Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
80 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55221 )
Cartas ( 21066)
Contos (12156)
Cordel (9592)
Crônicas (21295)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40122)
Humor (17564)
Infantil (3566)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135853)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Vida de Jesus - Coleções de lendas e mitos anteriores a ele? -- 25/09/2008 - 11:15 (Ivo S. G. Reis) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Cristo antes de Cristo? Seriam os evangelhos apenas coleções de lendas e mitos de antigas religiões?

Com o título "COMO CRISTO, MAS ANTES DELE", e o subtítulo "Uma lápide de pedra indica que a idéia de um messias sofredor que ressuscitou ao terceiro dia já existia no judaísmo", a revista Veja, edição 2069, de 16 de julho de 2008, relata que uma lápide de pedra, de menos de um metro de altura, com 87 linhas de texto em hebraico e adqurida há uma década pelo suiço David Joselsohn, continha inscrições que, segundo os peritos, referia-se a um messias sofredor que morreria assassinado pelo exército de um rei judeu e ressuscitaria no terceiro dia após a sua morte, semelhantemente ao que teria acontecido com o Cristo dos Evangelhos. O curioso é que essa lápide "é anterior em provavelmente várias décadas ao nascimento de Jesus" (sic).

Segundo a matéria da Veja, a pedra, adquirida ao acaso, somente começou a ser estudada no ano passado por arqueólogos, pesquisadores e a comunidade científica e ainda poderá vir a suscitar alguns debates, mas não com relação à sua autenticidade, que vem sendo dada como genuína, sem suscitar controvérsias, o que já constitui um ponto fundamental inquestionável para o prosseguimento das pesquisas.

Todo o texto deve ser lido com profunda reflexão porque, a despeito de supor-se que o "messias" a que se refere a lápide possa ser um homem chamado Simão, assassinado pelo exército do rei judeu e colaborador romano, Herodes, a semelhança com os acontecimentos relacionados a Cristo é muito grande e a história do próprio Cristo "não foi um evento isolado e anômalo, mas estaria ligado de forma estreita à mística judaica do período e à atmosfera política de uma nação sob ocupação romana" e que "as vária profecias que Jesus fez sobre sua própria morte ganhariam um outro matiz - seriam não mais vaticínios sem um precedente histórico e cultural, mas noções já fincadas nas crenças de seu tempo e lugar."

Este é o resumo que fiz para os nossos leitores e os textos em itálico e vermelho são transcrições literais da matéria original da revista Veja, tal como publicados. A edição 2069 poderá ser comprada como número atrasado ou, para aqueles que tiverem o acesso ou vierem a consegui-lo, ser baixada no site da própria revista (http://www.veja.com.br )

-----------------------------------------------------------------------

Reflexões sobre o Cristo crucificado e "salvador" da humanidade:

Em várias outras matérias que publiquei, tanto no blog " Debata, Desvende e Divulgue! ", como em vários outros blogs, fóruns e sites onde participo como administrador, moderador ou colaborador, tenho alertado sobre a grande e real possibilidade - que defendo, até prova em contrário - de que os Evangelhos, sejam uma coleção de lendas e mitos de antigos povos e religiões, em alguns séculos e até mais de um milênio, anteriores ao Cristo bíblico. Segundo elas, teriam existido 16 (dezesseis) Cristos, antes do Cristo dos Evangelhos, com histórias de vida com inúmeros pontos em comuns, em quase todas elas: "a vinda do messias salvador, nascido de uma virgem", "a semelhança entre os nomes Cristo, Chrestus, Iesus, Ieoshua, Jeseus, Hesus e outros", "os nomes da mãe de Jesus (todos assemelhados a Maria)", " o nascimento e a visão dos 3 reis magos", "a perseguição real e a fuga dos pais para evitar a morte da criança", "os princípios de justiça, bondade e tolerância pregados", "as curas milagrosas", "os doze apóstolos", "a santidado, como filho de deus", "a condenação, a morte na cruz e a ressureição" "as 3 entidades em uma", "a pomba, o espírito santo e o sagrado coração de Jesus".

Segundo Kersey Graves (1875), em seu livro The Word`s Sixteen Curcified Saviors (OS DEZESSEIS SALVADORES CRUCIFICADOS), seriam estes os principais crucificados, com histórias semelhantes a do Jesus dos Evangelhos: 1- KHRISNA (Índia, 1200 a.C), 2- BUDA SAKYAMUNI (600 a.C), 3- THAMUZ (Síria, 1160 a.C.), 4- WITTOBA (Índia, 522 a.C.), 5- IAO (Nepal, 622 a.C) , 6- HESUS, O DRUIDA CELTA (834 a.C.), 7- QUETZALCÓATL (México, cultura asteca e maia, 587 a.C.), 8- QUIRINUS (Roma, 506 a.c), 9- AESCHYLUS, PROMETEU CRUCIFICADO (Grécia, 547 a.C.), 10 - THULIS (Egito, 1700 a.C.), 11- INDRA (Tibet, 725 a.C.), 12 - ALCESTUS (Grécia, 600 a.C), 13 - ATYS (Frígia, 1170 a.C), 14- CRITES (Caldéia, 1200 a.C.), 15- BALI DE ORISSA (Leste da ìndia, 725 a.C.), 16 - MITRA (Pérsia, 600 a.C).

Além desses 16 casos clássicos, cita-se também os de Devatat (do Sião) e Apolônio de Thiana (Capadócia), aos quais, agora, vem se acrescentar o de Simão ou "Revelação de Gabriel", porquanto o arcanjo seria seu orador. A história definitiva sobre este último caso ainda está por ser escrita, mas tudo indica que será "mais um".

De tudo que foi visto, é lícito pressupor-se que se essas histórias do messias salvador crucificado eram tão presentes nos povos antigos e se os judeus da época cristã nelas acreditavam e precisavam de um personagem central para o cristianismo, nada os impediria de adaptá-la para os seus propósitops e incluí-la nos evangelhos, como se verdadeira fosse. Esta é a hipótese mais provável. Coincidências, ao longo dos tempos, de mortais comuns que supunham ser o messias e tentavam viver a história mítica, sempre existiram e existem até hoje. Como os Evangelhos são desprovidos de autenticidade histórica, vários judeus e outros personagens poderiam ter tentado fazer-se passar pelo personagem mítico, antes e até depois de sua suposta existência.

Para ilustrar e corroborar minhas afirmações, vejam o vídeo abaixo, que produzi a respeito do INRI Cristo, um personagem brasileiro, vivo, com seguidores, e que faz pregações pelo Brasil e pelo mundo, dizendo ser o Cristo reencarnado (eu o conheci e sei que ele não é charlatão e realmente acredita nisso). Apesar de parecer ser um vídeo humorístico, não o é. Muito pelo contrário: é sério e reflete uma situação que poderia ter existido no passado e que poderá vir a se repetir no futuro, após algumas centenas de anos, quando algum historiador a ela se referir.

INRI Cristo, O Jesus Reencarnado (no Brasil)

http://www.youtube.com/watch?v=4_70T-YmrkQ


Ivo S G Reis



Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mencionar: Autor original: Ivo S. G. Reis; fonte: Recanto das Letras - Site do Autor - http://www.ivosgreis.prosaeverso.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.




Publicado em 25/09/2008 às 09h46
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui