Usina de Letras
Usina de Letras
Usina de Letras
121 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

Artigos ( 53299 )
Cartas ( 21472)
Contos (12814)
Cordel (9274)
Crônicas (20506)
Discursos (3151)
Ensaios - (10291)
Erótico (21361)
Frases (43690)
Humor (22040)
Infantil (4558)
Infanto Juvenil (3268)
Letras de Música (5689)
Peça de Teatro (1373)
Poesias (139482)
Redação (2961)
Roteiro de Filme ou Novela (1092)
Teses / Monologos (2637)
Textos Jurídicos (2134)
Textos Religiosos/Sermões (4048)




= SERVIÇOS =
Patrocine um Autor
Vitrine
Copia CD
Facilidades para o QA
Nossa Proposta
Fale Conosco
Nota Legal
 




 
Busca | Placar | Assine/Renove | Quadro de Avisos: 1 2 | Ajuda | Autores | Central do Autor | Contato | Logoff
Serviços: Patrocine um Autor ou Texto | Vitrine | Cópia de seus Textos | | Publique seu E-BOOK|

Receba um aviso sempre que este autor publicar novos textos, clique aqui
Ensaios-->DICIONÁRIO BIOG. VIRTUAL DE ESCRITORES PIAUIENSES - M a N -- 28/03/2004 - 19:15 (Adrião Neto)
Este Autor não concorda com o uso de seus textos sem autorização prévia
Patrocine esse Autor Patrocine esse Texto envie este texto para um amigoveja outros textos deste autor

DICIONÁRIO BIOGRÁFICO VIRTUAL DE ESCRITORES PIAUIENSES

PARTE V – LETRAS M a N


AVISO AOS NAVEGANTES



Gratificado com o sucesso do DICIONÁRIO BIOGRÁFICO ESCRITORES PIAUIENSES DE TODOS OS TEMPOS (duas edições: 1993 e 1995) e do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO DE ESCRITORES BRASILEIROS CONTEMPORÂNEOS (duas edições: 1998 e 1999), que nos deram reconhecimento e notoriedade, em nível local e nacional, apresentamos, aos internautas, o DICIONÁRIO BIOGRÁFICO VIRTUAL DE ESCRITORES PIAUIENSES, a ser editado com o título de GRANDE DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO DE ESCRITORES PIAUIENSES.

Este novo DICIONÁRIO é como se fosse a continuação do DICIONÁRIO BIOGRÁFICO ESCRITORES PIAUIENSES DE TODOS OS TEMPOS e como tal, tem como principal objetivo fazer uma catalogação geral dos nossos escritores, mas não é fácil. Muitos não colaboram, omitindo os seus dados nas suas próprias obras, dificultando assim o trabalho dos biógrafos. E outros, ao serem solicitados para fornecerem os seus currículos, não atendem e quando, por culpa própria, não são incluídos na obra, como aconteceu nas edições anteriores do Dicionário Piauiense, ainda se acham no direito de reclamar.

No entanto, como o principal objetivo deste DICIONÁRIO é fazer a catalogação dos escritores piauienses do passado e do presente, esperamos contar com o apoio e a participação de todos, tanto na divulgação do trabalho, como no fornecimento de informações (próprias e de outras pessoas) para que a obra seja menos omissa e mais completa possível.

Em virtude de seu tamanho para utilização na INTERNET, o DICIONÁRIO foi subdividido em oito partes, conforme veremos a seguir.

As sugestões, as retificações, as atualizações e os pedidos de inclusão de novos escritores devem ser encaminhados para ADRIÃO NETO – Rua Lucídio Freitas, 653, CEP.: 64.003-120 – Teresina, PI, ou adriaojneto@hotmail.com (Outros contatos: (0**86) 9986-0573 e 3213-1529).

Para encontrar os demais ESCRITORES incluídos neste DICIONÁRIO, acesse:
http://www.usinadeletras.com.br (Clic em Autores, Clic em Adrião Neto, Veja Ensaios, Clic em Dicionário Virtual...).

ADRIÃO NETO – Dicionarista biográfico, historiador, antologista, poeta e romancista. Autor de várias obras, destacando-se “Dicionário Biográfico Escritores Piauienses de Todos os Tempos” (1993 e 1995), “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998 e 1999), “Literatura Piauiense para Estudantes” (dez edições); “Geografia e História do Piauí para Estudantes – da Pré-História à Atualidade’’ (várias edições) e “A Epopéia do Jenipapo” (2005 e 2006). Além dessas importantes obras Adrião Neto também é o autor da idéia da inclusão da data histórica da Batalha do Jenipapo (13 de março de 1823) na Bandeira do Piauí – Sugestão devidamente viabilizada pela Assembléia Legislativa (Lei nº 5.507, de 17 de novembro de 2005, de iniciativa do Deputado Homero Castelo Branco).

Teresina, Piauí, Brasil, março de 2004.

(1ª atualização geral: abril de 2007)


M


MELO, J. – Poeta e servidor público. Presidiu a Associação dos Funcionários do Hospital Getúlio Vargas. Redigiu o jornal "A Jornada". Participou de uma antologia poética. Colaborou com a revista Madrigália. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

MELO, J. Regino P. – Autor do romance “Miraflores”, editado em 1999, por HM Editor, com o apoio da UFPI, APL e ALVAL. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

MELO, Janclerques Marinho de – n. 07-02-1958 - Floriano (PI). Filho de Antônio de Melo Sobrinho e Maria de Lourdes Batista de Melo. Poeta e cronista. Criou os jornais estudantis “A Crítica” e “O Povão”. Presidiu a Associação Florianense dos Estudantes secundaristas. Em 1980, juntamente com outros colaboradores, idealizou e realizou o I Festival de Música Popular Brasileira da Cidade de Floriano. É membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: Crônicas Flutuantes, Lendas e Ruas (1997) e outros.

MELO, João Evangelista de – Natual de Piripiri (PI). Escritor esotérico. Bibliografia: "A Humanidade é Assim" (1977), obra concebida e articulada por vozes inaudíveis, em que vibram um pensamento e um coração. Sutilmente apanhada pelo autor, que é espírita convicto. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

MELO, João Ferreira de – n. 22-01-1932 – Santa Cruz (PE). Formado em Direito. Advogado militante, casado com a promotora Dra Vilani Carvalho. Quando adolescente residiu numa pensão em Picos, PI, onde, com o apoio de um hóspede, o poeta Hermes Vieira, ingressou no curso ginasial e tomou gosto pelos estudos. Foi sargento do exército. Como militar foi contemplado com uma bolsa da OEA para estagiar na Costa Rica, onde aprendeu um pouco de espanhol. Bibliografia: “Autobiografia – Um Homem... Seu Destino... Suas Lembranças” (2008, 4º edição).

MELO, Jorge Francisco de Carvalho – n. 27-11-1948 - Piripiri (PI). Filho de Raimundo Borges de Melo e de Maria Hilda de Carvalho Melo. Músico, cantor, poeta e compositor. Foi diretor Musical da TV Ceará e da TV Tupi. Ganhou o primeiro lugar em Comunicação e como melhor intérprete do Festival Universitário de 72. Fez a trilha sonora da novela “João da Silva”, para a TV Educativa. Fez cinema, como ator, músico e diretor de coreografia do filme “A Noite do Espantalho”, de Sérgio Ricardo. Produziu dezenas de discos de grandes cantores da MPB. Dirigiu a parte musical de inúmeras peças de teatro. Fez a trilha musical de alguns filmes. Foi professor de três faculdades de Música e Artes: Instituto Musical de São Paulo (IMSP), Faculdade Paulista de Artes (FAP ARTES) e Instituto Mozarteun. Tem mais de cem músicas de sua autoria gravadas por grandes intérpretes da MPB. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Escreveu várias peças de teatro já montadas, assim como livros de poesia, de prosa e livretes de cordel. Participou da coletânea “Passarela de Escritores” (1997), org. por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

MELO, José Gerardo Ximenes de – n. 04-11-1950 - Santana do Acaraú (CE). Poeta e professor. Formado em Administração de Empresas e em Direito, ambos pela Universidade Federal do Piauí. Tem curso de Magistério. Professor da rede estadual de ensino, em Parnaíba. Bibliografia: "Quando a Vida Fere" (1980), participação. Tem poemas publicados no jornal Norte do Piauí.

MELO, Leônidas de Castro – n. 15-09-1897 - Barras (PI), f. 25-05-1981 - Teresina (PI). Filho de Regino Lopes de Melo e Maria Florença de Castro Melo. Médico, professor e político. Foi delegado do Serviço Industrial Pastoril, professor e diretor do Liceu Piauiense e da Escola Normal Oficial. Conselheiro Municipal de Teresina, deputado federal, senador da República, Governador e Interventor Federal do Piauí. Foi ainda conselheiro e presidente do Tribunal de Contas do Estado e Conselheiro Superior da Caixa Econômica Federal. É patrono de uma das Cadeiras da Academia de Letras do Vale do Longá. Bibliografia: "Da Geração Espontânea" e "Trechos do Meu Caminho" (1976), memórias.

MELO, Lourdinha (Maria de Lourdes Mello) – n. 30-04-1951 - Campo Maior (PI). Filha de Cícero Idelfonso Rodrigues e Maria José de Sousa Rodrigues. Formada em Letras (Português) e em Estudos Sociais, pela Universidade Federal do Ceará. Professora e escritora. Contadora de estórias. Há 16 anos desenvolve o projeto “Era uma vez”!...”, de sua autoria, no Teatro do Boi, na zona Norte de Teresina. É professora da rede pública municipal de ensino de Teresina e da Universidade Estadual do Piauí. Bibliografia: “Ave! Árvore” (1999), infanto-juvenil e “Os Sonhos do Cabeça-de-Cuia”, a ser editado.

MELO, Luís Carlos Carvalho de – n. 03-03-1961 - São Paulo (SP). Filho de João Ferreira de Melo e Maria Vilani Carvalho de Melo. Poeta e cronista. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Tem trabalhos publicados em jornais alternativos. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adirão Neto. Bibliografia: “Fragmentos da Terra e da Mente” (1981) e “O Conhecimento” (1981). Foi incluído na “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999), de Adrião Neto.

MELO, Marcos Luiz de Rezende – Poeta, jornalista e radialista piripiriense. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Ceará. Tem Especialização em Teoria da Comunicação e da Imagem. Fez Mestrado na área de Comunicação e Sociedade. Trabalhou na TV Verdes Mares, onde foi editor de telejornal e apresentador de noticiário. Integrou a equipe de lançamento do jornal Diário do Nordeste. Foi assessor da Secretaria de Planejamento do Estado do Ceará e Diretor de Relações Públicas da Companhia Cearense de Mineração. Bibliografia: “Era uma Vez... no Reino”; “Prisma de Estrelas” (1977) e “Intimação da Vida” (1981).

MELO, Matias Olímpio de – n. 15-09-1882 - Barras (PI), f. 28-06-1967 -Teresina (PI). Filho de José Olímpio de Melo e Inácia Olímpio de Melo. Escritor, jornalista, político, magistrado e professor. Formado em Direito. Foi administrador dos Correios e Telégrafos, no Piauí, Promotor Público, Juiz Federal no Acre, Piauí e Bahia. Foi Governador do Piauí e senador da República. Presidiu a Academia Piauiense de Letras. É patrono da Cadeira l3 da Academia de Letras do Vale do Longá. Bibliografia: "Um Piauiense Notável" (1914); "Falando e Escrevendo"; "Rumos e Atitudes" (1956); "Ensaios, Discursos e Conferências" (1959); "A Incursão dos Rebeldes no Piauí: Subsídios e Documentos Para a História" e "Ensaios". Foi incluído na coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), de Adrião Neto.

MELO, Maria do Carmo – n. 14-07-1944 – Piracuruca (PI), f. 21-03-1990 – Piripiri (PI). Filha de Aureliano José de Melo e Raimunda Mendes Melo (Donzinha). Cursou o Pedagógico no Patronato Santa Catarina Labouré (Colégio das Irmãs). Lecionou na Unidade Escolar Cota Sampaio e no Colégio das Irmãs. Fundou as escolas: “Frei Francisco” e “Roda Viva”. Bibliografia: “No Mundo do Sonho” e “Respingos na Caminhada”. Participou da antologia “Poetas de Piripiri” (2008), organizada por Cléa Rezende Neves de Melo e Eliane da Silva César.

MELO, Jorge Washington Almeida Sousa Cavalcante de – n. 06-03-1961 - Brasília (DF). Filho de Maria Luiza Almeida Sousa e Natalino Cavalcante de Melo. Residiu no Rio de Janeiro. Poeta e professor da rede pública estadual de ensino. Tem o curso de Licenciatura Plena em Geografia (UFPI). Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Detém medalha de honra ao mérito da Revista Brasília (DF/1990). Logrou o 1º lugar no Concurso de Redação do SESC/PI, com o tema “O Comércio e a Sociedade”. Participou de várias coletâneas, entre elas as “Antologias de Poetas e Escritores do Brasil” (DF - 90, 91, 92) e das antologias da Shogun (RJ). Escreveu o livro de poemas “Diversos no Caderno”.

MELO, Osíris Neves de – n. 26-01-1905 - Teresina (PI), f. 24-03-1964 - Piripiri (PI). Filho de Lino de Moraes Melo e de Benedita Neves de Melo. Poeta, jornalista, cronista e político. Sócio fundador do Cenáculo Piauiense de Letras. Fez parte da diretoria e da comissão de redação de A Revista, órgão de divulgação cultural daquele sodalício. Escreveu para o jornal "O Lábaro" e para outros. Está presente no livro “Cenáculo Piauiense de Letras” (1997), de Cléa Rezende Neves de Melo. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires. Seus principais poemas foram editados por Cléa Resende Neves de Melo no livro "Osíris Neves de Melo - Eco de Momentos Vividos" (1992).

MELO, Otaviano Augusto Soriano de – n. 24-12-1889 - Barras (PI), f. 28-06-1947 - Tefé (AM). Poeta, contista, gramático e dicionarista. Residiu na Amazônia, onde se tornou um estudioso da Tupinologia. Bibliografia: "Acrósticos Amazônicos"; "Longo Tédio"; "Marupiara"; "Terra Cunhã"; "Topônimos Amazonenses" e o "Dicionário Português-Tupi e Tupi-Português". Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses, de Félix Aires (1972), com "A Viuvez do Pombo".

MELO, Otávio de Castro – n. 11-12-1889 - Barras (PI), f. 21-06-1969 - Teresina (PI). Poeta e orador. "Vivo, inteligente e espirituoso". Foi fiscal do Imposto de Consumo. Participou da "Antologia de Sonetos Piauienses, de Félix Aires (1972), com o soneto "Despedida". Publicou vários poemas na imprensa de Teresina.

MELO, Raimundo de Brito – n. 23-10-1904 - Piracuruca (PI), f. 06-12-1961 - Teresina (PI). Poeta e professor. Bacharel em Direito. Foi Procurador dos Feitos da Fazenda Estadual, chefe de gabinete civil do governo e diretor da Imprensa Oficial. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto "O Mar e o Búzio".

MELO JÚNIOR, Matias Quaresma de – n. 20-12-1955 - Batalha (PI). Poeta e chargista. Eletrotécnico e projetista de eletricidade. Agropecuarista. Bibliografia: "Pequenos Poemas Latidos" (1979) e "A Paz Mora no Coração do Poeta" (prêmio Lagoa do Baeté). Participou da coletânea “Valores Literários do Brasil” (1986). Tem inéditos: "Viagem Imaginária ao Reino das Sete Cidades" e "Medra Poesia Medra".

MELO SOBRINHO, João Suassuna de – Veja: SUASSUNA, João

MEMÓRIA, Frei Antônio Kerginaldo Furtado da Costa – Frade franciscano. Bibliografia: "Uma Figura Singular de Missionário no Nordeste Brasileiro" (1989), livro que retrata a vida e a obra do Frei Heliodoro Maria de Inzago. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

MENDES, Algemira de Macedo – n. 11-01-1963 – Ipiranga do Piauí (PI). Filha de Joaquim Mendes Pereira e Francisca de Macedo Fontes. Formado em Letras, pela Universidade Estadual do Piauí. Mestre em Letras, pela UFPE. Professora assistente de Literatura Brasileira e Teoria Literária da Universidade Estadual do Piauí - UESPI, tendo sido nessa instituição coordenadora do curso de Letras/Português e do curso de Letras/Espanhol , e da pós-graduação lato sensu em Estudos Literários. É também professora assistente da Universidade Estadual do Maranhão. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras da PUCRS, desenvolvendo pesquisa na área de literatura feminina. Participou de vários congressos científicos onde apresentou trabalhos ora como painelista ora como comunicadora. Bibliografia: “A Imagem da Mulher na Obra de Amélia Beviláqua” (2005). Possui vários trabalhos publicados em revistas e anais, dentre os quais: “A Carnavalização em Macunaíma”, Revista da UESPI, 1ª edição, 1996; “O Mito do Déficit Lingüístico”, Anais da 46ª SBPC, junho de 1995; “ As Marcas da Submissão em Através da Vida de Amélia Beviláqua”, Anais COLE/2003. Participou da “Antologia de Escritoras Piauienses (Século XIX à Contemporaneidade)”, 2009, organizada por Algemira de Macedo Mendes, Marleide Lins de Albuquerque e Olívia Candeira Lima Rocha.

MENDES, Anchieta (José de Anchieta Mendes de Oliveira) – n. 04-10-1931 - Simplício Mendes (PI). Filho de Joaquim Mendes de Oliveira e de Izabel Elisa de Oliveira. Magistrado, advogado, professor universitário, jornalista, ambientalista, poeta e musicista. Exerceu o cargo de juiz de direito em várias comarcas do Piauí, inclusive em Parnaíba, onde fundou, com outros intelectuais, a Academia Parnaibana de Letras, da qual foi presidente. Pertence, ainda, à União Brasileira de Escritores do Piauí, à Academia de Letras e Belas Artes de Floriano. Exerceu importantes cargos públicos, destacando-se: Membro do Conselho de Administração do Banco do Nordeste; Secretário Adjunto de Trabalho e Ação Social; Secretário Adjunto de Justiça e de Cidadania e de Delegado do Patrimônio da União no Estado do Piauí. Foi um dos fundadores do Instituto Histórico de Parnaíba e da Associação de Letras e Artes de Simplício Mendes. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: “Louvando a Vida”; “Pedaços de Mim”. Uma Série de artigos editados: – Missão Social da Igreja” (O Dominical, 1995/96); “Pobreza - um tema rico” (O Dominical); “Lições Caboclas” (O Farol, de Petrolina, PE); “A Igreja e a Família” (O Dia); “Direito Ambiental”(O Dia). Além de outros trabalhos técnicos, publicou a monografia “Crime e Criminalidade” (SESI/PI), “Aspectos da Família”, mimeografado e “Arquivo do Coração”, poesias.

MENDES, Antônio Gentil de Sousa – n. 1824 - Oeiras (PI), f. 1892 - Oeiras (PI). Poeta, jornalista e político. Foi deputado provincial em várias legislaturas, administrador das Fazendas Nacionais do Departamento do Canindé, presidente da Intendência municipal de Teresina e Secretário de Estado do Governo, no regime republicano. Redigiu o jornal "A Pátria". Publicou trabalhos literários nos jornais da época. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires.

MENDES, Arquelau de Sousa – n. 1872 - Teresina (PI), f. 1904 - Teresina (PI). Bacharel em Direito. Poeta, contista, professor, orador e jornalista. Foi Conselheiro Municipal e juiz do Tribunal de Contas do Estado. Publicou os contos: "Suprema Lição"; "O Natal"; "Fatal Intimação" e outros.

MENDES, Euvaldo Bacelar – Maranhense da região de Chapadinha. Poeta e escritor. Residiu, estudou e trabalhou em Parnaíba, onde iniciou suas atividades literárias. Foi um dos fundadores e primeiro presidente do Grêmio Literário "Coelho Neto". Participou da "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto "Emigrante". Tem um livro publicado. Colaborou no Almanaque da Parnaíba.

MENDES, Fátima Miranda – n. 15-03-1965 – Carapicuíba (SP). Escritora radicada na região de Picos. Estudou Direito. Militou na imprensa. Sócia da União Picoense de Escritores. Participou da “Antologia Upeana I” (2005), editada pela União Picoense de Escritores.

MENDES, Felipe (Felipe Mendes de Oliveira) – n. 19-04-1949 - Simplício Mendes (PI). Filho de Joaquim Mendes de Oliveira e Isabel Elisa de Oliveira. Político e professor. Bacharel em Ciências Econômicas, pela Universidade Federal do Ceará. Fez Curso de Especialização para Pequena e Média Empresa, promovido pela Sudene. Professor da Universidade Federal do Piauí. Foi Secretário de Fazenda, de Planejamento e Secretário Extraordinário de Projetos Especiais do Governo do Piauí. Exerceu ainda os cargos de assessor de desenvolvimento social e infra-estrutura da Sudene e foi membro do Conselho Nacional de Política Fazendária. Presidiu a Companhia de Desenvolvimento do Piauí. Foi Deputado Federal Constituinte e por dois outros mandatos. Exerceu também o mandato de Vice-Governador do Estado do Piauí, durante o curto período do último mandato de Hugo Napoleão. Em julho de 2005, deixou uma importante assessoria na Prefeitura Municipal de Teresina para assumir a Secretaria Executiva do Ministério das Cidades. Bibliografia: “A Indústria de Couros e Peles no Nordeste: Perspectivas de Desenvolvimento até 1980” (1971); “A Implantação dos Sistemas de Conta Única e Programação Financeira no Estado do Piauí” (1979), “As Ações Políticas Para o Desenvolvimento” e “Economia e Desenvolvimento do Piauí” (2004). Com o texto “Formação Econômica do Piauí”, participou da coletânea “Piauí – Formação, Desenvolvimento, Perspectivas” (1995), organizada pelo professor R. N. Monteiro de Santana.

MENDES, Fernando José de Holanda – n. 13-06-1952 - Parnaíba (PI). Músico, compositor e poeta. Formado em Economia, pela Universidade Federal do Piauí. Exerceu o cargo de Secretário de Cultura da Prefeitura de Parnaíba. Participou do CD "Teresina", bem como, de vários festivais e do Projeto Pixinguinha. Ganhou o 1º lugar no concurso de poesias e crônicas promovido pelo Diretório Acadêmico "3 de Março".

MENDES, Francisco Iwelteman Vasconcelos – n. 16-01-1965 - Sobral (CE). Filho de Francisco Itamar Mendes Sousa e Gerarda Vasconcelos Mendes. Professor, pesquisador, historiador e poeta. Cursou Licenciatura Plena em Estudos Sociais e em História. Fez pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior, pela Universidade Federal do Ceará. Professor da Universidade Federal do Piauí - Campus Reis Veloso, em Parnaíba. Exerceu o cargo de Secretário Municipal de Educação de Parnaíba. Presidiu a Academia Paranaibana de Letras. Vereador de Parnaíba, pelo Partido Progressista. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adirão Neto. Bibliografia: "Ubajara, uma História, uma Herança" (1982); "Idéias Íntimas" (1986), poemas; "Anuário Sobralense" (1990); "Anuário Parnaibano" (1992, 1993 e 1994); "Anos Trinta - Síntese da História Política (Ceará)" (1993); "Associação Comercial de Parnaíba - Lutas e Conquistas" (1994). Inéditos: "Parnaíba em Estudos Sociais" (didático); "Mulheres e Paixões", poemas e “Parnaíba: Educação e Sociedade - da Colonização à Primeira República” (2001).

MENDES, João (João Mendes da Silva Filho) – n. 19-12-1955 - Teresina (PI). Poeta, músico e artista plástico. Foi um dos fundadores do Sindicato dos Músicos Profissionais do Piauí. Seus trabalhos estão expostos em igrejas do Piauí, da França e da Itália. É membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: “Clonagem do Amor” (s/d).

 

MENDES, José (José Mendes de Sousa Moura) – n. 31-03-1953 - Simplício Mendes (PI). Filho de João de Sousa Moura e Elisa Mendes Moura. Engenheiro Civil, formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Construtor, historiador e cronista. Trabalhou na Companhia de Instalações Industriais de Pernambuco. Lecionou Física na Escola Normal Presidente Castelo Branco, em Oeiras. Engenheiro do Departamento de Estradas e Rodagens do Piauí, onde exerceu diversas funções, inclusive de Diretor das Divisões de Operações e de Estudos e Projetos e Diretor da Diretoria de Engenharia. Inscrito no CREA-PI, onde elegou-se: Conselheiro Suplente (1985-1987); Conselheiro Efetivo (2007-2009) e (2010-2012), tendo assumido diversos cargos no exercício desses mandatos, dentre os quais: Coordenador da Comissão de Ética Profissional (2007 e 2010); Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Civil (2008, 2009 e 2011); 1º Diretor Administrativo (2010), além de participar de diversas Comissões. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Foi um dos fundadores e primeiro presidente da Associação de Letras e Artes de Simplício Mendes. Colaborou com a Revista De Repente, escrevendo a página Painel Literário, publicada em várias edições. Bibliografia: “Simplício Mendes – História e Notáveis” (2001), história, ensaios biográficos e crônicas, e “A Paróquia de Simplício Mendes” (2004), opúsculo com ensaio histórico; “Isaías Coelho - O Esculápio do Sertão” (2006); “Dr. Florêncio Moura - O Médico e o Cidadão” (2009) e “Visão Histórica do Crea-PI - Aspectos da Área Tecnológica no Piauí”.Participou da “Antologia Escritores III” (2003), organizada por Tomaz Gomes Campelo.

MENDES, Josué de Sousa – n. 13-07-1963 - Pimenteiras (PI). Professor universitário, editor e revisor. Formado em Letras. Fez Mestrado em Literatura Brasileira. Reside em Brasília desde o início dos anos 80, onde estudou e trabalha. Bibliografia: “Introdução à Estética Parnasiana” (1994), ensaio.

MENDES, Luís Silvino – n. 04-10-1929 – Pedro II (PI). Filho de Simão Silvino de Sousa e Isabel Mendes de Freitas. Professor, escritor e poeta. Professor aposentado da rede estadual de ensino. Autor de vários cordéis, dente eles: “A História da Mentirinha” e “O Operário Padrão”. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

MENDES, Luís – n. 11-12-1957 - Ipiranga do Piauí (PI). Professor, poeta, teólogo e historiador. Formado em Teologia. Foi pastor em Teresina, onde cursou História. Bibliografia: "Lisarb - um misto de amor e angústia" (1988), poemas; "Os Seus Que Dizem Quem Sou", plaquete. Participou de uma antologia publicada pela Shogun e de outra publicada pela Crisális Editora.

MENDES, Maria Dalva de Santana – n. 22-03-1938 - Teresina (PI). Professora universitária, artista plástica e poetisa. Licenciada em História. Tem especialização em Educação. Professora de Artes Industriais e Desenho, da Universidade Federal do Piauí. Atualmente (2005) é professora do Instituto Camilo Filho. Bibliografia: "Pedaços Diversos" (1984).

MENDES, Maria das Graças de Castro (Dicó) – n. , 23-05-1948 – Fazenda Jenpapeiro, Pedro II (PI). Filha de Francisco Potiguara Brandão Mendes e Maria Jurandi Machado Mendes. Poetisa. Filha adotiva de Piripiri, a Terra das Buganvílias e Madressilvas. Concluiu o antigo curso pedagógico no Patronato São José de Piripiri (PI). Bibliografia: "Marcas e Retalhos", " Reflexos" e "Espelhos", todos poemas.

MENDES, Noé (Noé Mendes de Oliveira) – n. 17-01-1940 - Simplício Mendes (PI), f. 21-10-1990 - Teresina (PI). Filho de Joaquim Mendes de Oliveira e de Izabel Elisa de Oliveira. Professor, político e folclorista. Licenciado em Filosofia e em Teologia, pela Universidade Gregoriana de Roma. Formou-se em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Fez Mestrado em Antropologia Cultural, pela Universidade Federal de Pernambuco; Especializou-se em Antropologia Pré-Histórica (UFPI / Missão Francesa). Foi vereador de Teresina, presidente da Fundação Cultural Mons. Chaves e da Casa Anísio Brito. Era professor da Universidade Federal do Piauí-UFPI. Pertenceu à UBE/PI. Em sua homenagem, a FUFPI criou o Espaço Cultural Prof. Noé Mendes, com uma estrutura física de 9.000 m² e infra-estrutura capaz de absorver várias atividades ao mesmo tempo. Bibliografia: "Folclore Piauiense" e "Folclore Brasileiro: Piauí", edição MEC/Funart e reeditado em 1999, pela Fundação Cultural Mons. Chaves, com notas de atualização de Frederico Mendes e “Arte Rupestre do Piauí”.

MENDES, Sílvio (Sílvio Mendes de Oliveira) – 22-12-1923 - Paulistana (PI). Aos três meses de idade passou a residir em Simplício Mendes, razão pela qual a considera como a sua terra natal. Filho de Joaquim Mendes de Oliveira e Isabel Elisa de Oliveira. Técnico em Contabilidade. Trabalhou na firma Marc Jacob S/A, onde exerceu os cargos de Subgerente, Gerente e Auxiliar da Diretoria. Trabalhou também na Indústria Mapil, na Cremaq e na Jotal. Depois, se estabeleceu como autônomo trabalhando por conta própria no seu escritório de Contabilidade. Associando-se com o irmão e com o empresário Firmino Silveira, fundaram a Prodapi – Indústria de fécula de mandioca. Bibliografia: “Revivendo os Meus Caminhos e outras Notas” (2002), biografias e outras notas.

MENDES, Simplício de Sousa – n. 21-04-1882 - União (PI), f. 02-01-1971 - Teresina (PI). Filho do coronel Antônio de Sousa Mendes. Magistrado, professor e jornalista. Formado em Direito. Foi Juiz de Direito. Pertenceu ao Tribunal Regional Eleitoral. Presidiu o Tribunal de Justiça do Piauí, o Conselho Estadual de Cultura e a Academia Piauiense de Letras. Foi um dos fundadores da Faculdade de Direito do Piauí. Chefe de Polícia. Deputado estadual. Foi diretor da Casa Anísio Brito e da Imprensa Oficial do Piauí. Bibliografia: "O Ideal Cristão" (1926); "Propriedade Territorial no Piauí" (1928) e "O Homem, a Sociedade, o Direito" (1934).

MENDES, Luiz Silvino – n. 04-10-1929 - Pedro II (PI). Filho de Simão Silvino de Sousa e Isabel Mendes de Freitas. Professor, escritor, orador e poeta. Bibliografia: “A História da Mentirinha” e “O Operário Padrão”, cordéis.

MENDES, Raimundo Fonseca – n. 23-07-1918 - São Luís (MA). f. 11-08-1996 - Parnaíba (PI). Poeta, jornalista, radialista e publicitário. Foi comerciário, redator e locutor da Rádio Educadora de Parnaíba. Fez parte da Associação Parnaibana de Letras, da Sociedade Parnaibana de Expansão Cultural e do Clube do Repórter de Parnaíba. Pertenceu à Academia Parnaibana de Letras. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires e no livro “Aspectos da Literatura Piauiense” (1993), de Alcenor Candeira Filho.

MENDES, Zózimo Tavares – Veja: TAVARES, Zózimo

MENDES JÚNIOR, Francisco das Chagas – Natural de Beneditinos, Piauí. Professor e comerciante. Estudou em sua terra natal e em outros centros culturais. Bibliografia: “O Mundo das Drogas”, editado em 2002, pela Gráfica de Universidade Federal do Piauí. Infelizmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e da sua atividade literária, a obra não traz informações biográficas.

MENDES SOBRINHO, Joaquim – Veja: JOAMES

MENDES SOBRINHO, José Augusto de Carvalho – n. 08-03-1957 - Teresina (PI). Filho de João Carvalho Mendes e Maria de Jesus Carvalho Mendes. Licenciado em Ciências / Física, pela Universidade Federal do Piauí. Doutor em Ensino de Ciências Naturais (Educação), pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Ciências e Tecnologia Nuclear, pela Universidade Federal de Pernambuco. Especialista em Ensino de Física, pela Universidade Estadual do Ceará. É professor do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPI. É membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Sócio efetivo da Sociedade Brasileira de Física e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Bibliografia: “Ensino de Ciência: Texto e Contexto” (1998), co-autoria; “O Ensino de Ciências Naturais na Escola Normal: Aspectos Históricos” (2002). Participou da coletânea “Educação: Saberes e Práticas” (Edufpi, 2002), organizado por Maria do Amparo Borges Ferro.

MENDONÇA, Honorata Minelvina Carneiro de – Veja: MINELVINA, Honorata

MENDONÇA, Maria Eugênia de Brito – n. 11-01-1929 - Paraníba (PI). Filha de Antônio Cajubá de Brito. Pedagoga, cronista e memorialista. Viveu sua infância e parte da adolescência em Lagoa do Camelo, município de Luís Correia. Casada com Rubem de Araújo Mendonça. Bibliografia: "O Despertar de Uma Saudade" (1994), memória. Participou da coletânea “Passarela de Escritores” (1997), organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho. Tem inúmeras crônicas publicadas em jornais e revistas. Atualmente reside em Brasília.

MENESES, Antônio Carlos – Maranhense da cidade de Buriti de Inácia Vaz. Poeta, contista e cronista. Estudou na Academia de Comércio do Piauí. Foi vice-presidente do Grêmio Literário "Da Costa e Silva". Serviu como sargento do 25 BC. Fez parte do corpo redacional dos jornais "Piauí Novo" e "O Dominical". Colaborou e redigiu a revista “A Voz do Estudante”. Publicou trabalhos literários na imprensa piauiense.

MENESES, José Aírton Saraiva de – n. 24-11-1958 - Parnaíba (PI). Poeta, construtor civil e design em arquitetura civil. Participou do livro "Nuvem".

MENESES, Murilo Pacheco – n. 03-06-1929 - São Raimundo Nonato (PI). Professor, político, cronista e orador. Formado em Filosofia Pura. Foi vereador em Uberaba, e professor universitário na região do Triângulo Mineiro. Publicou alguns trabalhos incluindo crônicas e artigos em jornais de Uberaba, Minas Gerais.

MENESES, Maria Luísa Mota – n. 30-07-1911 - Parnaíba (PI). Historiadora, biógrafa, poetisa e jornalista. Presidiu a Associação Dom Bosco, das ex-alunas do Colégio N. S. das Graças, em Parnaíba. Pertence à Academia Parnaibana de Letras, UBT/CE, à Academia de Letras Municipalistas do Brasil e à Associação dos Jornalistas do Ceará. Bibliografia: "José Francisco de Miranda Osório e seus Descendentes" (1980), genealogia; "Granja, Paracuru e Chaval" (1985), três trabalhos históricos e "Amélia de Freitas Beviláqua" (1982), biografia. Participou de "Ajebianas do Paraná e do Brasil" (1980) e "Parnaíba no Século XX" (1994) e dos livros "Mulheres do Brasil" (1986) e "Escritoras da Ajeb do Ceará" (1993).

MENESES, Quirino Cavalcante e – n. 1940 - Piripiri (PI). Filho de Tomaz de Sousa Meneses e Dalziza Cavalcante Meneses. Formado em Medicina, pela Universidade Federal de Pernambuco. Fez cursos de Ética Médica, Medicina de Urgência, Medicina e Cirurgia de Urgência, Atualização em Obstetrícia, Anestesia para Cirurgia Torácica, Radiologia do Abdômen, Metabolismo cirúrgico pré e pós-operatório, e outros. Participou de inúmeros encontros, jornadas, simpósios e congressos médicos, realizados em vários estados brasileiros, com apresentação de trabalhos científicos, dentre os quais: “Tumores”, em cooperação com os Drs. Geovani Cappellano, Erasmo Magalhães e Roberto Vilhena Moraes; “Tumores Testiculares na Infância”; “Nefroblastoma - conduta terapêutica”; “Cintilografia no Diagnóstico de Abcesso Hepático: apresentação de dois casos”; “Tumores Intratorácicos Simulando Afecção Pleuro-pulmonar Aguda” e “Condiloma Gigante de Buschko - Lowenstein”. Autor do capítulo “Urologia Nacional”, publicado no livro “Neonatologia Clínica e Cirúrgica”, escrito por Roberto de Vilhena Moraes e Drauzio Vargas. Tem vários trabalhos editados em publicações especializadas, dentre eles “Cintilografia no Diagnóstico do Abcesso Hepático na Criança”; “Dor Abdominal na Criança”; “Tumores Abdominais nas Crianças: avaliação pré-operatória”.

MENESES, Zoraide Mendes de – n. 23-07-1937 – Tabocas, município de Piripiri, atual Brasileira (PI). Filha de Gil de Sousa Menezes e Carmosina Mendes de Menezes. Enfermeira formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (RJ). Poetisa e cantora. Participou da antologia “Poetas de Piripiri” (2008), organizada por Cléa Rezende Neves de Melo e Eliane da Silva César.

MESQUITA, Antônia Alves de – n. 05-04-1967 - Beneditinos (PI). Filha de João Mariano de Mesquita e Dorotéa Alves de Mesquita. Professora e historiadora. Portadora do Diploma de Licenciatura Plena em Letras, pela Universidade Estadual do Piauí. Técnica em Contabilidade, pelo Colégio Estadual Paulo Ferraz. Tem Habilitação Profissional em Magistério, pela Escola Lirêda Facó. Professora da rede estadual de ensino e Secretária de Assuntos Municipais no Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Pública do Piauí. Bibliografia: “Beneditinos, sua História e sua Gente” (1997).

MESQUITA, Flamarion – Piauiense da cidade de Parnaíba. Professor, pintor, desenhista, quadrinhista, ilustrador e poeta. Graduado em Curso de nível superior, pela Universidade Federal do Piauí. Foi professor de Inglês da rede estadual e particular de ensino do Piauí. Atualmente reside e trabalha em Tocantins. Participou da Geração Mimeógrafo, em Parnaíba. Bibliografia: “Zé Bolinha e Bibo” (1995), história em quadrinhos, retratando os monumentos de Parnaíba

MESQUITA, Francisco Carlos de – n. 13-07-1968 - Beneditinos (PI). Poeta, conferencista e religioso. Graduado em Pedagogia. Bibliografia: “Além do Impossível – Poemas e Mensagens” (2002), editado pela Editora e Gráfica Freire e Cia.

MESQUITA, Maria Solimar Ribeiro – n. 13-03-1946 - Caracol (PI). Poetisa. Formada em Ciências Contábeis e em Administração de Empresa, pela Universidade Federal do Piauí. Visitadora Sanitária da Fundação Nacional de Saúde. Tem poemas publicados nos jornais "Folha do Litoral" e "Libertação". Foi classificada em concurso literário realizado pela UFPI. Tem vários poemas inéditos.

MESQUITA, Nestor Henrique – n.10-01-1934 - Itapagé (CE). Filho de Raimundo Henrique de Mesquita e Antônia Henrique dos Santos. Professor, escritor e Ministro do Evangelho. Bacharel em Teologia e Ciências Humanas. Tem Mestrado em Teologia, com Especialização em Psicologia Pastoral. Atualmente (2005) é acadêmico de Direito. Trabalhou como Missionário em Barcelona, Ávila e Bilbao, na Espanha. Participou de Conferências Mundias, realizadas no Rio de Janeiro, em Londres e em Jerusalém. Presidente da Convenção Estadual das Assembléias de Deus do Piauí, Vice-presidente da União dos Ministros das Assembléias de Deus do Nordeste, com sede em Recife (PE) e Sócio-fundador da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil. Conseleiro da FAEPI – Faculdade Evangélica do Piauí. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Dentre outras honrarias, detém os títulos de Cidadão Honorário de Teresina, Cidadão Honorário do Piauí, e o Diploma de Professor Honoris Causa em Teologia, conferido pela Faculdade de Teologia Antioquia Internacional. Bibliografia: “A Vida do Infeliz”; “Contente em Tudo”; “Padrão de Fiéis”; “Um Homem que Nasceu para Deus”; “A Sobra do Maná”; “Cuidado”; “Um Ministério Não Censurado”; “O Tempo em Poesia e Prosa” (1999); “Diferentes Tipos de Sonâmbulos da Vida” (2001); “Abecedário dos Ismos – Um Dicionário Diferente” (2003); “A Frouxidão das Mãos” (2003); “Textos Selecionados” (2004); “Quando uma Palavra Vale Mais que Duas Mil”; “Vidas que a Vida Produziu”; “Não Diga Nada” (2005); “O Seu Livro Sem Verbos” (2006) e outros. Foi incluído na “Antologia Escritores”, volumes I e III (2000 e 2004), organizada por Tomaz Gomes Campelo.

MESQUITA, Silmara Oliveira de – n. 12-12-1983 - Teresina (PI). Filha de José Pinto de Mesquita Filho e Maria Helena Oliveira de Mesquita. Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, bloco IV, da Universidade Estadual do Piauí / Campus Josefina Demes, de Floriano. Participou da coletânea: “Revelando Poetas” (2007), organizada pela turma da UESPI, da disciplina de Literatura Infanto-Juvenil.

MICHAEL, Ronaldo (Ronaldo Michael Lopes de Sousa) – n. 28-06-1977 - Teresina (PI), f. 23-06-2003 - Teresina (PI). Filho de Raimundo Nonato Rodrigues de Sousa e Francisca Lopes de Sousa. Poeta e jornalista, formado pela Universidade Federal do Piauí. Trabalhou na Coordenação Estadual para Pessoa Portadora de Deficiência. Bibliografia: “A Poesia que não quer Calar” (1992).

MILANÊS, Marcelo Brito – n. 1989 - Campo Maior (PI). Filho de Francisco das Chagas Milanês e Roseli de Sousa Brito. Poeta e estudante do ensino médio. Participou da coletânea “Poesia e Prosa na Terra da Opala” (2005), organizada por Raimundo Silva.

MINELVINA, Honorata (Honorata Minelvina Carneiro de Mendonça) – n. 1840 - Goiás. Poetisa e professora. Residiu em Parnaíba, onde foi contemporânea de José de Ávila Miranda Osório. Segundo Sacramento Blake, ela teria nascido no Piauí, no entanto, Mário Ribeiro Martins, em seu “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Regionais do Brasil, assevera, que ela é natural da Província de Goyaz, conforme consta no livro em que escreveu. Está presente no livro “Literatura Piauiense - Escorço Histórico” (1994), de João Pinheiro. Bibliografia: “A Redenção” (1875), publicado no Rio, pela Tipografia do Apóstolo. Foi incluída no livro “A Poesia em Goiás”, de Gilberto Mendonça Teles.

MIRANDA, Agenor Augusto de – Engenheiro civil e historiador. De 1914 a 1920, foi chefe do Distrito Telegráfico do Piauí. Em 1918, juntamente com Francisco de Assis Iglésias, fundou no povoado Engenheiro Dodt, em Santa Filomena, a Cia. Pastoril Agrícola e Industrial Piauiense. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico da Bahia e à Sociedade Geográfica do Rio. Bibliografia: "Estudos Piauienses" (1938), São Paulo.

MIRANDA, Ana Lúcia – n. 23-04-1952 - Teresina (PI). Filha de José Paulino de Miranda Filho e Ofélia Freire Lopes. Formada em Comunicação Social. Poetisa, cronista e cantora. Exerceu os cargos de Coordenadora de Editoração e de Presidente do Conselho Editorial da Fundação Cultural Mons. Chaves. Participou de vários shows e festivais. Gravou canções nos discos Geléia Gerou e Cantares e em CD solo. Bibliografia: "Prova de Fogo" (1979), poemas.

MIRANDA, Cunha de – n. 01-10-1942 - Parnaíba (PI). Maçom, contista e memorialista. Bibliografia: "O Campo da Santa Casa, contos da vida real" - memórias, Teresina, 1992.

MIRANDA, J. P. (José Paulino de Miranda Neto) – n. 22-07-1959 - Teresina (PI). Filho de José Paulino de Miranda Filho e Ofélia Freire Lopes. Formado em Jornalismo, pela Universidade Federal do Piauí. Publicitário e escritor. Bibliografia: “Visão Sobre Quase Tudo” (2005), livro de pensamentos sobre vários assuntos, lançado no III Salão do Livro do Piauí, e “Sexos e Outros Escritos” (2007), lançado no SALIPI/2007.

MIRANDA, José Euclides de – n. 1885 - Buriti dos Lopes (PI), f. 1961 - Parnaíba (PI). Poeta, professor e jornalista. Advogado. Foi Promotor Público, Juiz Distrital, delegado e chefe de Polícia. É patrono de uma das Cadeiras da Academia Parnaibana de Letras. Colaborou no Almanaque da Parnaíba, onde, em 1957, publicou o poema "Soluços de Um Pai".

MIRANDA, José Rodrigues de – n. 09-03-1915 - Campo Maior (PI), f. 14-10-1994 - Teresina (PI). Formado em Odontologia, pela Faculdade de Odontologia e Farmácia do Ceará. Trabalhou como dentista em Campo Maior, Altos, Alto Longá e Piripiri. Foi servidor da Secretaria de Saúde do Estado do Piauí e da Fundação Especial de Saúde Pública – FSESP. Na década de setenta, dedicou-se ao jornalismo, escrevendo crônicas e artigos diversos para o jornal "A Luta", do qual foi diretor e editor. Escreveu também para o jornal “A Voz do Jenipapo”. A crônica de sua autoria "O Poeta Esquecido" foi transcrita no livro "Geração Campo Maior - anotações para uma enciclopédia" (1995), de Reginaldo Gonçalves de Lima.

MIRANDA, Judite de Castro Furtado – n. 16-08-1922 - Barras do Maratoan (PI). Desde sua juventude demonstrava aptidão para a poesia. Morou em Campo Maior até o ano de 1959, quando se mudou para a acolhedora cidade de Goiânia (GO). Exímia musicista, dona de uma voz encantadora, poetisa brilhante e contista. Reconhecendo o seu trabalho literário, a Academia Feminina de Letras e Artes de Goiânia lhe concedeu o título de Sócia Suplementar da referida academia. Bibliografia: “Pedaços de Mim” - 1986; “Lembranças Vivas” - 1987; “(Des)encantos e Saudade” - 1992; “Coisas do Coração” - 1994; “Sopros da Alma” - 1997 e “Potocas de Sempre” - 1995 - contos. Participou da coletânea “Passarela de Escritores”(1997), org. por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.Gravou um CD.

MIRANDA, Reginaldo (Reginaldo Miranda da Silva) – n. 17-08-1964 - Bertolínia (PI). Filho de Abdon Rodrigues da Silva e Eunice de Miranda e Silva. Graduado em Direito pela UFPI. Fez Curso de Preparação à Magistratura, de Especialização em Direito Constitucional e em Direito Processual. Advogado, historiador e cronista. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí e da Academia de Letras do Médio Parnaíba. Tem artigos publicados nos principais jornais de Teresina. De 1993 a 1997 exerceu o cargo de vice-prefeito municipal de Bertolinia. Bibliografia: Bertolínia: História, Meio e Homens” (1983 e 1996), “Cronologia Histórica do Município de Regeneração” (2002), “Aldeamento dos Acoroás” (2003); “Piauí em Foco” (2003); “Vultos da História do Piauí – 1. Ajudante Félix do Rego (2004); “Do Arco da Velha” (2004), contos; “Vultos da História do Piauí. 2. Ouvidor Moraes Durão (2004); “A Contribuição dos Aldeamentos Indígenas” (2004); “São Gonçalo da Regeneração” (2004) e “A Ferro e Fogo” (2006) e outros. Colaborou na atualização do livro “Dados Genealógicos da Família Rocha” (2001, 3ª edição).

MIRANDA, Vicente – n. 29-05-1949 - Viçosa do Ceará (CE). Filho de Pedro Mapurunga de Miranda e Leonor Vieira de Miranda. Formado em Pedagogia / Administração Escolar pela, Universidade Federal do Piauí. Especializou-se em Controle e Gestão Municipal, e em Direito Fiscal e Tributário, ambas pelo IEJ/UFPI. Participou de vários cursos e seminários no Piauí e em outros Estados. Exerceu as funções de Coordenador do Departamento de Planejamento da Fundação Projeto Piauí (1972 a 1975), Coordenador do Centro de Treinamento de Mão de Obra da Fundação Estadual do Trabalho (1975 a 1977), Coordenador do Projeto de Estudos de Estatística e Informática – Professor, da Secretaria Estadual de Educação (1978 a 1986), Professor Substituto, da Fundação Universidade Federal do Piauí, Diretor Regional, da SECREL S.A. – Consultoria e Sistemas (1980 a 1986), Diretor Adm. Financeiro, da KV Instalações Comércio e Ind. Ltda (1986 a 1996), Diretor Geral do STS Informática Ltda (desde 1993). Atualmente trabalha com Desenvolvimento de Sistemas de Informática para apoio a Prefeituras Municipais. Bibliografia: “Três Séculos de Caminhada” (2001), livro de história e genealogia.

MIRANDA FILHO, José – n. 25-04-1945 - Campo Maior (PI). Contista, romancista e radialista. Servidor da UFPI. Presidiu o Centro Estudantil de Campo Maior, o Clube Lítero Cultural Campomaiorense (clube de jovens), e o jornal "A Luta", do qual também foi editor. Trabalhou como redator da Rádio Clube de Teresina. Em 1968, com o conto "Incêndio ao Entardecer" foi premiado pelo Centro Estudantil Campomaiorense. Bibliografia: "Remorso", romance. Tem vários contos publicados na imprensa local.

MIRANDA NETO, José Paulino de – Vela: MIRANDA, J. P.

MIRIAM, Francisca (Francisca Miriam Aires Fernandes) – n. 14-06-1940 - Teresina, (PI). Filha de José Aires Matos e Maria Nazaré Aires de Carvalho. Aposentada da DRT/PI. Escritora e poetisa. Técnico em Contabilidade. Membro da UBE/PI e da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias (Brasília, DF). Possui Diploma e Medalha Stella Brasiliense, por participação no Grupo Brasília de Comunicação. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto, e do “Dicionário de Mulheres” (1999), de Hilda Flores. Bibliografia: “Caminhos”, “Caminhos Ainda” e “Caminhos Mais” (poemas); “Correspondência de A. Tito Filho para Francisca Miriam”, “Jéssica, Minha Neta”, “Mensagens para A. Tito Filho” e “Tópicos Emocionais”. Participa das seguintes antologias: “Nova Poesia Brasileira”, organizada pela Shogun Editora e Arte Ltda., Rio de Janeiro, RJ, 1987 e 1988; “Sonoras” (1ª e 2ª), organizada pela Golden Music, Rio de Janeiro, RJ, 1988; “Poesias em Oração”, organizada pela Crisalis Editora, Rio de Janeiro, RJ, 1988; “Del’Secchi”, organizada por Roberto de Castro Del’Secchi, volume VII, VIII e IX, Vassouras, RJ, 1998, 1999 e 2000. Participa, também, da coletânea “Passarela de Escritores”, organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho, Teresina, PI, 1997, da “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999), organizada por Adrião Neto e da Antologia “Escritores” (2000), organizada pelo Des. Tomaz Gomes Campelo.

MISO (Miguel Arcanjo Ferreira Soares) – n. 22-09-1952 - Teresina (PI). Filho de Simplício Ferreira Soares e Maria Francisca Vaz Soares. Poeta, artista plástico e artesão. Sócio da UBE/PI. Conquistou Menção Honrosa no 1º concurso literário promovido pela FUNTELPA/Rádio Cultura do Pará. Em 1978, publicou um livro de poemas.

MOITA, Deusdedit Machado – n. 09-06-1928 - Lagoa Alegre-União (PI), atual município de Lagoa Alegre. Filho de José Machado Moita e Angélica Portela Moita. Formado em Odontologia (1951), pela Universidade Federal de Pernambuco. Iniciou atividades em Teresina em 1952 e já em 1953, participou da “Sociedade Mantenedora Faculdade de Odontologia do Piauí”, fundada em 1960, integrando seu quadro de docente. Colaborou como cronista do então jornal O Estado e, posteriormente, de O Dia. Teve artigos publicados no jornal da Associação Paulista de Odontologia e do Conselho Federal de Odontologia. Foi classificado no concurso de contos, realizado em 2000, pela Fundação Cultural do Piauí. Detém a Medalha do Mérito Conselheiro Saraiva, no grau de Cavaleiro. Bibliografia: "Atirando a Esmo" (1995) ; “Caricaturas Nordestinas” (1996); “Curta Metragem” (1999) e “Crônicas Agudas” (2002), todos de crônicas. Participou da “Antologia Escritores”, Volumes I e III (2000 e 2004), organizada por Tomaz Gomes Campelo.

MOITA NETO, José Machado – n. 19-03-1960 Teresina (PI). Iniciou sua carreira no magistério em 1978 como professor de Química do Colégio Diocesano. Em 1983 ingressou por concurso na Universidade Federal do Piauí. Foi chefe do Departamento de Química da UFPI (1988-1989), Coordenador do Mestrado em Química da UFPI (2004-2005); Diretor Técnico-Científico da Fundaão de Amparo a Pesquisa do Estado do Piau (2005-2006) e Coordenador Geral de Pesquisa da Universidade Federal do Piau (2007). Possui graduaões em Química, em Engenharia Civil e Filosofia, todas pela Universidade Federal do Piauí. Fez mestrado (1987), doutorado (1994) e pós-doutorado em Química pela Universidade Estadual de Campinas (1995). É orientador nos Mestrados de Química e Desenvolvimento e Meio Ambiente da UFPI. Publicou várias crônicas em jornais locais e artigos científicos em revistas nacionais e internacionais de sua especialidade. Os seus interesses de pesquisa cobrem os seguintes temas: Química (Ensino, Fisico-Química, Analítica, Materiais); Meio Ambiente; Estatística Multivariada, Epistemologia e Engenharia. Em 2006 participou da coletânea: “Teresina: Uma Visão Ambiental”. Publicou seu primeiro livro de crônicas em 2007 com o título "Arte, Ciência e Poesia".

MONTE, Agenor – n. 1904 - São Luís do Quitunde (AL). Faleceu no Rio de Janeiro. Político e militar. Um dos revolucionários de 1930. Foi prefeito de Teresina por 14 dias e Secretário de Fazenda do Estado do Piauí. Participou da repressão ao movimento constitucionalista de São Paulo. Foi deputado federal constituinte e reeleito no pleito seguinte, como representante do Piauí na Câmara Federal. Chegou ao posto de coronel. Bibliografia: “Carvão de Pedra” (1935); “O General Osório” (1938) e “Quitunde” (1964), memórias.

MONTE, Emídio Soares do – n. 24-01-1957 - Buriti dos Montes (PI). Poeta e microempresário. Foi professor de Geografia do Cenec, em Castelo do Piauí. Bibliografia: “Mundo Errante” (1984), “Espinho e Rosas” (1995) e “Indefinido” (1985), em parceria com José Geovani Lima e Acrísio Lima.

MONTE, Francy (Francisco das Chagas Oliveira Monte) – n. 02-01-1955 - Barras (PI). Filho de Manoel Monte Carvalho e Maria de Jesus Oliveira Carvalho. Professor, músico, poeta e compositor. Licenciado em Letras, pela Universidade Federal do Piauí. Servidor da Universidade Estadual do Piauí. É autor do Hino de Barras e do “Tigrão” (Esporte Clube Tiradentes). Tem inúmeras composições musicais. Membro da Academia de Letras do Vale do Longá. Bibliografia: "A Terra da Gente" (1990), poemas, em parceria com José Joaquim Oliveira Monte. Gravou um CD solo. Tem inéditos "O Sonho da Gente"; "O Amor da Gente" e "Gente da Gente", todos em parceria com Joaquim Monte.

MONTE, José Joaquim Oliveira – n. 01-01-1943 - Barras (PI). Filho de Manoel Monte Carvalho e Maria de Jesus Oliveira Carvalho. Poeta, conferencista e dramaturgo. Formado em Medicina, tem Mestrado em São Paulo. Trabalha e reside em Curitiba. Bibliografia: "Barras, Terra Nossa", peça; "A Terra da Gente", poemas, co-autoria. Tem inéditos, em parceria com Francy Monte: "O Sonho da Gente"; "O Amor da Gente" e "Gente da Gente".

MONTE FILHO (Manoel Monte Carvalho Filho) – n. 11-01-1952 - Barras (PI). Filho de Manoel Monte Carvalho e Maria de Jesus Oliveira Carvalho. Formado em Odontologia, com Mestrado em Educação, pela Universidade Federal do Piauí. Especializou-se em Anatomia, pela Universidade Federal Fluminense. Professor de Anatomia Humana da UFPI, FAESPI e FACID e de Neuroanatomia Médica e Neuroanatomia (Fisioterapia) da UESPI. Exerceu os cargos de Chefe do Departamento de Morfologia do Centro de Ciências da Saúde da UFPI (1996-2001) e o de Coordenador do Departamento Biomédico da UFPI (1984-1987). Presidiu a Academia de Letras do Vale do Longá. Bibliografia: “Anatomia Humana – Estudo Prático”, Vol. I – Locomotor” (2004); “Anatomia Humana – Estudo Prático Vol. II – Neuroanatomia” (2004); “Anatomia Humana – Estudo Prático Vol. III – Esplancnologia” (2004); “Educação e Qualidade de Vida: Perspectivas Evidenciadas pelos Alunos de Educação Física da UFPI” (2003).

MONTEIRO, Adalberto Alves – n. 08-12-1957 - Cocal (PI). Político, poeta, cronista, contista e jornalista. Formado em jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social e Jornalismo, da Universidade Federal do Goiás. Membro de várias agremiações sociais, culturais e de classe, dentre as quais União Brasileira de Escritores de Goiás, Sindicato dos Jornalistas de Goiás e Associação Goiana de Imprensa. Elegeu-se vereador de Goiânia. Presidiu o PC do B, de Goiás e o Instituto Maurício Grabois. Editor da revista “Princípios”. Integra a equipe editorial do “Portal Vermelho”. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Goiás” (1999), de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: “Os Sonhos e os Séculos”; “Verbos do Amor & Outros Versos” e “As Delícias do Amargo & Uma Homenagem” (2007). Participou de várias antologias.

MONTEIRO, Antônio de Albuquerque – n. 03-05-1946 - Bom Princípio, município de Parnaíba, atual município de Bom Princípio (PI), f. 2003-Teresina (PI). Bacharel em Administração de Empresas. Poeta e compositor. Trabalhou no SENAI, em Parnaíba e em Teresina. Bibliografia: "Poesia do Campus" (1979), participação; "Antologia Poética de Cidades Brasileiras" (1988), participação e "Falácia das Abelhas" (1980), co-autoria.

MONTEIRO, Carlos Augusto de Figueiredo – n. 23-03-1927 - Teresina (PI). Filho do jornalista Mundico Santílio. Geógrafo, professor e pesquisador. Licenciado em Geografia e em História. Doutor em Ciência (Geografia), pela USP. Estudou na Sorbonne, França. Professor universitário. Lecionou em várias instituições de ensino. Geógrafo do IBGE. Membro da Academia de Ciências do Estado de São Paulo. Pesquisador convidado da Universidade de Tsukuba, Japão, e seu professor visitante. Professor de pós-graduação, nas universidades de Santa Catarina e de Minas Gerais. Presidiu o Comitê de Climatologia do Instituto Panamericano de Geografia e História e o grupo de trabalho especial para elaboração de seu "Atlas Climatológico das Américas". Bibliografia: "Tempo de Balaios"; "Rua da Glória" (4 tomos); "Rumos à Cidade Nascente” (1851-1896); "As Armas e as Máquinas” (1896-1921); "Um Casamento ao Tempo dos Revoltosos” (1921-1935) e "O Tamanho de Uma Esperança" (1935-1945). Entre trabalhos científicos, teses, monografias, artigos e estudos, publicou em torno de cem trabalhos.

MONTEIRO, César do Rego – n. 17-04-1863 - União (PI), f. 1933 - Rio de Janeiro (RJ). Filho de Benjamin do Rego Monteiro e Joaquina Rosa e Silva Castelo Branco. Magistrado, jurisconsulto, político, poeta, escritor e jornalista. Desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas, senador da República e governador do mesmo Estado. Bibliografia: "Um Crime de Infanticídio", romance, em parceria com Anísio Auto de Abreu, Clóvis Beviláqua, Pereira Simões, Faelante da Câmara e Martins Júnior; "O Micógrafo" (l882), "Teoria Darwinica"; "Estudos Jurídicos e Sociais" (1908) e "Papéis Invertidos".

MONTEIRO, Clóvis do Rego – n. 10-09-1898 - Fortaleza (CE), f. 14-07-1961 - Rio (RJ). Filho de Adolfo Tiers do Rego Monteiro e Júlia Rodrigues Monteiro. Professor, antologista, ortógrafo e escritor. Formado em Direito. Dirigiu o Colégio Pedro II, do Rio de Janeiro, onde também foi professor universitário. De família piauiense, tinha forte ligação com o Piauí. Bibliografia: "Morfologia e Sintaxe do Substantivo da Língua Portuguesa"; "Traços do Romantismo na Poesia Brasileira"; "Aspectos da Evolução do Nosso Idioma"; "A Linguagem dos Cantadores"; "Nova Antologia Brasileira"; "Ortografia da Língua Portuguesa" e "Esboços de História Literária".

MONTEIRO, Cristiano Cabral – n. 20-05-1985 - Pedro II (PI). Filho de Antônio José Monteiro da Silva e Irene Cabral dos Santos. Poeta, desenhista e quadrinista. Cursou Licenciatura Plena em Geografia, pela Universidade Estadual do Piauí. Aos sete anos de idade já desenhava personagens de histórias em quadrinhos e escrevia rabiscos de poemas. Participou da coletânea “Poesia e Prosa na Terra da Opala”, volumes 1 e 3 (2005 e 2006), organizada por Raimundo Silva.

MONTEIRO, Dílson Lages – n.14-12-1973 - Barras (PI). Filho de Gonçalo Soares Monteiro e Rosa Maria Lages Monteiro. Professor, cronista e poeta. Graduado em Letras, pela Universidade Estadual do Piauí. Fez Pós-graduação em Língua Portuguesa, da PUC-SP. Foi professor de Redação do Instituto Dom Barreto, em Teresina. Membro da Academia de Letras do Vale do Longá, da União Brasileira de Escritores do Piauí e da Associação dos Escritores do Amazonas. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Colabora intensamente com alternativos literários do eixo Rio-Minas-São Paulo. Bibliografia: “+ Hum-Poemas” (1995); “Colméia de Concreto” (João Scortecci Editora - 1997), lançado na XV Bienal Internacional do Livro de São Paulo (1998); “Os Olhos do Silêncio”; “A Metáfora” (2001); “Sabor dos Sentidos” (2001); “Farol do Apocalipse” e "Texto Argumentativo para o Vestibular" (2007). Co-autor de “Cabeceiras - A Marcha das Mudanças” (1996), em parceria com Francisco de Assis Mesquita. Participou da coletânea de poemas “Florilégio”(1995), organizada pela Academia de Letras do Vale do Longá. Comentário: Colméia de Concreto “É um libelo contra esse mundo permeado de inquietações. Trabalho enxuto, sem literatices desnecessárias, colocando um estilo vigoroso, sóbrio, rico em imagens colhidas do cotidiano através do que o poeta realiza seu canto de exploração dos múltiplos sentimentos e observações humanas” (Ronaldo Cagiano).

MONTEIRO, Domingos – n. 20-12-1870 - Campo Maior (PI), f. 30-01-1940 - Teresina (PI). Político, militar, jornalista e poeta. Bacharel em Ciências Físicas e em Matemática. Alferes, pela Escola Militar. Reformado no posto de Major. Foi o primeiro comandante do 25º Batalhão de Caçadores e Chefe da Circunscrição Militar. Foi intendente e prefeito de Teresina. Elegeu-se por três legislaturas como deputado estadual pelo Piauí.

MONTEIRO, Durval Burlamaqui do Rego – n. 1904 - Teresina (PI), f. 1991 - Teresina (PI). Poeta, contista e professor de Línguas. Bacharel em Direito. Foi Procurador autárquico do antigo IAPC - Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Comerciários. Poliglota, falava Francês, Inglês, Alemão e Espanhol. Lecionou Francês no Liceu Piauiense. Bibliografia: "Nostalgia do Peregrino" (1988), poemas

MONTEIRO, Fernando (Fernando Alberto de Brito Monteiro) – n. 1951 - Teresina (PI). Filho de Alberto de Moura Monteiro e Maria Laura de Brito Monteiro. Professor e político. Formado em Economia. Fez Pós-Graduação em Administração, na Fundação João Pinheiro. Professor da UFPI. Foi vereador de Teresina de 1983 a 1989, período em que participou da Fundação da Associação dos Vereadores do Piauí. Deputado estadual por várias legislaturas: Bibliografia: “Manual de Assistência às Microempresas”.

MONTEIRO, João Almendra do Rego – n.1884 - Estanhado, atual União (PI), f. 1928 - Valença do Piauí (PI). Poeta e articulista de jornal. Foi militar, funcionário da Assembléia Legislativa do Estado do Piauí e telegrafista. Alguns dos seus poemas foram publicados no livro "Poesia de Ontem" (1989), de Benjamim do Rego Monteiro Neto.

MONTEIRO, João da Cruz – n. 1861 - Campo Maior (PI), f. 1931 - Teresina (PI). Dramaturgo, contista e jornalista. Foi servidor público estadual. Colaborou no jornal O Piauí, redigiu O Monitor, O Tempo e O Norte. Exerceu um mandato de Deputado Estadual pelo Piauí. Bibliografia: "O Aniversário do Compadre Antonino pelo Calendário Juliano", comédia; "A História de um Ex-Escravo" e "O Major Irineu Gomes Coelho", conto.

MONTEIRO, José Guilherme do Rêgo – n. 1922 - Teresina (PI), f. 2003 - Teresina (PI). Filho de João Almendra do Rego Monteiro e Laura Rosa do Rego Monteiro. Advogado, jornalista, consultor. Concluído o curso de Direito, prestou concurso público para o cargo de Procurador Público, optando pela advocacia, que já exercia no fórum da Capital e comarcas do Piauí e Maranhão. Ocupou o cargo de Procurador Geral do Estado e exerceu por muitos anos a Chefia das Procuradorias Judicial e de Assuntos Normativos. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Colabou no jornal-revista “Revestréis”, de Martins Vieira e escreveu no jornal “O Dia”, sobre questões jurídicas e crônicas, envolvendo o cotidiano; entre as últimas ressalta “Moça da Loja”, “História de Criançã”, “Saborosa, que Venha Mais... !”.

MONTEIRO, Leôncio do Rego – Filho de Adolfo Tiers do Rego Monteiro e Júlia Rodrigues Monteiro. Professor, poeta e jornalista piauiense, natural de União. Bacharel em Direito. Fundou o Colégio de São Vicente de Paula. Foi professor de Geografia do Liceu Piauiense. Colaborou com a imprensa piauiense. Bibliografia: "Helena", romance.

MONTEIRO, Luís Carlos Boavista do Rego – n. 1959 - Teresina (PI), f. 1980 - Teresina (PI). Escritor, orador e líder estudantil. Fundou o GEDI - Grupo de Estudos e Debates Independentes da Faculdade de Direito de Curitiba. Escreveu e publicou vários textos literários, dentre os quais: "Estação da Vida" e "Noite Custosa". Publicou artigos de cunho político jurídico, como "Ditadura Embrionária" e "Liberdade, Quando?".

MONTEIRO, Maria de Jesus Saraiva – Veja: SARAIVA, Marion

MONTEIRO, Mozart do Rego – n. 1899 - Piauí, f. 1980 - Rio (RJ). Professor, historiador, cronista, conferencista e jornalista. Formado em Direito. Foi professor de História da Universidade do Rio de Janeiro. Pertenceu ao Instituto Histórico do Rio de Janeiro. Bibliografia: "Viagem à Terra Santa". Escreveu também ensaios e estudos sobre história e literatura, teoria da literatura e história humana. Durante muitos anos escreveu "Crônica do Estrangeiro", para os jornais O Globo e Diários Associados.

MONTEIRO, Osvaldo Franklin do Rego – n. 24-02-1917 - Jerumenha (PI), f. 21-08-1976 - Rio de Janeiro (RJ). Jornalista e professor. Diplomado em Geografia e História. Exerceu o magistério em Teresina e no Rio de Janeiro. Dirigiu o jornal A Mocidade, onde publicou crônicas, que depois foram enfeixadas em plaquete. Juntamente com Carlos Castelo Branco e outros alunos do Liceu, fundou a Corporação de Artes e Letras.

MONTEIRO, Oton do Rego – n. 11-06-1903 - União (PI), f. Teresina (PI). Filho de Francisco do Rego Monteiro e Ana Rego. Advogado, poeta e jornalista. Promotor Público em Teresina. Militou no jornal O Lábaro. Foi um dos fundadores e primeiro presidente do Cenáculo Piauiense de Letras. Está presente no livro “Cenáculo Piauiense de Letras” (1997), de Cléa Rezende Neves de Melo. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

MONTEIRO, Orgmar Marques – n. 04-03-1918 - Teresina (PI), f. 27-05-1988 - São Paulo (SP). Filho de Benjamim Marques Monteiro e Cincinata de Sousa Monteiro. Professor e escritor. Trabalhou no Fomento Agrícola. Formado em Agrimensura. Estabeleceu-se no setor imobiliário. Bibliografia: "Borracha de Maniçoba" (1951); “Colonização Piauiense” (1960); "O Calendário Telúrico" (1982); "O Desafio" (1985); "Teresina Descalça" e "Moisés, o Estrategista", edição póstuma. Deixou inéditos: "Rios e Canais", 5 volumes; "A Bandeira Brasileira", 3 volumes e "Conheça a Europa".

MONTEIRO, Osvaldo (Osvaldo de Azevedo Monteiro Filho) – n. 24-11-1940 - Fortaleza (CE). Cronista. Cirurgião dentista BMF, formado pela FUFPI e Chefe de clínica do Hospital Getúlio Vargas. Membro da UBE/PI. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: "Aproveitamento do Estado Beta"; "Recursos Psicossomáticos"; "Mito do Herói" e "Um Filósofo Amigo Meu" (1990). Participou da coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), organizada por Adrião Neto. Comentário: Da experiência - do autor - flui com soltura uma linguagem escorreita de bate ponto, sabor consciente. (...) A vantagem para quem ler “Um Filósofo Amigo Meu” é que os seus temas são variados, possibilitando incursões subjetivas a diversos assuntos, todos eles interessantes. (...) O livro está pronto para uma transposição de ótimos roteiros destinados ao cinema, teatro e TV - O autor não se olvidou da essência regional de seu Estado - o Piauí -, parte deste nosso imenso país, onde as interações sociais se mostram gostosamente diversificadas, ensejando obras literárias que reluzem tal qual pedras preciosas. Seu conto “Dona Umbelina de Inhuma”, inserta no livro, é literatura brasileira do mais puro quilate, refletindo a riqueza cultural e folclórica desse Piauí autêntico, relicário de primitivas e intocadas belezas, felizmente, ainda! - De parabéns o novo e sedimentado contista, cronista e escritor piauiense. Do livro, se emana um cultura eclética de seu autor, capaz de adaptar sua fértil imaginação a quaisquer época e ambiente... (M. R. Gomide, in “Um Filósofo Amigo Meu”, Razões - O Jornal, Juiz de Fora, MG).

MONTEIRO, Ovídio do Rego – Piauiense natural de Estanhado, atual cidade de União. Faleceu em Fortaleza (CE), com mais de 70 anos. Fazendeiro e poeta. Bibliografia: "Vozes Perdidas", poemas (1917). Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

MONTEIRO, Rosmarino do Rêgo – n. 1923 - Valença (PI) e f. 16-11-2004 – Teresina (PI). Filho de João Almendra do Rego Monteiro e Laura Rosa do Rego Monteiro. Advogado, jornalista, professor e escritor. Formado pela Faculdade de Direito do Piauí. Foi Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção do Piauí. Professor titular, concordado, da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Piauí. Patrono do Centro Acadêmico. Membro da Congregação da Faculdade de Direito. Exerceu o Magistério Secundário, lecionando História em vários colégios. Foi Delegado de Trânsito e Costumes da Capital e Procurador do Estado do Piauí, lotado no Departamento de Estradas e Rodagem. Membro-presidente da Comissão Geral de Investigações, no Piauí, do Ministério da Justiça. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “Política Nacional” (1974 e 1978), monografia; “Vivência Universitária” (1991 e 2003). Também é autor de um livro relatando suas viagens ao exterior, editado em 2003.

MONTEIRO, Valdiwilson de Oliveira – n. 04-08-1964 – Piripiri (PI). Filho de Abdias Monteiro Alves e Jovenília Alves de Oliveira. Cursou várias cadeiras do curso de Direito. Servidor público estadual, lotado na Secretaria de Fazenda do Estado do Piauí. Poeta. Participou da antologia “Poetas de Piripiri” (2008), organizada por Cléa Rezende Neves de Melo e Eliane da Silva César.

MONTEIRO, Willies (Willies Monteiro Marques) – n. 06-06-1954 - Parnaíba (PI). Filho de Francisco Marques de Sousa e Raimunda Monteiro Marques. Contista, jornalista, publicitário e piloto civil. Viveu no Ceará e no Rio Grande do Norte. Bibliografia: “Viajantes da Chuva – um conto do futuro” (2003).

MONTEIRO JÚNIOR, Francisco (Francisco Alberto de Brito Monteiro Júnior) – n. 17-05-1983 - Teresina (PI). Filho de Francisco Monteiro e Claudete. Escritor de impressionante plasticidade de linguagem, dedicado ao gênero de ficção na área de psicopatologia afetiva. Bibliografia: “As Sete Vidas do Gato” (1998) e “A Obscuridade Humana” (1999), com prefácio de Humberto Guimarães.

MONTEIRO NETO, Benjamin do Rego – n. 17-09-1915 - Teresina (PI). Filho de João Almendra do Rego Monteiro e Laura Rosa do Rego Monteiro. Professor, poeta, contista e cronista. Formado em Direito, com doutorado por defesa de tese no concurso para professor catedrático de Direito Internacional Público. Professor da Universidade Federal do Piauí. Lecionou na Faculdade de Direito do Piauí e na Faculdade de Filosofia do Piauí. Pertence ao Instituto Histórico e Geográfico Piauiense, à Academia de Ciências Médicas e Sociais de São Paulo, à Academia Piauiense de Letras e à Academia Piauiense de Letras Jurídicas. Presidiu por três vezes consecutivas o Conselho Estadual de Cultura. Fez parte do Conselho Editorial do Projeto Petrônio Portela. Escreveu em jornais de Teresina e do Rio, inclusive no O Globo. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: "A Santa Sé no Direito Internacional" (1953); "A Igualdade dos Estados e o Direito de Veto no Conselho de Segurança da ONU" (1955); "O Cristianismo, o Sacerdócio e a Paz" (1956); "Em Louvor do Direito" (1958); "A Casa do Barão de Gurguéia" (1987); "Poesia de Ontem" (1989); "O Direito da Sociedade Humana" (1990) e "Falando de Poetas"; “Importância do Direito Internacional como Ordem de Equilíbrio e Sobrevivência da Civilização” e outros.

MONTENEGRO, Chiquinha (Francisca Sá Viana Montenegro) – Piauiense natural da cidade de Parnaíba. Faleceu em 10-04-1947, na cidade de Teresina (PI). Poetisa e professora. Filha de italiano e brasileira. Lecionava no ensino primário e secundário. Ministrava aulas particulares de Francês e Italiano. É verbete do “Dicionário de Mulheres” (1999), de Hilda Agnes Hübner Flores. Tem poemas publicados no Almanaque da Parnaíba, na revista feminina O Lírio (1904 a 1906, de Recife; na revista Propaganda e na imprensa de Parnaíba. Bibliografia: "As Três Gotas de Sangue", opúsculo com poemas místicos, prefaciado por Alarico da Cunha. Foi incluída na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires e na “Antologia de Escritoras Piauienses (Século XIX à Contemporaneidade)”, 2009, organizada por Algemira de Macedo Mendes, Marleide Lins de Albuquerque e Olívia Candeira Lima Rocha.

MONTEZUMA, Kleber (Kleber Montezuma Fagundes dos Santos) – n. 30-06-1957 - São Luís (MA). Filho de Antônio de Sousa dos Santos e Maria do Socorro Fagundes dos Santos. Economista e professor. Especialista e Mestre em Educação. Professor do Liceu Piauiense. Foi Secretário Municipal de Trabalho e Assuntos Municipais, gestão Wall Ferraz/Francisco Gerardo e Secretário de Educação na segunda gestão de Firmino Filho. Foi vice-presidente regional Nordeste I, da Confederação dos Professores do Brasil e secretário do Sindicato dos Professores e Auxiliares da rede particular de ensino de Teresina. Bibliografia: “Movimento de Professores e Cidadania” (1996); “Turismo: uma opção discutível para Parnaíba” (In Almanaque da Parnaíba, 1992); “Estado, Movimentos Sociais e Cidadania: Primeiras Aproximações” (In Educação e Compromisso, 1992); “Teresina: crescimento e pobreza” (In Cadernos de Teresina, nº 18, 1994) e outros.

MORAES, Anselmo Oliveira de – n. 19-02-1923 – Caratinga (MG). Poeta, contista, cronista e jornalista. Tem certificados dos cursos de jornalismo promovidos pelo Liceu de Artes e Ofícios, do Rio de Janeiro e pela Associação Brasileira de Imprensa. Fez ainda os cursos de Propaganda e Vendas e de Criptografia. Foi chefe de almoxarifado e vendedor-propagandista de laboratório farmacêutico. Como servidor público federal exercendo suas funções no Ministério da Justiça (RJ), no TRE/PI e na Delegacia do Ministério da Indústria e Comércio. Exerceu várias assessorias junto ao governo do Estado do Piauí. Colaborou na imprensa do Rio de Janeiro e de São Paulo. Bibliografia: “A Esfinge Política” (1999); “Hosanas ao Piauí” (2000) e “Autodeterminação – Um Imperativo de Solução Nacional” (2001). Participou da “Antologia dos Poetas da Nova Geração” e da “Antologia a Nova Poesia Brasileira”. Tem alguns trabalhos inéditos.

MORAES, Denison Rocha de – n. 23-09-1956 - Carolina (MA). Filho de José Wilson de Moraes e Dalva Rocha de Moraes. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Bibliografia: “A Grandeza que é Deus” (1997).

MORAES, Edmunda Rodrigues de – n. 26-11-1946 – Matões (MA). Filha de Antônio Rodrigues de Moura e Benevinuta Moraes da Silva. Residiu e trabalhou em Teresina. Repentista, poetisa popular, cantora e compositora. Participou de cantorias e festivais realizados em Teresina, Fortaleza e outras cidades do Piauí, Maranhão e Ceará. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

MORAIS, Francisca Pereira de Sousa – n. 20-03-1940 - Fronteiras (PI). Filha de Norberto Ângelo Pereira e Antônia Batista de Sousa. Professora. Formada em Letras e em Direito. Fez Pós-graduação em Língua Portuguesa em nível de Especialização. Foi tabeliã pública do Cartório do 2º Ofício de Fronteiras. Fez o concurso de diretora e o curso da CADES, em Português e História. Lecionou durante muitos anos em Fronteiras e em Teresina. Em sua homenagem a escola cenecista de Fronteiras passou a se chamar Colégio Estadual Francisca Pereira S. Morais. Bibliografia: “Centro Federal de Ensino Tecnológico do Piauí, 90 Anos de Ensino Profissionalizante” (2001), co-autoria. Escreveu “Tempos Verbais”, monografia.

MORAES, Gregório de – n. 02-12-1938 - Teresina (PI). Poeta, contista e romancista. Jornalista e publicitário. Foi assessor técnico do Instituto Nacional do Livro. Trabalha numa agência de publicidade, em Teresina. Bibliografia: "Os Índios, Os Índios"; "Auroras Perdidas"; "Sol dos Aflitos"; "Cão da Noite Morta" (1980); "Praia-Luz" e “O Trem de Deodoro” (2003), romance. Foi incluído em "Piauí: Terra, História e Literatura" (1980), organizado por Francisco Miguel de Moura; na coletânea “Caminheiros da Sensibilidade” (1967), organizada por J. Miguel de Matos e na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires. Comentário: Gregório de Moraes tange, com legitimidade e ternura, a lira dos moços sonhadores. E empresta-lhes, na limpidez dos versos, toda a tepidez da própria alma. (Jânio Quadros, in contracapa de "Cão da Noite Morta").

MORAES, Herculano (Herculano Moraes da Silva Filho) – n. 02-05-1945 - São Raimundo Nonato (PI). Filho de Herculano Moraes da Silva e Olinda Moraes da Silva. Poeta, romancista, ensaísta e jornalista. Dirigiu o Teatro 4 de Setembro e a Casa Anísio Brito. Foi Chefe de Gabinete do Secretário da Educação e Secretário de Estado da Comunicação, do Governo Lucídio Portela. Foi um dos fundadores do CLIP, da Academia de Letras do Vale do Longá e da Academia de Letras do Médio Parnaíba. Membro da Associação Nacional de Escritores (DF), da UBE/PI e da Academia Piauiense de Letras. Presidiu a Academia de Letras do Vale do Longá. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: "Murmúrios ao Vento" (1965); "Vozes Sem Eco" (1967); "Meus Poemas Teus" (1969); "Território Bendito" (1973); "Cantigas do Amor Fundamental" ( 1974); "Seca, Enchente, Solidão" (1977); "Pregão" (1978); "Amor" (1987 e 1989); "Chão de Poetas" (1974); "A Nova Literatura Piauiense" (1976); "Visão Histórica da Literatura Piauiense", 3 edições (1976, 1982 e 1991); "Fronteiras da Liberdade" (1981), romance; "Legendas" e outros. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), organizada por Assis Brasil e na coletânea “Piauí: Terra, História e Literatura” (1980), organizada por Francisco Miguel de Moura.

MORAES, Menezes y (José Menezes de Moraes) – n. 29-07-1951 - Altos (PI). Poeta, contista, jornalista e professor. Licenciado em História, pela UNB. Atualmente reside em Brasília, onde milita na imprensa, participa do sindicato da categoria e é professor universitário. Presidiu o Sindicato dos Escritores do Distrito Federal. É citado e antologiado no livro “Anos 70: Porque essa lâmina nas palavras? (1994), de José Pereira Bezerra. Bibliografia: "Laranja Partida ao Meio" (1975), poemas; "O Suicídio da Mãe Terra" (1980), contos e "Pássaros da Terra com Paisagens Humanas" (1982), poemas “O Roque da Massa Falida” (1992); “Diário da Terra & Cenas da Cidade Sitiada” (1984); “1964 – Poemas do Sufoco” (1986); “A Balada do Ser e do Tempo” (1987); “O Livro das Canções de Amor & e Outros Cantares de Igual Teor” (1990); “Na Micropiscina da Lágrima Feliz” (1999) e outros. Participou das coletâneas: "Tudo é Melhor que Nada" (1974); "Ô de Casa" (1977); "Piauí: Terra, História e Literatura" (1980), organizado por Francisco Miguel de Moura; "Aviso Prévio" (1977); "Descartável" (1979); "O Rio" (1980); "27 Po(rr)etas"; “Antologia da Nova Poesia Brasileira” (1992), organizada por Olga Savary e na coletânea “Baião de Todos” (1996), organizada por Cineas Santos.

MORAIS, Merolina Maria da Silva – n. 02-03-1983 – Teresina (PI). Filha de João de Moraes Neto e Lúcia Maria da Silva Moraes. Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, bloco IV, da Universidade Estadual do Piauí / Campus Josefina Demes, de Floriano. Participou da coletânea: “Revelando Poetas” (2007), organizada pela turma da UESPI, da disciplina de Literatura Infanto-Juvenil.

MORAES, Lourdes Maria Frasão de – n. 1945 - Piracuruca (PI). Poetisa, professora e advogada, radicada em Goiânia, Goiás, onde se dedicou às letras e ao magistério. Membro da União Brasileira de Escritores de Goiás. É verbete do “Dicionário Biobiblográfico de Goiás” (1999) e dos livros “Estudos Literáios de Autores Goianos” e “Escritores de Goiás”, todos de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: "Catarse" (1984), poemas.

MORAES, Manoel de Jesus Ribeiro de – n. 21-08-1965 - Elesbão Veloso (PI). Estudou em sua terra natal, em Valença e em Teresina. Tem curso Pedagógico e Científico. É músico, poeta, cronista, desportista, radialista, agitador e produtor cultural. Trabalhou como motorista, como técnico em medição e como funcionário da Usina Hidrelétrica de Boa Esperança. Atualmente é empresário de conjunto musical e produtor de dois programas na rádio FM de Barro Duro. Participou da “Antologia de Autores Elesbonenses” (1999), organizada por Maria Nilza, Celina Silva e Juraci Leite de Carvalho.

MORAES, Miguel – Piauiense da cidade de Piripiri. Poeta e professor. Foi tabelião e secretário municipal da prefeitura de sua terra natal, onde desfrutava de grande prestígio. Deixou vários poemas inéditos. Uma de suas produções intitulada “Moça Branca”, datada de 01-11-1933, foi reproduzida no livro “Memórias de Piripiri” (1996), de Cléa Resende Neves de Melo.

MORAES, Paulo de Tarso – n. 24-03-1960 - Teresina (PI), f. 26-07-1986 - Teresina (PI). Poeta e jornalista. Trabalhou nos jornais "O Dia", "O Estado" e "Jornal da Manhã". Integrou a equipe do Centro Piauiense de Ação Cultural e a diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Piauí. Em reverência à sua memória, a Prefeitura Municipal de Teresina instituiu o Concurso de Reportagem Paulo de Tarso Moraes. Bibliografia: "Borboleta" (1987), edição póstuma.

MORAES, Raimundo Nonato Oliveira de – n. 22-12-1964 – São Luís Gonzaga (MA). Filho de Francisco Laurindo de Moraes e Maria Luzia Oliveira de Moraes. Poeta popular e repentista. Mais conhecido como Raimundo Padre. Reside em Nazária (PI). Participa de cantorias e festivais na região da grande Teresina. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

MOREIRA, Aldenora Mendes – n. 08-06-1926 – Parnaíba (PI). Professora, escritora e historiadora. Formada em história. Orientadora de Aprendizagem do Projeto "Brasil, Meu Negócio é Turismo". Membro da Academia Parnaibana de Letras e do Instituo Histórico, Geográfico e Genealógico de Parnaíba. É co-autor do livro “Conhecendo Geografia e História do Piauí” (2007), escrito em parceria com Diderot dos Santos Mavignier.

MOREIRA, Nilberto Batista – n. 18-06-1940 – Landri Sales (PI). Filho de Emídio Martins Moreira (Seu Conga) e Luíza Batista de Sousa. Estudou em sua terra natal, em Floriano, Recife, e Belo Horizonte, onde concluiu o curso secundário e formou-se em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais. Líder estudantil. Fundou o jornal – “Gazeta Estudantil”. Elegeu-se Secretário Geral e Presidente da União Colegial de Minas Gerais – UCMG. Foi amigo pessoal de Roberto Burle Marx, com quem participou de coletas de plantas raras em Goiás, Bahia e Minas Gerais. Em 1982, participou da campanha para a prefeitura municipal de Contagem, MG, onde obteve 91% dos votos. Além de várias outras funções de nível municipal, exercidas em Contagem, Nilberto Moreira destacou-se no plano estadual como Secretário de Estado Extraordinário de Assuntos Especiais, Secretário de Estado de Assuntos Municipais, Secretário de Estado de Planejamento e Coordenação Geral, e Conselheiro da Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA. Detém títulos de cidadania de várias cidades mineiras e muitas honrarias, dentre elas: da Polícia Militar de Minas Gerais, do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, da Câmara Municipal de Belo Horizonte, da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais – Medalha Santos Dumont e a Grande Medalha da Inconfidência Mineira. Nilberto é funcionário aposentado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Bibliografia: “Landri Sales – Piauí, 200 Anos de História 1810/2010”, editado em 2010.

MOREIRA FILHO, Juarez – n. 03-07-1953 - Ribeiro Gonçalves (PI). Filho de Juarez Rodrigues Moreira e Laurinda da Rocha Moreira. Professor, contista, cronista, poeta e pesquisador. Graduado em Educação Física e em Direito. Tem pós-graduação em Ciências Políticas e em Direito Penal e Direito Processual Penal. Exerceu os cargos de Assessor Parlamentar da Assembléia Legislativa de Tocantins, professor da Faculdade de Filosofia de Porto Nacional, Chefe de Gabinete da Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Turismo do Tocantins, de onde, também, foi secretário interino. É membro da União Brasileira de Escritores de Goiás e de Tocantins, da Academia Tocantinense de Letras, do Conselho de Cultura de Tocantins, onde preside a Câmara de Literatura, Folclore e Artesanato, Instituto Histórico e Geográfico de Tocantins, OAB/TO, Instituto e Sindicato dos Advogados de Tocantins. Também exerceu os cargos de assessor jurídico da Secretaria de Educação do Tocantins e de Presidente da Academia Tocantinense de Letras. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto, dos livros “Estudos Literáios de Autores Goianos”, “Escritores de Goiás”, do“Dicionário Biobiblográfico de Goiás” (1999) e do “Dicionário Biobibliográfico do Tocantins” (2001), todos de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: Infância e Travessuras de um Sertanejo (1980), romance; Oco do Mundo (1982), romance; Rancho Alegre (1991), memórias; “Mangaratiba – Peões, Boiadas, Tropas e Bruacas” (1994), memórias; “Tipos de Rua” (1995), contos; “Risos & Lágrimas” (2004), memórias; “Perfil da Academia Tocantinense de Letras” (2005), história/ biografia; “Patronos da ATL” (2006), história/biografia; “À Sombra do Ipê” (2008), crônicas.

MORENO, João Cláudio (João Cláudio da Silva) – n. 06-05-1967 - Piripiri (PI). Filho de José Moreno da Silva e Raimunda Maria da Silva. Humorista, ator e cantor. Aos 14 anos passou a residir em Teresina, onde estudou no Colégio Diocesano e depois na Universidade Federal do Piauí, cursando jornalismo. Ainda em Teresina, atuou no teatro e na televisão, tornando-se o artista mais popular do Estado. Exerceu as funções de assessor de imprensa da Fundação Cepro e presidente da Fundação Cultural Mons. Chaves. Em 1994, passa a residir no Rio de Janeiro e em seguida montou o espetáculo “Um Piauiense no Rio de Janeiro” com direção de Lígia Ferreira e Chico Anísio, apresentado em todo o país. Como conseqüência passou a integrar o elenco da Rede Globo de Televisão, onde também foi redator do banco de idéias. Atuou ao lado de Chico Anísio no teatro, na televisão e na elaboração de seu primeiro livro. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Em 2004 elegeu-se a vereador de Teresina pelo PC do B. Bibliografia: “Hemorragia de Goiaba” (1998) - coletânea de crônicas de humor prefaciada pelo mestre.

MOTT, Luís Roberto de Barros – n. 1946 - São Paulo (SP). Professor universitário e historiador. Licenciado em Ciências Sociais. Tem Mestrado em Etnologia, na Sorbonne, França. Doutor em Antropologia. Membro do Instituto Histórico e Geográfico da Bahia e do de Sergipe. Bibliografia: "Piauí Colonial – população, economia e sociedade" (1985). Publicou em revistas do Brasil e do exterior mais de 30 artigos sobre temas nordestinos. Descobriu, em Portugal, a "Descrição da Capitania de São José do Piauí", escrito em l772, pelo Ouvidor Antônio José de Moraes Durão.

MOUCHEZ, Amedée Ernest Barthélemy – n. 1821 - Madrid (Espanha), f. 1892 - Wissous, Seine-et-Oise. Geógrafo. Dirigiu o Observatório de Paris. Realizou pesquisas geográficas no litoral brasileiro, inclusive em Luís Correia (PI). Bibliografia: “Les côtes du Brésil” - importante estudo hidrográfico e histórico das cidades, vilas e povoações visitadas no período de 1864 a 1874.

MOURA, Adalmir Miranda de – Poeta, ator, diretor teatral e dramaturgo. Formado em Letras e em Educação Artística – Música, pela Universidade Federal do Piauí. Criou e participou de vários grupos de teatro. Ministrou várias oficinas de teatro. Trabalha com teatro de bonecos. Realiza pesquisas nas áreas de dança, música, teatro e literatura. Participou de vários cursos e seminários. Bibliografia: "Álvaro de Campos em Pessoa"; "Coisas do Brasil - de Cabral a Nós, Passando por Cima de Alguns" - sátira sobre grandes vultos da História do Brasil e “Corpos no Gasômetro”, peças teatrais.

MOURA, Astrogildo Manuel de – n. 27-01-1946 – Juazeiro do Norte (CE). Filho de Manuel Lacerda e Ana Gomes do Carmo. Radicado em Teresina, onde exerce a profissão de motorista. É conhecido com Ceará. Faz apresentações em residências nos bairros da capital piauiense. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

MOURA, Clóvis (Clóvis Steiger de Assis Moura) – n. 10-06-1925 - Amarante (PI), f. 23-12-2003 - São Paulo (SP). Filho de Francisco de Assis Moura e Elvira Steiger de Magalhães Castro Moura. Sociólogo, ensaísta, poeta e jornalista. Membro do Instituto Brasileiro de Estudos Africanistas e da Associação Profissional dos Escritores de São Paulo. Foi um dos coordenadores do Projeto Arqueológico Palmares, executado com o patrocínio da Universidade Estadual de Illinois, EUA, realizado em Alagoas, nos locais onde existiam os Quilombos da República de Palmares. Bibliografia: (poesias): "Espantalho na Feira" (1961); "Argila de Memória" (1963 e 1982); “Âncora do Planalto” (1964); "Manequins Corcundas" (1977); “História de João da Silva” (1984); “Bahia de Todos os Homens” (1982); "Flauta de Argila" e “Duelos com o Infinito” (2005, editado pela Secretaria de Educação e Fundação Cultural do Piauí). (Ciênicas Sociais): “Rebeliões da Senzala” (1959); “O Negro: De Bom Escravo a Mau Cidadão?” (1977); “O Preconceito de Cor na Literatura de Cordel” (1976); “Brasil: Raízes do Protesto Negro” (1983); “Quilombos: Resistência ao Escravismo” (1987 e 1992); “História do Negro Brasileiro” (1989 e 1991); “Introdução ao Pensamento de Euclides da Cunha” (1964); “Sociologia do Negro Brasileiro” (1988); “A Sociologia Posta em Questão” (1979); “Sociologia de La Práxis” (1976, editado no México); “Sacco de vanzetti”: O Protesto Brasileiro” (1979); “O Negro no Mercado de Trabalho” (1986); “Dialética Radical do Brasil Negro” (1994); "As Injustiças do Clio – O Negro na Historiografia Brasileira" (1990); “Os Quilombos e a Rebelião Negra” (1994, 8ª edição); “Sociologia Polítca da Guerra Camponesa de Canudos” (2000) e “Os Quilombos na Dinâmica Social do Brasil” (2001-organização). Participou de várias antologias poéticas. Comentário: “Marcado indelevelmente pelo humanismo autêntico, proseguiu na poesia com a palavra tansformada em espada em riste, batalhando pela melhoria das condições de vida da humanidade e combatendo os preconceitos e injustiças sociais, em particular transformando-se em intérprete das aspirações do negro brasileiro e defensor dessa camada da população brasileira” (Aluysio Mendonça Sampaio, in orelha de “Duelos com o Infinito”, 2005).

MOURA, Benedito Clementino de Siqueira – Piauiense da cidade de Oeiras. Médico e escritor. Bibliografia: "Aborto e Planejamento Familiar"; "Sinais e Manobras em Obstetrícia", em colaboração com Maria do Socorro Moreira de Sousa; "Quarenta Anos Vendo a Vida Nascer"; "O Tempo de Minha Vida"; "Fragmentos de Ontem e de Hoje"; "Síntese Histórica da Obstetrícia" e "Oeiras, Monumento Nacional".

MOURA, Cipriano José de – n. 12-10-1948 - Santa Cruz do Piauí (PI). Filho de João da Silva Moura e Maria Joaquina de Moura. Poeta cordelista e militar. Apresentou programas radiofônicos nas rádios Primeira Capital e Vale do Canindé, em Oeiras. Apresenta o programa “Ídolos do Povo”, na rádio Difusora de Picos. Presidiu a Associação dos Poetas Populares e Folcloristas de Picos. Pertenceu ao Sindicato dos Cantadores Poetas e Cordelistas do Estado do Piauí. Bibliografia: "O Romance"; "O Boiadeiro"; "Zé Joel" e "Peleja de Cipriano Mourinha e Quincó Veloso", cordéis.

MOURA, Djalma de Sousa – n. 06-06-1958 - Simplício Mendes (PI). Filho de João de Sousa Moura e de Elisa Mendes Moura. Geólogo, formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Trabalhou como geólogo da Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Piauí – CIDAPI, de 1984 a 1992. Sócio-Fundador da Associação de Letras e Artes de Simplício Mendes (ALEARTES). Participou da primeira diretoria da entidade, exercendo o cargo de Segundo Secretário. Bibliografia: “Minha Terra, Minha Vida” (2000); “Moagens” (2003).

MOURA, Edvaldo Pereira de – n. 10-08-1946 - Oeiras (PI). Professor e magistrado. Formado em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Fez o curso Esquema I, e o Curso de Altos Estudos, ministrado pela Escola Superior de Guerra. Lecionou na rede oficial de ensino. Foi delegado de Polícia em Teresina e juiz das comarcas de Oeiras e Picos. Atualmente é Desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí. Foi um dos fundadores (e presidente) da Academia de Letras da Região de Picos. Bibliografia: "Manual de Organização Político-administrativa do Estado do Piauí". Tem artigos publicados na "Revista Piauí Judiciário".

MOURA, Eleazar – n. 14-06-1928 - Amarante (PI). Médico e escritor. Fez o curso primário em Amarante e o secundário em Teresina. Cursou Medicina, na Universidade Federal do Pará. Trabalhou como clínico geral, no interior do Pará (em Belterra e Fordlândia), em Teresina, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Norte (Natal), onde mora desde 1964. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: “Amarante Antigo” (1997), trata-se de uma contribuição ao estudo da história da cidade de Amarante.

MOURA, Enevaldo Hipólito de – n. 15-04-1971 – Sítio Exu, município de Picos (PI). Filho de Elísio José de Moura e Edita Uberlina Coutinho. Poeta popular e repentista. Faz apresentações em programas de rádio, cantorias, congressos e festivais de violeiros. Apresentou o programa “Violas do Piauí”, na rádio “Boa Esperança”, de Padre Marcos. Cantou com vários poetas, inclusive com Ribamar Freire e Rogério Meneses. Gravou CDs e tem participação especial em vários outros. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

MOURA, Francisco Miguel de – n. 16-06-1933 - Jenipapeira, Picos, atual município Francisco Santos (PI). Filho de Miguel Borges de Moura (Guarani) e Josefa Maria de Sousa. Poeta, romancista, contista e crítico literário. Formado em Letras. Tem Pós-graduação em Crítica de Arte e curso de Extensão Universitária em "Teoria do Romance". Editor da Revista Cirandinha, 77/84. Sócio fundador e ex-presidente da UBE/PI. Membro da Academia Piauiense de Letras. Foi um dos fundadores do CLIP –Círculo Literário Piauiense. Coordenador de Editoração da Fundação Cultural Mons. Chaves. Participou de três gestões como Membro do Conselho Estadual de Cultura. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Foi citado nos livros, “A Crítica Literária no Brasil”, de Wilson Martins, 1983, “A Literatura no Brasil” (1986), de Afrânio Coutinho. Colaborou com dez verbetes em “A Dictionary of Contemporary Brazilian Authors”, compilado pelo Prof. David William Foster (EUA, 1991). Bibliografia: poesia - “Areias” (1966), “Pedra em Sobressalto” (1974), “Universo das Águas” (1979), “Bar Carnaúba” (1983), “Quinteto em mi (m)” (1986), “Sonetos da Paixão” (1988), “Poemas Traduzidos” (1993) e “Poesia in Completa” (1997); Romance - “Os Estigmas” (1993), “Laços de Poder” (1991) e “Ternura” (1993); Crítica - “Linguagem e Comunicação em O. G. Rego de Carvalho” (1997); “A Poesia Social de Castro Alves”, 1979, e “Piauí: Terra, História e Literatura” (1980); Contos - “Eu e meu Amigo Charles Brown” (1986), “E a Vida se Fez Crônica” (1996). Participou de várias antologias. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), organizado por Assis Brasil e na coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), organizada por Adrião Neto. Comentário: ”Francisco Miguel de Moura alcançou, ao longo do seu trabalho literário, o equilíbrio e a maturidade necessários para assegurar a perenidade de sua obra... (Chagas Val, in "A Poesia de Chico Miguel", revista Cadernos de Teresina, dezembro de 1994).

MOURA, João Benvindo de – n. 21-09-1972 – Picos (PI). Político, professor e jornalista. Elegeu-se a vereador de sua terra natal. Membro fundador da União Picoense de Escritores. Participou da “Antologia Upeana I” (2005), editada pela União Picoense de Escritores.

MOURA, Jonas (Jonas de Moura Rodrigues) – n. 13-06-1914 - Simplício Mendes (PI). Filho de Nivardo Rodrigues da Silva e Maria Antônia de Moura Rodrigues. Político, radialista, poeta e musicista. Integrou a Banda de Música de Oeiras. Exerceu um mandato de prefeito em sua terra natal. É autor da letra e música do Hino de Simplício Mendes. Tem várias músicas, partituras e poemas. Parte de sua produção encontra-se gravada em CD.

MOURA, Jorge Lima de – Veja: LIMA, Moura

MOURA, José Crispim – Veja: CRISPIM, Zé

MOURA, José Evilásio de – n. 07-07-1961 - Picos (PI). Filho de Francisco de Sousa Moura e Raimunda Evangelista de Moura Sousa. Cursou Licenciatura Plena em Psicologia, pela Faculdade Paulista de Ciência e Letras; Licenciatura Plena em Letras, pela Universidade Federal do Piauí. Tem Especialização em Gestão Empresarial, pela UESPI. É Mestre em Coordenação e Supervisão Pedagógica. Professor universitário e pesquisador. Membro da Academia de Letras da Região de Picos. Foi diretor da UESPI – Campus de Picos. Participou de vários seminários. Tem vários artigos e trabalhos publicados sobre Psicologia, Violência e Comportamento. É autor das monografias: “Lingüística: Relação Sujeito Leitor na Produção do Sentido” e “O Seting Analítico”. Tem trabalhos sobre Literatura Piauiense.

MOURA, José Mendes de Sousa – Veja: MENDES, José

MOURA, Manoel da Costa – n. 25-02-1943 – Picos (PI). Filho de José da Costa Moura e Ana Josefa de Moura. Poeta, compositor, cantor e comerciante. Adotou o pseudônimo de Guanambi Sonial. Membro fundador da União Picoense de Escritores. Bibliografia: “Urubu Senador”; “Tragédia de um Dragão” e “O Casamento de Lampião no Inferno”. Participou da “Antologia Upeana I” (2005), editada pela União Picoense de Escritores. É o autor da letra e música do Hino Oficial da Cidade de Picos.

MOURA, Marcienni Machado – n. 07-10-1985 – Guadalupe (PI). Filha de Nilo Moura Brasil e Maria Helena Ferreira Machado. Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, bloco IV, da Universidade Estadual do Piauí / Campus Josefina Demes, de Floriano. Participou da coletânea: “Revelando Poetas” (2007), organizada pela turma da UESPI, da disciplina de Literatura Infanto-Juvenil.

MOURA, Maria da Glória Carvalho – Natural de São João da Serra (PI). Licenciada em Pedagogia, com habilitação em Magistério, Educação Pré-Escolar e Supervisão Escolar, pela UFPI. Pós-Graduada em Educação, Especialização Lato Sensu em Educação – Área de Concentração: Pesquisa Educacional, pela UFPI. Mestra em Educação. Doutouranda em Educação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora da rede estadual e municipal de ensino e da Universidade Federal do Piauí. Autora do Projeto de Alfabetização de Jovens e Adultos – “Construindo, Eu Aprendo”, aprovado pelo MEC e implantado em 195 municípios do Piauí. Em 1997, o seu projeto participou do “Prêmio Educação para a Qualidade do Trabalho”, promovido pelo Ministério da Educação, através da Secretaria de Educação Fundamental, tendo sido premiado como a melhor experiência de alfabetização de jovens e adultos. Como pesquisadora da temática Educação de Jovens e Adultos, defende sua institucionalização como Política Pública. Bibliografia: “Pensando, Construindo e Aprendendo”, em dois volumes (1997 - séries alfabetização e pós-alfabetização); “Educação de Jovens e Adultos: Um Olhar sobre sua Trajetória Histórica” (2004) – um trabalho de ampla pesquisa, que retrata os caminhos percorridos pela educação de Jovens e Adultos, no Brasil, buscando compreender a sua trajetória no Estado do Piauí. Co-autora do livro didático: “Vivendo a Vida”, do Projeto Aceleração da Aprendizagem, todos editados pela Secretaria de Educação, em convênio com o MEC.

MOURA, Mécia Morais – n. 14-04-1994 - Teresina (PI). Filho de Francisco Miguel de Moura e Mécia Morais Moura. Escritora mirim. Estudante da Escola Dom Bosco. Bibliografia: “O Peixe Dourado” (2000); “Pequenas Histórias” (2003) e “Folclore Piauiense e Outras Histórias” (2004).

MOURA, Miguel Borges de – Veja: GUARANI, Miguel

MOURA, Raimunda Fontes de – Veja: FONTES, Mundica

MOURA, Tancredo Burlamaqui de – n. 31-03-1865 - Teresina (PI), f. 22-03-1922 - Rio (RJ). Militar, professor e escritor. Formado em Ciências Físicas e Naturais e em Engenharia. Almirante, reformado. Foi professor da Escola Naval e da Escola Livre de Pilotagem. Foi Delegado Naval do Brasil, na Conferência de Haia. Bibliografia: "Projeto de Reorganização para o Serviço de Meteorologia"; "Plano para a Distribuição e Equipamento das Estações Meteorológicas"; "Manual de Navegação Estimada"; "Instrução para Observação de Instrumentos Meteorológicos a Bordo dos Navios Nacionais"; "O Navio e o Estado"; "Direito Marítimo Adaptado na Lloyd da Capital Federal e Portos Estaduais" e outros.

MOURA, Zenilda Eliza Martins – n. 08-08-1951 - Bertolínia (PI). Poetisa e cronista. Servidora aposentada do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí. Bibliografia: “Enigma” (2001), poemas e crônicas, editado através de parceria do Poder Judiciário do Estado do Piauí com a Academia de Letras da Região de Sete Cidades.

MOURA FILHO, Manoel de – Veja: LEONAM

MOURA JÚNIOR, Francisco Miguel de – n. 18-02-1964 - Itambé (BA). Filho de Francisco Miguel de Moura e Maria Mécia Morais Araújo Moura. Bancário, poeta e cronista. Formado em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Trabalha na Caixa Econômica Federal, em Teresina. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí. Foi classificado no primeiro concurso de crônicas realizado pela UBE/PI. Participou dos livros "Quando a Vida Fere" (1980); "Poesia Teresinense Hoje" (1988) e “Crônicas de Sempre” (1995), de Adrião Neto.

MOUSINHO, Antônio Augusto de Melo – Piauiense da cidade de Parnaíba. Escritor, advogado, poeta e jornalista. Colaborou na imprensa local e no Almanaque da Parnaíba. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires, com o soneto "Minha Terra, o Piauí".

MOUSINHO, Ronaldo Alves – n. 16-10-1951 - Guadalupe (PI). Filho de Mauro Alves de Oliveira e Maria Neusa Mousinho de Oliveira. Bacharel em Dirieto e Licenciado em Letras pela Universidade de Brasília. Poeta, historiador e ensaísta. Professor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, em Brasília, onde reside desde 1977. Membro do Sindicato dos Escritores do Distrito Federal, da Academia Taguatinguense de Letras, da Academia dos Trovadores do Distrito Federal, da UBE/PI e da UBE/SP. Preside a Academia Taguatinguense de Letras (2007-2009). Exerceu cargos de diretoria na ATL e no Sindicato dos Escritores do Distrito Federal, onde é um dos editores do “Jornal Escriba” e dos boletins da ATL e do CIAPIB. Dentre outras funções que exerceu nas instituições culturais presidiu a Academia Taguatinguense de Letras. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto e do “Dicionário dos Escritores de Brasília (1994), de Napoleão Valadares. Enquanto diretor cultural da ASEFE, coordenou e editou 120 livros, onde, também, elaborou regulamento de cinco concursos literários, com publicação de antologia-prêmio, nas categorias poesia, conto e crônica. Instituiu e coordenou o projeto Aluno-escritor, com edição de antologia-prêmio. Foi um dos fundadores da Academia Unioense de Letras e Artes. Detém o título de “Personalidade Cultural do Século”, outorgado pela Academia de Letras da Região de Sete Cidades. Bibliografia: "Asas para o Apogeu" (cinco edições, 1994 a 2005) a partir da 3ª edição, revista e ampliada, saiu com suplemento de estudos, adotado em escolas da rede privada de Brasília; “Rompendo a Curva do Tempo”, em parceria com Adão Lopes, Brasília, DF (1997); “Literatura: de Homero à Contemporaneidade, Enfoques Histórico, Teórico e Prático” (2002); “Taguatinga: História e Cultura” (2005) e “Poema do Desencanto” (2005). Participou de várias obras coletivas, dentre as quais: "Poetas Brasileiros de Hoje" (1987); “Caliandra – A Poesia em Brasília”(1994), organizada por Mário Hermes Viggiano. Organizou a coletânea poética: “Brasília: Vida em Poesia, 36 anos, 36 poetas escolhidos”, Brasília, DF, 1996, e a coletânea “Alarde Poético”, chancelada pela ATL (2006), Brasília, DF. “Revolucionando Bibliotecas”, organizado por Dinorá do Couto Cançado; Poesia do Brasil – Projeto Cultural SUR (antologia poética Brasil / Cuba), organizado por Ademir Antônio Bacca; “Revelando Autores em Brasília (2000), organizada por Dalila Lara e Dinorá do Couto Cançado e “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999), organizada por Adrião Neto. Organizou a coletânea “Geografia Poética do Distrito Federal, comemorativa ao cinqüentenário do DF” (2007), editora Thesaurus, BSB – DF.

MUNIZ, Francisco das Chagas – n. 06-08-1962 – Parnaíba (PI). Marceneiro, poeta e artista plástico. Membro fundador da Academia Ceilandense de Letras e Artes Populares. Reside em Ceilândia, onde montou seu próprio ateliê. Produz quadro e desenhos. Participou da “Coletânea Candango” (2008), organizada pela ACLAP.


N


NAMPULA (Fernando Manoel Ribeiro Melo Sequeira) – n. 11-11-1954 - Nampula (Moçambique). Filho de Fernando Severo de Melo Sequeira e Ausenda dos Santos Ribeiro de Melo Sequeira. Engenheiro em Telecomunicações, com especialização em Rádio Freqüência. Em 1977, depois de uma breve passagem por Portugal, resolveu tomar como lar o Brasil, onde vive até hoje. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adrião Neto. Participou da “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999), de Adrião Neto. Tem inédito: “Da África ao Brasil”, contos.

NAPOLEÃO, Aloízio (Aloízio Napoleão de Freitas Rego) – n. 20-11-1914 - Belém (PA), f. 14-09-2006 – Brasília (DF). Filho de Hugo Napoleão do Rego e Matilde de Freitas Rego. Diplomata, historiador, biógrafo, contista, crítico e cronista. Representou o Ministério das Relações Exteriores, na I Conferência Nacional de Educação. Foi Cônsul do Brasil em vários países. Exerceu o cargo de Embaixador em vários países. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras e ao Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Bibliografia: "Segredos" (1935), contos; “Os Arquivos Particulares do Itamarati” (1940); "Santos Dumont e a Conquista do Ar" (1941); "O Segundo Rio Branco" (1941), biografia; "Meu Avô, José de Freitas" (1950), biografia; "Imagens da América" (1945), história; "O Arquivo do Barão do Rio Branco" (1951), história; “Interpretações” (1990); "Um Lutador - Hugo Napoleão e Sua Época" (1992) e muitos outros.

NAPOLEÃO (I), Hugo (Hugo Napoleão do Rego) – n. 25-06-1892 - União (PI), f. 01-09-1965 - Rio de Janeiro (RJ). Político e jornalista. Bacharel em Direito. Foi deputado estadual por uma legislatura e deputado federal por três mandatos. Exerceu os cargos de secretário da Comissão Internacional de Jurisconsultos Americanos (Rio, 1927), Assessor Técnico da Delegação Brasileira à Conferência Econômica Internacional de Rye (New York, 1944) e representante da Câmara dos Deputados, na Conferência Internacional de Nice (França, 1957). Chefiou o Departamento do Contencioso do Banco do Brasil e seu Consultor Jurídico. Escreveu para vários jornais. É patrono do município de “Hugo Napoleão”. Bibliografia: “Disposição Transitória” (1920); “Usofruto e Fideicomisso”; “Arresto”; “Procuração em Causa Própria”; “Citação”; “Cláusula Transitória”; “Discursos parlamentares” (1929); “A interventoria Landri Sales” (artigos e discursos, 1934); “Pareceres” (no Banco do Brasil, 1940); “Memorial da Assembléia Legislativa do Estado do Piauí” (1947); “Atividade Parlamentar em 1955”; “Interpretação do Artigo da Constituição federal” (pareceres, 1953); “Operação Pan-Americana” (discursos, 1958); “Homenagem Póstuma a Gaioso e Almendra” e “Vidas em Contrastes” (1976), edição póstuma.

NAPOLEÃO (II), Hugo (Hugo Napoleão do Rego Neto) – n. 31-10-1943 - Portland, Oregon (EUA). Filho de Aluísio Napoleão de Freitas Rego e Regina Margarida Percegueiro Alves Napoleão de Freitas Rego. Político e professor. Formado em Direito, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Curso de Extensão Universitária - A Nova Constituição Federal. Estagiou no Núcleo de Assistência Jurídica da Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Foi deputado federal por duas legislaturas, Governador do Estado do Piauí, por um mandato normal e pelo resto do mandato do ex-govenador Mão Santa, que foi cassado por corrupção eleitoral. Exerceu três mandatos de senador da República. No plano federal, exerceu as pastas de Ministro da Educação, da Cultura e das Comunicações. Foi presidente nacional do Partido da Frente Liberal. Pertence à Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: "Fatos da História do Piauí" (1974 e 1986); "Educação e Democracia" (1989); “Petrônio Portela, de Valença para a História” (1981); “Presença do Piauí no Congresso Nacional” (1983) e outros. Participou da coletânea “Horas Vagas”, volume I (1981), organizada por João Emílio Falcão e Manoel Vilela de Magalhães.

NAPOLEÃO, Lisete (Lisete Napoleão Medeiros) – n. 19-10-1958 - Floraiano (PI). Filha de Gervásio Medeiros de Sousa e Lisete Napoleão Medeiros. Graduou-se em Letras, na Universidade Federal do Piauí. Realizou Pós-Graduação em duas áreas: Leitura e Produção de texto, na PUC de Minas Gerais e Educação, na FUFPI. Professora de Literatura Portuguesa, Brasileira e Piauiense, da Universidade Estadual do Piauí – UESPI, membro da Comissão Provisória de Editoração da Revista da UESPI. Exerceu o cargos de Vice-Diretora do Centro de Ciências Humanas e Letras – CCHL e Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UESPI. Membro da União Brasileira de Escritores - UBE/PI, da Academia de Letras do Vale do Longá, da Academia de Letras da Região de Sete Cidades e da Academia de Ciências do Piauí. Bibliografia: “Quem Conta um Conto Aumenta um Ponto” (1996); “Estórias que Ouvi” (1997) e “Zamba” (2000). Participou da coletânea “Passarela de Escritores” (1997), organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho e da antologia “Escritores” (2000), organizada por Tomaz Gomes Campelo.

NAPOLEÃO, Martins (Benedito Martins Napoleão do Rego) – n. 17-03-1903 - União (PI), f. 01-01-1992 - Rio (RJ). Filho de Artur Napoleão do Rego e Olímpia Martins do Rego. Professor, poeta, jornalista e tradutor. Formado em Direito. Foi Inspetor Federal de Ensino, Secretário Geral do Estado, Interventor Federal, Consultor Jurídico do Banco do Brasil e advogado da antiga Superintendência da Moeda e do Crédito. Presidiu a Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: "A Teoria do Aceite Qualificado"; "Dívida dos Pecuaristas"; "Étimos Incertos da Língua Portuguesa"; "O Sentimento Brasileiro na Poesia de Bilac"; "Da Influência Dantesca na Poesia de Camões"; "O Nordeste e as Grandes Diretrizes da Educação Popular"; "O Piauí e o Nordeste"; "Caderno de Ação Católica"; "Copa de Ébano" (1927); "Poemas Ocultos" (1930); "Poemas da Terra Selvagem" (1940); "Poemas Humanos e Divinos"; "Caminhos da Vida e da Morte" (1941); "Prisioneiro do Mundo"; "Opus 7" (1953); "O Oleiro Cego" (1956); "Pequena Antologia de Poemas Alheios" (1960); "Três Cantos do Purgatório e Três Cantos do Paraíso" (1961);" Tema, Coral e Fogo" (1966); "Camões"; "A Criança - Problema Básico"; "Epopéia Camoniana"; "Cancioneiro Geral" (1981 – reeditado pela Adufpi); "Folhas Soltas" (1981) e "Do Latim Castrense ao Romance". Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972) e na coletânea “Os Mais Lindos Sonetos Piauienses” (1940), ambas organizadas por Félix Aires. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), de Assis Brasil. Comentário: A poesia de Martins Napoleão é agradável, forte, grave, musical. Poesia cheia de encantamento e mistério, busca na tradição a essência, vestindo a poética de um sentimento absolutamente universal. (Herculano Moraes, in "Visão Histórica da Literatura Piauiense", 3ª edição, 1991).

NASCIMENTO, Esdras do – n. 08-02-1934 - Teresina (PI). Bancário, contista, romancista e jornalista. Formado em Filosofia. Fez Mestrado em Comunicação. Membro da Associação Nacional de Escritores. Lecionou Literatura, na Faculdade de Letras do Rio. Colaborou na revista "Fatos e Fotos". Servidor do Banco do Brasil. Foi incluído no livro didático “Literatura Piauiense para Estudantes” (várias edições), de Adrião Neto. Bibliografia: "Vinte Histórias Curtas" (1960); "Solidão em Família" (1963); "Convite ao Desespero" (1964); "Tiro na Memória" (1965); "Engenharia do Casamento" (1968); "Paixão Bem Temperada" (1970); "Quatro Num Fusca" (1974); "Variante Gotemburgo" (1978); "O Ventre da Baleia" (1980); "Aventuras do Capitão Simplício" (1982); "Jogos da Madrugada" (1983) e "Antologia do Novo Conto Brasileiro". Traduziu alguns volumes da literatura infanto-juvenil. Participou da coletânea “Piauí: Terra, História e Literatura” (1980), organizada por Francisco Miguel de Moura. Comentário: Escritor experimentado, com caminhos definidos no panorama da literatura brasileira... Uma das grandes figuras do novo romance brasileiro. (Herculano Moraes, in "Visão Histórica da Literatura Piauiense", 2ª edição, 1982).

NASCIMENTO, Francisco Alcides do – n. 28-02-1952 - Teresina (PI). Filho de Francisco David do Nascimento e Maria do Carmo da Conceição. Professor e historiador. Formado em História. Cursou Mestrado em História do Brasil. Professor universitário. Trabalhou na coordenação do Núcleo de História Oral da Fundação CEPRO. Chefe do Departamento de História e Geografia da Universidade Federal do Piauí. Professor da Universidade Estadual do Piauí. Coordenador do Programa de Pós-graduação em História (Ufpi), sobre "A Censura e o Rádio no Piauí". Membro da União Brasileira de Esctiroes do Piauí. Bibliografia: "A Revolução de 1930 no Piauí" (1994) e “Fogo”. Coordenou a "Cronologia do Piauí Republicano". Participou do livro “Wall Ferraz, o homem e o estadista” (1995), editado pela Fundação Cultural Mons. Chaves. Integrou a equipe de historiadores que elaborou o livro "Governadores do Piauí – uma perspectiva histórica" (1993), editado pela Fundação CEPRO. Publicou vários trabalhos sobre história na imprensa local, entre os quais: "A Passagem da Coluna Prestes no Piauí" e "A Deposição de Joca Pires". Em parceria com o historiador Francisco Santiago Júnior organizou a coletânea "Encruzilhadas da História: Rádio e Memória" (2007), sendo um dos participantes. Colabora com a revista Cadernos de Teresina. Em parceria com Ronaldo Vainfas, publicou: “ História e Historiografia” (2007).

NASCIMENTO, Francisco Chagas do – n. 16-03-1968 – Altos (PI). Filho de Manoel de Araújo Chaves e Maria Rosa do Nascimento. Poeta popular. Participou de vários festivais, cantorias e programas radiofônicos. Gravou em CD em parceria com Antônio Gomes. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

NASCIMENTO, Francisco Erivan Araújo do – n. 06-10-1976 - Valença do Piauí (PI). Professor, poeta e cronista. Cursou Eletrotécnica no CEFET (Centro Federal de Ensino Tecnológico). Licenciado em Letras-Português, pela Universidade Estadual do Piauí - Núcleo de Valença do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adirão Neto. Participou da “Coletânea de Escritores Brasileiros Contemporâneos em Prosa e Verso” (1999), de Adrião Neto.

NASCIMENTO, A. J. – Piauiense da cidade de São João do Piauí. Poeta e prosador. Bibliografia: "Modificações", poesia (1980); "Vida, Amor... Poesia", poesia e prosa (1981); "Conjugando o Verbo Amar", poesia; "São João", história, poemas e prosa (1985) e "Vivendo e Amando", poesia (1987). Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

NASCIMENTO, Amara Brito – Veja: Brito Amara

NASCIMENTO, Antônio Pedro Barros do – n. 23-02-1979 – Pedro II (PI). Filho de Pedro Vieira do Nascimento e Francisca Barros do Nascimento. Formado em Licenciatura Plena em Letras-Português, pela Universidade Estadual do Piauí. Participou da coletânea “Poesia e Prosa na Terra da Opala” volumes 2 e 3 (2006 e 2007), organizada por Raimundo Silva.

NASCIMENTO, J. (José Rio Branco do Nascimento) – n. 1920 - Amarração, atual Luís Correia (PI), f. 18-11-1983 - Pelotas (RS). Contista, poeta, jornalista e publicitário. Exerceu altas funções na ECT do Rio Grande do Sul. Foi redator e editor das revistas do Clube Brilhante e do Clube Caixeiralense, de Pelotas. Obteve o 1º lugar num concurso de contos e crônicas, ganhando como prêmio uma viagem, com acompanhante, para Buenos Aires. Saiu de Amarração ainda criança. Seu grande sonho era conhecer sua terra, mas faleceu sem realizar esse desejo. Bibliografia: "Elo de Amizade" (1989), em parceria com Adrião Neto. Deixou inédito o livro "Vida Atribulada de Anselmo" e uma grande quantidade de poemas.

NASCIMENTO, João Luís Rocha do – n. 16-05-1959 - Oeiras (PI). Filho de Martinho Marques do Nascimento e Maria Duarte Rocha Nascimento. Poeta e contista. Pertence à UBE/PI. Estudou Direito e Ciências, na FUFPI. Participou dos livros "Ô de Casa" (1977); “Descartável”; "Mandacaru"; "Jecoaba"; "O Osso"; "Um Dedo de Prosa"; "Vencidos" (1987) e outros.

NASCIMENTO, João Tavares do – n. 26-01-1937 – Novo Oriente (CE). Poeta popular e repentista. Radicado em Água Branca, Piauí, desde o final dos anos 60. Sócio fundador da Associação dos Violeiros e Poetas Populares do Piauí. Fez dupla com vários cantadores. Apresentou programas de rádio em várias emissoras. Autor de alguns cordéis, dentre eles: “Casamento Feliz”; “Amor Escondido”; “Sindicato é Segurança”; “Um Bilhete à Minha Querida” e “Água Branca em Versos”. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

NASCIMENTO, José Amaro Bernardino do – n. 22-12-1951 - Luís Correia (PI). Licenciado em Artes (Desenho Geométrico), pela Universidade Federal de Pernambuco, e em Pedagogia, pela Universidade Federal do Piauí. Professor, poeta e contista. Professor da rede pública de ensino do Estado e de Luís Correia. Lecionou na Unidade Escolar Zulmira Xavier e na escola Ricardo Augusto Veloso, da Campanha Nacional de Escolas da Comunidade e em outras escolas de Luís Correia. Fundou a Unidade Escolar "Bonzão". Membro da UBE/PI. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1999), de Adirão Neto. Bibliografia: "Flor do Mangue" (1979)", poemas. É autor da lenda “Origem do Rio Portinho (Macirajara)”. Tem inéditos: “Murmúrios do Mar”, poemas e “Uma Certa Maria”, romance. Comentário: Sua linguagem é clara, comunicativa e sua mensagem é envolvente. (Adrião Neto, in proêmio de "Flor do Mangue").

NASCIMENTO, Justina Alzira Soares do – Cursou Direito, na Universidade Federal do Piauí. Realiza pesquisa sobre a realidade social das meninas de programa, da capital piauiense. Antes de buscar nas ruas a realidade a ser pesquisada, a autora procurou os livros, sendo que uma obra em especial “Beira Rio Beira Vida”, de Assis Brasil, inspirada na realidade da prostituição em Parnaíba lhe chamou sua atenção e lhe marcou profundamente. A pesquisa intitulada “Menina da Vida” é uma radiografia de um grande problema social das principais cidades do país.

NASCIMENTO, Laiane Pereira do – n. 06-07-1985 – Floriano (PI). Filha de Antônio Soares do Nascimento e Maria das Neves Pereira do Nascimento. Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, bloco IV, da Universidade Estadual do Piauí / Campus Josefina Demes, de Floriano. Participou da coletânea: “Revelando Poetas” (2007), organizada pela turma da UESPI, da disciplina de Literatura Infanto-Juvenil.

NASCIMENTO, Maria Aparecida da Costa – n. 16-10-1966 - Parnaíba (PI). Poetisa. Corsou Economia na UFPI/CMRV, em Parnaíba. Trabalha no Centro de Documentação do SENAI. Participou da coletânea "Pedagogiando a Poesia" (1993). Foi classificada em 3º lugar no I Concurso Universitário de Poesia.

NASCIMENTO, Maria de Fátima Miranda do – n. 27-01-1969 – Floriano (PI). Filha de José Fausto Miranda e Maria Luzia do Nascimento. Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, bloco IV, da Universidade Estadual do Piauí / Campus Josefina Demes, de Floriano. Participou da coletânea: “Revelando Poetas” (2007), organizada pela turma da UESPI, da disciplina de Literatura Infanto-Juvenil.

NASCIMENTO, Osvaldo Soares do – n. 1930 - Amarante (PI), f. 2000 - Teresina (PI). Filho de Antônio Soares do Nascimento e Osvaldina Soares de Moura. Poeta, romancista e novelista. Formado em Direito. Técnico em Desenvolvimento Econômico. Foi Promotor Público em Teresina. Pertenceu ao Movimento Meridiano. Bibliografia: "Frutos da Terra", poemas; "Há Tantas Estrelas no Céu", novela e "Proteínas Para a Raça Eleita", romance.

NASCIMENTO, Pedro Alcântara do – n. 21-04-1952 - Teresina (PI). Jornalista, radialista e professor. Foi editor chefe dos jornais O Estado, Correio do Povo e A Hora, repórter da TV Clube e do jornal O Dia. Formado em Direito e em Pedagogia. Foi vereador de Teresina e presidente da APCDEPI e do Clube do Repórter do Piauí. Criou a Associação dos Cronistas Esportivos de Teresina. É comentariasta do programa Piauí em Rede, da TV Antena 10 e tem um programa de rádio na Rádio Difusora de Teresina. Bibliografia: “Eleições 88” e “Eleições 92".

NASCIMENTO, Raimundo Wilson Fiúza do – Veja: FIÚZA, Wilson

NASCIMENTO, Rubervan du (Rubervan Maciel do Nascimento) – n. 31-07-1954 - São Luís (MA). Filho de Valdo Isidoro do Nascimento e Leny Ratez Perez. Poeta, ator e violonista. Formado em Direito. Fiscal do Ministério do Trabalho, em Teresina. Pertenceu ao Conselho Editorial do Projeto Petrônio Portela. Presidiu o Centro Colegial dos Estudantes Piauienses - CCEP e a UBE/PI. Pertenceu ao Conselho Editorial da Fundação Cultural Mons. Chaves. Bibliografia: "A Profissão dos Peixes" (1987 e 1993) e “Marco Lusbel Desce ao Inferno” (premiado em 1º lugar num concurso nacional de poesia promovido em 1997, pela Editora Blocos, do Rio de Janeiro. Participou dos livros "Postais da Cidade Verde" (1988); "Poesia Teresinense Hoje" (1988); "Andarilhos da Palavra" (1990); "Aviso Prévio" (1977); "Coração em Dois Tempos" "Ô de Casa" (1977); "Piauí: Terra, História e Literatura" (1980), organizado por Francisco Miguel de Moura e “Baião de Todos” (1996), organizado por Cineas Santos. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), de Assis Brasil. Em 2005, com o livro “Os Cavalos de Dom Rufato”, foi classificado em 1° lugar, no concurso literário de poesia, realizado em Recife (PE).

NASCIMENTO, Teresinha de Jesus – Poetisa, contista e cronista piauiense, natural da cidade de Campo Maior. Vários de seus trabalhos foram publicados com certa regularidade, no jornal "A Luta". Seus poemas "Cascata" e "A Guerra", foram transcritos no livro "Geração Campo Maior - anotações para uma enciclopédia" (1995), de Reginaldo Lima.

NASCIMENTO FILHO, Francisco Alves do – Poeta e jornalista piauiense, falecido no ano de 1894, em Manaus (AM). Colaborou nos jornais O Seminário e O Telefone. Foi um dos fundadores e diretores da Revista Mensal de Literatura, Ciências e Artes. Está presente no livro “Literatura Piauiense - escorço histórico” (1994), de João Pinheiro. Autor do poema "Curvai-vos, Filhos das Trevas" declamado por ocasião da instalação da "Libertadora Piauiense". Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires.

NASCIMENTO JÚNIOR, Reginaldo Pereira do – n. 14-04-1963 - Parnaíba (PI). Jornalista, poeta e cronista. Fez curso de Técnico em Contabilidade. Assina uma coluna no jornal "Norte do Piauí". Assistente administrativo do SESC. Presidiu a Associação Colegial dos Estudantes Parnaibanos. Participou da antologia poética organizada pelo SESC em 1989. Foi classificado em primeiro lugar no concurso de poesias realizado em 1985, pela Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Norte. Editou um livro de poemas.

NATI (Maria Natividade Portela Pereira) – n. 08-09-1919 - Valença (PI). Poetisa. Servidora pública estadual aposentada. Exerceu o cargo de auxiliar de agente tributário na Coletoria de Castelo do Piauí. Bibliografia: “Gotas de amor e de fé” (1989), poemas.

NEGREIROS, Aluízio de Macedo – n. 02-04-1966 - São Raimundo Nonato (PI). Fotógrafo e evangélico. Portador de diploma do ensino médio. Bibliografia: "Estive Morto" (1992), livro de caráter bíblico onde é apresentada uma cronologia da vida e mistério de Jesus Cristo. Contém comentários e notas que não se encontram em textos bíblicos, mas que facilitam e enriquecem a sua compreensão e interpretação. Tem inédito "O Valor das Pérolas", com a mesma temática.

NEGREIROS, Kaio Douglas – n. 02-07-1973 - Teresina, PI. Poeta. Formado em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: “A Decadência das Horas” (1993); “Delírio Amorfo” (Ed. Não-ser), “Portal do Hades” (1996) e “Sobras do Dia / Sombras da Noite” (2002), poemas. Participou da coletânea “Baião de Todos” (1996), organizada por Cineas Santos.

NEGREIROS, R. (Raimundo Araújo de Negreiros) – n. 21.12.1937- São Raimundo Nonato (PI). Filho de Calixto Guerra de Araújo e Maria Bernardina de Sousa Negreiros. Estudou no Liceu do Piauí. Foi um dos fundadores da União Piauiense de Estudantes Secundários, em 1958, tendo sido seu 1º Secretário Geral e 1º Diretor do Teatro Estudantil do Piauí; Representou o Piauí no XXI Congresso dos Estudantes Secundários, na Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, em 1959 - o último, antes do fechamento das UBES, pela Revolução Militar. Estudou no Colégio Maria José (Alameda Glete, SP) e terminou o Clássico, em Belo Horizonte, no Colégio Marconi, na Avenida do Contorno; cursou três anos de Direito, na Faculdade de Direito em Divinópolis, MG, e um, em Petrópolis, RJ, mas deixou tudo para fazer Administração de Empresas, no Rio de Janeiro, onde se Pós-Graduou em Planejamento, Administração de Produção e Materiais. Trabalhou 18 anos no Grupo (Alemão) Hoechst, tendo chegado a gerente de Setor Administrativo na Fábrica de Teresópolis, RJ e encerrado a carreira após seis anos como Técnico de Planejamento junto a Financeira em São Paulo. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: “Geminiano” (1995). Tem inédito “O Último Depoimento”, um livro que traz uma nova experiência sua como “escrivão”, de uma inusitada CPI na Câmara Municipal de Bom Jesus.

NEIVA, Walda (Walda Maria Neiva de Moura Santos Leite) – n. 1952 - Picos (PI), f. 24-12-1985 - BR 316, Aroazes (PI). Professora universitária. Pós-graduada em Comunicação e Semiótica. Pertenceu ao Conselho Estadual de Cultura. Dirigiu o Museu do Piauí. Lecionou na Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: "Comunicação em Análise".

NERY, Flávio Fernando de Lima – Poeta parnaibano ligado ao Grupo Experimental de Poesia "A Veiz do Ônzimo". Participou da antologia poética "Poemarít(i)mos" (1988). Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

NERY, Inez Sampaio – Bacharel em Enfermagem, pela Universidade Federal do Maranhão, Especialista em Administração Hospitalar. Mestra em Enfermagem, pela EEAN/UFRJ. Livre Docente em Enfermagem Obstetrícia e Ginecológica, pela UNI-RIO e Doutora em Enfermagem, pela EEAN/UFRJ, 2000. Professora dos Cursos de Graduação e de Pós-Graduação em Enfermagem, da Universidade Federal do Piauí. Pesquisadora do CNPq. Coordena o Programa de Mestrado em Enfermagem “stricto sensu”, do Departamento de Enfermagem, da UFPI. Bibliografia: “O Aborto Provocado e a Questão de Gênero: Mulheres em Evidência e as Evidências das Mulheres para as Bases da Assistência de Enfermagem” (Adfpi, 2002), escrito em parceria com a peruana Maria Antonieta Rubio Tyrrell.

NERY FILHO, Benedito de Jesus – n. 30-11-1934 - Barras (PI). Religioso, poeta, jornalista. Diplomado em Jornalismo, Filosofia e Teologia. Técnico em Comunicação Social. Assessor de Imprensa e Analista de Administração Pública. Membro da Casa do Poeta Brasileiro (DF), da Academia Anapolitana de Filosofia, Ciências e Letras e da Academia Interamericana de Literatura e Jurisprudência (Anápolis). Bibliografia: "Inspirações" (1958); “Zilma, a vítima da morte” (1958); "Janelas para o Mundo" (1958), poemas; "Minha Mãe, Amor de Minha Vida" (1988); “Do Sonho à Realidade” (1988); "A Poesia na Renovação Cristã" (1989); “A Evangelização 2000” (1989); “A Mãe de Jesus” (1990); "Nazareno na Casa do Pai" (três volumes, 1991); “Subindo a Montanha” (1991); “Misselânia Cristã” (1992); “Vocação Sacerdotal” (1993) "O Livro dos Pais" (1994); “Jornada Cristã” (1996) e Piauí” (1998). Participou das coletâneas: “Versos Diversos” (1979); “Os 21 anos de Brasília” (1981); “Mãe” (1983); “Dez Anos de Poesia e União” (1988); “Antologia dos 20 Anos” (1998), Poebras.

NETO SAMBAÍBA (Nilo Carvalho Neto) – n. 09-07-1955 - Palmeiras (PI). Filho de Antonino Lima de Alencar e Lídia Carvalho Lima. Poeta, escritor e político. Presidiu o Grêmio Nilo Peçanha, da Escola Técnica Federal do Piauí e o Centro Colegial dos Estudantes Piauienses – CCEP. Foi Vice-Presidente da União Brasileira de Estudantes Secundaristas – UBES, pela região nordeste do Brasil e Subsecretário de Relações Internacionais da Organização Continental Latino-Americano dos Estudantes – OCLAE. Fundou e presidiu a Casa da Poesia do Piauí. Membro da Academia de Letras do Médio Parnaíba (PI). Foi Vice-Presidente da União Brasileira dos Escritores, Secção do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. No governo Mão Santa, exerceu importante cargo na Comepi. Bibliografia: “Um Maluco Inteligente”, “Faz Medo Ter Coragem”; “O Grito dos Mudos” (Poesia e contos) e “A Função Biológica do Beijo” (2004), poemas.

NEVES, Abdias da Costa – n. 19-11-1876 - Teresina (PI), f. 28-09-1928 - Teresina (PI). Filho de João da Costa Neves e Delfina Maria de Oliveira Neves. Político, professor, jornalista, magistrado, romancista, historiador e poeta. Formado pela Faculdade de Direito de Recife. Foi Juiz Distrital, Secretário de Governo, Procurador Fiscal da Fazenda, Juiz de Direito, Juiz Federal Substituto e senador da República. Membro da Academia Piauiense de Letras e patrono de uma de suas cadeiras. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico Piauiense. Fundou a "Crisálida", "A Idéia", "A Notícia" e "O Dia". Colaborou em vários jornais do Estado. Bibliografia: "A Guerra de Fidié" (1907); "Imunidades Parlamentares" (1908); "O Padre Perante a História" (1908); "Um Manicaca" (1ª edição, 1909), romance; "Psicologia do Cristianismo" (1910); "A Elegibilidade do Marechal" (1910); "O Brasil e as Esferas de Influências na Conferência de Paz" (1919); "O Piauí na Confederação do Equador" (1921); "Contribuições para a História do Piauí" (1921); "Aspectos do Piauí" (1926); "O Piauí nas Lutas de 1824" e "Velário" (1983), póstuma. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), na coletânea“Os Mais Lindos Sonetos Piauienses” (1940), ambas organizadas por Félix Aires e no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), de Assis Brasil. Comentário: Clóvis Beviláqua diz que Abdias, nos seus escritos, assinala-se uma individualidade vigorosa, dotada de predicamentos intelectuais invulgares, uma inteligência que facilmente se adaptava a qualquer gênero científico ou literário. (Mons. Joaquim Chaves, in "Apontamentos Biográficos e Outros", 1994).

NEVES, Adriano Craveiro – Filho de Nilda e Pedro Craveiro. Bacharel em Direito. Especializado em Direito Constitucional, pela Universidade Cândido Mendes, e em Direito Processual, pela Universidade Federal do Piauí. Servidor do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, onde ocupa o cargo de Secretário de Administração. Professor do Centro de Ensino Unificado de Teresina – CEUT. Ministrou aulas de Direito Processual do Trabalho e Direito Constitucional, na Universidade Estadual do Piauí. É professor de Física do Instituto Dom Barreto. Bibliografia: “Sanções Administrativas nas Contratações Públicas” (2005).

NEVES, Berilo da Fonseca – n. 21-03-1901 - Parnaíba (PI), f. 1974 - Rio (RJ). Farmacêutico, militar, professor, jornalista, poeta, cronista, romancista, crítico literário e filólogo. Reformou-se como general do Exército. Professor de Português do Colégio Militar do Rio de Janeiro. Dirigiu a Companhia Nacional de Álcalis. Foi vice-presidente do Touring Club do Brasil e conselheiro da Associação Brasileira de Imprensa. Era crítico literário do Jornal do Brasil. É patrono de uma das Cadeiras da Academia Parnaibana de Letras. Bibliografia: "A Costela de Adão" (1929); "A Mulher e o Diabo" (1930); "Língua de Trapo" (1934); "Século XXI" (1934); "Caminho de Damasco"; "O Diabo em Férias"; "Cimento Armado" (1936); "Pampas e Cochilhas" e "O Espírito Cristão na Formação da Independência Nacional". Foi incluído nos livros “Aspectos da Literatura Piauiense” (1993), de Alcenor Candeira Filho e “Crônicas de Sempre”, de Adrião Neto (1995).

NEVES, Carvalho (Francisco das Chagas de Carvalho Neves) – n. 09-09-1946 - Parnaíba (PI), f. 23-11-2000 - Belo Horizonte (MG), onde fazia doutorado em Sistemas de Comunicação. Filho de Antônio Soares das Neves e de Almerinda de Carvalho Neves, Administrador, com Especialização em Administração Hospitalar e em Saúde Pública, Pesquisador no Ciberespaço, Professor na UFPI, escritor e poeta. Membro efetivo da Ordem dos Jornalistas do Brasil (RJ), Segundo Vice-Presidente da Academia Brasileira Maçônica do Brasil (GO), membro efetivo da Academia Maçônica de Letras, Ciências e Artes do Nordeste Brasileiro (SE), membro fundador da Oficina de Pesquisa Maçônica da Sereníssima Grande Loja do Estado de São Paulo e de outras instituições do gênero. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Bibliografia: “O Maçom no Mundo Contemporâneo”, 1985; "Manual do Planejamento do Trabalho Maçônico", 1987 e 1989; "Introduções para Loja de Aprendiz", 1989 e 1997; “Uma Visão Geral do Grau de Apendiz”, 1994; "Vôos do Amanhecer", 1990; e "O Homem, A Meta da Administração no Século XXI", 1990. Tem vários trabalhos apresentados em simpósios internacionais e publicados no exterior, entre os quais “La Abolicion de la Esclavitud y la Masonheira Brasileña”, comunicação ao “V Symposium Internacional de Historia de la Masonería Española”, publicada no Vol. I do livro “Masoneira Española y America”, 1993, de J. A. Ferrer Benimeli (coordenador).

NEVES, Eudóxio da Costa – n. 04-09-1879 - Teresina (PI), f. 1933 - Teresina (PI). Poeta e jornalista. Dirigiu os Correios e Telégrafos, no Piauí. Foi um dos fundadores do Cenáculo Piauiense de Letras. Escreveu para jornais de Teresina. Está presente no livro “Literatura Piauiense - escorço histórico” (1994), de João Pinheiro. Publicou poemas em "A Revista". Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires.

NEVES FILHO, Ademar Gonçalves – Poeta, jornalista, contista, cronista e romancista parnaibano. Filho de Ademar Gonçalves Neves – um dos mais notáveis prefeitos de Parnaíba. Trabalhou na ECT, de Parnaíba. Bibliografia: "O Desafio Piauiense" (1969); "Sonhos", poemas (1969); "Aonde Começa a Segurança Nacional" (1970); "Escritos Diversos" (1971); "O Brasil dos Meus Sonhos" (1971); "Páginas Românticas" (1971); "Diálogo: pai e filha"; "Dilúvio Social", teatro; "Futebol não é Ciência" e "Ubi e Irajá", romance, e outros.

NEIVA JÚNIOR, Eduardo de Castro – n. 31-08-1950 - Teresina (PI). Filho de Eduardo de Castro Neiva e Aurora Maria Soares Neiva. Qualificação acadêmica: Post-doctoral research, Research Center for Language and Semiotic Studies, Indiana University (1990), On Culture and Communication, research made possible by a Center for International Exchange of Scholars and a Fulbright scholarship. Ph.D. Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989), dissertation: The Theorical Object of Communication. M.A. in Communication Studies, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1982), thesis: Ciência e Significado. B.A. in Communication Studies, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1979). Diploma in Typographic Design and Print Production, Camberwell School of Arts and Crafts, London (1973.) Professor e escritor. Professor do Departamento de Comunication Studies da Univerty of Alabama at Birmingham nos Estados Unidos. Bibliografia: “Mythologies of Vision:Image, culture, and visuality” (1999); “O racionalismo crítico de Karl Popper” (1999); “Comunicação na era pósmoderna” (1998); “O que aprender com antigas catástrofes: comunicação, técnica e sociedade” (1996); “Um inferno de espelhos: comunicação, cultura e mundo natural” (1992); “Comunicação: teoria e prática social” (1991); “Sapatilhas de Satã” (l986); “A imagem” (l986); “Táticas do signo: semiótica e ideologia” (1983). Tem participação em vários livros.

NEWTON, Rogério (Rogério Newton de Carvalho Sousa) – n. 21-12-1959 - Oeiras (PI). Filho de Carlos Borromeu de Carvalho e Alcina de Carvalho Sousa. Poeta e cronista. Formado em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Foi aprendiz de topógrafo, radialista, professor, advogado de empregados e assessor jurídico da Associação Piauiense de Defesa do Patrimônio da Comunidade. Trabalhou com aposentados e meninos de rua. Defensor público em Teresina. Colabora com a imprensa local e com a Revista do Instituto Histórico de Oeiras. Bibliografia: “Ruínas da Memória” (1994), crônicas e “O Pescador da Tribo” (2001), crônicas. Participou da coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), de Adrião Neto e “Baião de Todos” (1996 - poemas), organizada por Cineas Santos.

NIL (Nileide Barbosa Soares) – n. 26-03-1947 – Jardim do Mulato então município de Regeneração, atual município de Jardim do Mulato (PI). Poetisa, compositora, trovadora e empresária. Autodidata. Produziu coletivamente algumas obras na área da Arte Popular e Folclore. Bibliografia: “Encantados Contos” (2002).

NÓGREGA, Maria do Socorro Santos – n. 27-01-1981 – Barão de Grajaú (MA). Filha de Geraldo Urquisa da Nóbrega e Maria de Sousa Santos. Professora e Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, bloco IV, da Universidade Estadual do Piauí / Campus Josefina Demes, de Floriano. Participou da coletânea: “Revelando Poetas” (2007), organizada pela turma da UESPI, da disciplina de Literatura Infanto-Juvenil.

NOGUEIRA, Edgard – n. 23-06-1913 - Teresina (PI), f. 24-05-1978 - Rio (RJ). Filho de Júlio Nogueira e Maria do Rego Nogueira. Magistrado, professor, jurista e contista. Desembargador. Presidiu o Tribunal de Justiça e o Tribunal Eleitoral do Piauí. Foi professor e diretor da antiga Faculdade de Direito do Piauí e professor da Universidade Federal do Piauí. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: "Inútil Assassínio", conto policial; "Prisão Preventiva e Arbítrio Judicial", tese; "Alegações em Processo-Crime do Júri"; "Do Conceito de Sedução no Crime de Defloramento"; "Sobre a Circunstância Atenuante do Exemplar Comportamento Anterior"; "A Evolução Histórica do Processo Penal"; "Aspectos da Falta de Justa Causa em Pedidos de Habeas-Corpus"; "Desertação da Apelação" e "O Elogio do Bacharel". Comentário: Escreve com segurança, amor ao vernáculo, discernimento crítico, elegância de estilo. (Darcy Araújo, in Trechos da Crítica Literária, Notícias Acadêmicas, nº 26, fevereiro de 1988).

NOGUEIRA, Edilson de Araújo – n. 1960 - Corrente (PI). Advogado, professor universitário, poeta e romancista. Licenciado em Estudos Sociais e em História. Bacharel em Direito, pela Universidade Regional do Nordeste e Pós-graduado em Direito Penal, pela Universidade Estadual da Paraíba, em em Metodologia do Ensino Superior, pela Universidade Estadual do Piauí. Foi líder estudantil. Presidiu o Centro Acadêmico de Estudos Sociais. Foi vice-presidente e presidente do Diretório Central dos Estudantes, da Universidade Regional do Nordeste. Foi membro do Conselho Superior, da Universidade do Nordeste e do Conselho do Curso de Pós-graduação, em nível de Especialização em Direito Penal, da Universidade Estadual da Paraíba, representando o corpo discente. Entre as funções que exerceu na Paraíba, foi assessor especial do então prefeito de Campina Grande, Cássio Cunha Lima; advogado da Coligação Democrática Campinense; advogado da Coligação Frete Paraíba; advogado do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e Assessor Jurídico da Empresa Municipal de Urbanização da Borborema. Atualmente reside em sua terra natal, onde mantém escritório de advocacia e exerce o cargo de professor da Universidade Estadual do Piauí. Integrou o corpo docente da Faculdade do Cerrado Piauiense. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: “Chibata”, romance; “Arre Égua”, romance (1996); “Raízes de Minha Terra” (2002), história e “Moleques” (2005), saga nordestina.

NOGUEIRA, Elizabeth de Andrade Gomes – n. 12-12-1933 - Pedro II (PI). Filha de Vicente Gomes de Sousa e Francisca Andrade Gomes. Poetisa e pintora. Tem curso de Licenciatura Plena em Letras, pela Universidade Federal do Piauí. Fez Especialização em Métodos e Técnicas de Ensino, na UFCE e Mestrado em Educação, com Área de Concentração em Métodos e Técnicas de Ensino, na Universidade Federal Fluminense. Foi professora da UFPI, onde coordenou os Cursos de Especialização em Educação. Membro da Academia de Letras e Artes de Pedro II Bibliografia: “Para Entender Didática: Uma Introdução à Teoria e à Prática Docente” (Edufpi, 2003); “Viajando Há Setenta Anos” e “Viver como Vive a Águia” (2005). Participou da “Antologia Escritores”, Volumes II e III (2002 e 2004), organizada por Tomaz Gomes Campelo. Tem artigos publicados em revistas de educação.

NOGUEIRA, Fabiano de Cristo Rios – n. 07-04-1947 - Floriano (PI). Professor e crítico literário. Formado em Letras. Professor de Literatura Brasileira, na Universidade Federal do Piauí. É conselheiro e presidente do Plano Editorial da FUFPI. Membro da UBE/PI. Bibliografia: "O Mundo Degradado de Lucínio: A Incomunicabilidade em Rio Subterrâneo" (1985). Juntamente com Maria Gomes Figueiredo dos Reis, Maria do Socorro Rios Magalhães e Maria do Perpétuo Socorro Neiva Nunes do Rego, integrou a comissão organizadora da revista "Da Costa e Silva" e da 2ª edição do livro "Poemas" (1989), de Ovídio Saraiva de Carvalho e Silva, publicados pela Universidade Federal do Piauí.

NOGUEIRA, Gustavo Martins – n. 21-03-1973 - Picos (PI). Pesquisador. Graduado em Direito. Crítico cinematográfico. Colaborou com os jornais “O Estado” e “Diário do Povo”. Em 1993, foi classificado no concurso "Novos Autores", promovido pela Fundação Cultural Mons. Chaves. Bibliografia: "Colônia do Gurguéia – Uma Nova Proposta Social" (1993), obra premiado no concurso supra mencionado.///////////////// embaixador???????????????????

NOGUEIRA, Jackson Cunha – n. 10-07-1928 - Corrente (PI). Filho de Luís Cunha Nogueira e Emma Etelvina Nogueira. Genealogista, poeta, político, comerciante e agropecuarista. Na década de 50, foi vereador, presidente da Câmara Municipal e vice-prefeito de Corrente. De 1982 a 1988, exerceu o mandato de prefeito de Cristalândia do Piauí. Comendador da Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí. Presidente fundador e vice-presidente da Cooperativa Micro Regional de Corrente, presidente e diretor de protocolo do Rotary Clube de Corrente. Presidiu o Sindicato Rural Patronal de sua terra natal. Bibliografia: “As Curvas do Destino”; “Memórias de um Líder”; “Dois Gêmeos, Dois Lutadores, Dois Irmãos, Dois Vencedores”; “Bodas de Ouro” e “O Patriarca – Troncos e Galhos” (Ed. Andrade, 2008, 265 páginas), obra na qual o autor descreve a genealogia das famílias Nogueira e Cunha, com ênfase especial para a trajetória de vida do patriarca, o Coronel Benjamim José Nogueira. Jackson participou da “Crestomatia Poética Sul-Piauiense” (1990), organizada por Cândido Carvalho Guerra.

NOGUEIRA, José da Cunha – n. 1946 - Corrente (PI). Pesquisador e poeta. Advogado e Auditor Geral da Prefeitura de Goiânia. Presidiu a Junta Comercial do Estado de Goiás. Pertence a várias instituições sociais, culturais e de classe. Atualmente, reside em Palmas, TO, onde se dedica a advocacia. É verbete dos livros: “Estudos Literáios de Autores Goianos”, “Escritores de Goiás”, “Dicionário Biobibliográfico de Goiás” (1999), e “Dicionário Biobibliográfico do Tocantins”, todos de Mário Ribeiro Martins. Bibliografia: “Manual Eleitoral”.

NOGUEIRA, José do Patrocínio – n. 08-11-1921 - Esperantina (PI), f. 2001 - Belo Horizonte (MG). Filho de José Nogueira de Aguiar e Elisa Nogueira de Aguiar. Professor, poeta e militar. Formado em Administração de Empresas. Oficial do Exército, reformado no posto de tenente-coronel. Homem de vasta cultura. Bibliografia: "Águia Sem Ninho" e "Excursão ao Pantanal Tupiniquim". Participou da coletânea Lítero-Musical Princesa do Longá, organizada por Valdemir Miranda.

NOGUEIRA, Luís Nódgi – n. 23-07-1914 - Teresina (PI), f. 26-03-1995 - Teresina (PI). Professor universitário. Consultor Jurídico do Estado, Procurador Geral da Justiça e membro do Tribunal Regional Eleitoral. Bibliografia: "Da Necessidade de Individualizar a Pena" e "O Delito do Contágio Venéreo".

NOGUEIRA, Manoel Rodrigues – n. 14-06-1940 – Valença do Piauí (PI). Filho de João Rodrigues Nogueira e Antônia Pinto Nogueira. Poeta popular e repentista. Fez apresentações e cantorias e programas radiofônicos. Foi incluído na “Antologia dos Cantadores e Poetas Populares do Piauí” (2006), organizada por Joames.

NOGUEIRA, Marcos Patrício (Marcos Patrício Nogueira Lima) – n. 08-02-1958 - Pedro II (PI). Filho de Manoel Nogueira Filho e Aparecida Patrício Medeiros. Poeta e cronista. Bacharel em Direito, pela Universidade Federal do Piauí. Procurador do Poder Legislativo, professor da UFPI e advogado municipalista. Foi professor de vários colégios da rede particular e da Escola Técnica Federal do Piauí. Trabalhou na Assessoria Jurídica da APPM. Bibliografia: Participou do opúsculo “Desen(canto)”, editado em 1977, em parceria com José Olímpio Leite de Castro e Francisco Miguel de Moura. Foi incluído na coletânea “Escritores” (2000), organizada por Tomaz Gomes Campelo.

NOGUEIRA, Raimundo Lustosa – n. 1880 - Parnaguá (PI), f. 1961 - Parnaguá (PI). Filho de Antônio Lustosa Nogueira, neto do Barão de Paraim e sobrinho do Marquês de Paranaguá e do Barão de Santa Filomena. Magistrado e escritor. Formando em Direito, em São Luiz do Maranhão. Foi juiz de direito, em Parnaguá, Corrente, Picos e no Estado do Amazonas. Foi chefe político e um dos protagonistas da convulsão social de Parnaguá e Corrente, no Sul do Piauí, na década de 20. Chefiou a facção do cangaço denominada de “Mocó”, defensora da família Lustosa Nogueira, que tinha como inimigo os jagunços da facção conhecida como “Guará”, chefiada por Zé Honório (Coronel da Guarda Nacional José Honório Granja). Bibliografia: "...E Assim Veio o Banditismo no Estado do Piauí", editado em 1942, na cidade de Salvador (BA).

NOGUEIRA, Sátiro Alexandrino – n. 12-01-1907 - Tauá (CE). Falecido em Teresina (PI). Magistrado e professor. Bacharel em Direito. Foi Juiz de Direito em várias comarcas do interior do Piauí. Desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí. Foi professor da antiga Faculdade de Direito do Piauí. Bibliografia: "Coisas e Loisas"; "Português - Idioma do Brasil"; "Das Sentenças Inexistentes e Nulas em Face da Ação Rescisória"; "Aplicação da Pena do Novo Código Penal"; "Do Pagamento das Custas"; "Interposição de Recursos e Execução da Sentença"; "O Imposto Municipal de Licença e os Limites de sua Aplicação"; "Prisão Preventiva e Circunstâncias Descriminantes"; "Nulidades Processuais" e outros. Inéditos: "Recreações Matemáticas"; "Retalhos de Shakespeare" e "Congruências e Divisibilidade dos Números Inteiros".

NOGUEIRA, Solon – Poeta cordelista piauiense, radicado em Teresina. Autor de alguns cordéis. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

NOGUEIRA, Sônia Maria Rodrigues – Formada em Serviço Social. Bibliografia: "Movimentos Sociais e a Politização das Massas Populares: as forças que movem as transformações sociais" (1981), editado pela APL. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

NOGUEIRA FILHO, Luís Nódgi – Médico e professor universitário, natural de Teresina, PI. Tem especialização em cardiologia. Maçom. Foi Grão-Mestre da Grande Loja Oriente do Brasil, no Estado do Piauí. Membro fundador da Academia Maçônica de Letras do Piauí. Titular da Academia de Medicina do Piauí. Bibliografia: "Contribuição à História da Maçonaria no Piauí" (2º edição, 2002) e “Recordações de Caçadas” (2003). Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

NORONHA, Antônio Alves – n. 1904 - Teresina (PI), f. 1962 - Paris (França). Filho de Joaquim Antônio de Noronha e Amélia Costa de Noronha. Engenheiro e professor. Doutor Honoris Causa, pela Escola Politécnica de Zurique (Suíça). Lecionou na PUC/RJ, na Escola Nacional de Engenharia e na Escola Técnica do Exército. Patrono da Cadeira nº 35 da Academia Piauiense de Letras. Um dos monstros sagrados da engenharia nacional. Seu escritório calculou, entre outras, as estruturas do Maracanã, do Ministério da Fazenda e do Hotel Quitandinha. Bibliografia: "Funções Comuns do Concreto Armado" (1932), Rio.

NORTE, Leão do (Francisco Batista) – n. 1906 - Pernambuco. Poeta e cronista. Morou em Parnaíba, onde era funcionário da Alfândega e colaborava na imprensa local, especialmente no Almanaque da Parnaíba. Também foi cronista do jornal O Norte. Foi incluído na “Antologia de Sonetos Piauienses”, de Félix Aires (1972), com o soneto “Impossive”.

NORTE, Leão Sombra do (Leão Sombra do Norte Fontes) – n. 27-10-1928 - Picos (PI). Ator, poeta, teatrólogo, contista, folclorista, cronista, radialista, jornalista professor, biógrafo de Castro Alves, advogado, diretor de cinema e vídeo. Dirigiu a Casa Anísio Brito (Biblioteca, Arquivo Público e Museu Histórico do Piauí). Diretor do Serviço de Teatro do Piauí e Supervisor do Movimento de Educação de Base. Foi um dos fundadores, secretário-geral e presidente da Academia Taguatinguense de Letras. Idealizador e presidente do Comitê Nacional do Sesquicentenário de Castro Alves. Membro do Sindicato dos Escritores de Brasília (consultor jurídico), membro da Associação de Imprensa de Brasília, Cidadão Taguatinguense e cidadão Brasiliense, diretor do elenco do filme “Sgt. Hollenbach - Herói no Coração do Brasil”, de autoria do piauiense J. Erivelto. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Editor da coletânea “Escritores Candangos e Convidados”. Participou de várias antologias, entre as quais, “Balaio Literário”. Tem inéditos: “Fagulhas D Alma”, poemas; “Três por Quatro sem Retoques”; “Sertão por Dentro e por Fora” e outros. Ex-assessor da Administração Regional de Taguatinga - DF, detentor das Medalhas: 500 Anos do Descobrimento do Brasil, Pioneiro Destaque de Taguatinga entre outras.

NUNES, Abelardo Teixeira – n. 10-02-1932 - Regeneração (PI). Filho de Severino Teixeira Nunes e Amanda Mendes Lopes Nunes. Poeta, contista, professor. Formado pela Faculdade de Direito de São Luiz do Maranhão. Exerceu o cargo de Promotor Público no Maranhão e em Minas Gerais, onde, atualmente, é Procurador de Justiça. Foi professor de Direito Processual Penal na Faculdade de Direito de Montes Claros (MG), onde, também, foi professor secundarista. Membro da Academia Montesclarense de Letras. Bibliografia: "Canção da Espera Longa", poemas e "Chão Grande dos Gerais", contos. Foi incluído na "Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), organizada por Félix Aires.

NUNES, Absolon de Deus – n. 11-02-1914 - Lagoa Grande, Picos (PI). Poeta, professor e político. Bibliografia: "Poesias do Coração" e "Pensamentos".

NUNES, Afrânio Messias Alves – n. 15-02-1924 - Amarante (PI). Advogado, político, professor e desportista. Elegeu-se deputado estadual por quatro legislaturas. Presidiu a Assembleia Legislativa do Piauí e a Academia de Letras do Médio Parnaíba. Bibliografia: "Homens e Fatos do Meu Tempo" (1993).

NUNES, Alberto de Deus – Poeta picoense falecido em 1970, em sua terra natal. Autor do livro "Manifestações Poéticas" (2007), lançado pela esposa e filhos do escritor, 37 anos após sua morte. O evento foi organizado pela família, com apoio da ALERP - Academia de Letras da Região de Picos, no Plenário da Câmara Municipal. Homenagens também foram prestadas à esposa do autor, Almerinda Batista de Moura Nunes, pelo empenho para a edição da obra.

NUNES, Alcides Martins – n. 19-05-1918 - Valença do Piauí (PI). Jornalista, biógrafo, historiador e político. Bacharel em Direito. Foi deputado estadual por três mandatos. Foi signatário da Constituição Estadual de 1947 e vice-presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Piauí. Foi conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Pertence ao Instituto Histórico e Geográfico Piauiense. Bibliografia: "Anuário de Valença do Piauí", co-autoria, 1952; "Cronologia Histórica de Valença" (1962); "Discursos" (1968); "Participação do Piauí na Luta pela Independência do Brasil" (1972); "Meu Bisavô Norberto de Castro" (1974) e "Prestação de Contas". Tem inédito: "Meu Pai".

NUNES, Aurimar (Jacobino de Barros) – n. 13-11-1974 - Teresina (PI). Filho do professor e escritor José Ribamar de Barros Nunes e de Ana Maria Jacobino. Bacharel em Ciências Políticas. Tem Mestrado em Relações Internacionais, pela Universidade de Brasília. Diplomata de Carreira e ex-Assessor Internacional-IICA-OEA. O autor escreve de maneira esporádica e atípica: prefere contemplar as pessoas e os fatos, ler e viajar. Trabalhou no Itamarati. Em suas andanças, já foi visto em Trinidad e Tobago, Barbados, Santa Lúcia, México, Estados Unidos, Portugal, Espanha, França, Alemanha, Mônaco e Suíça. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1998), de Adrião Neto. Faz parte do corpo diplomático do Brasil, na Argentina. Bibliografia: “Diálogo do Abismo”(1992), poemas. Escreveu uma monografia sobre o neoliberalismo. É autor de uma dissertação de mestrato sobre Torquato Neto. Participou da coletânea “Passarela de Escritores” (1997), organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho e da “Antologia Escritores” (2000), organizada por Tomaz Gomes Campelo.

NUNES, Carminha Clark – Romancista parnaibana radicada em Fortaleza. Bibliografia: "Migalhas de Felicidades" (1978), romance. Lamentavelmente, em prejuízo da divulgação do próprio autor e de sua atividade literária, a obra não apresenta dados biográficos.

NUNES, Mons. Cícero Portela – n. 03-06-1884 - Valença do Piauí (PI), f. 02-01-1964 - Rio (RJ). Filho de João Pereira Nunes e Antônia Joaquina Portela Nunes. Poeta, professor, conferencista e jornalista. Foi vigário de União, Campo Maior e Teresina. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico Piauiense. Bibliografia: “Lázaro”; "O Desejado"; "Romance do Vilela” e "História Religiosa do Piauí". Foi incluido na “Antologia de Sonetos Piauienses” (1972), de Félix Aires.

NUNES, Francisco Carvalho – n. 10-05-1952 - Magalhães de Almeida (MA). Filho de Pedro Calixto Nunes e Maria  Doriana de Carvalho Nunes. Poeta popular, agricultor e líder comunitário em Buriti dos Lopes. Estudou apenas as primeiras letras. É conhecido em toda a região do Baixo Parnaíba como “Nenen Calixto”.  Bibliografia: “História da Lagoa do Buriti” (1986), cordel. Foi incluído na “Coletânea de Poetas Buritienses Contemporâneos” (2000), organizada por José Luiz de Carvalho.

NUNES, Francisco das Chagas – n. 26-05-1965 – Vereda, município de São Francisco do Maranhão. Filho de Deodoro Rodrigues Nunes e Isabel Maria Nunes Poeta. Naturalizou-se Amarantino por convicção materna, mas jamais residiu em sua cidade natal. Aos sete anos de idade mudou-se para Floriano. Cursou os dois primeiros anos da escola primaria no Grupo Escolar Areia Leão, completando as séries seguintes no Grupo Escolar Wlisses Marques. Concluiu o período ginasial na “Unidade Escolar Monsenhor Lindolfo Uchoa”.  Começou o segundo grau (nível médio) no “Colégio Estadual Osvaldo da Costa e Silva” com o curso de crédito e finanças e o finalizou na Escola Técnica Estadual Calisto Lobo (PREMEN) com o curso Técnico em Contabilidade. Nesta fase, deu mostras de sua virtual capacidade, criando o esboço da bandeira do colégio e compondo o hino do mesmo.  Morou em São Paulo e em Belém do Pará.  Bibliografia:  “O ser e o Obstáculo” (Um drama em prosa e versos) e uma coautoria de Frei Vicente, “A Vida de um Missionário” (Documentário), possui ainda quatro títulos para ser lançado oportunamente.

 



NUNES, Jônathas de Barros – n. 05-06-1934 - Jerumenha (PI). Filho de Aurino da Rocha Nunes e Maria Balduíno Nunes. Professor, político e militar. Bacharel em Física, pela UnB, e em Ciências Jurídicas, pela UFRJ. Proficiência em Inglês, pela Universidade de Cambridge. É Doutor em Física, pela Universidade de Londres. Curso Superior da Academia Militar das Agulhas Negras. Professor titular de Física da UFPI. Foi Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFRJ. Foi professor associado da PUC/RJ; professor assistente da UnB; professor adjunto da UFRRJ, professor da Fundação Educacional do DF. Membro do Conselho Universitário, Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFPI. Além de outras funções que exerceu no magistério, exerceu também, um mandato de deputado federal, pelo Piauí. Foi Reitor da Universidade Estadual do Piauí, Secretário de Estado da Educação do Estado do Piauí. Secretário de Ciências e Tecnologia do Estado do Piauí, do governo Wellington Dias. Pertence à Academia Piauiense de Letras e à União Brasileira de Escritores do Piauí. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Bibliografia: "Massive Spin Two Fields and General Relativity" (1973), tese de doutoramento; "Tempo de Universidade" (1994); “Educação em Dois Tempos” (1997) e “Maria Helena – Farol de Olhos Azuis” (2009), obra memorialistica em homenagem à sua esposa falecida. Tem vários trabalhos nos "Anais da Academia Brasileira de Ciências”. Participou da coletânea “Passarela de Escritores” (1997), organizada por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

NUNES, Jeovah de Moura – n. 02-02-1945 – Picos (PI). Poeta. Filho de funcionário público federal e de camponesa. Morou em várias cidades de São Paulo, inclusive na capital, onde foi camelô. Trabalhou na da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo. Detém menção honrosa por participação em concurso literário no Rio Grande do Sul. Fez lançamento de livro na XV Bienal Internacional do Livro, em São Paulo. Possui o registro profissional de Jornalista, concedido pelo Ministério do Trabalho. Bibliografia: “Pleorama” (1994), poemas; “És Mulher” (1996); “Prepare-se para o Sucesso” (1996) e “Memórias de um Camelô” (2004).

NUNES, Nelson (Nelson José Nunes Figueiredo) – n. 20-05-1954 - Teresina (PI). Poeta e cronista. Formado em Direito, pela Universidade Federal da Bahia. Advogado militante. Membro da União Brasileira de Escritores do Piauí-UBE/PI. Em Belém, onde iniciou seu curso de Direito, participou das atividades literárias publicando crônicas nos jornais locais. Participou, também, do Festival Universitário de Música e Poesia. Foi um dos fundadores do jornal Floretim. Bibliografia: “Na Boca do Vulcão” (1987); “Oper-á-rio” (1978); “Árvore de Papel” (1981). Participou dos livros “O Rio” (1980), “Postais da Cidade Verde” (1988) e “Baião de Todos” (1996), organizado por Cineas Santos. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), organizado por Assis Brasil.

NUNES, Francisco Carvalho – n. 10-05-1952 - Magalhães de Almeida (MA). Filho de Pedro Calixto Nunes e Maria Doriana de Carvalho Nunes. Poeta popular, agricultor e líder comunitário em Buriti dos Lopes. Estudou apenas as primeiras letras. É conhecido em toda a região do Baixo Parnaíba como “Nenen Calixto”. Bibliografia: “História da Lagoa do Buriti” (1986), cordel. Foi incluído na “Coletânea de Poetas Buritienses Contemporâneos” (2000), organizada por José Luiz de Carvalho.

NUNES, Heli da Rocha – Historiador. Filho de Aurino da Rocha Nunes e Maria Balduíno Nunes. É o pai de Torquato Neto. Segundo Herculano Moraes, in Visão Histórica da Literatura Piauiense, Floriano tem em Heli da Rocha Nunes, seu principal historiador e acrescenta que ao perfilar personagens que construíram a história política e social da cidade, Heli Nunes traça o roteiro dessa memória em “...E o Tufão Soprou na Colônia”, com o subtítulo Histórias e Estórias dos sucessos de uma cidade. O livro foi editado em 1993, pela Editora da Universidade Federal. São crônicas sucessivas, que formam um bloco, em que os fatos são narrados sem preocupações cronológicas, mas com o objetivo de relembrar acontecimentos, já incorporados à tradição popular.

NUNES, Manoel Paulo – n. 11-10-1925 - Regeneração (PI). Filho de Francisco de Paula Teixeira Nunes e Raimunda da Silva Nunes. Professor universitário e ensaísta. Formado em Ciências Jurídicas e Sociais. Professor titular da Universidade Federal do Piauí, técnico em Assuntos Educacionais do MEC, aposentado. Presidiu a Fundação de Ensino Superior do Piauí e a Fundação Cultural do Estado. Foi Secretário de Estado da Cultura, assessor do Ministro da Educação e assessor do Departamento de Ensino Fundamental do MEC. Pertenceu ao Conselho Estadual de Educação do Piauí. Sócio da UBE/PI. Presidiu a Academia Piauiense de Letras, por dois mandatos (1992-1996) e preside o Conselho Estadual de Cultura desde 13-01-1992. Foi um dos integrantes do Grupo Meridiano e da Arcádia dos Novos. Em 2005, foi contemplado com o prêmio João Ribeiro, da Academia Brasileira de Letras. Bibliografia: "A Geração Perdida - Ensaios e Notas Críticas" (1979); "A Província Restituída - Ensaios e Estudos" (1981 e 1985); “O Discurso Imperfeito” (1988); "Solidões Justapostas" (1994); “Tradição e Invenção - discursos acadêmicos” (1992); “Modernismo & Vanguarda” (1996); “Tradição e Invenção – nova série” (1998); “As Duas Faces na Nova Cultura” (1998); “Tradição e Modernidade em Eça de Queiroz” (2000) e muitos outros trabalhos divulgados através de jornais e revistas, entre os quais: "Panorama"; "Registro Crítico - O Retorno à Infância"; "Registro Crítico - Fora da Vida"; "Formação Histórica do Município de Regeneração" e "A Saga da Geração Perdida". Foi incluído na coletânea “Crônicas de Sempre” (1995), organizada por Adrião Neto. Comentário: ...homem de palavra fácil, fluente e fértil, ancorada em boa memória e admirável erudição. Percebe-se também sua inteireza moral, mas sem moralismo, de homem firme em suas idéias e convicções... (Elmar Carvalho, in "As Solidões Justapostas", revista Presença, 2º semestre de 1994).

NUNES, Maria Cecília Silva de Almeida – n. 11-08-1934 - Parnaíba (PI). Professora e pesquisadora. Licenciada em História. Fez Mestrado em História do Brasil. Tem especialização em Metodologia da História. Professora da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: "O Poder Político no Piauí", dissertação e "Piauí: Tempo e Espaço" (1992), livro didático de Estudos Sociais, elaborado em parceria com Iracilda Maria Moura Fé Lima e Emília Maria de Carvalho Gonçalves Rebelo. Publicou trabalhos em revistas especializadas.

NUNES, Odilon (José) – n. 10-10-1899 - Amarante (PI), f. 22-08-1989 - Teresina (PI). Filho de Gil José Nunes e Presilina Liberalina Ribério do Bonfim. Professor e historiador. Exerceu os cargos de Inspetor Técnico do Ensino, Coordenador do Censo Estatístico Escolar e Diretor de Instrução Pública do Estado. Pertenceu à Academia Piauiense de Letras e ao Instituto Histórico e Geográfico Piauiense. Bibliografia: "O Piauí na História"; "Súmula de História do Piauí"; "Pesquisas Para a História do Piauí", 4 volumes; "Economia e Finanças" (Piauí colonial); "Os Primeiros Currais"; "Devassamento e Conquista do Piauí"; "O Piauí, seu Povoamento e seu Desenvolvimento"; "Estudos da História do Piauí" e "Raízes do Terceiro Mundo".

NUNES, Petrônio Portela – n. 12-09-1925 - Valença do Piauí (PI), f. 06-01-1980 - Brasília (DF). Filho de Eustáquio Portela Nunes e Maria Ferreira de Deus Nunes. Professor, político e estadista. Formado em Direito, pela Universidade Nacional do Rio de Janeiro. Foi deputado estadual, líder da oposição na Assembleia Legislativa e presidente da Comissão de Constituição e Justiça. Secretário geral e presidente do Diretório Regional da UDN. Prefeito de Teresina, governador do Estado e senador da República, por duas legislaturas. Presidiu o Senado e o Congresso Nacional, por duas vezes. Foi vice-líder do Governo, líder da Arena e do Governo. Foi ministro da Justiça. Articulou a anistia, o fim do AI-5 e a reforma partidária. Detentor de várias comendas. Membro da Academia Piauiense de Letras. Bibliografia: “Tempos de Congresso” (depoimentos políticos - 2 volumes).

NUNES, Jeovah de Moura – n. 02-02-1945 – Picos (PI). Poeta. Filho de funcionário público federal e de camponesa. Morou em várias cidades de São Paulo, inclusive na capital, onde foi camelô. Trabalhou na da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo. Detém menção honrosa por participação em concurso literário no Rio Grande do Sul. Fez lançamento de livro na XV Bienal Internacional do Livro, em São Paulo. Possui o registro profissional de Jornalista, concedido pelo Ministério do Trabalho. Bibliografia: “Pleorama” (1994), poemas; “És Mulher” (1996); “Prepare-se para o Sucesso” (1996) e “Memórias de um Camelô” (2004).

NUNES, José Ribamar de Barros – n. 24-10-1936 - Elizeu Martins (PI). Filho de Aurino da Rocha Nunes e Maria Balduíno Nunes. Professor e cronista. Formado em Direito, pela Faculdade de Direito do Piauí e em Letras Neolatina, pela Faculdade Católica de Filosofia do Piauí. Tem Mestrado em Direito. Pertenceu ao Conselho Estadual de Educação. Professor universitário. Lecionou em vários educandários de Teresina e em Brasília. Foi consultor legislativo do Senado Federal, postalista da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Técnico do Tribunal de Contas da União. Bibliografia: "Crônicas Vividas" (1974) e “Regulamento-Lei” (1981). Tem um trabalho publicado na Revista Escritores, editada pela UBE/PI. Comentário: Cronista de redação direta e simples (...). Sabe focalizar o homem com seus dramas, angústias e seus caracteres sociológicos. (Herculano Moraes, in "Visão Histórica da Literatura Piauiense", 3ª edição, 1991).

NUNES, Marcus Vinicius Bucar – 09-01-1945 - Floriano (PI). Jornalista e publicitário. Formado em Administração de Empresas e em Jornalismo. Reside em Brasília, onde é publicitário e diretor de agência de publicidade. Bibliografia: "Zico - uma lição de vida" (1986).

NUNES, Sonita da Cunha – Poetisa parnaibana, filha do consagrado poeta Alarico da Cunha. Sonetista de rara inspiração e ternura. Colaborou no Almanaque da Parnaíba e no jornal Aljava. Mudou-se para o Rio de Janeiro. Tem livro publicado. Foi incluída na "Antologia de Sonetos Piauienses”, de Félix Aires (1972), com o soneto "Meu Pai Alarico da Cunha".

NUNES, Maria Amélia Pereira de Almeida – n. 17-04-1954 – Monção (Portugal). Professora da rede pública municipal de Teresina. Graduada em História, pela Universidade Estadual do Piauí. Pós-Graduada em Docência do Ensino Superior e História do Brasil nas Relações Internacionais, pela UESPI. Autora do texto: “Classes Sociais Versus Ensino Noturno”, capítulo VIII do livro: “A Prática e o Saber Docente” (s/d), publicado pela SEMEC/Prefeitura Municipal de Teresina.

NUNES, Maria Cecília Silva de Almeida – n. 11-08-1934 - Parnaíba (PI). Professora e pesquisadora. Licenciada em História. Fez Mestrado em História do Brasil. Tem especialização em Metodologia da História. Professora da Universidade Federal do Piauí. Bibliografia: "O Poder Político no Piauí", dissertação e "Piauí: Tempo e Espaço" (1992), livro didático de Estudos Sociais, elaborado em parceria com Iracilda Maria Moura Fé Lima e Emília Maria de Carvalho Gonçalves Rebelo. Publicou trabalhos em revistas especializadas.

NUNES FILHO, Eustáquio Portela – Veja: PORTELA, Eustáquio

NUNES FILHO, João – Natural da cidade de Picos (PI). Professor universitário, poeta e cronista. Graduado em Letras com habilitação em Literatura Luso-brasileira, pela UFPI/Campus de Picos, onde também fez o curso de Direito. Como estudante do curso de Letras, começou a estudar os grandes autores da Literatura Universal e teve importante atuação para a realização da I Semana Universitária de Picos. Na década de 80, participou da fundação do jornal do Junco “Periódico”. Teve grande atuação como desportista. Participou da fundação do Grêmio Literário “Severo Eulálio”. Fundou o Grupo Cultural “Visão”, com o objetivo de discutir a arte. Iniciou-se na poesia com o poema “Valeu a Pena” e logo depois se dedicou à crônica. Como professor dos colégios São Lucas e Prisma e do Curso de Literatura Plena em Letras da UFPI/Campos de Picos, deu grande ênfase ao ensino de Literatura Piauiense, promovendo vários seminários, tendo como conferencistas alguns dos mais importante escritores do Estado. É verbete do “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos” (1988), de Adrião Neto. Participou da coletânea “Passarela de Escritores” (1997), org. por Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

Comentarios

Inclua  seu comentário                               

                                            

Nome:                               Mail:

 

                                              

CAPTCHA Image          

 




De sua nota para este Texto             
Currículo do Autor Exibido: Contador disponível só para assinantes - Assine Aqui
 
Receba um aviso sempre que este autor publicar novos textos, clique aqui
Patrocine esse Autor Patrocine esse Texto envie este texto para um amigoveja outros textos deste autor





VITRINA DE E-BOOKS
OS PROBLEMAS DO PAÍS E A FALTA DE ATITUDE DOS POLÍTICOS
Nilza Paiva
SESMARIA DE OUTONO
José Ernesto Kappel
O SEQUESTRO DO DEPUTADO
Djalma Ferreira
VITRINA DE LIVROS IMPRESSOS
HISTÓRIAS QUE CONTAVA PARA O MEU NETO
Maria Hilda de J. Alão
FUTEBOL TAMBÉM É COISA DE MULHER
Maria Teresa Innecco Corrêas
Dona Joaquina do Pompéu-Sua História e a sua Gente
Deusdedit P.R. Campos
BACABA II - TODA A VERDADE SOBRE A GUERRILHA DO ARAGUAIA E A REVOLUÇÃO DE 1964
José Vargas Jiménez
Estação Jugular - Uma estrada para Van Gogh
Allan Pitz
Estação Poética - Jandira Costa
Ana Carolin
Lina e Lero e o Castelo Mágico - Lina et Lero et le Château Magique
Ana Carolina Vieira
Kôra: o pressentimento do dragão
Ana Flávia Abreu
Humor Vermelho - vol. 2
org. por Barbara Cassará
Humor Vermelho - vol. 1
Isabella Saes
Ninguém quer comer meu ovo
Chef Batato (Barbara Cassará, Tatiana Berlim e Tomaz Adour)
VERTIGEM LUNAR
Fernando Pellisoli
A Última Entrevista de José Saramago
José Rodrigues dos Santos
Seu Adolpho
Felipe Pena
O Melhor da Pior Parte
JBruno Graciano
Contente em Ler - Cineastas – Volume I
Varios Cineastas
Divulgue seu livro