Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
103 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54950 )
Cartas ( 21059)
Contos (12121)
Cordel (9547)
Crônicas (21140)
Discursos (3109)
Ensaios - (9910)
Erótico (13133)
Frases (39909)
Humor (17551)
Infantil (3560)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135663)
Redação (2874)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4197)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Família Tavolaro (de Piraí) -- 20/05/2004 - 23:49 (Pedro Wilson Carrano Albuquerque) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A FAMÍLIA TAVOLARO DE PIRAÍ


§ 1º

I – DOMENICO TAVOLARO. N. entre 1531 e 1561. Foi o mais antigo membro da Família Tavolaro descoberto pelo autor, com a ajuda do Istituto Araldico Coccia, de Florença, Itália. Pai de:
1(II) PIETRO ANTONIO TAVOLARO, que segue no § 2º.

§ 2º

II – PIETRO ANTONIO TAVOLARO. N. por volta de 1581. Foi casado com FORTUNATA MATTEO. No Livro de Óbitos da Paróquia da Santíssima Trindade, de Tramútola, relativo ao ano de 1640, consta, segundo certidão fornecida pelo Pároco, Padre Michele Palumbo, que Pietro Antônio, filho de Domenico Tavolaro e marido de Fortunata, com a idade de 59 anos, morreu e foi sepultado no Cemitério da Comunidade em 24-FEV-1640. Filho conhecido:
1(III) DOMENICO MATTEO TAVOLARO, que segue no § 3º.

§ 3º

III – DOMENICO MATTEO TAVOLARO. Bat. em 15-ABR-1614 em Tramútola, Potenza, Itália, conforme certidão emitida pelo Padre Michele Palumbo, com base em assentamento extraído do Livro de Registro de Batismos da Paróquia da Santíssima Trindade realizados no ano de 1614, com o seguinte teor: “Domenico Matteo figlio di Pietro Tavolaro e di Fortunata Matteo coniugi fu battezzato e tenuto al Sacro Fonte da Antonio Lombardo il 15 aprile 1614” (tradução: Domenico Matteo, filho dos cônjuges Pietro Tavolaro e Fortunata Matteo, foi batizado e levado à Sagrada Fonte por Antonio Lombardo em 15-ABR-1614). Domenico casou com ANNA TODISCO. Certidão fornecida pela Paróquia da Santíssima Trindade, de Tramútola, revela que Domenico e Anna, após o interrogatório de praxe e a manifestação de concordância dos noivos, na forma recomendada pelo Sagrado Concílio de Trento, foram unidos em matrimônio pelo Pároco naquela localidade em 28-AGO-1642. Filhos (conforme pesquisa nos arquivos de Tramútola feita pelo Istituto Araldico Coccia):
1(IV) FORTUNATA TAVOLARO. Bat. em 13-ABR-1644 em Tramútola, Potenza, Itália.
2(IV) POLITO TAVOLARO, que segue no § 4º.
3(IV) PIETRO ANTONIO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 20-OUT-1650.

§ 4º

IV – POLITO TAVOLARO. Certidão de batismo fornecida pelo Padre Michele Palumbo, Pároco da Paróquia da Santíssima Trindade, de Tramútola, informa que no livro onde estão registrados os batismos de 1648 consta o seguinte: “Polito figlio di Domenico Tavolaro e di Anna Todisco coniugi fu battezzato per D. Carlo Del Terzo, levato al Sacro Fonte per Caterina Ciorciari il 24 gennaio 1648” (tradução: Polito, filho dos cônjuges Domenico Tavolaro e Anna Todisco, foi batizado por D. Carlo Del Terzo e levado à Sagrada Fonte por Caterina Ciorciari em 24-JAN-1648). Do Livro de Casamentos do Ano de 1673 da mesma Paróquia consta que “Polito Tavolaro e Marzia Tavolaro prima interrogati e com mutuo consenso explorato furono congiunti in matrimonia da me Parr.o il 4 giugno 1673” (tradução: Polito Tavolaro e Marzia Tavolaro, após prévio interrogatório, foram unidos em matrimônio, com mútuo consenso e diante de mim, o Pároco, em 4-JUN-1673). Filhos (segundo pesquisa efetuada pelo Istituto Araldico Coccia):
1(V) MATTEO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 5-MAI-1675.
2(V) ANNA MARIA TERESA TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 26-JUL-1679.
3(V) DOMENICA FORTUNATA TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 14-nov-1681.
4(V) DOMENICO ANTONIO TAVOLARO, que segue no § 5º.
5(V) FILIPPO ANTONIO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 29-SET-1683.

§ 5º

V – DOMENICO ANTONIO TAVOLARO. Documento fornecido pelo Padre Michele Palumbo, Pároco da Paróquia da Santíssima Trindade, de Tramútola, revela que Domenico Antonio, filho de Polito Tavolaro e de Marzia Tavolaro, cônjuges, foi batizado por D. Francesco Antonio di Luca em 5-AGO-1685, tendo sido levado à Sagrada Fonte pelo Magnífico Giovanni Battista e por Perna de Nictolis. O registro do sacramento em italiano nos livros de batismos de Tramútola é o seguinte: “Domenico Antonio figlio di Polito Tavolaro e Marzia Tavolaro coniugi fu battezzato per Francesco Antonio di Luca e levato al Sacro fonte per il magnífico Giovanni Battista e Perna de Nictolis il giorno 5 Agosto 1685”. O assentamento nos livros da Paróquia da Santíssima Trindade, de Tramútola, relativo ao seu casamento tem o seguinte teor: “Domenico Tavolaro e la vedova Anna Grieco prima interrogati e com mutuo consenso explorato furono congiunti in matrimonio da D. Nicola Panella... il 23 settembre 1713” (tradução: Domenico Tavolaro e a viúva Anna Grieco, após interrogatórios e com mútua concordância, foram unidos em matrimônio por D. Nicola Panella em 23-SET-1713). Anna Grieco, como se vê no registro paroquial, era viúva quando se casou com Domenico. Pelo sobrenome, ela pertencia, certamente, a família com origem na Grécia. O casal teve, de acordo com o Istituto Araldico Coccia, de Florença, Itália, os seguintes filhos:
1(VI) POLITO ANTONIO TAVOLARO. Bat. em 11-SET-1715 em Tramútola, Potenza, Itália.
2(VI) MARZIA TAVOLARO. Bat. em 6-AGO-1719 em Tramútola, Potenza, Itália.
3(VI) ROSA MARIA ANNA TAVOLARO. Bat. em 21-NOV-1721 em Tramútola, Potenza, Itália.
4(VI) ANTONIO NATALE TAVOLARO, que segue no § 6º.
5(VI) MICHELE FORTUNATO TAVOLARO. Bat. em 13-ABR-1724 em Tramútola, Potenza, Itália.
6(VI) ANGELO MARIA TAVOLARO. Bat. em 9-JUN-1726 em Tramútola, Potenza, Itália.

§ 6º

VI – ANTONIO NATALE TAVOLARO. Lavrador, conforme informado em certidão de óbito do filho Francesco Tavolaro. Bat. Em 21-DEZ-1717 em Tramútola, Potenza, Itália, como mostra o seguinte assentamento da Paróquia da Santíssima Trindade, de Tramútola: “Antonio Natale figlio di Domenico Tavolaro e Anna Grieco coniugi fu battezzato Del R. do D. Daniele (?) de Pierri e ricevuto presso il Sacro Fonte ... da Eugenia Marigliano (la madrina) nel giorno 21 del mese di ottobre 1717” (tradução: Antonio Natale, filho de Domenico Tavolaro e Anna Grieco, cônjuges, foi batizado por D. Daniele de Pierri e banhado com a água da Sagrada Fonte, a que foi levado por Eugenia Marigliano, a madrinha, no dia 21 do mês de outubro de 1717). Casou em 6-JUL-1749, também em Tramútola, com ROSA DEL TERZO, conforme cópia do registro do casamento fornecida pela Paróquia da Santíssima Trindade. Segundo o assentamento com o óbito do filho Francesco, Rosa era fiandeira. Antonio faleceu em 29-SET-1783, conforme cópia de certidão de óbito emitida em 7-JAN-1848 e anexada ao processo de casamento de Luigi Tavolaro. O Istituto Araldico Coccia localizou nos arquivos paroquiais de Tramútola os seguintes filhos:
1(VII) ANNA LUCIA TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 6-DEZ-1750.
2(VII) DOMENICO ANTONIO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 29-AGO-1752. Morreu com pouca idade.
3(VII) DOMENICO ANTONIO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 11-DEZ-1753.
4(VII) PASQUALE TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 18-FEV-1756.
5(VII) FRANCESCO GIROLAMO TAVOLARO, que segue no § 7º.
6(VII) DOMENICA BEATRICE TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 28-MAR-1760.
7(VII) MICHELE ROCCO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 15-JUN-1762.
8(VII) POLITO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 4-JAN-1766.
9(VII) ANTONIA TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 7-AGO-1768.
§ 7º

VII – FRANCESCO GIROLAMO TAVOLARO. Agricultor. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 17-JUL-1771, CONFORME CÓPIA DO REGISTRO DO BATISMO FORNECIDO PELA Paróquia da Santíssima Trindade, com endereço na Via AB, Marino nº 6, em Tramútola. Fal. na mesma localidade em 16-FEV-1842. Segundo certidão de óbito que se encontra anexada ao processo de casamento de seu filho Luigi Tavolaro, Francesco faleceu às seis horas do dia 16-FEV-1842, em sua residência, com 70 anos de idade. Casou com SAVERIA CIORCIARI (fiandeira, nascida em 1778, segundo dados constantes dos registros de casamento e de nascimento de seus filhos). Pais, segundo o Istituto Araldico Coccia, de:
1(VIII) ROSA TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 13-JAN-1798.
2(VIII) SCOLASTICA TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 20-MAR-1801.
3(VIII) ANTONIO DOMENICO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 2-SET-1803.
4(VIII) LUIGI GIUSEPPE ROSARIO TAVOLARO, que segue no § 8º.
5(VIII) FORTUNATA TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 12-MAI-1806.
6(VIII) FRANCESCO GIUSEPPE TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 22-DEZ-1810.
7(VIII) DOMENICO MATTEO TAVOLARO. Bat. em Tramútola, Potenza, Itália, em 17-ABR-1813.

§ 8º

VIII – LUIGI GIUSEPPE ROSARIO TAVOLARO. Agricultor. De acordo com cópia de certidão de nascimento de 7-JAN-1848, em poder do autor, o Livro de Registro de Nascimentos de Tramútola de 1816 contém, na folha nº 31, a seguinte informação (com a tradução do autor): “No ano de mil oitocentos e dezesseis, dia dezesseis do mês de abril, às vinte horas, diante de mim, Carlo Pierri, Síndico e Oficial do Registro Civil da Comunidade de Tramútola, Província de Basilicata, compareceu Francesco Tavolaro, com quarenta anos de idade, lavrador, residente à Rua da Piazza, que declarou que às quatro horas do dia onze de abril nasceu em sua casa uma criança do sexo masculino oriunda de sua mulher Saveria Ciorciari, da comunidade, com 38 anos de idade, fiandeira, domiciliada no dito endereço do marido, ao qual foi dado o nome de Luigi Giuseppe Rosário Tavolaro. A declaração foi feita na presença de Gennaro Grieco, de quarenta e seis anos de idade, lavrador, domiciliado na Rua da Piazza, e de Francesco Lombardo, de trinta anos, lavrador, domiciliado na referida rua. O presente registro é firmado por mim, Carlo Pierri”. Luigi casou em primeiras núpcias com MARIA SPOLIDORO (segundo o Registro nº 18 do Livro de Mortes de Tramútola do ano de 1847, Maria Spolidoro, filha de Francesco Spolidoro e de Irene Di Marca, com 25 anos de idade, nascida em Tramútola, mulher de Luigi Tavolaro, faleceu às 18 horas do dia 15-FEV-1847, na localidade em que nasceu). Suas segundas núpcias, com MADDALENA MARIA ROSARIA CALVIELLO (fiandeira, como registrado no assentamento de seu matrimônio; n. em 19-DEZ-1823 em Tramútola, onde foi batizada em 21-DEZ-1823, e filha de Raffaele Calvielo, lavrador, nascido por volta de 1773, e de Carmina Murena, nascida em torno de 1786, conforme consta da folha nº 123 do Livro de Nascimentos do Ofício do Registro Civil de Tramútola relativo ao ano de 1823). Na Itália, a cerimônia do casamento dava-se na igreja, sendo exigido o seu registro no “stato civile” da comunidade, o equivalente ao nosso cartório de registro civil, geralmente situado no prédio da prefeitura. Algumas vezes, este registro ocorria antes da cerimônia, mediante uma solene promessa de matrimônio, e em outras ocasiões era feito após o enlace na igreja. Em qualquer das duas situações era requerida a presença dos noivos, de seus pais e de quatro testemunhas. É bom notar que a página onde era registrada a solene promessa de casamento dividia-se em duas colunas: uma continha o registro da promessa de casamento e a outra a informação do pároco de que havia sido realizada a cerimônia do matrimônio. No casamento de Luigi e Rosaria houve uma solene promessa de celebração de matrimônio, com o registro dos seguintes dados (Casamento nº 1 do Livro de Matrimônios de 1848 do Ofício Civil de Tramútola), conforme tradução do autor: “Registro da solene promessa de celebração do matrimônio. Nº de Ordem: 1. No ano de mil oitocentos e quarenta e oito, no dia oito do mês de janeiro, às dezesseis horas, na Prefeitura, diante de mim, Michele Talvella, Síndico e Oficial do Registro Civil da comunidade de Tramútola, Distrito de Potenza, Província de Basilicata, compareceram Luigi Tavolaro, com trinta e dois anos de idade, nascido e residente em Tramútola, agricultor, filho de Francesco Tavolaro, já falecido, que residiu e foi agricultor em Tramútola, e de Saveria Ciorciari, fiandeira, residente em Tramútola, e Rosaria Calviello, com vinte e cinco anos, nascida em Tramútola, fiandeira, residente com os pais, filha de Raffaele Calviello, agricultor, residente em Tramútola, e de Carmina Murena, fiandeira, residente com o marido, os quais, na presença das testemunhas, que conheço, em seguida indicadas, nos pediram que recebêsemos sua solene promessa de celebrar diante da Igreja, segundo a forma prescrita pelo Sagrado Concílio de Trento, o seu matrimônio. O proclama foi afixado na porta da Prefeitura de Tramútola no dia sete, domingo, do mês de novembro do presente ano. Foram apresentados os seguintes documentos: 1º) certidão de nascimento do esposo; 2º) certidão de óbito do pai do esposo; 3º) certidão de óbito do avô paterno do esposo; 4º) certidão de óbito de Maria Spolidoro, primeira mulher do esposo; certidão de nascimento da esposa; 6º) certificados dos proclamas feitos, sem ter sido produzida qualquer oposição ao matrimônio. Do ato participaram a mãe do esposo, Saveria Ciorciari, e os pais da esposa, Raffaele Calviello e Carmina Murena, os quais deram permissão aos cônjuges para se prometerem em casamento, como previsto no capítulo sexto do título do matrimônio da lei civil interna, onde se encontram os direitos e obrigações dos esposos; nós recebemos de cada uma das partes, uma após a outra, as declarações de que solenemente prometem celebrar o casamento perante a Igreja, de acordo com a forma ditada pelo Sagrado Concílio de Trento. O presente registro foi feito na presença das quatro testemunhas que participaram da solene promessa, que são: 1. Francesco Marino, com trinta e sete anos, proprietário, residente em Tramútola, na Rua Vallone; 2. Dom Filippo Mazziotta, com trinta e oito anos, médico, residente em Tramútola, na Rua Beato Pietro; 3. Antonio Luppi, com quarenta e oito anos, proprietário, residente em Tramútola, na Rua Purgatório; e. Luigi di Lorenzo, proprietário, residente em Tramútola, na Rua Purgatório. Do acima transcrito, devidamente registrado, dei conhecimento, mediante leitura, às testemunhas e aos futuros esposos, aos quais foram entregues duas cópias exatas para serem apresentadas ao Pároco que celebrará o casamento, firmadas por mim e pelas testemunhas, sendo que os esposos, a mãe do esposo e os pais da esposa declararam não saberem escrever”. Na Folha nº 1 do mesmo Livro, na segunda coluna, ao lado do registro da solene promessa de celebração do matrimônio, encontra-se a seguinte notícia traduzida do italiano pelo autor: “No ano de mil oitocentos e quarenta e oito, no dia nove do mês de janeiro, o Pároco de Tramútola, a quem foi remetida uma das cópias do registro da solene promessa de casamento, certificou que a celebração do matrimônio de Luigi Tavolaro e Rosaria Calviello ocorreu no dia nove do mês de janeiro do ano presente, na presença das testemunhas Dom Domenico Luppi e Nicola Milane. Em vista disso, fizemos a presente anotação, dispondo que uma sua cópia fosse conservada no volume de documentos, à folha sete. Tendo recebido do Pároco a confirmação do casamento, subscrevemos o presente registro. Michele Talvella”. Luigi residiu em Tramútola nas ruas Piazza e Vallicella. Localizamos em Tramútola apenas filhos oriundos do seu segundo casamento, a seguir relacionados:
1(IX) FRANCESCO TAVOLARO. N. por volta de 1848 em Tramútola, Potenza, Itália. Casou em 26-JUN-1869, em Tramútola, com Maria Serafina Pecci (n. em 1849, aproximadamente, em Tramútola; filha de Francesco Pecci e Mariana Peaso.
2(IX) ROSA TAVOLARO.
3(IX) ANTONIO TAVOLARO.
4(IX) MARIA CAROLINA TAVOLARO, que segue no § 9º.
5(IX) ANTONIO TAVOLARO.
6(IX) ROCCO TAVOLARO.
7(IX) MARIA TERESA TAVOLARO.
§ 9º
IX – MARIA CAROLINA TAVOLARO. N. na residência de seus pais, na Rua Piazza, em Tramútola, Potenza, Itália, às vinte e três horas do dia 7-DEZ-1853. Certidão de seu nascimento emitida em 24-OUT-1990, assinada pelo Oficial do Estado Civil de Tramútola, Michele De Marca, contém as seguintes informações, extraídas do Registro de Nascimentos de 1853; Parte I; Registro nº 34 (tradução do autor): ‘Do registro dos Atos de Nascimento desta Comuna, ano, parte, série e número acima indicados, consta que: No dia sete do mês de dezembro do ano de mil oitocentos e cinqüenta e três nasceu em Tramútola Maria Carolina Tavolaro, filha de Luigi e de Rosaria Calviello, do sexo feminino”. Casou em Tramútola, em 24-FEV-1877 com NICOLA CARRANO, filho de Giuseppantonio Carrano e de Mariantonia Corcia, neto paterno de Michele Carrano e de Maria Cândida Tortoriello e neto materno de Michele Corcia e de Francesca Di Pierri, conforme certidão de 30-MAR-1992, assinada pelo Sr. Michele de Marca, com dados constantes do Registro dos matrimônios ocorridos em Tramútola em 1877 (Parte I, Ato nº 2), a seguir transcrita: “Il giorno ventiquattro del mese di febbraio dell’anno milleotocentosettantasette, furono uniti in matrimonio in questa Comune avanti all’Ufficiale dello Stato Civile di Tramutola, Carrano Nicola figlio di Giuseppe e di Corcia Mariantonia di anni ventitre di professione contadino residente a Tramútola, e Tavolaro Maria Carolina di Luigi e di Calviello Rosaria, di anni ventitre di professione, contadina, nata a Tramútola, residente a Tramútola” (tradução: No dia vinte e quatro do mês de fevereiro do ano de mil oitocentos e setenta e sete, uniram-se em matrimônio nesta cidade, diante do Oficial do Estado Civil de Tramútola, Nicola Carrano, filho de Giuseppe Carrano e de mariantonia Corcia, com vinte e três anos de idade, com a profissão de lavrador, residente em Tramútola, e Maria Carolina tavolaro, filha de Luigi Tavolaro e de Rosaria Calviello, com vinte e três anos de idade, com a profissão de lavradora, nascida e residente em Tramútola). Contava o seu filho José Carrano que Maria Carolina não queria o casamento, apesar do empenho de seus pais em convencê-la a aceitar o conterrâneo como esposo, uma vez que ele tinha uma situação satisfatória e a filha já se encontrava com mais de 23 anos de idade, em uma região em que as mulheres iam para o matrimônio quase meninas. O temperamento obstinado da jovem não tornava fácil o seu convencimento. Na verdade, Carolina gostava de outro jovem, não benquisto por sua família, que, posteriormente, teria ido para a Argentina e, segundo consta, formado um grande patrimônio. Nicola, contudo, fez de tudo para conquistar a sua mão, o que conseguiu, com o apoio dos sogros. Assim, com alguma relutância, a noiva foi carregada para a casa do marido, seu novo lar. Carolina não teria concordado em entrar na casa que lhe estava reservada, o que levou Nicola a trancar a porta e deixar a esposa do lado de fora, em um frio mês de fevereiro. O comportamento do marido teria deixado a recém-casada desnorteada e envergonhada. Estava parada à frente da casa, sem saber o que fazer, poucas horas após o seu matrimônio. A salvação foi uma vassoura que encontrou a poucos metros de distância. Carolina pegou-a e passou a varrer toda a área ao redor desua nova residência, três, seis, nove ou mais vezes, o que a ajudava a reduzir os efeitos do frio. Algum tempo depois, para seu alívio, Nicola abriu a porta. E a noiva, um tanto constrangida, entrou em sua nova residência e na vida de casada, que somente abandonou com a sua morte. O casamento não havia tirado de Nicola o seu sonho de partir para a América, tendo o casal decidido mudar-se para o Brasil, após o recebimento de notícias de Carlo Michele, irmão de Nicola, que se transferira para aquele País em 1880. Com o primeiro filho no ventre, Maria Carolina veio para o Brasil, acompanhando o esposo, no vapor La France, embarcando em Nápoles, Itália, em 14-JUN-1883 e desembarcando no Rio de Janeiro (RJ) em 4-JUL-1883. Passou a residir em Piraí (RJ), mudando-se depois, juntamente com o marido, para Itapiruçu, Palma (MG). Retornou à Itália, juntamente com a filha Rosária, para acompanhar o inventário de seu pai. Consta que teria sofrido intervenção cirúrgica (nas cordas vocais) na Santa Casa da misericórdia de Piraí (RJ) ou do Rio de Janeiro (RJ). Um seu retrato com os filhos José e Antonieta encontra-se na Documentação Fotográfica publicada no livro “Encontro com os Ancestrais”, de Pedro Wilson Carrano Albuquerque. Faleceu no Distrito de Itapiruçu, Município de Palma (MG), em 15-Abr-1910, conforme consta de certidão emitida em 2-SET-1988 por Celso Luís Lacerda Rezende, Oficial do Registro Civil do Distrito de Itapiruçu, com base no Registro nº 07, fls. 90 V, do Livro de Óbitos nº C 04 do Cartório do Registro Civil de Itapiruçu, que contém as seguintes informações: Data do registro do óbito: 16-ABR-1910; nome da falecida: Carolina Tavolare (os erros no registro de nomes estrangeiros são muito comuns no Brasil); hora e data do falecimento: vinte e três horas do dia 15-ABR-1910; local da morte: Distrito de itapiruçu; sexo: feminino; cor: branca; profissão: não informada; naturalidade: Tramútola, Itália; domicílio e residência: Distrito de Itapiruçu; idade: cinqüenta e cinco anos; estado civil: casada; filiação: não consta; declarantes: José ragone e Antônio de Marca (este declarante é, certamente, parente do Oficial Michele De Marca que emitiu as certidões de nascimento e casamento de Maria Carolina); médico que atestou o óbito: Francisco Baptista; causa da morte; cemitério onde foi sepultado o corpo: não consta; observações: era casada com Nicolau Carrano, de cujo consórcio existem dois filhos com os nomes de José Carrano e Maria Antônia, ambos casados; deixou alguns poucos bens em sua terra natal. O casal teve os seguintes filhos:
1(X) JOSÉ CARRANO, que segue no § 10.
2(X) ROSÁRIA CARRANO. N. em 19.5.1886 e bat. em 28 de novembro de 1887, em Piraí, Estado do Rio de Janeiro37. Fal. em 4 de março de 1905, em Itapiruçu, Município de Palma, Minas Gerais, onde C., em 6 de junho de 1903, c. PASQUALE CIORCIARI (no Brasil aparece como Pascoal Cerceari), n. em Tramútola em torno de 1877, fº de Antonio Ciorciari e de Rosaria Ragone. Sem geração.
3(X) MARIA ANTONIA CARRANO (ou ANTONIETA CARRANO), que segue no § 73.

§ 10

X - JOSÉ CARRANO. N. em 1º de fevereiro de 1884, em Piraí, Estado do Rio de Janeiro, onde foi bat. em 10 de maio de 1884. Iniciando-se como sapateiro, implantou uma indústria de calçados em Recreio, Minas Gerais, tendo sido, também, comerciante de couros salgados e peles, comprador de café (correspondente do Banco Hipotecário e Agrícola de Minas Gerais), negociante em atacado (principalmente de açúcar e cereais), etc. Pelo seu trabalho a favor do progresso de Recreio, foi inaugurado, na cidade, um logradouro com o seu nome (Rua Carrano). Fal. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 13 de janeiro de 1964, tendo o fato sido divulgado pela "Gazeta de Leopoldina". É citado no "Genealogia Mineira", Vol. III, de Artur Vieira de Rezende e Silva (pág. 222). C., em primeiras núpcias, em 29 de abril de 1905, em Conceição da Boa Vista (conforme consta do verso da folha nº 138 do Livro nº 2 do Cartório do Registro Civil do Distrito), Município de Recreio (na ocasião, o Distrito pertencia ao Município de Leopoldina), Minas Gerais, c. MARIA DA CONCEIÇÃO LIMA (nascida em Santos Dumont, então Distrito de João Gomes, Minas Gerais, em 4 de setembro de 1885; fª de Francisco Antônio de Lima, nascido em Portugal e fal. em Santos Dumont, Minas Gerais, entre 1886 e 1892, e de Maria Joaquina de Jesus, nascida em Portugal por volta de 1849 e fal. em Santos Dumont, que na época era a Vila de Palmira, Minas Gerais, em 4 de abril de 1895). Abalada pelo nascimento da filha Nair e pela morte de Olga, outro de seus rebentos (são reconhecidos os efeitos negativos do puerpério no comportamento de algumas mães, o que, segundo especialistas, pode levá-las ao suicídio), bem como, conforme alguns depoimentos, por ciúme de seu marido, Maria da Conceição pôs fim à própria vida em Recreio, Minas Gerais, no dia 17 de fevereiro de 1916. José Carrano C., em segundas núpcias, em 24 de dezembro de 1918, em S. Sebastião da Barra (atual Espera Feliz), Minas Gerais, c. MARIA JOSÉ REIFF GUIMARÃES (n. em 20-OUT-1897 em Nuporanga, SP; filha de José Batista Teixeira Guimarães e de Maria Bernardina Reiff, neta paterna de João Batista Guimarães e de Prudenciana Guilhermina de Rezende, neta materna de Francisco Antônio Reiff e de Bernardina Cândida de São José; falecida no Rio de Janeiro, RJ, no dia 26-JUL-1970; descendente dos primeiros povoadores de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais).
- Filhos c. MARIA DA CONCEIÇÃO LIMA:
1(XI) EDSON CARRANO, que segue no § 11.
2(XI) OTACÍLIA CARRANO, que segue no § 26.
3(XI) EDITE CARRANO, que segue no § 35.
4(XI) ODÍVIA CARRANO, que segue no § 43.
5(XI) OLGA CARRANO. N. em Recreio, Minas Gerais, em 13 de setembro de 1914. Fal., na mesma localidade, em 13 de julho de 1915.
6(XI) NAIR CARRANO. N. em Recreio, Minas Gerais, em 7 de janeiro de 1916. Fal., também em Recreio, em 26 de setembro de 1916.
- Filhos c. MARIA JOSÉ REIFF GUIMARÃES:
7(XI) JOPSON CARRANO, que segue no § 65.
8(XI) GILSON CARRANO. N. em Recreio, Minas Gerais, em 29 de maio de 1921. Fal. em Recreio, Minas Gerais, em 9 de fevereiro de 1922.
9(XI) ENI CARRANO. Irmã carmelita (adotou o nome de Irmã Maria de Santa Aquilina). Professora. N. em Recreio, Minas Gerais, em 2 de março de 1923.
10(XI) HUDSON CARRANO, que segue no § 67.
11(XI) NELI CARRANO. N. em Recreio, Minas Gerais, em 20 de maio de 1926. Fal. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 4 de julho de 1989.
12(XI) WILSON CARRANO. Funcionário aposentado do Banco do Estado do Rio de Janeiro - BANERJ. N. em Recreio, Minas Gerais, em 21 de junho de 1928. C., no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, c. DULCINÊIA DOS SANTOS, fª de Álvaro José dos Santos e de Ester Joaquim.
13(XI) IBSON CARRANO. N. em Recreio, Minas Gerais, em 25 de abril de 1938.

§ 11

XI - EDSON CARRANO. Comerciante e industrial. Seu nome é mencionado no livro "Os Almeidas, os Britos e os Netos em Leopoldina - MG", de Mauro de Almeida Pereira (pág. 68). N. em Conceição da Boa Vista, Município de Recreio, Minas Gerais, em 9 de maio de 1906. Fal. em Leopoldina, Minas Gerais, em 17 de maio de 1956. C. em Recreio, Minas Gerais, em 5 de dezembro de 1929, c. LUCÍLIA DE CASTRO BARROSO (n. em 12-JUN-1912 em Vista Alegre, Município de Cataguases, MG; fal. em 23-NOV-1995 em Nogueira, RJ; filha de Sebastião Isidoro Barroso Júnior e de Odete de Almeida Castro, neta paterna de Sebastião Isidoro Barroso e neta materna de José Teixeira de Castro e de Francisca de Almeida), tendo o fato sido divulgado na edição de 8 de dezembro de 1929 do jornal "O Recreio", com fotos dos noivos. Pais de:
1(XII) FLÁVIO CARRANO. N. em Recreio, Minas Gerais. Fal. no local citado, ainda criança.
2(XII) EDSON CARRANO FILHO, que segue no § 12.
3(XII) GLADSTON CARRANO, que segue no § 18.
4(XII) JOSÉ ERNANE CARRANO, que segue no § 23.
5(XII) MARCO AURÉLIO CARRANO, que segue no § 24.
6(XII) MARIA DO CARMO CARRANO, que segue no § 25.


§ 12

XII - EDSON CARRANO FILHO. N. em 22-JAN-1932 em Recreio, Minas Gerais. C., em Leopoldina, Minas Gerais, em 18-ABR-1954, c. NELMA PEREIRA. Pais de:
1(XIII) ÂNGELA PEREIRA CARRANO, que segue no § 13.
2(XIII) EVELINE PEREIRA CARRANO, que segue no § 14.
3(XIII) CARLOS HENRIQUE PEREIRA CARRANO, que segue no § 15.
4(XIII) ALESSANDRO JOSÉ PEREIRA CARRANO, que segue no § 16.
5(XIII) LUCÍLIA PEREIRA CARRANO, que segue no § 17.

§ 13

XIII - ÂNGELA PEREIRA CARRANO. N. em 21-mai-1955 em Leopoldina, Minas Gerais. Médica. Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (cadeira: Genética). C. c. CARLOS AUGUSTO JALOTO REGO (médico; n. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro; fº de Marcílio Rego, n. em Maruim (SE) em torno de 1900, e de Mariana de Figueiredo Jaloto; n.p. de Agostinho do Rego Barros e de Maria Georgina). Pais de:
1(XIV) RENATO CARRANO JALOTO REGO. N. em 19-JAN-1981 no Rio de Janeiro (RJ).

§ 14

XIII - EVELINE PEREIRA CARRANO. N. em 19-OUT-1956 em Leopoldina, Minas Gerais. Psicóloga. C. c. WILLIAM HENRIQUES PORTO, fº de Marinho de Freitas Porto e de Palmira Henriques. Pais de:
1(XIV) ADRIANA CARRANO HENRIQUES PORTO. N. em 7-AGO-1982 no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.
2(XIV) ANA CAROLINA CARRANO HENRIQUES PORTO. N. em 30-JUN-1986 no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.

§ 15

XIII - CARLOS HENRIQUE PEREIRA CARRANO. N. em 27-SET-1958 em Barra Mansa, Estado do Rio de Janeiro. Empresário. C. em primeiras núpcias c. REGINA DANTAS e em segundas núpcias c. ROSE MÍRIAM FERREIRA (n. em Curitiba, Estado do Paraná; fª de Alvacyr Ferreira e de Irene Bakun; é a apresentadora, na CNT - canal de televisão do Paraná -, do programa "Mercadão de Automóveis"). Filha oriunda do 1º casamento:
1 (XIV) FERNANDA DANTAS CARRANO. N. em 5-MAI-1985 no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.

§ 16

XIII - ALESSANDO JOSÉ PEREIRA CARRANO. N. em 8-JAN-1961 em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro. C. c. GLÓRIA MAGALHÃES VIEIRA. Pais de:
1(XV) AMANDA VIEIRA CARRANO. N. em 23-Ago-1989 no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.

§ 17

XIII - LUCÍLIA PEREIRA CARRANO. N. em 21-MAI-1966 em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro. C. c. PAULO CÉSAR AMARO. Pais de:
1(XIV) PAULO HENRIQUE CARRANO AMARO. N. em 19-JAN-1987 no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.
2(XIV) VINÍCIUS CARRANO AMARO. N. em 4-NOV-1991 em Laranjal, Minas Gerais.

§ 18

XII - GLADSTON CARRANO. Fº de Edson Carrano (§ 11). N. em Recreio, Minas Gerais. C. c. IEDA BOTELHO DO AMARAL (filha de Alfredo Américo do Amaral e de Marieta Botelho, neta materna de Luís Emílio Botelho e de Maria Vargas Neto). Pais de:
1(XIV) RODRIGO JOSÉ AMÉRICO DO AMARAL CARRANO, que segue no § 19.
2(XIV) PAULO ERNANE DO AMARAL CARRANO, que segue no § 20.
3(XIV) ANA PAULA DO AMARAL CARRANO, que segue no § 21.
4(XIV) JAQUELINE DO AMARAL CARRANO, que segue no § 22.

§ 19

XIII - RODRIGO JOSÉ AMÉRICO DO AMARAL CARRANO. N. em torno de 1960, em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro. C., em primeiras núpcias, c. GERMÍLIA DE OLIVEIRA, em segundas núpcias, c. DORA DE OLIVEIRA VASCONCELOS e, em terceiras núpcias, c. JOSE CARRANO (nome de casada). Filhos:
- Do primeiro matrimônio:
XIV(1) NICOLE DE OLIVEIRA CARRANO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.
XIV(2) GLADSTON CARRANO NETO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.
- Do segundo matrimônio:
XIV(3) CAROLINE DE OLIVEIRA CARRANO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.
- Do terceiro matrimônio:
XIV(4) JÉSSICA CARRANO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.

§ 20

XIII - PAULO ERNANE DO AMARAL CARRANO. Fº de Gladston Carrano (§ 18). N. em torno de 1969, em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro.
- Filho (com EDUÍSA FORTES FLORES):
XIV(1) RAFAEL FLORES DO AMARAL CARRANO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.
Paulo Ernane está casado c. ROSILENE GOMES DE OLIVEIRA.

§ 21

XIII - ANA PAULA DO AMARAL CARRANO. Fª de Gladston Carrano (§ 18). N. em torno de 1962, em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro. C. c. WALDINO JANN. Pais de:
XIV(1) ANALICE CARRANO JANN. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.
XIV(2) ERNANE CARRANO JANN. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.

§ 22

XIII - JAQUELINE DO AMARAL CARRANO. Fª de Gladston Carrano (§ 18). N. em Leopoldina, Minas Gerais, em torno de 1963. C. c. IVAN SOARES VALE. Pais de:
XIV(1) FELIPE CARRANO VALE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.

§ 23

XII - JOSÉ ERNANE CARRANO. Fº de Edson Carrano (§ 11). N. em Recreio, Minas Gerais. Fal. no Estado de São Paulo. C. c. IRENE ROCHA. Pais de:
1(XIII) GIOVANA CARLA ROCHA CARRANO. N. em torno de 1963, em São Bernardo do Campo, Estado de São Paulo.
2(XIII) NATÉRCIA ROCHA CARRANO. N. em torno de 1967, em São Bernardo do Campo, Estado de São Paulo.

§ 24

XII - MARCO AURÉLIO CARRANO. Fº de Edson Carrano (§ 11). N. em Recreio, Minas Gerais. Fal. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 15 de julho de 1994. Filhos:
- Com NEILA VULGNAIRE, com quem C. em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro:
1(XIII) ENRICO CARRANO. N. em 2 de junho de 1976, em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro. Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (RJ).
- Com MÁRCIA MATOS, fª de Armando Matos e de Maria de Lourdes Pereira:
2(XIII) GIULIANA CARRANO. N. em 8 de setembro de 1978, no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.

§ 25

XII - MARIA DO CARMO CARRANO. Fª de Edson Carrano (§ 11). N. em Leopoldina, Minas Gerais, em torno de 1956. C. c. JOÃO CARLOS BORGES. Pais de:
1(XIII) CÁTIA MARIA CARRANO BORGES. N. em torno de 1973, em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro.
2(XIII) JOÃO CARLOS BORGES FILHO. N. em torno de 1977, em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro.

§ 26

XI - OTACÍLIA CARRANO. Fª de José Carrano (§ 10). N. em Conceição da Boa Vista, Município de Recreio, Minas Gerais, em 22 de julho de 1907. Fal. em Miraí, Minas Gerais, em 13 de maio de 1994. C. em 6 de junho de 1927, em Recreio, Minas Gerais, c. o viúvo LEÔNIDAS ALBUQUERQUE, que foi comerciante, industrial e fazendeiro nos Municípios de Miraí e de Recreio, onde também exerceu as funções de Delegado de Polícia, tendo n. em 8 de dezembro de 1891, em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, e fal. em 23 de agosto de 1967, em Miraí, Minas Gerais ; fº de Franklin de Albuquerque e de Maria Cândida de Faria, neto paterno de José Antônio de Albuquerque e de Patrocínia Maria da Conceição e neto materno de Joaquim de Faria Salgado e de Emerenciana Cândida da Silva Pessoa. Pais de:
1(XII) MARIA CÂNDIDA CARRANO ALBUQUERQUE. N. em Recreio, Minas Gerais, em 26 de abril de 1930. Fal. em Recreio, Minas Gerais, em 26 de abril de 1930.
2(XII) WALTER CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 27.
3(XII) MARIA DE LOURDES ALBUQUERQUE, que segue no § 31.
4(XII) EVERALDO CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 32.
5(XII) RENATO CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 33.
6(XII) ERNESTO CARRANO ALBUQUERQUE. N. em 1º de setembro de 1948, em Miraí, Minas Gerais. Fal. em 11 de outubro de 1948, na mesma localidade.
7(XII) LEÔNIDAS CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 34.
Enteados (filhos de Leônidas Albuquerque e de sua primeira esposa, Camélia Siqueira):
- DEMÓCRITO SIQUEIRA DE ALBUQUERQUE. C. c. SEBASTIANA COSTA REIS, fª de Joaquim Nunes Costa Reis.
- MARIA APARECIDA SIQUEIRA DE ALBUQUERQUE. C. c. ALCEU GOUVEIA, fº de Antônio Gouveia (irmão de Mário Gouveia, citado no § 73) e de Adelaide Leite.
- GERVESON ROBERTO ALBUQUERQUE. C. c. HILDA FERREIRA MACHADO, fª de Augusto Machado e de Palmira Ferreira.

§ 27

XII - WALTER CARRANO ALBUQUERQUE. N. em Recreio, Minas Gerais, em 7 de abril de 1937. Fal. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em acidente de trânsito, em 31 de maio de 1974, tendo sido sepultado em Miraí, Minas Gerais. C. em 8 de dezembro de 1954, em Ubá, Minas Gerais, com WANDA LÚCIA GONÇALVES. Filhos:
1(XIII) WALTER JOSÉ GONÇALVES ALBUQUERQUE. N. em Ubá, Minas Gerais, em 2 de agosto de 1955.
2(XIII) MARIA DO CARMO GONÇALVES ALBUQUERQUE, que segue no § 28.
3(XIII) HELENA LOURDES GONÇALVES DE ALBUQUERQUE, que segue no § 29.
4(XIII) LUÍS FERNANDO GONÇALVES ALBUQUERQUE. N. em Miraí, Minas Gerais, em 20 de fevereiro de 1961.
5(XIII) ANA LÍGIA GONÇALVES ALBUQUERQUE, que segue no § 30.
6(XIII) VÂNIA LÚCIA GONÇALVES ALBUQUERQUE. N. em Miraí, Minas Gerais, em 12 de dezembro de 1963.

§ 28

XIII - MARIA DO CARMO GONÇALVES ALBUQUERQUE. N. em Miraí, Minas Gerais, em 22 de janeiro de 1957. C. em Nova Iguaçu, Estado do Rio de Janeiro, em 11 de abril de 1981, c. ELOYR FAXINA. Pais de:
1(XIV) VANESSA ALBUQUERQUE FAXINA. N. em Nova Iguaçu, Estado do Rio de Janeiro, em 1º de dezembro de 1982.
2(XIV) EMANUEL ALBUQUERQUE FAXINA. N. em Nova Iguaçu, Estado do Rio de Janeiro, em 6 de fevereiro de 1985.

§ 29

XIII - HELENA LOURDES GONÇALVES DE ALBUQUERQUE. Fª de Walter Carrano Albuquerque (§ 27). N. em Miraí, Minas Gerais, em 4 de maio de 1959. Mãe de:
1(XIV) TIAGO CARRANO DE ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 12 de julho de 1990.

§ 30

XIII - ANA LÍGIA GONÇALVES ALBUQUERQUE. Fª de Walter Carrano Albuquerque (§ 27). N. em Miraí, Minas Gerais, em 1º de outubro de 1962. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 19 de janeiro de 1983, com UYLSIO SILVA ARAGÃO. Pais de:
1(XIV) VIVIANI ALBUQUERQUE ARAGÃO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 23 de abril de 1983.
2(XIV) RAFAEL ALBUQUERQUE ARAGÃO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 21 de julho de 1984.

§ 31

XII - MARIA DE LOURDES ALBUQUERQUE. Fª de Otacília Carrano (§ 26). N. em Recreio, no Estado de Minas Gerais, em 21 de maio de 1941. C. c. SEBASTIÃO MARCHITTO, n. em 21 de setembro de 1938, fº de Augusto Baesso Marchitto (n. em 14 de março de 1907) e de Maria Bastos. Pais de:
1(XIV) RICARDO ALBUQUERQUE MARCHITTO. N. em Miraí, Minas Gerais, em 2 de janeiro de 1962. C. c. LUZIA LÚCIA RAMOS, n. em 13 de dezembro de 1966, fª de José Ramos e de Maria da Penha Florindo.
2(XIV) EDUARDO ALBUQUERQUE MARCHITTO. N. em 16 de julho de 1964 em Miraí, Estado de Minas Gerais, onde C., em 6 de julho de 1996, com VIVIANE RANGEL DO CARMO, filha de Augusto José do Carmo e de Denise Rangel.
3(XIV) CLÁUDIO ALBUQUERQUE MARCHITTO. N. no Estado de Minas Gerais, em 26 de outubro de 1970.

§ 32

XII - EVERALDO CARRANO ALBUQUERQUE. Fº de Otacília Carrano (§ 26). N. em Miraí, Minas Gerais, em 17 de outubro de 1944. C. c. MARIA MADALENA BAESSO, n. em 18 de julho de 1946, fª de Mateus Marchitto Baesso e de Maria Gonçalves. Pais de:
1(XIII) MARIA DE FÁTIMA BAESSO ALBUQUERQUE. N. em 13 de maio de 1968. C. c. WALDIR MÁRCIO.

§ 33

XII - RENATO CARRANO ALBUQUERQUE. Fº de Otacília Carrano (§ 26). Funcionário do Banco do Brasil. N. em Miraí, Minas Gerais, em 8 de agosto de 1946. C. c. SOLANGE DA SILVA, também servidora do referido Banco. Pais de:
1(XIII) CASSIANA DA SILVA ALBUQUERQUE. N. em torno de 1976.
2(XIII) AURÉLIA DA SILVA ALBUQUERQUE.
3(XIII) DAVID DA SILVA ALBUQUERQUE.

§ 34

XII - LEÔNIDAS CARRANO ALBUQUERQUE. Fº de Otacília Carrano (§ 26). N. em Miraí, Minas Gerais, em 26 de janeiro de 1951. C. c. ÂNGELA CUTRI. Pais de:
1(XIII) JULIANA CUTRI ALBUQUERQUE. N. em torno de 1977.
2(XIII) LEÔNIDAS ALBUQUERQUE NETO. N. em torno de 1986.

§ 35

XI - EDITE CARRANO. Fª de José Carrano (§ 10). N. em Recreio, Minas Gerais, em 12 de janeiro de 1910. Fal. em Cataguases, Minas Gerais, em 7 de junho de 1980. C. em Recreio, Minas Gerais, em 6 de junho de 1927, com JOSÉ CARVALHO DE CASTRO (n. em 23-NOV-1906 em Cachoeira Alegre, então no Município de Palma (o Distrito foi incorporado, em 1962, ao Município de Barão de Monte Alto, MG; filho de Osório Barbosa de Castro e Silva e de Éster Ribeiro de Carvalho, neto paterno de Manoel Barbosa de Castro e Silva e de Leonísia da Mota Barbosa, neto materno do Coronel Evaristo Ernesto Pereira de Carvalho e de Francisca Honória Ribeiro). Pais de:
1(XII) MAURO CARRANO E CASTRO, que segue no § 36.
2(XII) MARLI CARRANO DE CASTRO, que segue no § 40.
3(XII) MÁRCIA CARRANO DE CASTRO, que segue no § 41.

§ 36

XII - MAURO CARRANO E CASTRO. N. em Itueta, Minas Gerais, em 7 de fevereiro de 1935. C. em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, em 12 de dezembro de 1959, com MARÍLIA DE ALMEIDA NOBRE (n. no Estado do Rio de Janeiro; filha de Rubem de Almeida Nobre e de Juraci Torres da Silva, neta paterna de Bento de Almeida Nobre e de Leopoldina dos Santos Reis, neta materna de Mercedes Torres). Pais de:
1(XIII) MAURO JOSÉ NOBRE E CASTRO, que segue no § 37.
2(XIII) MARIA CRISTINA NOBRE E CASTRO, que segue no § 38.
3(XIII) MARIA FERNANDA NOBRE E CASTRO, que segue no § 39.

§ 37

XIII - MAURO JOSÉ NOBRE E CASTRO. Funcionário do Banco do Brasil. N. em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, em 2-OUT-1960. Uniu-se a SANDRA PEIXOTO PONTE (n. em 14-SET-1960), também servidora do Banco do Brasil, filha de Carlos Alberto Ponte e de Iula Peixoto. Enteados:
- DANIEL PONTE CASTELO BRANCO. N. em 11-MAR-1977.
- TATIANA PONTE CASTELO BRANCO. N. em 15-SET-1978.

§ 38

XIII - MARIA CRISTINA NOBRE E CASTRO. N. em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, em 5-MAI-1963. C. c. ROBER FERNANDES HENRIQUE (n. em 10-JUN-1963), filho de Roque Fernandes Henrique e de Liris de Matos. Pais de:
1(XIV) CAROLINA NOBRE DE CASTRO HENRIQUE. N. em 21-MAI-1995.

§ 39

XIII - MARIA FERNANDA NOBRE E CASTRO. N. em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, em 16-MAR-1968. C. c. CARLOS ANDRÉ CORREIA VAZ (n. em 3-JUL-1964), filho de Carlos Alberto da Costa Vaz e de Norma Míriam Correia. Pais de:
1(XIV) LUÍSA NOBRE DE CASTRO VAZ. N. em 18-JUL-1994.

§ 40

XII - MARLI CARRANO DE CASTRO. Professora aposentada. Fª de Edite Carrano (§ 35). N. em 23 de julho de 1940 em Cataguases, Minas Gerais, onde C., em 11 de novembro de 1993, com o primo LUÍS CARRANO ALBUQUERQUE (v. § 70).
Enteados (filhos oriundos do 1º casamento de Luís Carrano Albuquerque):
- JOÃO LUÍS DE OLIVEIRA CARRANO ALBUQUERQUE. V. § 48.
- MÁRCIO LUÍS DE OLIVEIRA CARRANO ALBUQUERQUE. V. § 49.

§ 41

XII - MÁRCIA CARRANO DE CASTRO. N. em Cataguases, Minas Gerais, em 18 de setembro de 1944. Professora (licenciada em letras), poeta e contista. Autora do livro "Zero-Versus", publicado pela Esdeva, em Juiz de Fora, Minas Gerais, em 1977, e de conto constante da antologia "Marginais do Pomba", editado pela Fundação Cultural Francisco Inácio Peixoto em Cataguases, Minas Gerais, em 1985. É citada no livro "Cataguases Centenária - Dados para a sua História", de Levi Simões da Costa, como membro do corpo docente da Escola Estadual "Manoel Inácio Peixoto". C. em Cataguases, Minas Gerais, c. PAULO CÉSAR AZEVEDO, fº de Manoel Pires de Azevedo e de Arlete Sahione. Pais de:
1(XIII) EDUARDA CARRANO DE CASTRO AZEVEDO, que segue no § 42.

§ 42

XII - EDUARDA CARRANO DE CASTRO AZEVEDO. Médica. N. em Cataguases, Estado de Minas Gerais, em 25 de julho de 1969. C. c. RAIMUNDO LELIS FILHO, médico, filho de Raimundo Lelis e de Hercília Maria dos Santos. Pais de:
1(XIII) RAFAEL CARRANO LELIS. N. em S. Paulo, Estado de São Paulo, em 1996.

§ 43

XI - ODÍVIA CARRANO. Fª de José Carrano (§ 10). N. em Recreio, Minas Gerais, em 13 de maio de 1912, e foi batizada pelo Padre Raimundo Vital Alves Pereira na Paróquia de São Miguel e Almas, em Santos Dumont (MG), em 31 de janeiro de 1913, tendo como padrinhos os tios maternos Antônio da Costa Grilo e Geraldina Maria de Lima (Livro 9, folha 123). Professora aposentada, formou-se, em 19-DEZ-1928, na Escola Normal de Cataguases, Minas Gerais (fundada em 16-JUL-1912), tendo sido, na ocasião, a oradora da turma. A sua caderneta escolar, fornecida pelo referido estabelecimento, dirigido pelas Irmãs Carmelitas da Divina Providência, contém a seguinte declaração: "A Senhorita Odívia Carrano matriculou-se na Escola Normal de Cataguases a 1º de março de 1926. A aluna-mestra em questão merece o elogio da Escola Normal de Cataguases, pois, considerando o seu modo de agir em prática do magistério durante o ano, podemos dizer: "foi a melhor das tirocinantes". Foi sempre assídua, carinhosa, enérgica, apesar de sua natural bondade, mostrando-nos bem que estas duas qualidades últimas não são contraditórias. Apresentou sempre ótimas preparações de lições, é delicada, em suma, revela vocação para o magistério. O seu procedimento, na qualidade de aluna interna, foi sempre irrepreensível, e deixa no Colégio a neo-normalista mencionada o seu nome escrito na coluna das exemplares. A sua banca examinadora, apesar de não ser do Regulamento o louvor, pediu permissão para que a sua nota de exame de "Prática Profissional" fosse: distinção com louvor. Julgo haver dado cumprimento ao artigo 169 e seus parágrafos do Regulamento em vigor. Cataguases, 20 de dezembro de 1928. Irmã Maria Madalena de Pazzi. Diretora da Escola". Em 7-NOV-1931, o Presidente do Estado de Minas Gerais, Dr. Olegário Maciel, assinou a sua nomeação para o cargo de professora do Grupo Escolar de Recreio (MG), onde lecionou até 1953. Através do Radiograma nº 748, de 30 de setembro de 1953, o Dr. Juscelino Kubitschek, então Governador do Estado de Minas Gerais, comunicou ao Deputado Carlos Luz a sua transferência para o Grupo Escolar Ribeiro Junqueira, em Leopoldina (MG), onde exerceu o magistério até sua aposentadoria, deixando fama de professora de grandes predicados. C. em Recreio em 21 de junho de 1930 c. WILSON ALBUQUERQUE (n. em 15-MAR-1904 em Cataguases, MG; filho de Franklin de Albuquerque e de Maria Cândida de Faria, neto paterno de José Antônio de Albuquerque e de Patrocínia Maria da Conceição, neto materno de Joaquim de Faria Salgado e de Emerenciana Cândida da Silva Pessoa; fal. no Rio de Janeiro, RJ, em 6-SET-1978) irmão de Leônidas Albuquerque (v. § 26), primo do Dr. Milton Soares Campos, que foi Governador de Minas Gerais. O casamento religioso de Wilson e Odívia foi celebrado em Recreio (MG) pelo Padre Vito Guido.
Pais de:
1(XII) JOSÉ CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 34.
2(XII) LUÍS CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 37.
3(XII) MARIA PATROCÍNIA ALBUQUERQUE, que segue no § 50.
4(XII) MARIA EMÍLIA ALBUQUERQUE, que segue no § 52.
5(XII) PAULO CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 54.
6(XII) MAURÍCIO CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 58.
7(XII) PEDRO WILSON CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 59.
8(XII) DANIEL CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 63.
9(XII) EDUARDO CARRANO ALBUQUERQUE. N. em Recreio, Minas Gerais, em 3 de novembro de 1948. Fal. em Recreio, Minas Gerais, em 27 de abril de 1949.
10(XII) MARIA GEORGINA CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 64.
11(XII) JOSÉ MARIA CARRANO ALBUQUERQUE. N. em Leopoldina, Minas Gerais, em 12 de setembro de 1957. Fal. em Leopoldina, Minas Gerais, em 14 de setembro de 1957.

§ 44

XII - JOSÉ CARRANO ALBUQUERQUE. N. em Recreio, Minas Gerais, em 24 de novembro de 1932. Enfermeiro formado pela Escola de Enfermagem Ana Neri, no Rio de Janeiro (RJ). Servidor público aposentado. Estudou, como muitos de seus irmãos, inclusive o autor deste livro, no tradicional Ginásio Leopoldinense (hoje com a denominação de Colégio Estadual Professor Botelho Reis), fundado em Leopoldina (MG) em 3 de junho de 1906. Foi Diretor Regional da Saúde em Juiz de Fora, Minas Gerais, tendo disputado vaga na Câmara de Vereadores local, com boa votação. C. em Simão Pereira, Minas Gerais, em 24 de abril de 1954, c. ARACI DE ANDRADE (n. em 9-MAR-1923 em Simão Pereira, MG; filha de Antônio Bento de Andrade e de Ana Félix de Andrade, neta paterna de Manoel Bento de Andrade e de Ana Esméria de Andrade, neta materna de Antônio Félix de Andrade e de Ana Carolina de Andrade). Após a separação do casal, José uniu-se a RAKEL DERBY OLIVEIRA DUTRA (n. em 2-JUN-1943; filha de Orvile Derby Araújo Dutra e de Araci Faria de Oliveira, neta paterna de Leopoldo Dutra e de Maria José Araújo, neta materna de Dulfo Pereira Oliveira e de Júlia Faria).
- Filhos de José Carrano Albuquerque e de Araci de Andrade:
1(XIII) ALEXANDRE ANDRADE ALBUQUERQUE, que segue no § 45.
2(XIII) ALOÍSIO ANDRADE ALBUQUERQUE, que segue no 46.
3(XIII) ARLETE ANDRADE ALBUQUERQUE, que segue no § 46-A.

§ 45

XIII - ALEXANDRE ANDRADE ALBUQUERQUE. Graduado em Administração de Empresas, com vários cursos de aperfeiçoamento profissional na área de Recursos Humanos e Administração Geral. Foi Diretor Administrativo do Colégio Técnico João Paulo I, em Juiz de Fora (MG), e Gerente de Recursos Humanos em grandes empresas de Três Rios (RJ). Autor de artigos publicados nos jornais "Tribuna de Minas" e "Jornal do Brasil" abordando a Política Salarial e Administração de Pequenas e Médias Empresas. Foi Professor Palestrante na Faculdade de Administração e Economia de Teresópolis (RJ). Fundador, Diretor e Negociador dos Sindicatos das Empresas de Construção Civil e das Indústrias de Alimentação da Região Serrana (RJ). N. em Juiz de Fora, Minas Gerais, em 10 de abril de 1956. C., em primeiras núpcias, também em Juiz de Fora, c. CLÁUDIA GARGIULO DUARTE (n. em Muriaé, MG, em 28-JUN-1961; filha de Aod Duarte e Aída Juliani Gargiulo, neta paterna de Joaquim Faustino Duarte e de Olinda Fonseca, neta materna de José Roque Gargiulo e de Maria Juliani). Em segundas núpcias, Alexandre casou em Três Rios, Estado do Rio de Janeiro, com CELEIDA PORTES EMILIANO MIRANDA (nome após o primeiro casamento), viúva de Carlos Alberto Miranda. Pais de:
1(XIV) WESLEY MIRANDA ALBUQUERQUE.
Alexandre Andrade Albuquerque possui um enteado, filho de Celeida Portes Emiliano Miranda e de seu primeiro esposo:
- CARLOS ALBERTO MIRANDA JÚNIOR.

§ 46

XIII - ALOÍSIO ANDRADE ALBUQUERQUE. Funcionário da Rede Ferroviária Federal. Nasceu em Juiz de Fora, Minas Gerais, em 6 de outubro de 1957. Uniu-se a DIVA SOUSA CANABRAVA, filha de Décio Canabrava e de Diva Sousa Canabrava Frossard (nome de casada). Pais de:
1(XIV) TIAGO CANABRAVA ALBUQUERQUE. N. em Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, em 12 de julho de 1985.
2(XIV) CAROLINA CANABRAVA ALBUQUERQUE. N. em Matias Barbosa, Minas Gerais, em 14 de setembro de 1988.

§ 46-A

XIII – ARLETE ANDRADE ALBUQUERQUE. N. em 4 de agosto de 1958 em Juiz de Fora, Minas Gerais, onde C. em 10 de janeiro de 1998, na Igreja de São Geraldo, c. JOSÉ LAIR PEREIRA, fº de Sebastião Clemente Pereira e de Maria Aparecida Pereira (nome de casada; já falecida quando do casamento de José Lair). Pais de:
1(XIV) - GABRIELA ALBUQUERQUE PEREIRA. N. em 5 de dezembro de 1999, em Juiz de Fora (MG).

§ 47

XII - LUÍS CARRANO ALBUQUERQUE. Fº de Odívia Carrano (§ 43). N. em Recreio, Minas Gerais, em 24 de dezembro de 1934. Aposentado, foi conceituado funcionário do Grupo Othon Bezerra de Melo, que contou com sua importante colaboração durante 40 anos. C., em primeiras núpcias, no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 8 de setembro de 1964, c. CONCEIÇÃO DE MARIA SERRA DE OLIVEIRA (n. em São Luís do Maranhão em 19-SET-1932; filha de Humberto Teixeira de Oliveira e de Antônia Costa Serra, neta paterna de Luciano Carneiro de Oliveira e de Inocência Teixeira, neta materna de Feliciano Serra e de Clara Siqueira Costa), funcionária pública e poetisa (autora do livro "Eu Sou", publicado no Rio de Janeiro em 1988). Em segundas núpcias, Luís casou-se em Cataguases, Minas Gerais, em 11 de novembro de 1993, com sua prima MARLI CARRANO DE CASTRO (vide § 40).
- Filhos de Luís Carrano Albuquerque e de Conceição de Maria Serra de Oliveira:
1(XIII) JOÃO LUÍS DE OLIVEIRA CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 48.
2(XIII) MÁRCIO LUÍS DE OLIVEIRA CARRANO ALBUQUERQUE, que segue no § 49.

§ 48

XIII - JOÃO LUÍS DE OLIVEIRA CARRANO ALBUQUERQUE. Agrônomo e músico. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 14 de novembro de 1967. Com PAULA MAGALHÃES teve o seguinte filho:
1(XV) PEDRO MAGALHÃES ALBUQUERQUE.

§ 49

XIII - MÁRCIO LUÍS DE OLIVEIRA CARRANO ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 4 de maio de 1970. Com ÉRICA NASCHPITZ teve a filha:
1(XIV) CLARA NASCHPITZ ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de maio de 1996.

§ 50

XII - MARIA PATROCÍNIA ALBUQUERQUE. Fª de Odívia Carrano (§ 43). N. em Recreio, Minas Gerais, em 30 de abril de 1936. Funcionária aposentada da Caixa Econômica Federal. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 8 de janeiro de 1966, c. ANTÔNIO CARLOS DE OLIVEIRA (n. em Upanema, RN, em 20-JUN-1940; filho de Damião Alexandre de Oliveira e Maria Carlos Moura, neto paterno de José Alexandre de Oliveira e Maria Gonçalves de Melo, neto materno de Manoel Eugênio da Costa e Maria Teresa de Albuquerque Filha). Fal. no Rio de Janeiro (RJ) em 20 de março de 2003. Pais de:
1(XIII) CLÁUDIO ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA, que segue no § 51.
2(XIII) RICARDO ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 9 de junho de 1978. Lia e escrevia, com perfeição, aos três anos de idade, fato comentado em crônica publicada na página 73 do livro "Boca de Luar", de Carlos Drummond de Andrade (v. CAPÍTULO XXVI), amigo de seu pai (esta amizade é comentada no artigo "Antônio Carlos: De garoto de Upanema a amigo de Drummond", publicado na edição de 6 de janeiro de 1989 do jornal "O Poti ", de Natal, Rio Grande do Norte). Advogado, é Procurador do Ministério da Aeronáutica, como Tenente, em Natal (RJ).

§ 51

XIII - CLÁUDIO ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 16 de dezembro de 1966. Empresário e piloto comercial. Concluiu o Curso de Administração de Empresas na Universidade Cândido Mendes, no Rio de Janeiro (RJ). Foi Chefe do Gabinete do Vice-Prefeito do Município do Rio de Janeiro (RJ). Com ANA CLÁUDIA LINHARES ROCHA LIMA (filha de Alcimar da Rocha Lima e Ivanês Linhares, neta materna de Leonel Pinto Filgueiras e Djanira Linhares) teve:
1(XIV) LUÍSA ROCHA LIMA DE OLIVEIRA. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 8 de dezembro de 1985. Mereceu do poeta Carlos Drummond de Andrade os seguintes versos, publicados no livro "Poesia Errante":
"Que a tua vida seja bela e suave
como é suave o palpitar da brisa
Neste instante de flor e de boneca,
receba o meu beijo, cara Luísa".
Cláudio casou-se no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 11 de novembro de 1995, com MÔNICA ALMEIDA BUSCÁCIO, filha de Abério Pereira Buscácio e de Cely Almeida.

§ 52

XII - MARIA EMÍLIA ALBUQUERQUE. Fª de Odívia Carrano (§ 43). Pedagoga e professora. N. em Recreio, Minas Gerais, em 17 de janeiro de 1938. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 22 de junho de 1963, c. EDGAR COLOMBO PINTO, servidor público do Estado do Rio de Janeiro, n. em Funil, Município de Cambuci, no Estado do Rio de Janeiro, em 12 de outubro de 1924, fal. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 18 de dezembro de 1992, fº de Deodoro Marçal Pinto e de Francisca Dominga Andrade73. Pais de:
1(XIII) FABIANE ALBUQUERQUE PINTO, que segue no § 53.

§ 53

XIII - FABIANE ALBUQUERQUE PINTO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 25 de março de 1965. Funcionária da Cia. Estadual do Gás do Rio de Janeiro - CEG. C. em Magé, Estado do Rio de Janeiro, em 19 de setembro de 1987, c. ROGÉRIO REBELO, Engenheiro Mecânico, n. em Magé, Estado do Rio de Janeiro, em 17 de novembro de 1962, fº de Francisco Rebelo Neto e de Antônia da Conceição Maia. Pais de:
1(XIV) ISABELA ALBUQUERQUE PINTO REBELO. N. em Magé, Estado do Rio de Janeiro, em 30 de dezembro de 1988.
2(XIV) GUILHERME ALBUQUERQUE PINTO REBELO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 13 de setembro de 1991.

§ 54

XII - PAULO CARRANO ALBUQUERQUE. Fº de Odívia Carrano (§ 43). N. em Recreio, Minas Gerais, em 30 de agosto de 1939. Funcionário aposentado do BANERJ, entidade de que foi Gerente em Goiânia (GO) e no Rio de Janeiro (RJ). Advogado e empresário. C. em Belo Horizonte, Minas Gerais, em 8 de dezembro de 1962, c. MARIA EMÍLIA SCHETTINI CARREIRO (n. em 13-JUL-1942 em Leopoldina, MG: filha de Homero Justino Carreiro e Zilda Faleiro Schettini, neta paterna de Manoel Carreiro e Maria Rabelo, neta materna de José Schettini e Maria Gama Faleiro), pedagoga e professora. Pais de:
1(XII) FERNANDO CARREIRO ALBUQUERQUE, que segue no § 55.
2(XIII) LUCIANA CARREIRO ALBUQUERQUE, que segue no § 56.
3(XIII) FLÁVIA CARREIRO ALBUQUERQUE, que segue no § 57.
4(XIII) LEONARDO CARREIRO ALBUQUERQUE. Advogado. N. em Belo Horizonte, Minas Gerais, em 27 de maio de 1971. C. em 12 de fevereiro de 2000, em Goiânia (GO), com Marta Lima de Azevedo, filha de Hugo Hélio de Azevedo e de Maria dos Anjos Lima.
5(XIII) LETÍCIA CARREIRO ALBUQUERQUE. N. em Goiânia, Goiás, em 30 de janeiro de 1981. Foi batizada na Igreja Nossa Senhora de Fátima, em Goiânia (GO), em 31-MAR-1981 (foram padrinhos os tios Pedro Wilson e Maria Lúcia), tendo o evento sido divulgado na edição de 1º-ABR-1981 do jornal "O Popular".

§ 55

XIII - FERNANDO CARREIRO ALBUQUERQUE. Médico. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 27 de maio de 1965. C. em Goiânia, Goiás, em 10 de janeiro de 1987, c. SUELY SOUSA SANTOS (n. em Caiapônia, GO; filha de Osvaldo de Sousa Vilela e Lucimar Umbelina dos Santos, avó materna de Geraldo Moraes dos Santos e Maria Umbelina dos Santos). Pais de:
1(XIV) VÍTOR SOUSA DE ALBUQUERQUE. N. em Goiânia, Goiás, em 6 de maio de 1993.

§ 56

XIII - LUCIANA CARREIRO ALBUQUERQUE. N. em Belo Horizonte, Minas Gerais, em 4 de maio de 1967. Enfermeira. Trabalhou na Fundação das Pioneiras Sociais, em Brasília, Distrito Federal, e Salvador, Bahia. Com ELIAS FÉLIX DE FIGUEIREDO teve o seguinte filho:
1(XIV) FELIPE ALBUQUERQUE DE FIGUEIREDO. N. em Goiânia (GO) em 30-ABR-1998.

§ 57

XIII - FLÁVIA CARREIRO ALBUQUERQUE. N. em Belo Horizonte, Minas Gerais, em 26 de abril de 1969. Deputada Estadual de Goiás. C. em Goiânia, Goiás, em 20 de julho de 1986, c. GEORGE FERREIRA DE MORAES (n. em Caiapônia, GO, em 25-SET-1964; filho de Guilhermino Moraes dos Santos e Valda Vilela Ferreira, neto paterno de Geraldo Moraes dos Santos e Maria Umbelina dos Santos, neto materno de Pedro Ferreira Júnior e Josina Julieta Vilela; foi Prefeito do Município de Santa Bárbara de Goiás, GO, e Deputado Estadual de Goiás; atualmente é o Prefeito de Trindade, GO). Pais de:
1(XIV) BEATRIZ ALBUQUERQUE DE MORAES. N. em Goiânia, Goiás, em 14 de junho de 1987.
2(XIV) BÁRBARA ALBUQUERQUE DE MORAES. N. em Santa Bárbara de Goiás, Goiás, em 7 de março de 1991.

§ 58

XII - MAURÍCIO CARRANO ALBUQUERQUE. Fº de Odívia Carrano (§ 43). N. em Recreio, Minas Gerais, em 6 de abril de 1941. Funcionário aposentado da Caixa Econômica Federal. Bacharel em Ciências Contábeis. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 5 de março de 1966, c. MARIANA MOULIN (n. em 20-JUL-1943 em Mesquita, RJ; filha de Paulo Moulin e Etelvina Zapelli, neta paterna de Frederico Moulin e Mariana Lima, neta materna de Horácio Zapelli e Isaura Moreira), funcionária aposentada do Banco Central do Brasil, Bacharel em Ciências Contábeis. Pais de:
1(XIII) PAULO MAURÍCIO MOULIN ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 19 de dezembro de 1967. Advogado e servidor público (Oficial Avaliador da Justiça do Estado do Rio de Janeiro). Foi Técnico de Finanças e Controle na Secretaria do Tesouro Nacional, em Brasília (DF).
2(XIII) CLÁUDIA MARIA MOULIN ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 19 de maio de 1970. Funcionária do Banco do Brasil e bacharel em Ciências Contábeis.
3(XIII) CARLOS EDUARDO MOULIN ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 17 de julho de 1972.

§ 59

XII - PEDRO WILSON CARRANO ALBUQUERQUE. Fº de Odívia Carrano (§ 43). N. em Recreio, Minas Gerais, em 5 de julho de 1943. Funcionário aposentado do Banco do Brasil, em cuja Direção Geral exerceu as funções de Auxiliar e Secretário de Gabinete, Assistente Técnico, Analista de Projetos e Assessor da Consultoria Técnica e do Gabinete do Presidente da Instituição. Advogado. Servidor público, foi Analista de Finanças e Controle, sendo, atualmente, Procurador da Fazenda Nacional. Foi Coordenador-Geral de Responsabilidades e Haveres Financeiros do Tesouro Nacional. Requisitado à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional pela Secretaria do Tesouro Nacional - STN, exerce neste Órgão as funções de Coordenador-Geral de Controle das Responsabilidades Financeiras e Haveres Mobiliários da União. 2º Tenente R/2 da Intendência do Exército. Trabalhou no jornal "Correio da Manhã" e no "The First National City Bank of New York". Foi Professor de Análise e Elaboração de Projetos no Centro de Treinamento do Banco do Brasil, instituição que representou no Conselho Nacional de Desenvolvimento Urbano e em diversos Grupos de Trabalho, inclusive os que elaboraram as normas do Programa de Crédito Educativo e do Programa Nacional do Álcool. No Ministério da Indústria e do Comércio, foi Assessor Parlamentar dos Ministros Murilo Badaró e Roberto Gusmão e Chefe da Assessoria Parlamentar dos Ministros João Camilo Pena e José Hugo Castelo Branco. Representou o Ministro da Indústria e do Comércio junto ao Conselho Nacional de Defesa do Consumidor. Foi Presidente do Conselho de Administração da empresa COBRA - Computadores e Sistemas Brasileiros S.A. e dos Conselhos Fiscais da Caixa Econômica Federal e do Banco do Nordeste do Brasil - BNB, bem como Conselheiro de Administração da LLOYDBRÁS- Companhia de Navegação Lloyd Brasileiro e Membro dos Conselhos Fiscais da EMBRAER- Empresa Brasileira da Aeronáutica, da Companhia Docas de São Paulo - CODESP, da LIGHT e da Companhia Docas do Ceará - CDC. É, atualmente, Presidente do Conselho Fiscal da Casa da Moeda do Brasil, bem como Conselheiro Fiscal do Instituto do Resseguro do Brasil - IRB. Como representante do Tesouro Nacional, participou de várias negociações no Exterior (América do Norte, Ásia e Europa). É membro do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal e do Instituto Brasileiro de Genealogia, bem como sócio do Colégio Brasileiro de Genealogia e da ASBRAP- Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia. Em 19 de novembro de 1980, foi inscrito na Ordem do Mérito Jurídico e Social do Brasil, no grau de Comendador, e o Ministro de Estado da Marinha, Almirante Mauro César Rodrigues Pereira, concedeu-lhe, em 13 de dezembro de 1996, a Medalha Mérito Tamandaré. O Presidente da República Federativa do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, resolveu admiti-lo no Corpo de Graduados Especiais da Ordem do Mérito Aeronáutico, no Grau de Cavaleiro, conforme Decreto de 23 de setembro de 1997. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 12 de setembro de 1964, c. MARIA LÚCIA MATOS ESTEVES, advogada, n. em Chiador, Minas Gerais, em 15 de setembro de 1946, fª de Antônio Lopes Esteves e de Maria da Glória da Costa Matos, neta paterna de Luís Martins Esteves e Adelina de Oliveira Lopes, neta materna de Nicácio da Costa Matos e Maria Nicolina Matos). Pais de:
1(XIII) PEDRO HENRIQUE ESTEVES ALBUQUERQUE, que segue no § 60.
1(XIII) WILSON LUÍS ESTEVES ALBUQUERQUE, que segue no § 61.
1(XIII) ANA LÚCIA ESTEVES ALBUQUERQUE, que segue no § 62.

§ 603

XIII - PEDRO HENRIQUE ESTEVES ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 11 de junho de 1965, dia do centenário da Batalha do Riachuelo e ano em que foi comemorado o quarto centenário da cidade em que veio ao mundo. Engenheiro elétrico e funcionário do Banco Central do Brasil. Atualmente, leciona em Universidade em Laredo, Texas, Estados Unidos da América. Trabalhou no Banco Regional de Brasília, na Secretaria de Orçamento e Finanças da Secretaria de Planejamento, Coordenação e Orçamento da Presidência da República e na Coordenação-Geral da Dívida Pública da Secretaria do Tesouro Nacional. Concluiu Mestrado de Economia na Fundação Universidade Nacional de Brasília - UNB, com a tese "Do Agente Macroeconômico à Função Macroeconômica: Uma Proposta para Agregação com Exemplos". Doutorou-se em Economia pela Universidade de Madison, em Wisconsin, nos Estados Unidos da América. Trabalho de sua autoria: "Projeto de Filtro de Microondas com Fase e Amplitude Otimizadas", divulgado pela UNB em 1987. C. em primeiras núpcias, em Brasília, Distrito Federal, em 7 de janeiro de 1988, c. CLÁUDIA DE OLIVEIRA MELO (n. em 22-JUL-1964 em Maceió, AL; filha de Paulo Torres Melo e Maridéia Marques de Oliveira, neta paterna de José Luís Torres Melo e Guiomar Ferreira, neta materna de José Sabino de Oliveira e Flora Marques Vasconcelos). Em segundas núpcias, casou em Beaufort, França, em 7-JUN-2003, com SOPHIE MARIETTE ARDENGHI (nascida em Genebra, Suíça; filha de Gilbert Henri Ardenghi e de Agnès Angéle Cattaneo). Filho:
- Oriundo do primeiro casamento:
1(XIV) ALEXANDRE MELO DE ALBUQUERQUE. N. em Brasília, Distrito Federal, em 11 de março de 1995. Batizado na Paróquia de Nossa Senhora do Lago, em Brasília (DF), no dia 11 de junho de 1995 (os padrinhos foram os avós paternos).
- Oriundo do segundo casamento:
2(XIV) ARNAUD ARDENGHI ALBUQUERQUE. N. em Laredo, Texas, Estados Unidos da América, em 28 de dezembro de 2005.

§ 61

XIII - WILSON LUÍS ESTEVES ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 16 de julho de 1968, data do centenário de seu bisavô Franklin de Albuquerque. Funcionário do Banco do Brasil (Direção Geral). Estuda na Faculdade de Comunicação (área: Publicidade). C. em Brasília, Distrito Federal, em 20 de outubro de 1990, em primeiras núpcias, c. ROSSILANY MARQUES MOTA (n. em 30-MAI-1971 em Brasília, DF; filha de Raimundo Soares Mota e Isabel Marques Lira, neta paterna de Vicente de Oliveira Mota e Maria Soares, neta materna de Raimundo Carvalho Lira e Petronília Marques Albuqueque), comerciante. Casou-se em segundas núpcias com Geane Cardoso. Filhos:
- Oriundo do primeiro casamento:
1(XIV) LUÍS GUILHERME MARQUES DE ALBUQUERQUE. N. em 5 de maio de 1995, às 7 horas e cinco minutos, em Fortaleza, Estado do Ceará (cfe. termo nº 14.330 constante da folha nº 283 do Livro de Registro de Nascimentos nº A-12 do 5º Cartório do Registro Civil das Pessoas Naturais). Foi bat. na Igreja Nossa Senhora do Líbano, também em Fortaleza, tendo como padrinhos os avós paternos.
- Oriunda do segundo casamento:
2(XIV) GIOVANA CARDOSO DE ALBUQUERQUE. N. em agosto de 2005 em Brasília (DF).

§ 62

XIII - ANA LÚCIA ESTEVES ALBUQUERQUE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 15 de março de 1972. Funcionária da Direção Geral do Banco do Brasil. Está cursando Economia. Com ROGÉRIO UNGARELLI BORGES (n. em 30-MAI-1971 em Brasília, DF; filho de Eurípedes do Carmo Borges e Wanda Maria José Ungarelli, neto paterno de Pedro Cândido Rosa e Araci Placidina de Campos e Dante Ungarelli) teve a filha:
1(XIV) ANA LUÍSA DE ALBUQUERQUE BORGES. N. em 16 de maio de 1991 em Brasília, Distrito Federal, onde foi batizada (Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro), sendo padrinhos os tios Pedro Henrique Esteves Albuquerque e esposa84.
Ana Lúcia casou-se em Brasília (DF), em 22 de fevereiro de 1997, com WALDIR GONÇALVES DE BITENCOURT PEREIRA (n. em Teresina, PI, em 10-ABR-1969; filho de Elmo Machado de Bitencourt Pereira e Marília Castelo Branco Gonçalves, neto paterno de José de Bitencourt Pereira e Francisca Machado, neto materno de Waldir de Figueiredo Gonçalves e Florisa Castelo Branco). O fato mereceu a atenção do semanário "Jornal da Comunidade", de Brasília (DF), na edição de 15 a 21 de março de 1997, com a publicação de foto dos noivos. O casamento foi celebrado pelo Padre Décio Batista Teixeira, Reitor da Universidade Católica de Brasília - UCB, que havia dirigido o Colégio Dom Bosco quando Ana Lúcia ali estudava. O casal teve a seguinte filha:
2 (XIV) ALINE ALBUQUERQUE BITENCOURT. N. em 6 de maio de 1999, em Brasília, Distrito Federal.
3 (XIV) DAVI ALBUQUERQUE BITENCOURT. N. em Brasília (DF).

§ 63

XII - DANIEL CARRANO ALBUQUERQUE. Fº de Odívia Carrano (§ 43). N. em Recreio, Minas Gerais, em 8 de novembro de 1946. Médico. Em primeiras núpcias, casou-se, no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, no dia 1º de maio de 1975, c. REGINA CÉLIA ROHSNER (n. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 1º de maio de 1953; irmã de Marta Cristina, Teresa Cláudia, Norma Clarisse e Patrícia Maria Rohsner; fª de Friedrich Carl Peter Rohsner, n. na Alemanha, e de Teresinha da Rosa). C., em segundas núpcias, em Magé, Estado do Rio de Janeiro, em 26 de setembro de 1987, c. IVONE COSTA SANT ANA (n. em Attilio Vivacqua, ES, em 19-AGO-1949; filha de José Guilherme Sant’Ana e Nyra Venturi Costa, neta paterna de Enrico Tesi Sant’Ana e Jandira Ornelas Rosa, neta materna de João Batista Costa e Maria Venturi). Filhos do segundo casamento:
1(XIII) ADRIANA SANT ANA ALBUQUERQUE. N. em Magé, Estado do Rio de Janeiro, em 1º de novembro de 1983.
2(XIII) ALICE SANT ANA ALBUQUERQUE. N. em Magé, Estado do Rio de Janeiro, em 22 de junho de 1989.
Daniel Carrano Albuquerque possui um enteado, filho de Ivone Costa Sant Ana e de seu ex-esposo Ivan de Oliveira Almeida:
- MAURÍCIO SANT ANA ALMEIDA. N. em Magé, Estado do Rio de Janeiro, em 31 de agosto de 1968. C. c. CRISTINA ALMEIDA (nome de casada).

§ 64

XII - MARIA GEORGINA CARRANO ALBUQUERQUE. N. em Leopoldina, Minas Gerais, em 13 de outubro de 1953. Psicóloga. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 10 de janeiro de 1976, c. VINCENZO MELIANDE, n. em Satriano di Lucania, Potenza, Itália, em 27 de junho de 1949, fº de Anibale Meliande e de Carolina Laviano. Pais de:
1(XIII) MARCOS ALBUQUERQUE MELIANDE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 2 de março de 1977.
2(XIII) ANA CAROLINA ALBUQUERQUE MELIANDE. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 31 de maio de 1981.

§ 65

XI - JOPSON CARRANO. Fº de José Carrano (§ 10). N. em Recreio, Minas Gerais, em 18 de outubro de 1919. Funcionário aposentado do Banco do Brasil, onde começou a trabalhar em 15-JUN-1946 e exerceu importantes funções. Serviu ao Exército durante a II Guerra Mundial, não tendo chegado a partir para o campo de batalha na Europa em face do término do conflito. Fal. em 31-OUT-1997 no Rio de Janeiro (RJ), tendo sido sepultado no Cemitério de São Francisco Xavier, no Caju, Rio de Janeiro (RJ), em 2-NOV-1997, data em que seu falecimento foi divulgado no "Jornal do Brasil". C. em 7 de junho de 1954, no Rio de Janeiro (RJ), c. MARIA APARECIDA DA COSTA MATOS (servidora pública aposentada, n. em Chácara, então distrito de Juiz de Fora, Minas Gerais, em 23 de junho de 1927, irmã de Maria da Glória Costa Matos (vide § 59) e fª de Nicácio da Costa Matos e de Maria Nicolina Matos, neta paterna de José Augusto de Matos e Ana Amélia da Costa, neta materna de José Lourenço de Matos e Maria Amália Travassos). Pais de:
1(XII) RICARDO MATOS CARRANO, que segue no § 66.
2(XII) EDUARDO MATOS CARRANO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 7 de junho de 1958. C. em Los Angeles, U.S.A., c. CRISTINA MELO MARINHO (n. no Brasil; filha de Dirceu Soares Marinho e Maria da Penha Melo Valadão, neta paterna de Eurico Antunes Marinho e Alda Soares Rezende, neta materna de Amadeu da Rocha Melo e Iracema Valadão).

§ 66

XII - RICARDO MATOS CARRANO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 23 de maio de 1956. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, c. HELESY FERNANDES BONILHA, n. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 9 de novembro de 1963, fª de Hélio Bonilha Monteiro e de Line Fernandes. Pais de:
1(XIII) LUNA BONILHA CARRANO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 14 de abril de 1989.

§ 67

XI - HUDSON CARRANO. Fº de José Carrano (§ 10). N. em Recreio, Minas Gerais, em 31 de julho de 1924. Funcionário aposentado da Caixa Econômica Federal, onde exerceu relevantes funções. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 13 de abril de 1951, c. VERA ASSUNÇÃO MUYLAERT (n. em 18-JUL-1929 no Distrito de Itapina, Município de Colatina, Espírito Santo; filha de Edgar Muylaert e Corinta Segunda D’Assunção, neta paterna de José Muylaert e Júlia Amélia Lacourt, neta materna de José Inácio D’Assunção e Raimunda Medeiros). Pais de:
1(XII) GLÁUCIA CARRANO, que segue no § 68.
2(XII) GUILHERME CARRANO, que segue no § 69.
3(XII) MARIA LUÍSA CARRANO, que segue no § 70.
4(XII) HUDSON CARRANO FILHO, que segue no § 71.

§ 68

XII - GLÁUCIA CARRANO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 10 de maio de 1952. C. em 25 de abril de 1975, em Mainti, Utah, U.S.A., c. GEORGE KEITH BROWN (n. em Price, Carbon, utah, Estados Unidos da América, em 17-NOV-1950; filho de Deane Wakley Brown e Dorothy Jorgensen, neto paterno de William Frederick Brown e Ida Belva Wakley, neto materno de George Edgar Jorgensen e Florence Virginia Horsley). Pais de:
1(XIII) GEORGE EDGAR BROWN. N. em Brasília, Distrito Federal, em 21 de agosto de 1976.

§ 69

XII - GUILHERME CARRANO. Fº de Hudson Carrano (§ 67). N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 27 de junho de 1953. Advogado e funcionário da Fundação Nacional do Índio - FUNAI. Trabalhou no Banco do Brasil S. A., em Brasília (DF). C., em primeiras núpcias, em Brasília, Distrito Federal, em 4 de março de 1977, c. ILMA PIMENTA, n. em Uberlândia, Minas Gerais, em 29 de abril de 1953, fª de Sebastião Pimenta e de Janes Emerenciana. Em segundas núpcias, C. em Barra do Garças, Mato Grosso, em 30 de julho de 1984, c. MARTA VÂNIA RODRIGUES LIMA (n. em 15-DEZ-1956 em Aragarças, GO; filha de José do Espírito Santo Lima e Alzira Rodrigues Machado, neta paterna de Silvano Gonçalves Lima e Almerinda Dolores Pinto, neta materna de Minervino Carlos Machado e Amância Rodrigues Moraes).
- Filhos do primeiro matrimônio:
1(XIII) TYAYRÔ MUYLAERT CARRANO. N. em Brasília, Distrito Federal, em 25 de julho de 1977. Fal. na mesma localidade em 24 de fevereiro de 1979.
2(XIII) JOANY MUYLAERT PIMENTA CARRANO, que segue no § 70.
3(XIII) AIANAN MUYLAERT PIMENTA CARRANO. N. em Brasília, Distrito Federal, em 25 de abril de 1980.
- Filhos do segundo casamento:
4(XIII) LAÍS LIMA MUYLAERT CARRANO. N. em Barra do Garças, Mato Grosso, em 23 de abril de 1986.
5(XIII) LUCAS LIMA MUYLAERT CARRANO. N. em Barra do Garças, Mato Grosso, em 18 de dezembro de 1989.

§ 70

XIII - JOANY MUYLAERT PIMENTA CARRANO. N. em Brasília, Distrito Federal, em 17 de março de 1979. Com LUÍS AUGUSTO MESQUITA teve o seguinte filho:
1(XIV) MIGUEL CARRANO MESQUITA. N. em 12 de setembro de 1997, em Brasília (DF).

§ 71

XII - MARIA LUÍSA CARRANO. Fª de Hudson Carrano (§ nº 67). N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de abril de 1955. É professora universitária nos Estados Unidos da América. Foi funcionária do Banco do Brasil S. A. C. em Los Angeles, Califórnia, U.S.A., c. TYRRELL WALTER SCHULTHEIS, n. nos Estados Unidos da América. Pais de:
1(XIII) MARCUS CARRANO SCHULTHEIS. N. em Los Angeles, Califórnia, U.S.A., em 14 de junho de 1981.
2(XIII) MICHAEL CARRANO SCHULTHEIS. N. em Los Angeles, Califórnia, U.S.A., em 6 de setembro de 1991.

§ 72

XII - HUDSON CARRANO FILHO. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de setembro de 1956. Servidor da ELETRONORTE- Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A., à disposição do Ministério do Meio Ambiente e Bem Estar Social. Professor de Informática na Faculdade Alvorada, em Brasília (DF), onde foi celebrado, em 15 de dezembro de 1979, seu casamento c. ELAINE MACHADO VASCONCELOS (n. em 28-JAN-1961 em Goiânia, GO; filha de Adolfo Machado de Vasconcelos e Alba Pires Monteiro, neta paterna de Eleotério Machado de Vasconcelos e Eulália de Vasconcelos; Juíza do Trabalho em Brasília, DF). Pais de:
1(XIII) PRISCILA VASCONCELOS CARRANO. N. em Brasília, Distrito Federal, em 27 de março de 1981.
2(XIII) CAMILA VASCONCELOS CARRANO. N. em Brasília, Distrito Federal, em 7 de fevereiro de 1985.

§ 73

X - ANTONIETA CARRANO (ou MARIA ANTONIA CARRANO). Fª de Nicola Carrano (§ 8). N. em 22 de março de 1891 em Piraí, Estado do Rio de Janeiro, onde foi bat. em 23 de maio do mesmo ano. Fal. em Leopoldina, Minas Gerais, em 13 de janeiro de 1990. C. em Conceição da Boa Vista, Município de Recreio, Minas Gerais, em 15 de maio de 1909, c. MÁRIO GOUVEIA (n. em torno de 1887 no Estado de Minas Gerais; filho de José Maria de Gouveia e Elisa Carolina Pinto, neto materno de Francisco de Paula Pereira Pinto e Carolina Antônia Rosa de São José). Pais de:
1(XI) MOACIR CARRANO GOUVEIA, que segue no § 74.
2(XI) ELZA CARRANO DE GOUVEIA. N. e fal. em Recreio, Minas Gerais.

§ 74

XI - MOACIR CARRANO GOUVEIA. N. em Recreio, Minas Gerais, em 31 de março de 1910. Fal. em 1º de maio de 1970. C. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 23 de março de 1939, c. ZULEICA CÉZAR. Pais de:
1(XII) MARIA CÉLIA GOUVEIA, que segue no § 75.

§ 75

XII - MARIA CÉLIA GOUVEIA. N. no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, em 19 de janeiro de 1943. C. c. JOÃO BORGES DE MOURA. Pais de:
1(XIII) CARLOS EDUARDO DE MOURA.



OUTROS TAVOLAROS DE PIRAÍ:

§ 1º

I – ROSÁRIO TAVOLARO. Casou com ANGELA MARIA BACCA ou ANGIOLA MARIA BACCA (filha de Pasquale Bacca e Francesca Brandi). Pais, pelo menos, de:
1(II) MARIA ROSA TAVOLARO, que continua no § 2º.
2(II) NICOLA LUIGI TAVOLARO, que segue no § 5º.

§ 2º

II – MARIA ROSA TAVOLARO. N. por volta de 1870 em Tramútola, Potenza, Itália. Faleceu em Piraí (RJ), onde casou em 28-DEZ-1886, com BIASI CANTIZANNI (no Brasil: Brás Cantizanni; n. na Itália; filho de Vincenzo Cantizanni e Mariana Fliorillo; talvez seja o mesmo Biasi Cantisani que, procedente do Porto de Gênova, Itália, chegou ao Brasil, através do Porto de Santos, em 25-ABR-1884, com 41 anos de idade). Pais de:
1(III) EUGÊNIA NATALINA CANTIZANNI, que segue no § 3º.

§ 3º

III – EUGÊNIA NATALINA CANTIZANNI. N. em 25-DEZ-1887 em Piraí (RJ), onde faleceu em 6-OUT-1936. Casou na mesma localidade, em 26-JUL-1904, com JOSÉ DE DEUS COPLE (n. em Piraí, RJ, por volta de 1880; filho de José Cristino Cople e Augusta Cople). Pais de:
1(IV) MARIA APARECIDA COPLE, que segue no § 4º.
2(IV) CELENE COPLE.
3(IV) MARIA ROSINA COPLE.
4(IV) ÂNGELACOELI COPLE.
5(IV) INÁ COPLE.
6(IV) NILZA CANTIZANNI COPLE. N. em 10-JAN-1924 em Piraí (RJ).
7(IV) NICOLAU CANTIZANNI COPLE. N. em 28-JAN-1926 em Piraí (RJ), onde faleceu em 30-MAR-1926.

§ 4º

IV – MARIA APARECIDA COPLE. Filhos:
1(V) MAYRTON COPLE.
2(V) MAYRSEU COPLE.

§ 5º

II – NICOLA LUIGI TAVOLARO. N. Em 12-MAI-1873 em Tramútola, Potenza, Itália. Casou em 26-JAN-1901, em Piraí (RJ), com PAULINA ROCHA BROCHADO (n. em torno de 1880 em Pouso Alto, MG; filha de Duarte Ferreira Brochado e de Paulina Rocha).


NOTAS EXPLICATIVAS:

(1) O antropônimo Tavolaro pode ter sua origem: a) na palavra “tavoliere”, que significa “planície”, tendo em vista o hábito italiano de se dar apelido em função do lugar de origem de uma pessoa; assim, o primeiro que usou o sobrenome Tavolaro poderia ter vindo da “Tavoliere di Puglia” ou da “Tavoliere di Brindisi”; b) na República de Tavolara, pequena ilha situada nas costas da Sardenha, no Mar Tirreno, referida por Luís José Gintner em seu interessante livro “Em Busca de Liliput”; c) em profissão ligada à utilização ou fabricação de távola (tábua ou mesa), alternativa que o autor julga ser a correta, tendo em vista a utilização do sufixo “àrius”, indicativo de arte e ofício ou profissão, que, com o tempo, evoluiu para “aro”. Para o Brasil vieram vários membros da Família Tavolaro, sendo de se destacar o grupo que veio para Santos, São Vicente e São Sebastião (SP), objeto do ensaio “Família Tavolaro (de São Sebastião)”, constante do sítio www.usinadeletras.com.br. Além disso, Marcelo Tavolaro cita os seguintes imigrantes que desembarcaram em Santos (SP), com a idade de cada um e a data da chegada: Maria Teresa Tavolaro, com 1 ano (2-JAN-1888), Luigi Tavolaro, com 38 anos (4-FEV-1888), Antonia Tavolaro, com 4 anos, Michele Tavolaro, com 1 ano, Rosa Tavolaro, com 7 anos, Rosário Tavolaro, com 37 anos, e Teresa Tavolaro, com 24 anos (24-NOV-1891), Giuseppe Tavolaro, com 31 anos (14-JAN-1893), e Catterina Tavolaro, com 4 anos, Ernesto Tavolaro, com 35 anos, e Maddalena Tavolaro, com 32 anos (9-JUN-1903).

(2) Fontes :
- “Dicionário das Famílias Brasileiras”. Tomos I (Volumes I e II) e II (Volumes I e II). Antônio Henrique da Cunha Bueno e Carlos Eduardo de Almeida Barata.
- “Encontro com os Ancestrais”. Pedro Wilson Carrano Albuquerque. Brasília; 1999.
- Ensaio “Árvore de costado de Maria Carolina Tavolaro colocado no sítio www.usinadeletras.com.br.
- “Genealogia Sebastianense”. João Gabriel Sant’Ana. São Paulo; 1976.
- “Il libro dei Miei. Famiglia Tavolaro”. Trabalho elaborado pelo Istituto Araldico Coccia.
- Trabalho sobre a Família Tavolaro colocado por Marcelo Tavolaro no sítio www.tavolaro.hpg.ig.com.br.


Comentários

maria paula  - 16/11/2010

eu amo demais essa familia e adoro lr sua historia

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui