Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
108 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56920 )
Cartas ( 21164)
Contos (12585)
Cordel (10041)
Crônicas (22162)
Discursos (3133)
Ensaios - (8973)
Erótico (13389)
Frases (43445)
Humor (18412)
Infantil (3758)
Infanto Juvenil (2645)
Letras de Música (5464)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138081)
Redação (2919)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2399)
Textos Jurídicos (1924)
Textos Religiosos/Sermões (4809)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->A CRIAÇÃO DOS DEUSES E DA ALMA IMATERIAL -- 21/11/2003 - 20:28 (ANTICRISTO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Quando o homem aprendeu a trocar idéias, seus enganos se disseminaram com maior facilidade, e aí foi que criaram deuses, demônios, duendes, almas, etc.



Podendo, doravante, transmitir conhecimento mediante a palavra, foi fácil também perpetuar os equívocos do passado. Na troca de informações, a desinformação aumentou sobremodo. Quando descobria que havia algo de errado com uma idéia, o homem criava outra para corrigir o engano e isso dava em outro engano algumas vezes ainda maior. Assim é que, não obstante o desenvolvimento da ciência, as idéias primitivas ainda dominam as mentes de uma grande maioria da população humana.



Tentando dar um sentido mais real àqueles mistérios que sempre o assombraram, o homem transformou aquele suposto animal aterrorizador invisível em deuses, demônios, duendes, anjos, etc. Junto com o acúmulo de conhecimento, avultou-se também a transmissão do desconhecimento com as explicações equivocadas de que os fenômenos da natureza eram seres sobrenaturais. Assim, as divindades, produto das fantasias primitivas, permaneceram vivas e arraigadas nas cabeças humanas. As explicações criadas complicaram mais do que explicaram.



Enquanto os chamados irracionais não podem contar o que imaginam ter visto, o homem o faz com detalhes circunstanciais de tempo, modo, lugar, etc., trazendo muito mais confusão no cruzamento dos dados imaginários.



Um cachorro, quando sonha, não sabe falar para o outro que esteve com aquela cobiçada cadela das proximidades. Ele simplesmente pensa que realmente esteve com ela, não descobrindo que foi apenas um sonho, caso apenas imaginário.



Mas com o homem é diferente:



Quando um homem da caverna disse para o outro:



“Eu peguei uma mulher muito boa ali na floresta, mas ela desapareceu misteriosamente, sem que eu saiba como ela pode fugir nem para onde ela foi”



e o outro lhe respondeu:



“Isso não é verdade, porque você esteve o tempo todo dormindo aqui”,



Aí a confusão cresceu:



Como todos pensavam ter feito algo que na não fizeram, chegaram a uma brilhante conclusão, imaginaram:



um ser humano não deve ser só um, mas um material e um imaterial, invisível, que se separa do corpo material enquanto esse dorme e faz uma porção de coisas que os que estão acordados não vêem. Aí estava pronta a mais nova criação humana: a alma, que até hoje tantos religiosos pregam.



Vejam agora o quanto aumentaram o engano ao criar a alma.



EXPERIÊNCIAS FORA DO CORPO, UM EQUÍVOCO PRIMITIVO



A EVOLUÇÃO ESPIRITUAL



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui