Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
40 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56716 )
Cartas ( 21159)
Contos (12581)
Cordel (10002)
Crônicas (22134)
Discursos (3130)
Ensaios - (8934)
Erótico (13377)
Frases (43184)
Humor (18330)
Infantil (3739)
Infanto Juvenil (2592)
Letras de Música (5463)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137942)
Redação (2915)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2386)
Textos Jurídicos (1922)
Textos Religiosos/Sermões (4715)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Levantamento Sistemático da Produção Agrícola -- 07/11/2008 - 10:40 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Levantamento Sistemático da Produção Agrícola – Fonte IBGE

Ricardo Bergamini - Prof. de Economia

Base: primeiro prognóstico para 2009

Em 2009, safra de grãos poderá cair 3,3%

O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico de área e produção para a safra de 2009, nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste e nos estados de Rondônia, Maranhão, Piauí e Bahia. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas1para 2009 é estimada em 140,8 milhões de toneladas2, 3,3% menor que a obtida em 2008. Para a estimativa da produção nacional 2009, os valores levantados nas regiões e estados onde a pesquisa foi realizada foram somados às projeções obtidas a partir das informações dos anos anteriores para as Unidades da Federação, que por força do calendário agrícola, ainda não dispõem das primeiras estimativas. As informações da pesquisa do prognóstico representam 77,3% da produção nacional prevista, enquanto as projeções realizadas respondem por 22,7% do valor total.Nesta primeira estimativa, de uma maneira geral, as condições climáticas estão dentro da normalidade. Entretanto, salientamos que o cenário atual não é definitivo em face das incertezas geradas pela crise mundial na economia, agravada pela restrição ao crédito e pela alta significativa nos preços dos insumos, principalmente fertilizantes, o que poderá redundar numa implantação de safra com menor utilização de tecnologia.

Primeiro prognóstico da safra 2009 mostra crescimento de 1,2% na área a ser colhida

A avaliação inicial da área a ser colhida em 2009, de cereais, leguminosas e oleaginosas, é de 47,8 milhões de hectares, superior em 1,2% à área colhida em 2008, que foi de 47,2 milhões de hectares. Em termos absolutos, esse incremento totaliza 600 mil hectares. Já quando considerados apenas os dez produtos investigados a área é de 39,6 milhões de ha. Dentre os dez produtos investigados, sete apresentam variação positiva em relação à área colhida em 2008: arroz em casca (0,2%), cebola (2,2%), feijão em grão 1ª safra (13,0%), fumo em folha (2,7%), mandioca (0,5%), milho em grão 1ª safra (0,4%) e soja em grão (0,6%). Com variação negativa, algodão herbáceo em caroço (- 9,5%), amendoim em casca 1ª safra (- 0,9%), batata inglesa 1ª safra (- 2,0%).

Com relação às produções esperadas, apresentam variação positiva os seguintes produtos: arroz em casca (1,9%), cebola (7,5%), feijão em grão 1ª safra (17,5%), fumo em folha (4,5%). Com variação negativa: algodão herbáceo em caroço (- 10,7%), amendoim em casca 1ª safra (- 5,3%), batata- inglesa 1ª safra (- 2,6%), mandioca (- 0,1%), milho 1ª safra (- 6,0%) e soja em grão (- 0,2%).


ALGODÃO (em caroço)

O primeiro prognóstico da produção de algodão em caroço para 2009 é da ordem de 3,6 milhões de toneladas, contra 4,0 milhões de toneladas obtidas em 2008, indicando uma redução de 10,7%. Este decréscimo de produção se deve, basicamente, à retração da área cultivada como conseqüência do desestímulo dos produtores em cultivarem o produto em face dos altos preços dos insumos e da queda das cotações da pluma. Todas as Unidades da Federação registraram quedas sendo que o Mato Grosso, principal produtor (51,9% da produção nacional) registrou diminuições de 11,8% na área a ser colhida e de 11,1% na produção esperada.


ARROZ (em casca)

Nesta primeira avaliação nacional para 2009, a produção do arroz esperada em 2009 é de 12,3 milhões de toneladas, superior em 1,9% àquela obtida em 2008. Este acréscimo se deve, notadamente ao Rio Grande do Sul, principal produtor, que mostra um incremento de 3,0% na produção esperada e 1,6% na área. Destaca-se, ainda, que o Mato Grosso, principal estado produtor deste cereal no Centro-Oeste, informa uma retração na área cultivada (2,8%), como resultado da preferência dos produtores pelo plantio da soja, que tem maior liquidez, bem como pela redução do desmatamento e a maior fiscalização por parte dos órgãos ambientais.


FEIJÃO (em grão) 1ª safra

O primeiro prognóstico para a safra nacional de feijão das águas para 2009 aponta para a produção esperada de 1,9 milhão de toneladas, superando em 17,5% a produção alcançada em 2008, quando foi colhido um volume de 1,6 milhão de toneladas. Esse fato reflete a expansão de 13,0% da área a ser colhida frente à do ano passado, quando a cultura sofreu prejuízos devido a problemas climáticos e aos preços, que por ocasião da implantação da safra, não estavam em patamares elevados como se encontram atualmente no mercado.


MILHO (em grão) 1ª safra

Para o milho 1ª safra, espera-se uma produção de 37,6 milhões de toneladas, inferior em 6,0% à observada em 2008, devido à retração na área total plantada (- 1,8%) como também, da menor expectativa de rendimento (- 6,4%). Contribuíram para esse quadro os elevados custos de produção e a baixa cotação que o produto vem apresentado em face dos volumes existentes estocados decorrentes da não concretização das exportações previstas.


SOJA (em grão)

O prognóstico inicial de soja, para 2009, de 59,8 milhões de toneladas, indica inexpressiva variação negativa de 0,2% em comparação ao volume obtido em 2008. A área a ser colhida mostra um acréscimo de 0,6%, enquanto o rendimento esperado apresenta um decréscimo de 0,8%, sendo respectivamente, 21,4 milhões de hectares e 2.794 kg/ha.

Em 2008, safra de grãos deverá crescer 9,4%

Em outubro, a estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas indica uma produção da ordem de 145,6 milhões de toneladas, superior em 9,4% à obtida em 2007 (133,1 milhões de toneladas). Esse volume é 319.075 toneladas superior ao previsto em setembro. Este acréscimo (0,2%) decorreu, principalmente, de reavaliações nos dados do milho 2ª safra e das culturas de inverno, principalmente o trigo. Em relação à área a ser colhida, o aumento foi de 4,2% em relação a 2007, totalizando 47,2 milhões de hectares. Dentre as culturas investigadas que ocuparam as maiores áreas em 2008, destacam-se a soja (21,3 milhões de hectares), milho (14,4 milhões de hectares) e arroz (2,9 milhões de hectares). O somatório das safras destes três produtos representa 89,8% da produção nacional estimada de grãos.

Em termos absolutos, regionalmente, a estimativa de produção de cereais, leguminosas e oleaginosas está assim distribuída: região Sul (61,1 milhões de toneladas); Centro-Oeste (50,7 milhões de toneladas); Sudeste (17,5 milhões de toneladas); Nordeste (12,5 milhões de toneladas) e Norte (3,8 milhões de toneladas).

Produção Agrícola 2008 – estimativa de outubro em relação à safra 2007

Dentre os vinte cinco produtos analisados, dezoito apresentam variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: amendoim em casca 1ª safra (38,8%), arroz em casca (9,2%), aveia em grão (15,2%), batata-inglesa 1ª safra (0,2%), batata-inglesa 2ª safra (24,3%), batata-inglesa 3ª safra (4,7%), cacau em amêndoa (3,2%), café em grão (28,3%), cana-de-açúcar (17,4%), feijão em grão 2ª safra (34,9%), feijão em grão 3ª safra (5,1%), laranja (0,3%), mamona em baga (38,8%), milho em grão 1ª safra (10,6%), milho em grão 2ª safra (19,5%), soja em grão (3,4%), sorgo em grão (39,9%) e trigo em grão (41,3%). Com variação negativa: algodão herbáceo em caroço (2,3%), amendoim em casca 2ª safra (5,9%), cebola (1,3%), cevada em grão (3,7%), feijão em grão 1ª safra (8,7%), mandioca (1,0%) e triticale em grão (11,0%).

Com a revisão das estimativas, a produção nacional de cana-de-açúcar totaliza 643.652.312 toneladas, o que representa um aumento de 17,4 % frente a 2007. A expansão da área em 15,2%, reflexo dos novos projetos que estão sendo implantados no país para atender a demanda de álcool, é a principal responsável pelo aumento da produção. Aliado a isso, a produtividade também vem mostrando ganhos nos últimos anos com a introdução de novas variedades e novas tecnologias.

Com a restrição de crédito no mercado, sobretudo devido à turbulência financeira internacional, algumas usinas do setor sucroalcooleiro estão considerando rever seus investimentos, para a próxima safra, além disso, buscam junto ao governo medidas de apoio à cadeia.

De acordo com o mais recente levantamento de São Paulo, responsável por 60,2% da produção brasileira (387,5 milhões de toneladas), o Estado registra um incremento de 18,3% na produção em relação a 2007. O Estado deve destinar uma grande quantidade de cana para a produção de álcool, com o objetivo de suprir demanda pelo combustível de outros países e abastecer o mercado interno, que vem aumentando a cada ano a frota nacional de veículos biocombustíveis.

Com relação ao café, a produção total do país deve apresentar crescimento de 28,3% em relação a 2007. O rendimento médio nacional deve subir 27,6%, o que evidencia a bianualidade do café em seu ciclo de alta, e a área colhida ou a ser colhida deve chegar ao final da colheita com acréscimo de 0,5%. Destaca-se o estado de Minas Gerais, 1º produtor nacional, com 45,0% de acréscimo na produção de 2008 em relação a 2007. Por outro lado, os números do Espírito Santo mostram as conseqüências da estiagem verificada em 2007, apresentando decréscimo de 1,4% na produção do Estado. A redução é creditada ao café conillon, explorado no norte do Estado, onde a falta de chuvas só não causou maiores prejuízos devido à prática da irrigação presente na região. Para o arábica não houve registros de prejuízos no Estado. Os demais estados grandes produtores de café continuam confirmando acréscimos de produção, como São Paulo (59,6%), Rondônia (27,0%), Bahia (10,5%) e Paraná (49,9%). Com relação à área colhida ou a colher, as variações frente a 2007, são: Minas Gerais (+2,1%), Espírito Santo (-2,1%), Bahia (+3,2%), São Paulo (+1,1%), Rondônia (-1,3%) e Paraná (-0,5%).


Produção Agrícola 2008 – estimativa de outubro em relação a setembro

No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola3 de outubro destacam-se as variações nas estimativas de produção, comparativamente ao mês de setembro, dos seguintes produtos: cana-de-açúcar (3,3%), milho em grão 2ª safra (1,0%) e trigo em grão (2,7%).

CANA-DE-AÇÚCAR – Para o mês atual aguarda-se uma produção nacional de 643,7 milhões de toneladas, maior 3,3% à estimada em setembro, como resultado, notadamente, do aumento de 2,7% na área destinada à colheita. Esta variação positiva na estimativa de produção, conforme figura a seguir, deve-se, principalmente, às novas informações de São Paulo, maior produtor nacional.

MILHO em grão 2ª safra – Para o milho o incremento na produção de 1,0% é decorrente do ganho de 1,1% no rendimento médio uma vez que a área a ser colhida apresentou retração de 0,1%. Este acréscimo deve ser creditado ao estado do Mato Grosso do Sul que com a revisão dos dados finais de colheita, promoveu um aumento de 7,8% na produtividade obtida, com conseqüente ganho de produção que totalizou 3,0 milhões de toneladas, maior 6,8% ao divulgado em setembro.

TRIGO em grão – Na estimativa desse mês prevê-se uma produção de 5,8 milhões de toneladas com um rendimento médio de 2.435 kg/ha, numa área a ser colhida de 2,4 milhões de hectares. Em relação ao mês anterior, a produção atual está acrescida em 2,7% em função, principalmente, da revisão do rendimento médio da cultura, com ganho de 2,3%. Todas as Unidades da Federação da Região Sul, que representam 92,8% da produção nacional de trigo, registraram variações positivas. De uma maneira geral, a ocorrência de chuvas, geadas e granizo, não causaram danos às lavouras. A figura a seguir representa o rol das principais Unidades da Federação produtoras do trigo em grão e a porcentagem da variação frente à estimativa de agosto.


Notas:

1 caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale.

2 Em atenção a demandas dos usuários de informação de safra, os levantamentos para Cereais, leguminosas e oleaginosas, ora divulgados, foram realizados em estreita colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento - Conab, órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, continuando um processo de harmonização das estimativas oficiais de safra, iniciado em outubro de 2007, para as principais lavouras brasileiras.

3 O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) é uma pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras dos principais produtos agrícolas, cujas informações são obtidas por intermédio das Comissões Municipais (COMEA) e/ou Regionais (COREA); consolidadas em nível estadual pelos Grupos de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias (GCEA) e posteriormente, avaliadas, em nível nacional, pela Comissão Especial de Planejamento Controle e Avaliação das Estatísticas Agropecuárias (CEPAGRO) constituída por representantes do IBGE e do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (MAPA).


Arquivos oficiais do governo estão disponíveis aos leitores.


Ricardo Bergamini
(48) 4105-0474
(48) 9976-3146
ricoberga@terra.com.br
rbfln@terra.com.br
http://paginas.terra.com.br/noticias/ricardobergamini


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui