Padre José de Anchieta, publicados na Revista da ASBRAP nº 3, onde é dito que seu nascimento ocorreu na Vila de São Vicente (SP) em torno de 1560. Fal. a 23-OUT-1647 em S. Paulo (SP) com testamento, tendo sido sepultada na capela-mor da igreja dos carmelitas, em jazigo próprio.

6302. Aleixo Leme. N. em torno de 1544 em S. Vicente (SP), onde C. em torno de 1610 c. Inês Dias, com tem teve os filhos: Luzia, Brás e Aleixo Leme, Francisco Dias Leme, Francisca Leme, Inês Dias, Leonor Leme, Maria da Silva, Maria Leme e Manoel de Chaves. Em 1617, residindo em São Paulo (SP), recebeu através de carta de sesmaria, juntamente c. Francisco de Alvarenga, duas léguas de terras próximas ao Rio "Gerabatiba". Conforme seus depoimentos de 5-ABR-1622 e 23-OUT-1627 constantes do processo de canonização do Padre José de Anchieta, era agricultor e havia sido tratado pelo jesuíta durante período de cerca de 20 anos5. Fal. em 16-NOV-1629 em S. Paulo (SP).

6303. Inês Dias. N. em S. Vicente (SP). Fal. em 1655 em S. Paulo (SP).

6314. Gonçalo de Toledo Machado. Com Maria Fernandes teve a filha Antônia Machado de Toledo.

6315. Maria Fernandes.

6316. Belquior de Barros. Foi casado com Catarina Vaz. Pais de Jorge de Barros Fajardo.

6317. Catarina Vaz.

6318. João Maciel. V. nº 6186.

6319. Paula Camacho. V. nº 6187.

6320. Francisco Taques Pompeu. N. em Brabante, Flandres, França. Segundo Silva Leme, após examinar autos “de genere” de Pedro Taques de Almeida, processados em 1696 na Câmara Patriarcal de Lisboa. Pertencia a família nobre, passando para Portugal por causa do comércio, fazendo assento na Vila de Setúbal, Portugal, onde foi celebrado seu casamento com Inês Rodrigues, com quem residiu na Freguesia de São Julião. Pais de Francisca Taques e Pedro Taques.

6321. Inês Rodrigues. N. em Setúbal, Portugal.

6322. Antônio de Proença. N. em Belmonte, Castelo Branco, Bispado da Guarda, Portugal. Moço da Câmara do Infante Dom Luís, Senhor de Belmonte e Duque da Guarda. Nos autos de habilitação “de genere” do Capitão-Mor Pedro Taques de Almeida é dito que veio para o Brasil por ter praticado o crime de tirar de certo mosteiro uma religiosa. Foi notável pelo seu prestígio e serviços prestados à causa pública. Ajudou Diogo Martins Cam a penetrar o sertão da Capitania do Espírito Santo com vistas ao descobrimento de minas de ouro, prata e esmeraldas. Juiz Ordinário e de Órfãos de São Paulo (1582). Em 1599, foi nomeado Capitão da Gente de Cavalo de São Paulo, por provisão de Dom Francisco de Sousa., e em 1602 tornou-se Capitão da Vila de São Paulo. Teve estabelecimento agrícola, com terras de culturas e campos de criação, na Ribeira de Itiporanga, em São Paulo, onde teve abundantes criações de gado bovino, eqüino e suíno, além de grandes searas de trigo. Casou-se em Santos (SP), em torno de 1565, com Maria Castanho. Pais de: Ana de Proença, Catarina de Almeida, Isabel de Almeida de Proença, Francisco de Proença e Maria de Almeida. Faleceu com testamento em São Paulo (SP) em 1605.

6323. Maria Castanho. N. por volta de 1542 em Montemor, o Novo, Évora, Portugal.

6330. Fernão Dias Paes (ou Fernando Dias Paes). V. nº 3210.

6331. Lucrecia Leme. V. nº 3211.

6332. Gaspar de Araújo. Natural de Ponte de Lima, Portugal. Com Catarina de Góes teve, pelo menos, o filho Jorge de Araújo de Góes.

6333. Catarina de Góes. Natural de Lisboa, Portugal.

6334. Sebastião Pedroso Barbosa. Natural de Viana do Minho, Portugal. Teve com Leonor de Siqueira, pelo menos, a filha Ângela de Siqueira.

6335. Leonor de Siqueira. Natural da Bahia.

6344. Manoel Pires.

6346. Antônio Rodrigues de Alvarenga. V. nº 6300.

6347. Ana Ribeiro. V. nº 6301.

6348. Baltazar de Moraes de Antas. Em 11-SET-1579, perante o Juiz Amador do Vale, de Mogadouro, Portugal, sendo escrivão dos autos o tabelião Gaspar Teixeira, Baltazar justificou a sua fraternidade, por pai e mãe, com Belquior de Moraes de Antas, para se aproveitar do instrumento que a este se tinha passado, o que foi feito pelos escrivões de Mogadouro, Monxagate, Torre de Moncorvo, Mirandela e Vila Pouca de Aguiar. E na cidade do Porto justificou por Índia e Mina dito o instrumento, em 1579, o mesmo fazendo na cidade do Funchal em 1580, mesmo ano em que justificou o instrumento e fez reconhecer os sinais dele na cidade da Bahia, por Cosme Rangel de Macedo, Ouvidor-Geral de toda a costa do Brasil. Baltazar teve uma irmã casada com o Sargento-mor José Álvares Meireles, Cavaleiro Fidalgo da Casa de Dom Antônio e morador no Mogadouro pelos anos de 1575. De Portugal, onde nasceu, passou para São Paulo (SP), onde casou com Brites Rodrigues Anes. Do casal descendem: Pedro de Moraes d’Antas, Baltazar de Moraes d’Antas, Ana de Moraes d’Antas e Isabel de Moraes.

6349. Brites Rodrigues Anes.

6350. Domingos Gonçalves Maia (ou Domingos Gonçalves da Maia). N. em Portugal. Fal. com testamento em 1627 em São Paulo (SP). C. em primeiras núpcias c. Isabel de Góes, com quem veio casado da Ilha da Madeira, Portugal, para povoar a Vila de São Paulo (SP). C., em segundas núpcias, c. Mécia Rodrigues tendo casado pela terceira vez c. Marta de Mendonça. Filhos: Garcia Rodrigues Velho e Inês Rodrigues (oriundos do segundo casamento) e Isabel Bicudo de Mendonça, Jerônima de Mendonça, Antônio Gonçalves de Mendonça, Vicente Bicudo, Manoel Gonçalves, Maria Bicudo e Sebastião Gonçalves de Barros (do terceiro matrimônio).

6351. Mécia Rodrigues.

6352. Henry Barrwell (ou Henry Barewel). Nasceu na Inglaterra. Do casamento com Francisca Álvares Martins originou-se o filho João Baruel.

6353. Francisca Álvares Martins (ou Francisca Álvares). Fª de Marcos Fernandes e de Maria Afonso. C. três vezes: a primeira c. Antônio de Zouro, a segunda c. Henry Barewell (n. na Inglaterra) e a terceira c. Simão Jorge (filho de Simão Jorge e de Agostinha Rodrigues).

6354. Aleixo Jorge. Nasceu em Arrifaina de Sousa, Portugal. Foi casado com Maria de Siqueira Nunes, com quem teve os seguintes filhos: Maria Ana de Siqueira, Catarina de Siqueira, Simoa de Siqueira, Maria de Siqueira Pires, Sebastiana da Rocha, Ana da Rocha, Isabel Garcez de Siqueira, Padre Mateus Nunes de Siqueira e Antônio Jorge.

6355. Maria de Siqueira Nunes.

6360. Fernando Dias Paes (ou Fernão Dias Paes). V. nº 3210.

6361. Lucrecia Leme. V. nº 3211.

6362. Pascoal Leite Furtado. V. nº 6166.

6363. Isabel do Prado. V. nº 6167.

6364. Garcia Rodrigues Velho. Paulista. Foi Capitão da Vila de São Paulo em 1609. Em 1612, fez uma entrada no sertão dos caiapós, tendo regressado no ano seguinte. Já se encontrava morto em 1623. Filhos oriundos do casamento com Catarina Dias: Garcia Rodrigues Velho, Miguel Rodrigues Garcia, Domingos Garcia, Mécia Rodrigues, Jorge Rodrigues Velho, Margarida Rodrigues e Manoel Garcia Velho.

6365. Catarina Dias. N. em S. Vicente (SP).

6366. Geraldo Betting. N. em Drusbruch, Ducado de Guelder, Alemanha. Veio para São Paulo em 1609, com o Governador Francisco de Sousa, para construir engenhos de ferro na Capitania. Participou de várias entradas, inclusive de algumas dirigidas ao Araçoiaba, ao Jaraguã e a Ibituruna. C. em São Paulo (SP) c. Custódia Dias.

6367. Custódia Dias.

6420. Salvador Pires.

6421. Maria Rodrigues.

6422. Antônio Rodrigues de Alvarenga. V. nº 6300.

6423. Ana Ribeiro. V. nº 6301.

6442. Baltazar Gonçalves Malio. Paulista. Era, provavelmente, descendente de italianos. Sertanista, tomou parte nas bandeiras de Lázaro da Costa a Santa Catarina, em 1615, ao Guairá, em 1628 e em 1630, com Manoel Preto e Antônio Raposo Tavares, em 1636, e com Francisco Bueno e Antônio Raposo Tavares, em 1637, ambas ao sul do Brasil. Foi casado c. Jerônima Fernandes. Fal. em São Paulo (SP) depois de 1659.

6443. Jerônima Fernandes. Fal. em 1630.
.
6444. Brás de Pina (ou Brás de Pinha). Com Isabel Lopes teve, pelo menos, os filhos Isabel de Pinha Cortes, Ana de Pinha, Maria e João de Pina.

6445. Isabel Lopes.

6446. Bartolomeu Rodrigues. C. c. Maria Lucas, com quem teve quatro filhos, entre eles Ana Rodrigues e Domingas Antunes. Fal. em 1610 em S. Paulo (SP).

6447. Maria Lucas. C. em primeiras núpcias c. Bartolomeu Rodrigues e em segundas núpcias c. Gaspar de Pinha, não tendo filhos oriundos do 2º casamento. Fal. em 1635 em S. Paulo (SP).
.
6448. Jerônimo Ferraz. V. nº 6240.

6450. Bento Ribeiro. V. nº 6242.

6451. Maria Moreira. V. nº 6243.

6452. Fernando Dias Paes (ou Fernão Dias Paes). V. nº 3210.

6453. Lucrecia Leme. V. nº 3211.

6454. Pascoal Leite Furtado. V. nº 6166.

6455. Isabel do Prado. V. nº 6167.

6456. Barnabé de Contreras. Com Violante de Gusmão teve, pelo menos, os filhos Gabriel Ponce de Leon, Barnabé de Contreras y Leon.

6457. Violante de Gusman (ou Violante de Gusmão).

6458. Capitão Baltazar Fernandes. V. nº 3230.

6459. Maria de Zunega. Nasceu na Vila Rica do Paraguai.

6460. Manoel Fernandes Ramos. N. em Moura, Portugal. C. em São Paulo (SP) c. Susana Dias, com quem teve, os filhos André (fundador de Parnaíba, SP), Baltazar (fundador de Sorocaba, SP), Domingos (fundador de Itu, SP) e Pedro Fernandes, Custódia, Francisco e Benta Dias e Ângela e Isabel Fernandes. Em 1564 era Escrivão da Câmara e possuía uma fazenda ao lado de Ibirapuera. De 1575 a 1589, ano em que faleceu, exerceu vários cargos no Governo da Vila de São Paulo. Participou dos primeiros encontros com os índios tamoios, tupiniquins e carijós, tendo seguido na bandeira de Jerônimo Leitão a Paranaguá em 1585.

6461. Susana Dias. N. em São Vicente (SP) em torno de 1552. Era pessoa de prestígio, sendo citada em atas da Câmara Municipal de São Paulo. Em 30-JUN-1594, doou a seu genro Antônio Rodrigues umas casas de taipa cobertas de palhas de sua propriedade, localizadas na praça pública da Vila de São Paulo. Foi ouvida em 5-ABR-1622 no processo de canonização do Padre José de Anchieta. Fal. em Santana do Parnaíba (SP) em 1634.
.
6462. João de Abreu. V. nº 1572.

6463. Isabel de Proença Varela (ou Isabel de Proença).. V. nº 1573.

6464. Francisco de Camargo. C. em Castela. Com Gabriela Ortiz teve, pelo menos, o filho Jusepe de Camargo.

6465. Gabriela Ortiz. N. em Castela.

6466. Domingos Luís. V. nº 6188.

6467. Ana Camacho. V. nº 6189.

6470. Pedro Leme. V. nº 3152.

6471. Helena do Prado. V. nº 3153.

6484. André Fernandes. Com Maria Paes teve, entre outros, os seguintes filhos: Jerônima Fernandes, Capitão João Paes e, provavelmente, André Fernandes. Fal. em 1588 em São Paulo (SP).

6485. Maria Paes. Fal. em 1616 em S. Paulo (SP).

6486. Martim Fernandes Tenório de Aguilar (ou Martim Rodrigues Tenório de Aguilar). N. em Castela. Pessoa de nobre ascendência, foi da Governança de São Paulo, onde residiu no lugar então denominado de Ibirapuera. Em 1594, foi Procurador do Concelho em São Paulo. Povoador e célebre conquistador dos sertões no posto de Capitão-Mor da tropa. Fez parte das bandeiras de Domingos Rodrigues e de Nicolau Barreto (esta última, iniciada em 1602, destinada ao Guairá), tendo feito testamento no sertão do Paracatu, na incerteza de seu destino, em 1603. Em 1608, foi vereador e comandou a bandeira que desceu o Anhembi para dar combate aos bilreiros. Segundo José Gonçalves Salvador, no livro "Os Cristãos-Novos, Povoamento e Conquista do Solo Brasileiro", era de linhagem hebréia. C. em 1589 c. Susana Rodrigues, com quem teve os seguintes filhos: Maria Tenório, Ana da Veiga, Susana Rodrigues e Elvira Rodrigues. Teve, também, uma filha natural (Joana Rodrigues). Fal. em 1608 na região do Paraúpava, tendo seu inventário sido feito em São Paulo em 1612.

6487. Susana Rodrigues. C. em primeiras núpcias c. Damião Simões e em segundas núpcias c. Martim Fernandes Tenório de Aguilar.

6494. João da Costa de Carvalho. Casou-se com Paula Nunes de Siqueira, com quem teve os seguintes filhos: Isabel da Costa e Maria Nunes de Siqueira,

6495. Paula Nunes de Siqueira.

6520. Matias Lopes. Natural de Portugal. Teve com Catarina de Medeiros os filhos Antônio Lopes de Medeiros, Maria de Medeiros, Matias Lopes e Zuzarte Lopes.

6521. Catarina de Medeiros. Foi casada primeiramente com Domingos Fernandes e pela segunda vez com MatiasLopes.

6522. João Gago da Cunha. Sertanista de São Paulo. Tomou parte nas bandeiras de Nicolau Barreto, ao Guairá, em 1602 e na do seu progenitor, Henrique da Cunha Gago, em 1623, com o mesmo destino. Do casamento c. Catarina do Prado teve os seguintes filhos: Maria e Luzia da Cunha, Antônia Gago da Cunha, Catarina do Prado, Isabel da Cunha, João do Prado da Cunha, João Gago, Paula, Ana, Joana e Felipa e Tomás da Cunha. Fal. em 1636 em São Paulo (SP).

6523. Catarina do Prado. N. na Vila de São Vicente (SP). Fal. em 1649 em São Paulo (SP). C. em primeiras núpcias c. João Gago da Cunha. Em segundas núpcias casou-se c. Francisco Nunes de Siqueira, com quem não teve descendência.

6584. Gaspar Vaz Guedes. V. nº 6190.

6585. Francisca Cardoso. V. nº 6191.

6586. Antônio Lourenço Camacho (ou Antônio Lourenço). Casou-se, em primeiras núpcias, com Mariana de Chaves e, em segundas núpcias, com Isabel Cardoso (falecida em 1661; filha de Gaspar Vaz Guedes e de Francisca Cardoso). Filhos: Maria Leme de chaves, Antônia de Chaves, Ana de Chaves e Domingos Luís Leme (oriundos do primeiro casamento) e Antônio Lourenço Cardoso, Antônio Cardoso, Manoel Cardoso, Gaspar Vaz Cardoso, Capitão Feliciano Cardoso, Mécia Cardoso, Francisca Cardoso e Ana Maria da Luz (oriundos do segundo matrimônio). Faleceu em 1658 em São Paulo (SP).

6587. Mariana de Chaves. Faleceu em 1615.

6590. João Gonçalves de Aguiar. Nasceu no Rio de janeiro (RJ). Foi Capitão de Ordenanças em Parnaíba (SP). Teve com Luzia de Mendonça, com quem casou em 1635 em São Paulo (SP), os filhos Sebastião Gonçalves de Aguiar, Antônio de Aguiar, João Gonçalves, Vicente Gonçalves de Aguiar, Álvaro Neto, Salvador Gonçalves de Aguiar, Manoel Gonçalves de Aguiar, Frei Francisco do Rosário, Jerônima de Mendonça, Ana Fernandes, Isabel de Aguiar Mendonça, Luzia de Mendonça (ou Luísa de Mendonça), Esméria da Silva e Maria de Aguiar. Faleceu em Parnaíba (SP), com testamento, em 1668.

6591. Luzia de Mendonça.

6596. ..... de Miranda.

6598. Pascoal Leite Furtado. V. nº 6166.

6599. Isabel do Prado. V. nº 6167.

6600. Pedro Vaz de Barros. V. nº 1604.

6601. Luzia Leme. V. nº 1605.

6602. Salvador Pires de Medeiros. Paulista. Foi capitão da gente de São Paulo pelos anos de 1620, como pessoa das principais da terra, como declarado na sua patente, registrada na Câmara de São Paulo. Estabeleceu-se na serra ou sítio do Ajuá, onde teve uma fazenda de grandes culturas e uma dilatada vinha, da qual, em todos os anos, obtinha excelente vinho, com muita abundância. Fundou a capela da mártir Santa Inês, cuja devoção tomou por ter a santa o mesmo nome de sua mulher, Inês Monteiro de Alvarenga, com quem teve os filhos Alberto Pires, Maria Fernandes Pires, Antônio Pires de Medeiros, Isabel Pires de Medeiros, Maria Pires de Medeiros, Ana Pires de Medeiros, Bento Pires de Medeiros, Maria Pires Fernandes, Salvador Pires de Medeiros e João Pires Monteiro. Doou, com sua mulher, a Bartolomeu Bueno, as terras que herdara de seus pais, em escritura de 1625.

6603. Inês Monteiro de Alvarenga. Cognominada “a Matrona”.

6606. Pedro Dias Paes Leme. V. nº 3122.

6607. Maria Leite da Silva. V. nº 3123.

6608. Jerônimo Ferraz. V. nº 6240.

6610. Bento Ribeiro. V. nº 6242.

6611. Maria Moreira. V. nº 6243.

6612. Fernão Dias Paes. V. nº 3210.

6613. Lucrecia Leme. V. nº 3211.

6614. Pascoal Leite Furtado. V. nº 6166.

6615. Isabel do Prado. V. nº 6167.

6616. Jerônimo Botelho de Macedo. V. nº 3136.

6617. Guiomar Faleira Cabral. V. nº 3137.

6618. Francisco do Rego Cabral. V. nº 3138.

6619. Ana de Macedo. V. nº 3139.

6620. Bernardo de Quadros. V. nº 3140.

6621. Cecília Ribeiro. V. nº 3141.

6622. Manoel Pires. V. nº 3142.

6623. Maria Bicudo. V. nº 3143.

6624. Gaspar Fernandes Palha. N. em Funchal, Ilha da Madeira, Portugal. Descendente de Rui Vaz de Almada, que recebeu do rei o apelido de Palha, juntamente com as armas.

6625. Antônia Requeixo de Peralta.

6626. Francisco de Escobar Ortiz. Oriundo da Capitania do Espírito Santo, foi o primeiro povoador da Ilha de São Sebastião (SP), onde obteve de Pedro Lopes de Sousa, Donatário da Capitania, cem léguas de terra para si e sua nobre geração. Foi proprietário de dois engenhos de açúcar, os primeiros que existiram na referida ilha, onde foi pessoa de grandes cabedais, com um navio de duas cobertas que navegava para Angola. Na Capitania do Espírito Santo deixou uma irmã chamada Antônia Escobar. Com sua esposa Inês de Oliveira Cotrim teve, pelo menos, a filha Catarina de Oliveira Cotrim. Fal. em São Sebastião (SP), com testamento, no ano de 1652.

6627. Inês de Oliveira Cotrim. Fal. na Ilha de São Sebastião (SP) em 3-AGO-1675, com testamento.

6628. João de Abreu. V. nº 1572.

6629. Isabel de Proença Varela. V. nº 1573.

6630. Pedro Dias Paes Leme. V. nº 3122.

6631. Maria Leite. V. nº 3123.

6644. João Pires. A seu respeito, assim escreveu Pedro Taques: “João Pires foi nobre cidadão de São Paulo, e teve grande voto nas assembléias do governo político, como pessoa de muita autoridade, respeito e veneração. Foi abundante em cabedais com estabelecimento de uma grandiosa fazenda de terras de cultura com um légua de testada até o rio Macorobi, que lhe foi concedida de sesmaria em 1610 com o seu sertão para a serra de Juqueri. Teve grande cópia de gados vacum, cavalares e de ovelhas; de sorte que dotando a nove filhas, como veremos abaixo, cada uma levou duzentas cabeças de gado vacum, ovelhas e cavalgaduras. Tinha extraordinária colheita de trigo todos os anos, e igualmente dos mais mantimentos e legumes. Com o seu grande respeito e forças sustentou e teve de encontro o partido também grande da nobre família dos Camargos, quando em 1652, para 1653, se puseram em rompimento de armas estas duas opostas famílias – Pires e Camargos; e João Pires por si só teve maior séqüito com os mais de seu apelido e de muitos neutrais que o auxiliaram com poder de gente armada, como foi Garcia Rodrigues Velho, Fernão Dias Paes e outros paulistas potentados em arcos, que dominavam. Estes belicosos movimentos, ou tumultuosos partos da ira e da paixão por vezes chegaram a rompimento de batalha. Este João Pires, único com seu amigo Fernão Dias Paes, pôde vencer a odiosa lembrança com que os moradores de São Paulo repugnavam a instituição dos padres jesuítas que tinham sido lançados do seu colégio para fora da capitania de São Vicente em junho de 1640, e obtendo eles da paternal clemência do rei D. João IV ordem para serem restituídos em 1647, ainda assim se não deram por seguros, e durou a sua expulsão até o ano de 1653 em que o respeito, amor e veneração de João Pires (declarado protetor dos jesuítas) mereceu aos moradores de São Paulo que recebessem aos padres com afabilidade, lavrando-se termo de transação e amigável composição entre todos, assim se conseguiu em 14 de maio de 1653”. E é Silva Leme quem diz: “É aqui lugar apropriado para darmos uma notícia resumida dessa luta entre seculares e os padres jesuítas, para o que damos em resumo o que a respeito escreveu Azevedo Marques em seus Apontamentos Históricos, intercalando apreciações nossas. Em 1553 vieram de São Vicente aos campos de Piratininga os padres José de Anchieta, Afonso Brás, Vicente Rodrigues, Leonardo Nunes da companhia deJesus e outros e ali deram começo ao colégio de São Paulo que serviu de núcleo à povoação do mesmo nome, Em 1560 passaram para o colégio de São Paulo os outros padres jesuítas de São Vicente e os da extinta vila de Santo André. Para esta nascente povoação afluíram desde o seu início muitos nobres povoadores de São Vicente com suas famílias; assim, neste Título já demos notícia da passagem da família Pires de São Vicente para Santo André e de Santo André para São Paulo, sendo que João Pires (o Gago) foi o 1º juiz ordinário da vila de Santo André e dela se passou a São Paulo com seu filho o capitão Salvador Pires, casado com Maria Rodrigues. A estes seguiram outras famílias nobres na 2ª parte do século 16, tais como as dos Camargos, Lemes, Cunhas Gagos, Prados, Antas Moraes, Alvarengas e outras. Ao chegarem a São Paulo suas vistas se voltaram naturalmente para a cultura das terras, como a fonte mais segura de riqueza. Onde os braços para trabalharem nas grandes culturas, proporcionadas à vastidão das terras de que se viam de posse, por sesmarias? Não havia a procurá-los senão na classe dos vencidos, que eram tratados com desprezo pelos novos povoadores”. João Pires foi casado com Mécia Rodrigues, com quem teve os seguintes filhos: Maria Pires, Mécia Rodrigues, Ana Pires, Catarina Rodrigues, Margarida Rodrigues, Mécia Pires, Tomásia Rodrigues, Maria Pires Rodrigues, Maria Rodrigues, João Pires Rodrigues, Antônio Pires e Jerônimo Pires. Faleceu em 1657 em São Paulo (SP) e foi sepultado, juntamente com sua mulher, na Capela-Mor do Colégio dos Jesuítas em São Paulo (SP).

6645. Mécia Rodrigues.

6646. Lourenço Castanho Taques. V. nº 1580.

6647. Maria de Lara. V. nº 1581.

DÉCIMOS SEGUNDOS AVÓS:

12.288. Brás Tevês (ou Brás Esteves). N. na Ilha da Madeira, Portugal, onde ocorreu seu matrimônio com Leonor Leme, com quem veio para o Brasil, residindo por muitos anos em São Vicente, onde eram proprietários do engenho de açúcar chamado de São Jorge dos Erasmos, com cujos lucros se tornaram abastados. Mudaram-se mais tarde, com seus filhos, para a Vila d São Paulo, onde Brás Tevês se estabeleceu e teve as rédeas do governo. O casal teve os filhos: Pedro Leme, Mateus Leme, Aleixo Leme, Brás Esteves e Lucrécia Leme. Faleceu antes de 1633, provavelmente em São Paulo (SP).

12289. Leonor Leme. Filha de Pedro Leme e de sua segunda mulher Luzia Fernandes. Há um seu depoimento de 7-ABR-1622 no processo de canonização do Padre José de Anchieta, em que informa: a) ter nascido em Óbidos, Portugal, e possuir, na ocasião, mais de 80 anos de idade; b) que conheceu muito bem o Padre Anchieta, tendo assistido à primeira missa do sacerdote em São Vicente, em 1567; c) que o jesuíta era tido como santo por todos e com ele se confessou várias vezes; d) tinha conhecimento de milagres realizados por Anchieta, que tinha o da profecia, tendo previsto a quebra da paz pelos tamoios. Faleceu em São Paulo (SP) com testamento, em 1633, no estado de viúva.

12290. Domingos Dias. N. na Freguesia de Vimeiro (orago: São Miguel), Concelho de Lourinhã, Distrito de Lisboa, Portugal. C. em Portugal, pois já veio para o Brasil casado c. Mariana de Chaves. Aqui chegou logo após a fundação de São Vicente, onde exerceu cargos na respectiva Câmara, inclusive o de almotacel em 1580. Tomou parte, em 1585, na expedição de Jerônimo Leitão a Paranaguá, contra os índios carijós.

12291. Mariana de Chaves. N. em Portugal.

12302. Garcia Rodrigues. N. em Portugal. Casou-se com Isabel Velho. Pais de: Domingos Rodrigues Velho, Maria Rodrigues, Isabel Rodrigues, Isabel Velho, Mécia Rodrigues, Agostinha Rodrigues Velho, Antônio Rodrigues Velho, Garcia Rodrigues Velho, Gabriel Garcia, Jorge Rodrigues e Francisco Rodrigues Velho. Fal. em 1590 em Santo (SP).

12303. Isabel Velho. N. no Porto, Portugal.

12314. Manoel da Luz da Escórcia Drumond. N. na Ilha da Madeira, de onde passou para São Vicente com a mulher, três filhas e um filho. Enviuvando em São Vicente, casou-se pela segunda vez e se recolheu ao Rio de Janeiro (RJ), com seu genro João de Sousa Pereira Botafogo.

12328. ..... de Miranda.

12332. Gonçalo Martins Leite.

12333. Maria da Silva.

12334. João do Prado. N. em Olivença, Alentejo, Portugal. Casou-se em São Vicente (SP) com Felipa Vicente. Pais de: Isabel do Prado, Helena do Prado, Maria do Prado, Felipa Vicente do Prado, João do Prado, Domingos do Prado, Martim do Prado, Pedro do Prado, Ana Maria do Prado, Clara do Prado e Catarina do Prado.

12335. Felipa Vicente. N. em Portugal. Fal. em 1627 em São Vicente (SP).

12336. Francisco Taques Pompeu. V. nº 6320.

12337. Inês Rodrigues. V. nº 6321.

12338. Antônio de Proença. V. nº 6322.

12339. Maria Castanho. V. nº 6323.

12340. Diogo Ordonhez de Lara. N. na Freguesia de Santo Antônio e Santo Estêvão, em Zamora, Espanha.

12342. Pedro de Moraes d’Antas. Após o falecimento de seu pai em 1600, solicitou ao Governador-Geral do Estado, Dom Francisco de Sousa, que lhe fossem guardados e cumpridos os privilégios, honras e liberdades que lhe competiam pelos instrumentos de seu defunto pai, sendo-lhe deferida uma provisão passada pela referida autoridade, reconhecida pelos tabeliães de São Paulo, Santos e São Vicente. C. c. Leonor Pedroso, com quem teve os seguintes filhos: Madalena Fernandes de Moraes, Capitão Pedro de Moraes Madureira, Paulo, Pascoal e Policarpo de Moraes. Pedro de Moraes d Antas também teve dois filhos naturais: Damião de Moraes e Beatriz Rodrigues. Fal. em 1644 em S. Vicente (SP), com testamento.

12343. Leonor Pedroso. N. no Porto, Portugal. Fª de Estêvão Ribeiro Baião Parente e de Madalena Fernandes Feijó de Madureira. Fal. em 14-JUL-1636 em São Paulo (SP), com testamento.

12348. Jerônimo Pedroso. V. nº 3208.

12349. Joana Vaz de Barros. V. nº 3209.

12350. Fernão Dias Paes (ou Fernando Dias Paes). V. nº 3210.

12351. Lucrecia Leme. V. nº 3211.

12372. Estêvão Gil Tourinho. N. em Viana de Lima, Portugal. Filhos com Beatriz Fernandes Maciel: Brás, Maria e Ana Tourinho Maciel, o clérigo Gaspar Tourinho, Manoel Tourinho Maciel e João Maciel.

12373. Beatriz Fernandes Maciel. N. em Viana do Lima, Portugal.
.
12374. Baltazar Nunes. Filhos conhecidos: Gonçalo e Paula Camacho.

12375. ..... Camacho.

12376. Lourenço Luís. N. em Portugal.

12377. Leonor Domingues. N. em Portugal.

12378. Jerônimo Dias Cortes. V. nº 12378.

12379. ..... Camacho. V. nº 12379.

12380. Antônio Vaz Guedes. N. na Freguesia de Mesão Frio, Concelho de Guimarães, Distrito de Braga, Portugal.

12381. Margarida Correia.

12382. Brás Cardoso. N. em Portugal.

12383. Francisca da Costa.

12400. Lourenço Luís. V. nº 12376.

12401. Leonor Domingues. V. nº 12377.

12402. Jerônimo Dias Cortes. V. nº 12378.

12404. Brás Gonçalves. Foi casado, em primeiras núpcias, com Catarina de Burgos, com quem teve os filhos Bartolomeu Gonçalves, Brás Gonçalves, Margarida Gonçalves, André Gonçalves e Gabriel Gonçalves. Faleceu em 1603 no sertão do Brasil.

12405. Catarina de Burgos. Além do casamento com Brás Gonçalves, celebrou matrimônio com João Gomes de Meireles, com quem teve o filho André de Burgos.

12480. Domingos Ferraz. N. em Portugal.

12484. Manoel Fernandes Ribeiro.

12488. Pedro Leme. Filho de Antão Leme. N. em Funchal, Ilha da Madeira, Portugal. Casou-se em primeiras núpcias, em Portugal, com Isabel Paes, com quem teve o filho Fernão Dias Paes. Casou-se posteriormente, na Ilha da Madeira, Portugal, com Luzia Fernandes, tendo o casal tido a filha Leonor Leme. Com a terceira esposa, Gracia Rodrigues de Moura, com quem se casou em São Vicente (SP), teve a filha Antônia Leme.. Fal. em 1600 em São Paulo (SP).

12489. Isabel Paes.

12490. Brás Teves. (ou Brás Esteves). N. na Ilha da Madeira, Portugal, onde ocorreu seu matrimônio com Leonor Leme, com quem veio para o Brasil, residindo por muitos anos em São Vicente, onde eram proprietários do engenho de açúcar chamado de São Jorge dos Erasmos, com cujos lucros se tornaram abastados. Mudaram-se mais tarde, com seus filhos, para a Vila d São Paulo, onde Brás Tevês se estabeleceu e teve as rédeas do governo. O casal teve os filhos: Pedro Leme, Mateus Leme, Aleixo Leme, Brás Esteves e Lucrécia Leme. Faleceu antes de 1633, provavelmente em São Paulo (SP).

12491. Leonor Leme. Há um seu depoimento de 7-ABR-1622 no processo de canonização do Padre José de Anchieta, em que informa: a) ter nascido em Óbidos, Portugal, e possuir, na ocasião, mais de 80 anos de idade; b) que conheceu muito bem o Padre Anchieta, tendo assistido à primeira missa do sacerdote em São Vicente, em 1567; c) que o jesuíta era tido como santo por todos e com ele se confessou várias vezes; d) tinha conhecimento de milagres realizados por Anchieta, que tinha o da profecia, tendo previsto a quebra da paz pelos tamoios. Faleceu em São Paulo (SP) com testamento, em 1633, no estado de viúva.

12492. Gonçalo Martins Leite. V. nº 12332.

12493. Maria da Silva. V. nº 12333.

12494. João do Prado. V. nº 12334.

12495. Felipa Vicente. V. nº 12335.

12496. Nuno Gonçalves Botelho. V. nº 6272.

12497. Isabel de Macedo. V. nº 6273.

12500. Gaspar do Rego. V. nº 6276.

12501. Margarida Coutinho. V. nº 6277.

12502. Sebastião de Arruda. V. nº 6278.

12510. Antônio Bicudo Carneiro. V. nº 6286.

12511. Isabel Rodrigues. V. nº 6287.

12520. Jerônimo Botelho de Macedo. V. nº 3136.

12521. Guiomar Faleira Cabral. V. nº 3137.

12522. Francisco do Rego Cabral. V. nº 3138.

12523. Ana de Macedo. V. nº 3139.

12542. Antônio Bicudo Carneiro. V. nº 6286.

12543. Isabel Rodrigues. V. nº 6287.

12544. Jorge Nunes Botelho.

12545. Margarida de Travassos Cabral.

12546. Fernão de Macedo. Irmão do Capitão Donatário da Ilha do Faial, Jobst van Heurter, nome corrompido pela pronúncia portuguesa para Jorge d’Ultra.

12547. Ana Gomes.

12552. João do Rego.

12553. ..... Beliago.

12554. Manoel Nunes Botelho.

12556. Francisco de Arruda Costa. Conforme Gaspar Frutuoso, foi “homem de grande espírito, prudência, discrição e liberalidades, e lhe dava o caráter de pai da pátria: teve o foro de fidalgo da casa real e foi cavaleiro professo da ordem de Cristo, e que fora capitão-mor do socorro que levou da ilha de S. Miguel para a de Santa Maria no ano de 1576 com 200 homens de armas, sustentados à sua custa todo o tempo que se demorou com este socorro na ilha de Santa Maria, a favor do donatário dela – o Capitão Pedro Soares de Sousa, e que neste socorro levara consigo a seu genro João de Melo, mui nobre fidalgo, aquele que fora por parte da cidade de Ponta Delgada dar obediência a el-rei dom Felipe, o qual lhe mandou lançar o hábito da ordem de Cristo”.

12557. Francisca de Viveiros e Sousa.

12564. João Ribeiro.

12570. Salvador Pires. Paulista, figurou nas primeiras expedições contra o gentio hostil à vila nascente (São Paulo, SP), na segunda metade do Século XVI. Foi pessoa importante no governo da Vila de São Paulo, tendo exercido as funções de Procurador do Conselho em 1563 e Juiz Ordinário em 1573. Teve grandes lavouras, mantidas com a utilização de muitos trabalhadores, geralmente índios catequizados. Sua fazenda de cultura tinha uma légua de terras. Conforme Ata de 26-JUN-1563 do Conselho Municipal de São Paulo, de que era Procurador, proibiu aos moradores da vila o transporte de índios ou pessoas para outras localidades, mar ou sertão, para evitar a redução do número de habitantes do lugar e, conseqüentemente, uma maior vulnerabilidade diante do perigo de ataques de índios hostis. Sua primeira esposa tinha o sobrenome "Brito". Em segundas núpcias, foi casado com Mécia Fernandes, conhecida por Mécia-Açu. Filhos: Beatriz, Diogo, Amador e Domingos Pires (do primeiro casamento) e Maria Pires, Catarina de Medeiros, Ana Pires, Isabel Fernandes, Salvador Pires de Medeiros, João Pires, Custódia Fernandes e Antônio Pires (do segundo matrimônio). Faleceu em 1592 em São Paulo (SP).
..... Brito.

12571. ..... de Brito.

12574. Garcia Rodrigues. V. nº 12302.

12575. Isabel Velho. V. nº 12303.

12588. João Pires Cubas.

12589. Isabel Nunes.

12594. Garcia Rodrigues. V. nº 12302.

12595. Isabel Velho. V. nº 12303.

12596. Salvador Pires. V. nº 12570.

12597. ..... de Brito. V. nº 12571.

12600. Baltazar de Alvarenga. Com Mécia Monteiro teve os filhos Antônio Rodrigues de Alvarenga e Manoel Monteiro.

12601. Mécia Monteiro.

12602. Estêvão Ribeiro Baião Parente. V. nº 6282.

12603. Madalena Fernandes Feijó de Madureira. V. nº 6283.

12604. Brás Teves. V. nº 12490.

12605. Leonor Leme. V. nº 12491.

12606. Domingos Dias. V. nº 12290.

12607. Mariana de Chaves. V. nº 12291.

12692. Baltazar de Alvarenga. V. nº 12600.

12693. Mécia Monteiro. V. nº 12601.

12694. Estêvão Ribeiro Baião Parente. V. nº 6282.

12695. Madalena Fernandes Feijó de Madureira. V. nº 6283.

12696. Pedro de Moraes. N. e C. em Portugal. Com Inês Navarro teve os filhos Baltazar de Moraes de Antas, Gaspar de Moraes e Belquior de Moraes de Antas.

12697. Inês Navarro de Antas. N. em Portugal.
.
12698. Joane Anes Sobrinho. N. em Portugal. Segundo Silva Leme, era de conhecida nobreza em Portugal. Casou-se duas vezes, sendo as segundas núpcias c. Isabel Duarte. Veio de Portugal acompanhado de três filhas, que aqui bem casaram. Fal. em S. Paulo (SP).

12699. Isabel Duarte.

12702. Garcia Rodrigues. V. nº 12302.

12703. Isabel Velho. V. nº 12303.

12706. Pedro Martins Fernandes (ou Marcos Fernandes).

12707. Maria Afonso.

12708. Simão Jorge.

12709. Agostinha Rodrigues.

12710. Antônio Nunes de Siqueira.

12711. Maria Maciel.

12720. Pedro Leme. V. nº 12488.

12721. Isabel Paes. V. nº 12489.

12722. Brás Teves (ou Brás Esteves). V. nº 12490.

12723. Leonor Leme. V. nº 12491.

12724. Gonçalo Martins Leite. V. nº 12332.

12725. Maria da Silva. V. nº 12333.

12726. João do Prado. V. nº 12334.

12727. Felipa Vicente. V. nº 12335.

12728. Domingos Gonçalves Maia. V. nº 6350.

12729. Mécia Rodrigues. V. nº 6351.

12730. Domingos Dias. V. nº 12290.

12731. Mariana de Chaves. V. nº 12291.

12734. Manoel Fernandes Ramos. V. nº 6460.

12735. Susana Dias. V. nº 6461.

12886. André Fernandes. V. nº 6484.

12887. Maria Paes. V. nº 6485.

12894. Gaspar Fernandes. Português, veio de Portugal para o Brasil por volta de 1560, já casado c. Domingas Antunes. Andou traficando índios que trazia do Paraguai. Foi Escrivão do Campo de 1584 a 1587. Em 1590 tomou parte na bandeira do Capitão-Mor Jerônimo Leitão contra os tupiniquins do Rio Tietê. Foi Procurador do Conselho em 1591 e Vereador em 1595. Fal. na Fazenda de Emboaçava, em São Paulo (SP), de sua propriedade, com testamento escrito em 13-MAR-1600. C. c. Domingas Antunes, com quem teve os seguintes filhos: Manoel Antunes, Sebastião Fernandes Preto, Inocêncio Fernandes Preto, Gaspar Fernandes, Custódio Fernandes, Maria Lucas e Isabel Antunes.

12895. Domingas Antunes. Fal. em 1624 em S. Paulo (SP).
.
12896. Domingos Ferraz. V. nº 12480.

12900. Manoel Fernandes Ribeiro. V. nº 12484.

12904. Pedro Leme. V. nº 12488.

12905. Isabel Paes. V. nº 12489.

12906. Brás Teves. V. nº 12490.

12907. Leonor Leme. V. nº 12491.

12908. Gonçalo Martins Leite. V. nº 12332.

12909. Maria da Silva. V. nº 12333.

12910. João do Prado. V. nº 12334.

12911. Felipa Vicente. V. nº 12335.

12916. Manoel Fernandes Ramos. V. nº 6460.

12917. Susana Dias. V. nº 6461.

12918. Bartolomeu de Torales.

12919. Violante de Zunega.

12922. Lopo Dias.

12923. Beatriz Dias.

12926. Paulo de Proença Varela. V. nº 3146.

12927. Isabel Cubas. V. nº 3147.

12928. Luís Dias de Camargo.

12929. Beatriz de la Pena.

12932. Lourenço Luís. V. nº 12376.

12933. Leonor Domingues. V. nº 12377.

12934. Jerônimo Dias Cortes. V. nº 12378.

12935. ..... Camacho. V. nº 12379.

12940. Brás Teves (ou Brás Esteves). V. nº 12490.

12941. Leonor Leme. V. nº 12491.

12942. João do Prado. V. nº 12334.

12943. Felipa Vicente. V. nº 12335.

12990. Antônio Nunes. V. nº 3092.

12991. Maria Maciel. V. nº 3093.

13168. Antônio Vaz Guedes. V. nº 12380.

13169. Margarida Correia. V. nº 12381.

13170. Brás Cardoso. V. nº 12382.

13171. Francisca da Costa. V. nº 12383.

13172. Domingos Luís. V. nº 6188.

13173. Ana Camacho. V. nº 6189.

13174. Mateus Leme. V. nº 6144.

13175. Antônia de Chaves. V. nº 6145.

13180. Vicente Gonçalves.

13182. Mateus Neto.

13183. Jerônima de Mendonça.

13196. Gonçalo Martins Leite. V. nº 12332.

13197. Maria da Silva. V. nº 12333.

13198. João do Prado. V. nº 12334.

13199. Felipa Vicente. V. nº 12335.

13200. Jerônimo Pedroso. V. nº 3208.

13201. Joana Vaz de Barros. V. nº 3209.

13202. Fernão Dias Paes. V. nº 3210.

13203. Lucrecia Leme. V. nº 3211.

13204. Salvador Pires. V. nº 12570.

13205. Mécia Fernandes.

13206. Antônio Rodrigues de Alvarenga. V. nº 6300.

13207. Ana Ribeiro. V. nº 6301.

13212. Fernão Dias Paes. V. nº 3210.

13213. Lucrecia Leme. V. nº 3211.

13214. Pascoal Leite Furtado. V. nº 6166.

13215. Isabel do Prado. V. nº 6167.

13216. Domingos Ferraz. V. nº 12480.

13220. Manoel Fernandes Ribeiro. V. nº 12484.

13224. Pedro Leme. V. nº 12488.

13225. Isabel Paes. V. nº 12489.

13226. Brás Teves. V. nº 12490.

13227. Leonor Leme. V. nº 12491.

13228. Gonçalo Martins Leite. V. nº 12332.

13229. Maria da Silva. V. nº 12333.

13230. João do Prado. V. nº 12334.

13231. Felipa Vicente. V. nº 12335.

13232. Nuno Gonçalves Botelho. V. nº 6272.

13233. Isabel de Macedo. V. nº 6273.

13236. Gaspar do Rego. V. nº 6276.

13237. Margarida Coutinho. V. nº 6277.

13238. Sebastião de Arruda. V. nº 6278.

13246. Antônio Bicudo Carneiro. V. nº 6286.

13247. Isabel Rodrigues. V. nº 6287.

13250. Antônio Raposo.

13251. Antolina Requeixo de Peralta.

13258. Paulo de Proença. V. nº 3146.

13259. Isabel Cubas. V. nº 3147.

13260. Fernando Dias Paes. V. nº 3210.

13261. Lucrécia Leme. V. nº 3211.

13262. Pascoal Leite Furtado. V. nº 6166.

13263. Isabel do Prado. V. nº 6167.


DÉCIMOS TERCEIROS AVÓS:

24578. Pedro Leme. Filho de Antão Leme. V. nº 12488.

24579. Luzia Fernandes. N. em Portugal. Fal. por volta de 1560 em São Vicente (SP).

24582. Francisco de Chaves.

24583. ..... Fernandes. Filha de Cosme Fernandes e de uma indígena.

24664. Jorge Furtado de Sousa. Fidalgo da Casa Real. Descendente dos Furtados, Correias e Sousas da Ilha da Madeira. Filho de Rui Martins Furtado e de Maria Martins.

24665. Catarina Nunes Velho. Filha de Fernão Vaz Pacheco. Pentaneta de Álvaro Gil Cabral (trisavô de Pedro Álvares Cabral, o descobridor do Brasil, com cinzas guardadas na Paróquia de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, no Rio de Janeiro (RJ).

24670. Pedro Vicente. N. em Portugal.

24671. Maria de Faria. N. em Portugal.

24678. Antônio Rodrigues de Almeida. N. em Montemor, o Novo, Portugal. Veio para o Brasil (São Vicente) pelos anos de 1547. Tinha foro de cavaleiro fidalgo da casa do Rei Dom João III. Em São Vicente prestou, durante 13 anos, muitos serviços ao donatário da capitania, ao rei e a Deus, achando-se em todos assaltos e guerras contra os tamoios. Em 1556, recebeu de Martim Afonso de Sousa a propriedade dos ofícios de escrivão da ouvidoria e das datas de sesmarias.Em 1557, foi Capitão-Mor Ouvidor da Capitania de Santo Amaro, conforme instrumento público lavrado em Lisboa pelo tabelião Antônio do Amaral. Recebeu três sesmarias: a primeira em 1560, em São Paulo, a segunda em 1565, no Rio de Janeiro, e a terceira compreendendo as águas de Cubatão, na Vila de Santos (SP). Fal. em São Paulo (SP). Casou-se com Maria Castanho antes de 1530. Pais de: Catarina de Almeida, Maria Castanho e o Padre André de Almeida.

24679. Maria Castanho. N. em Montemor, o Novo, Portugal.

24684. Baltazar de Moraes de Antas. Filho de Pedro de Moraes e de Inês Navarro de Antas. V. nº 6348.

24685. Brites Rodrigues Anes. Filha de Joane Anes Sobrinho e Isabel Duarte. V. nº 6349.

24686. Estêvão Ribeiro Baião Parente. Filho de João Ribeiro. V. nº 6282.

24687. Madalena Fernandes Feijó de Madureira. V. nº 6283.

24700. Pedro Leme. Filho de Antão Leme. V. nº 12488.

24701. Isabel Paes. Filha de Fernando Dias Paes. V. nº 12489.

24702. Brás Teves. V. nº 12490.

24703. Leonor Leme. Filha de Pedro Leme e Luzia Fernandes. V. nº 12491.

24744. Gil Pires Tourinho.

24745. Branca Quezado. Filha de João Quezado e Maria Gomes Madriz.

24746. João Pires de Darque. 28810- João Pires de Darque.

24747. Maria Anes Maciel. Fª de Bartolomeu Gonçalves Maciel e de Simoa Pires de Faria.

24758. Bartolomeu Camacho.

24759. Catarina Ramalho. Filha de João Ramalho e da indígena Isabel Dias (filha de Tibiriçá).

24806. Bartolomeu Camacho. V. nº 24758.

24807. Catarina Ramalho. V. nº 24759.

24808. Brás Gonçalves.

24809. Margarida Fernandes. Filha do cacique da aldeia de Virapueiras.

24810. André de Burgos.

24811. Maria Rodrigues.

24976. Antão Leme. Filho de Antônio Leme e de Catarina de Barros. V. nº 3072.

24978. Fernando Dias Paes.

24982. Pedro Leme. V. nº 12488.

24983. Luzia Fernandes. V. nº 24579.

24984. Jorge Furtado de Sousa. Filho dd Rui Martins Furtado e de Maria Martins. V. nº 24664.

24985. Catarina Nunes Velho. Filha de Fernão Vaz Pacheco. V. nº 24665.

24990. Pedro Vicente. V. nº 24670.

24991. Maria de Faria. V. nº 24671.

24992. Jorge Nunes Botelho. Filho de Nuno Gonçalves de Botelho e Catarina Rodrigues. V. nº 12544.

24993. Margarida de Travassos Cabral. Filha de Gonçalo Velho e Catarina Alves de Benavidas. V. nº 12545.

24994. Fernão de Macedo. Filho de ...... van Heurter. V. nº 12546.

24995. Ana Gomes. Filha de Gonçalo Vaz Botelho e ..... Cordeiro. V. nº 12547.

25000. João do Rego. Filho de Gaspar do Rego e Maria Baldaia. V. nº 12552.

25001. ..... Beliago. V. nº 12553.

25002. Manoel Nunes Botelho. Filho de Diogo Botelho. V. nº 12554.

25004. Francisco de Arruda Costa. Filho de João de Arruda Costa e de Catarina Favila.

25005. Francisca de Viveiros e Sousa.

25022. Garcia Rodrigues. V. nº 12302.

25023. Isabel Velho. V. nº 12303.

25040. Nuno Gonçalves Botelho. Filho de Jorge Nunes Botelho e de Margarida de Travassos Cabral. V. nº 6272.

25041. Isabel de Macedo. Filha Fernão de Macedo e Ana Gomes. V. nº 6273.

25044. Gaspar do Rego. Filho de João do Rego e ..... Beliago. V. nº 6276.

25045. Margarida Coutinho. Filha de Manoel Nunes Botelho. V. nº 6277.

25046. Sebastião de Arruda. Filho de Francisco da Arruda Costa e Francisca de Viveiros e Sousa.

25086. Garcia Rodrigues. V. nº 12302.

25087. Isabel Velho. V. nº 12303.

25088. Nuno Gonçalves Botelho. Filho de Gonçalo Vaz Botelho.

25089. Catarina Rodrigues.

25090. Gonçalo Velho. Filho de Pedro Velho Cabral e Catarina Afonso.

25092. ..... van Heurter.

25094. Gonçalo Vaz Botelho. Chamado de “O Andarilho”. Filho de Gonçalo Vaz Botelho, que, com sua mulher e filhos, foi povoar a Ilha de São Miguel pelos anos de 1445 a 1450, segundo Gaspar Frutuoso em seu livro “Saudades da Terra”. Filhos conhecidos: Ana Gomes, Guiomar Gonçalves Botelho e João Gonçalves Botelho.

25104. Gaspar do Rego.

25105. Maria Baldaia.

25108. Diogo Botelho. Filho de Nuno Gonçalves Botelho e Catarina Rodrigues.

25112. João de Arruda Costa. Filho de João Gonçalves Botelho.

25113. Catarina Favila. N. na Ilha da Madeira, Portugal. Irmã de Margarida Mendes. Filhas de João Favila ( ou João Favela) e Beatriz Coelho.

25140. Salvador Pires. Filho de João Pires.

25141. Maria Rodrigues. Filha de Garcia Rodrigues e Isabel Velho.

25178. Nuno Rodrigues.

25192. Salvador Pires. V. nº 25140.

25193. Maria Rodrigues. V. nº 25141.

25204. João Ribeiro. V. nº 12564.

25210. Pedro Leme. Filho de Antão Leme. V. nº 12488.

25211. Luzia Fernandes. V. nº 24579.

25214. Francisco Chaves.

25215. ..... Fernandes. Filha de Cosme Fernandes e uma indígena.

25388. João Ribeiro. V. nº 12564.

25392. Vasco Rodrigues de Moraes d’Antas. Filho de Afonso Mendes de Moraes de Antas e Aldonça Gonçalves de Moraes.

25393. Micaela de Albuquerque Vimieiro.

25394. Baltazar Mendes.

25395. Leonor Mendes de Moraes. Filha de Estêvão Mendes de Moraes de Antas e Maria de Madureira).

25418. Garcia Rodrigues. V. nº 12302.

25419. Isabel Velho. V. nº 12303.

25440. Antão Leme. Filho de Antônio Leme e Catarina de Barros. V. nº 3072.

25442. Francisco Dias Paes.

25446. Pedro Leme. Filho de Antão Leme. V. nº 12488.

25447. Luzia Fernandes. V. nº 24579.

25448. Jorge Furtado de Sousa. V. nº 24664.

25449. Catarina Nunes Velho. V. nº 24665.

25454. Pedro Vicente. V. nº 24670.

25455. Maria de Faria. V. nº 24671.

25458. Garcia Rodrigues. V. nº 12302.

25459. Isabel Velho. V. nº 12303.

25462. Francisco de Chaves. V. nº 24582.

25463. ..... Fernandes. V. nº 24583.

25470. Lopo Dias.

25471. Beatriz Dias. Filha de Tibiriçá.

25790. Antônio Preto.

25808. Antão Leme. V. nº 3072.

25810. Fernando Dias Paes. V. nº 24978.

25814. Pedro Leme. V. nº 12488.

25815. Luzia Fernandes. V. nº 24579.

25816. Jorge Furtado de Sousa. V. nº 24664.

25817. Catarina Nunes Velho. V. nº 24665.

25822. Pedro Vicente. V. nº 24670.

25823. Maria de Faria. V. nº 24671.

25834. Lopo Dias.

25835. Beatriz Dias. Filha de Martim Afonso Tibiriçá.

25846. Martim Afonso Tibiriçá.

25852. Paulo de Proença. V. nº 3146.

25853. Isabel Cubas. Filha de Brás Cubas. V. nº 3147.

25870. Bartolomeu Camacho.

25871. Catarina Ramalho.

25882. Pedro Leme. V. nº 12488.

25883. Luzia Fernandes. V. nº 24579.

25886. Pedro Vicente. V. nº 24670.

25887. Maria de Faria. V. nº 24671.

25980. Manoel de Siqueira. Filho de Antônio de Siqueira e Vitória Nunes Pinto.

25981. Mécia Nunes de Siqueira. Filha de Baltazar Nunes e ..... Camacho.

25982. João Maciel. Filho de Estêvão Gil Tourinho e Beatriz Fernandes Maciel.

26344. Lourenço Luís. V. nº 12376.

26345. Leonor Domingues. V. nº 12377.

26346. Jerônimo Dias Cortes. V. nº 12378.

26347. ..... Camacho. V. nº 12379.

26348. Brás Tevês.

26349. Leonor Leme.

26350. Domingos Dias. V. nº 12290.

26351. Mariana de Chaves. V. nº 12291.

26364. Álvaro Neto.

26365. Mécia da Pena.

26366. Antõnio Bicudo Carneiro.

26367. Isabel Rodrigues.

26392. Jorge Furtado de Sousa.

26393. Catarina Nunes Velho.

26398. Pedro Vicente. V. nº 24670.

26399. Maria de Faria. V. nº 24671.

26404. Pedro Leme. V. nº 12488.

26405. Isabel Paes. V. nº 12489.

26406. Brás Teves. V. nº 12490.

26407. Leonor Leme. V. nº 12491.

26408. Salvador Pires.

26409. Maria Rodrigues.

26410. Antônio Fernandes. Filho de Pascoal Fernandes.

26411. Antônia Rodrigues. Filha de Antônio Rodrigues e Antônia Rodrigues.

26412. Baltazar de Alvarenga. V. nº 12600.

26413. Mécia Monteiro. V. nº 12601.

26414. Estevão Ribeiro Baião Parente.

26415. Madalena Fernandes Feijó de Madureira.

26424. Pedro Leme. V. nº 12488.

26425. Isabel Paes. V. nº 12489.

26426. Brás Teves. V. nº 12490.

26427. Leonor Leme. V. nº 12491;

26428. Gonçalo Martins Leite. V. nº 12332.

26429. Maria da Silva. V. nº 12333.

26430. João do Prado. V. nº 12334.

26431. Felipa Vicente. V. nº 12335.

26448. Antão Leme. V. nº 3072.

26450. Fernando Dias Paes. V. nº 24978.

26454. Pedro Leme. V. nº 12488.

26455. Luzia Fernandes. V. nº 24579.

26456. Jorge Furtado de Sousa.

26457. Catarina Nunes Velho.

26462. Pedro Vicente. V. nº 24670.

26463. Maria de Faria. V. nº 24671.

26464. Jorge Nunes Botelho. V. nº 12544.

26465. Margarida de Travassos Cabral. V. nº 12545.

26466. Fernão de Macedo. V. nº 12546.

26467. Ana Gomes. V. nº 12547.

26472. João do Rego. V. nº 12552.

26473. ..... Beliago. V. nº 12553.

26474. Manoel Nunes Botelho. V. nº 12554.

26476. Francisco de Arruda Costa.

26477. Francisca de Viveiros e Sousa.

26494. Garcia Rodrigues. V. nº 12302.

26495. Isabel Velho. V; mº 12303.

26518. Brás Cubas. Filho de João Pires Cubas e de Isabel Nunes. V. nº 6294.

26520. Pedro Leme. V. nº 12488.

6521. Isabel Paes. V. nº 12489.

26522. Brás Teves (ou Brás Esteves). V. nº 12490.

26523. Leonor Leme. Filha de Pedro Leme e de sua segunda mulher Luzia Fernandes. V. nº 12491.

26524. Gonçalo Martins Leite. V. nº 12332.

26525. Maria da Silva. V. nº 12333.

26526. João do Prado. V. nº 12334.

26527. Felipa Vicente. V. nº 12335.

FONTES:

Antônio Carlos Jobim – Um Homem Iluminado. Helena Jobim
Apontamentos de Diego de Leão Pufal e de João Simões Lopes Filho.
Brasil Genealógico. Revista do Colégio Brasileiro de Genealogia. Tomo I.
Dicionário das Famílias Brasileiras. Antônio Henrique da Cunha Bueno e Carlos Eduardo de Almeida Barata.
Dicionário de Bandeirantes e Sertanistas do Brasil. Francisco de Assis Carvalho Franco.
Encontro com os Ancestrais. Pedro Wilson Carrano Albuquerque.
Família de um Povoador, de Paulo Xavier.
Genealogia Paulistana. Silva Leme.
História da Música Popular Brasileira. Tom Jobim. Abril Cultural.
Nobiliário Sul-Riograndense. Mário Teixeira de Carvalho.
Nobiliarquia Paulistana Histórica e Genealógica. Pedro Taques de Almeida Paes Leme.
O Bandeirismo, de Elis Júnior.
Universo – A Grande Enciclopédia para Todos. Vol. VI. Editora Três.

Comentarios

Inclua  seu comentário                               

                                            

Nome:                               Mail:

 

                                              

CAPTCHA Image          

 




De sua nota para este Texto             
Currículo do Autor Exibido: Contador disponível só para assinantes - Assine Aqui
 
Receba um aviso sempre que este autor publicar novos textos, clique aqui
Patrocine esse Autor Patrocine esse Texto envie este texto para um amigoveja outros textos deste autor





VITRINA DE E-BOOKS
OS PROBLEMAS DO PAÍS E A FALTA DE ATITUDE DOS POLÍTICOS
Nilza Paiva
SESMARIA DE OUTONO
José Ernesto Kappel
O SEQUESTRO DO DEPUTADO
Djalma Ferreira
VITRINA DE LIVROS IMPRESSOS
HISTÓRIAS QUE CONTAVA PARA O MEU NETO
Maria Hilda de J. Alão
FUTEBOL TAMBÉM É COISA DE MULHER
Maria Teresa Innecco Corrêas
Dona Joaquina do Pompéu-Sua História e a sua Gente
Deusdedit P.R. Campos
BACABA II - TODA A VERDADE SOBRE A GUERRILHA DO ARAGUAIA E A REVOLUÇÃO DE 1964
José Vargas Jiménez
Estação Jugular - Uma estrada para Van Gogh
Allan Pitz
Estação Poética - Jandira Costa
Ana Carolin
Lina e Lero e o Castelo Mágico - Lina et Lero et le Château Magique
Ana Carolina Vieira
Kôra: o pressentimento do dragão
Ana Flávia Abreu
Humor Vermelho - vol. 2
org. por Barbara Cassará
Humor Vermelho - vol. 1
Isabella Saes
Ninguém quer comer meu ovo
Chef Batato (Barbara Cassará, Tatiana Berlim e Tomaz Adour)
VERTIGEM LUNAR
Fernando Pellisoli
A Última Entrevista de José Saramago
José Rodrigues dos Santos
Seu Adolpho
Felipe Pena
O Melhor da Pior Parte
JBruno Graciano
Contente em Ler - Cineastas – Volume I
Varios Cineastas
Divulgue seu livro