Usina de Letras
Usina de Letras
Usina de Letras
74 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

Artigos ( 52938 )
Cartas ( 21403)
Contos (12800)
Cordel (9227)
Crônicas (20400)
Discursos (3147)
Ensaios - (10230)
Erótico (21282)
Frases (43287)
Humor (21936)
Infantil (4502)
Infanto Juvenil (3261)
Letras de Música (5678)
Peça de Teatro (1371)
Poesias (139092)
Redação (2956)
Roteiro de Filme ou Novela (1092)
Teses / Monologos (2633)
Textos Jurídicos (2120)
Textos Religiosos/Sermões (4018)




= SERVIÇOS =
Patrocine um Autor
Vitrine
Copia CD
Facilidades para o QA
Nossa Proposta
Fale Conosco
Onde Estamos
Nota Legal
 




 
Busca | Placar | Assine/Renove | Quadro de Avisos: 1 2 | Ajuda | Autores | Central do Autor | Contato | Logoff
Serviços: Patrocine um Autor ou Texto | Vitrine | Cópia de seus Textos | | Publique seu E-BOOK|

Receba um aviso sempre que este autor publicar novos textos, clique aqui
Artigos-->Urbanização - Questões de Vestibular -- 29/08/2012 - 08:12 (edson pereira bueno leal)
Patrocine esse Autor Patrocine esse Texto envie este texto para um amigoveja outros textos deste autor
Este autor concorda com o uso dos seus textos, desde que informem a autoria e o local da divulgação

QUESTÕES DE VESTIBULAR – URBANIZAÇÃO

                        Edson Pereira Bueno Leal, agosto de 2.012

 

 

 

 

 

 

1. UNESP JULHO 2012        URBANIZAÇÃO 

 

Leia o texto.

A cada sopro de modernização das forças produtivas agrícolas e agroindustriais, as cidades das áreas adjacentes se tornam responsáveis pelas demandas crescentes de uma série de novos produtos e serviços, dos híbridos à mão de obra especializada, o que faz crescer a urbanização, o tamanho e o número das cidades. As casas de comércio de implementos agrícolas, sementes, grãos, fertilizantes; os escritórios de marketing, de consultoria contábil; [...] as empresas de assistência técnica, de transportes; os serviços do especialista em engenharia genética, veterinária, administração [...] se difundiram por todas as partes do Brasil agrícola moderno.

(Maria Adélia de Souza (org.). Território Brasileiro: usos e abusos,

2003.)

O texto faz referencia a

a) cidades globais. b) metrópoles nacionais. c) cidades do agronegócio. d) cidades planejadas. e) metrópoles conturbadas.

                   

2. UNESP 2004 - . A tabela seguinte contém dados das regiões metropolitanas com mais de 10 milhões de habitantes em 2000, números que são uma fonte de constante preocupação para a ONU, visto que em 1950 apenas Londres e Nova Iorque atingiam este total. As projeções indicam que, em 2015, 23 áreas metropolitanas terão mais de 10 milhões de habitantes. Analise a tabela e, utilizando seus conhecimentos geográficos, assinale a alternativa que contém três conseqüências deste elevado crescimento populacional e os países onde este processo tem sido mais intenso.

 

Milhões  de habitantes no ano 2000 e projeção para o ano de 2015

2.000

2015

Tóquio

26,4

Tóquio

26,4

Cidade do México

18,1

Mumbai Bombaim

26,1

Mumbai –Bombaim

18,1

Lagos

23,3

São Paulo

17,8

Daca

21,1

Nova Iorque

16,6

São Paulo

20,4

Lagos

13,4

Karachi

19,2

Los Angeles

13,1

Cidade do México

18,2

Calcutá

12,9

Nova Iorque

17,4

Xangai

12,9

Jacarta

17,3

Buenos Aires

12,6

Calcutá

17,3

Daca

12,3

Nova Delhi

16,8

Karachi

11,8

Manila

14,8

Nova Delhi

11,7

Xangai

14,6

Jacarta

11,0

Los Angeles

14,1

Osaka

11,0

Buenos Aires

14,1

Manila

10,9

Cairo

13,8

Pequim

10,8

Istambul

12,5

Rio de Janeiro

10,6

Pequim

12,3

Cairo

10,6

Rio de Janeiro

11,9

 

 

Osaka

11,0

 

 

Hanjin

10,7

 

 

Hyderabad

10,5

 

 

Bancok

10,1

Fonte : ONU 2001 .

a) Aumento do poder aquisitivo, diminuição dos investimentos estrangeiros, aumento da produção industrial; países do Oriente Médio e da América Latina.

b) Diminuição da população economicamente ativa, aumento do setor informal, aumento da população abaixo da linha de pobreza; países da Ásia e da África.

c) Aumento do trabalho infantil, aumento do setor agrícola, aumento da produção industrial; países da Ásia Meridional e Extremo Oriente Asiático.

d) Diminuição da população economicamente ativa, aumento do setor eletroeletrônico, aumento da escolaridade; países da Europa de Leste e da África.

e) Aumento do número de mulheres, diminuição da produção agropecuária, diminuição da população abaixo da linha de pobreza; países da Europa Ocidental e Austrália. 

 

3. UNESP 2004. Cada vez mais são necessários estudos de zoneamento econômico e ecológico como instrumento fundamental para o planejamento urbano. Estes estudos comprovam os impactos ambientais causados pela  excessiva pressão populacional sobre os recursos do meio ambiente e indicam as propostas mais adequadas para sua gestão.

 

TAXAS DE CRESCIMENTO POPULACIONAL DOS MUNICÍPIOS LOCALIZADOS NAS PROXIMIDADES DA REPRESA BILLINGS, SP. 1970-2000 , % ao ano

Municípios

1970-1980

1991-2000

Diadema

11,2

1,8

Ribeirão Pires

6,8

2,3

Rio Grande da Serra

9,1

2,3

Santo André

2,8

0,6

São Bernardo do Campo

7,7

2,4

São Paulo

3,7

0,9

Região Metrop. S Paulo

4,5

1,6

Total Estado SP

3,5

1,9

 (FIBGE, Censos Demográficos 1970, 1980, 1991 e 2000.)

 

Analise os dados da tabela e assinale a alternativa que indica se, no período representado, a relação população versus recursos naturais nos municípios localizados nas proximidades da Represa Billings é satisfatória ou não, e porquê.

a) Sim, porque em todos os municípios as taxas de crescimento populacional reduziram-se pela metade no período 1970-2000.

b) Não, porque, apesar do decréscimo nas taxas de crescimento populacional em todos os municípios, na região metropolitana de São Paulo este crescimento

foi superior a 4% ao ano em todo o período.

c) Sim, porque as taxas de crescimento populacional inferiores a 2% ao ano no período 1991-2000, apresentadas por cinco dos municípios, significaram

redução completa da pressão populacional sobre os recursos naturais.

d) Sim, porque todos os municípios apresentaram, no período 1991-2000, taxas de crescimento populacional inferiores ao total do Estado de São Paulo.

e) Não, porque, dos seis municípios, pelo menos três sempre apresentaram taxas de crescimento populacional no mínimo duas vezes maiores do que aquelas

verificadas no município de São Paulo, significando avanço da ocupação sobre as áreas de mananciais.    

 

4. FATEC JULHO 2012  URBANIZAÇÃO 

 

Nestas últimas décadas, está ocorrendo no Sudeste brasileiro um fenômeno muito importante: a formação de uma megalópole, isto é, a

a) integração espacial de áreas metropolitanas.

b) concentração das agroindústrias em espaços reduzidos.

c) descentralização das atividades culturais pelas médias cidades.

d) desconcentração da indústrias de média e alta tecnologia.

e) recuperação de áreas ambientalmente degradadas.

 

5. UFSCAR 2004 . Observe a tabela:

 

 

 

1991

2000

Situação

Município

IDHM

Município

IDHM

Os cinco melhores

Águas de S. Pedro

0,848

S Caetano Sul  SP

0,919

São Caetano Sul

0,842

Águas S. Pedro SP

0,908

Santos SP

0,838

Niterói  RJ

0,886

Porto Alegre RS

0,842

Florianópolis SC

0,875

Florianópolis SC

0,842

Santos SP

0,871

Os cinco piores

Curral Novo PI

0,323

Manari PE

0,467

Carrasco Bonito TO

0,355

Jordão AC

0,475

Guaribas Pi

0,355

Guaribas Pi

0,479

Cocal dos Alves PI

0,358

Traipu Al

0,479

Manari PE

0,359

Centro Guilherme

0,484

( Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, PNUD , extraído da Folha de São Paulo , 03.10.2003) .

 

Considerando-se a evolução dos indicadores do IDHM ( Índice de Desenvolvimento Humano Municipal ), entre 1991 e 2000  , pode-se afirmar que :

  1. melhorou o IDHM dos municípios brasileiros  indicados na tabela , demonstrando uma reversão das disparidades regionais no país ;
  2. os piores IDHM continuam no Nordeste e os melhores estão no Estado de São Paulo , com exceção de uma cidade fluminense que  melhorou de posição
  3. a disparidade entre os IDHM dos municípios brasileiros diminuiu , mas não reverteu a tendência às diferenças regionais no país
  4. os piores desempenhos são notados em cidades pequenas e os melhores em grandes metrópoles de intensa industrialização
  5. o aumento de disparidade entre os IDHM no Brasil é o fator que expressa a tendência à concentração industrial no território brasileiro.                    

 

 

6. UNESP JULHO DE 2004

 

População Rural e Urbana do Brasil 1950 – 2000

Ano

Rural

Urbana

Ano

Rural

Urbana

1950

64

36

1980

32

68

1960

55

45

1991

25

75

1970

44

56

2000

18,8

81,2

 (Atlas Geográfico Melhoramentos, 2002.)

 

Observe os gráficos. Eles mostram a evolução, desde  1950, da participação relativa (%) da população rural e urbana na população total do país. Em termos absolutos,  segundo o Censo de 2000, a população total do  Brasil era de 169 799 170 habitantes, dos quais 137  953 959 compunham a população urbana, sendo que a população rural era de apenas 31 845 211 habitantes. De posse dessas informações, responda:

a) Que fatores provocaram tão profundas modificações?

b) Hoje, quais são as principais conseqüências dessa

evolução?

 

 

7. FGV JULHO 2004

 “Na megacidade partida e fragmentada, as populações  de menor renda e nível educacional são as que sofrem os impactos mais devastadores do confinamento. A  análise dos dados gerais sobre as viagens realizadas na  Região Metropolitana contidos na última pesquisa ‘Origem/Destino’ do Metrô, de 1997, revela uma  queda geral da mobilidade, mais acentuada na periferia  do que no centro expandido. Isso significa que a maior parte da população moradora em favelas, conjuntos e  bairros precários tem o seu cotidiano restrito ao próprio bairro e vizinhanças...”

Raquel Rolnik. São Paulo. São Paulo: Publifolha, 2001, p.76-77.

O conteúdo do texto revela uma cidade de São Paulo  que, em relação à exclusão social e territorial:

a) Não apresenta fragmentações, pois o grau de sociabilidade  e interação entre os habitantes é elevado.

b) É fragmentada, pois grande parte dos pobres habita a periferia e tem um deslocamento mais restrito.

c) É harmônica, pois os condomínios de alto padrão convivem com áreas de habitações precárias, como  as favelas.

d) Não possui fronteiras internas que acentuem a  separação social e territorial entre os seus habitantes.

e) Apresenta fluxos que revelam maior deslocamento  dos moradores do centro expandido para a periferia.

 

8. UNESP JULHO 2004 BRASÍLIA

Brasília, a capital do país, gera polêmica desde o início  de sua construção, no final dos anos 1950. Localizada  no Distrito Federal, que hoje agrega uma população  superior a dois milhões de habitantes, apresenta indicadores  sociais e econômicos marcantes, tais como:

a) PIB per capita e IDH elevados, importante atividade  industrial, comércio de caráter regional e serviços de  alcance nacional.

b) PIB per capita e IDH elevados, fraca atividade industrial,  comércio e serviços de caráter local, exceto os  da administração federal.

c) PIB per capita  e   e IDH elevados, fraca atividade industrial, comércio de caráter regional e serviços de  expressão local, exceto os da administração federal.

  1. PIB per capita baixo  baixo e IDH elevado, importante atividade  industrial, comércio de caráter regional e serviços  de alcance nacional.

e) PIB per capita baixo e IDH elevado, fraca atividade  industrial, comércio de caráter local e serviços de  alcance regional.

 

9. UNICAMP 2005 URBANIZAÇÃO E INDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL

 

Para responder à questão, leia atentamente a tabela e o texto a seguir:

 

BRASIL – Distribuição Percentual Regional de Rádio  nas

Residências Permanentes (1970-2000) , por região do país .

 

N

NE

SE

S

CO

BRASIL

1970

45,22

34,59

71,86

71,87

48,87

58,91

1980

60,40

61,93

83,24

85,93

69,12

76,17

1991

64,54

69,37

89,79

91,01

81,08

82,71

2000

70,44

81,01

92,61

93,75

84,88

87,88

Fonte: IBGE - Censos Demográficos do Brasil- 1970, vol. I, p,265;

1980, vol. I, p, 94; 1991, p. 278; 2000, vol I, p. 167; www.sidra.ibge.gov.br

 

O território é revelador de diferenças, às vezes agudas, de condições de vida da população. Condições materiais que são hoje consideradas banais nos lares brasileiros conheceram sua difusão em meados da década  de 1980. Em 1975, objetos como fogão, geladeira, televisão e rádio estavam presentes em poucos domicílios urbanos e eram extremamente escassos nas áreas rurais. (Adaptado de Milton Santos e María Laura Silveira, O Brasil: Território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2001, p. 225-7).

a) Tendo por base a tabela e o texto acima, descreva o processo de difusão do rádio nas residências permanentes entre as regiões brasileiras nas últimas três décadas.

b) Analise a difusão espacial dos equipamentos domésticos, conforme o texto acima, fazendo a correlação com os processos de urbanização e industrialização.

 

 

FGV 2005   URBANIZAÇÃO

10. Um estudo realizado pelo Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento) dividiu a

mancha urbana da metrópole paulista em três áreas:

1) cidade consolidada, que é a mais central e melhor equipada;

2) periferia consolidada, que corresponde às áreas ocupadas a partir da segunda metade

do século XX, geralmente por loteamentos populares e autoconstrução;

3) fronteiras urbanas, que são áreas pobres, recém ocupadas e com pouco acesso a serviços públicos.

Fonte: Folha de São Paulo, 27/06/2004, p. C1 e www.centrodametropole.org

A diferenciação interna da metrópole paulista também aparece sob a forma de áreas mais

e menos valorizadas, cujos imóveis são respectivamente mais e menos caros.

Com base nessas informações, explique as diferenças de crescimento populacional no interior da metrópole.

 

Crescimento demográfico entre 1991 e 2000 – taxas anuais de crescimento em %

 

Cidade

Consolidada

Periferia

Consolidada

Fronteiras

urbanas

Município

De SP

Total da Man

Cha urb.

Brasil

- 1,3

1,3

6,3

0,9

1,4

1,6

Fonte : Folha de SP  27/06/2004  p. C-1 e www.centrodametropole.org

 

UFSCAR 2005  - REGIÕES BRASILEIRAS

11. Observe os dados apresentados na tabela.

 

 

Região Brasileira

Área ( % em relação

ao Brasil )

População ( % em

relação ao Brasil)

Grau de Urbaniza

Ção

1

10,9

42,6

90,5

2

18,7

6,8

86,7

3

6,8

14,7

80,9

4

18,2

28,1

69,0

(IBGE, 2000.)

Na tabela, os números 1, 2, 3 e 4 representam, respectivamente, as regiões brasileiras:

a) Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste.

b) Sul, Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste.

c) Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste.

d) Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

e) Sudeste, Centro-Oeste, Sul e Nordeste.

 

 

 

12. PUC SP JULHO 2005

REGIÕES METROPOLITANAS

“Hoje totalizam 26 [regiões metropolitanas]. O conjunto metropolitano reúne atualmente 413 municípios, onde vivem pouco mais de 68 milhões de habitantes, distribuídos em aproximadamente 167 mil quilômetros quadrados [...]”

(Luiz Cesar de Queiroz RIBEIRO. Metrópoles: entre a coesão e a fragmentação, a cooperação e o conflito. São Paulo: Fund. Perseu Abramo, 2004, p. 9) Como decorrência da condição demográfica das regiões metropolitanas deve-se concluir que

a) esse é o motivo da criação (1988) da figura dos governos metropolitanos, para coordenar as ações públicas, antes diluídas em vários municípios.

b) essa condição explica e, ao mesmo tempo, favorece o maior dinamismo econômico dessas regiões, o que é expresso também pela concentração do PIB.

c) a formação dessas imensas concentrações acaba resultando numa condição inadministrável, o que é a principal causa da violência urbana, por exemplo.

d) a elevada densidade demográfica que existe em boa parte delas é responsável pelas dificuldades incontornáveis para a criação de serviços públicos decentes.

e) as condições ambientais precárias decorrem dessa concentração, visto, por exemplo, a impossibilidade em se conter os malefícios ocasionados pelo excesso de lixo.

 

13

UNESP JULHO 2005

URBANIZAÇÃO BRASILEIRA

O tratamento que certas publicações dão às questões urbanas brasileiras quase sempre provoca dúvidas. Somente leitores atentos conseguem compreender, por exemplo, processos distintos, embora interligados, como os da urbanização e do crescimento urbano. A propósito desse assunto, responda.

a) O que são áreas metropolitanas e o que significa metropolização?

b) Quais são, em ordem populacional decrescente, as cinco maiores áreas metropolitanas do Brasil?

 

14

MACKENZIE  JULHO  DE 2005

URBANIZAÇÃO E INDUSTRIALIZAÇÃO

– Estrangulamento do sistema viário, com conseqüentes congestionamentos.

– Especulação imobiliária, com o encarecimento dos imóveis.

– Aumento de carga tributária, restringindo investimentos.

– Altos índices de poluição atmosférica e hídrica.

– Avanços tecnológicos, tornando as distâncias menos significativas.

A conjugação dos fatores acima dá origem à

a) ampliação dos agronegócios.

b) internacionalização das economias nacionais.

c) formação dos blocos geoeconômicos.

d) descentralização industrial.

e) racionalização universal do uso do espaço geográfico.

 

15 UNESP 2006  FAVELAS NO BRASIL   

 

Observe a tabela, que contém o número de favelas em  15 municípios brasileiros nos anos de 1991 e 2000.

 

Municípios brasileiros com maior número de favelas em 1991 e 2000

Município

1991

2000

aumento

Município

1991

2000

aumento

São Paulo

585

612

27

Salvador

70

99

29

Rio Janeiro

462

513

51

Belém

20

93

73

Fortaleza

154

157

3

Diadema

80

89

9

Guarulhos

64

136

72

Volta Redon

42

87

45

Curitiba

87

122

35

Teresina

44

85

41

Campinas

74

117

43

Porto Alegre

69

76

7

Belo Horizon

101

101

0

Recife

62

73

11

Osasco

95

101

6

 

 

 

 

(IBGE, 2001.)

a) Identifique, em ordem decrescente, as regiões brasileiras cujos municípios possuíam número de  favelas maior do que 100 em 2000. Há correspondência entre as regiões identificadas e aquelas cujos municípios apresentaram aumentos maiores  do que 40 favelas? Em que regiões?

b) Justifique a afirmativa: O processo de favelização é um fenômeno urbano. Comente a situação do estado de Minas Gerais.

 

 

16   UNICAMP 2006 URBANIZAÇÃO    LOTEAMENTOS CLANDESTINOS

 

Leia o texto a seguir e responda.

A invasão de terras é quase mais regra do que exceção nas grandes cidades. Se somarmos os moradores de favelas aos moradores de loteamentos ilegais, temos quase metade da população dos municípios do Rio de Janeiro e de São Paulo. Estudo realizado sobre o mercado residencial na cidade de São Paulo mostrou que, nos últimos 15 anos, a oferta de lotes ilegais suplantou a soma de todas as formas de unidades habitacionais oferecidas pelo mercado privado legal. (Adaptado de Ermínia Maricato, Brasil. cidades; alternativas para a crise urbana. Petrópolis: Vozes. 2001. p. 155.)

a) Por que ocorre expansão urbana baseada em loteamentos ilegais nas cidades brasileiras?

b) Quais os impactos dos loteamentos irregulares sobre as áreas de mananciais?

 

17     URBANIZAÇÃO FGV DIREITO 2006

 

No ano de 1900, a cidade mais populosa do Brasil era o Rio de Janeiro, que tinha 274.972 habitantes. Em 2000, a mais populosa era São Paulo, que atingiu 10.406.200 habitantes.

A.a) O que ocorreu no Brasil, durante o século XX, que explica sua intensa urbanização, expressa na diferença de tamanho demográfico entre a maior cidade do país no ano de 1900 e a maior no ano de 2000? (1)

A.b) Que papéis e funções a cidade do Rio de Janeiro desempenhava em 1900 para ocupar o nível mais importante da hierarquia urbana brasileira? (2)

A.c) Por que São Paulo passou a ser a cidade mais importante do país, na segunda metade do século XX? (3)

A.d) Nos últimos dez anos, houve uma redefinição territorial da produção industrial no país, fato que alterou os papéis desempenhados por São Paulo. Que redefinição é essa e quais os papéis dessa cidade no cenário nacional e internacional atual? (4)

 

 

18 MACKENZIE  2006  BRASIL URBANIZAÇÃO

 

A  respeito da atual urbanização brasileira, é correto afirmar que

a) o campo, atualmente, ainda não possui alto índice de  mecanização, o que mantém parte significativa da população na área rural.

b) a região Sul é a mais urbanizada do país, com um  índice de mais de 90%.

c) a região Sudeste possui, atualmente, uma taxa de urbanização equivalente ao dobro da média de urbanização das outras regiões.

d) a taxa de urbanização da região norte é, de longe, a menor do país em relação às outras regiões.

e) a região Centro-Oeste possui a segunda maior taxa de urbanização do Brasil.

 

19. FGV ADMINISTRAÇÃO JULHO 2012 HABITAÇÃO   

 

De acordo com o IBGE, em 2010, aproximadamente 6% da população brasileira morava nos aglomerados subnormais, conceito que abarca uma grande diversidade de assentamentos urbanos irregulares, conhecidos como invasão, grota, favela, mocambo, palafita, entre outros.

Sobre os aglomerados subnormais, considere as seguintes afirmações:

I. As Regiões Metropolitanas, pólos econômicos e de emprego, concentram mais de 70% dos aglomerados subnormais brasileiros.

II. Na maior parte dos casos, os aglomerados subnormais ocupam áreas menos propicias a urbanização, que variam de acordo com as características do sitio urbano.

III. Dentre as Regiões Metropolitanas, São Paulo e Rio de Janeiro apresentam a maior proporção de pessoas residentes em aglomerações subnormais em relação à população total.

IV. Na maior parte dos casos, os aglomerados subnormais se distribuíam de maneira uniforme nos municípios das Regiões Metropolitanas.

Esta correto apenas o que se afirma em

a) I e II. b) I e IV. c) I, II, III e IV. d) II e III. e) III e IV.

 

 

 

20 VUNESP  2007   URBANIZAÇÃO

Um dos processos espaciais que tem ocorrido sistematicamente  nas cidades brasileiras refere-se à ampliação  considerável da área urbana ocupada e ao crescimento  da periferia. O poder público, baseado em políticas  territoriais, tem ampliado sistematicamente o perímetro  urbano. Escolha a alternativa que define este processo.

a) Os promotores imobiliários investem em infra-estrutura  urbana nas áreas periféricas, favorecendo a sua  ocupação e, com isso, acabam vendendo uma maior  quantidade de terrenos.

b) O processo é denominado de centralidade urbana e  só ocorre em cidades onde houve a saturação do centro  e das áreas intermediárias, restando à população a  ocupação das áreas periféricas.

c) A população prefere morar distante do centro por  causa da tranqüilidade, menor violência, ausência de  congestionamento e, também, pelo preço dos terrenos,  que é muito menor.

d) A periferização é caracterizada pelo crescimento horizontal  das cidades em direção às áreas distantes do  centro tradicional. Com a intensidade deste processo, grande parte das áreas periféricas, principalmente  aquelas ocupadas pelas camadas mais pobres da  população, fica deficitária em relação a infra-estrutura  e saneamento básico.

e) O processo refere-se à densidade demográfica, ou  seja, os centros das cidades já estão super-povoados  e, assim, a ocupação da periferia alivia este congestionamento.

 

 

21 UNESP 2007   URBANIZAÇÃO DO CAMPO

A imagem da paisagem rural rica em verdes (silvestres ou cultivadas), água limpa, ar puro e silêncio acaba se opondo ao artificialismo das cidades. Com esse diferencial  positivo, essa paisagem passa a ser valorizada, entra no circuito da troca e torna-se mercadoria. Nessa dinâmica  de consumo, terras com essas características são  capturadas pelo mercado imobiliário e oferecidas aos  citadinos com o forte apelo de melhorar sua qualidade  de vida. Com a intensificação do processo de aumento  de residências de citadinos no meio rural, essa paisagem  sofre profundas transformações.

Aponte as modificações que ocorrem na paisagem rural onde esse processo se intensifica.

 

22  VUNESP  2007  URBANIZAÇÃO

 

Atualmente, ocorrem no mundo muitas transformações  na relação cidade-campo. Analise os quatro itens seguintes.

I. As atividades econômicas são administradas por um  mundo urbano e estão, cada vez mais, globalizadas. Entretanto, ao mesmo tempo em que o campo se  urbaniza, com a intensificação das trocas culturais, as  cidades também se ruralizam, pois muitos dos hábitos da cultura rural acabam arraigados em muitas partes  das cidades.

II. A extensão do capitalismo, a partir de profundas  transformações no processo produtivo, acabou emancipando a cidade e o campo, por meio de um novo  patamar que separa as atividades agrícolas das urbanas,  dando amplo controle aos fazendeiros do que se  produz no campo.

III. A fusão entre agricultura e indústria e, atualmente, a  incorporação dos setores terciário e quaternário formam  o verdadeiro complexo agroindustrial, o que  vem completar definitivamente a integração cidadecampo.  Com estas transformações, a separação  setorial é reduzida e a correspondente divisão territorial  do trabalho, amplamente alterada.

IV. Com a pressão da homogeneização de valores que  expressam um mundo urbano, o campo não conseguiu  resistir à pressão da cidade. Hoje temos um  mundo único e urbano, que eliminou a cultura rural.

Estão corretos somente os itens

a) I e II. b) I e III. c) I e IV.  d) II e III. e) III e IV.

 

23    UFABC  2007 urbanização

Leia a manchete e analise o gráfico.

Em 2007 metade da população  mundial já é urbana  (ONU)

A análise do gráfico e os conhecimentos sobre a organização do espaço mundial permitem afirmar que

a) as maiores contribuições para o aumento da urbanização  mundial foram dadas pelas áreas subdesenvolvidas.

b) por serem áreas tradicionalmente mais urbanizadas, a América do Norte e a Europa abrigam as maiores cidades do mundo.

c) o rápido crescimento urbano na América Latina fez  surgirem as favelas, fenômeno não encontrado ainda na Ásia e na África.

d) pelos níveis atuais de urbanização, cerca de 3 bilhões de pessoas aglomeram-se nas cidades da Europa, América do Norte e América Latina.

e) considerando-se os níveis atuais de urbanização, pode-se prever que, em 2030, a Ásia e a África atingirão  90% de população urbana.

 

 

24   PUC SP  2007 URBANIZAÇÃO

Leia com atenção:

“A Terra urbanizou-se ainda mais depressa do que previra  o Clube de Roma em seu relatório de 1972 (Limites  de Crescimento) [...] Em 1850, havia 86 cidades no  mundo com mais de um milhão de habitantes; hoje são  400, e em 2015 serão pelo menos 550.”

(Mike DAVIS. Planeta Favela. São Paulo, Boitempo,  2006, p. 13-14)

É correto afirmar que

a) esse ritmo acelerado de urbanização concentrado é  expressão do que ocorreu na Europa, com a reconstrução,  após a 2ª Guerra Mundial.

b) a concentração urbana em grandes cidades tem sido  mais comum nos países asiáticos do que nos países  sul-americanos, em razão da escassez territorial dos

primeiros.

c) atualmente, a América do Sul já possui índices de  urbanização que se assemelham aos índices da Europa.

d) o fundamental dessa urbanização acelerada deve-se a  processos dos anos 1950 e 1960, na China socialista,  onde a opção foi pelo modo de vida urbano.

e) países de grande extensão territorial, como Índia e  Brasil, tendem a ter urbanização mais distribuída, com  raras cidades que ultrapassam 1 milhão de habitantes.

 

25 UNICAMP 2007  2 FASE  URBANIZAÇÃO

 

Na África subsaariana, na América Latina, no Oriente  Médio e em partes da Ásia, a urbanização com baixa  taxa de crescimento econômico é claramente herança  de uma conjuntura política global – a crise da dívida  externa do final da década de 1970 e a subseqüente reestruturação das economias do Terceiro Mundo pelo FMI nos anos 1980. O crescimento da população urbana, apesar do baixo crescimento econômico, é a face   extrema do que alguns pesquisadores rotularam de  "superurbanização". (Adaptado de Mike Davis, Planeta de favelas: a involução urbana e o proletariado informal. In: Emir Sader (org.). Contragolpes: seleção de artigos da New Left Review. São Paulo: Boitempo, 2006, p.195.)

a) O que se entende por "superurbanização"?

b) Um dos resultados da superurbanização e o desenvolvimento de megacidades com mais de 8 milhões de habitantes e de hipercidades com mais de 20  milhões de habitantes, muitas delas localizadas na Ásia. Aponte e justifique as razões para essa forte  urbanização recente em países asiáticos.

c) A predominancia das favelas é uma das principais marcas da urbanização acelerada nos países de  Terceiro Mundo e uma marca do crescimento da  pobreza urbana. Explique algumas características que qualificam um assentamento como favela.

 

 

 

26 FATEC 2007  URBANIZAÇÃO

Observe o gráfico.

LOCALIZAÇÃO DAS MEGACIDADES POR CONTINENTE

 

 

 

ÁSIA

AMÉR.

ÁFRICA

2000

4

5

1

2015

7

2

1

 

A leitura do gráfico e os conhecimentos sobre a urbanização  mundial permitem afirmar que

a) o rápido processo de urbanização tenderá a concentrar o maior número de megacidades nos países subdesenvolvidos.

b) a rápida urbanização deverá transformar as megacidades asiáticas em cidades globais de primeira grandeza.

c) os continentes que apresentarão maior número de megacidades são aqueles que recebem maior número de imigrantes.

d) na hierarquia urbana mundial as megacidades de 2015 deverão concentrar maior hegemonia política e  econômica.

e) no futuro a globalização permitirá aos atuais países subdesenvolvidos da Ásia e da América tornarem-se  desenvolvidos.

 

27 VUNESP 1 FASE 2008 POPULAÇÃO URBANA EM 2015

As previsões de especialistas para 2015 projetam que cerca de 33 cidades do mundo terão, pelo menos, 8 milhões de habitantes ocupando 0,4% da área do planeta.

Assinale a alternativa que contém o processo descrito e alguns impactos ambientais importantes dele resultantes.

a) Envelhecimento da população; favelas; vossoroca.

b) Globalização; efeito estufa; assoreamento dos rios.

c) Urbanização; segregação espacial; enchentes.

d) Emigração; chuva ácida; migrações pendulares.

e) Favelização; secas; erosão eólica.

 

 

28  FUVEST 1 FASE  MEGACIDADES.

O mapa acima retrata a distribuição espacial, no planeta, de núcleos urbanos com mais de 10 milhões de habitantes,

as megacidades. ( Los Angeles , Nova York , Cidade do México , São Paulo, Rio de Janeiro , Buenos Aires, Moscou Cairo, Mumbai , Lagos, Delhi, Dacca , Pequim , Tóquio, Xangai, Manila , Jacarta).

 Sobre megacidades e os processos que as geraram, é correto afirmar que

a) a maior do mundo, Tóquio, teve vertiginoso crescimento após a Segunda Guerra Mundial, em razão do expressivo desenvolvimento econômico do Japão nesse período.

b) as latino-americanas cresceram em razão das riquezas geradas por atividades primárias e do dinamismo econômico decorrente de suas funções portuárias.

c) a maior parte delas localiza-se em países de elevado PIB per capita, tendo sua origem ligada a índices expressivos de crescimento vegetativo e êxodo rural.

d) as localizadas em países de economia menos dinâmica  cresceram lentamente devido à expansão do setor primário.

e) as localizadas no Oriente Médio são expressivas em número, em razão do desenvolvimento econômico gerado pelo petróleo.

 

29  FATEC 2008 URBANIZAÇÃO

 

Considere as afirmações sobre a urbanização brasileira.

I. Embora os números referentes ao processo de urbanização possam conter algumas distorções, resultantes

das metodologias utilizadas, é inegável que entre as décadas de 1950 até 1980 o Brasil passou de forma

intensa por esse processo.

II. No início da ocupação do território brasileiro, houve  grande concentração de cidades na região Sudeste.

Esse fenômeno está associado ao processo industrial, que teve seu maior desenvolvimento nessa região.

III.Num mundo cada vez mais globalizado, há um reforço do papel de comando de algumas cidades

globais na rede urbana mundial, como é o caso de São  Paulo, importante centro de serviços especializados.

Está correto o que se afirma em:

a) I, apenas. b) II e III, apenas. c) II, apenas. d) I e III, apenas. e) I, II e III.

 

 

30  PUC  SP 2008  REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

 

Região metropolitana de São Paulo

População total 19.130.455 hab

População município principal 10.679.760*

Densidade demográfica 2.376,16 hab/km2

Área dos municípios 8.051 km2

Número de municípios 39

Fonte: Sec. Econ. Planej. do Estado de São Paulo, 2005 *FSEADE, 2004

Observando o mapa e os dados pode-se afirmar que

a) o fato de o município principal ter mais da metade da população da região metropolitana deve-se ao fato de ele possuir também mais da metade do território.

b) as maiores densidades demográficas se encontram nas áreas que mais se afastam do município principal.

c) a maior concentração populacional no município de São Paulo deve-se à sua condição de centro geométrico da região metropolitana.

d) nas estatísticas internacionais, quando se afirma São Paulo como uma das maiores metrópoles do mundo, não se está referindo apenas ao município principal.

e) a região metropolitana de São Paulo é a mais densamente povoada do Brasil em razão de ser composta por vários municípios.

 

 

31  UNICAMP 2 FASE DECADÊNCIA E REVITALIZAÇÃO URBANAS

 

“Os projetos de recuperação e preservação de centros históricos, associados a processos de reestruturação urbana, têm sido uma constante no Brasil, principalmente a partir do final da década de 1980 e início de 1990. Pelourinho em Salvador, Bairro do Recife na capital pernambucana e o corredor cultural no Rio de Janeiro são alguns exemplos nacionais de locais que vêm sofrendo esse tipo de intervenção. Barcelona, Nova Iorque, Boston, Manchester, Paris e Buenos Aires estão entre os exemplos internacionais que marcam o fenômeno mundial de revitalização ou remodelação urbana.” (Disponível em: www. comciencia.br/reportagens/cidades/cid02.htm, 05/11/07.)

a) Por que ocorre a chamada “decadência” dos centros tradicionais das cidades?

b) Quais são as principais estratégias utilizadas nas cidades brasileiras para “revitalizar” as áreas consideradas decadentes?

 

 

32  REDE URBANA BRASILEIRA  VUNESP 2 FASE JULHO 2008

A rede urbana brasileira tem como principal característica as disparidades regionais, pois, enquanto ela é articulada na Região Sudeste, o mesmo não ocorre na região Norte e Centro-Oeste

(L. M. A de Almeida e T. B. Rigolin, 2006.)

Compare as regiões Norte e Sudeste, citando as principais características da rede urbana em cada uma delas.

 

 

33 RELAÇÕES CIDADE CAMPO  UNESP JULHO 2008  

 

Algumas atividades econômicas estavam intimamente ligadas ao meio urbano e outras, ao meio rural. Nos dias atuais, muitas transformações ocorreram nas relações cidade-campo, as quais alteraram as antigas estruturas locacionais das atividades econômicas.

Assinale a alternativa que revela essas mudanças.

a) A agroindústria se fortaleceu e passou a gerar mais empregos do que a indústria urbana.

b) O meio rural não pode mais ser considerado estritamente agrícola.

c) Os dados de emprego e renda revelam que o turismo é a mais importante e rentável atividade rural da atualidade.

d) O modo de vida urbano invade o meio rural e faz desaparecer a figura do camponês.

e) O bóia-fria é o grande responsável por essas mudanças, pois vive tanto na cidade como no campo.

 

 

34. INTEGRAÇÃO NACIONAL  UNESP JULHO 2008  

 

O Brasil adotou, ao longo do período de 1930 a 1980, uma série de políticas territoriais, que objetivaram unir as diferentes áreas produtivas que formavam a economia brasileira em um território interligado e articulado por redes técnicas.

Com base nessa afirmação, analise os itens seguintes.

I. Construção da rodovia Belém-Brasília, no período 1956/1961, e abertura da transamazônica, na década de 1970.

II. Organização do setor energético, a partir dos anos 1960, com a Eletrobrás.

III. Implantação de hidrovias interligando as principais bacias hidrográficas das regiões Nordeste e Centro-Oeste.

IV. Organização da tecnologia digital, no início da década de 1970.

V. Utilização de satélites para adequar os serviços de telecomunicações, no início da década de 1970.

De acordo com a afirmação, as redes técnicas são as indicadas em

a) I, II e V. b) I, III e IV. c) I, III e V. d) II, III e IV. e) II, III e V.

 

35. POPULAÇÃO MUNDIAL  VUNESP 2 FASE JULHO 2008

 

Em julho de 2005, o planeta Terra atingiu a marca de 6,5 bilhões de habitantes. Especialistas da Organização das Nações Unidas (ONU) estimam que em 2050 o planeta poderá ter entre 9 e 10 bilhões de habitantes. No entanto, o grande problema demográfico do século XXI não é o crescimento nem o número total de habitantes no nosso planeta. Mencione três problemas demográficos deste século.

 

 

36  ENEM 2008 POPULAÇÃO URBANA MUNDIAL 

 

Uma pesquisa da ONU estima que, já em 2008,  pela primeira vez na história das civilizações, a maioria das pessoas viverá na zona urbana. O gráfico a seguir mostra o crescimento da população urbana desde 1950, quando essa população era de 700 milhões de pessoas, e apresenta uma previsão para 2030, baseada em crescimento linear no período de 2008 a 2030.

1950 – 0,7  ; 1960 1,0 ; 1970 – 1,3 ; 1980 – 1,7 ; 1990 – 2,3 ; 2000 – 2,9  ; 2010 – 3,5   ; 2020 -        ; 2030  5,0 .

Almanaque Abril, 2008, p. 128 (com adaptações)

De acordo com o gráfico, a população urbana mundial em 2020 corresponderá, aproximadamente, a quantos bilhões de pessoas?

A 4,00. B 4,10. C 4,15. D 4,25. E 4,50.

 

37 FGV ADMINISTRAÇÃO JUNHO 2008  CIDADES GLOBAIS

 

As chamadas cidades globais, como São Paulo, não são apenas cidades grandes, mas exercem funções específicas no mundo globalizado. Assinale a alternativa que

menos caracteriza uma cidade global.

a) Cidades globais têm conexão direta com o mundo financeiro, por intermédio, sobretudo, da Bolsa de Valores.

b) Cidades globais caracterizam-se por sediarem importantes portos de grande fluxo comercial.

c) Cidades globais abrigam sedes administrativas de grandes empresas transnacionais.

d) Cidades globais caracterizam-se por dispor de infraestrutura sofisticada voltada ao setor de serviços e comunicação.

e) Cidades globais costumam sediar grandes eventos políticos, comerciais, esportivos e culturais.

 

38. URBANIZAÇÃO  UFABC 2009

 

As questões de números 38 e 39 devem ser respondidas com base no trecho do texto “O Planeta Urbano”.

O mundo da ciência e da técnica

Duzentos anos atrás, apenas 3% da população mundial vivia em cidades. Há um século, na esteira da Revolução Industrial, a porcentagem tinha subido para 13% – ainda uma minoria em um planeta essencialmente rural. Em algum momento deste ano, de acordo com estimativas das Nações Unidas, pela primeira vez na história o número de pessoas que vivem em áreas urbanas ultrapassará o de moradores do campo. Segundo o mesmo estudo, nas próximas décadas praticamente todo o crescimento populacional do planeta ocorrerá nas cidades, nas quais viverão sete em cada dez pessoas em 2050. A população rural ainda deve aumentar nos próximos dez anos, antes de entrar em declínio  gradativo. A atual migração para as cidades é de tal ordem que se pode compará-la, de forma alegórica, a um novo salto na evolução. O Homo sapiens cedeu lugar a seu sucessor, o Homo urbanus. (Trecho do texto O Planeta Urbano. Veja, 16.04.2008)

 

38 URBANIZAÇÃO  UFABC 2009

 

No processo de desenvolvimento da revolução a que o texto faz referência, a inovação tecnológica atingiu todos os ramos da produção. Sobre esse contexto, foram apresentadas as seguintes afirmações:

I. A invenção da máquina a vapor contribuiu para que as indústrias, assim como as pessoas em busca de trabalho, fossem gradativamente se transferindo para os centros

urbanos, que começaram a crescer vertiginosamente.

II. O aperfeiçoamento dos métodos artesanais de produção elevou os salários para a mão-de-obra desqualificada, fixou o trabalhador rural no campo e desacelerou o processo de migração para as grandes cidades européias.

III. A transferência do controle de produção das mãos capitalistas para as mãos dos trabalhadores foi responsável pelo aperfeiçoamento dos mecanismos rudimentares de produção e pelo crescimento dos centros urbanos europeus.

IV. Com o surgimento da fábrica, a máquina passou a ser fator determinante do processo de trabalho e uma acentuada divisão do trabalho no seu interior caracterizou a produção fabril e fez surgir um novo tipo de trabalhador: o operário.

É correto apenas o que se afirma em

(A) I e II.

(B) I e IV.

(C) II e III.

(D) II e IV.

(E) III e IV.

 

 

39 UFABC 2009

Observe a figura.

Máquina colhedeira, Sussex, Inglaterra.

(In: Nicolina L.de Petta e Eduardo A.B. Ojeda. História: uma abordagem integrada. São Paulo: Moderna, 2003)

A problemática descrita no texto “O Planeta Urbano” pode ser associada às informações da figura porque, historicamente,

(A) a especialização da produção agrícola tem incentivado a concentração de empresas próximas às fontes de matéria-prima e o aumento da população urbana.

(B) o aperfeiçoamento de técnicas agrícolas tem favorecido a liberação do trabalhador do campo de atividades pesadas e a especialização da mão-de-obra nas cidades.

(C) o uso de máquinas na produção agrícola tem contribuído para baixar os preços dos alimentos nas cidades e reduzir a migração para as áreas urbanas.

(D) a mecanização do trabalho agrícola tem sido um fator responsável pela expulsão do trabalhador do campo e pela intensa migração para as cidades.

(E) a introdução de tecnologia agrícola tem promovido a qualificação da mão-de-obra no campo e a redução dos fluxos migratórios para as cidades.

 

40 URBANIZAÇÃO BRASILEIRA  PUC 2009

 

É comum encontrar, nas referências sobre a urbanização no século XX, menções ao fato de ela ter sido fortemente marcada pela metropolização. De fato, as metrópoles são fundamentais para se entender a vida urbana contemporânea. A respeito das metrópoles modernas brasileiras, pode-se afirmar que

a) não são aglomerações tão grandes quanto às de outros países, porque elas são fragmentadas em vários municípios, como no caso de São Paulo.

b) são configurações cujas dinâmicas, em alguns casos, levaram seus limites para além do núcleo municipal de origem, formando aglomerações multimunicipais.

c) elas são aglomerações modestas em razão da inviabilidade de se administrar em países pobres áreas urbanas de grande porte.

d) apenas uma delas pode ser considerada de fato metrópole, logo, não se pode afirmar que no Brasil houve uma urbanização metropolitana.

e) elas estão com o seu crescimento paralisado, sofrendo, em alguns casos, encolhimento, em função de novas políticas de planejamento.

 

 

41 UFSCAR 2009 MEGACIDADES

 

A partir dos dados dos quadros e da análise geoeconômica do mundo atual, assinale a alternativa correta.

ANO CIDADE POPULAÇÃO (EM MILHÕES)

1950 1.º Nova Iorque 12,3 

 

1975 1.º Tóquio 19,8 2.º Nova Iorque 15,9 3.º Xangai 11,4 4.º Cidade do México 11,2 5.º São Paulo 10,0

 

2000 1.º Tóquio 26,4 2.º Cidade do México 18,1 3.º Mumbai 18,1 4.º São Paulo 17,8 5.º Nova Iorque 16,6 6.º Lagos 13,4 7.º Los Angeles 13,1 8.º Calcutá 12,9 9.º Xangai 12,9 10.º Buenos Aires 12,6 11.º Dacca 12,3 12.º Karachi 11,8 13.º Délhi 11,7 14.º Jacarta 11,0 15.º Osaka 11,0 16.º Manila 10,9 17.º Pequim 10,8 18.º Rio de Janeiro 10,6 19.º Cairo 10,6

 

2015* 1.º Tóquio 26,4 2.º Mumbai 26,1 3.º Lagos 23,2 4.º Dacca 21,2 5.º São Paulo 20,4  6.º Karachi 19,2 7.º Cid. do México 19,2 8.º Nova Iorque 17,4 9.º Jacarta 17,3 10.º Calcutá 17,3 11.º Délhi 16,8 12.º Manila 14,8 13.º Xangai 14,6 14.º Los Angeles 14,1 15.º Buenos Aires 14,1 16.º Cairo 13,8 17.º Istambul 12,5 18.º Pequim 12,3 19.º Rio de Janeiro 11,9 20.º Osaka 11,0 21.º Tientsin 10,7 22.º Hyderabad 10,5 23.º Bangcoc 10,1

*Projeções (ONU. Desenvolvimento Social e Econômico. Projeção da população Mundial, 2001.)

 

a) A participação das cidades com mais de 10 milhões de habitantes em países centrais reduziu-se, desde 1950, indicando declínio da sua importância para o capitalismo.

b) Em 2000, menos de 1/5 das grandes cidades localizava-se em países centrais e as latinoamericanas predominavam entre as cidades com mais de 10 milhões de habitantes.

c) As projeções para 2015 apontam que o número de cidades globais será superior ao número de megacidades e que estas se concentrarão na América Latina, Ásia e África.

d) Em 2015, será igual o número de cidades de países centrais entre as maiores do mundo, e as mais populosas estarão na Ásia, sobretudo em países como a China e a Índia.

e) Apesar do maior número de grandes cidades no mundo subdesenvolvido desde 2000, há mais problemas nos países centrais, visto que a cidade mais populosa é Tóquio.

 

 

42 MEGACIDADES  UNESP 2009

 

Analise a tabela.

AS DEZ CIDADES MAIS POPULOSAS DO  MUNDO EM 1900 E EM 2007.

(ONU, 2007.)

1º Londres Tóquio 2º Nova Iorque Nova Iorque3º Paris Cidade do México 4º Berlim Mumbai 5º Chicago São Paulo 6º Viena Nova Delhi 7º Tóquio Xangai 8º São Petersburgo Calcutá 9º Manchester Daca 10º Filadélfia Buenos Aires

 

Assinale a alternativa que compara corretamente a localização das maiores cidades do mundo em 1900 e 2007, respectivamente.

a) Todas no hemisfério ocidental; apenas uma no hemisfério oriental.

b) Exclusivamente no hemisfério sul; predominantemente no hemisfério norte.

c) Apenas nos países em desenvolvimento; todas nos países ricos.

d) Apenas nos países ricos; predominantemente nos países emergentes ou em desenvolvimento.

e) Nenhuma na América Latina; exclusivamente no Sudeste Asiático.

 

 

 

43. CIDADES E SEGREGAÇÃO  UFSCAR 2009

 

A violência e o medo combinam-se a processos de mudança social nas cidades contemporâneas, gerando novas formas de segregação espacial e discriminação social. Nas duas últimas décadas, em cidades tão diversas como São Paulo, Los Angeles, Johannesburgo, Buenos Aires, Budapeste, Cidade do México e Miami, diferentes grupos sociais, especialmente das classes mais altas, têm usado o medo da violência e do crime tanto para justificar novas tecnologias de exclusão social quanto sua retirada dos bairros tradicionais dessas cidades.

(...) as formas de exclusão e encerramento (...) são tão generalizadas que se pode tratá-las como parte de uma fórmula que elites em todo o mundo vêm adotando para reconfigurar a segregação espacial de suas cidades.

(Teresa Pires do Rio Caldeira, Cidade de muros. 2000.)

a) Diferencie as cidades de muros contemporâneas das cidades muradas da Antiguidade.

b) Identifique fatores que influenciam as classes sociais mais altas a compor segregação espacial e discriminação social nos espaços urbanos contemporâneos.

 

44 CIDADES GLOBAIS    ENEM 2009

 

Alem dos inúmeros eletrodomésticos e bens eletrônicos, o automóvel produzido pela industria fordista promoveu, a partir dos anos 50, mudanças significativas no modo de vida dos consumidores e também na habitação e nas cidades. Com a massificação do consumo dos bens modernos, dos eletroeletrônicos e também do automóvel, mudaram radicalmente o modo de vida, os valores, a cultura e o conjunto do ambiente construído. Da ocupação do solo urbano ate o interior da moradia, a transformação foi profunda.

MARICATO, E Urbanismo na periferia do mundo globalizado:

metrópoles brasileiras. Disponível em http://wwwscielo.br Acesso em: 12 ago 2009 (Adaptado)

Uma das conseqüências das inovações tecnológicas das ultimas décadas, que determinaram diferentes formas de uso e ocupação do espaço geográfico, e a instituição das chamadas cidades globais, que se caracterizam por

a) possuírem o mesmo nível de influencia no cenário mundial.

b) fortalecerem os laços de cidadania e solidariedade entre os membros das diversas comunidades.

c) constituírem um passo importante para a diminuição das desigualdades sociais causadas pela polarização social e pela segregação urbana.

d) terem sido diretamente empacadas pelo processo de internacionalização da economia, desencadeado a partir do final dos anos 1970.

e) terem sua origem diretamente relacionadas ao processo de colonização ocidental do século XIX.

 

45 CIDADES E PLANEJAMENTO ENEM 2009

 

A mais profunda objeção que se faz à idéia da criação de uma cidade, como Brasília, e que o seu desenvolvimento não poderá jamais ser natural. E uma objeção muito seria, pois provem de uma concepção de vida fundamental: a de que a atividade social e cultural não pode ser uma construção. Esquecem-se, porem, aqueles que fazem tal critica, que o Brasil, como praticamente toda a América, e criação do homem ocidental.

PEDROSA. M. Utopia: obra de arte. Revista do Programa de Pós-graduação em Arte (UnB),

Vol. 5, n.o 1, 2006 (adaptado)

As idéias apontadas no texto estão em oposição, porque

a) a cultura dos povos e reduzida a exemplos esquemáticos que não encontram respaldo na historia do Brasil ou da América.

b) as cidades, na primeira afirmação, tem um papel mais fraco na vida social, enquanto a América e mostrada como um exemplo a ser evitado.

c) a objeção inicial, de que as cidades não podem ser inventadas, e negada logo em seguida pelo exemplo utópico da colonização da América.

d) a concepção fundamental da primeira afirmação defende a construção de cidades e a segunda mostra, historicamente, que essa estratégia acarretou sérios problemas.

e) a primeira entende que as cidades devem ser organismos vivos, que nascem de forma espontânea, e a segunda mostra que ha exemplos históricos que demonstram o contrario.

 

 

46 FGV 2012 ADMINISTRAÇÃO URBANIZAÇÃO

 

A urbanização – o aumento da parcela urbana na população total – é inevitável e pode ser positiva. A atual concentração da pobreza, o crescimento das favelas e a ruptura social nas cidades compõem, de fato, um quadro ameaçador. Contudo, nenhum país na era industrial conseguiu atingir um crescimento econômico significativo sem a urbanização. As cidades concentram a pobreza, mas também representam a melhor oportunidade de se escapar dela.

(Situação da População Mundial 2007: desencadeando o potencial de crescimento urbano. Fundo de População das Nações Unidas [UNFPA], 2007, p. 1.)

Assinale a alternativa que apresenta uma afirmação coerente com os argumentos do texto:

a) No mundo contemporâneo, os governos devem substituir políticas publicas voltadas ao meio rural por políticas destinadas ao meio urbano.

b) A urbanização são terá efeitos positivos nas economias mais pobres se for controlada pelos governos, por meio de políticas de restrição ao êxodo rural.

c) A concentração populacional em grandes cidades e  uma das principais causas da disseminação da pobreza nas sociedades contemporâneas.

d) Nos países mais pobres, o processo de urbanização e responsável pelo aprofundamento do ciclo vicioso da exclusão econômica e social.

e) Os benefícios da urbanização não são automáticos, pois ha necessidade da contribuição das políticas publicas para que eles se realizem.

 

 

47  ENEM 2011 FAVELAS

 

Subindo morros, margeando córregos ou penduradas em palafitas, as favelas fazem parte da paisagem de um terço dos municípios do pais, abrigando mais de 10 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

MARTINS, A. R. A favela como um espaço da cidade.

Disponível em: http://www.revistaescola.abril.com.brAcesso em: 31 jul. 2010.

A situação das favelas no pais reporta a graves problemas de desordenamento territorial. Nesse sentido, uma característica comum a esses espaços tem sido

a) o planejamento para a implantação de infra-estruturais urbanas necessárias para atender as necessidades básicas dos moradores.

b) a organização de associações de moradores interessadas na melhoria do espaço urbano e financiadas pelo poder publico.

c) a presença de ações referentes a educação ambiental com conseqüente preservação dos espaços naturais circundantes.

d) a ocupação de áreas de risco suscetíveis a enchentes ou desmoronamentos com conseqüentes perdas materiais e humanas.

e) o isolamento socioeconômico dos moradores ocupantes desses espaços com a resultante multiplicação de políticas que tentam reverter esse quadro.

 

 

48   UNICAMP 2012 URBANIZAÇÃO NO BRASIL

 

O Brasil experimentou, na segunda metade do século 20, uma das mais rápidas transições urbanas da história mundial. Ela transformou rapidamente um país rural e agrícola em um país urbano e metropolitano, no qual grande parte da população passou a morar em cidades grandes. Hoje, quase dois quintos da população total residem em uma cidade de pelo menos um milhão de habitantes.

(Adaptado de George Martine e Gordon McGranahan, “A transição urbana brasileira: trajetória, dificuldades e lições aprendidas”, em Rosana Baeninger (org.), População e cidades: subsídios para o planejamento e para as políticas sociais. Campinas: Nepo / Brasília: UNFPA, 2010, p. 11.)

Considerando o trecho acima, assinale a alternativa correta.

a) A partir de 1930, a ocupação das fronteiras agrícolas (na Amazônia, no Centro-Oeste, no Paraná) foi o fator gerador de deslocamentos de população no Brasil.

b) Uma das características mais marcantes da urbanização no período 1930-1980 foi a distribuição da população urbana em cidades de diferentes tamanhos, em especial nas cidades médias.

c) Os últimos censos têm mostrado que as grandes cidades (mais de 500 mil habitantes) têm tido crescimento relativo mais acelerado em comparação com as médias e as pequenas.

d) Com a crise de 1929, o Brasil voltou-se para o desenvolvimento do mercado interno através de uma industrialização por substituição de importações, o que demandou mão de obra urbana numerosa.

 

49  PUC SP 2012 URBANIZAÇÃO

 

“A cidade tem sido sempre o lugar da liberdade, um lugar de refugio para os pobres e desenraizados. E para minorias de todos os tipos, que encontraram proteção na cidade […] A diversidade de origem e uma constante da população das cidades. A cidade tem sido com freqüência

o espaço da coexistência e da mestiçagem. Isso não foi produzido sem dor e dificuldades. Porem, tem gerado sempre conseqüências positivas para as áreas urbanas e para o desenvolvimento da cultura em geral. Sempre nas cidades essa diversidade tem sido maior que nas áreas rurais e, maior nas grandes cidades do que nas pequenas.

E tudo isso em todas as épocas, países e cultura.”

(Horacio CAPEL. Los inmigrantes en la ciudad. Crecimiento econômico, innovacion y conflicto social [Os imigrantes na cidade. Crescimento econômico, inovacao e conflito social] In: Scripta Nova. Revista Electronica de Geografia y Ciencias Sociales. Barcelona: Universidad de Barcelona, N.o 3, 1 de mayo de 1997,

http://www.ub.es/geocrit/sn-3.htm, acesso em 11 de outubro de

2011, tradução nossa)

Considerando o texto, e correto afirmar que

a) e da natureza das grandes cidades a diversidade cultural e étnica, visto que não ha grandes populações urbanas homogêneas, já que as cidades, em razão de suas múltiplas atividades e possibilidades, tem um

poder de atração bastante abrangente.

b) grandes cidades, quanto mais desenvolvidas, notabilizam-se por terem populações homogêneas do ponto de vista étnico e cultural, isso porque ha dificuldades para o desenvolvimento, quando se depende de relações entre pessoas muito diferentes.

c) a generosidade na recepção de imigrantes e uma condição que as cidades modernas perderam, na Europa, e também no Brasil, em vista dos encargos que os imigrantes impõem, sem retorno econômico equivalente.

d) as inevitáveis dificuldades de convivência nas cidades entre os imigrantes e os nativos agravam-se quando a imigração e estrangeira, pois se nacional ela e recebida sem preconceitos, como ocorre na metrópole de São Paulo.

e) o fenômeno migratório gerou nas cidades modernas muita riqueza econômica e cultural, mas atualmente isso não mais ocorre, pois a fase original de povoamento das grandes cidades já foi completada e atualmente elas não comportam novos contingentes populacionais.

 

50 PUC SP JULHO 2012  CIDADES BRASILEIRAS 

 

Leia com atenção:

“As cidades constituem-se no palco das contradições econômicas, sociais e políticas e o sistema viário é um espaço em permanente disputa entre diferentes atores, que se apresentam como pedestres, ciclistas, condutores e usuários de automóveis, caminhões, ônibus e motos.”

(BRASIL Acessível. Programa Brasileiro de Acessibilidade Urbana. Ministério das Cidades, 2006. p. 2.)

A referencia aqui são as grandes cidades brasileiras.

Sobre a questão da acessibilidade nessas áreas pode-se observar que

a) nas “disputas” por mobilidade urbana, a auto mobilização crescente gera problemas para o pedestre que também e usuário dos transportes coletivos.

b) as preocupações constantes com a mobilidade e a segurança dos pedestres se estendem cada vez mais aos portadores de necessidades especiais.

c) a multiplicação do habito do uso da bicicleta resultou da construção de muitas ciclovias nas cidades, roubando, se necessário, espaço dos automóveis.

d) ônibus e caminhões, ao multiplicarem-se no sistema viário das grandes cidades, são como vilões que provocam transito e atrapalham os pedestres.

e) a multiplicação de motos nas cidades brasileiras e responsável pelos congestionamentos e por dificuldades na circulação de pessoas e mercadorias.

 

 

 

GABARITO

 

 1  C   2 B  3 E  4   A   5  C

 

Resolução  6

a) A partir da década de 1960, observamos que a população  urbana ultrapassa a população rural, fato constatado  pelo censo de 1970. Entre os vários fatores  explicativos, podemos destacar a continuidade do processo de concentração de terras, dificultando o  acesso da população de baixa renda à terra, a modernização das lavouras e a conseqüente dispensa

de trabalhadores, substituídos por máquinas, além da implantação do Estatuto do Trabalhador

Rural, que equiparava, no que concerne aos benefícios  sociais, o trabalhador rural ao trabalhador urbano, provocando no meio rural a substituição pelo trabalhador  temporário, o bóia-fria.  Também podemos citar os baixos salários pagos no campo e as péssimas condições de acesso à saúde  e educação como fatores de “expulsão” do homem  do campo para as cidades.

b) As principais conseqüências dessa migração podem  ser vistas nas grandes metrópoles brasileiras, notadamente  do Centro-Sul, que, sem condições para  absorver esse contingente de migrantes, provocou  a macrocefalia urbana, ou seja, a falta de empregos,  moradias, escolas, hospitais etc, fazendo aumentar  os níveis de exclusão social com conseqüente

aumento da violência.  Podemos destacar, também, o “inchaço” do setor terciário  com o aumento da informalidade, ocasionado,  entre outros, pela baixa qualificação dos trabalhadores  vindos das áreas rurais. A expansão da mancha urbana  para áreas periféricas promoveu impactos ambientais, tais como o desmatamento, a ocupação irregular  de áreas de mananciais e encostas.

 

7 B 8 B

 

Resolução 9

a) A tabela demonstra a grande expansão do rádio nas residências permanentes  que ocorreu de modo generalizado em todo o país  e particularmente nas regiões Norte , Nordeste e Centro Oeste que tinham em 1970 percentuais inferiores a 50% e no até 2000 equiparam-se às demais  . Pelo percentual alcançado , fica claro que o uso do rádio incluir grande parte das residências na área rural , com a exceção daqueles locais de difícil acesso, particularmente na região Norte devido à sua grande extensão territorial que impede que os sinais alcancem determinadas regiões mais distantes .

b) Os processos de urbanização e de industrialização produziram o deslocamento de significativa parcela da população rural para as cidades . Com o aumento do poder aquisitivo da população , associada à maior oferta de bens de consumo durável produzidos no país , pelo processo de substituição de importações iniciado nos anos 1940, além do barateamento de seu custo, possibilitou  a que os bens básicos de consumo como geladeira, fogão, televisão e rádio se tornassem comuns nas residências permanentes , espalhando-se por todo o país , inclusive pelas áreas rurais , também beneficiadas com a melhora da infra estrutura de transportes , energia elétrica , entre outros.

 

RESPOSTA  10

 

O quadro mostra que a área central desvalorizada face à deterioração urbana está perdendo população . A periferia consolidada apresenta índice de crescimento normal pelo deslocamento da classe média em busca de apartamentos mais baratos e pela formação de loteamentos populares e as fronteiras urbanas  estão sendo ocupadas intensivamente pela população mais pobre , em loteamentos clandestinos , a maioria sem qualquer infra-estrutura  e ameaçando os manaciais . 

 

11 E  12 B

 

Resolução 13

a) Áreas metropolitanas são zonas urbanas formadas pelo processo de conurbação (junção de áreas urbanas) outrora diferenciadas entre si, que se consolidaram como centros de influência e ocupam a principal posição hierárquica em relação aos outros municípios. Uma área metropolitana, no Brasil, sempre se constitui de dois ou mais municípios.

Metropolização é o processo de formação das metrópoles através da conjugação de fatores como crescimento industrial e de serviços, e forte atração

populacional.

b) As cinco maiores regiões metropolitanas, em ordem populacional decrescente, são São Paulo (17,8 milhões de habitantes), Rio de Janeiro (10,8

milhões de habitantes), Belo Horizonte (4,3 milhões de habitantes), Porto Alegre (3,6 milhões de habitantes) e Recife (3,3 milhões de habitantes).

 

14 D

 

Resolução  15

a) Regiões: Sudeste (SP, RJ, BH); Nordeste (Fortaleza); Sul (Curitiba).

Os maiores aumentos foram na Região Sudeste (Guarulhos, Volta Redonda, Rio de Janeiro) e na Região Norte (Belém). A região em que não há correspondência é a Norte, onde houve aumento em Belém (73), acima de 40. Na Região Sul, temos Curitiba, com mais de 100, mas não apresentou aumento maior do que 40 favelas.

b) O processo de favelização é um fenômeno urbano que decorre do fato de as cidades representarem o destino de parte significativa da população rural nos países subdesenvolvidos que migra para as áreas urbanas em busca de melhores condições de vida e em função de não ter condições econômicas para a compra de terrenos urbanos regulares , ocupa áreas clandestinas nas cidades , construindo habitações com qualquer material e em áreas sem qualquer infra-estrutura

Minas Gerais está em uma situação favorável pois aparece no quadro apenas a capital |Belo Horizonte . O fato de não ter havido crescimento no  número de favelas entre 1991 e 2000 certamente está ligado à política adotada pela administração municipal que deve ter adotado medidas que impediram esta expansão .  Não há indicação no quadro quanto à população total destas áreas , que pode ter crescido .

 

Resolução  16

a) As populações mais pobres que migram das áreas rurais para as áreas urbanas , ou que residem em imóveis alugados nas áreas urbanas não tem poder aquisitivo para a aquisição de um terreno regularizado . Os loteamentos clandestinos na medida em que não contam com a instalação de equipamentos urbanos e de infra-estrutura são mais baratos . por sua vez o poder público municipal não exerce sua atividade de fiscalização , facilitando a ação dos especuladores . Não existe também por parte do governo um conjunto de políticas públicas que resulte na oferta de lotes regulares em quantidade suficiente para a população de menor poder aquisitivo .

b) Os loteamentos clandestinos  ignoram quaisquer critérios  técnicos de ocupação avançando sobre áreas de mananciais , áreas de mata , áreas com declividade acentuada , etc. Com relação aos mananciais a proximidade dos reservatórios facilita o assoreamento e a poluição com o lançamento de esgotos clandestinos . 

 

Resolução  17

A.a ) A economia brasileira iniciou um ciclo de crescimento continuado que teve início com a cafeicultura e que resultou em um processo acelerado de urbanização que teve início no início do século XX e foi se acentuando ao longo do tempo e que resultou na alteração de um país cuja população no início do século XX  era predominantemente agrícola para os anos 1960 quando a maior parte da população já era urbana . São Paulo foi a metrópole que melhor expressou este crescimento urbano e que concentrou os focos de migração rural urbana .

A.b) O Rio de Janeiro no início do século XX era a capital federal e o principal porto do país . Por esta razão representava na época a mais importante cidade brasileira .

A.c.) A crescente atividade industrial concentrou-se em São Paulo a partir  da decadência do café em  1930 . São Paulo com a industrialização tornou-se também o maior polo comercial e financeiro do país , daí passar a  ser a cidade mais importante do país a partir de 1950 ;

A.d) Nos últimos dez anos observou-se um processo de saída de empresas de São Paulo em busca de menores custos de mão de obra e de incentivos fiscais . Porém São Paulo continua sendo a principal metrópole do país , com maior desenvolvimento do setor financeiro e de prestação de serviços , além de representar uma metrópole global pela sua importância no cenário nacional e internacional .

 

  • E  19  A     20 D

 

Resolução  21

O processo de especulação imobiliária quando se espalha pela área rural causa o aumento do preço da terra , a expulsão de trabalhadores agrícolas destas áreas , aumento dos fluxos de pessoas e veículos causando problemas de poluição dos rios e desmatamento , ou seja, trazendo para a área rural alguns problemas que são típicos da área urbana .

 

 

22 B  23 A  24 C

 

Resolução  25

a) Superurbanização é a denominação dada a expansão urbana desordenada, comum aos países do Sul, com as cidades crescendo rapidamente sem controle algum , sem a ampliação da infra-estrutura e sem a geração de empregos , resultando em consequência a exclusão social e a marginalização , além da vida em condições precárias em termos de habitação e serviços urbanos .

b) A forte urbanização em andamento nos países do Sul da Ásia , decorre de sua modernização econômica . Do lado do campo houve a introdução de máquinas e tecnologia que demandaram menos utilização de mão de obra . De outro lado a modernização e industrialização nas cidades , passaram a tornar os centros urbanos polos de atração , acelerando o êxodo rural  . O crescimento do setor de serviços também contribuiu para o imenso crescimento de determinadas cidades .

c) O termo “favela” muito utilizado no Brasil caracteriza um tipo de aglomeração urbana comum nas grandes cidades em todo o Terceiro Mundo , designando submoradias , construídas precariamente com madeira ou outros materiais , geralmente carentes de infra-estrutura de serviços , ou dispondo dos mesmos de forma precária , onde não há títulos de propriedade da terra e muitas delas são localizadas em áreas sujeitas a inundações ou deslizamentos ou mesmo em loteamentos clandestinos .    

 

26 A27 C  28 A 29 D 30 D

 

Questão 31  RESPOSTA ESPERADA UNICAMP

a) Porque o mercado imobiliário estimula novos eixos de ocupação; a necessidade de expansão de novos negócios colide com outros usos do espaço, impedindo a ampliação de certas atividades pré-existentes ou a ampliação de novas. Há o deslocamento de atividades e usos, como as moradias, que “migram” para outras áreas. Há o  abandono do uso do centro pelos estratos médios e altos (mudança de perfil econômico). Além disso temos a falta de manutenção das estruturas dos centros das cidades e a obsolescência das edificações, em razão das alterações nos modos de vida (como edificações usadas para moradia) e novas necessidades (como a exigência de garagens múltiplas).

b) Os moradores antigos muitas vezes são removidos; as edificações degradadas ou são demolidas ou são reformadas para um novo uso (refuncionalização), muitas vezes para fins turísticos, de lazer e também, muitas vezes, há a revalorização do patrimônio histórico; há o embelezamento de áreas públicas e monumentos; há o apoio de empresas para o financiamento das atividades.

 

 

Resolução  32

A rede urbana brasileira na região Sul e Sudeste encontra-se bastante desenvolvida e articulada , com uma infra-estrutura bem desenvolvida e integrada .

Já na Região Norte  e em menor intensidade no Centro Oeste , de colonização mais recente , não existe esta articulação e as cidades não estão integradas entre si , destacando-se as maiores , como Belém e Manaus , Cuiabá , como centros polarizadores .

Esta diferença tem relação com a evolução econômica brasileira que privilegiou as áreas costeiras em detrimento do interior . Porém , a partir da década de 1970 a região Centro Oeste vem passando por um processo acelerado de crescimento econômico , crescendo a articulação entre as cidades da região , a partir da grande expansão da produção agrícola .

 

33 B  34 A

 

Resolução 35

Naturalmente o grande número de habitantes é causador dos problemas decorrentes  que estão ligados à escassez de alimentos , à fome crônica da população mais pobre e os milhões de marginalizados expulsos pelas guerras e conflitos principalmente na África e na Ásia . Outro problema demográfico é a acelerada urbanização causando a exclusão social e o aumento da violência e da marginalidade .

 

36 D 37 B  38 B  39 D  40 B  41 D  42 D

 

Resolução 43

a) Nas cidades antigas os muros eram erguidos como forma de defesa contra a invasão de inimigos externos . Nas cidades contemporâneas os muros são erguidos como forma de defesa contra inimigos internos ou seja, contra ladrões .

b) a segregação espacial e a discriminação social nos centros urbanos contemporâneos ocorre devido ao brutal aumento da violência e da criminalidade .

 

44 D  45 E  46 E  47 D  48 D 49 A 50 A   .

Comentarios

Inclua  seu comentário                               

                                            

Nome:                               Mail:

 

                                              

CAPTCHA Image          

 




De sua nota para este Texto             
Currículo do Autor Exibido: Contador disponível só para assinantes - Assine Aqui
 
Receba um aviso sempre que este autor publicar novos textos, clique aqui
Patrocine esse Autor Patrocine esse Texto envie este texto para um amigoveja outros textos deste autor





VITRINA DE E-BOOKS
OS PROBLEMAS DO PAÍS E A FALTA DE ATITUDE DOS POLÍTICOS
Nilza Paiva
SESMARIA DE OUTONO
José Ernesto Kappel
O SEQUESTRO DO DEPUTADO
Djalma Ferreira
VITRINA DE LIVROS IMPRESSOS
HISTÓRIAS QUE CONTAVA PARA O MEU NETO
Maria Hilda de J. Alão
FUTEBOL TAMBÉM É COISA DE MULHER
Maria Teresa Innecco Corrêas
Dona Joaquina do Pompéu-Sua História e a sua Gente
Deusdedit P.R. Campos
BACABA II - TODA A VERDADE SOBRE A GUERRILHA DO ARAGUAIA E A REVOLUÇÃO DE 1964
José Vargas Jiménez
Estação Jugular - Uma estrada para Van Gogh
Allan Pitz
Estação Poética - Jandira Costa
Ana Carolin
Lina e Lero e o Castelo Mágico - Lina et Lero et le Château Magique
Ana Carolina Vieira
Kôra: o pressentimento do dragão
Ana Flávia Abreu
Humor Vermelho - vol. 2
org. por Barbara Cassará
Humor Vermelho - vol. 1
Isabella Saes
Ninguém quer comer meu ovo
Chef Batato (Barbara Cassará, Tatiana Berlim e Tomaz Adour)
VERTIGEM LUNAR
Fernando Pellisoli
A Última Entrevista de José Saramago
José Rodrigues dos Santos
Seu Adolpho
Felipe Pena
O Melhor da Pior Parte
JBruno Graciano
Contente em Ler - Cineastas – Volume I
Varios Cineastas
Divulgue seu livro