Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
89 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55338 )
Cartas ( 21071)
Contos (12177)
Cordel (9607)
Crônicas (21336)
Discursos (3113)
Ensaios - (9921)
Erótico (13147)
Frases (40245)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2311)
Letras de Música (5419)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135954)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4239)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Biscoito no café com leite -- 15/11/2004 - 15:47 (Pedro Wilson Carrano Albuquerque) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
BISCOITO NO CAFÉ COM LEITE


Sou o inimigo público número um.
Tomei conhecimento de minha periculosidade ao ler edição do jornal “Correio Braziliense”, em que dama da sociedade brasiliense, freqüentemente citada nas colunas sociais da Corte, respondia a indagações do entrevistador.
- Qual o perfume de sua preferência?
- Chanel 5.
- Onde gosta de passar as férias?
- Paris.
- Seu livro de cabeceira?
- O Pequeno Príncipe.
- Costureiro?
- Dior.
- Artista predileto?
- Richard Gere.
Até aí, tudo bem. Eu também aprecio a mistura do Chanel 5 com o perfume natural da mulher amada.
Não discuto, outrossim, a preferência por Paris, Dior ou Richard Gere e os livros de Saint Exupéry estão entre os que mais gosto de ler.
O golpe veio com a resposta à próxima pergunta.
- O que mais a agride ou incomoda?
A entrevistada tinha muitas respostas à sua disposição, como o terrorismo, a fome no mundo, as guerras, as torturas, a violência contra as crianças, as drogas, o aumento da criminalidade nas grandes cidades e a corrupção.
Para minha surpresa, a socialite retrucou prontamente:
- O que mais detesto é pessoa que molha biscoitos no café com leite, antes de engoli-los.
Foi como se eu fosse atropelado por um tanque de guerra.
Entre mim e Bin Laden, a destacada figura de Brasília não tinha qualquer dúvida sobre quem deveria ser mais odiado: o traumatizado autor deste artigo.
Desde então, não consigo dormir como antes, perseguido pela culpa e pelo remorso, e a depressão impede-me de bom desempenho no trabalho. E o pior é que não tenho coragem de encarar meus filhos.
E descobri, ainda por cima, ter sido totalmente dominado pelo vício de molhar biscoitos no café com leite.
Realmente, tento controlar-me ao sentar-me à mesa e iniciar o desjejum e ver a xícara do delicioso líquido adoçado por algumas colheres de açúcar, mas não consigo fazê-lo.
Juro que faço o possível para comer os biscoitos sem mergulhá-los antes na bebida colocada à minha frente, mas quando assim ajo a guloseima não me atrai, mostrando-se insípida e seca.
Quando menos espero, a mão avança e banha o confeito, levando-o rapidamente à boca de seu perturbado condutor.
Ah, que delícia! Úmido, macio, ele termina seu percurso desmanchando-se entre meus dentes, fazendo-me esquecer, por uns poucos minutos, o crime cometido.
Faço isso escondido, longe dos olhos de todos. Temo seja meu vício percebido por minha companheira, que, certamente, me abandonaria se soubesse de minha fraqueza.
E o mais grave é que escondo segredo que pode complicar ainda mais a situação: tenho o hábito de derramar o café com leite quente no pires e tomá-lo, após alguns sopros, no próprio recipiente.
O que pensará a distinta personalidade de um homem que age desse modo?

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui