Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
111 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56894 )
Cartas ( 21134)
Contos (12535)
Cordel (9881)
Crônicas (21940)
Discursos (3123)
Ensaios - (10027)
Erótico (13216)
Frases (41930)
Humor (17821)
Infantil (3614)
Infanto Juvenil (2347)
Letras de Música (5450)
Peça de Teatro (1313)
Poesias (137238)
Redação (2891)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2382)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4538)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->DICIONÁRIO BIOG. VIRTUAL DE ESCRITORES PIAUIENSES - C -- 28/03/2004 - 19:23 (Adrião Neto) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

DICIONÁRIO BIOGRÁFICO VIRTUAL DE ESCRITORES PIAUIENSES

PARTE II – LETRA C


AVISO AOS NAVEGANTES



Gratificado com o sucesso do DICIONÁRIO BIOGRÁFICO ESCRITORES PIAUIENSES DE TODOS OS TEMPOS (duas edições: 1993 e 1995) e do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO DE ESCRITORES BRASILEIROS CONTEMPORÂNEOS (duas edições: 1998 e 1999), que nos deram reconhecimento e notoriedade, em nível local e nacional, apresentamos, aos internautas, o DICIONÁRIO BIOGRÁFICO VIRTUAL DE ESCRITORES PIAUIENSES, a ser editado com o título de GRANDE DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO DE ESCRITORES PIAUIENSES.

Este novo DICIONÁRIO é como se fosse a continuação do DICIONÁRIO BIOGRÁFICO ESCRITORES PIAUIENSES DE TODOS OS TEMPOS e como tal, tem como principal objetivo fazer uma catalogação geral dos nossos escritores, mas não é fácil. Muitos não colaboram, omitindo os seus dados nas suas próprias obras, dificultando assim o trabalho dos biógrafos. E outros, ao serem solicitados para fornecerem os seus currículos, não atendem e quando, por culpa própria, não são incluídos na obra, como aconteceu nas edições anteriores do Dicionário Piauiense, ainda se acham no direito de reclamar.

No entanto, como o principal objetivo deste DICIONÁRIO é fazer a catalogação dos escritores piauienses do passado e do presente, esperamos contar com o apoio e a participação de todos, tanto na divulgação do trabalho, como no fornecimento de informações (próprias e de outras pessoas) para que a obra seja menos omissa e mais completa possível.

Em virtude de seu tamanho para utilização na INTERNET, o DICIONÁRIO foi subdividido em oito partes, conforme veremos a seguir.

As sugestões, as retificações, as atualizações e os pedidos de inclusão de novos escritores devem ser encaminhados para ADRIÃO NETO – Rua Lucídio Freitas, 653, CEP.: 64.003-120 – Teresina, PI, ou adriaojneto@hotmail.com (Outros contatos: (0**86) 9986-0573 e 3213-1529).

Para encontrar os demais ESCRITORES incluídos neste DICIONÁRIO, acesse:
http://www.usinadeletras.com.br (Clic em Autores, Clic em Adrião Neto, Veja Ensaios, Clic em Dicionário Virtual...).

ADRIÃO NETO – Dicionarista biográfico, historiador, antologista, poeta e romancista. Autor de várias obras, destacando-se “Dicionário Biográfico Escritores Piauienses de Todos os Tempos” (1993 e 1995), “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998 e 1999), “Literatura Piauiense para Estudantes” (dez edições); “Geografia e História do Piauí para Estudantes – da Pré-História à Atualidade’’ (várias edições) e “A Epopéia do Jenipapo” (2005 e 2006). Além dessas importantes obras Adrião Neto também é o autor da idéia da inclusão da data histórica da Batalha do Jenipapo (13 de março de 1823) na Bandeira do Piauí – Sugestão devidamente viabilizada pela Assembléia Legislativa (Lei nº 5.507, de 17 de novembro de 2005, de iniciativa do Deputado Homero Castelo Branco).

Teresina, Piauí, Brasil, março de 2004.

(1ª atualização geral: abril de 2007)


C


CABRAL, João Crisóstomo da Rocha – n. 27-01-1870 - Jerumenha (PI), f. 05-0l-1946 - Rio (RJ). Filho de Honorato Ferreira Cabral e Maria Emília da Rocha Cabral. Magistrado, político, jurista, poeta e prosador. Deputado federal pelo Piauí, por duas legislaturas, e Ministro do Supremo Tribunal Eleitoral. Foi um dos fundadores da Justiça Eleitoral no País. Primeiro ocupante da Cadeira 12 e patrono da Cadeira 31 da Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “Teoria Jurídica da Conta Corrente”; “Das Falências e do Respectivo Processo”; “Evolução do Direito Internacional”; “Projeto de Constituição do Estado do Piauí”; “A Nova Reforma do Ensino”; “Obrigações do Portador”; “Economia Política”; “Ciências das Finanças e do Direito”; “Empréstimos Populares”; “Sistema Eleitoral do Ponto de Vista das Minorias”; “Síntese do Problema Bancário no Brasil”; “Código Eleitoral Comentado”; “A Crise Financeira”; “Palimpsestos”, versos, e outros. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972) e na coletânea “Os Mais Lindos Sonetos Piauienses” (1940), ambas organizadas por Félix Aires.

CADDAH, Alda Fortes – n. 14-09-1948 - União (PI). Empresária e poetisa. Formada em História, pela Universidade Federal do Piauí. Cursou Pós-Graduação na Fundação Getúlio Vargas. Foi professora em Teresina. Dirigiu o Arquivo Público e o Teatro 4 de Setembro. Participou do Projeto Literatura para Todos, realizado em 2006. Titular da agência de turismo ALDATUR – Viagem e Turismo. Bibliografia: “Pássaro da Manhã- Elogio ao Amor ” (1987), poemas. Participou da “Antologia de Escritoras Piauienses (Século XIX à Contemporaneidade)”, 2009, organizada por Algemira de Macedo Mendes, Marleide Lins de Albuquerque e Olívia Candeira Lima Rocha.

CADDAH, Maria Iêda – n. 21-09-1929 - Teresina (PI). Musicista e professora. Formada em Música, pela Escola Superior de Belas Artes do Rio de Janeiro, onde foi professora catedrática. Bibliografia: “O Barroco”. É autora de várias partituras.

CAJAZEIRA – Poeta popular, cantador e estivador. Intitulava-se “cantadô de premera e bagageiro número um da cidade de Parnaíba”. Foi criado à sombra de uma cajazeira, razão pela qual recebeu este apelido. Alguns dos seus versos foram transcritos na coletânea “O Piauí na Poesia Popular” (1975), de Félix Aires.

CALDAS, Batista – Poeta e teatrólogo piauiense, natural da cidade de Parnaíba. Servidor da CEPISA, em Parnaíba. Atuou no Grupo de Teatro de Amadores de Parnaíba, sob a direção de Maria Bittencourt. Juntamente com Francisco Miguel de Moura Júnior, José Gerardo Ximenes e Rosângela Santos, participou do livro de poemas “Quando a Vida Fere” (1980), editado pela Cirandinha. Sua participação recebeu o título de “Reflexos”.

CALDAS, Davi Moreira – n. 22-05-1836 - Barras (PI), f. 03-01-1872 - Teresina (PI). Filho do capitão Manoel Joaquim da Costa Caldas e Manuela Francisca Caldas. Poeta, professor, político, historiador e jornalista. Foi Promotor Público, deputado estadual, defensor ardoroso das idéias liberais e republicanas e do abolicionismo. Crítico dos atos do governo e das injustiças sociais sofreu terríveis perseguições. Em 1869, lançou o seu primeiro jornal “O Amigo do Povo”, no qual publicou o histórico artigo intitulado “Oitenta e Nove”, que, embora não definisse claramente uma profecia, deixava transparecer na sutileza de suas entrelinhas a idéia profética da República, que fatalmente foi proclamada na data assinalada pelo jornalista, fato que lhe rendeu a cognominação de “Profeta da República”. É patrono de uma das Cadeiras da Academia Piauiense de Letras e da Academia de Letras do Vale do Longá. Bibliografia: “Estudos sobre o Delta do Parnaíba”; “Cartas Geográficas”; “Propagandista Desconhecido”; “Dicionário Histórico e Geográfico do Piauí”. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972) e na coletânea “Os Mais Lindos Sonetos Piauienses” (1940), ambas organizadas por Félix Aires. Curiosidade: Além das perseguições sofridas em vida, Davi Caldas, após a sua morte, apesar de ser membro da Irmandade do Santíssimo Sacramento, foi penalizado também pela Igreja, que o considerou oficialmente ateu, negando-lhe o direito de ser enterrado no cemitério.

CALDAS, Fócion – n. 30-01-1870 - Teresina (PI), f. 04-12-1904 - Teresina (PI). Filho do escritor Davi Moreira Caldas e de Benvinda de Queiroz Caldas. Militar, poeta e jornalista. Trabalhou como Adjunto do Serviço de Obras Públicas. Alferes. Fez parte do Comando da Guarda Republicana criada por Taumaturgo de Azevedo. Redigiu o “Oitenta e Nove”, nova denominação do jornal “O Amigo do Povo”, fundado por Davi Caldas. Fez parte do corpo de redação dos jornais “A Semana”, “O Povo”, “O Norte”, “O Correio”. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires.

CALDAS, João Pereira – n. 04-09-1720 - Valença (Portugal), faleceu em Lisboa, em avançada idade, no posto de General do Exército e no exercício de elevada função junto ao Conselho Ultramarino. Político, magistrado e historiador. Formado em Leis (Direito), pela Universidade de Coimbra. Foi o primeiro governador da Capitania do Piauí. Presidiu as Capitanias do Grão-Pará e Rio Negro. Fundou várias vilas e fez aldeamento de índios no Piauí. Foi Ministro Plenipotenciário do Governo português no Brasil. Exerceu o cargo de Chefe da Expedição encarregada de demarcar os limites das Possessões Portuguesas e Espanholas. Bibliografia: “Roteiro do Maranhão e Goiás pela Capitania do Piauí” (1770); “Estudos sobre o Delta do Parnaíba” e “Cartas Geográficas”.

CALDAS, José Itamar Guedes – n. 26-09-1920 - Teresina (PI). Poeta, cronista e articulista de jornal. Servidor do Banco do Brasil, onde exerceu funções comissionadas. Trabalhou em Belém do Pará e em Teresina. Colaborou em vários jornais da capital piauiense, especialmente no jornal “O Dia”. Tem trabalhos publicados no Almanaque da Parnaíba e num jornal da Argentina. Usava o pseudônimo de Ramati. Participou da coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), de Adrião Neto.

CALDAS, Maria Dagmar do Rego Alencar – n. 01-02-1931 - União (PI), f. 07-09-1994 - Teresina (PI). Poetisa, contista e jornalista. Foi servidora pública federal. Colaborou em jornais e revistas do Piauí. Foi incluída na “Antologia de Sonetos Piauienses”, de Félix Aires (1972), com o soneto “Meu Sonho”.

CAMILO FILHO (José Camilo da Silveria Filho) – n. 18-12-1927 - Teresina (PI), f. 22-01-2004 - Teresina (PI). Filho de José Camilo da Silveira e Maria José Silveira. Bacharel em Direito. Professor universitário e historiador. Foi professor e Reitor da Universidade Federal do Piauí. Exerceu as funções de Secretário de Interior, Justiça e Segurança Pública, Secretário de Estado do Governo, de Agricultura, das Obras Públicas e da Educação e Cultura. Foi um dos fundadores do Movimento de Renovação Cultural. Membro da Academia Piauiense de Letras. Presidiu o Conselho Estadual de Educação. Camilo Filho, o Camilão, como era mais conhecido, foi escolhido como o Piauiense do Século, na área de Educação, em eleição democrática patrocinada pela TV Cidade Verde, em janeiro de 2000. Bibliografia: "Breve Introdução ao Estudo Piauiense"; "Rebelião de Pinto Madeira e o Piauí"; "O Cochrane das Caatingas"; "O Piauí na II Guerra Mundial"; "O Piauí na Guerra dos Canudos"; "As Idéias Políticas e Sociais de Félix Pacheco"; "Ensaios Impopulares” e outros.

CAMILO NETO (Raimundo Camilo Martins Neto) – n. 06-07-1964 - Agricolândia (PI). Professor, poeta e pastor. Bacharel em Teologia pelo Seminário Adventista Latino Americano de Teologia. Pertence à União Brasileira de Escritores do Piauí-UBE/PI e à Academia de Letras do Médio Parnaíba. Lecionou na rede oficial de ensino do Piauí.. Bibliografia: "Caminhos Poéticos" (1987), poemas, "Palmeira Solitária" (duas edições), poemas; “O Marceneiro que Fez a Cruz de Jesus” (s/d), opúsculo e “Poesia ao Entardecer”.

CAMINHA, Edmilson (Edmilson Caminha Júnior) – n. 1952 - Fortaleza (CE). Escritor, jornalista e professor de Literatura Brasileira e de Língua Portuguesa. Assessor Parlamentar. Membro da Consultoria Legislativa da Câmara Federal. Dirigiu, em Teresina, a “Rádio Educativa” e o Departamento de Jornalismo da TV Educativa do Estado do Piauí. Colaborou nos jornais “O Povo” e “Diário do Nordeste” (Fortaleza), “O Dia” e “Diário do Povo” (Teresina) e “Correio Braziliense” (Brasília), entre outros. Bibliografia: “Palavra de Escritor” (1995 e 1996); “Inventário de Crônicas” (1997); “Vilaça: Um Noviço na Solidão do Mosteiro” (1998); “Lutar com Palavras” (2001), “Drummond: a Lição do Poeta” (2002) e “Pedro Nava: Em Busca do Tempo Vivido” (2003).

CAMINHA, João Borges – n. 05-05-1935 - Furta-lhe a Volta, município de Oeiras, atual Ipiaranga do Piauí (PI). Filho de João Batista Borges Caminha e Teresa Vieira de Jesus. Formado em Direito, pela antiga Faculdade de Direito do Piauí. Mestre em Filosofia do Direito e em Teroria Geral do Direito, pela Universidade Federal de Pernambuco. Segundo Tenente do Exército, da Arma de Engenharia. Advogado e Chefe da Assessoria Jurídica Regional do Banco do Brasil. Professor de Direito da Universidade Federal do Piauí. Colaborador da revista “De Repente”. Bibliografia: “Um Exemplo às Novas Gerações” (1996), opúsculo. Tem trabalhos jurídicos editados em jornais e revistas especiaizadas, dentre os quais: “Interpretar a Constituição Sim; Emendá-la, Será Preciso?” (in revista “Direito Vivo”). “Propriedade das Terras Devolutas: Função Social e Uso Capião” (2004).

CAMINHA, Marco Aurélio Lustosa – n. 13-05-1966 - Campo Maior (PI). Filho de João Borges Caminha e Francisca Inocência Higino Lustosa Caminha. Mestre em Direito (Teoria Geral do Direito e Filosofia do Direito), pela Universidade Federal de Pernambuco. Doutor em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Universidad del Museo Social Argentino. Procurador do Trabalho, na Procuradoria Regional do Trabalho 22ª Região, Teresina, PI e professor da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “O Estado, as Relações de Trabalho e o Papel do Ministério do Trabalho” (2003).
CAMINHA, Maurienne (Maurienne Caminha Johansson) – n. 23-02-1963 - Campo Maior (PI). Filha de João Borges Caminha e Francisca Inocência Higino Lustosa Caminha. Professora, poetisa e cronista. Licenciada em Teologia e em Letras pela Universidade Federal do Piauí. Lecionou Português, Gramática, Redação, Comunicação e Expressão, Educação Religiosa e Ensino Bíblico em várias escolas da rede particular e oficial de ensino. Foi coordenadora e autora do projeto “E o Lobo Vira Bolo” de produção de textos literários, no Complexo Escolar Monte Castelo (1989/1994). Exerceu a chefia de Divisão de Ensino de 2º Grau da Secretaria Estadual de Educação, do governo “Francisco de Assis Moraes Souza. Em 1975, foi classificada em 3º lugar no Concurso de Poemas de Poetas Piauienses. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: "Sorria para a Vida" (1977), crônicas e poemas e "O Esplendor de uma Ordem Livre" (1978), crônicas e poemas. Tem inéditos: “Quem Dá Bola à Vida Dá Vida à Bola”, “Justiça de Deus x Justiça Humana”, "O Sabonete do Mar" - literatura infantil, e outras produções.

CAMPELO, Ací (Francisco Ací Gomes Campelo) – n. 05-08-1955 - Lagoa da Pedra (MA). Filho de Lívio da Silva Campelo e Joana Gomes de Sousa Campelo. Formado em Artes Cênicas, pela Universidade Federal do Piauí. Professor, contista e dramaturgo. Pertence à União Brasileira de Escritores do Piauí-UBE/PI. Foi membro do Conselho Estadual de Cultura. Dirigiu o Departamento de Artes da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Bibliografia: “Pau-a-Pau”; “Chiquinha”; “Miridan”; “Auto do Corisco”; “Tiradentes - A Ópera da Liberdade” e “O Auto da Estrela Guia”. Publicou: “O Novo Perfil do Teatro Piauiense, 1950 a 1990” (1993); “História do Teatro Piauiense – 1858 a 2000” e “Teatro de Ací Campelo – Três Peças Didáticas” (2004). Participou da coletânea: “A Nova Dramaturgia Piauiense” (1989). Organizou e participou da coletânea “Dramaturgia Piauiense” (1998), ambas editadas pela Fundação Cultural Mons. Chaves. Foi incluído na “Antologia Escritores” (2000), organizada pelo Des. Tomaz Gomes Campelo

CAMPELO, Assaí (Francisco Assaí Gomes Campelo) – n. 1947 - Lagoa do Rodrigo (MA). Filho de Lívio da Silva Campelo e Joana Gomes de Sousa Campelo. Ator, iluminador, operador de som e contista. Participou do livro de contos “Ô de Casa” (1977). Colaborou no jornal “Chapada do Corisco”.

CAMPELO, Luiz Gonzaga – n. 09-08-1914 - Teresina (PI). Genealogista e cronista. Formado em Engenharia Civil e em Direito. Fez Extensão Universitária em Mecânica de Solos e Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho. Cursou o Colégio Militar do Rio de Janeiro, onde dirigiu a revista “A Aspiração”. Reformado no posto de 2º tenente da reserva. Exerceu o cargo de secretário da Corregedoria Geral da Justiça e o de engenheiro do quadro geral do Estado do Paraná. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: “A Saga da Família Munhoz Campelo” (1987). Foi incluído na “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999), organizada por Adrião Neto.

CAMPELO, Sônia Maria – n. 14-01-1959 - Beneditinos (PI). Professora e pesquisadora. Licenciada em Letras (Língua e Literatura Portuguesa e Brasileira) e em Língua e Literatura Francesa. Fez especialização em Pré-História e Arqueologia. Pós-Graduada em Pré-História, Etnologia e Antropologia, pela Universidade de Paris (França). Professora da UFPI. Colaboradora da revista Cadernos de Pesquisa. Bibliografia: “Traitement Formel de L’Art Rupestre. Etude d’un Cas: La Toca do Boqueirão do Sítio da Pedra Furada”, tese.

CAMPELO, Tomaz Gomes – n. 06-01-1926 - Sítio Rodrigo, município de Pedro II (PI), Filho de Ernesto da Silva Campelo e Raimunda Gomes Campelo. Bacharel em Direito, pela Faculdade de Direito do Piauí – 1955. Foi Juiz de Direito em várias comarcas no Estado do Piauí, Desembargador, Corregedor Geral da Justiça 88/89, Membro Efetivo no Conselho da Magistratura do Estado do Piauí, Professor de Direito Processual Civil da Escola Superior da Magistratura, Maçom Grau 33 do Grande Oriente do Brasil, Venerável da Loja Liberdade Teresinense – GOB, Presidente do Rotary Clube – Teresina – Jóquei. Patrono da Comarca de Fronteiras – Fórum Des. Tomaz Gomes Campelo. Cidadão das cidades de Fronteiras, Regeneração, Barras, Alto Longá, Teresina, Amarante e Picos. Ex – presidente da Academia de Letras do Vale do Longa, Membro da Academia de Letras do Médio Parnaíba, da Academia de Letras e Belas Artes de Floriano e Vale do Parnaíba, da Academia de Letras da Região de Setes Cidades, da Academia Maçônica de Letras do Piauí, Academia de Letras da Magistratura Piauiense, Academia Unionense de Letras. Fundador e Presidente da Academia Pedrosegundense de Letras e Artes e Presidente da Fundação Carnaúba, Membro da Fundação de Apoio Cultural do Piauí, Sócio do Instituto dos Magistrados Brasileiros, Sócio Honorário da Academia Piauiense de Letras, Sócio Efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí, Presidente da Associação dos Amigos do Museu do Piauí, Membro do Conselho Editorial da UFPI, Ganhou o título de Pedrosegundense do Século, Personagem Cultural do Século concedido pela Academia de Letras da Região de Sete Cidades,Diploma de Amigo do 3° Batalhão de Engenharia e Construções de Picos, do 25° Batalhão de Caçadores e da 26° Circunscrição de Recrutamento, Diploma do Mérito Cultural da Costa e Silva. Intelectual do Ano – 1996, Comendador da Ordem do Mérito Renascença, Medalha do Mérito Conselheiro José Antônio Saraiva, Medalha do Mérito Judiciário Tribunal de Justiça do Piauí. É verbete do Dicionário Biográfico Escritores Piauienses de Todos os Tempos e do Dicionário Bibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos, ambos de Adrião Neto. É co- autor de vários livros, Coletâneas e Antologias. Tem inúmeros artigos publicados na imprensa local. Bibliografia: As Cores do Outono (1973); é Coordenador da Revista Escritores UBE/PI e Organizador das Antologias Escritores da UBE/PI.

CAMPELO, Viriato – n. 25-08-1954 - Teresina (PI). Filho de Tomaz Gomes Campelo e de Maria da Graça Soares Campelo (Graci). Médico e professor universitário. Formado em Medicina, pela UFPI. Fez Pós-Graduação na Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), tornando-se Sanitarista e Mestre em Medicina, pela UNICAMP. Além de sua dissertação de mestrado intitulada “Mortalidade por Causas Externas no Município de Teresina (PI) de 1971 a 1990”, produziu vários documentos de importância para o Estado e artigos científicos relacionados a epidemiologia e doenças infecciosas e parasitárias. Produtor cultural desde 1974. Realizou dezenas de shows musicais e dirigiu espetáculos antológicos como “Fruto da Terra” e “Cole Porter is The Top”. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Foi incluído na “Antologia Escritores” (2000), organizada pelo Des. Tomaz Gomes Campelo.

CAMPOS, Francisco Valdimiro – n. 02-02-1973 - Geminiano, município de Picos (PI). Poeta, compositor e cantor. Concluiu o Curso de Técnico em Enfermagem, no Educandário Nordestino Adventista. Bibliografia: “Sem Limites para Amar” (2002), poemas. Escreveu também “Caminhos” e gravou, com composições próprias, o CD “Conhecendo Jesus”.

CAMPOS, Gerson Nogueira – n. 1934 - Oeiras (PI), f. 1973 - Oeiras (PI). Filho do tabelião Joel Brito Campos e Maria de Jesus Nogueira. Bancário, poeta, jornalista, boêmio, repentista, glosador, seresteiro e radialista. Formado em Ciências Sociais. Foi idealizador da bandeira e do brasão de Oeiras. Criou o Teatro Experimental da Juventude Oeirense. Durante sua permanência em Recife trabalhou no Banco da Lavoura de Minas Gerais, na Mesbla, na Shell, na Manchete e no Consulado do Peru. Pertenceu ao Instituto Histórico de Oeiras. Bibliografia: “Sonetos e Retalhos” (1979), publicação póstuma. Comentário: Sua figura simpática e irreverente está gravada na paisagem de nossa terra, no ar que se respira, nos bancos dos jardins, nas árvores das praças, nas noites de luar, nas madrugadas de festa, nas serenatas alegres, no sorriso das moças, na reprovação sisuda dos velhos. (José Expedito Rego, in “Louvação” - apresentação de “Sonetos & Retalhos”).

CAMPOS, José Gomes – n. 19-10-1925 - Regeneração (PI), f. 25-05-2007 – Teresina (PI). Filho de Raimundo Campos e Maria Gomes Batista Campos. Professor universitário, teatrólogo e ator. Formado em Filosofia e em Pedagogia para Administração Escolar. Começou a fazer teatro nos anos 50 na União dos Moços Católicos. Dirigiu o Teatro Experimental de Teresina e o Teatro Estudantil Teresinense. Professor aposentado da Escola Técnica e da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “O Bumba-Meu-Boi; “A Morte de Quincas Berro D’água”; “O Cabeça-de-Cuia” e “Auto do Lampião no Além” (reeditado em 1994 pela Fundação Cultural Mons. Chaves). Participou do livro “A Nova Dramaturgia Piauiense” (1989) e “Dramaturgia Piauiense” (1998), organizados por Ací Campelo (ambas editadas pela Fundação Cultural Mons. Chaves).

CAMPOS, Lourenço Augusto Pereira – n. 05-08-1913 - Picos (PI), f. 01-03-1973 - Simplício Mendes (PI). Filho de José Augusto Campos Dantas e Maria Pereira Campos. Poeta e beletrista. Sua vocação literária surgiu aos 12 anos de idade. Foi comerciante do ramo de livraria e papelaria. Exerceu o cargo de Juiz de Paz e de diretor do Ginásio Isaías Coelho. Tem poemas publicados em jornais de Manaus e de Picos. Em “Verdes Anos 50”, Renato Duarte diz que Lourenço Campos era o poeta oficial de Picos. Bibliografia: “Canto do Nordeste”, edição póstuma. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

CAMPOS, Maria de Fátima – Professora da rede pública municipal de Teresina. Licenciada em Português e Inglês, pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Cajazeiras (PB). Especialista em Teoria do Texto e Literatura de Língua Portuguesa, pela UFPI. Autora do texto: “Literatura Infantil: Um Caminho para o Prazer de Ler”, capítulo IV do livro: “A Prática e o Saber Docente” (s/d), publicado pela SEMEC/Prefeitura Municipal de Teresina.

CAMPOS, Moaci Ribeiro Madeira – n. 13-06-1914 - Regeneração (PI), f. 10-10-1998 - Teresina (PI). Professor. Formado em Direito. Juntamente com o professor Felismino Weser, fundou a Escola Técnica de Comércio do Piauí e o Colégio Leão XIII. Durante 36 anos dirigiu a primeira escola acima mencionada. Lecionou Matemática no Liceu Piauiense, no Colégio Arquidiocesano “São Francisco de Sales” e nas escolas que fundou. Pertenceu ao Conselho Estadual de Educação. Recebeu o título de Cidadão Teresinense, a Medalha do Mérito Cultural “Da Costa e Silva” e a Medalha do Mérito Conselheiro José Antônio Saraiva. Bibliografia: “Reminiscências de Um Mestre Escola” (1989) e “Os Madeira Campos” (1996).

CAMPOS, Teresinha de Jesus Moura Borges – n. 07-01-1957 - Teresina (PI). Filha de José Borges de Moura e Irene de Sousa Moura. Graduada em Direito, pela Universidade Federal do Piauí, onde, também, cursou Licenciatura Plena em Letras, e Especializou-se em Língua Inglesa e Literatura Anglo-Americana. Especializou-se ainda em Direito Processual Civil e Consumidor, pela Fundação Des. Francisco Gomes / Universidade Estadual do Ceará. Prosseguindo os estudos, fez Especialização em Ciências Criminais – Penal e Processual Penal, pelo Instituto de Estudos Jurídicos, em convênio com a Universidade Federal do Piauí. Advogou e exerceu o magistério. Promotora de Justiça. Atuou em várias comarcas. Coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias da Infância e da Juventude do Piauí. Faz parte de Comissão Estadual Judiciária de Adoção. Participou de vários seminários, encontros, ciclos de debates e seminários, realizados no Piauí e em outros Estados. Bibliografia: “A Importância do Ministério Público Junto ao Consumidor” (2004) e “A Eficácia das Penas Alternativas” (2005)..

CANDEIA, Olívia (Olívia Candeia Lima Rocha) – n. 02-02-1979 - Teresina (PI). Professora, poetisa e ativista cultural. Graduada em Licenciatura Plena em História, pela Universidade Estadual do Piauí e Mestra em História do Brasil, pela Universidade Federal do Piauí. Foi uma das fundadoras e ex-presidente da União dos Escritores do Itararé (2000/2001). É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Em 2002, com o trabalho “A Hóspede”, recebeu o prêmio Ramsés Ramos de Poesia, promovido pelo Núcleo Piauiense de Estudos de Linguagem. Colaborou com o Projeto “Literatura para Todos”. Publicou artigos sobre a inserção feminina na Literatura Piauiense nas revistas Cadernos de Teresina, Ao Pé da Letra, Mafuá e Cadernos Femininos. Participou das coletâneas “Por que a poesia em tempos de inteligência” (2005), através de concurso nacional promovido pela Academia Brasileira de Letras e Folha Dirigida; “(Com) Posições Literárias” (1996), publicada pela ETFPI, reunindo trabalho de professores e alunos; “Antologia Urbana” (2000), editada pela UEI. É uma das organizadoras da “Antologia de Escritoras Piauienses (Século XIX à Contemporaneidade)”, 2009, da qual também participa.

CANDEIRA FILHO, Alcenor Rodrigues – n. 10-02-1947 - Parnaíba (PI). Filho de Alcenor Rodrigues Candeira. Poeta, advogado, professor universitário, ensaísta e crítico literário. Membro das Academias Parnaibana e Piauiense de Letras. Fez parte da diretoria da Academia Parnaibana de Letras. Pertence à UBE/PI. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Bibliografia: “Sombras Entre Ruínas” (1975), poemas; “Rosas e Pedras” (1976), poemas; “Das Formas de Influência na Criação Poética” (1980 e 1988); “A Insônia da Cidade” (1991), poemas; “Aspectos da Literatura Piauiense” (1994) e “Literatura Piauiense no Vestibular” (1995); “Memorial da Cidade Amiga” (1998). Participou das antologias: “Anuário de Poetas do Brasil” (1977); “Aviso Prévio” (1978); “Salada Seleta” (1979); “Poemágico” (1983), “Poemarít(i)mos” (1988), “Baião de Todos” (1996), organizado por Cineas Santos, “A Poesia Parnaibana” (2001), organizada por Adrião Neto (com ensaios de Alcenor Candeira Filho e Elmar Carvalho) e do livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), de Assis Brasil. Comentário: “Alcenor Candeira Filho tem a teoria e a prática da Literatura, pois há vários anos milita na produção literária, na crítica e no ensino dessa disciplina. Tem todo um arsenal teórico de quem exerce o magistério de Letras com competência e dedicação. De quem dedica suas horas livres a leituras de obras literárias e sobre literatura, no afã de melhor exercitar e compreender a atividade literária”. (Elmar Carvalho, in “Aspectos da Literatura Piauiense”, Revista Cadernos de Teresina, ano VIII, nº 17, agosto de 1994).

CARAÚBAS, Nonato – n. 08-01-1936 – Forquilha, Buriti dos Lopes (PI). Filho de Luiz Francisco da Silva e de Maria da Luz da Conceição. Formação primária. Poeta, cordelista, compositor e historiador. Marceneiro. Foi trabalhador rural até meados de 1990. Bibliografia: “Buriti dos Lopes e a sua Fundação” (1985). Foi incluído na “Coletânea de Poetas Buritienses Contemporâneos” (2000), organizada por José Luiz de Carvalho.

CARDOSO, Elizângela Barbosa – n. 14-07-1976 - Água Branca (PI). Historiadora. Graduada em História, pela Universidade Federal do Piauí. Mestra em História do Brasil, pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora do Departamento de Geografia e História da Universidade Federal do Piauí. Foi contemplada no Concurso Novos Autores, promovido pela Fundação Cultural Mons. Chaves – FCMC. Bibliografia: “Múltiplas e Singulares – História e Memória de Estudantes Universitários em Teresina 1930-1970”, editado em 2003, pela FCMC.

CARDOSO, Francisco da Silva – n. 12-03-1936 - Barras (PI). Filho de Enos da Silva Cardoso e Isabel Furtado de Moraes Cardoso. Memorialista. Licenciado em Geografia e OSPB. É servidor aposentado da CHESF. Presidiu o Diretório Acadêmico “Dom Avelar Vilela” e o Departamento Nacional do Estudante. Ainda criança, passou a residir em Campo Maior, onde colheu valiosos subsídios para escrever seu primeiro livro. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: “Memórias da Adolescência” (1994). A obra tem como cenário e pano de fundo a Terra dos Carnaubais e, como personagens, além do próprio autor e seus colegas de travessuras, inclui muitas pessoas da cidade, especialmente as figuras folclóricas. Alguns dos fatos narrados em seu livro foram transcritos, por Reginaldo Lima, em “Geração Campo Maior – Anotações para uma Enciclopédia” (1995).

CARDOSO, Liana Rosa Brito – n. 24-07-1973 – Teresina (PI). Mestra em Ciência da Informação, pela Universidade Federal de Minas Gerais. Técnica da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “Automação de Bibliotecas: Tendências Contemporâneas” – texto fundamentado na dissertação de mestrado defendido em 2001, na UFMG – publicado como um dos capítulos do livro “Desafiando os Domínios da Informação” (2002), organizado pelas professoras Maria das Graças Targino e Mônica M. M. R. N. de Castro.

CARDOSO, Paulo Henrique Fernandes – Poeta parnaibana ligado ao Grupo Experimental de Poesia “A Veiz do Ônzimo”. Publicou o fanzine “Brecha no Muro”. Participou da antologia poética “Poemarít(i)mos”, (1988).

CARDOSO, Kelly – n. 26-05-1980 - Teresina (PI). Filha de Antônio Carlos Rodrigues da Silva e Rita Cardoso da Silva. Concluíu o 2º grau no Colégio São Francisco de Sales. Participou do Concurso de Literatura Infantil patrocinado pela Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “A Transparência de uma Lágrima” (1997).

CARIBÉ, Antônio Júlio Lopes – n. 26-06-1944 - Teresina (PI). Escritor, professor, poeta, tradutor e esotérico. Licenciado em Letras, com Pós-graduação na área de Língua e Literatura Inglesa e Norte-Americana. Professor de Comunicação e de Inglês. Filho de Santo. Pertence a uma das irmandades de esoterismo de Teresina. É sócio da União Brasileira de Escritores do Piauí-UBE/PI. Com o poema “Aeronave”, participou do documentário, em vídeo, em homenagem a Teresina, organizado pela UBE/PI. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: “Obrigações para Oxóssi – Memórias Insólitas” e “Os Orixás – Guia Turística Afro-Cultural do Nordeste Brasileiro” (2005).

CARNEIRO, Joaquim Borges – n. 17-04-1853 - Jerumenha (PI), f. 1905 - Rio (RJ). Professor, escritor e jornalista. Formado em Direito. Redigiu e colaborou em alguns jornais e revistas de sua época. Está presente no livro “Literatura Piauiense – Escorço Histórico” (1994), de João Pinheiro. Bibliografia: “Catecismo Constitucional da República dos Estados Unidos do Brasil”; “Catecismo Constitucional do Estado do Rio de Janeiro”; “Catecismo Constitucional do Estado de São Paulo”; “Na Escola Normal da Corte” e outros.

CARNEVIVA, Cirilo Chaves Soares – Veja: CHAVES, Cirilo

CARVALHO, Abimael Clementino Ferreira de – n. 19-12-1909 - Oeiras (PI), f. 01-08-1987 - Fortaleza (CE). Filho de Dagoberto Ferreira de Carvalho e Eulália Clementino de Sousa Martins. Escritor, genealogista e militar. General-de-Divisão do Exército. Teve todas as promoções de oficial superior, por merecimento. Foi diretor da Companhia de Transportes Coletivos de Fortaleza, Secretário de Finanças do Município de Fortaleza e Secretário de Estado dos Negócios da Fazenda do Ceará. Presidiu a Companhia de Telecomunicações do Ceará e a Fundação Cearense de Meteorologia e Chuvas Artificiais. Pertenceu ao Instituto Histórico de Oeiras. Bibliografia: “Família Coelho Rodrigues, Passado e Presente” (1988), genealogia.

CARVALHO, Adalberto Fulgêncio de – n. 16-04-1957 – Mons. Hipólito (PI). Cordelista e Repentista. Começou a profissão de violeiro cantado, com o irmão Ricardo, no programa “Paisagem Nordestina”, na “Rádio Difusora”de Picos. Trabalhou na “Rádio Primeira Capital”, de Oeiras. Gravou CD e participou de vários outros. Bibliografia: “Adalberto Carvalho e Suas Canções”, cordel. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

CARVALHO, Afonso Ligório Píres de – Veja: LIGÓRIO, Afonso

CARVALHO, Alexandre – Natural de Teresina (PI). Filho de José da Costa Carvalho (Zé Deó) e Amélia de Menezes Carvalho. Bancário, radialista, poeta e romancista. “Figura exponencial do fazer musical e da animação cultural da geração dos anos 60”. Incentivador e apresentador dos shows da banda “Os Brasinhas”. Comandou os programas musicais “ZYG Juventude”, apresentado aos domingos, na Rádio Difusora de Teresina e “Trem da Alegria”, na Rádio Clube. Em 1968, ingressou no Banco do Brasil, assumindo o emprego em Imperatiz (MA), onde fundou a primeira rádio da cidade: Rádio Educativa de Imperatriz. Em 1975, ao ser transferido para Teresina, retomou a atividade no rádio. Bibliografia: “O Sonho não Acabou... A História do Maior Fenômeno Musical da Jovem Guarda no Piauí – Os Brasinhas” (2002) e “Fogoió D’Água Doce – A Saga de uma Nordestina” (2004), romance.

CARVALHO, Antônio de Deus – Ator e poeta. Natural de Inhuma (PI). Dirigiu o Grupo Ronco – Expressão Corporal. Pertenceu ao Grupo de Teatro Teste. Participou de “Madrigália” e do livro “Gota Vermelha”. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

CARVALHO, Cinobilino Passos de – n. 11-03-1908 - Oeiras (PI). Médico, poeta e servidor autárquico. Clinicou em Teresina. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses”, de Félix Aires (1972), com o soneto “Cristo”.

CARVALHO, Cromwell Barbosa de – n. 28-12-1883 - Amarante (PI), f. 10-11-1974 - Teresina (PI). Advogado, sociólogo, político, jornalista, jurista, poeta e magistrado. Foi Juiz Distrital em Valença e Floriano, e Promotor Público em Caxias (MA). Foi Procurador dos Feitos da Fazenda Nacional, em Teresina. Idealizador, fundador, professor e diretor da Faculdade de Direito do Piauí. Desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí. Pertencia à Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “Município Versus Estado” (1921); “Pulverização de uma Defesa” (1922); “Mons. Parturiens” (1922) e “Sonetos”, edição póstuma. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires. Comentário: Realizou obras nos moldes técnicos e pedagógicos mais modernos e atento às necessidades do meio...(Celso Barros Coelho, in “Homens de Idéias e de Ação”, 1991).

CARVALHO, Divaneide Maria Oliveira de – n. 25-03-1968 - Teresina (PI). Poetisa, professora e tradutora. É formada em Letras, pela Universidade Federal do Piauí. Tem Pós-Graduação em Língua Portuguesa. Estudou Espanhol no Brasil e na Espanha (Escuela Internacional de Español, em Barcelona). Estuda Inglês e Italiano. Trabalha como redatora e revisora bilíngüe. Professora. Ministrou aulas de Literatura, Gramática e Redação, na rede particular de ensino. Traduziu para o espanhol o livro “Ulisses Entre o Amor e a Morte”, do seu esposo O. G. Rego de Carvalho. Bibliografia: “Sensações” (2003), poemas.

CARVALHO, Doralice Craveiro de – n. 16-09-1931 - Parnaíba (PI). Poetisa, professora e pintora. Iniciou-se na formação de música, não chegando a concluir. Dedica-se à pintura, e aos matizes variados das cores, expressando na tela o que vem em mente. Envolvida com a questão do viver e do existir. Seus poemas são retratos dos momentos reais vividos. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Folhas Secas” (1989); “Roda Moinho” (1990) e “Nas Entrelinhas” (1991), todos poemas. “Momentos de Vida”. Participou da coletânea “Passarela de Escritores”(1997), org. por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

CARVALHO, Edilberto Eneas de – n. 25-07-1961 - Santo Antônio de Lisboa (PI). Poeta. Formado em Psicologia. Servidor público federal. Trabalha no INSS. Detém vários prêmios. Bibliografia: “Vida Eletrônica” (1983); “Espumas do Rio Vida” (1988); “Ágape, o Amor que Devora” (1993). Participou da “Antologia da Nova Poesia Brasileira” (1992).

CARVALHO, Emília Castelo Branco de – Veja: BRANCO, Lilizinha Castelo

CARVALHO, Elmar (José Elmar de Melo Carvalho) – n. 09-04-1956 - Campo Maior (PI). Filho de Miguel Arcângelo de Deus Carvalho e Rosália Maria de Melo Carvalho. Magistrado, poeta, cronista, crítico literário e contista. Membro da UBE/PI, da qual foi presidente, da Academia Parnaibana de Letras, da Academia de Letras do Vale do Longá, da Academia de Letras e Belas Artes do Vale do Parnaíba, da Academia de Letras Maçônicas do Piauí e da Associação Nacional de Escritores. Sócio correspondente do Instituto Histórico de Oeiras e do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro. Presidiu o Diretório Acadêmico “3 de Março”/CMRV/UFPI. Presidiu o Conselho Editorial da Fundação Cultural Mons. Chaves, da qual foi Coordenador de Literatura e Editoração. Membro do Conselho Editorial da Universidade Federal do Piauí. Bacharel em Direito e em Administração de Empresas. Colaborador de vários jornais e revistas do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Citado em vários livros e dicionários. Recebeu várias honrarias e distinções, entre as quais: Medalha do Mérito Visconde da Parnaíba (I.H. Oeiras), Comenda do Mérito Da Costa e Silva (UBE/PI), Personalidade Cultural (UBE/RJ), Comenda do Mérito Renascença (Governo do Estado do Piauí) e Prêmio Ribeiro Couto (Conjunto de Poesia), outorgado pela União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro. Bibliografia: “Cromos de Campo Maior” (1990); “Noturno de Oeiras” (1994); “Rosa dos Ventos Gerais” (1996 e 2002); “Sete Cidades” (1998); “Aspectos da Literatura Parnaibana” (2003), ensaio e “O Pé e a Bola” (2003). Participou dos livros: “Galopando”; “Em Três Tempos”; “Poesia do Campus”, “Salada Seleta”; “Poemágico”; “Poemarít(i)mos”; “Postais da Cidade Verde”; “Poesia Teresinense Hoje”; “Andarilhos da Palavra I e II”, etc; “Crônicas de Sempre” (1995) e “A Poesia Parnaibana” (2001), ambas organizadas por Adrião Neto e na “Antologia Escritores”, volumes I e II, organizadas por Tomaz Gomes Campelo. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), de Assis Brasil. Comentário: Elmar Carvalho (...) é um exemplo inequívoco de uma voz poética atenta e lúcida da poesia brasileira contemporânea (...) é um poeta que canta seus temas com uma elevada consciência de seu lavor poético. Não é poeta intuitivo apenas, sua poesia se faz através da habilidade artesanal, do suor do ofício, como é dever de todo artista da palavra. Há nele quase sempre aquela consciência do exercício da arte no sentido de criação pelas palavras sempre atento ao signo linguístico nas suas camadas significantes e significativas. (Cunha e Silva Filho, in “A Consciência Poética Atualizada”, jornal “Diário do Povo”, 13-01-1995).

CARVALHO, Fabrício de Arêa Leão – n. 22-08-1917 - Teresina (PI), f. 05-12-1982 - Teresina (PI). Filho de Miguel Arcângelo de Carvalho e Alice de Arêa Leão de Carvalho. Poeta e jornalista. Formado em Filosofia, Teosofia e Sociologia. Foi funcionário do Ministério da Agricultura, da ECT e da E. F. Central do Brasil. Escreveu para vários jornais. Foi um dos fundadores da Associação Profissional dos Jornalistas do Estado do Piauí e da Academia Mafrensina de Letras. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “Resenha Histórica da Agricultura”; “Um Jornalista Montanhês”, biografia e “Remembrança Sentimental”, biografia. Participou da “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

CARVALHO, Francisco das Chagas – n. 28-12-1928 – Pedro II (PI). Poeta popular e repentista conhecido popularmente como Francisco Alberto. Faz apresentações em Pedro II e arredores. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

CARVALHO, Fernando Barbosa de – n. 27-09-1891 - Amarante (PI). Político, professor, poeta e jornalista. Foi Deputado Estadual e Secretário da Educação e Cultura do Estado do Maranhão. Pertenceu à Academia Maranhense de Letras e ao Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão. Bibliografia: “Pátria de Português”; “Crônicas Doutrinárias”; “Poesias”; “Trovas” e “Voz da Razão”. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

CARVALHO, Francisco Antônio Barbosa – n. 04-11-1954 - Todos os Santos, município de São Pedro do Piauí (PI). Poeta. Estudou na Escola Paulo Ferraz e na Escola Técnica Federal do Piauí. Motorista de Táxi. Vitimado por acidente automobilístico, ficou paraplégico. Bibliografia: “Sofrimento em Solidão” (1983) e “Alô Amor! Saudade” (1984).

CARVALHO, Francisco Gilvan Vieira de – n. 1964 - Ipiranga (PI). Poeta. Formado em Contabilidade. É autor do poema adaptado pela poetisa e quadrinhista Thânia Carvalho, dando origem ao texto em quadrinho “Cisquinho Luz de Lamparina”, incluído na “3ª Coletânea de Novos Quadrinhistas”, editada no Rio.

CARVALHO, Gardênia Maria Braga de n. 29-11-1965 – Professora universitária e pesquisadora da área de Contabilidade Ambiental. Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente, pela Universidade Federal do Piauí, Especialista em Contabilidade pela Universidade Federal do Piauí; Especialista em Direito e Processo Tributário pela Universidade Estadual do Ceará; Especialista em Contabilidade Avançada pela ESAF (Escola Superior de Administração Tributária); Professora efetiva da Universidade Federal do Piauí, do Curso de Ciências Contábeis; Auditora Fiscal da Fazenda Estadual, no Estado do Piauí. Bibliografia: “Contabilidade Ambiental – Teoria e Prática” (2007). O livro trata da ética e responsabilidade ambiental das empresas e da contabilização de fatos contábeis e atribuições. Segundo a autora, “toda empresa interage com a natureza, seja retirando dela matéria-prima para o seu uso ou descartando dejetos em suas águas. O que muitas esquecem ou não querem assumir é a responsabilidade de cuidar do meio ambiente e isso é possível através de investimentos em equipamentos, campanhas e procedimentos que venham diminuir o impacto que vem do mau uso da natureza pelo homem”.

CARVALHO, Gaudêncio Newton de – n. 08-08-1909 - Oeiras (PI), f. Brasília (DF). Magistrado, poeta e professor. Presidiu a Ala Moça da Casa Juvenal Galeno (Fortaleza). Exerceu o cargo de Juiz temporário da Justiça Comum dos Territórios Federais. Membro da Associação Nacional dos Escritores. Colaborou em vários periódicos. Foi premiado em concurso literário. Na introdução do livro “O Piauí na Poesia Popular” (1975), Félix Aires o chama de o Príncipe dos Poetas de Brasília. Bibliografia: "Revoada" (1938) e "Poemas da Íntima Habitação" (1969). Participou das coletâneas “Poetas de Brasília” (1962) e “Antologia dos Poetas de Brasília” (1971), ambas organizadas por Joanyr de Oliveira. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

CARVALHO, Helder Buenos Aires de – Professor universitário e pesquisador. Cursou Doutorado em Filosofia, pela Universidade Federal de Minas Gerais. É professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “Tradição e Racionalidade na Filosofia de Alasdair Maclntyre” (1999).

CARVALHO, Jesus Martins de – n. 29-10-1894 - Chapadinha (MA), f. 29-06-1970 - Apucarana (PR). Escritor, poeta, músico e empresário. Foi um dos fundadores da Sociedade Parnaibana de Expansão Cultural. Colaborou no Almanaque da Parnaíba. É patrono de uma das Cadeiras da APAL. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

CARVALHO, João Batista Pereira – Poeta lusilandense. Membro efetivo da Academia de Letras e Artes de Paranapuã, da Associaçao Profissional de Poetas do Estado do Rio de Janeiro, da Sociedade dos Poetas Cariocas e da Casa do Poeta Brasileiro. Participou do livro “Oficina Agenda Literária/99”, elaborado pela Oficina Cadernos de Poesia.

CARVALHO, João de Deus – n. 28-03-1933 – Teresina (PI). Militar, poeta e professor. Estudou no Colégio Estadual do Piauí até o 2º ano Científico, cujo curso concluiu no Colégio Cardeal Leme, no Rio de Janeiro. Formou-se sargento do Exército, na Escola de Sargentos das Armas, em 1952, e três anos depois, ingressou na Academia Militar das Agulhas Negras, formando-se oficial, no ano de 1958. Bacharelou-se em Ciências Plenas, palo Centro de Ensino Unificado de Brasília, em 1983. Exerceu as atividades de professor de Matemática do Colégio Militar, de Brasília de 1979 a 1986, quando ingressou na reserva do Exército, no posto de coronel. Bibliografia: “Xeque e Mate o Adversário” (1998), poemas. Colabora com a Revista De Repente. Participou da “Coletânea Ilustrada de Escritores” (2004), coordenada por Pedro Costa.

CARVALHO, João Renôr Ferreira de – n. 01-05-1945 - Fortaleza dos Nogueiras, município de Riachão (MA). Filho de Elias Ferreira Lima e Justina Ferreira de Carvalho. Bacharel em História pela, Universidade Federal de Pernambuco, UFPE. Especialização em História, pelo Institut International de Becherche Et de Formation Des Pays En Vue Du Dévé, IRFED, França. (Título: Etudes du Dévéloppement, obtido em 1978). Doutorado em Estudos Latino Americano, pelo Institut Des Hautes Etudes de L amérique Latine, IHEAL, França. (Título: Peuplement et Conflits dans l Amazonie Brésilienne, obtido em 1979). Mestrado em Geografia Humana, pelo Institut D etudes Du Dévéloppement Economique Et Social, IEDES, França. (Título: La Route Belém – Brasília et Son Influence en Amazonie, obtido em 1975). Professor do Departamento de Geografia e História da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “As Guerras Justas e os Autos da Devassa Contra os Índios da Amazônia Brasileira no Período Colonial” (2000); “Aspectos do Povoamento da Amazônia Brasileira – Três Estudos de Caso: Séculos XVII e XVIII – Amazônia Lusitana, Século XIX: Vales do Tocantins e Araguaia, Século XX: Rodovia Belém-Brasília” (2000); “Momentos de História da Amazônia” (2000); “O Major Francisco Paula Ribeiro, Desbravador dos Sertões do Maranhão do Sul” (2003) e “Resistência Indígena no Piauí Colonial 1718 a 1774” (2005). Organizou os livros “Coelho Neto e a Ecologia no Brasil: 1898 – 1928” (2002) e “O Sertão” (2001).

CARVALHO, Jorge Antônio da Costa – n. 26-04-1951 - Parnaíba (PI). Formado pela Faculdade de Direito, da Universidade Federal de Pernambuco. Fez curso de Pós-Graduação, com especialização em Planejamento Sócio-Econômico, e Mestrado em Direito. Fiscal do Trabalho em Parnaíba. Poeta. Participou das antologias “Poemágico” (1983); “Poemarít(i)mos” (1988) e “A Poesia Parnaíbana” (2001), organizada por Adrião Neto. Foi incluído nos livros “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), de Assis Brasil. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Comentário: Seus poemas são construídos, inventivamente, a partir de montagens sintáticas, de forma e sentido visual. Embora seja um poeta que procure por novas formas de dizer a poesia, não se revela artificial ou cerebral. É o poeta (...) que mais experimenta a forma e a linguagem literária, que mais foge da norma comum do código linguístico. (Assis Brasil, in “Literatura Invisível” - apresentação de “Poemágico”, 1983).

CARVALHO, José – Poeta maranhense, natural da cidade de Caxias. Cronista e poeta. Servidor do Banco do Brasil. Trabalhou na agência de Parnaíba. Fez curso intensivo para administradores, ministrado no Rio Grande do Sul, pela CIPAD. Detém o título de Cidadão Parnaibano. Bibliografia: “Pelo Brasil Afora - no Seu Banco” (1991).

CARVALHO, José Bezerra de – n. 13-03-1929 - Ipueira (CE). Filho de Cândido Alves Bezerra e Francisca Maria do Nascimento. Militar e poeta cordelista, connhecido como Águia de Prata. Reside no Piauí, onde ingressou na PM e está reformado como 1º sargento. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: “Nascimento, Vida e Morte de João Batista e Jesus Cristo”, “Uma Festa no Sertão”, “O Tribunal do Menor”, “Poemas e Poesias” e “Histórias do Passado”, “O Drama de Uma Jovem”, “Retalhos de Poesia”, “O Rico e o Pobre” e vários outros cordéis.

CARVALHO, José Fernandes de – Veja: PRATA, Zé da

CARVALHO, José Luiz de – n. 11-12-1956 - Buriti dos Lopes (PI). Filho de Aderson de Araújo Carvalho e Francisca das Chagas de Carvalho. Professor, poeta, jornalista e radialista. Administrador de Empresas. Licenciado em Eletricidade e Pós-graduado em Ensino-Aprendizagem. Ex-assessor municipal de cultura e ex-Assessor de Comunicação da Prefeitura de Buriti dos Lopes. Ex-professor da Escola Técnica Estadual “Ministro Petrônio Portela”. Colaborador de vários jornais. Fundou os jornais “Correio do Povo”, “Folha do Buriti” e “Correio do Norte”, e a Fundação Rural Aderson de Carvalho. Membro da Academia Parnaibana de Letras, da Academia de Letras da Região de Sete Cidades, da Academia de Letras da Região do Baixo Parnaíba, da União Brasileira de Escritores – UBE/PI e do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Parnaíba. Apresentador dos Programas “Isto é Cultura” e “Igaraçu Rural”, na Rádio Igaraçu de Parnaíba. Superintendente do Aeroporto Internacional de Parnaíba. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Poemas Alternados” (1980), em parceria com Adrião Neto. Participou da coletânea “Poesia do Campus” (1979) e “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999) e “A Poesia Parnaibana” (2001), ambas organizadas por Adrião Neto. Organizou a coletânea dos poetas buritienses. Comentário: Voltado para as paisagens naturais, cultiva também sentimentos amorosos, reza preces à religiosidade, canta a pátria e enaltece a terra piauiense. (A. Tito Filho, in “Poemas Alternados”).

CARVALHO, José Porfírio Fontenele de – n. 24-12-1946 – Ubatuba (CE). Indianista. Servidor da FUNAI, em Brasília. Foi assessor parlamentar do índio Deputado Federal Juruna. Residiu em Parnaíba. Bibliografia: “WAIMIRI ATROARI, a história que ainda não foi contada”, livro-documentário que trata sobre os índios Waimiri Atroari, desde os primeiros contatos com a população ocidental brasileira à exploração e invasão de sua reserva.

CARVALHO, José Santos – Veja: BILÉ

CARVALHO, Lana Veras de – n. 08-08-1981 - Teresina (PI). Filha de Olavo Rebelo e Cora Veras de Carvalho. Psicóloga, formada pela Universidade Estadual do Piauí. Participou da “VI Semana de Psicologia” promovida pela Faculdade de Ciências Médicas (Facime), da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), onde ministrou o mini-curso: “Atuação do Psicólogo em Unidade Neonatal”. Bibliografia: “Dudu Vai ao Hospital: Compartilhando Vivências de Crianças com Câncer” (2007), lançado na VI Semana de Psicologia e no SALIPI (2007).

CARVALHO, Leonides Donizete Lima – n. 25-01-1938 - Teresina (PI). Soprano lírica, reconhecida nacionalmente através de premiação do Concurso Banco Real Talentos da Maturidade, em Curitiba, no Ano de 2006. Entre mais de dez mil inscritos, classificou-se entre as cinco melhores vozes do Brasil. Na década de 60, em São Paulo, ficou em segundo lugar no concurso A Voz de Ouro da ABC do Brasil. Contista e coralista. Atuou no coral da Igreja do Amparo. Técnica em Contabilidade. Servidora aposentada do IBGE. Possui livros de contos publicados pela UFPI. Foi incluída na coletânea “Novos Contos Piauienses” (1984). Participou de vários CDs gravados.

CARVALHO, Lina Maria de Moraes – n. 13-02-1956 – Teresina (PI). Pedagoga. Mestra em Psicologia da Educação, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Atua como professora do Departamento de Fundamentos da Educação, do Centro de Ciências da Universidade Federal do Piauí, nas áreas de Psicologia da Educação e Educação Infantil, tendo como temas de estudo desenvolvimento humano, brinquedo e brincadeira. Participou da coletânea “Psicologia da Educação” (Edufpi, 2004), coordenada por Ana Valéria Marques Fortes Lustosa e Maria Vilani Cosme de Carvalho.

CARVALHO, Luís Espíndola de – n. 17-06-1931 - Floriano (PI). Filho de Bertoldo Espíndola de Carvalho e Rita Lima de Carvalho. Professor, jornalista, radialista, poeta e memorialista. Formado em Letras Anglo-Germânicas, pela Faculdade de Fisolofia, Ciências e Letras, da Universidade de Goiás. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Goiás. Especializou-se em Jornalismo, pela Universidade do Texas, Austin, Estados Unidos. Em 1962, estagiou nos principais jornais da República Federal Alemã e em 1963, estudou em Quito, Equador. Atuou no magistério e na imprensa de Goiás. Pertence à Associação Goiana de Imprensa, ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais. Foi um dos fundadores e primeiro presidente do Sindicato dos Radialistas de Goiás. Radicado eem Palmas (TO), onde é editor chefe do Jornal “Tribuna do Tocantins”. Atua, também, nos jornais “Universitário” e “Primeira Página”. Membro da Academia Tocantinense de Letras. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Goiás” (1999) e dos livros “Estudos Literários de Autores Goianos” e “Escritores de Goiás”, todos de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: “Introdução à Ciência da Informática”; “A Alemanha que Eu Vi”; “Por Esses Mundos Afora”; “Mulheres de Esquina” e “Em Busca do Tesouro Negro”.

CARVALHO, Luís Ferreira de – n. 25-08-1880 - Oeiras (PI), f. 1963 - São Luís (MA). Poeta, político, professor, filólogo e jornalista. Formado em Direito. Foi Deputado Estadual e Federal pelo Maranhão, Secretário Geral do Estado, membro do Conselho Consultivo do Maranhão, professor e diretor da Faculdade de Direito do Maranhão. Pertenceu à Academia Maranhense de Letras. Ocupou o cargo de Juiz do Tribunal Regional Eleitoral, por dois mandatos. Colaborou com Cândido Figueiredo na elaboração do “Novo Dicionário de Língua Portuguesa”. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires.

CARVALHO, Luiz Gonzaga Brandão de – n. 15-10-1946 - Piracuruca (PI). Filho de Luiz Gonzaga de Carvalho e Áurea Brandão de Carvalho. Magistrado, orador e escritor. Graduado em Direito, pela Faculdade de Direito do Piauí. Exerceu as funções de Técnico da Comissão de Desenvolvimento Econômico e Social, Promotor de Justiça, Subsecretário e Secretário Interino de Justiça do Piauí, Conselheiro e Vice-Ppresidente da OAB/PI, Vice-Presidente da Associação dos Defensores Públicos do Piauí. Presidiu o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (1996/97). Foi Vice-Presidente e Presidente do Tribunal de Justiça do Piauí (2000/2002). Detém várias comendas e títulos de cidadania. Exerceu o cargo de Vice-Presidente da Academia de Letras da Região de Sete Cidades. Foi o idealizador, um dos fundadores e o primeiro presidente da Academia de Letras da Magistratura Piauiense. Recebeu o Diploma de Personalidade Cultural do Século, outorgado pela Alresc. Bibliografia: “Vocação ao Direito” (2001) e “Ciência do Justo” (compilação jurisdicional e comentários). Tem trabalhos publicados em jornais, revistas e livros. Foi incluído no livro “Personalidade Cultural do Século / Talentos da Inteligência do Piauí” (2001), organizado por José Fortes Filho.

CARVALHO, Luís Neto Barbosa de – Veja: BARBOSA NETO

CARVALHO, Maria da Conceição Sousa de – n. 30-06-1947 - Teresina (PI). Professora e pesquisadora. Licenciada em Filosofia. Tem Mestrado em Educação. Professora da Universidade Federal do Piauí. Exerce a coordenação da área de Planos, Programas e Projetos da Pós-Reitoria de Planejamento da UFPI. Bibliografia: “Eficácia do Ensino Universitário – Um Estudo de Opinião de Alunos”, dissertação. Participou das pesquisas: “A Educação na Região Semi-Árida Piauiense” (1989) e “Resgate da História da Escola no Piauí” (1993).

CARVALHO, Maria Nilza Oliveira de – n. 13-11-1970 - Elesbão Veloso (PI). Filha de Francisco Chagas Carvalho e Angélica Rosa Oliveira de Carvalho. Professora e poetisa. Formada em Letras/Português, pela Universidade Estadual do Piauí. Fez Especialização em Literatura e Português. Professora do ensino médio em Teresina, e da Universidade Federal do Piauí. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Titular da Academia de Ciências do Piauí e da Academia de Letras da Confederação Valenciana. Recebeu o diploma de Personalidade Cultural do Século, em 2001, pela Academia de Letras da Região de Sete Cidades e a Medalha do Mérito Renascença do Piauí, conferida pelo governo do Estado. Presidiu a Fundação Coroatá. Bibliografia: “Labirintos do Amor (2001). Escreveu o ensaio (Olhares Múltiplos) sobre Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes e Ferreira Gullar e Monografia sobre o poema “O Operário em Construção”, de Vinícius de Mores, publicado em 2004. Foi uma das organizadoras da “Antologia de Autores Elesbonenses” (1999).

CARVALHO, Maria do Rosário de Fátima de – n. 02-03-1953 - Piauí. Professora e pesquisadora. Graduada em Pedagogia (Orientação Educacional). Cursou Especialização em Planejamento Educacional e Pesquisa Educacional. Fez Mestrado em Psicologia. Professora da Universidade Federal do Piauí. Foi coordenadora de Apoio e Assessoramento Pedagógico, da Pró-reitoria de Ensino de Graduação e do Curso de Mestrado em Educação. Bibliografia: “Leitura e Consciência Metalingüística: Estudo das Relações Entre a Fluência de Leitura e a Segmentação de Orações em Unidades Lexicais”, dissertação. Tem trabalhos publicados em jornais e revistas especializados. Escreveu: “Consciência Fonológica, Rima e Aprendizagem da Leitura: Estudo Comparativo Entre Repentistas na Cidade de Teresina”.

CARVALHO, Maria do Socorro – n. 1938 - Barras (PI). Licenciada em Filosofia, pela Faculdade Católica de Filosofia de Teresina. Mestra em Psicologia Educacional, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora universitária. Chefiou o Departamento de Educação da UFPI. Foi Coordenadora-Geral dos Cursos da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação do CCE. Presidiu a Academia de Letras do Vale do Longá. Elaborou vários trabalhos, técnicos, destacando-se: “A Psicologia como Objeto Próprio da Ciência” (ensaio); “Behaviorismo Watosoniano” e “A Cientificidade da Psicologia”.

CARVALHO, Maria do Socorro Fernandes de – Possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Piauí (1990), graduação em Letras Tradução e Intérprete pela Universidade Paulista (1995), mestrado em Letras (Estudo Comprado de Literatura de Língua Portuguesa) pela Universidade de São Paulo (1998) e doutorado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (2004). Professor adjunto da Universidade Federal do Piauí. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Portuguesa, atuando principalmente nos seguintes temas: Portugal, poesia, barroco, poética, retórica, século XVII. Participou de Encontros, Colóquios, Seminários e Congressos. Bibliografia: “Poesia de Agudeza em Portugal: Estudo Retórico da Poesia Lírica e Satírica Escrita em Portugal no Século XVII” (2007). Participou dos livros: “Decor Year Book - Anuário Brasileiro dos Designers de Interiores” (2005) e “A metáfora eucarística na poesia ao divino” (2005). Escreve para revistas especializadas.

CARVALHO, Maria Vilani Cosme de – Pedagoga. Licenciada em Filosofia. Especialista em Pesquisa Educacional. Mestra em Psicologia da Educação. Doutora em Educação: Psicologia da Educação, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Professora do Departamento de Fundamentos da Educação e do Progama de Estudos Pós-Graduados em Educação do Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal do Piauí, na área de Psicologia da Educação, Psicologia Social e Ensino Superior. Participou da coletânea “Educação: Saberes e Práticas” (Edufpi, 2002), organizado por Maria do Amparo Borges Ferro. Foi uma das organizadoras da coletânea “Psicologia da Educação” (Edufpi, 2004), em parceria com Ana Valéria Marques Fortes Lustosa.

CARVALHO, Mário dos Santos – n. 1906 - Parnaíba (PI), f. 25-11-1991 - Parnaíba (PI). Cronista, jornalista e desportista. Foi servidor público federal. Profundo conhecedor da história pitoresca de sua terra. Pertenceu à Associação Parnaibana de Imprensa e à Sociedade Parnaibana de Expansão Cultural. Colaborou no jornal Inovação, onde publicou várias crônicas retratando a Parnaíba do seu tempo, entre as quais mencionamos “A Bodega do Zé Bento”. Foi incluído na coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), de Adrião Neto.

CARVALHO, Marlene Araújo de – n. 23-12-1947 – Teresina (PI). Licenciada em Letras, pela Universidade Federal do Piauí. Especialista em Planejamento Educacional e Supervisão Escolar. Doutora e Mestra em Supervisão e Currículo, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É professora do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino e do Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade Federal do Piauí. Participou da coletânea “Educação: Saberes e Práticas” (Edufpi, 2002), organizado por Maria do Amparo Borges Ferro.

CARVALHO, Pe. Miguel – Religioso português da ordem dos Carmelitas. Visitador Eclesiástico. Esteve em terras piauienses a serviço do Bispado de Olinda, com a finalidade de fazer uma minuciosa descrição sobre a nossa região, para consolidar o domínio eclesiástico de Pernambuco nessa nova fronteira. Em 11-02-1697, presidiu a solenidade de instalação da Freguesia de Nossa Senhora da Vitória. Como resultado de sua incumbência, escreveu a primeira memória sobre o nosso Estado: “Descrição do Sertão do Piauí”, redigida em 1697. Devemos sua divulgação ao historiador Erneste Ennes, que a trancreveu entre os 95 documentos contidos no seu estudo denominado de “As Guerras nos Palmares”. Em 1993, foi reeditada com comentários e notas do Pe. Cláudio Melo.

CARVALHO, Miriam Oliveira Jales de – n. 28-03-1923 - União (PI). Poetisa e cronista. Estudou no Ginásio Sagrado Coração de Jesus, de 1938 a 1944, onde cursou o Ginásio e o Pedagógico. Bibliografia: “Gotas de Orvalho” (1976), poesia; “Quem Canta Seus Males Espanta” (1991) – homenagem a Luís Gonzaga; “Nossas Raízes” (1992), crônicas e “Coisas da Vida”.

CARVALHO, Norbelino Lira de – n. 11-01-1947 - São José do Peixe (PI). Escritor ficcionista e pesquisador da história piauiense. Formado em Engenharia Civil, pela Fundação Universidade de Minas Gerais. Especializou-se em Recursos Hídricos e Projetos e Barragens. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “De Piauí a Piauiank, o Piauí no Universo Paralelo”, (1992); “O Último Coronel”. Tem inédito: “Vias do Destino” e “O Vírus da Arca”. Comentário: “Norbelino Lira de Carvalho, em ‘O Último Coronel’ (Fundação Cultural Monsenhor Chaves) dá o tom da ficção do milenismo. (...). Partindo de matriz da própria história, o autor levanta as raízes sociais do Estado, denuncia as mazelas políticas, os conchavos familiares, o compadrio e produz uma obra que se situa entre uma realidade absolutamente conhecida, de pobreza e exploração, e a ficção que torna a narração agradável e de fácil leitura. Estou convicto de que O Último Coronel define uma nova conduta na história literária do Piauí”. (Herculano Moraes, in “Visão Histórica de Literatura Piauiense”, 4ª edição, tomo III, Teresina, PI, 1997).

CARVALHO, O. G. Rego (Orlando Geraldo Rego de Carvalho) – n. 25-01-1930 - Oeiras (PI). Filho de José Rego de Carvalho e Aracy de Carvalho. Romancista e contista. Bacharel em Direito, bancário e professor. Foi um dos editores da revista “Caderno de Letras Meridiano”. Seu trabalho tem sido objeto de estudo na UFPI e em universidades norte-americanas. Pertence à Academia Piauiense de Letras. É verbete do “Dicionário Prático de Literatura Brasileira” (1979), de Assis Brasil, do “Dicionário das Literaturas Portuguesa, Brasileira e Galega, Novíssimo da Literatura Brasileira” e de outros. Bibliografia: “Ulisses Entre o Amor e a Morte”; “Rio Subterrâneo”; “Somos Todos Inocentes” e “Leito de Procurtes”. Tem um poema publicado no informativo da UBE/PI. Comentário: O. G. Rego de Carvalho é um ficcionista exemplar pela sua sinceridade poética e profunda consciência de elaboração estética do texto. É um daqueles escritores que o leitor se sente desafiado a desvelar o seu discurso psicológico. A sua ficção é labiríntica e enigmática: um psicólogo? Um escritor universal no que tem de mais humano: tolerância, desespero, angústia, loucura, a solidão do homem moderno. (Luís Romero Lima, citado no livro “A Academia e a Cadeira 27” (1995), de José Lopes dos Santos).

CARVALHO, Raimundo Borges de – n. 05-09-1888 - Batalha (PI), f. 23-01-1973 - Teresina (PI). Poeta cordelista, político e agricultor. Foi vereador e presidente da Câmara Municipal de Batalha. Bibliografia: “Biografia Sertaneja”. Editou, também, a “Revista Comercial”.

CARVALHO, Reginaldo Vilar de Carvalho – n. 27-08-1932 - Guarabira (PB). Músico, maestro, professor e compositor. Formado em música. Tem especialização em Composição, em Regência e em música Eletroacústica. Fez Mestrado em Educação. É professor do Departamento de Educação Artística da FUFPI. Bibliografia: “Literatice de Cordão”; “Esquema Essencial de Classificação para a Música Ocidental” e “Organologia”. Tem várias composições musicais.

CARVALHO, Rivaldo Dawson de – n. 07-09-1927 - Teresina (PI), f. 1989 - Timon (MA). Poeta, jornalista e serralheiro. Fez curso de Liderança Operária. Foi um dos fundadores da UBE/PI. Desenvolveu atividades jornalísticas no Piauí e no Maranhão. Participou da “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto “Teresina”. Deixou inédito o livro “Ecos da Piçarra”.

CARVALHO, Robert Wall de – n. 22-05-1918 - Caxias (MA), f. 23-12-1984 - Teresina (PI). Filho de Cromwell Barbosa de Carvalho e Virgínia Wall de Carvalho. Professor e magistrado. Exerceu a advocacia e elevados cargos no Piauí. Primeiro Reitor da Universidade Federal do Piauí, Corregedor-Geral de Justiça, Corregedor do TRE e presidente do Tribunal de Justiça do Piauí. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico Piauiense e à Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “Da Necessidade da Pena Capital para Repressão e Prevenção do Homicídio”; “Do Suicídio e do Induzimento, Instigação ou Auxílio à Sua Prática”; “Do Adultério e da Inutilidade de sua Incriminação”. Comentário: Realizou obras nos moldes técnicos e pedagógicos mais modernos e atentas às necessidades do meio... (Celso Barros Coelho, in “Homens de Idéia e de Ação”, 1991).

CARVALHO, Roberto (Roberto Carvalho da Costa) – n. 15-10-1953 - Lagoa das Cafuzas-Araioses (MA). Filho de Vicente da Costa e Maria Carvalho da Costa. Poeta, cronista e crítico literário. Servidor público federal. Foi por duas vezes Secretário Geral da União Brasileira de Escritores do Piauí. É membro da Academia de Letras da Região de Sete Cidades e da Associação Nacional de Escritores. Integrou a Comissão Executiva da Lei A. Tito Filho (Fundação Cultural Mons. Chaves/Prefeitura Municipal de Teresina). Foi repórter e articulista do jornal “O Dia”. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Crônicas da Vida Moderna” (1997). Participou das coletâneas “Poesia Teresinense Hoje” (1988), “Andarilhos da Palavra” (1990); “Antologia Poética de Cidades Brasileiras” (1988) e da “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999) e “Crônicas de Sempre” (1995), ambas organizadas por Adrião Neto. Foi o Editor da página “Espaço Literário”, do “Jornal do Piauí”. Colabora com a Revista Evidência e Revista de Repente.

CARVALHO, Rosa Ribeiro de (Rosinha) – n. 06-02-1970 – Campo Maior (PI). Filha de Joaquim Ribeiro de Carvalho e Francisca Ribeiro de Carvalho. Professora e escritora. Membro da Academia de Artes e Letras de Campo Maior – ACALE. Bibliografia: “A Força do Amor” (1998); “Contando Histórias” (2007), infanto-juvenil e “Desejo de Mudança” (2008). É autora do CD de poemas “A Voz da Poesia Romântica”.

CARVALHO, Solange Cristina Soares de – Professora e pesquisadora. Graduada em Ciências Sociais. Faz pós-graduação em nível de mestrado, na Universidade Federal da Paraíba. Foi pesquisadora do Nupec – Núcleo de Pesquisas e Estudos Sobre a Criança e o Adolescente. Participou das pesquisas e do livro “Mulher-Menina e Exploração Sexual de Meninas Adolescentes” (1995).

CARVALHO, Tânia Maria Vieira de – n. 23-10-1962 - Ipiranga (PI). Professora, poetisa, artista plástica e pedagoga. Tem curso de história em quadrinhos. Foi classificada em 1º lugar no concurso literário promovido pelo Ginásio Ipiranguense, em 1978. Bibliografia: “Pé Grande”, revista em quadrinhos, em co-autoria com Ruimar; “Cisquinho Luz de Lamparina”, história em quadrinhos, com texto adaptado de um poema do irmão Gilvan Carvalho. Participou da 3ª Coletânea “Novos Quadrinhistas”, lançado no Rio, pela Editora Copy & Arte.

CARVALHO, Ubiracy (Luís Ubiracy de Carvalho) – n. 11-03-1943 - Simplício Mendes (PI). Filho de Arnaldo Ferreira de Carvalho e Maria Graziela Reis de Carvalho. Professor. Licenciado em Língua Portuguesa, pela Faculdade Católica de Filosofia do Piauí e Bacharel em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Professor da Universidade da UFPI. Foi chefe de departamento na Secretaria da Educação, Secretário Municipal de Administração, presidiu a Fundação Cultural Mons. Chaves. Exerceu o cargo de Secretário da Educação do Estado do Piauí, por duas vezes. Bibliografia: “Conheça a Nova Ortografia”.

CARVALHO, Weslley Marcos Ferreira de – n. 15-10-1982 – Teresina (PI). Filho de Marcus Paulo da Silva e Maria da Páscoa Ferreira de Carvalho. Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, bloco IV, da Universidade Estadual do Piauí / Campus Josefina Demes, de Floriano. Participou da coletânea: “Revelando Poetas” (2007), organizada pela turma da UESPI, da disciplina de Literatura Infanto-Juvenil.

CARVALHO FILHO, José Pinheiro de – Veja: ZEZO

CARVALHO FILHO, Manoel Monte – Veja: MONTE FILHO

CARVALHO JÚNIOR, Dagoberto Ferreira de – n. 09-05-1948 - Oeiras (PI). Filho de Antônio Santana Ferreira e Alina Rosa Ferraz Nunes. Historiador e poeta. Formado em Medicina. Cursou Mestrado em História, pela Universidade Federal de Pernambuco. Sócio fundador da Sociedade Brasileira de Escritores Médicos, seção do Piauí. Foi um dos fundadores e presidente por duas vezes do Instituto Histórico de Oeiras. Em 1982, recebeu o título de “Intelectual do Ano” e o troféu “Cabeça de Cuia”, outorgados pela UBE/PI. Pertence à Academia de Letras e Artes de Pernambuco, ao Instituto Histórico e Geográfico do Piauí, ao Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco e à Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “História Episcopal do Piauí” (1980); “Passeio a Oeiras” (cinco edições, 1982 a 2006); “A Talha de Retábulos do Piauí” (1989 e 2005); “José Luís da Silva - de Cirurgião da Armada a Primeiro Médico do Piauí”, plaquete; “Um Tempo do Recife”, plaquete; “A Cidadela do Espírito – Considerações Sobre a Obra Sacra de Eça de Queiroz” (1994). Participou da coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), de Adrião Neto. Comentário: Pode-se, portanto, afirmar que Dagoberto Carvalho Júnior (...) é um escritor versado e versátil, com domínio absoluto sobre o que se dispõe a fazer. (Elmar Carvalho, in jornal “O Dia”, 03-02-1995).

CARVALHO JÚNIOR, Francisco Modesto de – n. 18-07-1943 – Sobral (CE). Formado em Engenharia Agronômica, pela Universidade Federal do Ceará. Pós-Graduou-se em Planejamento e Desenvolvimento Rural, pelo Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí, especializando-se no Setor Agropecuário, em Análise de Viabilidade de Projetos Comunitários. Exerceu a cargo de Conselheiro da Câmara de Agronomia do CREA/PI. Fez viagens de estudo a vários Estados do Brasil e no exterior. Ministrou cursos e proferiu palestras. Bibliografia: “Caminhar: A Receita da Boa Saúde – Dicas para Você Viver Melhor” (1997).

CARVALHO NETO (José Carvalho da Silva Neto) – n. 22-01-1960 - Teresina (PI). Filho de Carlos Gomes da Silva e Maria do Socorro Oliveira da Silva. Professor e escritor. Bacharel em Contabilidade, pela Universidade Federal do Piauí. Pós-Graduado em Contabilidade Pública. Foi contador da Fundação CEPRO e assessor de Controle Interno da SEPLAN/PI. Diretor Geral do Tribunal de Contas do Estado do Piauí. Foi professor e consultor da ESAD/Rio de Janeiro. Leciona na CESVALE. Ministrou cursos de Contabilidade Pública em Cuiabá, Brasília, Fortaleza e Rio de Janeiro. É membro efetivo do Instituto dos Auditores Internos do Brasil e da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: "Controle Orçamentário e Financeiro no Setor Público: Noções Gerais Sobre Orçamento Público" (1991); "Contabilidade Pública: Procedimentos" (1991); “Curso de Administração Financeira e Orçamentária, Contabilidade e Auditoria no Setor Público”; “A Lei n° 8.666, de 21-06-93 e Suas Alterações”; “Contabilidade Governamental, Classificações Orçamentárias” (1999); “Orçamento, Finanças e Contabilidade no Setor Público”; “Planejamento e Orçamento Público Municipal – Alguns Aspectos Relevantes”; “Contabilidade Governamental para Todos”; “Introdução à Auditoria Governamental” (2000); “Contabilidade Governamental – Manual de Lançamentos Contábeis”; “Planificação Contábil para Municípios – Introdução à Contabilidade por Área de Responsabilidade”; “A Lei de Responsabilidade Fiscal – Aspectos Orçamentários, Financeiros, em Nível Municipal e Estadual (2000) e “Administração Pública: O Dever da Transparência” (2000).

CARVALHO NETO, Antônio Rodrigues – n. 21-09-1987 – Floriano (PI). Mestre em Administração, pela Universidade Federal da Paraíba. Especialista em Planejamento Estratégico e Sistema de Informática, pela PUC/MG. Especialista em Consultoria Empresarial, pela UFPE/MINTER. Bacharel em Ciências Econômicas, pela Universidade Federal de Pernambuco. Bacharel em Administração de Empresas, pela Universidade Estadual do Piauí. Fez Licenciatura em disciplinas em 1º e 2º Grau, pela Universidade Federal de Pernambuco. Coordenador do Curso de Bacharelado em Administração da Faculdade Santo Agostinho. Auditor Fiscal de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Piauí. Professor do Centro Federal de Educação Tecnológica do Piauí. Co-autor da coletânea “Perspectiva Organizacional – Uma Abordagem Humanística e Mercadológica” (2004).

CARVALHO NETO, Francisco José de – n. 04-04-1965 - Teresina (PI). Filho de Francisco Eduardo Airemorais Soares. Magistrado, professor, poeta e cronista. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí - UBE/PI. Como estudante, foi presidente do Grêmio Dom Avelar, do Colégio Diocesano e Secretário de Cultura do Centro Acadêmico de Direito da Universidade Federal do Piauí. Lecionou na Escola Superior da Magistratura. Juiz do Trabalho no Estado do Maranhão. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Participou da coletânea “Poesia Teresinense Hoje” (1988).

CARVALHO NETO, Inocêncio de – n. 18-08-1957 - Simplício Mendes (PI). Filho de Raul Pereira de Sousa e Josefa Vieira de Carvalho. Cursou o 2º Grau em Teresina. Mestre de Capoeira, formado na Academia Mocambo de Zumbi, da cidade de Goiânia, GO, pelo Mestre Caravela. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. É autor de vários poemas, crônicas e contos, prontos para edição. Em 1973, editou o folheto de poemas “Morte Viva”.

CARVALHO NETO, João Ribeiro de – n. 21-09-1944 - Amarante (PI). Filho de Raimundo Gomes Monteiro e Maria Neuza Monteiro. Poeta, letrista, dentista e militar. Oficial da Polícia Militar. Odontólogo do IAPEP e da PMP-PI. Seus primeiros poemas foram publicados através do suplemento cultural do jornal “O Estado”. Membro da UBE/PI. Bibliografia: “Variantes do Berro”; “Arquitetura do Ser” e outros. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), organizada por Assis Brasil e na coletânea “Baião de Todos” (1996), organizada por Cineas Santos.

CARVALHO NETO, Nilo – Veja: NETO SAMBAÍBA

CASEMIRO, Geraldo Nunes – n. 12-02-1961 – Cajazeiras (PB). Filho de José Casemiro Neto e Maria Nunes da Conceição. Poeta popular e repentista. Radicado no Piauí há vários anos. Faz apresentações em festivais, programas de rádio e residências de Teresina e das cidades da redondeza. Fez dupla com o poeta Zé Silva. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

CASTELINHO (Carlos Castelo Branco) – n. 25-06-1920 - Teresina (PI), f. 01-06-1993 - Rio (RJ). Filho de Cristino Castelo Branco e Dulcila Santana Castelo Branco. Cronista político, jornalista e escritor. Formado em Direito, pela Universidade Federal de Minas Gerais. Foi analista político de “O Jornal”, repórter do “Diário Carioca”, subeditor do “Estado de Minas”, editor de “A Tribuna”, responsável pela coluna política da revista “O Cruzeiro”, redator do “Diário de Notícias”, chefe de redação da “Tribuna da Imprensa”, onde criou a “Coluna do Castelo”. Manteve a Coluna do Castelo no “Jornal do Brasil”. Foi secretário da Agência de Notícias e chefe da sucursal do “Jornal do Brasil”, em Brasília. Colaborou na “Folha de São Paulo” e em outros jornais. Foi secretário de Imprensa do Presidente Jânio Quadros. Presidiu o Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal. Em 1978, foi agraciado com o prêmio “Maria Moors Cabot”, outorgado aos profissionais que mais se destacaram pela independência da imprensa. Em 1994, pouco mais de um ano de seu falecimento, o Ministério das Comunicações, através da ECT, lançou um selo em sua homenagem. Redigiu a Revista Manchete. Pertenceu à Academia Brasileira de Letras e à Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “Continhos Brasileiros” (1952); “Arco do Triunfo” (1959), romance; “Introdução à Revolução de 1964 – Agonia do Poder Civil” (1975); “Idos de Março” (1964), co-autoria, depoimentos políticos; “Os Militares no Poder” (1977), dois volumes; “Posse Acadêmica” (1984); “Retratos e Fatos da História Recente” (1994), crônicas. Foi incluído nas coletâneas “Contistas de Brasília” (1965), organizada por Almeida Fischer; “Piauí: Terra, História e Literatura” (1980), organizada por Francisco Miguel de Moura e “Crônicas de Sempre” (1995), organizada por Adrião Neto.

CASTRO, Adalberto Franklin Pereira de – n. 28-04-1962 - Uruçuí (PI). Estudou em sua terra natal e em outros centros culturais. Jornalista, Editor, Escritor e Empresário. Membro da Academia Imperatrizense de Letras e de outras entidades. Fundou o Clube de Xadrez de Imperatriz e foi um dos fundadores do jornal católico “Sinais dos Tempos” (1983). Foi Redator do jornal “O Progresso”. Sócio Proprietário da “Ética Editora”. Bibliografia: “Ofício das Letras” (1995) e “Francisco de Paula Ribeiro” (1996).

CASTRO, Antônia de Araújo – n. 20-12-1912 – Esperantina (PI). Poetisa. Conhecida como Totonha Castro. É autora de vários cordéis, dentre os quais “O Repente de Totonha”. Foi incluída na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

CASTRO, Antônio Veríssimo de – Veja: TONHÁ

CASTRO, Chico (Francisco das Chagas Castro) – n. 10-12-1953 - Teresina (PI). Filho de José de Sousa Castro e Cândida Castro. Poeta, jornalista e publicitário. Graduado em Letras, pela Universidade Federal do Piauí. Trabalhou na Fundação Cultural do Piauí. Exerceu o cargo de Assessor de Imprensa da Secretaria Extraordinária de Representação do Piauí, em Brasília. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí-UBE/PI. Trabalhou em vários jornais de Teresina. Bibliografia: “A Filosofia do Tiro”; “Coração da Terra”; “A Pedra da Aurora”; “Camisa Aberta”; “Outros Astrais”; “O Livro do Carona” (1995); “A Guerra do Jenipapo” (2002); “As Travessuras do Mamulengo” – análise do livro “Tá Pronto seu Lobo?”, de Paulo Machado, e “A Coluna Prestes no Piauí” (2007). Escreveu um livro sobre a vida e a obra de Hardi Filho. Participou do álbum poético “Postais da Cidade Verde” (1988); da “Antologia Poética Piauí/Ceará” e da coletânea “Baião de Todos” (1996), organizado por Cineas Santos.

CASTRO, Cleudiane Pereira de – n. 01-01-1988 – Pedro II (PI). Filha de Tiago Gervásio de Castro e Maria Pereira de Castro. Fez o ensino fundamental e médio em sua terra natal. Estudou nas escolas: Inês Pereira Galvão e Sólon Brandão. Participou da coletânea “Poesia e Prosa na Terra da Opala” volumes 3 (2007), organizada por Raimundo Silva.

CASTRO, Dídimo (Dídimo de Castro Pereira) – n. 16-02-1944 - Esperantina (PI). Bancário, jornalista, radialista, comentarista esportivo e publicitário. Fundador e primeiro presidente do Sindicato dos Radialistas de Teresina. Foi diretor de esportes da FAGEP, coordenador geral de esportes do SESI e Secretário Municipal de Esportes e Lazer de Teresina, em duas administrações. Criou e apresenta o programa "Microfone Aberto". Criou, também, os programas esportivos : “Viva o Esporte”, “A Marcha do Esporte”, “Alô Torcida Piauiense”, “Placar Esportivo e Loteria” e “Conversando com o Torcedor”, todos na Rádio Pioneira de Teresina. Na área de telejornalismo, criou o “Jornal da Pioneira” e o “Jornal de Teresina”, onde foram lançados os apresentadores de TV Toni Trindade, Amadeu Campos, Luísa Gonçalves, Laura Learth, Edineide Magalhães e Cíntia Lages. Montou um fantástico arquivo do esporte piauiense, brasileiro e mundial. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adirão Neto. Bibliografia: "De Zé do Povo a Piauizão Vibrante"; “Sociedade Esportiva Tiradentes”; “Dados Informativos e Numéricos”; “River Atlético Clube”; “Esporte Clube Flamengo” e outros.

CASTRO, Edimée Rego Pires de – n. 13-02-1915 - Parnaíba (PI). Professora, poetisa, jornalista e trovadora. Pertence à Academia Parnaibana de Letras. Bibliografia: “Poetisando” (1987); “A Trova e o Espaço Piauiense”; “Solenidade Acadêmica”, e “Primavera”. Participou da Antologia Escritores do Brasil (1984, 1985 e 1986); Poetas do Brasil (1986) e Brasil Trovador (1986). Comentário: Ora romântica, ora lírica, sempre transborda uma inspiração com muita propriedade arquitetônica em seu pensamento numa formação ético-espiritual. Poesias sadias e puras, sem sensacionalismo, tampouco artificialismo ou palavras rebuscadas (...). É uma poesia de uma simplicidade impressionante, desprovida de vaidade em busca de promoção. (Fontes Ibiapina, in prefácio de “Poetisando”).

CASTRO, Ednólia Fontenele Oliveira – Veja: FONTENELE, Ednólia

CASTRO, Edson Alves de – n. 13-08-1948-Teresina (PI). Filho de Antônio do Pilar Castros e Cassiana Alves de Paula. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Funcionário da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “Vítima do Destino”, s/d.

CASTRO, Expedito Andrade de – n. 07-02-1979 - Pedro II (PI). Filho de José de Castro Neto e Odete de Andrade Castro. Poeta. Participou da “Antologia de Pedro II” (2002), organizada pelo Des. Tomaz Gomes Campelo.

CASTRO, Francisco Ferreira de – n. 28-06-1923 - Floriano (PI). Filho de Cristino Castro, o empresário que emprestou seu nome a um dos municípios do Piauí. Advogado, político, jornalista e escritor. Graduou-se em Direito, pela UFMG, de Belo Horizoante. Doutor em Direito. Fez vários cursos em nível de Pós-Graduação no país e no exterior, na Sorbone. Aposentado como Subprocurador Geral do DF e Professor da Universidade de Brasília. Deputado estadual (1950-54); Vice-Governador do Estado (1954-58), exerceu o Governo do Piauí. Deputado Federal (1958-62). Foi Assessor Jurídico da Presidência da República no Governo João Goulart. Ex-presidente e membro honorário vitalício da OAB/DF e ex-presidente do Instituto dos Advogados-DF. Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal, da Academia Brasiliense de Letras e da The Planetary Society (USA). Foi incluído em várias obras, destacando-se “Who’s Who in Brazil”, 1972; “Deputados Brasileiros” -1946-67; “Os Pioneiros da Construção de Brasília”, de José Adirson Vasconcellos, 1982. Detém várias condecorações, entre as quais “Mérito Judiciário”, do Governo Brasileiro, “Mérito Alvorada”, do Governo do Distrito Fedral e “Mérito Legislativo”, da Assembléia Legislativa do Piauí e Grã Cruz da Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Estradas e Caminhos da Civilização do Piauí”(1956), “Dos Fins do Estado: Principais Doutrinas”(1956), “Democracia Social” (1960); “Modernização e Democracia – O Desafio Brasileiro” (1967); “Cristino Castro, Empresário Pioneiro em Floriano e na Região do Gurguéia”(1997); “OAB/DF 40 Anos – Uma História de Lutas e Afirmação (2000) e “Brasil – Realidade e Utopia” (2002).

CASTRO, Francisco José do Rego – Veja: REGUINHO

CASTRO, Francisco Pires de – n. 29-07-1873 - Maranhão, f. 22-03-1963 - Teresina (PI). Magistrado, professor e historiador. Foi Promotor Público em São Paulo. Em 1903, mudou-se para Teresina, onde foi advogado, professor do Liceu Piauiense, Secretário Geral do Estado, Secretário da Fazenda, Secretário de Polícia e da Educação, professor da faculdade de Direito e seu primeiro diretor. Exerceu, também, os cargos de Procurador Geral da Justiça e Procurador da República no Piauí. Bibliografia: “Os Rebeldes no Piauí: Subsídios e Documentos para a História”.

CASTRO, José Olímpio Leite de – n. 23-01-1953 - Campo Maior (PI). Filho de Olímpio Castro de Oliveira e Alexandrina Leite Castro (Lili). Poeta, historiador e jornalista. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí e do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Piauí, entidade da qual foi vice-presidente. Trabalhou em quase todos os jornais de Teresina. Chefiou a Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Teresina nos dois governos de Wall Ferraz. Em 1975, com o trabalho intitulado: “Liceu Ontem e Hoje”, foi classificado em 1º lugar no concurso comemorativo dos 131 anos de fundação do Liceu Piauiense. Bibliografia: “APEP – Organização, Lutas e Conquistas – Professores em Movimento” (2003) e “Liceu Piauiense – Síntese Histórica”. Co-autor do livreto de poemas “Desen(canto)” (1997), escrito em parceria com Francisco Miguel de Moura e Marcos Patrício Nogueira.

CASTRO, Mardone Roberto de Oliveira – n. 22-08-1979 - Pedro II (PI). Filho de José Pereira de Castro e Maria Guadalupe de Oliveira Castro. Estudante Universitário do Curso de Química e Enfermagem, da Universidade Federal do Piauí. Poeta. Participou da “Antologia de Pedro II” (2002), organizada pelo Des. Tomaz Gomes Campelo.

CASTRO, Mônica Maria M. R. Nunes de – Mestra em Ciência da Informação, pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “Uso de Periódicos Científicos da Área de Física” – texto fundamentado na dissertação de mestrado defendido em 2001, na UFMG – publicado como um dos capítulos do livro “Desafiando os Domínios da Informação” (2002), organizado em parceria com a professora Maria das Graças Targino.

CASTRO, Murilo Araújo de – n. 16-11-1964 - Parnaíba (PI). Poeta, compositor e carnavalesco. Técnico em Contabilidade, formado pela União Caixeiral de Parnaíba. Presidiu a Associação dos Moradores do Bairro São José e a Escola de Samba Unidos de São José. Colaborou com o jornal “Inovação” e “Norte do Piauí”. Trabalha na Secretaria Municipal de Cultura de Parnaíba. Bibliografia: “Grito Contido”, 1998, poemas; “Esperança”, poemas e do cordel “Verde de um Negro e Outros Poemas”.

CASTRO, Nasi (Raimunda Nonata de Castro) – n. 31-08-1911 - Amarante (PI), f. 06-11-2003 - Amarante (PI). Historiadora, folclorista. Servidora municipal aposentada. Pertenceu à Academia de Letras do Médio Parnaíba e ao Conselho Comunitário do Centro Cultural de Amarante. Bibliografia: “Amarante – Um Pouco da História e da Vida da Cidade”; “Amarante, Folclore e Memória” (1994 – reedição). Organizou o álbum “Amarante em Fotos”, o álbum de “Amarantinos Ilustres” e a “Galeria dos Vigários de Amarante”. Comentário: (...) D. Nasi Castro, ilustrada senhora que – para orgulho de todos - guarda, zelosa, a memória da terra. (...) Ela soube, como poucos, guardar o extraordinário legado cultural de seus antepassados e, agora, consegue documentá-lo, sabiamente, na linguagem simples do povo. (Dagoberto Carvalho Jr., in apresentação de “Amarante Folclore e Memória”).

CASTRO, Olemar de Sousa – n. 10-09-1923 – Amarante (PI). Escritor, artista plástico, empresário e inventor. Estudou em Teresina. Aos 19 anos foi admitido como funcionário de uma empresa importadora e exportadora em Floriano, onde passou a morar e fundou o Aeroclube da cidade. Pouco depois foi destacado para uma pesquisa em Oeiras, onde se casou. Mais tarde se transferiu para São Paulo para assumir a administração de uma empresa de produtos odontológicos. Posteriormente, ocupou o cargo de diretor de uma agência de publicidade. Trabalhou também no departamento de expansão de assinaturas da extinta revista Visão. Em 1995, fundou uma indústria produtora de spaghetti plástico para eletrônica, transformada depois na fabricação de fios elétricos para aparelhos eletrodomésticos. Foi sócio fundador e secretário da ONG Sociedade dos Amigos da Amazônia, criada em 1965. Possui registro de inventos de alguns aparelhos, no INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Em 1994, fez sua primeira mostra individual de Artes Plásticas. Bibliografia: “Sob o Sol Poente” (1991), no qual salienta o aspecto social incomum, adotada por uma fazenda do sertão piauiense, na década de 20, e “Minhas Duas Pátrias” (2009), editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores, prefaciada por José Augusto Fiúza, doutor em Psicologia e Bacharel em Filosofia. A obra narra as memórias de suas raízes no Piauí e a sua existência em São Paulo, além de andanças por vários países da Europa e das Américas.

CASTRO, Olímpio (Olímpio Castro de Oliveira) – n. 17-12-1924 – Campo Maior (PI). Político e professor. Lecionou em várias escolas. Dirigiu o Liceu Piauiense. Foi vereador de Teresina. Bibliografia: “Vestígios de Minha Caminhada” (2007), memória. O livro é uma reprodução de artigos publicados na imprensa local e de cartas a governadores, secretários e outras autoridades, além de discursos e algumas matéria inéditas, onde o autor aborda fatos e situações que vivenciou ou testemunhou ao longo de sua vida. Segundo ele trata-se de “uma modesta contribuição à história da política e da educação no Piauí na segunda metade do século passado e início do atual”.

CASTRO, Rozenilda (Rosenilda Maria de Castro e Silva) – n. 08-03-1967 - Cocal (PI). Professora, atriz, poetisa e historiadora. Formada em Pedagogia. Pós-graduada em Educação – área de concentração: Ensino-Aprendizagem. Cursou Psicopedagogia. Professora do Sesc, em Parnaíba, onde desenvolve atividades ligadas às áreas artísticas-culturais. Foi uma das responsáveis pelo surgimento dos projetos Teatro na Educação, A Escola Vai ao Teatro, Pedagogia da Expressão, Vivenciando o Teatro, Teatro e Música: um caminho para a cidadania. Ministrou cursos, palestras e oficinas de teatro. Foi professora da Uespi. Bibliografia: “História do Teatro em Parnaíba 1898 a 1999” (1999). Participou dos livros: “Pedagogiando a Poesia” (1995) e de um Anuário sobre Parnaíba.

CASTRO, Valdemir Miranda de – n. 21-08-1969 - Esperantina (PI). Filho de Geraldo Lustosa de Castro e Alzira Miranda de Castro. Professor, poeta, historiador, genealogista e ator. Formado em Letras, pela UESPI. Líder estudantil, foi secretário da UESE – União dos Estudantes Secundários de Esperantina. Exerceu a vice-presidência da Fundação Cultural Leonardo das Dores. Foi Secretário Municipal de Cultura de Esperantina. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: “Leonardo das Dores: Um Homem e sua História”. Coordenou a antologia “Lamentos”, de Francisco José do Rego Castro, e a coletânea “Lítero-Musical Princesa do Longá” (1991). Tem inédito trabalho sobre a história de Esperantina e outro sobre a árvore genealógica de Leonardo da Senhora das Dores. Tem um trabalho sobre Leonardo da Senhora das Dores, editado na revista “Cadernos de Teresina”.

CATARINO, Francisco Alves – n. 04-07-1941 – Água Branca (PI). Filho de Francisco Alves de Aquino e Maria Amélia Dias de Aquino. Poeta e contista. Estudou em sua terra natal, em Teresina e no Rio de Janeiro, onde se formou em Administração e Contabilidade. Trabalhou no Grupo Matarazzo e na VARIG. Bibliografia: “Em Busca da Felicidade” (2007), contos. É autor de Hinos e Canções Populares, dentre eles: “Hino de Lagoinha do Piauí”, “Hino de Hugo Napoleão”, “Hino da Emancipação de Água Branca”, “Hino de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro”, “Hino do Vaqueiro”, “Trem da Alegria” e “Quadrilha Pimenta Malagueta”.

CATUNDA, Tomaz – n. 1906 - Santana do Acaraú (CE). Poeta e jornalista. Trabalhou na Estrada de Ferro Central do Piauí. Pertenceu à Sociedade Parnaibana de Expansão Cultural. Colaborador do Almanaque da Parnaíba. É patrono de uma das Cadeiras da Academia Parnaibana de Letras. Bibliografia: “Parnaíba e a Conservação de seu Nome”. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires e no livro “A Poesia Parnaibana” (2001), organizada por Adrião Neto.

CAVALCANTE, Eduardo Augusto Conde – n. 05-08-1955 - Fortaleza (CE). Poeta e escritor. Formado em Pedagogia. Radicado no Piauí, onde, gestou e editou a sua obra. Bibliografia: “Emersões” (2003), poemas, editado pela Gráfica da Universidade Federal do Piauí.

CAVALCANTE, Francisca Verônica - Doutora em Ciências Sociais com ênfase em Antropologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC (2003).Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Antropologia e Arqueologia e professora adjunta do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal do Piauí. Fez parte do corpo docente da Universidade Estadual do Piauí no período de 1992 a 2006. Subcoordenadora dos Núcleos: Núcleo de Estudos sobre a Criança, Adolescente e Jovem - NUPEC - e Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Gênero - ENGENDRE. Realiza pesquisas sobre: Religiosidades, Gênero, Movimentos Sociais, Juventude, Memória, Antropologia Visual, Ritual, Simbolismo, Epistemologia. Autora de: “Os Tribalista na Nova Era” (2009), lançado no 7º Salipi. Participou de vários encontros, congressos e seminários.

CAVALCANTE, Gonçalo de Castro – n. 21-01-1882 - Teresina (PI), f. 12-09-1949 - Teresina (PI). Filho do Capitão Gentil Independente Ribeiro Cavalcante e Rita de Castro Lima. Formado pela Faculdade de Direito de Recife. Magistrado, professor e jornalista. Poliglota. Profundo conhecedor de Física e de Música Clássica. Lecionou no Liceu Piauiense. Foi Promotor Público, Juiz de Direito, membro do Tribunal de Contas do Estado e Procurador dos Feitos da Fazenda. Colaborou com os jornais “A Pátria” e “A Notícia”. Foi um dos fundadores da Associação dos Jornalistas Profissionais do Piauí. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras. Maçom e anticlerical. Bibliografia: “Cálculo de Radicais”.

CAVALCANTE, J. – Poeta sonetista piauiense. Residiu em Parnaíba, onde, durante muito tempo dedicou-se a atividade comercial. Bibliografia: “Meu Livro Azul” (1944), sonetos, Recife. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires. Infelizmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor, a obra não traz informações biográficas.

CAVALCANTE, Johnson Ibiapina – Veja: IBIAPINA, Johnson

CAVALCANTE, Leandro de Sousa – n. 13-09-1975 - Teresina (PI). Poeta. Cursou Administração de Empresas, na Escola Técnica Federal do Piauí. Bibliografia: “Sonhos e Realidades” (1995), poemas.

CAVALCANTE, Luís Carlos Duarte – n. 22-01-1976 - Piripiri (PI). Poeta. Bacharel em Química, com Atribuições Tecnológicas, pela Universidade Federal do Piauí, onde, também, estudou Iniciação Científica. Bibliografia: “Letras Nuas” (2004), poemas.

CAVALCANTE, Marcus Antonius Costa – n. 23-10-1953 - Fortaleza (CE). Radialista, jornalista e cronista. Fez cursos de Prática de Análise de Pesquisa Eleitoral na TV, Produção e Reportagem na TV, e outros. Foi repórter e chefe de reportagem da “TV Clube” (afiliada da Rede Globo), secretário de redação do jornal “O Dia”, diretor de jornalismo da “TV Antena 10” (afiliada da Rede Manchete). Chefiou o Núcleo de TV da Secretaria de Comunicação Social do Estado do Piauí. Produziu para a TV, matérias nacionais sobre o Piauí. Exerceu também o cargo de diretor do Departamento Técnico de Jornalismo da então Secretaria de Comunicação. Em 1993, foi classificado em primeiro lugar no concurso de crônicas “A. Tito Filho”, organizado pela Fundação Cultural do Piauí. Foi incluído na coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), de Adrião Neto.

CAVALCANTE, Marilza Carvalho – Poetisa. Dedica-se à poesia desde muito jovem. Participou do Movimento Bandeirante, onde descobriu o amor a Deus, ao próximo, à pátria e à natureza. Bibliografia: “Fases da Lua” (1989). Participou da “Pequena Antologia Poética de Floriano” (1998), organizada por Lourdinha Lopes.

CAVALCANTE, Raquel de Melo Machado Lopes – n. 16-09-1939 - Teresina (PI). Poetisa e escritora. Estudou no Colégio Sagrado Coração de Jesus, em Teresina, e no Colégio Notre Dame, do Rio. Fez cursos de Parapsicologia, Psicobiofísica e de Paranormalidade. Pertence à Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais, à União Brasileira de Escritores de São Paulo e à Sociedade Cultural e Artística do Rio de Janeiro. Bibliografia: “Sinfonia da Vida” (1989), “Hino de Repouso” (1992), “O Poder do Tempo” (1994), poemas, “Ramagem do Destino” (1999) e outros.

CAVALCANTE, Rodolfo – Poeta e cordelista. Rediu em Teresina, onde foi camelô. Escrevia versos e os lia, em voz alta, nas praças, para vendê-los ao povo. Relatava os fatos ocorridos no Piauí, especialmente sobre os incêndios de Teresina. Mudou-se para Bahia, onde se notabilizou como cordelista, tornando-se conhecido em todo o país. Faleceu na década de 90, atropelado por uma carroça.

CAVALCANTE, Romildo Ibiapina – Veja: IBIAPINA, Romildo

CAVALCANTE, Ruszel Lima Verde – n. 31-01-1970 - Teresina (PI). Filho de Walsírio Torres Cavalcante Sobrinho e Judith Maria Lima Verde Cavalcante. Bacharel em Ciências Jurídicas, pela Universidade Católica de Pernambuco. Concluiu com aprovação, o III Curso de Especialização em Relações Internacionais, pela Universidade de Brasília, com 360h/aulas. Fez cursos de Língua Inglesa (básico e intermediário), no Yazigi, em Teresina e dois outros em Londres, junto à Bell School of London, realizados nos períodos de 02-08 a 29-08-1998 e de 21-08- a 12-09-1998. Promotor de Justiça. Atuou nas comarcas de Aroazes e Fronteiras. Exerceu o cargo em comissão de Coordenador do Centro de Apoio Operacional da Fiscalização Orçamentária e a função de Assessor do Procurador Geral de Justiça do Estado do Piauí. Bibliografia: “A Lei de Responsabilidade Fiscal, A Lei n° 10.628 e os Fiscais Municipais” (2002 e 2004) e "Corrupção - Origens e uma visão de combate" (2005).

CAVALCANTE, Totó (José Antônio Aires Cavalcante) – n. 12-08-1947 - Corrente (PI). Filho de Condorcet Cavalcante Pacheco e Edmunda Aires Cavalcante. Professor, político, historiador e cronista. Formado em Direito, pela Universidade Católica de Goiás. Fez curso de Direito Constitucional, na Universidade de Coimbra, em Portugal. Fundou o Colégio Sena Aires, em Goiânia e a Rádio Independência do Tocantins, na cidade de Paraíso, norte de Goiás, atual Tocantins. Foi Deputado Estadual por Goiás e Senador da República por Tocantins. Bibliografia: “O Estado do Tocantins – Desafios e Resultados”.

CAVALCANTI, Jesualdo (Jesualdo Cavalcante Barros) – n. 18-02-1940 - Corrente (PI). Filho de Sebastião de Sousa Barros e Iracema Cavalcante Barros. Graduado em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade Federal de Direito do Piauí (Teresina, 1966). Fez cursos de Pós-Graduação em Administração de Empresas (1967) e Direito Público (1978). Foi dirigente estudantil. Ingressando na política partidária, elegeu-se Vereador de Teresina em 1962, Deputado Estadual (1978, 1982 e 1990) e Deputado Federal Constituinte (1986). Exerceu a presidência da Assembla Legislativa (1991/1993) e, nessa qualidade, assumiu o Governo do Estado, no período de 08 a 12-02-1993. Foi Secretário Substituto de Indústria e Comércio (1975/1978), Secretário de Cultura, Desportos e Turismo e Presidente da Fundação Cultural do Piauí (1983/1986). Como gestor dos órgãos culturais supra mencionados, criou o Projeto “Petrônio Portela”, de que resultou a publicação de cerca de 40 obras de autores piauienses, fez 15 edições da revista PRESENÇA, implantou a Casa Odilon Nunes (Amarante), a Casa da Cultura de Corrente, o Espaço Cultural Maria Bonita (Floriano), o Museu de Arte Sacra (Oeiras) e o Museu do Couro (Campo Maior). Eleito Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, pela Assembla Legislativa, em 1994, presidiu a Corte, no biênio 1995/1996, tendo sido reeleito para o biênio 1997/1998. Membro da União Brasileira de Escritores do Estado do Piauí – UBE/PI. Detém várias honrarias. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Tempo de Cultura” (1985) ; “O Estado do Gurgua e Outros Temas” (1995); “Notícia do Gurgua” (2002); “Tempo de Tribunal” (2003); “Memória dos Confins – A Saga de Vaqueiros, Heróis e Jagunços nos Ermos Sertões onde Começou o Piauí” (2005) e “Dicionário Enciclopédico do Gurgueia” (2008). Participou da coletânea “Passarela de Escritores” (1997), organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

CAVALCANTI, Socorro (Maria do Perpétuo Socorro Rocha Cavalcanti Barros) – n. 14-03-1945 - Jerumenha (PI). Filha de Sadoc Fonseca Rocha e Altair Evelin Soares Rocha. Em dezembro de 1968, graduou-se como Bacharela em Química e Química Industrial, pela Universidade Federal do Ceará. Fez pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior (Universidade Federal do Piauí), Química de Produtos Naturais (Universidade Federal do Ceará), Educação e Química Orgânica (Universidade de Brasília). Exerceu a chefia do Departamento de Química e de diretora do Centro de Ciências da Natureza, da UFPI. Integrou o Conselho Universitário por quatro anos. Após a aposentadoria da Universidade, exerceu o cargo de Assessora de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Piauí, de 1993 até 2001. Em dezembro de 2001, assumiu o cargo de Reitora pro tempore, da Universidade Estadual do Piauí, exercendo-o até 31 de dezembro de 2002. Em dezembro de 2002, foi nomeada membro do Conselho Estadual de Educação, para um mandato de quatro anos. Bibliografia: “Os Cavalcantes do Corrente” (2003) – genealogia da família Cavalcante e episódios da história da cidade de Corrente.

CAZÉ (Raimundo Rosa de Sá) – n. 30-08-1943 - Nova Iorque (MA). Jornalista, radialista, escritor, humorista e músico. Exerceu as funções de Assessor de Imprensa da Assembléia Legislativa do Piauí e de Diretor da TV e Rádio Educativa do Piauí. Trabalhou nos jornais "Correio do Povo", "Estado do Piauí”, "O Estado", "O Dia", "Jornal da Manhã” e "Diário do Povo”. Bibliografia: "Fatos em Humor"; "O Lado Oculto da Imprensa no Piauí"; "Lorotas de Um Governador"; “Desunidos Seremos Mais Fortes”; "Vote Lá que eu Voto Cá", co-autoria, e as peças teatrais "Barca do Sal" e "Enganei Meu Cônjuge" (1994), entre outros. Foi incluído na “Antologia de Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), de Joames.

CAZUZA, Chiquinho (Francisco Ferreira Filho) – n. 15-01-1938 - Altos (PI), f. 03-09-2001 - Altos (PI). Filho de Francisco Ferreira de Sousa e Raimunda Vasconcelos Sousa. Professor, poeta e historiador. Fez o Curso Técnico em Contabilidade no Colégio Demóstenes Avelino (1960). Cursou Licenciatura Plena em História, na Faculdade Católica de Filosofia do Piauí (1965). Membro da UBE/PI. Fundou o dirigiu o jornal e a revista “O Altosense”. Em 1998, foi agraciado pela UBE/PI, com a Comenda do Mérito Da Costa e Silva. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Cotidiano & Memória” (1995). Colaborou com a “Revista Nacional”, Rio de Janeiro; revista “Cadernos de Teresina”, Teresina, PI; revista “De Repente”, Teresina, PI; jornais “O Dia”, “Meio Norte”, “Diário do Povo” e “O Estado”, todos de Teresina, PI.

CELESTINO, Erasmo – n. 01-06-1948 - Formosa (GO). Professor. Graduado em Administração de Empresas, pela CEUB, Brasília, DF. Curso de Especialização em História do Piauí, pela Universidade Federal do Piauí. Organizador e pesquisador do Núcleo de Estudos do Piauí, no Instituto Dom Barreto, Teresina. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia:: “Odilon Nunes, Historiador e Educador” (1996). Artigos e resenhas publicadas em jornais e revistas teresinenses na década de 1990.

CERQUEIRA, Manfredi Mendes de – n. 25-11-1925 - Piracuruca (PI). Filho de Francisco Paulo de Cerqueria e Judith Mendes de Andrade Rocha. Desembargador, professor e escritor. Exerceu os cargos de Advogado Geral do Estado; Procurador da Justiça, junto ao Tribunal de Contas; Secretário do Interior, Justiça e Segurança Pública do Estado; Presidente do Egrégio Tribunal Regional Eleitoral, nos biênios 80/81 e 82/83; Presidente da Associação dos Magistrados Piauienses; 1º Diretor da Escola Superior de Magistratura do Piauí. Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado; Chefe do Departamento de Ciências Jurídicas do Centro de Ciências Humanas e Letras da UFPI; Diretor do Centro de Ciências Humanas e Letras da UFPI; Diretor do Ginásio Municipal de Piracuruca; Promotor Público de várias Comarcas; Presidente do Lions Clube – Teresina Centro. Participou de vários congressos de Tribunais de Justiças e Tribunais de Contas, apresentando teses que foram aprovadas, dentre elas “O Magistrado e a Comunidade” e “A Problemática dos Tribunais de Contas”. Pertence à Academia Piauiense de Letras, à Academia Piauiense de Letras Jurídicas e à Academia da Magistratura Piauiense. Presidiu a APL. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Como o Direito É” (1983); “Teoria e Prática Falimentar” (2ª edição); “Justiça Criminal” (1986); “Matéria Eleitoral” (4ª edição); “Estudos de Organização Judiciária” (1989); “É Preciso Filosofar” (2000) e “Idéias” (2003). Dentre as várias honrarias, detém a comenda do Mérito Renascença do Piauí, no grau de Grande Oficial.

CÉSAR, Eliene da Silva – n. 04-09-1971 - Piripiri (PI). Filha de Pedro Bandeira César e Albertina Lopes César. Professora. Servidora da Secretaria Municipal da Educação de Piripiri. É autora do Hino Oficial do Programa Bolsa Escola de Piripiri. Bibliografia: “Um Novo Amanhã Busquei em Deus” (1996), crônica religiosa e “Repouso na Emoção de um Poeta” (2006) poemas.

CHAGAS, Gilson (José Gilson das Chagas) – n. 05-08-1950 - Santo Antônio de Lisboa (PI). Professor, poeta e romancista. Formado em Ciências Contábeis, pelo Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba– CESVALE. Fez curso de Comunicação em Rádio. Foi produtor e apresentador de programa, na “Rádio Difusora” de Picos e na “Rádio Iracema” de Fortaleza. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí – UBE/PI e Academia de Letras de Picos. Trabalhou no Banco do Brasil, em Teresina. Colaborou com vários jornais. É contador do Tribunal de Contas de Tocantins e professor universitário, em Palmas (TO). É verbete do “Dicionário Biobibliográfico do Tocantins” (2001), de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: “Curvas do Meu Caminho” (1973), poemas; “A Ferro e a Fogo” (1983), romance e “O Princípio da Contabilidade”. Autor da letra do hino da AABB – “Um Canto de Vida”. Comentário: Do ponto de vista literário, estilo simples, enxuto e harmonioso. E com muito poder de criatividade. (Fontes Ibiapina, in “Ponderações Literárias”, jornal “Folha do Litoral”, março de 1983).

CHAGAS, Raimundo de Araújo – Veja: PETIT, R..

CHAGAS, Raimundo Nonato das – n. 22-02-1927 - Araioses (MA). Poeta e professor. Radicado em Parnaíba desde 1953. Tem curso de mecânica de refrigeração. De 1979 a 1992, foi professor de Técnicas Industriais do Ginásio Clóvis Salgado. Bibliografia: “O Canto do Peregrino” (1998), poemas, editado pela Comepi.

CHAIB, Jorge Azar – n. 27-05-1920 - Teresina (PI). Professor e jurista. Formado em Direito, pela antiga Faculdade de Dirieto do Piauí. Cursou Licenciatura em Filosofia, pela Faculdade Católica de Filosofia do Piauí. Exerceu a pasta de Secretário de Administração do Estado do Piauí. Presidiu a Associação Comercial do Piauí e foi Procurador Geral da Fazenda. Procurador aposentado do INSS. Pertence à Academia Piauiense de Letras Jurídicas. Dirigiu a Faculdade de Direito do Piauí e o Departamento de Ciências Jurídicas da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “Viagem Pelos Caminhos do Meu Passado” (2000), memórias. Publicou vários trabalhos técnicos em jornais e revistas especializadas, entre os quais: “Considerações Sobre o Direito e a Moral”; “O Mandado de Segurança”; “O Imposto de Vendas e Consignações e as Modificações das Sociedades Comerciais”; “A Revogação dos Atos Administrativos”; “O Advogado e a Previdência Social”; “O Servidor Municipal”; “O Código Tributário de Teresina”; “A Reforma Administrativa”, 3 volumes; “A Irretroatividade da Lei”; “O Fisco” e outros.

CHAIB, Liana – n. 24-01-1961 - Teresina (PI). Magistrada e professora universitária. Formada em Direito e em Letras. Cursou Pós-Graduação em Direito e Mestrado em Direito Público. Exerceu a magistratura como Juíza Substituta do Tribunal de Justiça do Piauí. Juíza do Trabalho, em Teresina – instituição da qual foi presidente. Bibliografia: “O Controle da Constitucionalidade das Leis”, monografia; “Normas Gerais de Direito Tributário”, monografia; “Os Pressupostos de Fato do Ato Administrativo como Garantia dos Administrados”, monografia; “A Revogação dos Atos Administrativos”, monografia; “Fundações Públicas”, monografia e “As Demissões nas Empresas Estatais e o Princípio da Legalidade”.

CHAIB, Salomão Azar – n. 25-09-1918 - Teresina (PI), f. 26-11-1993 - São Paulo (SP). Médico, professor, escritor, conferencista e jornalista. Foi chefe de clínica cirúrgica do Hospital das Clínicas e chefe das Clínicas Cirúrgicas do Hospital do Ipiranga e do Hospital Heliópoles, do qual também foi diretor. Lecionou no curso de Pós-Graduação das Santas Casas de Misericórdia. Presidiu o Departamento Cirúrgico da Associação Paulista de Medicina e o International College of Surgeons – Seção Brasileira. Pertenceu à UBE/SP, à Academia Piauiense de Letras, à Sociedade Brasileira de Escritores Médicos de São Paulo e a várias outras entidades científicas e literárias. Bibliografia: “Abdome Agudo”; “Tratamento de Megaesôfago”; “Alternativa da Alimentação” (co-autoria); “E Agora Doutor?”; “Drama de Consciência”; “Atração Fatal”; “Trajeto”. É autor de mais de 40 trabalhos científicos publicados no país e de 5 outros publicados no exterior. Comentário: Mãos hábeis e humanas conduzem suas narrativas extraídas da realidade. Em umas, o diagnóstico de uma dolorosa situação. Em outras, a terapia. O bisturi e o estilo caminham juntos cortando e semeando. ( Paulo Bonfim, in discurso de posse de Fides Angélica na APL).

CHAIB FILHO, Jorge – n. 14-01-1968 - Teresina (PI). Filho de Jorge Azar Chaib e Teresinha Ommati Chaib. Formado em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: “O Ciclo do Tributo” e “Personalidade Tributária”.

CHAVES, Antônio – n. 26-04-1883 - Teresina (PI), f. 22-02-1938 - Teresina (PI). Servidor público estadual, poeta e jornalista. Foi o primeiro ocupante da Cadeira nº 8 da Academia Piauiense de Letras. É patrono de uma das Cadeiras do extinto Cenáculo Piauiense de Letras. Bibliografia: “Nebulosas” (1916); “Almas Irmãs”, co-autoria, cuja parte recebeu o título de “Poema da Mágoa” (1907). Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972) e na coletânea “Os Mais Lindos Sonetos Piauienses” (1940), ambas organizadas por Félix Aires. Deixou inéditos: “Líricas” e “Poesias”. Comentário: Antônio Chaves, como poeta ou como prosador, é um nome que se tem feito valer, por seus próprios merecimentos, tanto nos segredos maravilhosos do verso como no domínio encantado e sugestivo da prosa. (Osiris Neves de Melo, in Discurso de Posse, no Cenáculo Piauiense de Letras, 13-11-1927).

CHAVES, Celson Gonçalves – n. 29-07-1980 – Campo Maior (PI). Graduado em História pela Universidade Estadual do Piauí / Campus de Campo Maior. Historiador. Faz couro com Mons. Chaves e Elmar Carvalho sobre a tese de que a Batalha do Jenipapo há tempos vem ofuscando “outras histórias de Campo Maior” . Bibliografia: “Rua Santo Antônio, a Prostituição Feminina em Campo Maior” (2006) e “A Urbanização em Campo Maior 1930 a . 1970” (2007). É autor dos artigos “Por outras histórias” e “Bernardo de Carvalho”.

CHAVES, Cirilo (Cirilo Chaves Soares Carneviva) – n. 09-07-1894 - Fortaleza (CE), f. 21-04-1936 - Rio de Janeiro (RJ). Filho de José Joaquim Soares Carneviva e Vitorina Chaves Carneviva. Sacerdote, poeta, professor, jornalista, orador, músico e filólogo. Ordenou-se na capital piauiense. Foi vigário da Paróquia de Barras e da Igreja do Amparo, em Teresina. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires. É autor da música do Hino do Piauí, em parceria com Firmina Sobreira.

CHAVES, Francisco Alberto da Silva – n. 16-09-1978 - Teresina (PI). Filho de Alonso Vieira Chaves e Luzia Pinto Chaves. Poeta e estudante universitário. Cursa Licenciatura Plena em Pedagogia, na Universidade Estadual do Piauí. É membro da União dos Escritores do Itararé -UEI. Participou da “Antologia Urbana” (2000), poemas, editada pela UEI.

CHAVES, Mons. Joaquim Raimundo Ferreira – n. 09-03-1913 - Campo Maior (PI), f. 08-05-2007 – Teresina (PI). Filho de Raimundo Chaves e Antônia Herondina da Silva Chaves. Sacerdote, professor, historiador e biógrafo. Licenciado em Filosofia. Cursou de Teologia, Escritura Sagrada e Direito Canônico. Pároco da Paróquia de Nossa Senhora do Amparo. Foi Vigário Geral de Teresina, Secretário do Bispado do Piauí, membro do Conselho Diretor da FUFPI. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras, ao Instituto Histórico e Geográfico Piauiense, ao Instituto Histórico de Oeiras e ao Instituto Histórico e Geográfico do Paraná. Bibliografia: “Teresina – Subsídios para a História do Piauí” (1952, reeditado em 1994); “O Índio no Solo Piauiense” (1953); “Campo Maior Luta pela Independência” (Batalha do Jenipapo – reeditado em 1994 e em 2005); “A Escravidão no Piauí”; “Apontamentos Biográficos e Outros”, 2 volumes (1975, reeditado num só volume em 1994); “O Piauí na Guerra do Paraguai”; “O Piauí nas Lutas da Independência” (reeditado em 1994); “Como Nasceu Teresina”. Comentário: As lições de seus livros constituem fonte segura para conhecimento de variado aspecto da história do Piauí – que ele expõe e analisa com critério. (A. Tito Filho, citado na orelha de “Apontamentos Biográficos e Outros”).

CHAVES, Luís da Silva – n. 20-08-1964 – Teresina (PI). Filho de Antônio Martins Chaves e Luísa Pereira da Silva. Poeta popular, cantador e músico. Conhecido como Pintinho. Participou de bandas musicais. Fez apresentações em Teresina e em outras cidades, tendo inclusive participado do Festival de Violeiros organizado pelo Sindicato dos Cantadores. Fez dupla com o poeta Agamenon. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

CHAVES, Maria do Socorro – n.14-08-1959 - José de Freitas (PI). Poetisa e artesã. Estudou no Colégio Alceu Brandão e no Liceu Piauiense. Membro da União dos Escritores do Itararé – UEI. Como artesã trabalha na confecção de flores e arranjos plásticos, bolsas de nape, crochê e embalagem para presentes. Participou da “Antologia Urbana” (2000), editada pela UEI. Tem vários poemas inéditos.

CHAVES, Nelson Martins – Poeta, jornalista e radialista. Foi animador de programas culturais da Rádio Educadora de Parnaíba. Bibliografia: “Cânticos da Terra”. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

CHAVES, Paulo Alberto Diniz – n. 05-01-1963 - Teresina (PI). Filho de José Vieira Chaves e Maria Eunice Ferreira Diniz. Escritor, publicitário e jornalista. Poeta, contista e cronista. Em 2000, classificou-se em primeiro lugar, no concurso de crônicas promovido pela Fundação Cultural do Piauí (FUNDAC). Em 2001, conquistou o terceiro lugar, no Concurso de Contos – Prêmio “João Pinheiro”, promovido pela mesma instituição cultural. Bibliografia: “Confesso que Bebi! – Histórias e Estórias de Bêbados ou Coisa Parecida” e “O Crime da Gonçala” (obra premiada pela FUNDAC, editado na coletânea: “Conto – Concursos Literários do Piauí” (2005).

CHAVES, Valério (Valério Neto Chaves Pinto) – n. 28-04-1941 - Guadalupe (PI). Filho de Fernando Pereira Pinto e Dorcas Ferreira Pinto. Jornalista, cronista, professor e juiz de direito. Desenvolveu intensa atividade jornalística na década de 70, atuando nas rádios “Clube” e “Difusora” e nos jornais “O Dia” e “Jornal do Piauí”. Foi premiado em vários trabalhos literários, dentre eles “Os Portos como Fator de Desenvolvimento Nacional” (1972), promovido pelo Ministério da Marinha; “Sistema Educacional Brasileiro”; “127º Aniversário de Teresina” e “Semana do Índio”. Juiz da Criminal de Teresina. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Com o conto “O Milagre da Travessia”, participou da coletânea “Passarela de Escritores” (1997), organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho, e da “Antologia Escritores”, Volumes I e III (2000 e 2004), organizada pelo Des. Tomaz Gomes Campelo.

CHAVES, Virna Lia Raquel – n. 19-08-1978 - São Luís (MA). Filha de Francisco Aderne Chaves e Joaquina Maria Castro Raquel Chaves. Poetisa. Sócia da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: “Rimas Soltas” (1999), poemas.

CHIARA, Vilma – n. 16-01-1927 - São Paulo (SP). Professora e pesquisadora. Formada em Ciências Sociais. Fez Mestrado e Doutorado na França. Pós-graduou-se nos Estados Unidos. Professora da Universidade Federal do Piauí. Membro da Associação de Pesquisadores em Ciências Humanas e da Associação Brasileira de Antropologia. Tem publicações em revistas especializadas do Brasil e do exterior, dentre as quais: Revista do Museu Paulista, Revista de Antropologia, Journal des Americanistes (Paris), Dedalo, Temps Modernes (Paris); La Encyclopaedia La Pleiade - Ethnologie Regionale – Amerique – Les Indiens du Brésil (1968); Enciclopédia Cinematográfica (Alemanha) – Dezenove textos explicativos de filmes científicos de Etnologia. Escreveu, ainda, um capítulo do livro “La Première Fois”, Ramsés Ed. Paris. Co-autora do livro “Brazilian Indians Archery”, editado na Inglaterra. Tem outros trabalhos publicados.

CHICO FILHO (Francisco Pereira da Silva Filho) – n. 07-05-1953 - Teresina (PI). Filho de Francisco Pereira da Silva e Maria José da Silva. Professor, jornalista e escritor. Formado em Ciências Contábeis e em Administração de Empresas. Tem curso de Mestrado em Administração de Recursos Humanos. Fez especialização em Elaboração, Análise e Avaliação de Projeto. Professor adjunto da Universidade Federal do Piauí. Coordenador de Pesquisa e Pós-graduação do Campus Ministro Reis Veloso. Membro da Academia Parnaibana de Letras. Bibliografia: "Aspectos Sócio-Econômicos da Micro Indústria Parnaibana"; "Ensino de Administração e Mercado de Trabalho"; "Perfil e Problemática do Artesanato do Litoral Piauiense" e "Reflexões Sociológicas".

CIRÍACO, Manoel – n. 12-06-1961 - Miguel Alves (PI). Poeta e contista. Reside em Teresina onde iniciou os cursos de Direito e Comunicação Social. Em 1997, com o livro de poemas “Nau dos Trinta”, foi o vencedor do Concurso Novos Autores, promovido anualmente pela Fundação Cultural Mons. Chaves. Classificou-se em 2º lugar no Concurso Mário Faustino, promovido pela Fundação Cultural do Piauí. Tem vários poemas musicados pelo compositor Roraima. Bibliografia: “Nau dos Trinta”(1997).

CLARK, Frederico de Castelo Branco – n. 25-10-1887 - Parnaíba (PI), f. 01-10-1971 - Parnaíba (PI). Filho de James Frederico Clark e Ana Gonçalves Castelo Branco Clark. Diplomata de carreira e jurista. Formado pela Faculdade de Direito de Recife. Fez estágio nos Estados Unidos. Foi chefe de gabinete do Ministro das Relações Exteriores. Serviu em La Paz, Londres e na Liga das Nações. Conselheiro em Paris. Ministro de 2ª classe, em Caracas e Bogotá. Ministro Plenipotenciário do Brasil, na França e no Vaticano e Embaixador em Tóquio. Bibliografia: “Sistema Penitenciário Argentino”. É, segundo Jorge Carvalho, autor de várias teses jurídicas de Direito Internacional.

CLARK, Oscar Castelo Branco – n. 24-02-1891 - Parnaíba (PI), f. 18-01-1948 - Rio (RJ). Filho de James Frederico Clark e Ana Gonçalves Castelo Branco Clark. Médico, professor e escritor. Formado pela Universidade do Brasil, em 1910. Tem especialização nos Estados Unidos e na Alemanha. Fundou a primeira Escola-Hospital do Brasil e o primeiro centro de exames periódicos de saúde particular. Foi professor catedrático de Clínica Médica, da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Dirigiu o Serviço de Higiene da então capital da República. Pertenceu ao Instituto Brasileiro de Cultura. Bibliografia: “Século da Criança”; “Remédios”; “Fatores da Civilização”; “Política Hospitalar Moderna”; “Jardim de Infância e Escolas-Hospitais”; “Estados Unidos e Medicina”; “Organização de Serviços de Higiêne Escolar”; “Clínicas Escolares”; “Higiene Escolar e o Brasil de Amanhã”; “Os Problemas dos Campus de Saúde”; “Pedagogia Fisiológica” e mais de 200 monografias e artigos sobre assuntos médicos.

CLAUDINO, João Marcéllo de Macêdo – n. 30-10-1975 - Teresina (PI). Filho do empresário João Claudino Fernandes. Poeta. Cursou o primário no Educandário Santa Maria Gorete e o ginásio no Colégio São Francisco de Sales, ambos em Teresina. Fez o 2º grau na Escola Pueri Domus, em São Paulo. Estudou no MPW Colleg, em Londres e Cambridge - Inglaterra. Pretende seguir a carreira diplomática, cursando o Instituto Rio Branco. Bibliografia: “Rabiscos” (1993), poemas. Comentário: João Marcéllo estréia na poesia crítica com o pensamento de um filósofo envelhecido no tempo e na cultura. A poesia de Rabiscos tem o perfume das flores e o acuso da crítica que se propõe a ser o grito de alerta aos indiferentes. Poética e filosofia se unem nos opostos da vida, colocando o homem no centro da Didática. (Pedro Mendes Ribeiro).

CLEMENTINO NETO, Raimundo – n. 17-09-1959 - Bocaina (PI). Filho de Manoel Clementino de Barros e Eva de Sousa Barros. Poeta e cordelista. Engenheiro Eletricista. Pós-Graduado em Engenharia de Controle de Poluição. Trabalhou no Banco do Estado de São Paulo, agência de Teresina. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí, da Associação dos Violeiros e Poetas Populares do Piauí e do Sindicato dos Cantadores, Poetas e Cordelistas do Estado do Piauí. Em 1994, com o tema “A Casa do Cantador em Teresina e o Repente no Brasil”, ganhou o primeiro lugar no concurso de cordel instituído pela Associação dos Violeiros. Com o tema “O Cordel e sua Função Social”, logrou o primeiro lugar, na versão 95, do referido concurso. Titular da Gráfica Rima, onde já editou vários livros e inúmeros cordéis de vários poetas e escritores de todo o Estado. Participou do I ao VIII Multirão do Folclore em Santos (SP). É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: livros: “O Famoso Martim-Tim”, infantil; “Dilemas Divinais”, poemas; “Mãe Eternamente Mãe...”, poemas; “Doce de Palavras” (2004) e “Protótipo de Redação com Rima, Métrica e Inspiração” (2005). Cordéis: “São Paulo: O Sonho dos Nordestinos” (1982); “Virtudes” (1981); “O Reisado de Minha Terra” (1984); “Santos, Cordel e Praia” (1988); “Eu Vi a Morte Emborcada” (1994) e vários outros cordéis. Participou da revista “Afubespoesia” e da coletânea “Biblioteca do Cordel III e IV” (1995 e 1998). Editou o jornal “Banesther”, atualmente edita o jornal “Theresrinma”.

COELHO, Amparo (Maria do Amparo Coelho dos Santos) – n. 30-07-1952 - Vitória do Mearim (MA). Filha de Lourival José Coelho e Iolanda Lélia Leite Coelho. Formada em Direito, pela Universidade Federal do Maranhão. Foi servidora pública do Estado do Maranhão, onde também exerceu o magistério. Em 1986, ingressou no Ministério Público Piauiense, tendo exercido suas funções ministeriais em várias cidades, inclusive como titular da 1ª Vara da Comarca de Parnaíba. Oficiou no Tribunal Popular do Júri e nas Execuções Penais. Foi Assessora Especial da Procuradoria Geral de Justiça. Integrou, por vários mandatos, a diretoria da Associação Piauiense de Ministério Público. Dentre as honrarias que recebeu, ressalta-se a Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí e os títulos de cidadania, de Parnaíba, Luís Correia e Caxingó. Membro da Academia Arariense-Vitoriense de Letras, no seu Estado natal, e da Academia Parnaibana de Letras. Exerceu o cargo de Secretária de Cultura do Município de Parnaíba. Bibliografia: “Humberto de Campos – Evocações de uma Vida” (2005).

COELHO, Celso Barros – n. 11-05-1922 - Pastos Bons (MA). Filho de Francisco Coelho de Sousa e Alcina Barros Coelho. Advogado, político, jurista, orador, professor universitário e escritor. Formado em Direito, pela Faculdade de Direito do Piauí. Procurador autárquico federal. Presidiu a Ordem dos Advogados do Brasil - Seção do Piauí, por vários mandatos. Foi deputado estadual e, deputado federal pelo Piauí, por dois mandatos. Membro da Academia Piauiense de Letras, tendo sido seu presidente. Pertence também à Academia Piauiense de Letras Jurídicas. Sócio fundador e primeiro presidente da Academia de Letras e de Pastos Bons (MA). Secretário de Governo do Estado do Piauí. Na Câmara dos Deputados, foi vice-líder, relator de importantes projetos e autor de um dos capítulos da Lei de Regulamentação do Divórcio. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Da Poesia Latina na Época de Augusto” (1958), tese; “O Estado Brasileiro - do conteúdo político e social” (196l); “O Estado e os Direitos do Homem” (1961); “Diretrizes para uma Ação Política” (1963) ; “Imunidades Parlamentares” (1964); “Formação da Cultura Brasileira”; “Universidade em Causa”; “O Direito Como Razão e Como História”; “A Organização Nacional”; “Família, Casamento e Divórcio”; “Efetivação dos Direitos Humanos”; “Momento Político Brasileiro”; “A Legislação do Inquilinato e o Código Civil”; “Reforma com Democracia”; “A Democracia Brasileira”; “Homens de Idéias e de Ação” (1991) e outros. Detém várias honrarias.

COELHO, Hermes (Hermes Rodrigues Coelho Neto) – n. 24-07-1977 - Teresina (PI). Estudou de Direito, na Universidade Federal do Piauí e Jornalismo, na Universidade Estadual do Piauí. Poeta. Produtor da “TV Clube” e colunista do “Portal AZ”. Bibliografia: “Nu” (2001), poemas publicados pela Fundação Cultural Mons. Chaves.

COELHO, Inocêncio Machado – n. 17-05-1909 - Teresina (PI). Poeta, jornalista e escritor. Pertenceu ao Cenáculo Piauiense de Letras. Fixou residência no Pará. Dirigiu o Museu Goeldi. Integrou o Conselho Estadual de Cultura do Pará. Bibliografia: “Minhas Canções de Verlaine” (1958). Participou da “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

COELHO, Isaías – n. 01-05-1961 - Teresina (PI). Poeta e empresário. Aos dez anos, escreveu seu primeiro poema e recita poemas desde os quatorze anos. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Participou da coletânea “Passarela de Escritores”(1997), org. por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

COELHO, Isaías Rodrigues – n. 20-10-1890 - Oeiras (PI), f. 21-01-1960 - Teresina (PI). Filho de Joaquim Juscelino Rodrigues Coelho e Gabina Rodrigues de Carvalho. Médico e contista. Formado pela tradicional Faculdade de Medicina da Bahia. Estudioso e humanitário, foi sem dúvida um dos maiores médicos do Piauí, de todos os tempos. Bom e caridoso. Era um verdadeiro ídolo. Sua fama transpôs as fronteiras do Piauí. Em Simplício Mendes, onde clinicava, era procurado por pessoas dos mais distantes lugares em busca de cura para seus males. Autor de vários contos, entre os quais “Agradecendo”, “Saudando”, “Discurso Mudo”, publicados no livro “Isaías Coelho – Centenário de um Mestre”, (1991), trabalho organizado por Carlos Rubem e editado pelo Instituto Histórico de Oeiras, em parceria com a Academia Piauiense de Letras.

COELHO, Marília Colnago – n. 17-07-1961 - Fortaleza (CE). Museóloga. Trabalhou na Galeria de Artes do Rio de Janeiro e na Fundação Cultural do Piauí. Bibliografia: “Museus e Casas de Cultura do Piauí” (1989), publicado em parceria com Lícia Margareth Vieira.

COELHO, Marcus Vinicius Furtado – n. 31-01-1972 - Paraibanos (MA). Filho de Sérgio Coelho Neto de Sousa e Maria Doracy Furtado Coelho. Formado em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Especialista em Direito Processual, pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, e Pós-Graduado Lato Sensu em Direito Fiscal e Tributário pelo Instituto de Ensino Jurídico – IEJ. Professor da Escola Superior de Magistratura do Piauí, da Faculdade São Gabriel e da Escola Superior de Advocacia do Piauí. Foi aprovado com nota plena e em primeiro lugar, no concurso seletivo para professor substituto de Direito Público da Universidade Federal do Piauí. É advogado militante na área eleitoral, com atuação em Teresina e em Brasília. Exerceu o cargo de Procurador-Geral do Estado. Exerceu a função de Conselheiro Federal Suplente da OAB Nacional. Foi agraciado com os títulos de cidadão piauiense e teresinense. Detém o Diploma do Mérito Judiciário, outorgado pelo TJPI e a Insígnia do Mérito Ministério Público do Estado concedido pela Procuradoria Geral de Justiça. Bibliografia: “Manual de Direito Eleitoral” e “Agentes Públicos a Conduta no Período Eleitoral” (2004).

COELHO, Suzane Jales – n. 08-05-1960 - Teresina (PI). Jornalista, poetisa, dançarina e pintora. Formada em Engenharia Civil. Especializada em Tráfego. Tem Pós-Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental. Trabalhou como apresentadora da “TV Clube”. Trabalha na assessoria de comunicação do Teresina Shopping. Bibliografia: “Gaiola Quebrada”, poemas, em parceria com Cruz Neto. Tem outros trabalhos publicados, inclusive sobre o empresário João Claudino Fernandes.

COIMBRA, Mary – n. 05-01-1974 - Teresina (PI). Filha de Cícero dos Santos Rodrigues e Maria dos Santos Coimbra Rodrigues. Poetisa. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Bibliografia: “Amor em Liberdade” (1997) e “Confissão Explícita” (2000), ambos poemas.

CONCEIÇÃO, Francisco da – n. 17-06-1957 – Matões (MA). Filho de Vicente Pereira da Silva e Benedita Maria da Conceição. Radicado no Piauí (Nazária). Poeta popular e repentista. É mais conhecido como Chico Gato. Participou de cantorias e festivais em cidades do Piauí e Maranhão. Fez dupla com Joames e com outros cantadores. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

CONDE, Hermínio de Moraes Brito – n. l8-03-1905 - Piracuruca (PI), f. 28-11-1965 - Rio (RJ). Filho de Hermínio dos Santos Conde e Azulina de Moraes Brito Conde. Médico, cientista, poeta e jornalista. Fez Curso de Especialização em Lisboa, Paris, Viena e Berlim. Dirigiu o Instituto Benjamim Constant, do Rio, e o Centro de Pesquisas Oftalmológicas. Foi o inventor do aparelho coagulador para o tratamento do tracoma. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “Meninos Delinqüentes”; “Cochrane, Falso Libertador do Norte”; “A Tragédia Ocular de Machado de Assis”. Foi incluído na coletânea “Caminheiros da Sensibilidade” (1967), organizada por J. Miguel de Matos. Deixou inédito: “Evolução Histórica da Oftalmologia no Brasil”.

CONDE, Hermínio dos Santos – n. 1806 - Alagoas, f. 17-08-1879 - Piracuruca (PI). Poeta e jornalista. Radicou-se em Piracuruca, onde exerceu a profissão de telegrafista. Colabrou na imprensa piauiense. Bibliografia: “Sombras”, edição póstuma. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires.

CONDE, Pedro de Moraes Brito – n. 22-11-1906 - Piracuruca (PI), f. 07-05-1968 - Teresina (PI). Filho de Hermínio dos Santos Conde e Azulina de Moraes Brito. Magistrado, jurista e professor. Foi Promotor Público, Juiz de Direito, Procurador da Fazenda. Desembargador. Presidiu o Tribunal Regional Eleitoral e o Tribunal de Justiça do Piauí. Foi membro do Conselho Judiciário. Bibliografia: “Ementário do Tribunal de Justiça do Estado” (1931 – 1938); “Resumo das Lições de Prática e Jurídica Comercial” (1931); “O Sentido da Educação” (1950), tese; “Prática Jurídica Comercial” (1956); “A Evolução do Direito Comercial e sua Aplicação á Vida Moderna” (1952) tese; “Índice de Jurisprudência do Tribunal Regional Eleitoral” e “Noções de História da Educação”.

CONRADO, Batista (João Batista da Silva) – n. 13-02-1969 - Barro Duro (PI). Filho de Luiz Conrado da Silva e de Maria do Carmo Vieira da Silva. Poeta, contista e professor da rede estadual de ensino. Formado em Filosofia, pela Universidade Federal do Piauí. . Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Participou da antologia “Novos Poetas”, do 1º Concurso Wellington Brandão de Poesia, com o poema “Insígnia Pagã” , e da Antologia “Contos de Vários Cantos”, do Concurso Wellington Brandão 1997, com o conto “O Castelo de Ada” (1997).

CORDÃO, João Porfírio de Lima – n. 24.09.1923 - Itaporanga (PB), f. 12-01-2003 - Teresina (PI). Filho de Manoel Porfírio Cordão e Maria dos Santos Lima. Professor, poeta e romancista. Formado em Farmácia e Bioquímica, no Rio de Janeiro. Tem curso de Genética e Evolução. Especialização em Análise Clínica, Microbiologia Aplicada à Indústria Farmacêutica. Presidiu a APAE de Teresina. Presidiu o Conselho Regional de Farmácia, por dois mandatos. Foi vice-presidente da Federação Nacional das APAEs, durante 18 anos. Foi agraciado os títulos de Cidadão Teresinense e Piauiense. Pertenceu à Academia Nacional de Farmácia, à Academia Piauiense de Letras e à Academia Sorocabana de Letras. Bibliografia: “Colheita de Ilusões”, poemas; “Palavras ao Vento” (1981), poemas; “Muquém”, romance; “Colheita de Ilusões” (1979), poemas; “Metodologia Microscópica Especial”; “Leishmania Donovani ou Calazar no Nordeste”; “Cobras ou Serpentes” (1990); “Assim foi o Nordeste” (1992); “Vozes Omissas”, poesias; “Leptospirose no Brasil” e “Biologia e Genética”.

CORDEIRO, Afonso Elvas – n. 28-06-1914 - Teresina (PI). Poeta, professor universitário e jornalista. Formado em Direito. Pertenceu ao Conselho de Cultura do Rio e à Academia Duquecaxiense de Letras e Artes. Foi Promotor Público na cidade de Tefé, AM. Em Manaus, dirigiu os Diários Associados e foi catedrático de direito da Faculdade do Amazonas. Participou da “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto “Recordações”.

CORDEIRO, Concita – n. 05-08-1949 - Teresina (PI). Filha do poeta e professor Vidal da Penha Ferreira e de Zuleide Soares Cordeiro Ferreira. Funcionária pública estudual. Foi incluída na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires, onde está inserido seu soneto “Só nós dois...”.

CORDEIRO, Humberto da Silva – Escritor, natural de Pedro II (PI). Filho de Francisco de Assis Cordeiro e Albertina da Silva Cordeiro. Poeta e artista plástico. Graduado em Direito pela Universidade Federal do Piauí. Fui um dos fundadores do jornal “Eco de Pedro II”. É Analista Judiciário, nível superior, da Justiça Federal do Piauí. Participou da “Antologia de Pedro II” (2002), organizada pelo Des. Tomaz Gomes Campelo.

CORDEIRO JÚNIOR, Francisco Barreto Soares – n. 09-07-1959 - Teresina (PI). Bacharel em Ciências Sociais. Tem especialização em Antropologia. Foi professor universitário em Caxias-MA. Bibliografia: “Tropicalismo: Fator de Alienação ou Revisão Crítica da Realidade Social?”.

CORIOLANO, J. (José Coriolano de Sousa Lima) – n. 30-10-1829 - Vila de Príncipe Imperial (PI), hoje Crateús (CE), f. 24-08-1869 - Vila de Príncipe Imperial. Filho de Gonçalo Correia Lima e Ana Maria Bezerra. Magistrado, poeta, político e jornalista. Formado em Direito. Foi Deputado Provincial pelo Piauí, por duas legislaturas, e presidente da Assembléia Legislativa. Manteve intensa atividade na imprensa de Recife e de Teresina. É patrono da Cadeira 8, na Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: "Impressões e Gemidos" (l870), versos; “O Touro Fusco”; "O Casamento e a Mortalha no Céu se Talha" e "O Suicídio de Marília". Deixou inédito: "Poesias Várias". Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972) e na coletânea “O Piauí na Poesia Popular” (1975), ambas organizadas por Félix Aires. Comentário: É um dos mais legítimos cultores da poesia popular no Piauí. As suas poesias retratam o sertão, o caboclo, os costumes e o seu folclore. (Wilson Carvalho Gonçalves, in "Dicionário Histórico-Biográfico Piauiense", 1993).

CORREIA, Benedito Jonas – n. 13-09-1906 - Parnaíba (PI), f. 03-03-1980 - Parnaíba (PI). Professor, escritor e jornalista. Dedicou grande parte da sua vida à causa da educação e do ensino. Foi professor da Escola Normal Francisco Correia, do Ginásio Parnaibano e do Ginásio São Luís Gonzaga. Foi o primeiro superintendente do Departamento Regional do Serviço Social da Indústria, em Parnaíba. Foi um dos fundadores da Sociedade Parnaibana de Expansão Cultural e da Associação Parnaibana de Imprensa. Colaborou no “Almanaque da Parnaíba”. É patrono de uma das Cadeiras da Academia Parnaibana de Letras. Bibliografia: “O Livro do Centenário de Parnaíba” (1944), em parceria com Bembem.

CORREIA, Francisco de Moraes – n. 31-05-1875 - Parnaíba (PI), f. 24-10-1950 - Parnaíba (PI). Filho do coronel Francisco Severiano de Moraes Correia e Maria Cleófas de Moraes Correia. Militar, comerciante e político. Formado em Direito. Foi Secretário de Estado, por mais de uma vez. Chefe de Polícia e Deputado Estadual, por duas legislaturas. Em 1915, elegeu-se Deputado Federal, mas por motivos políticos não assumiu o mandato. Como jornalista, fundou “O Monitor”, jornal que marcou época em Parnaíba. O seu nome batiza a Escola Normal de Parnaíba. Bibliografia: “O Regulamento da Secretaria de Polícia”; “O Regulamento das Cadeias”; “O Regulamento da Segurança Pública” e “Coletânea das Leis e Decretos do Piauí” (1889-1902).

CORREIA, Israel José Nunes – n. 19-03-1955 - Parnaíba (PI). Filho de Lauro de Andrade Correia e Rosete Correia. Professor universitário, poeta e compositor. Formado em Direito e em Administração de Empresas, com especialização em Administração Organizacional. Ex-diretor do Campus Universitário da FUFPI, em Parnaíba. Ex-Secretário de Cultura e ex-presidente da Fundação Cultural do Piauí. Membro da UBE/PI e da Academia Parnaibana de Letras. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Bibliografia: “Caderno de Música Popular Piauiense”, 2 volumes; “Poesia, Opinião & Discurso” (1991); “Semiologia Carnavalesca” e “Templário” (1994), poemas. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Seculo XX” (1995), de Assis Brasil.

CORREIA, Jacinta Castelo Branco – n. 28-08-1959 – Teresina (PI). Cursou Mestrado em Comunicação, no Instituto Metodista de Ensino Superior, de São Bernardo do Campo (SP). Foi incluída no “Dicionário de Mulheres” (1999), de Hilda Agnes Hübner Flores. Bibliografia: “Comunicação e Capacitação” (1995).

CORREIA, Jonas de Moraes – n. 15-01-1874 - Parnaíba (PI), f. 27-09-1918 - Parnaíba (PI). Filho de Francisco Severiano de Moraes Correia e Maria Cleófas de Moraes Correia. Comerciante, jornalista e político. Foi Conselheiro Municipal, Presidente do Conselho de Intendência e Intendente de Parnaíba. Exerceu o mandato de Deputado Estadual por várias legislaturas. Presidiu a Assembléia Legislativa Estadual. Lutou pela criação do Bispado do Piauí. Dirigiu o jornal “O Comercial”. É patrono de uma Cadeira na Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “A Exportação do Sal Piauiense”.

CORREIA, João Orlando de Moraes – Poeta e político parnaibano. Formado em Medicina. Clinicou em sua terra natal e em Luís Correia. Foi prefeito de Parnaíba. Fez parte da “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto “Consolando”.

CORREIA, Lauro Andrade – n. 17-07-1924 - Parnaíba (PI). Filho de Constantino Andrade Correia e Consuelo Andrade Correia. Professor, escritor, político e orador. Administrador de Empresas, provisionado. Formado em Engenharia Química e em Direito. Foi prefeito de Parnaíba, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Piauí, Diretor do Campus Universitário Reis Veloso, da Universidade Federal do Piauí, onde leciona várias disciplinas. Pertence à UBE/PI. Presidiu a Academia Parnaibana de Letras, por três mandatos. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Bibliografia: “Código Tributário da Parnaíba”; “Código de Postura da Parnaíba”; “História Administrativa da Parnaíba”; “Atrações Turísticas da Parnaíba”; “Rio Parnaíba – Ligação do Rio Tocantins ao Rio Parnaíba” e outros.

CORREIA, Luís de Moraes – n. 23-12-1881 - Vila de Amarração, atual Luís Correia (PI), f. 23-10-1934 - Fortaleza (CE). Filho do coronel Francisco Severiano de Moraes Correia e de Cleófas de Moares Correia. Professor, magistrado, político, jornalista, poeta, dramaturgo, sociólogo, escritor, orador e jurista. Formado em Direito. Foi Promotor Público em Parnaíba e Teresina. Junto ao governo do Piauí, exerceu as pastas de Secretário de Polícia e Secretário Geral do Governo. Transferindo-se para o Ceará, foi Procurador Geral do Estado, professor catedrático da Faculdade de Direito, Secretário de Fazenda, Secretário do Interior e Justiça e Juiz Federal. Pertenceu à Academia Cearense de Letras, à Academia Piauiense de Letras e ao Instituto de Ciências e Letras do Recife. É patrono, na cidade em que nasceu, da Cadeira 32 da Academia Parnaibana de Letras e da Cadeira 17 do extinto Cenáculo Piauiense de Letras. É patrono da cidade onde nasceu. Bibliografia: “O Habeas-Corpus e os Interditos”; “O Estado e o Funcionário”; “O Estado e a Obrigação de Indenizar”; “O Crime e a Pena”; “O Domínio e a Posse”; “Um Disparate Judiciário”; “O Porto de Amarração”; “A Questão Social”; “Razões e Pareceres”; “Democracia e Socialismo”; “O Divórcio”; “O Amor e o Crime”; “Psicologia como Ciência da Alma”; “Direito de Propriedade”; “Comentários Jurídicos”; “Nos Juízos e Tribunais”; “Teses de Direito”; “Uma Inovação Judiciária”; “A Pulverização de uma Calúnia”; “Anteprojeto de Constituição Federal”; “De Seravejo a Versalhes”; “Uma Nova Concepção do Mundo e do Homem”. Deixou inéditos: “Curso Resumido de Direito Civil”; “O Divórcio na Doutrina e na Jurisprudência Brasileira” e outros. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses”, de Félix Aires (1972), com o soneto “Lúcia”. Comentário: ... foi um homem de cultura, de bondade e de amor à terra berço. O Piauí e o Ceará muito lhe devem. Aqui temos uma cidade com seu nome. No Ceará, continua vivo na memória e na admiração dos cearenses. (Guilherme Carvalho, in “Monografia do Dr. Luís de Moraes Correia”, 1975).

CORREIA, Marcelo Carvalho Santos – n. 1966 - Parnaíba (PI). Formado em Administração de Empresas, pela UNIFOR. Especializou-se em Gestão Empresarial / MBA, pela Fundação Getúlio Vargas. Morou na Califórnia, onde estudou a Língua Inglesa. Foi Gerente Geral do Rio Poty Praia Hotel, em Luís Correia. Exerceu o cargo de Superintendente da PIEMTUR e de Gerente Geral do Rio Parnaíba Empreendimentos Turísticos Ltda. É instrutor do SEBRAE/PI na área de hotelaria e ministra cursos para outras instituições. Bibliografia: “Turismo para Portadores de Deficiência Física” (2002).

CORREIA, Vulmirina – Poetisa piauiense casada com o General Jonas Correia. Residiu em Parnaíba e no Rio de Janeiro, onde faleceu. Colaborou com o Almanaque da Parnaíba. Bibliografia: “Vidas”, poemas. Foi incluída na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto “Felicidade”.

CORREIA FILHO, Francisco das Chagas Lages – n. 26-06-1946 - Barras (PI). Geólogo da CPRM. Foi chefe de Divisão de Geologia, em Goiânia (GO). Chefiou as Residências da CPRM, em Campo Grande e em Cuiabá (MT). Foi vice-presidente da Associação Matogrossense de Desenvolvimento e Meio Ambiente. Sócio fundador do Instituto Geológico “Welhelm Kegel”. Fez parte da diretoria da Associação dos Geólogos do Piauí. Colabora eventualmente nos jornais do Crea e jornal O Dia. Bibliografia: “Estudos de Identificação e Avaliação de Depósitos Minerais para a Construção Civil nos Estados do Piauí, Maranhão e Região da Grande Teresina”.

CORREIA FILHO, Jonas de Moraes – n. 21-09-1909 - Parnaíba (PI), f.23-01-1998 - Rio de Janeiro (RJ). Militar, político, professor e filólogo. General de Divisão. Bacharel em Contabilidade e em Direito. Foi Secretário da Educação e Cultura e Deputado Federal pelo antigo Distrito Federal. Dirigiu as revistas do Clube Militar e Nação Armada. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, ao Instituto Geográfico e Histórico Militar do Brasil, à Academia Carioca de Letras, Academia Brasileira de Filologia e a outras entidades culturais. Lecionou na Escola Militar do Rio de Janeiro e na Escola de Intendência do Exército. Bibliografia: “Guia Prático para o Ensino da Contabilidade Brasileira”; “Estudos de Português”; “Contabilidade Bancária”; “Aspectos Atuais do Ensino Militar”; “Introdução do Vocabulário da Gíria Militar”; “O Espírito de Caxias”, “A Aspiração” e outros.

COSTA, Antônio Carlos Rodrigues da – n. 11-05-1952 - Teresina (PI). Filho de Benedito Cantanheide da Costa e Maria Rodrigues da Costa. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: “Média da Difusidade Térmica do Polipirrol Condutor” e “Corastização de Polímeros Condutores por Técnica Foto Acústica”, s/d.

COSTA, Antônio José – n. 1864 - Campo Maior (PI), f. 1934 - Campo Maior (PI). Magistrado, jurista, professor e político. Formado em Direito. Foi professor da Faculdade de Direito do Piauí, Procurador Geral de Justiça do Maranhão, Chefe de Polícia e Desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí. Foi eleito ao cargo de Governador do Estado do Piauí, mas a Assembléia Legislativa não reconheceu a sua vitória. Bibliografia: “Processo de Responsabilidade”; “Recurso de Pronúncia” e “Execução de Sentença”.

COSTA, Catarina de Sena S. Mendes da – n. 06-03-1953 - Piripiri (PI). Professora e pesquisadora. Graduada em Letras. Fez curso de Especialização e Mestrado em Linguística. Doutora em Ciências, área de concentração: Linguística com qualificação em Sociolinguística, Linguística Indígena, Fonética e Fonologia e Linguística Aplicada. Professora orientadora de várias dissertações de Mestrado e de monografias do curso de Especialização da UFPI. Presidiu o Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste (92/93). Pertence à Associação Brasileira de Linguística, à Associação de Pesquisadores em Ciências Humanas e ao Comitê Internacional de Fonética e Fonologia. Bibliografia: “Conjugação Verbal de Português: Uma Abordagem Gerativa-Transformacional” (1977), monografia; “Um Caso de Português Tonal no Brasil?” (1979), dissertação de Mestrado; “Transcrição e Análise Fonética da Língua Wanka (Quechua)” (1981), mimeografado; “Investigando os Fonemas da Língua Krahô” (1989), mimeografado; “Considerações Sociolinguísticas acerca da Prática Linguística na Escola” (1989), mimeografado, e outros.

COSTA, Cecília Régia Santos – n. 03-05-1972 - Elesbão Veloso (PI). Filha de Alcides Dias da Costa e Maximiana Maria dos Santos. Professora e poetisa. Fez os cursos de Pedagogia e de Técnico em Contabilidade. Cursou Licenciatura Plena em Letras / Português, na Universidade Estadual do Piauí. Leciona na rede pública municipal. Participou da “Antologia de Autores Elesbonenses” (1999), organizado por Maria Nilza, Celina Silva e Juraci Leite de Carvalho.

COSTA, Ducival de Araújo – n. 26-06-1962 – Brasileira, Piripiri (PI). Filho de Genelino Sampaio da Costa e Zulmira Gomes de Araújo. Professor, poeta, músico e compositor. Licenciado em Geografia, pela Universidade Estadual do Piauí. Pós-graduado, pela Faculdade Hokemãh do Maranhão, em Metodologia da Pesquisa Científica. Tem cursos de especialização em Gestão Educacional com aplicação tecnológica e programa de capacitação à distância para gestores escolares. Participou de movimentos culturais e do grupo musical Balaio das Artes. Gravou um CD e participou da produção de outros. Foi diretor de escola e de rádio. Bibliografia: “Roendo os Ossos nos Olhos da Fome”, livro de poemas, mimiografado, em parceria com Jorge Ivan Teles. Participou da antologia “Poetas de Piripiri” (2008), organizada por Cléa Rezende Neves de Melo e Eliane da Silva César.

COSTA, F. A. Pereira da (Francisco Augusto Pereira da Costa) – n. 16-12-1851 - Recife (PE), f. 21-11-1923 - Recife (PE). Filho de Manuel Augusto de Menezes Costa e Maria Augusta Pereira da Costa. Político, historiador e folclorista. Formado em Direito, pela Faculdade de Direito do Recife. Foi Deputado Estadual em Pernambuco, durante 22 anos. Em 1884, mudou-se para o Piauí, onde se tornou Secretário de Governo, no período de 1884 a 1885. Em 1908, foi recebido no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, pelo Barão do Rio Branco, sendo saudado pelo Conde de Afonso Celso. Foi um dos fundadores da Academia Pernambucana de Letras. Bibliografia: “Cronologia Histórica do Estado do Piauí” (1909 e 1974); “Dicionário Biográfico de Pernambucanos Célebres” (1882); “Mosaico Pernambucano”; “Seleta Pernambucana”; “Folclore Pernambucano, Subsídios para a História da Poesia Popular em Pernambuco”; “Anais Pernambucanos”; “Arredores de Recife” e outros.

COSTA, Fábio José da – n. 1863 - Campo Maior (PI), f. 1900 - Campo Maior (PI). Sacerdote, professor e poeta. Ordenou-se em Fortaleza. Foi Capelão da Santa Casa de Misericórdia de São Luís, onde, também, se dedicou ao magistério lecionando Direito Canônico. Bibliografia: “Meus Amores”.

COSTA, Francisco José Carvalho – Natural de Parnaíba (PI). Poeta. Formada em Economia, na Universidade Federal do Piauí - UFPI/CMRV, em Parnaíba. Foi classificado, em primeiro lugar, no I Concurso Universitário de Poesia. Participou da coletânea “Pedagogiando a Poesia” (1993).

COSTA, Francisco Pereira da – n. 26-07-1945 – Teresina (PI). Filho de Gentil Pereira Costa e Benedita Francisca do Nascimento. Poeta de bancada e repentista. Conhecido como Canindé. Participou de cantorias e festivais de violeiros realizados em Teresina e em várias cidades do Piauí e Maranhão. Apresenta um programa radiofônico na cidade de Valença. É autor de vários cordéis, dentre os quais: “Peleja de João Moraes e Francisco Canindé”. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

COSTA, Francisco Ronaldo Gomes – n. 26-01-1972 – Tauá (CE). Filho de Francisco Gomes da Silva e Adelice Ferreira Costa Silva. Militar, poeta, contista e cronista. Radicado em Picos. Cursou Licenciatura Plena em Letras e Formação Específica em Direito Penal, pela Universidade Estadual do Piauí. Pós-Graduado em Literatura Brasileira, pela Universidade Regional do Cariri. Membro fundador da União Picoense de Escritores. Bibliografia: “Um Aluno Triste”. Participou da “Antologia Upeana I” (2005), editada pela União Picoense de Escritores.

COSTA, Francisco Soares da – Pastor, professor e escritor piauiense natural de Amarante. Formado em Teologia. Durante 22 anos, exerceu o ministério eclesiástico em vários Estados da Federação. Bibliografia: “O Mestre Indomável” (2000), “Kosmocriacionlogia”, “Kosmorecrudeciologia” “Kosmorecriacionologia” e “Aos Religiosos de Amarante”.

COSTA, Geraldo Felizardo da – n. 05-11-1933 - Oeiras (PI). Filho de João Felizardo da Costa e Maria Batista da Costa. Fez Curso Técnico em Edificações. Foi instrutor do Senai. É um dos pioneiros de Brasília. Trabalhou na construção civil. É sócio correspondente da Academia Taguatinguense de Letras. Bibliografia: “Memória de uma Família” (1998), genealogia; “Emília” (1998); “Alegria de Viver” (1999), contos; “Térgio Malandro, História e Revolução” (1999); “Aventureiro Solitário” (1999), romance; “Sete Irmãos e Um Destino” (2001) e “As Pedras de Cristo” (2001). Participou da coletânea “Taguatinga em Prosa e Verso”, organizada pela Academia Taguatinguense de Letras.

COSTA, Giovani Piauiense da – Natural do Piauí. Faleceu no Rio de Janeiro (RJ). Magistrado, poeta e jornalista. Bacharel em Direito. Foi Delegado Geral em Teresina, Juiz de Direito, em Campo Maior e Desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí. Colaborou no “Almanaque Piauiense”. Bibliografia: “O Estado Novo no Piauí”, Rio, 1941; “Malversações de um Governante” (1942); “O Crime de Teresina”, Teresina, 1928. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto “Stelio-Amor”. Autor de vários trabalhos jurídicos.

COSTA, Hélio (Antônio Hélio da Costa Gomes) – n. 19-11-1959 - Piripiri (PI). Filho de Jovito Luiz Gomes e Maria de Jesus Estevão. Poeta e professor. Formado em Letras, pela Fundação Universidade Federal de Rondônia onde, também, fez Especialização em Língua Portuguesa. Foi professor de Língua Portuguesa e Literatura no Colégio Major Guapindaia (RO). Funcionário do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia. Ainda em Piripiri, editou o informativo “O Casarão dos Poetas”. Editou dois outros informativos literários em Porto Velho, denominados “O Mamoré” e o “Desabafo”. Foi o introdutor do Curso de Redação no SENAC/RO e Diretor de Imprensa do Sindicado dos servidores do Tribunal de Justiça de Rondônia. Idealizou e coordenou a “Antologia Poética dos Servidores do Poder Judiciário de Rondônia” (2002), da qual foi um dos participantes. Autor de um livro de poemas.

COSTA, Hélio Martins de Araújo – n. 10-05-1926 - Bertolínia (PI), f. 06-01-1999 - Belo Horizaonte (MG). Filho de Raimundo José de Araújo Costa e Adelaide Mendes da Rocha. Médico veterinário, formado pela Escola Nacional de Veterinária da Universidade Rural do Brasil. Fez especialização em Fisio-Patologia da Reprodução e Inseminação Artificial. Doutourou-se em Parasitologia, pela Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais. Exerceu a atividade de empresário, de professor universitário e pesquisador. Dentre outras atividades, exerceu, ainda, as funções de Pró-Reitor de Pesquisa da UFMG, Diretor do Centro de Indústrias do Estado de Minas Gerais e Presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária. Tem numerosos trabalhos de pesquisas publicadas. É co-autor do livro de “Acarologia e Entomologia Médica e Veterinária”.

COSTA, João da Cruz de Jesus – n. 21-07-1932 - Morro da Mariana, Parnaíba (PI), atual município de Ilha Grande. Filho de Benedito Ferreira da Costa e Maria de Jesus Costa. Poeta, genealogista e historiador. Formou-se em Direito e em Administração, na Universidade de Brasília. Concluiu Licenciatura em História. Exerceu advocacia e magistério, aposentando-se como Assessor Legislativo do Senado Federal. É sócio do Instituto Histórico e Genealógico Brasileiro e da União Brasileira de Escritores do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto e do “Dicionário Biobiblográfico de Goiás” (1999), de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: “Os Lucianos – Uma Descendência de Dois Séculos, Disseminada por 16 Estados, com Origem no Piauí” (1996), genealogia, apresentando árvore genealógica de sete gerações, com cerca de 3200 integrantes e enaltecendo o berço dos Lucianos. Com o soneto telúrico, “A Terra da Promissão”, participou da coletânea “Passarela de Escritores” - edições Jacurutu, Teresina, PI, 1997, organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

COSTA, João Severiano Maciel da – Veja: QUELUZ, Marquês de

COSTA, José Itamar Abreu – n. 26-12-1950 - Alto Longá (PI). Formado em Medicina, pela Universidade Federal do Pará. Fez Especialização em Cardiologia, no Instituto de Doenças Cardiopulmonares “Euryclides de Jesus Zerbini”, Hospital da Beneficência Portuguesa (SP). Diretor-Presidente do Instituto Tecnológico de Avaliação do Coração Ltda – ITA’COR. Supervisor Geral do Setor de Reabilitação Cardíaco do ITA’COR. Representante do FUNCOR no Estado do Piauí (1998/1999). Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia/PI (2000/2001). Foi Segundo Tesoureiro e Tesoureiro Geral SBC Norte/Nordeste (2002/2004), entidade da qual também assumiu a Diretoria de Comunicação. Membro da Academia de Letras do Vale do Longá. Trabalhos publicados: “Teoria Miogênica do Infarto do Miocárdio”, na qualidade de colaborador (1979); “Correção de um Aneurisma Aterosclerótico Coronariano Pelo Implante de um Stante Recoberto”, in Arquivo Brasileiro de Cardiologia, vol. 78, nº 5, págs 491-3 (2003), e “Volumosas Fistulas de Ambas Coronárias para a Artéria Pulmonar Embolização Percutânea com Micro-Molas e Balões Descartáveis”, in “Arquivo Brasileiro de Cardiologia”, vol. 84, nº 03 (2005).

COSTA, Karlene Sousa da – n. 29-04-1976 - Teresina (PI). Poetisa. É membro da União dos Escritores do Itararé. Participou da “Antologia Urbana” (2000), poemas, editada pela UEI.

COSTA, Lena Castelo Branco Ferreira – n. 31-03-1931 - Parnaíba (PI). Filha de Ciridião Ferreira da Silva e Maria Castelo Branco Ferreira. Professora e escritora. Bacharel em Filosofia, pela Universidade Católica de Goiás. Doutora em História Social, pela USP. Foi diretora teatral e professora do Instituto de Ciências Humanas e Letras, da Universidade Federal de Goiás. Pertenceu ao Conselho Federal de Educação. Sócia da Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás e do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás. Secretária do Instituto Brasileiro de Educação, Ciências e Cultura da Unesco. É verbete dos livros “Estudos Literáios de Autores Goianos”, “Escritores de Goiás” e do “Dicionário Biobiblográfico de Goiás” (1999), todos de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: “Saúde e Doenças em Goiás – A Medicina Possível” (Uma Contribuição para a História da Medicina em Goiás), “Dois Estudos da História Social”; “Feudalismo e Capanguismo”; “As Elites Imaturas”, “Arraial e Coronel”; “Viagem Fluvial do Tietê ao Amazonas”.

COSTA, Luís Brandão – Natural de Parnaíba (PI). Poeta e escritor. Funcionário aposentado do Banco do Brasil. Publicou poemas no “Almanaque da Parnaíba”. Bibliografia: “Coisas da Vida de um Bancário” (1990). Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

COSTA, Luís Édio Leal – n. 19-12-1971 - Picos (PI). Poeta e comerciante. Membro fundador e 1º secretário da UPE – União Picoense de Escritores. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Participou da “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999), de Adrião Neto e da “Antologia Upeana I” (2005), editada pela União Picoense de Escritores.

COSTA, Luís Rodrigues da – Memorialista. Bibliografia: “Minhas Memórias – Mensagem Fraterna a Serviço dos Jovens e dos Mestres” (1985). Foi citado no livro “Visão Histórica da Literatura Piauiense”, de Herculano Moraes. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

COSTA, Luís Soares da – n. 26-06-1941 – Amarante (PI). Filho de João Soares da Costa e Maria Pereira de Sousa (Sinhá). Estudou em Teresina e em São Paulo. Servidor Público Federal, aposentado como Agente de Saúde, da Fundação Nacional de Saúde, em Parnaíba. Poeta, escritor e ecologista. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Colaborador dos Jornais O Dia e Norte do Piauí. Bibliografia: “Poemas Que a Vida Escreveu” (2005).

COSTA, Magalhães da (José Magalhães da Costa) – n. 18-05-1937 - Piracuruca (PI), f. 18-06-2002 - Teresina (PI). Filho de Francisco Valente da Costa Filho e Nair de Brito Magalhães Costa. Formado em Direito, pela Universidade Federal do Ceará. Idealizou e fundou o Núcleo dos Estudantes Universitários do Piauí (NEUP), em Fortaleza, e a União Brasileira de Escritores do Piauí (UBE-PI), tendo sido o primeiro presidente dessas entidades. Contista e colunista literário. Mantinha um resenha semanal de crítica de livros no jornal “Meio Norte”. Dirigiu os suplementos de Literatura de “O Dia”, “O Estado” e “Jornal do Piauí”, de Teresina. Tem contos publicados nas revistas “Alterosa”, “Ficção’ e “Cadernos de Teresina”, e no “Almanaque da Parnaíba”. “Intelectual do Ano”, 1986, concedido pela UBE/PI. Membro da Academia Piauiense de Letras, da Academia Parnaibana de Letras, da Academia de Letras do Vale do Longá e da Academia de Letras da Região de Sete Cidades. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí, onde integrou a Câmara Especial Criminal. Bibliografia: “Casos Contados” (1970); “No Mesmo Trilho” (1972); “Estação das Manobras” (1985) e “Casos Contados e Outros Contos” (1996), “Traquinagem” (1999), todos esgotados. Alguns de seus contos foram premiados em certames nacionais e da terra. Participou, também, das coletâneas “Piauí: Terra, História e Literatura” (1980), organizada por Francisco Miguel de Moura e “Passarela de Escritores” (1997), organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho. Comentário: “Magalhães da Costa, profundo conhecedor da técnica literária, utiliiliza o diálogo indireto para dar mais força e originalidade ao texto. E à medida em que vai desenvolvendo a narrativa, arquitetando lances, vai nos revelando o caráter dos personagens”. (José Ribamar Garcia, in “Casos Contados”, Tribuna Livre, São João do Miriti, RJ, 10-11-1986).

COSTA, Manoel Gonçalves – Veja: TOMÉ, Mané

COSTA, Maria de Fátima dos Santos – n. 15-05-1969 - Parnaíba (PI). Poetisa. Cursou Pedagogia-Magistério, no Campus Ministro Reis Veloso, da Universidade Federal do Piauí, em Parnaíba. Professora em Parnaíba e em Buriti dos Lopes. Participou da coletânea “Pedagogiando a Poesia” (1993). Colaborou no “Anuário Parnaibano” (1992).

COSTA, Nelson Nery – n. 21-03-1959 - Teresina (PI). Filho de Ezequias Gonçalves Costa e Maria da Glória Nery Costa. Bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e obteve o grau de Mestre, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, nas áreas de Direito Constitucional e Teoria do Estado. Foi professor de Direito Tributário da Universidade Estadual do Piauí e de Ciência Política, no Departamento de Ciências Sociais, da Universidade Federal do Piauí. Assessorou a elaboração da Constituição do Estado do Piauí e da Lei Orgânica do Município de Teresina. É professor Adjunto de Direito Público, no Departamento de Ciências Jurídicas, da Universidade Federal do Piauí, e professor do Curso de Pós-graduação, da Escola Superior de Advocacia do Piauí. Defensor Público. Advogado especializado em Direito Econômico, Tributário e Municipal. Presidiu a Caixa de Assistência dos Advogados e a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Piauí, por dois mandatos. Membro da Academia Piauiense de Letras e da União Brasileira de Escritores do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Publicou: “Teoria e Realidade da Desobediência Civil” (1990); “Processo Administrativo e suas Espécies” (1997) e “Anteprojeto do Novo Currículo de Graduação em Direito da Universidade Federal do Piauí” (1994); “Curso de Direito Municipal Brasileiro”, “Um Dia na Vida” (contos) e “O Início do Piauí” (2006), história e outros. Foi incluído na “Antologia Escritores”, volumes I e II (2000 e 2003), organizada por Tomaz Gomes Campelo.

COSTA, Odilo (filho) – n. 14-12-1914 - São Luís (MA), f. 18-08-1979 - Rio (RJ). Filho de Odilo de Moura Costa e Maria Aurora Costa. Jornalista, poeta, romancista e cronista. Bacharel em Direito. Foi Secretário de Imprensa da Presidência da República e Adido Cultural da Embaixada do Brasil, em Lisboa. Dirigiu as revistas Senhor e O Cruzeiro. Pertenceu às Academias Piauiense, Maranhense e Brasileira de Letras. Bibliografia: “Livro de Poemas de 1935”; “Distrito das Confusão”; “A Faca e o Rio”; “Cantiga Incompleta”; “Graça Aranha e Outros Ensaios” e outros ensaios.

COSTA, Odilo de Moura – n. 1873 - Teresina (PI), f. 1957 - Teresina (PI). Filho de João José de Oliveira Costa. Político, magistrado, jornalista e escritor. Residiu no Maranhão, onde exerceu as funções de Secretário de Fazenda, deputado estadual e Desembargador. Exerceu o jornalismo em Teresina e em São Luís. Publicou alguns estudos jurídicos. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras. Comentário: Possuía admirável cultura geral, humanística e filosófica. De poderosa imaginação, vivia em contato com a arte e a vida literária. (Edison Cunha, in “Trechos da Crítica Literária”, Notícias Acadêmicas, nº 36, dezembro de 1988)

COSTA, Pedro (Pedro Nonato da Costa) – n. 03-04-1962 - Alto Longá (PI). Filho de Raimundo Nonato da Costa e Maria Alves da Costa. Poeta, repentista e cordelista. Foi um dos idealizadores e principal fundador do Sindicato dos Cantadores e Poetas Cordelistas do Piauí, sendo o seu primeiro presidente. Organizou três coleções “Biblioteca do Cordel”, publicadas pela Fundação Cultural Mons. Chaves, reunindo vários cordelistas. Editor da revista De Repente. É Verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Em 2003, concorrendo com poetas do Brasil inteiro, logrou o 1° lugar no Concurso de Cordel, promovido pelo Metrô de São Paulo. Bibliografia: “A Morte do Cantador”; “Cavalo Brinco de Ouro”; “Mundo Todo Rimado”; “Brasil Cruzado”; “O Matuto Deputado”; “Muda Brasil”; “A Marca da Violência”; “Alto Longá e sua Gente”; “Reminiscências de Vovó Pangula”; “Dignidade no Trabalho”; “Tetra-Brasil”, Zé Bandeira e Ontõe e vários outros cordéis. Escreveu também um livro de história.

COSTA, Roberto Carvalho da – Veja: CARVALHO, Roberto

COSTA, Rubem Nery – n. 04-09-1955 - Teresina (PI). Filho de Ezequias Gonçalves Costa e Maria da Glória Nery Costa. Médico, poeta e teatrólogo. Formado pela Universidade Federal do Piauí. Fez especialização em Nefrologia, no Rio de Janeiro, tendo implantado e dirigido o Centro de Nefrologia do Hospital Getúlio Vargas. Em 1979, com o livro “Asas”, classificou-se em 1º lugar no concurso literário da UFPI. Na década de 70, editou o jornal “O Sol”. Médico do Hospital Getúlio Vargas. É Verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Asas” (1980), poemas e “Dante no Inferno” (2007), romance policial. Participou do álbum poético “Postais da Cidade Verde” (1988). Teve encenado sua peça “O Clone” (1998), que ganhou 1º lugar no Festival de Teatro de 1998, em Oeiras. Tem inédito: “A Aventura Médica” e outros trabalhos.

COSTA, Ruimar Bastista da – Veja: BATISTA, Ruimar

COSTA, Sandra Maria – n. 1966 - Miguel Alves (PI). Contabilista. Estudou na Escola Técnica Federal do Piauí. Gerenciou a Livraria Sandes. Bibliografia: “Quanto Vale uma Vida” (1997), sobre o assassinato do empresário Desdedit Borges Leal.

COSTA, Sebastião Martins de Araújo – n. 20-01-1901 - Aparecida, atual Bertolínia (PI), f. 03-11-1956 - Rio de Janeiro (RJ). Filho do coronel Sebastião Marins de Araújo Costa e Adelaide Francisca da Rocha. Médico, político, historiador e genealogista. Formado na Bahia. Foi prefeito de Floriano, Chefe do Centro de Saúde e Diretor do Hospital Miguel Couto. É patrono da cadeira de 17, na Academia de Letras e Belas Artes de Floriano e Vale do Parnaíba. Bibliografia: “Soro-Profilaxia do Sarampo”; “História do Piauí”, “Fundação de Jerumenha” e “Dados Genealógicos da Família Rocha” (1954) – obra que, posteriormente, foi atualizada por Moacir Sipaúba da Rocha (1985), por José Ferreira de Sousa Rezende (1999) e por Reginaldo Miranda (2001).

COSTA, Vaz da (Joaquim Vaz da Costa) – n. 28-07-1886 - São Raimundo Nonato (PI), f. l3-01-1972 - Teresina (PI). Magistrado, professor, jornalista e escritor. Formado pela Faculdade de Direito de Recife. Foi Promotor Público em Amarante e Juiz de Direito em São João do Piauí. Desembargador do Tribunal de Justiça e um dos fundadores da Faculdade de Direito do Piauí, onde lecionou Direito Civil. Chefe revolucionário. Sua atuação na Revolução de 30 concorreu para a deposição do Interventor Federal Humberto de Arêa Leão, assumindo o governo do Estado de 12 às 21 horas do dia 21-01-1931, quando passou ao capitão Lemos da Cunha. Bibliografia: “Arengas e Retalhos” e “Engenho Dágua”.

COSTA, Vicente de Paula de Jesus – n. 25-02-1930 - Ilha Grande (PI). Filho de Benedito Ferreira da Costa e Maria de Jesus Costa. Poeta mais conhecido como Vicente Vicentino. Descendente dos Lucianos, uma estirpe radicada no Delta Parnaibano desde o século pássado e que hoje povoa aquelas ilhas. Funcionário aposentado da Estrada de Ferro Central do Piauí. Participou da coletânea “Passarela de Escritores”(1997), org. por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

COSTA, Virgínia Mônica Nery Parente da – n. 20-02-1961 - Teresina (PI). Filha de Francisco Alves Parente e Maria Júlia Nery Parente. Formada em Serviço Social, pela Universidade Federal do Ceará. Professora, poetisa, pesquisadora e cronista. Foi Consultora da Unicef, junto ao Ministério da Saúde. Lecionou da Universdidade Católica de Goiás. Foi Assistente Social da Prefeitura Municipal de Rubiataba e atuou no Hospital Estadual Comunitário de Natividade, ambos no Estado de Goiás. Exerceu o cargo de Coordenadora de Informação, da Secretaria Municipal de Saúde de Palmas, Tocantins. Membro da União Brasileira de Escritores de Goiás. É verbete do “Dicionário Biobiblográfico de Goiás” (1999) e dos livros “Estudos Literários de Autores Goianos” e “Escritores de Goiás”, todos de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: “Acreditar”; “Manual do Agente Comunitário de Saúde”; “Dia a dia em prosa e poesia” (1997) e “Cordel de Combate à Dengue”.

COSTA FILHO, Alcebíades – n. 28-09-1955 - Floriano (PI). Historiador, pesquisador, poeta e professor. Licenciado em História, pela Universidade Federal do Piauí. Especialista em História do Brasil, pela PUC-MG. Funcionário do Arquivo Público do Piauí. Professor do Departamento de Letras, da Universidade Estadual do Piauí. Dirigiu a Unidade Escolar Pres. Vargas e o Arquivo Público do Piauí. Participou da 1ª Comissão Normativa do Projeto Cultural A. Tito Filho e da elaboração do dossiê Movimentos Populares no Piauí (1984/1985). Pesquisa sobre a escravidão e sobre o Piauí provincial. Bibliografia: “A Mulher Negra no Século XIX”, monografia; “A Escola do Sertão” (1996); “Versos”, poemas, co-participação. Participou do “Guia de Fontes para a História da África e da Escravidão”, Unesco, 1988. Colabora com a revista “Cadernos de Teresina”.

COSTA FILHO, Geraldo Pedro – n. 14-01-1965 – Parnaíba (PI). Professor. Bacharel e Mestre em Sociologia, pela Universidade Federal do Ceará. Professor da Universidade Federal do Piauí – Campus Ministro Reis Veloso, em Parnaíba, onde ministra disciplinas nos cursos de Administração de Empresa, Ciências Econômicas e Educação-Pedagogia. É Coordenador de Pesquisa e Pós-Graduação do CMRV. Bibliografia: “Introdução às Sociedades Abertas” (2005).

COSTA FILHO, João Emílio Falcão – Veja: FALCÃO, João Emílio

COSTA JÚNIOR, José de Ribamar Santos – n. 18-08-1965 - Teresina (PI). Artista plástico e professor. Formado em Letras e Educação Artística, pela Universidade Federal do Piauí. Especialista em História da Arte. Professor de Inglês, Espanhol e Literatura do ensino médio e de Artes da UFPI. Foi premiado no Concurso Capa da Listel. Bibliografia: “Arte e Criatividade” (1998) e “Aprendendo a Desenhar Humor” (2002), ambos publicado pela Edufpi.

COSTA NETO, Olímpio Vaz da – n. 28-05-1925 - Teresina (PI), f. 26-03-2005 - Teresina (PI). Poeta. Fez cursos de Contabilidade, Economia, Finanças, Leis e Administração. Participou da “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, da “Antologia Poética Piauiense” (1989) e das coletâneas “Caminheiros da Sensibilidade” (1966), organizada por J. Miguel de Matos e “O Rio” (1980). Tem vários poemas publicados na imprensa de Teresina e de Recife.

COSTA NETO, Sebastião Martins de Araújo Costa – n. 19-03-1967 - Floriano (PI). Filho de Ariosto Martins de Araújo Costa e Maria da Conceição Siqueira Martins. Médico cardiologista e poeta. Fez especialização no Hospital Gafrée Guingle e Pós-Graduação em Cardiologia na Santa Casa de Misericórdia, do Rio de Janeiro. Bibliografia: “Algumas Poesias”, livro de poemas. Participou da “1ª Antologia Poética Brasiliense”.

COSTA SOBRINHO, Werton Francisco Rios da – Veja: RIOS, Werton

COSTANDRADE, Josélia – n. 09-08-1948 - Simplício Mendes (PI). Filha de José Severiano da Costa Andrade e Anaide Mendes de Carvalho Costa. Professora universitária, artista plástico, jornalista e escritora. Diplomada em Artes Plásticas pela Escola Nacional de Belas Artes – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem extensão universitária pela Escola Nacional de Música e pelo Museu Nacional de Belas Artes. Participou de várias exposições. Foi correspondente Internacional da Agência Orbe Press. Pertence ao Sidicato dos Escritores de Brasília, à União Brasileira de Escritores do Piauí, à Associação Nacional de Escritores e à Associação de Letras e Artes de Simplício Mendes. Detém vários prêmios em concursos nacionais e internacionais de poesia. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “O Universo Mágico de Neura Timm” (1982); “Os Anjos e a Tradição Hermética”; “A Pintura e seus Mistérios” e “Romanceiro do Rio Parnaíba” (2003), poema. Participou da coletânea “Novos Poetas”; “Contista de Brasília”, organizada por Aglaia Sousa; “Energia Latente” (2002); “Poesias de Amor” (2003); “Terra” (2000); “III Coletânea de Sarau Poético” (2002) e da “Antologia Escritores”, Volumes I e III (2000 e 2004), organizada pelo Des. Tomaz Gomes Campelo.

COUTINHO, Adriana Nadja Lélis – n. 23-08-1969 - Picos (PI). Licenciada em Letras e Mestra em Ciência da Informação, pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora do Centro Federal de Educação Tecnológica do Piauí. Bibliografia: “Mídia, Educação e Cidadania: Em Busca de uma Relação Possível” – texto fundamentado na dissertação de mestrado defendido em 2001, na UFMG – publicado como um dos capítulos do livro “Desafiando os Domínios da Informação” (2002), organizado pelas professoras Maria das Graças Targino e Mônica M. M. R. N. de Castro.

COUTINHO, Regina Maria Teles – De Teresina, Piauí. Graduada em Pedagogia, com Especializações em Orientação Educacional e Pesquisa Educacional. Mestra em Educação: Supervisão e Currículo, pela PUC/SP. Doutora em Ciências Sociais, também pela PUC/SP. Professora do Centro de Graduação (Normal Superior), Pós-Graduação Lato Sensu e Coordenadora Geral dos Cursos de Pós-Graduação da UESPI. Trabalhou na rede estadual de ensino como orientadora, e na rede municipal de ensino como supervisora. Bibliografia: “Formação do Professor – Formador: Desafios e Perspectivas de Mudanças” (2004). Escreveu os artigos: “A Contribuição da Educação para a Formação da Cidadania” e “Reflexão sobre a Prática Pedagógica do Professor Universitário”.

COUTINHO, Reinaldo (Reinaldo Sobral Arcoverde Coutinho) – n. 15-11-1954 - Teresina (PI). Geólogo, formado pela Universidade de Fortaleza - UNIFOR. Escritor e professor de Geografia. Pesquisador de Pré-História e de Mistérios no Piauí, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte e Maranhão. Em 1995, descobriu o “Furo Solsticial” de Sete Cidades, orifício onde ocorre um fenômeno solsticial induzido, em 21 de junho. Mais uma prova de que nossos antepassados eram peritos em Astronomia. Defende a presença da misteriosa civilização megalítica no Brasil pré-histórico. Colaborador do jornal “Meio Norte”, onde publicou mais de cinqüenta artigos sobre turismo, pré-história, curiosidades, folclore, etc. É membro da Academia de Letras da Região de Sete Cidades. Verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Bibliografia: “Enigmas de Sete Cidades” (1995)“ e “Inscrições Pré-Históricas de Piripiri” (1996). “Antiguidades Valencianas” (2000); “Roteiro Pitoresco de Sete Cidades” (2000); “Na Terra dos Castelos”(2000). Tem inédito: “O Cristianismo no Brasil Pré-Histórico”.

COUTO, Deolindo Augusto de Nunes – n. 11-03-1902 - Teresina (PI), f. 29-05-1992 - Rio (RJ). Filho de Henrique José Couto e Maria Raimunda de Nunes Couto. Professor e médico, com especialização em Neurologia, feita em Berlim e Paris. Foi professor e reitor da Universidade do Brasil. Presidiu o Conselho Federal de Educação. Presidiu a Academia Nacional de Medicina e a Academia Brasileira de Neurologia, por sete mandatos. Ministrou cursos na Faculdade de Paris e Lisboa. Pertenceu às Academias Brasileira e Piauiense de Letras. Bibliografia: “O Tremor Parkinsoniano e a Vida Piramidal”, tese (1945); “Dois Sábios Ibéricos” (1961); “Vultos e Idéias” (1947); “Afrânio Peixoto – Professor e Homem de Ciências”; “Clínica Neurológica” (1944) e outros.

COUTO, Durvalino – n. 17-05-1909 - Teresina (PI), f. 17-11-1979 - Teresina (PI). Médico, formado pela Faculdade de Medicina da Bahia. Político, professor universitário e poeta. Foi médico do Liceu Piauiense, da Polícia Militar e do Hospital Getúlio Vargas. Lecionou na Universidade Federal do Piauí. Presidiu a Associação de Médicos do Piauí. Exerceu o cargo de prefeito de Teresina, no período de 12-01-1947 a 28-04-1947. Pertenceu ao Cenáculo Piauiense de Letras. Bibliografia: “Três Coisas”, poemas. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

COUTO, Paulo de Ataíde – n. 25-02-1956 - Parnaíba (PI). Filho do professor Lima Couto. Poeta, cronista e bancário. Bacharel em Administração de Empresas, pela Universidade Federal do Piauí / Campus Reis Veloso. Trabalha no Banco do Brasil. Membro da UBE/PI. Participou dos livros “Salada Seleta”; “Em Três Tempos”; “Galopando”, “Poesia do Campus” e “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporânos em Prosa e Verso” (1999) e “A Poesia Parnaibana” (2001), ambas organizadas por Adrião Neto. Tem trabalhos publicados nos jornais “Inovação”, “Folha do Litoral”, “Norte do Piauí” e outros.

COUTO FILHO, Durvalino – n. 28-10-1953 - Teresina (PI). Músico, jornalista, poeta, compositor e publicitário. Tem música gravada com Geraldo Brito e Edvaldo Nascimento. Trabalha na redação do jornal “Diário do Povo”. Bibliografia: “Os Caçadores de Prosopopéia” (1994), poemas. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), de Assis Brasil.

CRISPIM, César (César Augusto Félix Crispiniano) – De Floriano (PI). Formado em Administração de Empresas. Cursou Licenciatura em Letras Inglês, pela Universidade Estadual do Piauí. Fez curso de Língua Inglesa “Fast English” (UNED / CEFET-PI). Ator, diretor e dramaturgo. Coordena os programas “Escola de Artes do Sul do Piauí” (de âmbito municipal) e “Cultura ao Alcance de Todos” (de âmbito federal, Ministério da Cultura). Dirige o Grupo Escalat, que anualmente encena a “Paixão de Cristo”, no segundo maior teatro a céu aberto do Brasil. Dirigiu o Espaço Cultural Maria Bonita, em Floriano. Em 2003, foi classificado em 1º lugar no Concurso de Dramaturgia – Prêmio “Jônathas Baptista”, promovido pela Fundação Cultural do Piauí – FUNDAC. Bibliografia: “Três Pessoas, um Destino e um Desatino” (obra premida pela FUNDAC, editada em 2005). Dramaturgia do autor: “Um Analista para Cristos” (autor e ator – 1990); “Qualidade – A Peça que Faltava” (autor, diretor e ator – 1995); “Floriano, Suas Origens” (autor, diretor e ator – 1995); SESC – 50 Anos” (autor – 1996); “Quem Tem Medo da Solidão” (autor – 2002) e “Fiéis (2004).

CRISPIM, Zé (José Crispim de Moura, vulgo Zé Crispim) – n. 24-02-1948 - Localidade Diogo, município de Francisco Santos (PI). Filho de Crispim Borges de Moura e Manoela Rodrigues de Almeida. Membro da União Picoense de Escritores. Poeta popular. Tem trabalhos publicados no jornal “Diário do Povo” e na Revista “De Repente”. Bibliografia: “Memórias Poéticas” (2004), opúsculo de poemas. É co-autor de um livreto de cordel escrito em parceria com Zé da Mutuca, outro poeta popular de Francisco Santos.

CRISTIANO, Ítalo (Ítalo Cristiano Silva e Souza) – n. 12-12-1979 – Teresina (PI). Filho de Renato Silva e Souza e Maria José de Souza. Poeta e ativista cultural. Cursou História, na Universidade Estadual do Piauí. Especializou-se em História do Brasil, pela Universidade Federal do Piauí. Durante a graduação, fez vários jornais alternativos que fazia circular trimestralmente. Um deles: “Mundo Subterrâneo” tinha duas páginas e uma tiragem de duzentos exemplares. Escrevia também fanzines, com poesias mais agressivas e eróticas. É admirador de Maiakovski e Nietzsche. Bibliografia: “Sanatório Geral” (2006), poemas.

CRISTINO, Cícero (Cícero Cristino de Oliveira Neto) – n. 27-11-1966 - Amarante (PI). Filho de Luís Cristino de Oliveira e Maria Teles de Melo Oliveira. Poeta, contista e pesquisador incansável de assuntos históricos-literários. Radicado em São Pedro do Piauí. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. É Verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Participou da “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999), de Adrião Neto.

CRONEMBERGER, José – n. 20-11-1926 - Simplício Mendes (PI). Filho de Sebastião Cronemberger e Isabel de Santana Cronemberger. Político, poeta e cronista. Foi adotado pela hospitaleira e sua idolatrada cidade de São João do Piauí, onde exerceu dois mandatos de vice-prefeito (1954 a 1958 e 1970 a 1972). Participou da coletânea “Valores Literários do Brasil”, volume X (1989) e da “Antologia de Poetas e Escritores do Brasil”, volume XIX, (1990), ambas patrocinadas pela Revista e Editora Brasília.

CRUZ, Antônio Francisco dos Santos – n. 29-12-1961 - Teresina (PI). Padre e poeta. Ordenado em 1986. Graduado em Filosofia. Cursou Teologia na Universidade Gregoriana de Roma. Trabalhou na Paróquia de Fátima, em Teresina. Foi pároco em Valença, Elesbão Veloso e, atualmente, em Água Branca. Bibliografia: “Extases” (1994), poemas.

CRUZ, Eurico Torres – Filho de Joaquim Antônio da Cruz e Francisca Adelaide Braga Torres da Cruz. Graduado em Direito. Foi Juiz de Direito no antigo Distrito Federal. Em 1911, contraiu matrimônio, no Rio de Janeiro, com sua prima Martha Washington Cavalcante Cruz, filha de Domingos Olímpio Braga Cavalcante, autor de “Luzia Homem”. Bibliografia: “Apontamentos Genealógicos de D. Francisco da Cunha Castelo Branco - Seus Ascendentes e Descendentes” (1926), escrito em parceria com Antônio Leôncio Pereira Ferraz, Raul Fausto Castelo Branco Barreto, Estevão Gonçalves Castelo Branco, Mário Castelo Branco Barreto, Antônio Borges Leal Castelo Branco e Luís Novaes Castelo Branco.

CRUZ, José Carlos de Santana – n. 21-01-1947 - Campo Maior (PI). Poeta, músico, teatrólogo, romancista, contista, ensaísta e compositor. Economiário. Ganhou o prêmio de redação sobre a Barragem de Boa Esperança, prêmio de teatro sobre “Passado, Presente e Futuro de Teresina” e vários outros. Tem várias peças encenadas no Piauí e em outros Estados. Bibliografia: “Folhas ao Vento” (1972); “Estudo Crítico sobre Fenelon Castelo Branco” (1975), em parceria com Margarida Leite; “O Moleque das Cacimbas”; “Telhas Caídas”; “Macô” e várias peças teatrais.

CRUZ, Maria Auxiliadora Pereira da – Mestra em Administração, pela Universidade Federal da Paraíba. Especialista em Ensino Superior, pela Universidade Estadual do Piauí. Licenciada em Pedagogia / Magistério pela UESPI. Professora do Centro de Ensino Unificado de Teresina e da Faculdade Santo Agostinho. Consultora em Recursos Humanos. Membro da Equipe do Programa de Qualidade da Prefeitura Municipal de Teresina. Co-autor da coletânea “Perspectiva Organizacional – Uma Abordagem Humanística e Mercadológica” (2004).

CRUZ NETO, Joaquim Antônio da – n. 05-04-1957 - Teresina (PI). Poeta, letrista, músico e compositor. Formado em Economia, pela Universidade Federal do Piauí. Participou de vários festivais, com a música “Canção do Fogo”, em parceria com Geraldo Brito. Foi classificado, em 1º lugar, no II Festival Universitário da Canção Piauiense, realizado em 1974. Com a música “Um Violeiro, uma Viola e um Luar”, classificou-se na eliminatória piauiense do Canta Nordeste e ficou em 2º lugar na final do mesmo festival, realizado em Recife (PE), em 1994. Realizou diversos shows, inclusive nos Estados Unidos. Tem várias músicas gravadas. Bibliografia: “Gaiola Quebrada” (1980), poemas, em parceria com Susane Jales.

CRUZ NETO, Raimundo Saldanha – Veja: SALDANHA, Raimundo

CUNHA, Ailda Rodrigues Rios – Poetisa e declamadora. Florianense de coração nasceu em 1930. Fez o curso de Regente de Ensino Primário, na Escola Normal Regional de Floriano. Exerceu o magistério por mais de vinte anos. Servidora aposentadan do então Instituto Nacional da Previdência Social, onde exerceu cargo de chefia. Participou da “Pequena Antologia Poética de Floriano” (1998), organizada por Lourdinha Lopes.

CUNHA, Alarico José da – n. 31-12-1883 - Timon (MA), f. 22-09-1965 - Rio (RJ). Poeta, jornalista, folclorista e sociólogo. Maçom, espírita e esotérico. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras, à Academia Maranhense de Letras e à Associação Piauiense de Imprensa. Residiu em Parnaíba, onde foi vice-cônsul de Portugal. Presidente de honra da Associação Parnaibana de Letras. Bibliografia: “Nostalgia no Céu”; “Cinema Falado”; “Oração Fúnebre”; “Ode à Mendiga”; “Exaltação à Beleza” e “Panegírico de um Justo”. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972) e na coletânea “Os Mais Lindos Sonetos Piauienses” (1940), ambas organizadas por Félix Aires.

CUNHA, Benedito Benu da – Veja: DESPIDO, B.

CUNHA, Deuzilane Sousa – n. 12-11-1977 - União (PI). Poetisa e artesã. Concluiu, simultaneamente, o Científico, no Colégio Pinheiro Machado e Enfermagem, no Colégio Decisão. É membro da União dos Escritores do Itararé – UEI. Participou da “Antologia Urbana” (2000), poemas, editada pela UEI.

CUNHA, Edison da Paz – n. 15-12-1891 - Teresina (PI), f. 1973 - Parnaíba (PI). Filho de Higino Cunha e Corina da Paz Cunha. Poeta, jornalista e professor. Formado em Direito. Foi promotor público e diretor da Imprensa Oficial do Estado do Piauí. Oficial de Gabinete do Governador Eurípedes de Aguiar. Foi um dos fundadores da Academia Piauiense de Letras. Fundou e dirigiu a Sociedade Parnaibana de Expansão Cultural. É patrono de uma das Cadeiras da Academia Parnaibana de Letras. Colaborou no Almanaque da Parnaíba, na revista da Academia Piauiense de Letras e em vários jornais do Piauí. Bibliografia: “Razões Finais”, co-autoria (1941); “Correspondência Para Você” (1943) e “Vozes Imortais” (1945). Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

CUNHA, Fred Pinheiro Dias da – Veja: PINHEIRO, Fred

CUNHA, Higino Cícero da – n. 11-01-1858 - Timon (MA), f. l6-11-1943 - Teresina (PI). Magistrado, professor, historiador e jornalista. Participou da Junta de Governo do Piauí. Professor da antiga Faculdade de Direito do Piauí. Juiz Municipal. Procurador dos Feitos da Fazenda Estadual. Chefe de Polícia do Estado, por duas vezes. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico Piauiense. Presidiu a Academia Piauiense de Letras, por dois períodos. Colaborou com quase todos os jornais de sua época. Bibliografia: “Pró Veritate, Polêmica Literária” (1883); “O Idealismo Filosófico e o Ideal Artístico”; “História das Religiões no Piauí”; “A Igreja Católica e a Nova Constituição da República”; “Os Revolucionários do Sul do Brasil” (1926); “A Igreja e a Constituição de 1924” e “Memórias Autobiográficas”. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972) e na coletânea “Os Mais Lindos Sonetos Piauienses” (1940), ambas organizadas por Félix Aires. Comentário: Escreveu causas profundas com aquela clareza diáfana de Medeiros de Albuquerque, esteve a par de todos os fenômenos políticos e sociais e das agitações literárias e artísticas do seu tempo. (Mário Martins, citado no “Dicionário Histórico-Biográfico Piauiense”, 1993).

CUNHA, Jehosua Avelino da – n. 1919 - Parnaíba (PI). Jornalista e escritora. Formada em Economia. Presidiu o Country Club de Goiás. Pertence à Associação Goiana de Imprensa, ao Conselho Regional de Economia e a outras entidades culturais e de classe. É verbete dos livros “Estudos Literáios de Autores Goianos”, “Escritores de Goiás” e “Dicionário Biobiblográfico de Goiás” (1999), todos de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: “O Country Club, Sua Gente, Sua Magia”.

CUNHA, José Melo – n. 20-12-1946 - União (PI). Filho de Nilo Vaz da Cunha e Raimunda Bezerra de Melo. Romancista. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: “A Emboscada de um Herói Indefeso” (1998), romance.

CUNHA, Leopoldo da Paz – n. 09-08-1893 - Teresina (PI), f. 1940 - Rio (RJ). Poeta, jornalista e professor. Formado em Direito. Foi diretor da Imprensa Oficial e Secretário do Conselho Fiscal do Instituto dos Industriários. Lecionou Português no Liceu Piauiense e na Escola Normal de Teresina. Participou da “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto “Ânsia de Ser Feliz”. Colaborou com os jornais de sua época, onde publicou vários poemas.

CUNHA, Marlene de Oliveira Vaz – n. 20-04-1957 - Nossa Senhora dos Remédios (PI). Poetisa e teatróloga. Licenciada em Letras, pela Universidade Federal do Piauí. Professora da rede estadual de ensino. Sócia da UBE/PI. Em 1989, com o poema “Natal”, venceu o concurso “Poema de Natal”, promovido pelo Projeto Petrônio Portela. Dedica-se ao ensino de literatura infantil. Implantou o projeto Cultuarte, na escola Edgar Tito. Dinamizou o projeto Proleitura, no Instituto de Educação Antonino Freire. Bibliografia: “Meus Cantos Primeiros” (1988), opúsculo de poemas. Participou de “Poesia Teresinense Hoje” (1988). Escreve textos teatrais de cunho religioso.

CUNHA, Paulo José – n. 25-02-1951 - Rio (RJ). Publicitário, poeta, jornalista, radialista e telenoticiarista. Descendente de família piauiense. Residiu, estudou e desenvolveu atividades literárias e culturais no Piauí. Cinegrafista amador. Foi classificado no Festival de Vídeo de Teresina, promovido pela Fundação Cultural Mons. Chaves. Repórter da TV Globo, em Brasília, onde apresentou o “Bom Dia Brasília”. Bibliografia: “A Noite das Reformas”, reportagem; “O Salto Sem Trapézio”, poemas e “Grande Enciclopédia Internacional de Piauiês”. Foi incluído no livro “Crônicas de Sempre” (1995), de Adrião Neto e na coletânea “Baião de Todos” (1996), organizado por Cineas Santos.

CUNHA, Reinaldo Montalvão – n. 31-07-1943 - Mercês (MG). Filho de Francisco de Paula Cunha e Ana de Moraes Cunha. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Trabalha na Universidade Federal do Piauí, em Teresina. Bibliografia: “A Condição Humana”; “Entre o Passado e o Futuro”; “As Etapas do Pensamento Sociológico”; “Teorias de Educação do Iluminismo”; “Educação e Dependência” ; “A Teoria das Formas de Governo”; “Estado e Teoria Política” e outros.

CUNHA, Socorro – Poetisa. Bibliografia: “Momentos Sem Rimas” (1981), publicado em Teresina. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação da própria autora e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

CUNHA, Zilma Martins da – 14-11-1929-Floriano (PI). Filha de Raimundo José de Araújo Costa e Adelaide Mendes da Rocha. Formada em Odontologia, pela Universidade Federal do Maranhão. Radicada em Corrente, Piauí. Membro da Academia de Letras e Belas Artes de Floriano e Vale do Parnaíba. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico Regional do Brasil” (2002 / 2003), de Mário Ribeiro Martins, publicado na Internet. Bibliografia: “Folhas Soltas” (2003), poesias e “Tempo de Escrever” (2006), poemas. Participou da “Crestomatia Poética Sul-Piauiense”, organizada por Cândido Guerra e da “Pequena Antologia Poética de Floriano”, organizada por Lourdinha Lopes.

CUNHA NETO, José – n. 02-06-1924 - Campo Maior (PI). Político, poeta, cordelista, comerciante e radialista. Estudou em Belém do Pará. É funcionário público aposentado. Começou a escrever cordel em 1944. Sócio da Ordem Brasileira dos Poetas de Literatura de Cordel, da Academia dos Poetas de Uruguaiana-RS, da Federação Brasileira dos Poetas de Literatura de Cordel e da Academia de Letras de Campo Maior. Elegeu-se vereador de Campo Maior por dois pleitos, sendo secretário e, depois, presidente da Câmara Municipal. Bibliografia: “Amigos de Campo Maior”; “Nossa Terra Nossa Gente” (1994). Tem mais de cem folhetos de cordel.

CURY, Maria de Lourdes – Cronista. Filha de Moisés Cury e Inocência Barros Cury. Autora do livro de crônicas “Recadinhos para Você”, editado em 1996, com o prefácio do padre Raimundo José. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação da própria autora e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui