Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
51 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56311 )
Cartas ( 21150)
Contos (12562)
Cordel (9931)
Crônicas (22048)
Discursos (3130)
Ensaios - (9090)
Erótico (13315)
Frases (42739)
Humor (18166)
Infantil (3686)
Infanto Juvenil (2482)
Letras de Música (5460)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137620)
Redação (2901)
Roteiro de Filme ou Novela (1050)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4589)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Porca miséria...? -- 02/02/2019 - 16:32 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Juiz impoluto

Um pequeno fazendeiro, numa demanda de terra com o vizinho latifundiário, consultou-se seu advogado sobre a conveniência de dar um agrado ao juiz para que julgasse o processo que já havia um par de anos andava - ou se estagnava mesmo - sob a sua custódia...

Em seu arrazoado, o demandante assinalava que a terra era muito fértil e absolutamente necessária ao seu sustento...porquanto o vizinho, ricaço, só mantinha a demanda por capricho, teimosia e gosto de o prejudicar...

O advogado acautelou-o dizendo que o magistrado que se ocupava do assunto era absolutamente incorruptível, e de uma integridade a toda prova, jamais se sabendo de algum caso seu - a não ser com um tal de Luizinácio - em que um demandante saíra injustiçado...

- Jamais pense nisso - sentenciou o experimentado causídico.

Duas semanas depois, eis que o caso é julgado e o ganho de causa favorecia o pequeno fazendeiro...Ganho total!

Ao ser informado da vitória sensacional e inesperada por parte do advogado, o fazendeiro comentou:

- Pois é, dotô, o meu prano foncionô...

- Plano, mas o que foi que o Senhor fez, me explique, pois eu estou ainda perplexo com essa inusitada decisão...?

- Uai, eu mandei um porco pra ele. E reprodutô dos bão memo...Capai até de sartá cerca quando sente o chêro duma porca no cio...

- O Senhor só podia estar louco para fazer uma coisa dessas...conhecendo a reputação do meritíssimo, a sua condenação era certa!!!

- Pois é dotô, fui purisso qui eu mandei o poico in nome do meu diversáro...
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 30 vezesFale com o autor