Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
22 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57167 )
Cartas ( 21140)
Contos (12558)
Cordel (9907)
Crônicas (21997)
Discursos (3126)
Ensaios - (10096)
Erótico (13282)
Frases (42400)
Humor (18012)
Infantil (3659)
Infanto Juvenil (2423)
Letras de Música (5458)
Peça de Teatro (1313)
Poesias (137461)
Redação (2895)
Roteiro de Filme ou Novela (1050)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4564)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Sobre a Obra Poética de Gustavo Dourado -- 04/12/2003 - 01:04 (MARIA PETRONILHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Lucidez.
A clareza explícita em aparentes meandros.
As palavras abrem e expõem as ideias que ocultavam - que o-cultavam?
Também a clara luz se decompões nas sete cores do arco íris e de novo o prisma as reúne na única e primeira branca luz.
Gustavo Dourado tem o poder de desencantar ternura na angústia.
Gusta.vo d.oura.do: Em tudo encontro o poeta definido:Inevitável amor, transparente e precioso; nu; vestido de subtil claridade.
De um lírico som, imagem = pureza. Em cada ponto; em cada letra ... respira poesia e é ar que se respira.
Fonte que flui; água de beber e sede viva. Entendê-lo é como olhar o sol e sentir o calor, os pingos da chuva.
Escutar o mar e sentir o berço.
As estações e rotações.
Os universos tocando-se humana e divinamente – nada os separa.
O entendimento sobrepõe-se.

Escutar o mar e sentir o berço.
A Voz soando no bate-que-bate do coração!



Lisboa, 25/6/2003
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui