Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
71 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56828 )
Cartas ( 21161)
Contos (12584)
Cordel (10013)
Crônicas (22151)
Discursos (3132)
Ensaios - (8955)
Erótico (13388)
Frases (43349)
Humor (18383)
Infantil (3751)
Infanto Juvenil (2630)
Letras de Música (5464)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138026)
Redação (2918)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2394)
Textos Jurídicos (1923)
Textos Religiosos/Sermões (4767)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->2004 - Evento e Rotina -- 07/09/2019 - 15:24 (Jairo de A. Costa Jr.) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

2.004 – Evento e Rotina

 

No mesmo tema da quinzena passada, quando eu disse da Rota do Vinho e Bebidas Artesanais de São Miguel Arcanjo se transformar num evento aos visitantes, vamos ver se isso pode acontecer, observando as atrações rotineiras, seguindo o caminho de Sete Barras, onde podemos ver cinco vinícolas e uma cachaçaria.

Começando pela Torre Alta, Turvinho, cujo website se apresenta no Google para uma pesquisa satisfatória; não encontrei os tipos de vinhos, mas encontrei endereço, horário e fotos, mais alguns comentários como: “Local rústico e aconchegante, ótimos vinhos! Vale a visita. :)”; “Atendimento maravilhoso e os melhores vinhos que já provei. Super recomendo.”. Nota dos visitantes – quatro vírgula nove.

Indo para a Vinícola Pereira, no Bairro Taquaral Abaixo, em cuja página no Facebook podemos encontrar fotos dos produtos e uma breve história, com comentário de bom atendimento e de boa qualidade. Seguindo pela Vinícola Monte Alto e também pela sua página encontramos fotos e vídeos interessantes sobre sua atividade, inclusive um Espumante Moscatel para o fim de ano.

Da Vinícola Zafalon, em sua página, temos um painel de fotos das suas uvas muito interessante e bonito, já dando água na boca para experimentar os vinhos. A vinícola há alguns anos vem se dedicando a produzir o melhor vinho possível, transformando a uva na bebida dos Deuses, que você só pode confirmar indo lá, o que farei bem breve.

Chegando à Vinícola Bonjour, que conta também com uma pousada para melhor atender os visitantes, principalmente aqueles que querem estender o passeio, ou quem sabe somente tomar umas a mais. Além dos vinhos, você encontra doces em compotas  e recomendo não ligarem para um comentário maldoso que eu vi na sua página. Prefiram este: “TOP, simpatia total, lugar muito agradável, clima perfeito, sensacional. Amei.”.

Por último desse caminho, temos a Cachaçaria Toca da Coruja, seguindo a direita do Bairro Abaitinga e pesquisando encontrei este comentário: “Na Barbearia Bastos (SP) você encontra a Toca da Coruja! Cachaça artesanal produzida e engarrafada em tonéis de carvalho pela família Mochiutti no interior de São Paulo, em São Miguel Arcanjo. Venha degustar essa exclusividade!”.

No caminho de Itapetininga pelo Bairro do Brejaúva, temos a Vinícola Vinhos Limírio e pela sua página encontramos trechos da sua história: “Adevaldo Limírio e Magna com o sonho de construir um futuro melhor, com muita força e coragem em Março de 1990 com apenas dez  meses de casados, deixaram o Estado do Paraná para passar a viver em São Miguel Arcanjo, visando à realização de seus sonhos, começaram a trabalhar como meeiros de uva e com muito esforço e trabalho conquistaram seu primeiro pedaço de terra onde começaram a cultivar uva Niágara e uns pés de uva de vinho, este foi o inicio de sua relação com a produção de vinhos, ainda que na época as produções fossem apenas para consumo próprio.”. Não deixem de visitar a Loja de Produtos Artesanais.

No sentido do Gramadão, encontramos a Vinícola San Raphael, que fica no Bairro Pocinho e eu não encontrei maiores detalhes em sua página e ao lado a Cachaçaria Fruto da Terra, que também fico devendo informações, mas esta você encontra à venda no Mercado Livre e o produtor é Wolfang F. F. Herholz.

E na cidade temos a Cervejaria Cervogia e em seu website encontramos que a cervejaria nasceu da intenção de se tomar uma ótima cerveja, fabricada com a dedicação e espiritualidade dos monges. Cervogia, dialeto antigo italiano, nome batizado a milenar cerevisia, birra ou beer. A produção não é caseira, é artesanal. Essa eu já tomei e gostei.

Escrever esta me deixou com uma vontade de tomar uma, mas neste sábado de sete de nove de dezenove, vou almoçar um franguinho frito acompanhado de uma cerveja sem álcool, porém quando eu for conferir o que escrevi prometo tomar algumas.

Comentários

Janie Maria de Almeida  - 09/09/2019

Fiquei querendo o frango frito.
Abraços

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 11Exibido 22 vezesFale com o autor