Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
68 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54787 )
Cartas ( 21052)
Contos (12083)
Cordel (9481)
Crônicas (21043)
Discursos (3104)
Ensaios - (9893)
Erótico (13117)
Frases (39763)
Humor (17540)
Infantil (3558)
Infanto Juvenil (2307)
Letras de Música (5410)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135497)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4164)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Chico Buarque e seus antepassados -- 17/05/2000 - 12:39 (Pedro Wilson Carrano Albuquerque) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
ÁRVORE DE COSTADO DE FRANCISCO BUARQUE DE HOLANDA (1)

O COMPOSITOR:

1- Francisco Buarque de Holanda. N. em 19-JUN-1944 no Rio de Janeiro (RJ). Poeta, literato, teatrólogo, compositor, ator e cantor. Uma das figuras mais importantes de nossa música popular, o que foi mencionado pelo Presidente Fernando Henrique Cardoso em conversa com o estadista português Mário Soares publicada no livro "O Mundo em Português - Um Diálogo". Além da expressiva produção discográfica, onde teve a oportunidade de mostrar músicas e letras muito bem elaboradas e de grande inspiração, escreveu os livros "Estorvo" e "Benjamim". Também foi autor das peças teatrais "Roda Viva", "Calabar" e "Gota d Água". Algumas de suas músicas, como "Amanhã Vai Ser Outro Dia" e "Cálice", tiveram cunho político, expressando sua oposição ao regime militar de 1964. Foi homenageado pela Escola de Samba da Mangueira no Carnaval de 1998. Os primeiros versos da letra de sua música Paratodos são um exemplo da movimentação das famílias brasileiras em nosso território:

O meu pai era paulista
Meu avô, pernambucano
O meu bisavô, mineiro
Meu tataravô, baiano.

O compositor referiu-se, no caso, aos seus antepassados a sseguir mencionados: o professor e escritor Sérgio Buarque de Holanda (o pai paulista), Cristóvão Buarque de Holanda (o avô pernambucano), José Cesário de Faria Alvim (o bisavô mineiro, que foi Presidente da Província do Rio de Janeiro e Governador do Estado de Minas Gerais) e Eulálio da Costa Carvalho (o tataravô baiano).
O livro "Chico Buarque", de Regina Zappa, contém algumas informações interessantes sobre o artista.
Chico casou-se com Marieta Paixão Severo da Costa, fª de Luís Antônio Severo da Costa e de Lígia Paixão. O casal teve três filhas: Sílvia, Helena Severo e Luísa Buarque de Holanda (2).

OS PAIS:

2- Sérgio Buarque de Holanda. N. em 11-JUL-1902 em São Paulo (SP). Advogado, escritor, professor e crítico literário. Intelectual dos mais respeitados dentro e fora do País, com várias obras publicadas, podendo ser citadas as seguintes: "Monções", "Raízes do Brasil", "Cobra de Vidro", "Visão do Paraíso", "O Extremo Oeste" e "Caminhos e Fronteiras". Foi coordenador da coleção "História Geral da Civilização Brasileira" até o oitavo volume. É apontado como pioneiro na interpretação da psicologia coletiva do brasileiro, aspecto já salientado em "Raízes do Brasil", seu primeiro livro. Lecionou na USP e na Escola de Sociologia e Política, em São Paulo (SP). Manteve, ainda, atividades na Imprensa, tendo publicado a revista "Estética", ao lado de grandes figuras. Desenvolveu atividades constantes no exterior, como professor de universidades, conferencista e organizador de seminários, tendo sido, também, correspondente dos Diários Associados na Alemanha. Foi redator-chefe da "Associated Press", agência de notícias norte-americana. Foi membro da Academia Paulista de Letras. Filhos oriundos do casamento c. Maria Amélia Cesário Alvim: Heloísa Maria, Sérgio, Álvaro Augusto, Francisco, Maria do Carmo, Ana Maria e Maria Cristine Buarque de Holanda. Segundo declaração de Chico Buarque transmitida em 1º-NOV-1998 pela TV Globo, no programa "Fantástico", é possível que tenha nascido na Alemanha um outro filho de Sérgio Buarque, resultado de relacionamento ocorrido quando o ilustre brasileiro ainda era solteiro. Fal. em 24-ABR-1982 em São Paulo (SP).

3- Maria Amélia Cesário Alvim. N. no Rio de Janeiro (RJ) em 25-JAN-1910.

OS AVÓS:

4- Cristóvão Buarque de Holanda. N. em 8-FEV-1864 em Rio Formoso (PE). Através de concurso público, ocupou o lugar de Químico do Laboratório da Alfândega do Rio de Janeiro, entidade de que foi Vice-Diretor. Criou o Laboratório de Análises do Estado de São Paulo, que o teve como Diretor durante muitos anos. Foi, também, um dos fundadores da Escola de Farmácia, Odontologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo. Com Heloísa Gonçalves Moreira teve os seguintes filhos: Sérgio, Jaime e Cecília Buarque de Holanda. Fal. em 13-FEV-1932, no Rio de Janeiro (RJ).
5- Heloísa Gonçalves Moreira. N. em 7-JUL-1868 em Niterói (RJ). Fal. em 16-JAN-1957 no Rio de Janeiro (RJ).
6- Francisco Cesário Alvim. N. em 15-MAI-1880 no Estado de Minas Gerais. Fal. em 6-JUN-1946. Advogado. Foi Juiz de Direito e Desembargador no Rio de Janeiro (RJ). C. c. Maria do Carmo Carvalho. Pais de Maria Amélia, José Augusto, Gilda Carolina, Francisco Jorge, Álvaro, Antônio Pedro, João Eulálio e Teresa Maria Cesário Alvim.
7- Maria do Carmo Carvalho. N. em 11-NOV-1888 e fal. em 4-DEZ-1976.

OS BISAVÓS:

8- Manoel Buarque de Gusmão Lima. Oriundo do Engenho Macacos, em Porto Calvo (AL), casou-se em 1860 em Rio Formoso (PE) c. Maria Madalena Paes de Holanda Cavalcanti, tendo o casal tido os seguintes filhos: Luísa e Jacinto Buarque de Holanda Cavalcanti, José Luís, Maria Luísa, Cristóvão, Honorina e Augusto Buarque de Holanda e Amélia Buarque Cavalcanti Lima.
9- Maria Madalena Paes de Holanda Cavalcanti. N. em Rio Formoso (PE) em 22-JUL-1835.
10- Eduardo Gonçalves Moreira. Pai do compositor Luís Moreira, que foi casado c. a famosa atriz Abigail Maia e faleceu em 1920 durante um ensaio de "O Guarani" no Teatro João Caetano.
11- Filomena Castro Neves.
12- José Cesário de Faria Alvim. N. em Pinheiro, Município de Piranga (MG) em 7-JUN-1839. Formou-se em Direito, em 1862, na tradicional Academia de São Paulo. Dedicou-se, também, ao Jornalismo. Foi Deputado Provincial de Minas Gerais durante duas legislaturas e membro da Câmara dos Deputados, como representante do povo mineiro, em quatro legislaturas. Presidente da Província do Rio de Janeiro em 1885. Acreditava na capacidade administrativa de Dom Pedro II, de quem se considerava amigo e a quem hospedara em Ubá (MG), na Fazenda da Liberdade, quando o Imperador visitou o Município em 1881, mas resolveu declarar-se republicano, em sessão da Câmara dos Deputados de 11-JUN-1889, diante da subida do Visconde de Ouro Preto, seu figadal inimigo, à Chefia do Gabinete da Monarquia. Foi o primeiro Governador do Estado de Minas Gerais, tendo sido nomeado para o cargo, pelo Marechal Deodoro da Fonseca, em 15-NOV-1889, dia da Proclamação da República. Foi Ministro do Interior em 1890, ano em que foi eleito Senador junto ao Congresso Constituinte Nacional. Em 15-JUN-1891, elegeu-se Presidente de Minas Gerais pelo Congresso do Estado, tendo tomado posse no dia 18 do mesmo mês e renunciado em 17-FEV-1892. Foi, também, Prefeito do Distrito Federal (então no Rio de Janeiro) e Presidente do Lloyd Brasileiro e da Estrada de Ferro Oeste de Minas. Sogro de Afrânio de Melo Franco (fal. na cidade do Rio de Janeiro em 1º-JAN-1943; Deputado Federal, Embaixador, Ministro das Relações Exteriores e Juiz da Corte Permanente de Haia) e avô de Virgílio Alvim de Melo Franco (3) e de Afonso Arinos de Melo Franco (4). Filhos oriundos do casamento com Amélia Calado de Miranda: Vítor Cesário, Sílvia, Guiomar, Dácio e Francisco Cesário Alvim. Fal. em 3-DEZ-1903 no Rio de Janeiro (RJ).
13- Amélia Calado de Miranda. N. em 1851 e fal. em 1899.
14- Álvaro Augusto da Costa Carvalho. N. em Piracicaba (SP) em 23-SET-1865. Bacharel em Direito. Foi Senador pelo Estado de São Paulo pelo Partido Republicano, de linha conservadora. C., em primeiras núpcias, em 28-FEV-1887, em São Paulo (SP), c. Carolina Vieira Barbosa e, em segundas núpcias, no Rio de Janeiro (RJ), em 26-DEZ-1919, c. Maria Rodrigues Alves (n. em Guaratinguetá, Estado de São Paulo, em 18-NOV-1880 e fal. em São Paulo, Estado de São Paulo, em 29-JAN-1957; filha do Dr. Francisco de Paula Rodrigues Alves, Presidente da República (5), e de Ana Guilhermina de Oliveira Borges). Filhos (entre outros): com a 1ª esposa: Maria do Carmo Carvalho; com a 2ª esposa: Francisco de Paula Rodrigues Alves da Costa Carvalho. Fal. em Bad Ems, Alemanha, em 25-ABR-1933.
15- Carolina Vieira Barbosa. N. em 21-ABR-1869 em São Paulo (SP). Fal. em 2-FEV-1911 no Rio de Janeiro (RJ).

OS TATARAVÓS (OU TRISAVÓS):

18- José Luís Paes de Melo Barreto. N. no Engenho de Mamucabas, em Rio Formoso (PE). C. em, 1ªs núpcias, c. a sobrinha Margarida Cândida Paes de Melo e, em 2ªs núpcias, c. Luísa Isabel de Holanda Cavalcanti de Albuquerque. Filhos: Margarida Francisca, Maria Francisca, Francisca Margarida, Ana Maria, Margarida Cândida Paes de Melo (do 1º casamento) e Cristóvão, Maria Madalena e Luísa Paes de Holanda Cavalcanti (do segundo casamento). Fal. em 16-SET-1844, em Rio Formoso (PE), de hidrofobia.
19- Luísa Isabel de Holanda Cavalcanti de Albuquerque.
24- José Cesário de Faria Alvim. É provável que tenha nascido em Congonhas (MG). Tendo ido para Pinheiro, em Piranga (MG), ali entrou na posse de terras deixadas como herança por Francisco Xavier de Barros, dedicando-se à mineração e à agricultura. Tenente-Coronel de Milícias. Era proprietário da fazenda conhecida pelo nome de "Sítio", de lavra situada ao lado do Morro da Capela da Conceição e de casa construída na frente da Igreja do Rosário. C. c. Teresa Januária Carneiro, com quem teve os filhos Francisco Carneiro, José Cesário, Antônio Cesário e Teresa Cesário de Faria Alvim.
25- Teresa Januária Carneiro. Bat. em 28-JAN-1808 em Piranga (MG).
26- Francisco Miranda.
27- Amélia Calado.
28- Eulálio da Costa Carvalho. N. em Salvador (BA), em 12-FEV-1833. Casou em 15-NOV-1856 em Salvador (BA) com Amélia Benvinda de Almeida e Costa. Fal. em 1-ABR-1912 em São Paulo (SP).
29- Amélia Benvinda de Almeida e Costa (ou Amélia Benvinda Rodrigues da Costa). N. em Salvador (BA). Fal. em 15-MAI-1897 em São Paulo (SP).
30- Antônio Vieira Barbosa.
31- Isabel Martins dos Santos.

OS TETRAVÓS (OU QUARTOS AVÓS):

36- Francisco Xavier Paes de Melo Barreto. N. em 14-ABR-1764 na Freguesia de Una (PE). Foi Fidalgo-Cavaleiro da Casa Imperial, tendo sido nomeado Cavaleiro da Imperial Ordem do Cruzeiro em 12-NOV-1829. Coronel de Milícias da Freguesia de Una. Casou-se c. sua prima-irmã Maria Rita Wanderley. Pais de: Ana Delfina Wanderley, Francisco Xavier Paes de Melo, Maria Rita Wanderley, Maria Florência Paes de Melo, Francisca de Paula Wanderley, João Batista Paes Barreto, José Luís Paes de Melo Barreto e Manoel Xavier Paes Barreto. Fal. em 10-FEV-1835.
37- Maria Rita Wanderley. N. no Engenho de Piranduba, em Muribeca (PE), onde foi batizada na Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Fal. no Engenho de Mamucabas, em Rio Formoso (PE), em 28-AGO-1845.
38- Cristóvão de Holanda Cavalcanti de Albuquerque. A "Nobiliarquia Pernambucana", de Borges da Fonseca, cita um Cristóvão de Holanda Cavalcanti de Albuquerque, fº de João Cavalcanti de Albuquerque e de Isabel da Silveira Castelo Branco, que era casado c. Paula Cavalcanti de Albuquerque, filha de Paulo Cavalcanti de Albuquerque e de Ângela Cavalcanti de Albuquerque. Entretanto, este casal viveu alguns anos antes dos antepassados de Chico Buarque com os mesmos nomes, não se tratando, portanto, das mesmas pessoas.
39- Paula de Bezerra Cavalcanti de Albuquerque.
48- Alferes Joaquim José de Faria Lana. N., provavelmente, em S. Bartolomeu (MG). Era proprietário da Fazenda Morro de Santo Antônio, situada em Congonhas do Campo (MG), onde vivia em 1823. C. c. Ana Angélica Souto Maior Alvim, com quem teve os filhos Ana Angélica Souto Maior Alvim, Joaquim Inácio de Faria Alvim, Bruno José de Faria Alvim e José Cesário de Faria Alvim. Fal. em 8-ABR-1842.
49- Ana Angélica Souto Maior Alvim.
50- Antônio Januário Carneiro. N. em 19-SET-1779 em Presidente Bernardes (MG). Foi o fundador de Ubá (MG), que começou a existir dentro da Fazenda Boa Vista, de sua propriedade, em volta de capela construída em homenagem a São Januário, cuja imagem foi esculpida por um santeiro de Piranga (MG). Recebeu a patente de Capitão-Mor de D. Manoel de Portugal e Castro, Governador e Capitão-General da Companhia de Minas, em Vila Rainha de Nossa Senhora do Pilar de Ouro Preto, em 16-MAR-1815. C. c. Francisca Januária de Paula. Pais de Clementina, Teresa, Maria e Justina Januária Carneiro e de Francisco, Antônio, Joaquim, João e Camilo Januário Carneiro. Fal. em 16-FEV-1828 em Piranga (MG).
51- Francisca Januária de Paula.
56- João da Costa Carvalho. N. em 1782 em Salvador (BA). Serviu no cargo de Patrão-Mor da Bahia. Casou em 2-SET-1820 em Salvador (BA) com Maria Rosa do Amor Divino Silva Bastos. Pai de Eulálio, Antônio e José da Costa Carvalho, o Marquês de Monte Alegre (6). Fal. em 8-JUL-1846 em Salvador (BA).
57- Maria Rosa do Amor Divino Silva Bastos. N. em 1796 em Salvador (BA), onde fal. em 10-ABR-1858.
58- João Antunes Rodrigues da Costa (também citado como João Rodrigues Antunes da Costa).
59- Luísa Marques de Almeida Torres. N. por volta de 1790.
62- Antônio Martins dos Santos. N. por volta de 1792 em São Paulo (SP). Casou em 1839 em São Bernardo (SP) com Carolina Mariana dos Santos. Fal. em 1861 em São Paulo (SP).
63- Carolina Mariana dos Santos. N. por volta de 1824 e fal. em São Paulo (SP) em 1883.

OS PENTAVÓS (OU QUINTOS AVÓS):

72- José Luís Paes de Melo. N. em 1740 na Freguesia de Una (PE). Fidalgo Cavaleiro, Mestre de Campo, Capitão-Mor de Infantaria e de Ordenanças e Comandante da Freguesia de Una e Cabo, do Distrito de Sirinhaém, conforme Carta-Patente de 9-JAN-1775 concedida por José César de Menezes, Governador e Capitão-General de Pernambuco e demais capitanias anexas de Una. Teve três filhos bastardos (João Paes Barreto, João Cortes Real e José Meira Lins), além dos três que teve com sua esposa Ana Florência da Conceição Wanderley (Francisco Xavier, José Luís e Margarida Francisca Paes de Melo). Seu inventário, aberto no Juízo de Órfãos da Comarca de Sirinhaém em 11-AGO-1789, teve prosseguimento na Comarca de Santo Antônio do Recife (PE), uma vez que o Juiz de Sirinhaém era cunhado do inventariante. Fal. em 3-AGO-1789 no Engenho de Mamucabas, Município de Rio Formoso (PE).
73- Ana Florência da Conceição Wanderley. Fal. em 1764.
74- Francisco Xavier Paes de Melo. Tenente-General das Ordenanças da Companhia do Terço do Cabo e Muribeca, conforme Carta Régia de 17-JUL-1769, onde está escrito que era uma das principais pessoas da Capitania, com o foro de Fidalgo-Cavaleiro, de merecimento, abastado de bens e de louvável procedimento, tendo, com honra e satisfação e zelo do real serviço, servido Sua Majestade nos postos das ordenanças e no de Capitão em uma das Companhias do Terço de Infantaria Auxiliar da Freguesia do Cabo de Muribeca. Fal. em 1765.
75- Ana Maurícia Rita Wanderley (ou Ana Maria Rita Wanderley).
96- Francisco de Faria e Silva. N. na Freguesia e Concelho de Vila do Conde, Distrito do Porto, Portugal. C. em 1760 c. Antônia Andreza de Lana. Pais de Catarina Isabel, Joaquim José, Inácia e Maria de Faria e Lana.
97- Antônia Andreza de Lana. N. em S. Bartolomeu (MG).
98- Francisco Xavier de Barros Sousa e Alvim. Segundo Raimundo Trindade, em "Velhos Troncos Mineiros", Francisco Xavier residia com seu tio, o Padre Miguel de Rebelo Alvim, Vigário de Furquim (MG), que era natural da Freguesia de São Paio de Arcos de Valdevez, no Concelho de Arcos de Valdevez, Distrito de Viana do Castelo, Portugal. Proprietário de lavras no Sumidouro e na Fazenda Rio do Peixe de Sant Ana do Deserto, na Freguesia de Barra Longa (MG), foi o primeiro ocupante das terras minerais do Arraial de Pinheiro (MG). C. c. Maria Felizarda Souto Maior Alvim. Pais de: José Xavier de Alvim e Melo, Francisco Manoel de Sousa Alvim e Ana Angélica Souto Maior Alvim. Fal. em 1782.
99- Maria Felizarda Souto Maior Abreu. Fal. em 1789.
100- Alferes Antônio Carneiro Flores. N. em 2-SET-1732 na Freguesia de S. João Batista da Vila do Conde, Concelho de Vila do Conde, Distrito do Porto, Portugal. Nos Processos de Habilitação "De Genere" de seus filhos consta que os ascendentes de Antônio eram pescadores modestos e honrados, bons católicos e cumpridores de todas as suas obrigações. C. em Calambau (MG) c. Teresa Maria de Jesus e Silva. Pais de: Antônio Januário, Francisco José de Paula, José do Espírito Santo, Padre João Nepomuceno e Camilo José Carneiro.
101- Teresa Maria de Jesus e Silva. N. em Calambau (MG).
112- Jacinto da Costa Carvalho.
113- Angélica Maria dos Passos.
114- Manoel Silva Bastos.
115- Rosa Maria da Boa Hora.
116- Manoel Lourenço da Costa.
117- Ana Zeferina Rodrigues da Costa.
118- Capitão Bernardino Marques de Almeida Torres. Com Joana Angélica de Menezes Dória teve os filhos Luísa Marques, Francisca Joana, Maria Eudóxia Engrácia e Isabel Dória de Almeida Torres.
119- Joana Angélica de Menezes Dória. Conforme mensagem de Francisco Antônio Dória de 16-DEZ-2004, teria nascido entre 1770 e 1780.
124- Manoel Martins dos Santos Rego. N. no Porto, Portugal. Casou em 1779 em Sorocaba (SP) com Ângela Ferreira Prestes.
125- Ângela Ferreira Prestes. N. no Estado de São Paulo.
126- Francisco Mariano Galvão Bueno.
127- Maria Eufrosina da Cruz Almada.

OS HESAVÓS (OU SEXTOS AVÓS):

144- Capitão-Mor João Paes Barreto de Melo (ou João Paes de Melo Barreto). Fidalgo confirmado por carta régia de 1765. Reformou-se em 1788 como Capitão. C. no Cabo (PE) c. Inês Brites Xavier Barreto. Pais de: Cristóvão Paes Barreto, Francisco Xavier Paes de Melo, José Luís Paes de Melo, Rosa Maria de Melo e Teresa de Melo.
145- Inês Brites Xavier Barreto.
146- Coronel Sebastião Lins Wanderley. C. em 1757 c. Maria de Barros Wanderley, com quem teve os filhos Manoel de Barros Pimentel, Inácio Francisco de Barros Pimentel e Ana Florência da Conceição Wanderley.
147- Maria de Barros Wanderley.
148- Capitão-Mor João Paes Barreto de Melo. V. nº 144.
149- Inês Brites Xavier Barreto. V. nº 145.
150- Manoel de Barros Wanderley. N. por volta de 1704. Serviu como Sargento-Mor da Vila de Sirinhaém. C. c. sua prima Maria Lins, com quem teve: Cristóvão da Rocha Wanderley, Frei Pedro da Rocha Wanderley, João Maurício Wanderley, Antônio da Silva Melo, Inácio José de Barros, José Maurício Wanderley, Henrique Luís de Barros, Francisca da Rocha Wanderley, Feliciana da Rocha Wanderley (I), Feliciana da Rocha Wanderley (II), Ana Rita Maurício Wanderley e Jerônima da Rocha Wanderley. Fal. após 1760.
151- Maria Lins.
192- Bento da Silva Lima.
193- Inácia de Faria.
194- Francisco Leite de Brito. N. na Vila do Conde, Distrito do Porto, Portugal, por volta de 1693. C. em S. Bartolomeu (MG), em torno de 1725, c. Catarina de Jesus Lana. Em 24-JAN-1741 recebeu sesmaria junto ao Córrego Passa Dez, em Minas Gerais (conforme documento existente no Arquivo Público Mineiro). Pais de: Padre Joaquim Bento de Lana, Padre Francisco Leite de Brito, Ana Rosa da Conceição, Antônia Andreza de Lana e Quitéria Ascensa de Andrade e Lana.
195- Catarina de Jesus Lana. N. no Rio de Janeiro (RJ), em cuja Sé foi bat. em 19-MAR-1703.
196- Manoel de Barros Alvim.
197- Dorotéia Luísa de Sá Souto Maior.
200- Antônio Carneiro Flores. N. em 14-NOV-1711 na Freguesia de São João Batista da Vila do Conde, Concelho de Vila do Conde, Distrito do Porto, Portugal, onde foi bat. em 16-NOV-1711.
201- Caetana Francisca Vieira. N. em 8-JAN-1710 em Vieira, Barcelos, Portugal, onde foi bat. em 11-JAN-1710.
202- Antônio Gonçalves da Silva. N. em 27-MAI-1711 na Freguesia de S. Mateus de Grimancelos, Concelho de Barcelos, Distrito de Braga, Portugal, onde foi bat. em 31-MAI-1711. Teve com a esposa Ana Florença os seguintes filhos: Teresa Maria de Jesus e Silva, Maria Teresa, Cecília Bernarda Rosa de São Boaventura, Ana Jacinta, Rita Teresa e Francisco Antônio da Silva.
203- Ana Florença da Purificação Ferreira Cabral. N. em Piranga (MG).
236- José Vieira Torres.
237- Luísa Marques de Almeida Arnizaud.
238- José Luís da Rocha Dória. N. por volta de 1730, em S. Francisco do Conde ou no Monte, na Bahia. C. em primeiras núpcias com Isabel de Aragão (com quem residiu em Campina, Freguesia de S. Sebastião do Passé, BA) e em segundas núpcias, em torno de 1763, com Francisca Xavier de Menezes, de família abastada, recebendo como dote pelo menos dois engenhos. Filhos: Maria Francisca, Gonçalo Barbosa de Mendonça, Ana Francisca de Aragão (do 1º casamento), Antônio Frutuoso, Joana Angélica, Luísa Arcângela, Isabel Maria e Teresa Mariana de Menezes Dória (do 2º matrimônio). Francisco Antônio Dória, com base no inventário de José Luís, informa que seu falecimento se deu em 1796. Morreu com a patente de Coronel das Ordenanças, deixando um rico inventário.
239- Francisca Xavier de Menezes Dória. N. por volta de 1735. Senhora dos Engenhos de Ladeira e Barbado, onde passou a ter residência com o marido.
248- João Martins dos Santos.
249- Josefa Maria.
250- Caetano José Prestes. Casou em 1760 em Sorocaba (SP) com Gertrudes Ferreira.
251- Gertrudes Ferreira. Fal. em 1771.
252- Joaquim Mariano de Lima. N. em Santo Amaro (SP).
253- Isabel Francisca Xavier de Barros.
254- José Maria da Cruz Almada. Casou em 1794 em São Paulo (SP) com Maria Perpétua da Luz.
255- Maria Perpétua da Luz.

OS HEPTAVÓS (OU SÉTIMOS AVÓS):

288- Cristóvão Paes Barreto. N. em Cabo de Santo Agostinho (PE). Sargento-Mor e, posteriormente, Capitão-Mor de Una e Ipojuca. Fidalgo Cavaleiro da Casa Real. Fal após 1710.
289- Rosa Maria Wanderley (ou Rosa Maurícia Wanderley).
290- Sargento-Mor João Paes Barreto. Sucedeu o pai como Morgado do Cabo, em Pernambuco. C. c. a prima Maria Maior de Albuquerque, com quem teve os filhos João Paes Barreto, Inês Brites Xavier Barreto e Maria do Ó de Albuquerque.
291- Maria Maior de Albuquerque.
292- Capitão-Mor José de Barros Pimentel. Foi Senhor do Engenho do Morro. Serviu como Coronel dos regimentos volantes de Porto Calvo e deste posto passou ao de Capitão-Mor da Vila de Porto Calvo por patente do Governador. C., em primeiras núpcias, c. Maria de Barros Pimentel e, em segundas núpcias, c. Isabel de Almeida Wanderley. Filhos do 1º matrimônio: Cristóvão Lins, José de Barros Pimentel, Francisco Xavier de Barros Pimentel, Rosa Maria de Almeida, Josefa de Barros Pimentel e Inácia Ferreira Lins. Filhos do segundo casamento: Cosme Damião Pimentel, Luís de Barros Pimentel, João Maurício Wanderley, Sebastião Lins Wanderley, Engrácia Maria Wanderley, Teresa de Almeida Wanderley, Maria de Barros Pimentel, Ama e Isabel de Almeida Wanderley.
293- Isabel de Almeida Wanderley. C., em primeiras núpcias, c. o Sargento-Mor Antônio da Rocha Barbosa e, em segundas núpcias, c. José de Barros Pimentel.
294- Sebastião Lins. Senhor do Engenho de Capiana, em Porto Calvo (AL). Com Inácia Vitória de Barros Wanderley teve os filhos: José Nepomuceno Lins, Miguel Accioli Lins, Adriana de Almeida, Maria Accioli, Antônia de Barros Pimentel, João Damasceno Lins e Maria de Barros Wanderley.
295- Inácia Vitória de Barros Wanderley.
296- Cristóvão Paes Barreto. V. nº 288.
297- Rosa Maria Wanderley. V. nº 289.
298- João Paes Barreto (Morgado). V. nº 290.
299- Maria Maior de Albuquerque. V. nº 291.
300- Cristóvão da Rocha Wanderley. Foi Capitão de Cavalos por patente real de 12-MAR-1703. Deste posto passou ao de Sargento-Mor das Ordenanças da Vila de Sirinhaém, conforme patente do Bispo e Governador D. Manoel Álvares da Costa de 19-NOV-1710 e, posteriormente, ao de Coronel da Cavalaria do Regimento da Manga por patente do Governador Manoel de Sousa Tavares de 23-MAI-1719. Cavaleiro da Ordem de Cristo. Do 1º casamento, c. Feliciana Melo e Silva, teve os filhos José Maurício Wanderley, Antônio da Silva Melo, João Maurício Wanderley, Maria, Gertrudes e Manoel de Barros Wanderley. C., em segundas núpcias, c. Jerônima d Albuquerque Bitencourt, não tendo havido filhos oriundos deste matrimônio.
301- Feliciana Melo e Silva.
302- Manoel Coelho Negramonte. Senhor do Engenho de Guerra de Ipojuca. Do casamento c. Adriana Wanderley teve os seguintes filhos: Manoel Coelho Negramonte, João Maurício Wanderley, Francisco Coelho Negramonte, Micaela Negramonte, Maria Lins, Ana Maria de Jesus, Luísa Lins da Rocha e Teresa Negramonte.
303- Adriana Wanderley.
388- Fernão de Brito.
389- Maria Gonçalves. N. na Freguesia de Guidões (orago: São João Batista), Concelho de Santo Tirso, Distrito do Porto, Portugal.
390- Jean de Lannes. N. em Bayonne, Brasses Pyrénées, na França, em torno de 1675. C. na Igreja de S. José, no Rio de Janeiro (RJ), em 7-SET-1696, c. Maria de Jesus. Filhos do casal: João de Lannes, Catarina de Jesus, Margarida de Jesus, Maria de Jesus, Mariana de Jesus e Quitéria de Jesus Lana. Fal. em Minas Gerais.
391- Maria de Jesus. N. no Rio de Janeiro (RJ) por volta de 1678. Irmã do Padre Luís Mendes e filha natural de Ascença de Andrade. Fal. antes de 1733 em Minas Gerais.
400- Lourenço Carneiro Flores.
401- Maria Manuela Pescadores.
402- Domingos Vieira.
403- Domingas Francisca.
404- João Gonçalves.
405- Ângela da Silva.
406- Antônio Álvares Ferreira. N. na Freguesia de Ferreira (orago: São Mamede), Concelho de Paredes de Coura, Distrito de Viana do Castelo, Portugal. Com Ana Cabral da Câmara teve os seguintes filhos: Maria da Anunciação, Simão, Luzia, Ana Florença, João, Antônio, Joaquim e José Álvares Ferreira Cabral.
407- Ana Cabral da Câmara. N. na Vila de Nossa Senhora do Carmo (atual Mariana), em Minas Gerais. Teve, por ato episcopal de 24-AGO-1755, o direito de padroado sobre a Capela de Santo Antônio do Calambau, na Freguesia de Guarapiranga (MG), tendo sido a única mulher a ter tal privilégio no Reino de Portugal. Foi-lhe concedida, em 11-MAI-1753, sesmaria na Freguesia de Guarapiranga, Minas Gerais. Fal. Em 1838.
474- Bernardino Marques de Almeida Arnizaud.
475- Caetana Arnizaud (nome de casada).
476- Manoel da Rocha Dória. N. por volta de 1695. Citado como possuidor da patente de Capitão. C. em 4-DEZ-1726, na Capela do Carmo, c. Ana Maria de Jesus e Vasconcelos, com quem teve os seguintes filhos: José Luís da Rocha Dória, Ângelo Moniz da Rocha Dória, Miguel Moniz Barreto, Manuel da Rocha Dória, João da Rocha Dória, Ana e Antônia Luísa de Vasconcelos Dória. Fal. em 29-DEZ-1753 em Passé, onde foi sepultado na Matriz de S. Sebastião das Cabeceiras. Sua esposa foi a inventariante de seus bens.
477- Ana Maria de Jesus e Vasconcelos.
478- Capitão-Mor Luís Carneiro de Menezes. Ajudante do Regimento dos Úteis da Bahia, organizado pelos homens do comércio. Do casamento c. Ângela de Menezes originaram-se os filhos Luísa Arcângela e Luís Carneiro de Menezes, Custódio de Aguiar de Vasconcelos, Ana de Menezes e Castro e Francisca Xavier de Menezes Dória.
479- Ângela de Menezes. Fal. em 12-JUL-1749, sendo sepultada, envolta em uma mortalha branca, na Capela da Conceição do Pouco Ponto, filial da Matriz de Nossa Senhora do Monte, no Recôncavo Baiano.
500- Caetano Prestes. N. em Santos (SP).
501- Felipa Rodrigues Carassa. N. em São Paulo (SP).
502- Lourenço Castanho Vidigal. Casou em Sorocaba (SP), onde fal. em 1790.
503- Josefa de Almeida. Fal. em 1786 em Sorocaba (SP).
504- Francisco Xavier de Oliveira Prestes. Casou em 1754 em Santo Amaro (SP) com Úrsula Pires de Lima.
505- Úrsula Pires de Lima. Fal. em 1799 em São Paulo (SP).
508- José da Cruz de Almada. N. em Lisboa, Portugal. Casou em 1762 em São Paulo (SP).
509- Ana Maria de Sales.
510- Manoel Gonçalves da Silva. N. em Braga, Portugal.
511- Brígida Rosa de Castro. N. em Mogi das Cruzes (SP).

OS OCTAVÓS (OU OITAVOS AVÓS):

576- João Paes Barreto de Melo. Capitão-Mor e Fidalgo Cavaleiro. N. em Cabo de Santo Agostinho (PE).
577- Margarida Alves de Castro.
578- Capitão João Maurício Wanderley. N. por volta de 1641, pois, ao sentar praça como soldado, em 3-JAN-1666, declarou ter 25 anos de idade. Cavaleiro da Ordem de Cristo em 1663. Colaborou com a repressão ao Quilombo dos Palmares, inclusive com a cessão de criados, escravos e mantimentos Serviu nos postos de Capitão da Ordenança de Mangabeira, com patente concedida em 2-ABR-1678 pelo Governador D. Pedro d Almeida, e de Cavalos, com patente concedida em 7-SET-1680 pelo Governador Aires de Sousa de Castro. Cavaleiro da Ordem de Cristo em 1663. C. c. Maria da Rocha, com quem teve os filhos Sebastião Maurício Wanderley, José Maurício Wanderley, Cristóvão da Rocha Wanderley, Antônio Maurício Wanderley, João Maurício Wanderley, Francisca Maurícia Wanderley, Bento da Rocha Barbosa Maurício Wanderley, Bartolomeu Lins, Gonçalo da Rocha Wanderley, Ana Wanderley, Isabel de Almeida Wanderley, Adriana Wanderley, Rosa Maria Wanderley (ou Rosa Maurícia Wanderley), Luísa Wanderley e Madalena Wanderley.
579- Maria da Rocha.
580- Capitão-Mor Estêvão Paes Barreto. Quarto Morgado do Cabo.
581- Maria Barreto Albuquerque.
582- Coronel José de Sá Albuquerque.
583- Catarina de Melo de Albuquerque (ou Carolina de Albuquerque ?).
584- José de Barros Pimentel. Sucedeu o pai no senhorio do Engenho do Morro e foi Capitão-Mor da Vila Formosa do Porto Calvo, com patente concedida pelo Governador. C. após 1-NOV-1666 c. Maria Accioli. Pais de: João Batista Accioli, José e Rodrigo de Barros Pimentel, Zenóbio Accioli de Vasconcelos, Francisco de Barros Pimentel, Jerônima de Almeida, Rosa Francisca de Barros, Brites Maria de Barros, Inês de Almeida e Adriana Francisca de Barros Pimentel.
585- Maria Accioli (ou Ana Cavalcanti de Vasconcelos?).
586- Capitão João Maurício Wanderley. V. nº 578.
587- Maria Rocha. V. nº 579.
588- Cibaldo Lins. Herdeiro do Engenho do Maranhão. Foi Sargento-Mor de Porto Calvo. Do matrimônio c. Micaela Coelho Negramonte originaram-se os seguintes filhos: Cibaldo Lins (I), Gonçalo Lins, Sebastião Inácio Lins, Cibaldo Lins (II), Joana Gualberto Lins, Adriana Wanderley Lins, Jerônima do Carmo de Jesus Lins, Brasia Lins, Teresa de Jesus Lins e Maria da Purificação Lins.
589- Micaela Coelho Negramonte.
590- João Batista Accioli. Foi Senhor do Engenho de Capiana, em Porto Calvo (AL). C. em Pernambuco c. Maria Wanderley. Pais de: Francisco de Barros Botelho, Inácia Vitória de Barros Wanderley.
591- Maria Wanderley.
592- Capitão João Paes Barreto de Melo. V. nº 576.
593- Margarida Alves de Castro. V. nº 577.
594- Capitão João Maurício Wanderley. V. nº 578.
595- Maria Rocha. V. nº 579.
596- Capitão Estêvão Paes Barreto. V. nº 580.
597- Maria Barreto Albuquerque. V. nº 581.
598- Coronel José de Sá Albuquerque. V. nº 582.
599- Catarina de Melo de Albuquerque. V. nº 583.
600- Capitão João Maurício Wanderley. V. nº 578.
601- Maria Rocha. V. nº 579.
602- Feliciano de Melo da Silva. N. em Viana, Portugal. Ocupou o posto de Capitão em Olinda (PE), onde casou-se c. Brites de Barros Rego e faleceu em 1716.
603- Brites de Barros Rego. C. em primeiras núpcias c. Pedro Ferreira Brandão e em segundas núpcias c. Feliciano Melo Silva.
604- Francisco Coelho Negramonte.
605- Brasia Monteiro.
606- Cap. João Maurício Wanderley. V. nº 578.
607- Maria Rocha. V. nº 579.
780- Jean de Lanne. N. na França.
781- Marie Tartau. N. na França.
783- Ascença de Andrade. N. por volta de 1652 no Rio de Janeiro (RJ), onde C., em 29-JAN-1677, na Igreja S. José, c. Bonifácio de Mendonça (fº de Francisco Nabo de Mendonça e de Bárbara de Gouveia). Segundo Carlos Grandmasson Rheingantz (v. "Primeiras Famílias do Rio de Janeiro"), após separar-se de Bonifácio de Mendonça, Ascença teve duas filhas naturais: Maria de Jesus e Antônia do Pilar. O Cônego Raimundo Trindade, no "Velhos Troncos Mineiros", cita outro filho, o Padre Luís Mendes, que, provavelmente, originou-se do casamento com Bonifácio. Fal. no Rio de Janeiro em 29-JUL-1712.
812- Jacinto Ferreira.
813- Luzia Fernandes.
814- João Cardoso Gago da Câmara. N. de Mogi das Cruzes (SP).
815- Maria Velho Cabral. N. em Mariana (MG).
952- Miguel Moniz Barreto. Bat. em 10-MAI-1656. Tinha fazenda na Ordenança do Socorro. Por motivos desconhecidos, Miguel Moniz Barreto perdeu, em 1697, a patente de Capitão e foi condenado a dez anos de degredo em Angola, tendo conseguido fugir e, conseqüentemente, deixado de cumprir a pena. Em 1712, encontrava-se na Bahia. C. em 12-MAI-1694 c. Ângela da Rocha. Pais de: Manoel da Rocha Dória, Luísa Josefa de Menezes. Fal. antes de 1722.
953- Ângela da Rocha. Perdeu, em 1722, já viúva, uma ação contra ela movida pelos carmelitas, em uma questão referente a um sítio chamado Parnataí. Fal. em 1753.
954- Manoel Gomes Dias.
955- Maria de Vasconcelos.
956- Antônio Carneiro da Rocha. N. por volta de 1659. Estudou cânones em Coimbra, Portugal, de 1678 a 1687. Seu casamento c. Inácia de Menezes e Castro deve ter ocorrido entre 1690 e 1695. Pais de: Luís Carneiro de Menezes e Bernarda de Menezes Dória.
957- Inácia de Menezes e Castro. N. entre 1670 e 1675. Fal. em 12-NOV-1737.
958- João Álvares de Vasconcelos. Formado em 1693 em Coimbra, Portugal, foi Médico do presídio da cidade da Bahia em 1696. Filhos c. Antônia Teles de Menezes: Cristóvão de Aguiar de Bitencourt e Ângela de Menezes. Era viúvo quando faleceu na Bahia, tendo sido sepultado no Carmo.
959- Antônia Teles de Menezes. N. em S. Miguel de Cotegipe (BA).
1000- João Batista Prestes. N. em Lisboa, Portugal.
1001- Teresa de Jesus.
1002- João Rodrigues Carassa.
1003- Ana Rodrigues de Siqueira.
1004- Amaro Domingues Vidial. N. e casou (com Branca de Almeida) em Sorocaba (SP), onde faleceu em 1720.
1005- Branca de Almeida. N. em Sorocaba (SP), onde fal. em 1761.
1006- Gaspar Cubas Ferreira. Casou com Ângela de Almeida Fogaça em 1721, em Sorocaba (SP), onde fal. em 1782.
1007- Ângela de Almeida Fogaça.
1008- Agostinho de Oliveira Costa. N. em Portugal.
1009- Ana da Silveira Dutra.
1010- José Pires de Melo.
1011- Joana Fagundes de Siqueira.
1016- Pedro da Cruz. N. em Nápoles, Itália.
1017- Maria Isabel. N. em Liorne, Itália.
1018- Francisco de Sales Ribeiro. N. por volta de 1687 em Lisboa, Portugal. Casou com Maria Josefa de Matos em São Paulo (SP), onde fal. em 1779.
1019- Maria Josefa de Matos. Fal. em 1747 em São Paulo (SP).
1022- Tomé Álvares de Castro.
1023- Brígida Sobrinha de Vasconcelos.

OS NONOS AVÓS:

1152- Cristóvão Paes Barreto. N. em Cabo de Santo Agostinho (PE), onde foi Capitão-Mor. Fidalgo Cavaleiro da Ordem de Cristo. C. c. Margarida de Melo, com quem teve os filhos: João e Gonçalo Paes Barreto, Maria de Melo Barreto, Ana e Catarina Melo, Luís, Micaela e Miguel Paes Barreto e Francisca Melo. Fal. em 1645.
1153- Margarida de Melo.
1154- Estêvão Paes Barreto. Morgado dos Paes, em Pernambuco. C. c. Catarina de Castro de Távora, com quem teve os seguintes filhos: João Paes de Castro, Estêvão Paes Barreto e Margarida Alves de Castro.
1155- Catarina de Castro de Távora (ou Margarida de Castro Távora).
1156- Coronel Kaspar von der Ley, ou, como informado pelo historiador Francisco Antônio Dória, Caspar von neuhof von der Leyen (no Brasil, adotou o nome de Gaspar Wanderley). N. no Ducado de Cleves, Alemanha (alguns autores dão a Holanda como sua terra natal, talvez por ser citado como Kasper van der Ley, desde que passou para Pernambuco antes de 1636, e ter servido às tropas holandesas como Capitão de Cavalos). C. c. Maria de Melo, com quem teve os filhos João Maurício Wanderley, Manoel Gomes Wanderley, Gaspar de Wanderley e Adriana de Almeida Wanderley. Participou da conquista holandesa da Paraíba e, após o término do prazo de seu contrato com o exército mercenário da Cia. das Índias Ocidentais, radicou-se definitivamente em Pernambuco, como proprietário de grandes canaviais entre Sirinhaém e Cabo. Simpatizando-se desde o início com o movimento de libertação pernambucana irrompido em 1645 contra os dominadores holandeses de Recife, acabou aderindo aos defensores do território invadido. Protestante, converteu-se ao catolicismo antes de 1640. Já como Sargento-Mor, foi transferido para a Bahia, onde faleceu.
1157- Maria de Melo. C. em primeiras núpcias com Kaspar von der Ley e em segundas núpcias com João Batista Accioli.
1158- Clemente da Rocha Barbosa. N. em Portugal. Cavaleiro da Ordem de São Bento de Aviz. Tinha a alcunha de "Pé de Pato", por ter uma perna muito inchada. Em 1651 participava da Guerra contra os Holandeses, com o posto de Capitão de Infantaria, com que viera de Portugal com o objetivo de colaborar com a restauração de Pernambuco. Posteriormente, foi Sargento-Mor da Comarca de Pernambuco (ficou neste posto até o seu falecimento), tendo tomado parte nas lutas contra os escravos refugiados no Quilombo dos Palmares (7), principalmente em 1681. Do casamento c. Maria Lins teve os seguintes filhos: Cristóvão da Rocha Barbosa e Ana, Adriana e Maria da Rocha. Fal. em 1682 em Porto Calvo (AL).
1159- Maria Lins. Casou-se em primeiras núpcias com Manoel Camelo Quiroga, Senhor do Engenho do Escurial, em Porto Calvo (AL), e em segundas núpcias com Clemente da Rocha Barbosa. Filha oriunda do 1º casamento: Maria Camelo.
1160- Estêvão Paes Barreto. V. nº 1154.
1161- Catarina de Castro de Távora. V. nº 1155.
1162- Felipe Paes Barreto. Senhor do Engenho de Garapu. Com Brites de Albuquerque teve, pelo menos, os seguintes filhos: Luís, Felipe, Antônio e Gonçalo Paes Barreto, Catarina de Melo de Albuquerque, Inês e Maria Barreto de Albuquerque, Brites de Albuquerque e Joana Barreto de Albuquerque. Fal. antes de 1651.
1163- Brites de Albuquerque.
1164- Antônio de Sá Maia. C. em primeiras núpcias c. Maria de Albuquerque e em segundas núpcias c. Catarina de Melo de Albuquerque. Filhos: Lourença d Albuquerque (do primeiro casamento) e Duarte de Sá Lima, João de Albuquerque de Melo, Jorge de Albuquerque, Duarte e André de Albuquerque de Melo, José e Afonso de Sá de Albuquerque, Antônio de Sá Maia Júnior, Joana, Maria e Brites de Albuquerque, Ana de Lima Maia, Joana de Sá e Melo, Luísa de Melo Albuquerque, Inês Falcam, Branca Maia de Lima, Maria de Sá Lima, Clara de Lima Maia e Ana de Melo de Albuquerque (do segundo casamento).
1165- Catarina de Melo de Albuquerque.
1166- Felipe Paes Barreto. V. nº 1162.
1167- Brites de Albuquerque. V. nº 1163.
1168- Rodrigo de Barros Pimentel. Foi Senhor dos Engenhos do Morro e do Escurial, em Porto Calvo (AL). Viveu nos tempos da invasão holandesa. Deve ser o mesmo Rodrigo de Barros Pimentel que, segundo Diogo de Vasconcelos (v. "História Média de Minas Gerais"), combateu índios no fim do Século XVII, tendo auxiliado Domingos Jorge Velho nos embates contra o Quilombo de Palmares. C. c. Jerônima de Almeida. Pais de: José, Brites e Úrsula de Barros Pimentel; Luísa, Cosma, Inês, Maria, Mariana e Jerônima de Almeida e Mécia de Barros.
1169- Jerônima de Almeida, "a Matrona".
1170- João Batista Accioli. N. em ABR-1623 em Santo Antônio do Cabo (PE). Foi Fidalgo da Casa Real e Cavaleiro do Hábito de Cristo. Serviu na guerra contra os holandeses desde 1647. Aprisionado no mar, vindo da Ilha da Madeira, fugiu a nado. Militou nas Guerras de Pernambuco, onde foi Sargento-Mor. Esteve em ambas as Batalhas dos Guararapes, sendo Capitão de Infantaria ao término da luta. C. em Pernambuco c. sua prima Maria de Melo, com quem teve os filhos: João Batista e Margarida Accioli, Zenóbio, Francisco, Miguel, Gaspar, Antônio e Francisca Accioli de Vasconcelos, além de Ana Cavalcanti de Vasconcelos (ou Maria de Accioli ?). Fal. em Pernambuco.
1171- Maria de Melo. Viúva de Kaspar von der Ley. V. nº 1157.
1172- Coronel Kaspar von der Ley. V. nº 1156.
1173- Maria de Melo. V. nº 1157.
1174- Clemente da Rocha Barbosa. V. nº 1158.
1175- Maria Lins. V. nº 1159.
1176- Cristóvão Lins. Chamado, lisongeiramente, de gentil-homem de "especialíssima presença", foi Senhor do Engenho do Maranhão, em Porto Calvo (AL). C. c Adriana Wanderley, com quem teve os seguintes filhos: Gonçalo, Bartolomeu, Cibaldo, Sebastião, Cosma, Helena, Teresa de Jesus e Mécia Lins.
1177- Adriana Wanderley.
1178- Manoel Coelho Negramonte. V. nº 302.
1179- Adriana Wanderley. V. nº 303.
1180- Capitão-Mor José de Barros Pimentel (o Velho). V. nº 584.
1181- Maria Accioli. V. nº 585.
1182- Manoel Gomes Wanderley. C. c. Mécia de Barros, c. quem teve os seguintes filhos: Adriana de Almeida Wanderley, Maria Wanderley, Domingos Ferreira e Lázaro Wanderley.
1183- Mécia de Barros.
1184- Cristóvão Paes Barreto. V. nº 1152.
1185- Margarida de Melo. V. nº 1153.
1186- Estêvão Paes Barreto. V. nº 1154.
1187- Catarina de Castro de Távora. V. nº 1155.
1188- Coronel Kaspar von der Ley. V. nº 1156.
1189- Maria de Melo. V. nº 1157.
1190- Clemente da Rocha Barbosa. V. nº 1158.
1191- Maria Lins. V. nº 1159.
1192- Estêvão Paes Barreto. V. nº 1154.
1193- Catarina de Castro de Távora. V. nº 1155.
1194- Felipe Paes Barreto. V. nº 1162.
1195- Brites de Albuquerque. V. nº 1163.
1196- Antônio de Sá Maia. V. nº 1164.
1197- Catarina de Melo de Albuquerque. V. nº 1165.
1198- Felipe Paes Barreto. V. nº 1162.
1199- Brites de Albuquerque. V. nº 1163.
1200- Coronel Kaspar von der Ley. V. nº 1156.
1201- Maria de Melo. V. nº 1157.
1202- Clemente da Rocha Barbosa. V. nº 1158.
1203- Maria Lins. V. nº 1159.
1204- Miguel Pereira do Lago. Referido como homem nobilíssimo e Morgado em Viana, Portugal.
1205- Catarina da Rocha de Abreu.
1206- Manoel de Barros Maduro. N. na Freguesia de Santo Estêvão, Viseu, Portugal. Era Capitão de Ordenança quando embarcou para o Brasil pelos idos de 1640. Foi Capitão de Infantaria na Guerra dos Holandeses.
1207- Ana Coutinho.
1208- Francisco Coelho Negramonte.
1209- Maria de São João.
1210- Álvaro Teixeira de Mesquita. N. em Portugal. Capitão de Infantaria.
1211- Antônia Bezerra.
1212- Coronel Kaspar von der Ley. V. nº 1156.
1213- Maria de Melo. V. nº 1157.
1214- Clemente da Rocha Barbosa. V. nº 1158.
1215- Maria Lins. V. nº 1159.
1566- Manoel de Andrade Pereira. N. por volta de 1608 e c. em torno de 1638.
1567- Catarina Mendes. N. por volta de 1618.
1628- Agostinho Gago de Gusmão.
1629- Maria da Câmara.
1630- Domingos Velho Cabral. C. em Guarapiranga (MG). Segundo Carlos da Silveira (v. "Subsídios Genealógicos"), Domingos seria o filho, com o mesmo nome, de Domingos Velho Cabral e Ana Leme da Silva, mencionado na página 390 do Volume 7 do "Genealogia Paulistana", de Silva Leme. Assim sendo, tratar-se-ia do bandeirante que recebeu de Francisco de Assis Carvalho Franco, no "Dicionário de Bandeirantes e Sertanistas do Brasil", os seguintes comentários: "Paulista, filho de outro de igual nome e de sua mulher Ana Leme da Silva, foi bandeirante que esteve entre os descobridores do Ribeirão do Carmo, nas Minas Gerais, arraial, local que lhe adotou o nome. Em 1701, lavrava ele ouro no córrego denominado Aroeiras. Em 1702 foi nomeado Guarda-Mor do Carmo e teve a incumbência de ir ao arraial de Bento Rodrigues para apaziguar os motins que ali se vinham sucedendo. Em 1721 desempenhava o encargo de testamenteiro de João Amaro Maciel Parente".
1631- Ana de Borba Gato.
1904- Miguel Moniz Barreto. C. em 8-SET-1652 na Capela de Santa Luzia, em Cotegipe (BA), c. Úrsula de Azevedo Rego, com quem teve os filhos Isabel de Menezes, Miguel Moniz Barreto, João Batista Moniz, José Teles de Menezes, Mariana de Menezes, Ana Paes de Azevedo, Maria de Menezes e Isabel de Menezes.
1905- Úrsula de Azevedo Rego (ou Úrsula Paes de Azevedo).
1906- Luís Vaz da Costa. N. por volta de 1653.
1907- ..... Rocha.
1910- Mateus de Aguiar de Altero (ou Mateus de Aguiar Daltro). Bat. em 29-AGO-1624 em Cotegipe (BA), onde C. em 23-JAN-1652 c. Maria de Vasconcelos. Pais de Luzia, Antônio, João Álvares, Maria, Isabel, Ângela, Ana e Bartolomeu de Vasconcelos, bem como de Francisco de Aguiar e de Gaspar Pacheco.
1911- Maria de Vasconcelos. Bat. em Cotegipe, Bahia, em 27-SET-1637.
1912- Capitão Luís Carneiro da Rocha. N. no Porto, Portugal.
1913- Jerônima da Silva.
1914- Francisco de Abreu da Costa Dória. Fidalgo da Casa de Sua Majestade. Morava com a esposa na Ilha de Itaparica (BA) em 1673, quando adquiriu uma sesmaria. Em 1687, foi feito Capitão da Ordenança do Distrito de Patatiba. Era proprietário do Ofício de Escrivão dos Agravos em 15-FEV-1698. Por volta de 1699, foi, segundo Frei Antônio de Santa Maria Jaboatão, decapitado por ter ordenado a morte de sua mulher, Ana Maria de Menezes e Castro, com quem teve os filhos Manoel de Sá Dória Ravasco, Inácia, Francisca e Isabel Bárbara de Menezes.
1915- Ana Maria de Menezes e Castro.
1916- Mateus de Aguiar Daltro. V. nº 1910.
1917- Maria de Vasconcelos. V. nº 1911.
1918- Marcos de Bitencourt. Com 20 anos de serviço, foi promovido a Sargento-Mor. Substituiu o Coronel Lourenço Barbosa da França em 14-MAI-1678. Ajudou a defender engenhos ameaçados pelos holandeses. C. em primeiras núpcias c. Jerônima de Menezes (fª de Henrique Moniz Barreto e de Maria Soares) e em segundas núpcias c. Ângela de Menezes. Teve filhos apenas do segundo matrimônio: Margarida, Maria e Antônia Teles de Menezes, Leonor Teles e Luísa Teles de Menezes.
1919- Ângela de Menezes. N. em Cotegipe (BA), onde foi batizada a 1-MAI-1631.
2008- Brás Domingues Vidigal.
2009- Isabel Pedroso.
2010- Tomé de Lara de Almeida.
2011- Maria de Almeida Pimentel.
2012- Gaspar Cubas Ferreira.
2013- Josefa de Oliveira. N. por volta de 1673. Fal. em 1753 em Itu (SP).
2014- Sebastião Sutil. Casou em 1691 em São Paulo (SP) com Maria Fogaça de Almeida. Fal. em 1708 em Sorocaba (SP).
2015- Maria Fogaça de Almeida.
2018- José da Silveira Bitencourt.
2019- Ana Cavalheiro.
2020- João de Lima Madureira.
2021- Isabel de Melo.
2022- Francisco Fagundes Carrero. N. em 7-MAI-1661 no Rio de Janeiro (RJ). Casou por volta de 1691 com Maria de Siqueira. Fal. em 1725 em Santo Amaro (SP).
2023- Maria de Siqueira. Fal. em 1738 em Santo Amaro (SP).
2036- Manoel Gonçalves.
2037- Domingas Antunes.
2038- Gaspar de Matos. N. em Aguiar, Portugal. Fal. em 1734 em São Paulo (SP).
2039- Maria Vieira da Cunha. Fal. em 1718.

OS DÉCIMOS AVÓS:

2304- João Paes Velho Barreto (ou João Paes Barreto). N. em Viana do Castelo, Portugal, por volta de 1544. Fidalgo da Casa Real, Cavaleiro da Ordem de Cristo e tronco da família Paes Barreto em Pernambuco. A sua chegada ao Brasil deve ter ocorrido entre 1557 e 1560. Cultivando a cana-de-açúcar, era considerado, em sua época, o homem mais rico de Pernambuco. Prestou serviços de alta monta na colonização da Paraíba e do Rio Grande do Norte. C. c. Inês Tavares Guardês, tendo tido com ela os seguintes filhos: João, Estêvão, Felipe, Cristóvão, Miguel, Diogo, Catarina e Maria. Gilberto Osório de Andrade e Raquel Caldas Lins muito dizem sobre João Paes Barreto no livro "João Pais, do Cabo: O Patriarca, Seus Filhos, Seus Engenhos" (com estudo genealógico preparado por Sílvio Paes Barreto). Fal. no Hospital Paraíso, em Olinda (PE), onde foi sepultado em 21-MAI-1617. A Revista Genealógica Latina, Volume 3, contém artigo de Carlos Xavier Paes Barreto a seu respeito.
2305- Inês Tavares Guardês (ou Inês Guardês de Andrada).
2306- Cristóvão Gomes de Melo.
2307- Ana de Holanda.
2308- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2309- Inês Tavares Guardês. V. nº 2305.
2310- Miguel Fernandes de Távora. N. em Lisboa, Portugal. Fal. em Ipojuca (PE).
2311- Margarida Alves de Castro. N. em Ipojuca (PE).
2314- Manoel Gomes de Melo. C. c. Adriana de Almeida Lins, com quem teve os filhos João Gomes de Melo, Brites, Ana, Mariana, Maria e Isabel de Melo
2315- Adriana de Almeida Lins.
2318- Bartolomeu Lins de Vasconcelos. N. em Olinda (PE). Filhos oriundos do casamento c. Mécia da Rocha: Cristóvão, Cibaldo, Mateus, Constantino, Maria e Cosma Lins. Fal. após 1635 em Porto Calvo (AL).
2319- Mécia da Rocha.
2320- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2321- Inês Tavares Guardês. V. nº 2305.
2322- Miguel Fernandes de Távora. V. nº 2310.
2323- Margarida Alves de Castro. V. nº 2311.
2324- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2325- Inês Tavares Guardês. V.nº2305.
2326- Antônio de Sá Maia. V. nº 1164.
2327- Catarina de Melo de Albuquerque. V. nº 1165.
2328- Duarte de Sá Lima. N. em Ponte de Lima, Portugal. A nau Santa Clara, em que viajava para a Índia com seu tio Francisco de Sá de Menezes, naufragou em 1665, tendo Duarte conseguido sobreviver agarrado a um pedaço de madeira até chegar a terras da Bahia, onde acabou permanecendo em face do interesse do Governador Luís de Brito e Almeida, que o armou Cavaleiro e o fez seu Alferes-Mor e Capitão de uma galé que corria a costa e mares do Brasil. C. c. Joana Tavares. Pais de: Antônio de Sá Maia e Felipa de Sá Lima. Fal. em 25-MAI-1612 em Olinda (PE).
2329- Joana Tavares.
2330- Cristóvão de Albuquerque de Melo. C. c. Inês Falcão, com quem teve os seguintes filhos: Simão de Albuquerque, Cristóvão de Albuquerque, Afonso de Albuquerque e Catarina de Melo de Albuquerque. Fal. em Olinda (PE) em 18-AGO-1623.
2331- Inês Falcão. Fal. em 31-MAI-1622 em Olinda (PE).
2332- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2333- Inês Tavares Guardês. V. nº 2305.
2334- Antônio de Sá Maia. V. nº 1164.
2335- Catarina de Melo de Albuquerque. V. nº 1165.
2336- Antônio de Barros Pimentel. N. em Viana, Portugal por volta de 1555. Foi Senhor do Engenho do Morro e Escurial, que levantou em terras que lhe foram dadas como dote. Talvez fosse irmão do Rodrigo de Barros Pimentel, filho de Joana Pimentel e neto materno de Pedro da Rocha Pimentel (n. em 1505) e de Cecília Rodrigues Bezerra, que Felgueiras Gaio diz ter casado rico no Brasil com uma senhora da Família Cavalcanti. Do casamento c. Maria de Holanda teve os filhos Antônio e Rodrigo de Barros Pimentel.
2337- Maria de Holanda.
2338- Baltazar de Almeida Botelho. N. em Lisboa, Portugal. Fidalgo da Casa Real e Cavaleiro da Ordem de Cristo. C. c. Brites Lins de Vasconcelos. Pais de: Cristóvão Botelho de Almeida, Jerônima de Almeida e Adriana de Almeida. Fal. em Pernambuco após 5-OUT-1626.
2339- Brites Lins de Vasconcelos. N. em Olinda (PE).
2340- Gaspar Accioli de Vasconcelos. N. em torno de 1580 na Ilha da Madeira, Portugal. Foi Cavaleiro do Hábito de Cristo e militou no Brasil. C. c. Ana de Albuquerque Cavalcanti em 10-JUN-1618. Pais de: Zenóbio Accioli de Vasconcelos, João Batista Accioli, Miguel Accioli, Gaspar Accioli de Vasconcelos, Francisco Cavalcanti, Margarida de Vasconcelos, Maria de Vasconcelos, Maria Madalena de Vasconcelos e Isabel de Vasconcelos. Fal. em 4-MAI-1668 em Pernambuco.
2341- Ana de Albuquerque Cavalcanti. N. em Pernambuco, onde fal. em MAR-1674.
2342- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
2343- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
2346- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
2347- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
2350- Bartolomeu Lins de Vasconcelos. V. nº 2318.
2351- Mécia da Rocha. V. nº 2319.
2352- Cibaldo Lins. Foi Senhor do Engenho do Maranhão, em Porto Calvo (AL). Do casamento c. Cosma de Barros Pimentel teve os filhos Cristóvão Lins e Jerônima Lins.
2353- Cosma de Barros Pimentel.
2354- Manoel Gomes Wanderley. V. nº 1182.
2355- Mécia de Barros. V. nº 1183.
2356- Francisco Coelho Negramonte. V. nº 604.
2357- Brasia Monteiro. V. nº 605.
2358- Capitão João Maurício Wanderley. V. nº 578.
2359- Maria Rocha. V. nº 579.
2360- Rodrigo de Barros Pimentel. N. por volta de 1590.
2361- Jerônima de Almeida.
2362- João Batista Accioli. N. por volta de 1623 em Pernambuco, onde casou e fal. em 1677.
2363- Maria de Melo. V. nº 1157.
2364- Kaspar von der Ley. V. nº 1156.
2365- Maria de Melo. V. nº 1157.
2366- Rodrigo de Barros Pimentel. V. nº 1168.
2367- Jerônima de Almeida. V. nº 1169.
2368- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2369- Inês Tavares Guardês. V. nº 2305.
2370- Cristóvão Gomes de Melo. V. nº 2306.
2371- Ana de Holanda. V. nº 2307.
2372- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2373- Inês Tavares Guardês. V. nº 2305.
2374- Miguel Fernandes de Távora. V. nº 2310.
2375- Margarida Alves de Castro. V. nº 2311.
2378- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
2379- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
2382- Bartolomeu Lins de Vasconcelos. V. nº 2318.
2383- Mécia da Rocha. V. nº 2319.
2384- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2385- Inês Tavares Guardês. V. nº 2305.
2386- Miguel Fernandes de Távora. V. nº 2310.
2387- Margarida Alves de Castro. V. nº 2311.
2388- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2389- Inês Tavares Guardês. V. nº 2305.
2390- Antônio de Sá Maia. V. nº 1164.
2391- Catarina de Melo de Albuquerque. V. nº 1165.
2392- Duarte de Sá Lima. V. nº 2328.
2393- Joana Tavares. V. nº 2329.
2394- Cristóvão de Albuquerque de Melo. V. nº 2330.
2395- Inês Falcão. V. nº 2331.
2396- João Paes Velho Barreto. V. nº 2304.
2397- Inês Tavares Guardês. V. nº 2305.
2398- Antônio de Sá Maia. V. nº 1164.
2399- Catarina de Melo de Albuquerque. V. nº 1165.
2402- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
2403- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
2406- Bartolomeu Lins de Vasconcelos. V. nº 2318.
2407- Mécia da Rocha. V. nº 2319.
2412- Domingos Rodrigues Maduro. Residiu na Freguesia de Santo Estêvão, próxima à cidade de Viseu, onde vivia de suas fazendas, que trazia arrendadas.
2414- Manoel da Costa Moura. N. na Freguesia de Sedielos (orago: Santa Maria), Concelho de Peso da Régua, Distrito de Vila Real, Portugal. Vivia em Olinda (PE) em 1640.
2415- Margarida Coutinho. N. em Lisboa, Portugal.
2422- Luís Brás Bezerra. Chamado de "o Velho". Residia em Pernambuco. Senhor do Engenho de São Cosme e São Damião, na Freguesia de S. Jerônimo da Várzea, onde vivia em 1650. C. c. Brasia Monteiro. Pais de Mécia e Antônia Bezerra, de Leonor Cabral e de Maria Paes Bezerra.
2423- Brasia Monteiro. Cristã velha. N. em Pernambuco por volta de 1554. Falou à Inquisição em 1594. Fal. em 12-OUT-1605 em Olinda (PE).
2426- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
2427- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
2430- Bartolomeu Lins de Vasconcelos. V. nº 2318.
2431- Mécia da Rocha. V. nº 2319.
3260- Domingos Velho Cabral (provavelmente). C. c. Ana Leme da Silva. Pais de: Domingos, Antônio, João Cabral da Silva e Maria. Fal. em 1662 em Guaratinguetá (SP).
3261- Ana Leme da Silva (provavelmente).
3262- Lucas de Borba Gato. Foi Capitão-Mor e Juiz Ordinário (por volta de 1696) da Vila da Exaltação da Cruz de Ubatuba (SP), onde faleceu em 1725. Do casamento c. Maria Pires originaram-se as filhas Inês Monteiro, Ana de Borba Gato, Maria Luís e uma quarta filha casada c. Mateus de Sousa.
3263- Maria Pires.
3808- Custódio Rabelo de Azevedo. Fal. em DEZ-1641.
3809- Ana de Lemos.
3810- Sebastião Paes.
3811- Isabel de Azevedo.
3812- Fernão Vaz da Costa Dória. C. em 14-NOV-1648 c. Inácia de Azevedo Ravasco, com quem teve os filhos Francisco de Abreu da Costa Dória, Luís Vaz da Costa e Manoel de Sá Dória Ravasco. Fal. em 2-AGO-1660, tendo sido sepultado na Sé da Bahia.
3813- Inácia de Azevedo Ravasco. N. na Bahia em torno de 1618. Irmã do Padre Antônio Vieira.
3820- Custódio Nunes (o Velho). Senhor de um engenho em Cotegipe (BA). Judaizante. Teve c. Ana de Figueiró os filhos: Mateus de Aguiar Daltro, Cristóvão de Aguiar Daltro, João Álvares de Figueiró e Isabel de Figueiró. Fal. em 11-NOV-1662, tendo sido sepultado na sua capela de Santo Antônio de Cotegipe (BA).
3821- Ana de Figueiró. Judaizante. Bat. na Sé, Salvador (BA) em 15-ABR-1587. Fal. em 6-AGO-1657 em Salvador (BA), tendo sido sepultada no Carmo.
3822- Bartolomeu de Vasconcelos de Oliveira. Chamado de "o Má Pele" por ter ajudado o pai a matar Francisco de Barbuda.
3823- Luísa Pacheco. C. em primeiras núpcias c. Bartolomeu de Vasconcelos e em segundas núpcias, em 1º-MAR-1672, na Freguesia de Cotegipe, na Bahia, c. João Fragoso de Afonseca.
3824- Capitão-de-Mar-e-Guerra José Carneiro de Freitas. N. no Porto, Portugal
3825- Mariana da Rocha da Fonseca. N. no Porto, Portugal.
3828- Fernão Vaz da Costa Dória. C. em 14-NOV-1648. Fal. em 2-AGO-1660 em Salvador (BA).
3829- Inácia de Azevedo Ravasco. N. por volta de 1618 na Bahia.
3830- Rui Dias de Menezes. Recebeu a patente de Capitão de Picas da Infantaria Portuguesa. C. em 27-JAN-1648 c. Guiomar Ximenes de Aragão. Pais de: Rui Dias de Menezes, Brites Maria de Menezes e Ana Maria de Menezes Castro.
3831- Guiomar Ximenes de Aragão. C. em primeiras núpcias c. Rui Dias de Menezes e em segundas núpcias c. o Mestre de Campo Antônio Guedes de Brito. Fal. em 8-JUL-1708 na Bahia, tendo sido sepultada na Igreja do Colégio.
3832- Custódio Nunes. V. nº 3820.
3833- Ana de Figueiró. V. nº 3821.
3834- Bartolomeu de Vasconcelos de Oliveira. V. nº 3822.
3835- Luísa Pacheco. V. nº 3823.
3836- Capitão André Cavalo de Carvalho. C. em primeiras núpcias em 25-NOV-1609, em Cotegipe, c. Margarida Girão, resultando desta união os filhos Marcos de Bitencourt, Maria, Luísa e Ana Girão e Sebastião Cavalo de Carvalho. C. em segundas núpcias c. Brites de Oliva (viúva do Capitão João Garção), tendo deste casamento a filha Benta de Oliva. Fal. a 13-JAN-1661, tendo sido sepultado na cova de seus avós.
3837- Margarida Girão.
3838- Mateus Pereira de Menezes. C. c. Isabel de Almeida. Pais de Gaspar Pereira de Magalhães, Antônia, Ângela e Maria de Menezes, Alcaide-Mor Francisco Teles de Menezes, Capitão Antônio Teles de Menezes e Domingos Teles de Menezes. Mateus c. em segundas núpcias c. Helena da Silva Pimentel, não tendo filhos desta esposa.
3839- Isabel de Almeida.
4016- Amaro Domingues. N. em São Paulo (SP), onde fal. em 1636.
4017- Catarina Ribeiro.
4018- João Moreira. Casou em São Paulo (SP) em 1632 com Gregória da Silva. Fal. em 1691 em Cotia (SP).
4019- Gregória da Silva. Fal. em 1700 em São Paulo (SP).
4020- Lourenço Castanho Taques. Casou com Maria de Lara em 1631, em São Paulo (SP), onde fal. em 1677.
4021- Maria de Lara.
4022- Antônio de Almeida Pimentel.
4023- Lucrécia Pedroso de Barros.
4024- Gaspar Cubas Ferreira. N. por volta de 1614. Casou em 1639 em São Paulo (SP) com Margarida Rodrigues de Siqueira.
4025- Margarida Rodrigues de Siqueira.
4026- Miguel Dias Bravo. N. em Portugal. Fal. em 1721.
4027- Maria Mendes Furtado.
4028- João Sutil de Oliveira. Casou em 1647 com Maria Ribeiro. Fal. em 1652.
4029- Maria Ribeiro. Fal. em 1652.
4030- João Fogaça de Almeida. N. em Lisboa, Portugal. Casou em 1672 em São Paulo (SP) com Isabel de Aguiar Mendonça. Fal. em 1693.
4031- Isabel de Aguiar Mendonça. Fal. em 1685.
4038- José Cavalheiro. N. em Castela. Fal. em 1670 em São Paulo (SP).
4039- Isabel Fernandes. N. em Santo Amaro (SP).
4044- Antônio Fagundes. N. por volta de 1630 em Viana do Castelo, Portugal. Casou em 27-JAN-1660, no Rio de Janeiro (RJ), com Ângela de Castro.
4045- Ângela de Castro. N. em 14-JUL-1637 no Rio de Janeiro (RJ).
4046- Roque Furtado Simões. Fal. em 1700 em São Paulo (SP).
4047- Maria Álvares de Siqueira.
4076- Sebastião de Matos. N. em Parada, Portugal.
4077- Isabel de Araújo. N. em Nozedo, Portugal.
4078- Inácio Vieira Antunes.
4079- Mariana da Cunha. N. em São Paulo (SP).

OS DÉCIMOS PRIMEIROS AVÓS:

4608- Antônio Velho Barreto. Morgado de Bilheiras.
4609- Mariana Pereira da Silva.
4610- Francisco Fernandes (ou Francisco Carvalho de Andrade). Escudeiro real.
4611- Maria Tavares Guardês.
4614- Arnal van Holand (ou Arnau de Holanda). N. em Utrecht, Holanda. C. em Pernambuco. Foi um dos homens nobres que acompanharam Duarte Coelho (8) quando este veio para o Brasil. Do seu matrimônio com Brites Mendes de Vasconcelos nasceram os filhos seguintes: Cristóvão, Antônio e Agostinho de Holanda de Vasconcelos, Adriana de Holanda, Isabel e Inês de Góes e Ana e Maria de Holanda.
4615- Brites Mendes de Vasconcelos. N. por volta de 1525 em Lisboa, Portugal. Fal. em 19-DEZ-1620 em Olinda (PE), tendo sido sepultada na Igreja de Santo Antônio e São Gonçalo do Convento da Ordem de N. S. do Monte do Carmo, na mesma cidade.
4616- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4617- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4618- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4619- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4628- João Gomes de Melo. N. na Beira, Portugal.
4629- Ana de Holanda.
4630- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
4631- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339;
4636- Christoph Linz (conhecido no Brasil como Cristóvão Lins). N. em Dornorf, ao sul de Ulm, Alemanha, por volta de 1529. Criado na Alemanha, mudou-se para Portugal a chamado do pai, que lhe conseguiu o privilégio de equiparação à cidadania portuguesa. Entre 1566 e 1572 foi enviado pelo pai ao Brasil para ajudar Bartolomeu Jacome Lins, seu irmão pelo lado paterno. Primo de Sibald Linz, ou Cibaldo Lins (9). Teria sido o primeiro que chegou a Porto Calvo (AL) e o seu legítimo e incontestável povoador, após muitas lutas contra os índios Potiguares. Por seu trabalho em prol do desenvolvimento da região, onde possuía sete engenhos de açúcar, Christoph recebeu de Jorge d Albuquerque Coelho, 3º Donatário de Pernambuco, no ano de 1600, o título de Alcaide-Mor da Vila do Bom Sucesso de Porto Calvo. C. em Olinda (PE), antes de 1576, c. Adriana de Holanda. Pais de Bartolomeu e Inês Lins de Vasconcelos, Brites Mendes de Vasconcelos, Arnal de Holanda, Madalena Lins de Vasconcelos e Margarida Lins Accioli. Fal. em Porto Calvo (AL) após 1602.
4637- Adriana de Holanda. Fal. após 1644, em Porto Calvo (AL), com mais de cem anos de idade, tendo conhecido sua posteridade até a quarta geração.
4638- André da Rocha Dantas. N. em Viana, Portugal. Chegou a Pernambuco nos primeiros anos de sua povoação. Tinha fazendas na região do Rio São Francisco. C. c. Mécia Barbosa. Pais de: Mécia da Rocha e André da Rocha Dantas.
4639- Mécia Barbosa. N. na Bahia, na região do Rio São Francisco, que teve em seu pai um dos primeiros povoadores.
4640- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4641- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4642- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4643- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4648- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4649- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4650- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4651- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4652- Duarte de Sá Lima. V. nº 2328.
4653- Joana Tavares. V. nº 2329.
4654- Cristóvão de Albuquerque de Melo. V. nº 2330.
4655- Inês Falcão. V. nº 2331.
4656- Antônio Maia de Lima. Filhos oriundos do casamento c. Isabel Dias de Sá: Francisco Maia de Lima, Duarte de Sá de Lima e Belquior Maia de Lima.
4657- Isabel Dias de Sá.
4658- João Pires Camboeiro. N. em Coimbra, Portugal.
4659- Felipa de Tavares.
4660- Jerônimo de Albuquerque. N. por volta de 1514 em Portugal. Veio para o Brasil (Pernambuco) em 1535, em companhia de seu cunhado Duarte Coelho, que recebeu do Rei D. João III, em ato de 10-MAR-1534, como doação pelos bons serviços prestados, a Capitania de Pernambuco. Retornando Duarte Coelho a Portugal para requerer seus serviços, deixou o governo com sua esposa, Brites de Albuquerque, e o cunhado Jerônimo de Albuquerque. Documentação encontrada revela que Jerônimo, em um combate em 2-JAN-1547, recebeu uma flechada que lhe vazou um dos olhos. Amarrado com cipós, foi levado à presença de Ubira Ubi, morubixaba dos tabajaras, tendo sido, então, condenado à morte. Salvou-o a princesa Muira Ubi, depois batizada com o nome de Maria do Espírito Santo Arcoverde, que por ele intercedeu junto ao pai, protestando também morrer se executassem o prisioneiro. Jerônimo teve com Muira Ubi 8 filhos: Manoel, André, Jerônimo, Catarina, Isabel, Antônia, Joana e Brites de Albuquerque. Com a portuguesa Felipa Melo, com quem Jerônimo casou-se por recomendação da Rainha Catarina (10), teve 11 filhos: João, Afonso, Cristóvão, Duarte, Jerônimo, Cosma, Felipa, Isabel, Maria, Jorge e Luísa. São atribuídos a Jerônimo, ainda, vários filhos com outras mulheres (brancas, aborígenes, mamelucas e escravas), podendo ser citados os seguintes: Simoa, Tomé, Francisco, Gaspar, Lopo, Pedro (filho de Luzia), Felipe (filho de Apolônia Pequena), Antônio, Salvador (filho de uma índia chamada Maria), Jorge, José, Ana, Maria, Joana, Felipa (filha da escrava mameluca Maria) e Jerônima. Devido ao grande número de filhos, alguns historiadores o chamaram de "Adão Pernambucano", por se encontrar na ascendência de grande parte dos pernambucanos. Fal. em 25-FEV-1584 em Olinda (PE).
4661- Felipa de Melo. N. em Portugal.
4662- Simão Falcão de Sousa. N. em Évora, Portugal. Fal. em 1-JUN-1609 em Olinda (PE).
4663- Catarina Paes. N. em Évora, Portugal. Fal. após 22-DEZ-1612.
4664- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4665- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4666- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4667- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4668- Duarte de Sá Lima. V. nº 2328.
4669- Joana Tavares. V. nº 2329.
4670- Cristóvão de Albuquerque de Melo. V. nº 2330.
4671- Inês Falcão. V. nº 2331.
4672- ..... Barros.
4673- Joana Pimentel.
4674- Arnal von Holand. V. nº 4614.
4675- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
4678- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
4679- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
4680- Zenóbio Accioli. Natural da Sé, Ilha da Madeira, Portugal. Herdou a casa paterna por morte de seu irmão mais velho, que não tinha herdeiros. Foi Cavaleiro da Ordem de Cristo. C. em 19-MAI-1562 na Ilha da Madeira, c. Maria de Vasconcelos, com quem teve os seguintes filhos: Francisco, Simão, Gaspar e João Batista Accioli de Vasconcelos, Jerônima e Lourença Accioli, Isabel de Vasconcelos e Maria de Vasconcelos Accioli. Fal. em 20-MAI-1598 na Ilha da Madeira, Portugal, tendo sido sepultado no Capítulo de São Francisco.
4681- Maria de Vasconcelos. Residia na Sé, na Ilha da Madeira, Portugal, onde fal. em 24-SET-1621.
4682- João Gomes de Melo. Sargento-Mor de Infantaria da Ordenança da Capitania de Pernambuco (patente registrada em 8-NOV-1666). Teve apenas uma filha com Margarida Cavalcanti de Albuquerque: Ana Cavalcanti.
4683- Margarida Cavalcanti de Albuquerque. C. em primeiras núpcias c. Cosme da Silveira e em segundas núpcias c. João Gomes de Melo. Filhos com Cosme da Silveira: Paulo e Francisca Cavalcanti.
4684- João Gomes de Melo. V. nº 4628.
4685- Ana de Holanda. V. nº 4629.
4686- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
4687- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
4692- João Gomes de Melo. V. nº 4628.
4693- Ana de Holanda. V. nº 4629.
4694- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
4695- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
4700- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
4701- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
4702- André da Rocha Dantas. V. nº 4638.
4703- Mécia Barbosa. V. nº 4639.
4704- Bartolomeu Lins de Vasconcelos. V. nº 2318.
4705- Mécia da Rocha. V. nº 2319.
4706- Rodrigo de Barros Pimentel. V. nº 1168.
4707- Jerônima de Almeida Lins. V. nº 1169.
4708- Coronel Kaspar von der Ley. V. nº 1156.
4709- Maria de Melo. V. nº 1157.
4710- Rodrigo de Barros Pimentel. V. nº 1168.
4711- Jerônima de Almeida Lins. V. nº 1169.
4712- Francisco Coelho Negramonte. V. nº 1208.
4713- Maria de São João. V. nº 1209.
4714- Álvaro Teixeira de Mesquita. N. em Portugal.
4715- Antônia Bezerra.
4716- Coronel Kaspar von der Ley. V. nº 1156.
4717- Maria de Melo. V. nº 1157.
4718- Clemente da Rocha Barbosa. V. nº 1158.
4719- Maria Lins. V. nº 1159.
4720- Antônio de Barros Pimentel. N. por volta de 1551 em Viana, Portugal.
4721- Maria de Holanda.
4722- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
4723- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 2339.
4724- Gaspar Accioli de Vasconcelos. N. por volta de 1580 na Ilha da Madeira, Portugal. C. em 10-JUN-1618 em Pernambuco, onde fal. em 4-MAI-1668.
4725- Ana de Albuquerque Cavalcanti. N. em Pernambuco, onde fal. em MAR-1674.
4726- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
4727- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
4730- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
4731- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
4732- Antônio de Barros Pimentel. V. nº 4720.
4733- Maria de Holanda. V. nº 4721.
4734- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
4735- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 2339.
4736- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4737- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4738- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4739- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4742- Arnal van Holand. V. nº 4614.
4743- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
4744- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4745- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4746- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4747- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4756- João Gomes de Melo. V. nº 4628.
4757- Ana de Holanda. V. nº 4629.
4758- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
4759- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
4764- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
4765- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
4766- André da Rocha Dantas. V. nº 4638.
4767- Mécia Barbosa. V. nº 4639.
4768- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4769- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4770- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4771- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4776- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4777- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4778- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4779- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4780- Duarte de Sá Lima. V. nº 2328.
4781- Joana Tavares. V. nº 2329.
4782- Cristóvão de Albuquerque de Melo. V. nº 2330.
4783- Inês Falcão. V. nº 2331.
4784- Antônio Maia de Lima. V. nº 4656.
4785- Isabel Dias de Sá. V. nº 4657.
4786- João Pires Camboeiro. V. nº 4658.
4787- Felipa de Tavares. V. nº 4659.
4788- Jerônimo de Albuquerque. V. nº 4660.
4789- Felipa de Melo. V. nº 4661.
4790- Simão Falcão de Sousa. V. nº 4662.
4791- Catarina Paes. V. nº 4663.
4792- Antônio Velho Barreto. V. nº 4608.
4793- Mariana Pereira da Silva. V. nº 4609.
4794- Francisco Fernandes. V. nº 4610.
4795- Maria Tavares Guardês. V. nº 4611.
4796- Duarte de Sá Lima. V. nº 2328.
4797- Joana Tavares. V. nº 2329.
4798- Cristóvão de Albuquerque de Melo. V. nº 2330.
4799- Inês Falcão. V. nº 2331.
4804- João Gomes de Melo. V. nº 4628.
4805- Ana de Holanda. V. nº 4629.
4806- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
4807- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
4812- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
4813- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
4814- André da Rocha Dantas. V. nº 4638.
4815- Mécia Barbosa. V. nº 4639.
4828- Pedro Cardoso de Moura. N. em Lamego, Portugal. Chegou a Pernambuco com sua família cinqüenta anos depois do início do povoamento da Capitania.
4829- Catarina da Costa. N. em Vila do Conde, Portugal.
4830- Fernão Coutinho de Azevedo. Comendador de Souto.
4831- Isabel de Noronha Sarnaxe.
4844- Paulo Bezerra. Foi Juiz Ordinário de Olinda (PE) em 1613. C. em Viana, Portugal, c. Maria Paes Barreto, com quem teve os filhos Manoel Gomes Barreto e Luís Brás Bezerra.
4845- Maria Paes Barreto. Era, provavelmente, parente de João Paes Barreto, instituidor do Morgado do Cabo, em Pernambuco.
4846- Guilherme (ou Antônio) Bezerra Felpa de Barbuda. Com a esposa Camila Barbalho teve os filhos Luís e Felipe Barbalho Bezerra e Brasia Monteiro.
4847- Camila Barbalho. Foi madrinha de batismo em 7-NOV-1608 em Olinda (PE), conforme consta do Livro Velho da Sé.
4852- João Gomes de Melo. V. nº 4628.
4853- Ana de Holanda. V. nº 4629.
4854- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
4855- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
4860- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
4861- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
4862- André da Rocha Dantas. V. nº 4638.
4863- Mécia Barbosa. V. nº 4639.
6520- Manoel da Costa Cabral. N. na Ilha de São Miguel, Portugal. Descendente da ilustre Casa do Senhor de Belmonte (conforme consta do brasão de armas passado em Lisboa em 1709 ao seu sobrinho Gaspar de Andrade Columbreiro e registrado em 1762 na Câmara Municipal de São Paulo). C. em primeiras núpcias, em Mogi das Cruzes (SP), c. Francisca Cardoso e em segundas núpcias c. Maria Vaz. Com a 1ª esposa teve os filhos Manoel da Costa Cabral, Maria Cardoso, Domingos Velho Cabral, João de Arruda Cabral, Francisca Romeiro Velho Cabral, Gaspar Velho Cabral, Lourenço Velho Cabral, Ana Cabral e Antônio Velho Cabral, sendo oriundo do 2º casamento apenas um filho (Belquior Cabral). Fal. em Taubaté em 1659.
6521- Francisca Cardoso. Fal. em 1655 em Taubaté (SP).
6524- Belquior de Borba Gato. N. em Portugal. C. c. Ana Rodrigues Arzão. Pais de Belquior, Lucas e Baltazar de Borba Gato.
6525- Ana Rodrigues Arzão.
7616- Lopo Rabelo. N. em torno de 1520. Na Bahia, foi Escrivão da Alçada, ofício que lhe deu o Rei pelo que perdeu em Arzila, Marrocos, onde deve ter residido até 1549, quando D. João III ordenou o abandono da praça e a transferência da população para Tânger. Fal. antes de 1592.
7617- Leonor de Carvalho (ou Brites de Carvalho). N. em torno de 1532 em Arzila, Marrocos. Em 2-AGO-1592, com cerca de 60 anos de idade, declarou-se cristã-velha perante o Santo Ofício.
7618- Jerônimo Moniz Barreto (o Velho). Chegou com o pai e irmãos à Bahia, onde C. em primeiras núpcias c. Mécia Lobo de Mendonça (bat. em 21-NOV-1554 e fal. em 9-NOV-1583, em Salvador) e em segundas núpcias c. Isabel de Lemos. Filhos do 1º matrimônio: Egas Moniz Barreto, Ângela Lobo de Almeida, Maria, Francisca, Isabel e Vasco de Menezes. Filhos do 2º casamento: Miguel Teles de Menezes, Antônio Moniz Teles, Vicente, Francisco, Jerônimo, Joana e Ana de Lemos. Fal. em 12-OUT-1606 na Bahia, tendo sido sepultado no Convento de São Francisco.
7619- Isabel de Lemos. Bat. na Sé, Bahia, em 25-MAR-1568. Fal. em 30-MAR-1634, tendo sido sepultada na Igreja Matriz do Socorro.
7624- Francisco Vaz da Costa. C. na Bahia c. Clemência Dória, tendo o casal tido os filhos Fernão Vaz da Costa Dória e Francisco da Costa.
7625- Clemência Dória. N. em Salvador por volta de 1590.
7626- Cristóvão Vieira Ravasco. N. por volta de 1576 em Santarém, Portugal, e fal. na Bahia em 12-JUN-1667. C. em Portugal por volta de 1606 c. Maria de Azevedo, tendo o casal tido os filhos Padre Antônio Vieira, Bernardo Vieira Ravasco, Inácia, Catarina e Leonarda de Azevedo Ravasco. Passou a residir na Bahia em 1614. Cavaleiro Fidalgo, foi elevado, em 9-FEV-1650, a fidalgo da Casa de Sua Majestade por serviços prestados por seu filho, o Padre Antônio Vieira.
7627- Maria de Azevedo. Natural de Lisboa, Portugal.
7642- Cristóvão de Aguiar Daltro. Com Isabel de Figueiró, com quem se casou em Cotegipe, na Bahia, em 2-FEV-1592, teve os filhos: Francisco, Ana de Figueiró, Francisca de Aguiar de Espinosa, Antônia de Aguiar, Cristóvão de Espinosa e Maria de Figueiró. Fal. sem testamento na Bahia em 10-DEZ-1622, tendo sido sepultado na Capela de Santo Antônio da Fazenda de Custódio Nunes , o Velho. Provavelmente, era filho ou neto de seu homônimo a quem Edite Porchat, em seu livro "Informações Históricas sobre São Paulo no Século de sua Fundação", se refere com as seguintes informações: a) n. em Portugal; b) era Cavaleiro-Fidalgo; c) foi nomeado em 1542 primeiro Loco-Tenente da Capitania de Santo Amaro; d) em 28-MAR-1543, como sucessor de Antônio de Oliveira, tomou posse do cargo de Capitão-Mor da Capitania de São Vicente, por provisão de Dona Ana Pimentel, mulher e procuradora de Martim Afonso de Sousa; e) foi o primeiro Juiz Ordinário de Santos (SP); f) retirou-se para Portugal em 1545, retornando ao Brasil em 1549, com Tomé de Sousa; g) na Bahia, acompanhou Dom Álvaro da Costa nas lutas contra os índios que assolavam as terras do recôncavo; h) faleceu durante o governo de Dom Luís de Brito, atacado por negros quilombolas, no lugar denominado Água dos Meninos, fora da cidade da Bahia; i) seu apelido foi transformado na Bahia em d Altro e depois em Daltro.
7643- Isabel de Figueiró.
7644- Paulo Carvalhal de Oliveira. Bat. na Sé, em Salvador (BA), em 11-JUL-1557. C. na Bahia c. Francisca de Aguiar de Espinosa. Pais de: Francisco de Carvalhal de Oliveira, Bartolomeu de Vasconcelos de Oliveira, Maria de Vasconcelos e Catarina de Vasconcelos. Por ter matado Francisco de Barbuda, com a ajuda do filho, foi condenado à morte, tendo sido degolado em alto cadafalso em 7-OUT-1614, em Salvador (BA).
7645- Francisca de Aguiar de Espinosa. Fal. em 17-JUL-1633 na Bahia, tendo sido sepultada na Capela de Santo Antônio, de Custódio Nunes.
7646- Francisco Fernandes Pacheco. Fidalgo da Casa de Sua Majestade. C. Violante de Araújo com tem teve os filhos: Capitão Francisco Fernandes Pacheco, Luísa Pacheco e Frei Antônio dos Anjos. Tinha em 1675 trinta e cinco anos de praça de soldado, cabo de esquadra, sargento, alferes, ajudante e duas vezes capitão vivo e reformado. Distinguiu-se em ações em Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. Esteve em Angola como Ajudante de Sargento-Mor. Foi reformado pelo Governador André Vidal de Negreiros em 1672. Foi Irmão da Santa Casa da Bahia.
7647- Violante de Araújo. C. em primeiras núpcias c. Sebastião Barbosa e em segundas núpcias c. Francisco Fernandes Pacheco.
7656- Fernão Vaz da Costa.
7657- Clemência Dória.
7658- Cristóvão Vieira Ravasco. V. nº 7626.
7659- Maria de Azevedo. V. nº 7627.
7660- Damião Dias de Menezes. Fidalgo da Casa de Sua Alteza, tinha cinco anos de serviço na praça da Bahia quando foi feito Capitão de Infantaria em 1672. Foi, também, Senhor do Morgado da Meca. Embarcou para a Índia no galeão São Pedro de Rates, a serviço de Sua Alteza. Com a esposa Ana de Castro do Rio teve, pelo menos, os filhos Rui Dias de Menezes e Brites de Menezes.
7661- Ana de Castro do Rio.
7662- Mateus Lopes Franco. Proveniente de Lisboa, Portugal. Foi comerciante no Rio de Janeiro em 1612, ano em que foi para a Bahia. Em 1618, foi acusado de heresia, tendo sido preso e remetido a Portugal em 1619. Perdoado, voltou ao Brasil em 1626. Como Capitão, engajou-se na guerra contra os holandeses em Alagoas, tendo o inimigo saqueado seu engenho em 17-NOV-1638. Em 1646, foi novamente indiciado como judaizante. Fal. antes de 7-OUT-1673.
7663- Leonor Ximenes de Aragão. Em 7-OUT-1673, já viúva do Capitão Mateus Lopes Franco, possuía uma pousada na Bahia.
7666- Cristóvão de Aguiar Daltro. V. nº 7642.
7667- Isabel de Figueiró. V. nº 7643.
7668- Paulo Carvalhal de Oliveira. V. nº 7644.
7669- Francisca de Aguiar de Espinosa. V. nº 7645.
7670- Francisco Fernandes Pacheco. V. nº 7646.
7671- Violante de Araújo. V. nº 7647.
7672- Sebastião Cavalo de Carvalho. N. na cidade do Porto, Portugal. Foi Ouvidor na cidade da Bahia (Salvador). Com Maria de Bitencourt de Sá teve os filhos: Francisco de Bitencourt e o Capitão André Cavalo de Carvalho.
7673- Maria de Bitencourt de Sá. C. em primeiras núpcias c. Jorge Antunes e em segundas núpcias c. Sebastião Cavalo de Carvalho. Filho c. Jorge Antunes: Francisco de Bitencourt.
7674- Francisco Lopes Girão, o Velho. Fal. em 23-MAR-1652, tendo sido sepultado na Sé de Salvador (BA), onde C. em 24-JUN-1584 c. Maria Correia. Pais de: Francisca Girão, Francisco Lopes Girão, Margarida e Manoel Girão
7675- Maria Correia. Fal. na Bahia em 22-OUT-1637.
7676- Gaspar Pereira, o Velho. Filho natural de Leandro Pereira Pinto e de Justa Álvares, foi dado para criar a Baltazar Pereira, que passou para o Brasil em 1560 com a criança. C. duas vezes, a primeira, na Bahia, c. Maria Soares (fal. em 13-SET-1597 na Bahia; filha de Henrique Moniz Barreto) e a segunda, em 1600, c. Ângela Lobo de Mendonça. Filhos: Margarida Soares, Francisco Pereira Soares, Isabel Soares e o Frei Lourenço Pereira (do primeiro casamento) e Mícia e Custódia de Menezes, Manoel Teles de Menezes, Mateus Pereira de Menezes, Baltazar e Antônio Moniz Barreto, Gaspar Pereira de Menezes, Maria de Menezes, Cosme Pereira de Mendonça, Diogo Moniz Sobrinho e Francisco Moniz Teles (do segundo matrimônio). Fal. em 1623 na Bahia, tendo sido sepultado no Convento do Carmo.
7677- Ângela Lobo de Mendonça. Fal. a 29-ABR-1611 na Bahia, tendo sido sepultada no Convento do Carmo.
7678- Gaspar de Freitas de Magalhães.
8032- Pedro Domingues. N. por volta de 1578.
8033- Clara Fernandes.
8034- Brás Mendes.
8035- Catarina Ribeiro.
8036- Pedro Álvares Cabral. N. na Ilha de São Miguel, Portugal.
8037- Suzana Moreira.
8040- Pedro Taques. N. em São Paulo (SP), onde faleceu em 26-OUT-1644.
8041- Ana de Proença. N. em São Paulo (SP).
8042- Diogo de Lara. N. na Freguesia de Santo Antônio e São Estêvão, na Vila de Zamora, no Reino de Castela. Casou com Madalena Fernandes Feijó de Moraes em São Paulo (SP), onde faleceu em 18-JUL-1661.
8043- Madalena Fernandes Feijó de Moraes. Faleceu em 22-OUT-1665 em São Paulo (SP).

OS DÉCIMOS SEGUNDOS AVÓS:

9228- Heinrich van Holand (Barão de Rhenoburg). N. na Holanda.
9229- Margarida Florentz Boeyens. Irmã do Papa Adriano VI (Adriano Florentz Boeyens)11.
9230- Bartolomeu Rodrigues de Sá. Camareiro-Mor do Infante D. Luís, filho do Rei D. Manoel.
9231- Joana de Góes de Vasconcelos. Teria sido criada da Rainha D. Catarina, mulher do Rei D. João III, que a teria recomendado a D. Brites de Albuquerque quando esta, em companhia do marido, o Primeiro Donatário Duarte Coelho, embarcou para Pernambuco.
9258- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9259- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9262- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
9263- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
9272- Sibald Linz von Dorndorf. N. em Ulm, Alemanha, em 7-DEZ-1508 e fal. em Lisboa ou Setúbal, Portugal, em torno de 1597. Obteve em 1542 reconhecimento de sua qualidade privilegiada de cidadão de Ulm. Nobre do Sacro Império por mercê pessoal de Carlos V, concedida em Ausburgo, Alemanha, em 25-SET-1550, com direito hereditários plenos "ad aeternum", por serviços prestados à Coroa. Na Alemanha, ainda solteiro, teve com uma jovem camponesa, também solteira, do senhorio paterno de Dorndorf, ao sul de Ulm, um filho natural: Christoph Linz. Deslocando-se para Antuérpia, na Bélgica, ali começou a ter, a serviço de firma paterna, ligações comerciais com a Coroa de Portugal, para onde fez suas primeiras viagens a negócio. Naturalizou-se português durante o reinado do Rei D. João III de Portugal. Radicou-se em Lisboa, Portugal, por volta de 1552. C. em Portugal, por volta de 1553, c. Jacoma Mendes, com quem teve os filhos Francisco, Bartolomeu e João Jacome Lins, além de Ana Mendes Lins.
9273- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha.
9274- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9275- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9304- Antônio Maia de Lima. V. nº 4656.
9305- Isabel Dias de Sá. V. nº 4657.
9306- João Pires Camboeiro. V. nº 4658.
9307- Felipa de Tavares. V. nº 4659.
9312- Duarte Fernandes do Rego.
9313- Branca Maia de Lima.
9314- João Rodrigues de Sá. Velho Fidalgo de Cota de Armas.
9318- Rui Tavares de Cabeia. Foi Governador do Castelo da Ilha Terceira.
9320- Lopo de Albuquerque. Chamado "o Bode". N. em Portugal. Com Joana de Bulhão teve os filhos Manoel, Frei Afonso, Antônio, Isabel, Jerônimo, Maria, Brites, Ana, Francisca e Joana.
9321- Joana de Bulhão. N. em Portugal. C. em primeiras núpcias c. João Melo e em segundas núpcias c. Lopo de Albuquerque.
9322- Cristóvão de Melo. Filho bastardo de D. Jorge de Melo, herdou o morgado que seu pai instituiu. Fal. em Évora, Portugal, em 15-AGO-1599.
9323- Joana da Silva (ou Joana de Menezes).
9336- Antônio Maia de Lima. V. nº 4656.
9337- Isabel Dias de Sá. V. nº 4657.
9338- João Pires Camboeiro. V. nº 4658.
9339- Felipa de Tavares. V. nº 4659.
9340- Jerônimo de Albuquerque. V. nº 4660.
9341- Felipa de Melo. V. nº 4661.
9342- Simão Falcão de Sousa. V. nº 4662.
9343- Catarina Paes. V. nº 4663.
9348- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
9349- Margarida Florentz. V. nº 9229.
9350- Bartolomeu Rodrigues de Sá. V. nº 9230.
9351- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
9356- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
9357- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
9358- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9359- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9360- Simão Accioli. N. em Florença, Itália. Fez seu assento no Funchal por volta de 1515, tendo fundado a Capela de Nossa Senhora da Natividade ou do Faial, acima da cidade. Fundou, igualmente, o Capítulo Velho de S. Francisco, onde tinha altar de Nossa Senhora da Piedade e seu jazigo. Fal. em 15-FEV-1544 na Ilha da Madeira, Portugal, onde C. c. Maria Pimentel Drummond, com quem teve os filhos Francisco e Zenóbio Accioli. Teve, ainda, uma filha bastarda: Genebra Accioli.
9361- Maria Pimentel Drummond. Fal. em 12-OUT-1541 na Ilha da Madeira, Portugal.
9362- Duarte Mendes de Vasconcelos. Viveu na Ilha da Madeira, Portugal.
9363- Joana Rodrigues Madragão.
9364- João Gomes de Melo. V. nº 4628.
9365- Ana de Holanda. V. nº 4629.
9366- Filippo Cavalcanti. N. em torno de 1523 em Florença, Itália, onde era fidalgo. Por causa de uma conjuração de que participou, contra o Duque Cosimo de Medici (2º), fugiu para Portugal no ano de 1558, daí passando para o Brasil, por não se sentir seguro na Europa. Em Pernambuco, foi hóspede de Jerônimo de Albuquerque, que o casou com uma de suas filhas (Catarina de Albuquerque), com quem teve os filhos João, Antônio, Lourenço, Jerônimo, Felipe, Genebra, Joana, Margarida, Catarina, Felipa e Brites Cavalcanti de Albuquerque. Participou de combates contra os ferozes nativos do Brasil. Ronaldo Vainfas, em seu livro "Trópico dos Pecados", informa, com base no contido na obra "Primeira Visitação do Santo Ofício às partes do Brasil. Denunciações da Bahia (1591-1593)", que Filippo, aos setenta anos de idade, foi acusado de cometer a sodomia com um jovem. O fundador do clã dos Cavalcantis em Pernambuco não foi, contudo, processado pelo Santo Ofício, seja pela falta de credibilidade dos acusadores, seja pelas qualidades do acusado e pelos serviços por ele prestados à colonização portuguesa. Fal. em Olinda (PE), onde foi sepultado, antes de 1614.
9367- Catarina de Albuquerque. N. por volta de 1544 em Olinda (PE), onde fal. em 4-JUN-1614.
9370- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9371- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9374- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
9375- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
9386- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9387- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9390- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
9391- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
9400- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
9401- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
9402- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9403- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9408- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
9409- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
9410- André da Rocha Dantas. V. nº 4638.
9411- Mécia Barbosa. V. nº 4639.
9412- Antônio de Barros Pimentel. N. por volta de 1555 em Viana, Portugal. V. nº 2336.
9413- Maria de Holanda. V. nº 2337.
9414- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
9415- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
9418- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
9419- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
9420- Antônio de Barros Pimentel. V. nº 2336.
9421- Maria de Holanda. V. nº 2337.
9422- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
9423- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
9434- Manoel Gomes de Melo. V. nº 2314.
9435- Adriana de Almeida Lins. V. nº 2315.
9438- Bartolomeu Lins de Vasconcelos. V. nº 2318.
9439- Mécia da Rocha. V. nº 2319.
9484- Heinrich van Holand (Barão de Rhenoburg). V. nº 9228.
9485- Margarida Florentz. V. nº 9229.
9486- Bartolomeu Rodrigues de Sá. V. nº 9230.
9487- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
9514- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9515- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9518- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
9519- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
9528- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
9529- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
9530- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9531- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9548- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
9549- Margarida Florentz. V. nº 9229.
9550- Bartolomeu Rodrigues. V. nº 9230.
9551- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
9560- Antônio Maia de Lima. V. nº 4656.
9561- Isabel Dias de Sá. V. nº 4657.
9562- João Pires Camboeiro. V. nº 4658.
9563- Felipa de Tavares. V. nº 4659.
9564- Jerônimo de Albuquerque. V. nº 4660.
9565- Felipa de Melo. V. nº 4661.
9566- Simão Falcão de Sousa. V. nº 4662.
9567- Catarina Paes. V. nº 4663.
9576- Lopo de Albuquerque. V. nº 9320.
9577- Joana de Bulhão. V. nº 9321.
9578- Cristóvão de Melo. V. nº 9322.
9579- Joana da Silva. V. nº 9323.
9610- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9611- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9614- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
9615- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
9624- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
9625- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
9626- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9627- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9656- Francisco de Moura. N. na Freguesia de Santa Maria de Sedielos, Concelho de Peso da Régua, Distrito de Vila Real, Portugal. Senhor da Ilha da Graciosa. Filhos: Pedro Cardoso de Moura e Lourenço Cardoso.
9658- Sebastião Pires. N. em Vila do Conde, Portugal.
9659- Guiomar Fernandes. N. em Vila do Conde, Portugal.
9660- Antônio Coutinho de Azevedo.
9692- Antônio Bezerra Felpa de Barbuda. N. em Ponte de Lima, Portugal. Veio para Pernambuco com o 1º Donatário, Duarte Coelho. C. c. Maria de Araújo. Pais de Domingos, Bernardo e de Guilherme Bezerra Felpa de Barbuda.
9693- Maria de Araújo.
9694- Brás Barbalho Feio. Um dos primeiros povoadores de Pernambuco. C. c. uma filha de Francisco Carvalho Andrade e de Maria Tavares de Guardês. Pais de Álvaro Barbalho Feio e Camila Barbalho.
9695- Maria Guardês. Seu prenome não foi registrado na "Nobiliarquia Pernambucana", de Borges da Fonseca, mas Macedo Leme, em suas "Memórias", informa ter sido Maria (conforme mencionado por Pedro Calmon no seu livro "Introdução e Notas ao Catálogo Genealógico das Principais Famílias, de Frei Jaboatão").
9706- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9707- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
9710- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
9711- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
9720- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
9721- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
9722- Arnal van Holand. V. nº 4614.
9723- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
13042- Gaspar Vaz Guedes. N. no Estado do Espírito Santo. Em 1628, acompanhou Antônio Raposo Tavares na sua entrada ao Guairá (região situada no antigo território do Paraguai, que abrangia a quase totalidade do atual Estado do Paraná). Considerado o fundador de Mogi das Cruzes (SP). C. em S. Paulo (SP) c. Francisca Cardoso.
13043- Francisca Cardoso. Fal. em 1611 em S. Paulo (SP).
13050- Cornélio Darsan (ou Cornélio Arzam). N. em Flandres, na Bélgica. Fal. em 1638 no Brasil. C. em São Paulo (SP) c. Elvira Rodrigues, com quem teve os filhos Maria, Manoel, Ana, Susana, Brás e Cornélio Rodrigues de Arzam. Pessoa estimada e com recursos, que veio para a Capitania de S. Vicente em 1609, na companhia do Governador Francisco de Sousa, para edificar os engenhos das minas da Vila de S. Paulo, com duzentos cruzados de salário, como consta de requerimento de sesmaria (que lhe foi concedida) que apresentou em 1627 ao Capitão-Mor Álvaro Luís do Vale, onde está registrada a pobreza em que então se achava por terem sido seus bens confiscados por causa de pena de excomunhão contra ele lançada pelos padres da Companhia de Jesus. Carpinteiro, Cornélio Darsan reconstruiu a Matriz de S. Paulo em 1610, com autorização da Câmara Municipal. Foi o primeiro a introduzir em São Paulo (SP), em 1613, a lavoura de trigo, construindo para sua indústria um moinho no Anhangabaú. Esteve preso em 1628 por ser herege, tendo sido inventariado em vida devido ao ocorrido.
13051- Elvira Rodrigues.
13288- Antônio de Oliveira Carvalhal. Foi Cavaleiro Fidalgo e o primeiro Alcaide-Mor na Bahia, para onde foi mandado pelo Rei D. João III como Capitão-Mor de uma armada, em 1551.
13289- Luzia de Melo de Vasconcelos.
15232- Lopo Dias Rabelo. Foi Senhor das terras da Casa de seu pai. Muito rico, instituiu o Morgado de Caldas em 1538. Viveu em Aregos, no Concelho de Rezende, Distrito de Viseu, Portugal. C. em primeiras núpcias c. Isabel Carneiro, originando-se do casamento os seguintes filhos: Álvaro Rabelo, Francisco Cardoso Rabelo, Vasco Rebelo, Maria Carneiro (ou Maria Rabelo, nora de Diogo Álvares, o Caramuru), Felipa Carneiro, Isabel e Brites Rebelo e o Frei Rodrigo. Teve, também, um filho bastardo: Lopo Rabelo.
15234- Francisco Carvalho. Clérigo. Prior de Arzila, Marrocos.
15235- Maria Lopes. N. em torno de 1531.
15236- Egas Moniz Barreto. N. na Ilha Terceira, Portugal. Fidalgo da Casa Real. Logo após o descobrimento do Brasil, veio para a Bahia, onde fal. em 4-NOV-1602, tendo sido sepultado na Igreja de Nossa Senhora da Ajuda. Fez testamento, tendo tal documento sido encontrado no 1º Cartório de Órfãos de Salvador, em perfeito estado de conservação. Com Ana Soares, teve os filhos: Duarte Moniz Barreto, Jerônimo Moniz Barreto, Diogo Moniz Barreto, Henrique Moniz Teles e Inês Barreto.
15237- Ana Soares (ou Maria da Silveira). Fal. em Salvador (BA), onde foi sepultada em 4-SET-1596, na Igreja de Nossa Senhora da Ajuda.
15238- João Rodrigues Palha. N. em torno de 1530 em Moura, Portugal. Um dos primeiros povoadores da cidade de Salvador (BA). Teve o foro de escudeiro fidalgo. Veio para o Brasil na armada de Luís de Melo da Silva, que em 11-NOV-1554 naufragou nas costas do Maranhão. C. c. Mécia de Lemos, com quem teve os filhos: Constância de Pina, Vicente Rodrigues Palha (trata-se do Frei Vicente do Salvador, o autor da primeira História do Brasil, batizado na Sé da cidade de Salvador, Bahia, em 28-JAN-1567), Isabel de Lemos, Maria de Lemos Landim, Felipe de Lemos, Águeda de Lemos, Paula de Pina, Mícia de Lemos, Jorge de Pina, Valentim Serrão, Francisco de Pina, Fulgêncio de Lemos e outra Mícia.
15239- Maria de Lemos.
15248- Francisco de Abreu da Costa. N. em 1560 no Algarve, Portugal. C. c. Francisca de Sá Dória. Pais de: Francisco Vaz da Costa, Fernão Vaz da Costa, Antônio de Sá Dória e Diogo Mendes da Costa.
15249- Francisca de Sá Dória.
15250- Brás da Silva de Menezes. C. c. Clemência Dória, com quem teve os seguintes filhos: Nicolau, Cristóvão da Costa Dória, Guiomar, Francisca de Sá Dória, Clemência, Maria e Ana.
15251- Clemência Dória.
15252- Baltazar Vieira Ravasco. Viveu, de sua fazenda, na Vila de Moura, em Portugal.
15253- Uma mulata ou escrava mourisca.
15254- Brás Fernandes. Armeiro.
15284- Álvaro de Aguiar Daltro.
15285- Filha de Pedro Vaz.
15286- Pedro Nunes. Nas Denunciações de 1591, há o registro de que era um cristão-novo e havia sido morto em Salvador (BA).
15288- Antônio Oliveira de Carvalhal. N. em Portugal. Cavaleiro Fidalgo. Em 1551, foi enviado à Bahia pelo Rei D. João III, como Capitão-Mor de uma Armada. Primeiro Alcaide-Mor da Bahia, onde contraiu matrimônio c. Luzia de Melo de Vasconcelos em 11-JUL-1557. Pais de: Manoel de Melo de Vasconcelos, Paulo de Carvalhal de Oliveira, Francisco de Melo de Carvalhal, Helena de Melo e Maria de Vasconcelos.
15289- Luzia de Melo de Vasconcelos. N. na Ilha Graciosa, Portugal, em torno de 1531. Fal. em 18-DEZ-1603 em Salvador (BA), tendo sido sepultada na Sé.
15290- Cristóvão de Aguiar de Altero (o Velho). V. nº 7642.
15291- Isabel de Figueiró. V. nº 7643.
15292- Gaspar Fernandes da Fonseca. Fidalgo de Sua Majestade.
15294- Manoel Correia de Brito. C. c. Mícia de Figueiredo Mascarenhas, com quem teve as filhas Violante de Araújo e Catarina Correia de Brito.
15295- Mícia de Figueiredo Mascarenhas. Fal. em 18-AGO-1614, tendo sido sepultada em N. S. da Ajuda, na Bahia.
15320- Rui Dias de Menezes. Foi Escrivão da Fazenda e Secretário das Mercês em Portugal. C. Ana de Faria teve os seguintes filhos: Duarte Dias de Faria, Francisco de Faria (que com a morte do irmão acima referido passou a chamar-se Duarte) e Damião Dias de Menezes.
15321- Ana de Faria.
15322- Tomé de Castro do Rio.
15323- Brites de Sousa.
15324- Francisco Lopes Franco. N. do Alentejo, Portugal. Cristão novo. Comerciante.
15325- Guiomar da Maia. Alentejana.
15326- Duarte Ximenes de Aragão.
15327- Catarina da Veiga.
15332- Álvaro de Aguiar Daltro. V. nº 15284.
15333- Filha de Pedro Vaz. V. nº 15285.
15334- Pedro Nunes. V. nº 15286.
15344- André Cavalo. Residiu c. a esposa na Vila de Barcelos, no Distrito de Braga, em Portugal.
15345- Margarida de Carvalho.
15346- Francisco Álvares Ferreira de Bitencourt. N. na Ilha da Madeira. Cavaleiro Fidalgo e Professo na Ordem de Cristo. Foi casado c. Policena de Sousa, com quem teve as filhas: Policena, Constância e Maria de Sousa de Bitencourt (ou Maria de Bitencourt de Sá).
15347- Policena de Sousa.
15352- Leandro Pereira Pinto. Fidalgo da Casa de Britiandos da Província do Minho, Arcebispado de Braga, Portugal. Teve c. Justa Álvares o filho natural Gaspar Pereira.
15353- Justa Álvares. N. na Freguesia de Arcos (orago: S. Pedro), Concelho de Ponte de Lima, Distrito de Viana do Castelo, Portugal. Segundo Frei Jaboatão, era moça branca e cristã velha, filha de um lavrador honrado. Tendo tido de Leandro Pereira Pinto um filho natural (Gaspar Pereira), foi a criança recolhida a um mosteiro de religiosas de São Bento e posteriormente entregue a Baltazar Pereira para criação.
15354- Jerônimo Moniz Barreto, o Velho. V. nº 7618.
15355- Mícia de Mendonça Lobo. Primeira esposa de Jerônimo Moniz Barreto, com quem teve os filhos: Egas Moniz Barreto, Ângela Lobo de Almeida, Maria e Francisca de Menezes.
16074- Jorge Moreira. N. no Rio Tinto, Porto, Portugal.
16075- Isabel Velho.
16080- Francisco Taques Pompeu. N. em Brabante, Flandres, França. Casou em Setúbal, Portugal, com Inês Rodrigues.
16081- Inês Rodrigues. N. em Setúbal, Portugal.
16082- Antônio de Proença. N. em Belmonte, Castelo Branco, Portugal. Casou com Maria Castanho em Santos (SP), por volta de 1565. Fal. em 9-JUN-1605 em São Paulo (SP).
16083- Maria Castanho. Nasceu por volta de 1542 em Montemor-o-Novo, Évora, Portugal.
16084- Diogo Ordonhez de Lara. Nasceu na Freguesia de Sãnto Antônio e Santo Estêvão, em Zamora, Reino de Castela.
16086- Pedro de Moraes d Antas. Fal. em 1644 em São Paulo (SP).
16087- Leonor Pedroso. N. no Porto, Portugal. Fal. em 1636 em São Paulo (SP).

OS DÉCIMOS TERCEIROS AVÓS:

18456- Príncipe Leão Eça van Holand. N. na Holanda.
18457- Antônia de Rhenoburg.
18458- Florentz Boeyens van Utrecht. N. em Utrecht, na Holanda. C. c. Gertrudes Boeyens, com quem teve, pelo menos, os filhos Adriano Florentz Boeyens (Papa Adriano VI) e Margarida Florentz Boeyens.
18459- Gertrudes Boeyens (nome de casada).
18516- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
18517- Margarida Florentz. V. nº 9229.
18518- Bartolomeu Rodrigues. V. nº 9230.
18519- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
18524- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
18525- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. º 9273.
18526- Arnal van Holand. V. nº 4614.
18527- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
18544- Zimprecht Linz. Fº de Konrad Linz e de Ursula Scheffer. N. em Ulm, ou Dorndorf, na Alemanha. Teve em 1511 confirmação, pelo Conde Hugo de Montfort, a título hereditário, do Senhorio de Dorndorf, com ampliação de privilégios de feudatário. C. em Ulm, em 1490, c. Barbara Gienger, com quem teve os seguintes filhos: Konrad, Hans, Euphrosine, Ana, Sibald e Barthomaeus (irmão gêmeo de Sibald e pai de Sibald Linz que, com o nome de Cibaldo Lins, viveu em Pernambuco). Fal. após 1546 em Ulm, onde foi comerciante.
18545- Barbara Gienger. N. em Ulm, Alemanha, onde fal. em 7-DEZ-1508. Fª de Matthaeus Gienger e de Ursula Hutz.
18548- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
18549- Margarida Florentz. V. nº 9229.
18550- Bartolomeu Rodrigues de Sá. V. nº 9230.
18551- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
18584- Príncipe Leão Eça van Holand. V. nº 18456.
18585- Antônia de Rhenoburg. V. nº 18457.
18586- Florentz Bayer van Utrecht. V. nº 18458.
18608- Duarte Fernandes do Rego. V. nº 9312.
18609- Branca Maia de Lima. V. nº 9313.
18610- João Rodrigues de Sá. V. nº 9314.
18614- Rui Tavares de Cabeia. V. nº 9318.
18640- João de Albuquerque, "o Azeite". Filho de João Gonçalves Gomide (em acesso de cólera, João Gomide matou injustamente a mulher, tendo sido, em função disso, degolado pelo povo em 24-MAR-1437, em praça pública) e de Leonor Vaz de Albuquerque. Hexaneto de D. Diniz, 6º Rei de Portugal. Com Leonor Lopes teve os filhos Matias, Jorge, Francisco, Maria e Lopo.
18641- Leonor Lopes. Filha do Dr. Lopo Gonçalves de Leão (ou Henrique Leão?).
18642- Afonso Lopes de Bulhão. Filho de Antônio Lopes de Bulhões. N. em Lisboa, Portugal. Parente de Santo Antônio (filho de Martim de Bulhões e de Teresa Taveira). Com Isabel Gramacho teve os filhos Antônio, Diogo e João Lopes de Bulhão, além de Maior e Joana de Bulhão.
18643- Isabel Gramacho. Filha de Pedro Nunes Gramacho.
18644- Jorge de Melo. Chamava-se Simão de Melo, tendo adotado o nome de D. Jorge de Melo. Assistiu, em Roma, o Cardeal Jorge da Costa, mais conhecido por "Cardeal Alpedrinha", que lhe deu a Abadia de Pombeiro e de Alcovaca. Foi eleito Bispo da Guarda. Residiu em Portalegre, onde fundou um Mosteiro de Freiras Bernardas, que dotou com seus bens. Filho de Garcia de Melo e de Felipa Pereira da Silva. Teve com Ana de Mesquita os filhos: Antônio, Bernardo, Francisca, Joana e Cristóvão de Melo.
18645- Ana de Mesquita.
18646- Rui de Melo. Fº de Garcia de Melo e de Felipa Pereira da Silva. C. Maria de Menezes teve os filhos: Jorge de Melo, Luís de Melo, Gracia de Melo e Joana de Menezes.
18647- Maria de Menezes. Fª de Fernando Mascarenhas e de Isabel da Silva.
18672- Duarte Fernandes do Rego. V. nº 9312.
18673- Branca Maia de Lima. V. nº 9313.
18674- João Rodrigues de Sá. V. nº 9314.
18678- Rui Tavares de Cabeia. V. nº 9318.
18680- Lopo de Albuquerque. V. nº 9320.
18681- Joana de Bulhão. V. nº 9321.
18682- Cristóvão de Melo. V. nº 9322.
18683- Joana da Silva. V. nº 9323.
18696- Príncipe Leão Eça van Holand. V. nº 18456.
18697- Antônia de Rhenoburg. V. nº 18457.
18698- Florentz Bayer van Utrecht. V. nº 18458.
18712- Zimprecht Linz. V. nº 18544.
18713- Barbara Gienger. V. nº 18545.
18716- Barão Heinrich van Holand. V. nº 9228.
18717- Margarida Florentz. V. nº 9229.
18718- Bartolomeu Rodrigues de Sá. V. nº 9230.
18719- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
18720- Zenóbio Accioli. Aristocrata de Florença, Itália, onde nasceu. Filho de Zenóbio Accioli e de Maria Guarini.
18721- Catarina Delfina (ou Genebra Amadori).
18722- Pedro Rodrigues Pimentel. Fidalgo da Casa Real. N. em Torres Novas, Distrito de Santarém, Portugal. Filho de Rodrigo Pimentel e de Catarina de Brito.
18723- Isabel Ferreira Drummond. Filha de Gaspar Gonçalves Ferreira e de Catarina Anes Escócia.
18724- João Mendes de Vasconcelos (o Bascão). Viveu na Ilha da Madeira, Portugal. Fº de Martim Mendes de Vasconcelos e de Elena Gonçalves, neto materno de João Gonçalves da Câmara, o Zarco, considerado o descobridor da Ilha da Madeira. C. c. Inês Moniz (ou Joana Moniz). Pais de Luís e Duarte Mendes de Vasconcelos.
18725- Inês Moniz (ou Joana Moniz).
18726- João Rodrigues Mandragão (ou João Rodrigues Mondragão).
18730- Arnal van Holand. V. nº 4614.
18731- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
18732- Giovanni Cavalcanti. N. na Itália.
18733- Genebra Maneli. N. na Itália.
18734- Jerônimo de Albuquerque. V. nº 4660.
18735- Maria do Espírito Santo Arcoverde (ou Muíra Ubi). Indígena brasileira. Filha de Ubira Ubi, morubixaba dos tabajaras.
18740- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
18741- Margarida Florentz. V. nº 9229.
18742- Bartolomeu Rodrigues. V. nº 9230.
18743- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
18748- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
18749- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
18750- Arnal van Holand. V. nº 4614.
18751- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
18772- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
18773- Margarida Florentz. V. nº 9229.
18774- Bartolomeu Rodrigues. V. nº 9230.
18775- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
18780- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
18781- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. n] 9273.
18782- Arnal van Holand. V. nº 4614.
18783- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
18800- Zimprecht Linz. V. nº 18544.
18801- Barbara Gienger. V. nº 18545.
18804- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
18805- Margarida Florentz. V. nº 9229.
18806- Bartolomeu Rodrigues. V. nº 9230.
18807- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
18816- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
18817- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
18818- Arnal van Holand. V. nº 4614.
18819- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
18824- ..... Barros.
18825- Joana Pimentel. Filha de Pedro da Rocha Pimentel e de Cecília Rodrigues Bezerra.
18826- Arnal van Holand. V. nº 4614.
18827- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
18830- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
18831- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
18836- João Gomes de Melo. V. nº 4628.
18837- Ana de Holanda. V. nº 4629.
18838- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
18839- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
18840- ..... Barros. V. nº 18824.
18841- Joana Pimentel. V. nº 18825.
18842- Arnal van Holand. V. nº 4614.
18843- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
18846- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
18847- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
18868- João Gomes de Melo. V. nº 4628.
18869- Ana de Holanda. V. nº 4629.
18870- Baltazar de Almeida Botelho. V. nº 2338.
18871- Brites Lins de Vasconcelos. V. nº 2339.
18876- Christoph Linz (ou Cristóvão Lins). V. nº 4636.
18877- Adriana de Holanda. V. nº 4637.
18878- André da Rocha Dantas. V. nº 4638.
18968- Príncipe Leão Eça van Holand. V. nº 18456.
18969- Antônia de Rhenoburg. V. nº 18457.
18970- Florentz Boyer van Utrecht. V. nº 18458.
19028- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
19029- Margarida Florentz. V. nº 9229.
19030- Bartolomeu Rodrigues de Sá. V. nº 9230.
19031- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
19036- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
19037- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
19038- Arnal van Holand. V. nº 4614.
19039- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
19056- Zimprecht Linz. V. nº 18544.
19057- Barbara Gienger. V. nº 18545.
19060- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
19061- Margarida Florentz. V. nº 9229.
19062- Bartolomeu Rodrigues de Sá. V. nº 9230.
19063- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
19096- Príncipe Leão Eça van Holand. V. nº 18456.
19097- Antônia de Rhenoburg. V. nº 18457.
19098- Florentz Boyer van Utrecht. V. nº 18458.
19120- Duarte Fernandes do Rego. V. nº 9312.
19121- Branca Maia de Lima. V. nº 9313.
19122- João Rodrigues de Sá. V. nº 9314.
19126- Rui Tavares de Cabeia. V. nº 9318.
19128- Lopo de Albuquerque. V. nº 9320.
19129- Joana de Bulhão. V. nº 9321.
19130- Cristóvão de Melo. V. nº 9322.
19131- Joana da Silva. V. nº 9323.
19152- João de Albuquerque. V. nº 18640.
19153- Leonor Lopes. V. nº 18641.
19154- Afonso Lopes de Bulhão. V. nº 18642.
19155- Isabel Gramacho. V. nº 18643.
19156- Jorge de Melo. V. nº 18644.
19157- Ana de Mesquita. V. nº 18645.
19158- Rui de Melo. V. nº 18646.
19159- Maria de Menezes. V. nº 18647.
19220- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
19221- Margarida Florentz. V. nº 9229.
19222- Bartolomeu Rodrigues. V. nº 9230.
19223- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
19228- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
19229- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
19230- Arnal van Holand. V. nº 4614.
19231- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
19248- Zimprecht Linz. V. nº 18544.
19249- Barbara Gienger. V. nº 18545.
19252- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
19253- Margarida Florentz. V. nº 9229.
19254- Bartolomeu Rodrigues de Sá. V. nº 9230.
19255- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
19312- Pedro Alves. N. na Freguesia de Santa Maria de Sedielos, Concelho de Peso da Régua, Distrito de Vila Real, Portugal.
19316- Marcos Pires.
19317- Catarina Fernandes.
19318- Duarte Fernandes.
19319- Leonor Pires.
19386- Pantaleão Monteiro. Um dos primeiros povoadores da Capitania de Pernambuco. Foi Senhor do Engenho de São Pantaleão, da Várzea de Capibaribe.
19387- Maria Monteiro.
19390- Francisco Carvalho de Andrada. Senhor do Engenho de São Paulo da Várzea. Foi um dos primeiros povoadores de Pernambuco e pessoa tão conceituada que conseguiu bem casar as filhas que teve c. Maria Tavares de Guardês: Inês e Leonor Guardês. Teve uma outra filha que foi casada com Brás Barbalho.
19391- Maria Tavares de Guardês.
19412- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
19413- Margarida Florentz. V. nº 9229.
19414- Bartolomeu Rodrigues. V. nº 9230.
19415- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
19420- Sibald Linz von Dorndorf. V. nº 9272.
19421- Uma jovem camponesa de Ulm, Alemanha. V. nº 9273.
19422- Arnal van Holand. V. nº 4614.
19423- Brites Mendes de Vasconcelos. V. nº 4615.
19440- Zimprecht Linz. V. nº 18544.
19441- Barbara Gienger. V. nº 18545.
19444- Heinrich van Holand. V. nº 9228.
19445- Margarida Florentz. V. nº 9229.
19446- Bartolomeu Rodrigues de Sá. V. nº 9230.
19447- Joana de Góes de Vasconcelos. V. nº 9231.
26102- Capitão-Mor Martim Fernandes Tenório de Aguilar (ou Martim Rodrigues Tenório de Aguilar). N. em Castela. Pessoa de nobre ascendência, foi da Governança de São Paulo, onde residiu no lugar então denominado de Ibirapuera. Em 1594, foi Procurador do Concelho em São Paulo. Povoador e célebre conquistador dos sertões no posto de Capitão-Mor da tropa. Fez parte das bandeiras de Domingos Rodrigues e de Nicolau Barreto (esta última, iniciada em 1602, destinada ao Guairá), tendo feito testamento no sertão do Paracatu, na incerteza de seu destino, em 1603. Em 1608, foi vereador e comandou a bandeira que desceu o Anhembi para dar combate aos bilreiros. Segundo José Gonçalves Salvador, no livro "Os Cristãos-Novos, Povoamento e Conquista do Solo Brasileiro", era de linhagem hebréia. C. em 1589 c. Susana Rodrigues, com quem teve os seguintes filhos: Maria Tenório, Ana da Veiga, Susana Rodrigues e Elvira Rodrigues. Teve, também, uma filha natural (Joana Rodrigues). Fal. em 1608 na região do Paraúpava, tendo seu inventário sido feito em São Paulo em 1612.
26103- Susana Rodrigues. C. em primeiras núpcias c. Damião Simões e em segundas núpcias c. Martim Fernandes Tenório de Aguilar.
26576- Simão de Oliveira. Morou na Freguesia de Santa Maria de Estremoz, Concelho de Estremoz, Distrito de Évora, em Portugal. Filho de Joane Mendes de Oliveira e de Isabel de Brito.
26578- Froilo de Vasconcelos (ou Fruela de Vasconcelos). Filho de Heitor Mendes de Vasconcelos (neto paterno de Bartolomeu Perestrello, que foi descobridor e donatário da Ilha de Porto Santo e pai de Felipa Moniz Perestrello, esposa de Cristóvão Colombo) e de Catarina Correia de Lacerda. Foi Senhor da Casa de seu pai. C. c. Iria de Melo, com quem teve os filhos Bartolomeu de Vasconcelos e Luísa e Catarina de Melo de Vasconcelos.
26579- Iria de Melo. Filha de Diogo de Melo e Cunha e de Joana Aranha.
30464- Álvaro Dias da Torre. Em 1478 morava em umas casas grandes na Banharia, no Porto, Portugal, onde C. c. Catarina Dias Rabelo. Pais de Lopo de Rabelo.
30465- Catarina Dias Rabelo. Fª de Lopo Dias Rabelo, que foi Senhor da Honra de Rabelo e Alcaide-Mor de Santarém, Portugal (morava em Alvelo, junto de Lamego, por volta de 1442), e de Isabel Vaz Cardoso.
30467- Isabel Vaz Cardoso. Fª de Azuil Cardoso, Senhor da Casa de Cardoso.
30472- Guilherme Moniz. Fº de Gonçalo da Silva e de Isabel de Noronha.
30473- Joana Corte Real. Filha de João Vaz Corte Real, que foi Capitão Donatário de parte de Angra.
30474- Afonso Rodrigues. Um homem de bem de Mochico.
30476- Mateus Rodrigues Palha. Lavrador.
30477- Leonor Rodrigues.
30496- Diogo Mendes da Costa.
30497- Beatriz de Ares.
30498- Fernão Vaz da Costa. Fº de Lopo Álvares Feio e de Margarida Vaz da Costa.
30499- Clemenza D Oria. Fª de Aleramo Doria, dito "Lorenzo", como informou Francisco Antônio Dória em mensagem de 16-DEZ-2004.
30500- Fernão da Silva de Menezes. Fº de Antônio da Silva de Menezes e de Branca de Menezes.
30501- Domingas Pereira.
30502- Martim de Carvalho.
30503- Luísa Dória. Fª de Sebastião Ferreira e de Clemenza D Oria.
30508- Gonçalo Fernandes.
30570- Pedro Vaz. Foi colaço do Rei D. Pedro I, como se acha em um instrumento de justificação feito na Vila da Feira no ano de 1534.
30576- Simão de Oliveira. V. nº 26576.
30578- Fróilo de Vasconcelos. V. nº 20578.
30579- Iria de Melo. V. nº 26579.
30580- Álvaro de Aguiar Daltro. V. nº 15284.
30581- Filha de Pedro Vaz. V. nº 15285.
30590- João de Figueiredo Mascarenhas. N. em Faro, Algarve, Portugal. Foi grande guerreador dos gentios, que o apelidaram de "o Buatucá" (cobra caçadora). Bombardeiro, chegou ao Brasil com Tomé de Sousa, que o armou cavaleiro em 6-JUL-1553, mercê confirmada pelo Rei em 1564. Foi em 1557 testamenteiro de Caramuru. Filho de Lourenço de Figueiredo Magalhães (que passou ao Brasil, com o filho, na época da fundação da Bahia, por ter matado um cônego seu parente) e de Leonor Barreto de Figueiredo. C. na Bahia c. Apolônia Álvares, com quem teve os filhos Felipa, Mícia, Maria, Grácia e Clemência de Figueiredo Mascarenhas.
30591- Apolônia Álvares. Filha de Diogo Álvares Correia, o "Caramuru" (12), e da indígena tupinambá Paraguaçu (batizada na França com o nome de Catarina Álvares; fal. em Salvador, Bahia, em 26-JAN-1583). Neta materna de Taparica. Sua irmã, Madalena Álvares, foi a primeira mulher brasileira que soube ler e escrever, tendo se empenhado, ainda, na emancipação dos escravos, o que a coloca como a precursora da Abolição da Escravatura no País.
30640- Duarte Dias de Menezes. Escrivão da Fazenda e Secretário das Mercês. Fal. em Alcácer, Marrocos. Fº de Damião Dias da Ribeira (um judeu convertido que foi Alcaide-Mor da Amieira e Escrivão da Fazenda do Rei D. João III) e de Inácia de Menezes.
30641- Brites de Carvalho. Filha de Gaspar de Carvalho, Chanceler-Mor do Reino.
30642- Francisco de Faria e Melo. Chamado de "O Meca", por ser senhor de um morgado do mesmo nome, próximo a Albuquerque. Fº de Gregório de Faria e de Joana de Travassos. C. em primeiras núpcias c. Brites da Fonseca e em segundas núpcias com Maria de Sousa.
30643- Brites da Fonseca. Fª de Baltazar da Fonseca (Secretário do Cardeal D. Henrique, o Casto, quando este foi Rei de Portugal) e de Ana da Costa.
30644- Luís de Castro do Rio. Cavaleiro da Ordem de Cristo. Teve um filho bastardo c. Brites de Sousa: Tomé de Castro do Rio. Fº de Diogo de Castro do Rio.
30645- Brites de Sousa.
30646- João Rodrigues.
30647- Joana de Torres.
30652- Tomás Ximenes de Aragão. Fº de Duarte Ximenes e de Isabel Rodrigues da Veiga.
30653- Teresa Vasques d Elvas. Fª de Antônio Fernandes d Elvas.
30654- Rui Lopes de Évora.
30655- Leonor Rodrigues da Veiga.
30666- Pedro Vaz. V. nº 30570.
30708- Egas Moniz Barreto. V. nº 15236.
30709- Ana Soares (ou Maria da Silveira). V. nº 15237.
30710- Francisco Bicudo. N. em Portugal. Fidalgo muito esclarecido. Em companhia de Tomé de Sousa, veio para a Bahia no princípio da fundação da cidade, onde C. c. Mícia Lobo de Mendonça, com quem teve: Mícia, Isabel (I) e Isabel (II) Lobo.
30711- Mícia Lobo de Mendonça Almeida. Uma das três irmãs órfãs (as outras eram Catarina Lobo de Barbosa Almeida e Joana Barbosa), filhas de Baltazar Lobo de Sousa (General, falecido na Índia a serviço de Portugal), enviadas ao Brasil em 1552 por Dona Catarina, Rainha de Portugal, para casamento com pessoas ilustres da terra.
32150- Garcia Rodrigues. N. no Porto, Portugal. Fal. em Santos (SP) em 1590.
32151- Isabel Velho. N. no Porto, Portugal.
31270- Baltazar de Moraes de Antas.
31271- Brites Rodrigues Anes.
32172- Estêvão Ribeiro Baião Parente.
32173- madalena Fernandes Feijó de Madureira.

NOTAS EXPLICATIVAS:

(1) É desconhecido o significado e a origem do sobrenome Buarque, não encontrado nos compêndios genealógicos portugueses (encontrava-se, entre os povoadores da Ilha de Porto Santo, Portugal, um Antônio de Buarcos, que contraiu matrimônio em 1520 c. Felipa Nunes). O apelido aparece pela primeira vez em Pernambuco. Talvez seja proveniente da Holanda ou da Alemanha, onde encontramos os antropônimos Buerk e Buerkie, provenientes
de profissão (camponês), e Buerger, oriundo do adjetivo burguês. Poderia advir, também, de algum topônimo, como Buarcos, freguesia do Concelho de Figueira da Foz, em Portugal, ou Buaque, cidade da Costa do Marfim. O antropônimo Holanda, por seu lado, tem sua procedência na Holanda, torrão natal de Arnal van Holand, antepassado de Chico Buarque.

(2) Os dados constantes deste Capítulo foram extraídos do "Anuário Genealógico Brasileiro" (Vol. nº 3); do "Anuário Genealógico Latino" (Vol. nº 1); do Boletim "Gerações/Brasil" (edição de novembro de 1995); dos fascículos da coleção "Famílias da Madeira e Porto Santo", do Cônego Fernando de Menezes Vaz; de fascículos da obra "Famílias Brasileiras", de Carlos Eduardo de Almeida Barata; da "Nova Enciclopédia Ilustrada Folha"; da Revista "Brasil Genealógico" (Tomo II; Fascículo nº 2); da "Revista do Arquivo Público Mineiro" (Ano XXXVII); da "Revista do Instituto Genealógico da Bahia" (Vols. nºs. 3 e 4); da "Revista do Instituto Heráldico-Genealógico (Vol. nº 7); da "Revista Genealógica Brasileira" (Vol. nº 10); da "Revista Genealógica Latina" (Vols. nºs 2, 3 e 4); da revista "Subsídios Genealógicos - Famílias Brasileiras de Origem Germânica" (Vol. II); da Revista "Veja" (edição de 24-JUL-1996) e dos seguintes livros: "A Academia de São Paulo. Tradições e Reminiscências", de José Luís de Almeida Nogueira; "A Mística do Parentesco", de Edgardo Pires Ferreira; "A Propaganda Republicana em Minas", de Oiliam José; "Amador Bueno, o Aclamado, na Família Lagoana", do Padre Pedro Maciel Vidigal; "Catálogo Genealógico das Principais Famílias que Procederam de Albuquerques e Cavalcantis em Pernambuco, e Caramurus, na Bahia, ....", do Frei Antônio de Santa Maria Jaboatão; "Chico Buarque", de Regina Zappa; "Chico Buarque, Letra e Música" (editado pela Companhia de Letras); "Dicionário Brasileiro de Datas Históricas", organizado por José Teixeira de Oliveira; "Dicionário das Famílias Brasileiras", de Carlos Eduardo de Almeida Barata e Antônio Henrique da Cunha Bueno; "Encontro com os Ancestrais", de Pedro Wilson Carrano Albuquerque; "Família Wanderley - História e Genealogia", de Walter Wanderley; "Famílias Nobres do Algarve", do Visconde de Sanches de Baêna; "Genealogias da Zona do Carmo", do Cônego Raimundo Trindade; "Genealogia Mineira", de Artur Vieira de Rezende e Silva; "Genealogia Paulistana", de Luís Gonzaga da Silva Leme; "German-American Names", de George Fenwick Jones; "História da Casa da Torre", de Pedro Calmon; "Informações históricas sobre São Paulo no Século de sua Fundação", de Edite Porchat; "Instituições de Igrejas no Bispado de Mariana", do Cônego Raimundo Trindade; "Introdução e Notas ao Catálogo Genealógico das Principais Famílias, do Frei Jaboatão", de Pedro Calmon; "João Pais, do Cabo: O Patriarca, Seus Filhos, Seus Engenhos", de Gilberto Osório de Andrade e Raquel Caldas Lins (com estudo genealógico preparado por Sílvio Paes Barreto); "Nobiliário da Ilha da Madeira", de Henrique Henriques de Noronha; "Nobiliário de Famílias de Portugal", de Manoel José da Costa Felgueiras Gaio; "Nobiliarquia Pernambucana", de Antônio José Vitoriano Borges da Fonseca; "O Extremo Oeste", de Sérgio Buarque de Holanda; "O Marechal Visconde de Maracaju (Memória Histórico-Genealógica)", de José Ubaldino Mota do Amaral; "O Mundo em Português - Um Diálogo", de Fernando Henrique Cardoso e Mário Soares; "O
Nome e o Sangue - Uma Fraude Genealógica no Pernambuco Colonial", de Evaldo Cabral de Melo; "Os Antepassados", de Pedro Maciel Vidigal; "Os Herdeiros do Poder", de Francisco Antônio Dória; "Os Povoadores do Campo de Piratininga" (separata do Vol. XLVII da Revista do Instituto Histórico e Geográfico de S. Paulo), de Américo de Moura; "Os Primeiros Colonizadores Nordestinos e seus Descendentes", de Carlos Xavier Paes Barreto; "Paes Barreto de Rio Formoso - Solar de Mamucabas", de Noêmia Paes Barreto Brandão; "Presidentes do Senado no Império", de Carlos Eduardo Barata; "Primeiras Famílias do Rio de Janeiro", de Carlos Grandmasson Rheingantz; "Subsídios Genealógicos", de Carlos da Silveira; "Trópico dos Pecados", de Ronaldo Vainfas; "Velhos Troncos Mineiros", do Cônego Raimundo Trindade; "Velhos Troncos Ouropretanos", do Cônego Raimundo Trindade, e "Wanderley de Sirinhaém", de Noêmia Paes Barreto Brandão.

(3) Bacharel em Direito, Virgílio Alvim de Melo Franco sempre foi incluído entre os maiores políticos do Brasil, tendo sido um dos fundadores da extinta União Democrática Nacional (UDN). Foi Deputado Estadual e Deputado Federal por Minas Gerais. Foi um dos assinantes do "Manifesto dos Mineiros". N. em Ouro Preto (MG) em 10-JUL-1897.

(4) Afonso Arinos n. em Belo Horizonte (MG) em 27-NOV-1905. Advogado, jornalista, diplomata e professor. Promotor de Justiça em Belo Horizonte (MG). Lecionou em Universidades no Brasil e no exterior. Foi Deputado Federal por Minas Gerais, Senador pelo antigo Distrito Federal e pelo Estado do Rio de Janeiro, Membro da Academia Brasileira de Letras e Ministro das Relações Exteriores (durante o Governo Jânio Quadros). São muitos os livros de sua autoria, que tratam de numerosos temas, como Direito Constitucional, assuntos econômicos, história do Brasil, sociologia, memórias e poesia. Fal. no Rio de Janeiro (RJ) em 27-AGO-1990.

(5) Francisco de Paula Rodrigues Alves era bacharel pela Faculdade de Direito de São Paulo, tendo sido eleito Deputado provincial e Geral. Recebeu do Imperador Dom Pedro II o título de Conselheiro. Foi presidente da Província de São Paulo no período de novembro de 1887 a abril de 1888. Na República, foi Senador e Ministro da Fazenda nos Governos Floriano Peixoto e Prudente de Moraes. Foi Presidente do Estado de São Paulo de 1900 a 1902 e Presidente da República no período de 15-NOV-1902 a 15-NOV-1906. N. em 7-JUN-1848 em Guaratinguetá (SP), onde C. c. Ana Guilhermina de Oliveira Borges em 11-SET-1875. Fal. no Rio de Janeiro (RJ) em 16-JAN-1919, sem ter tomado posse nas funções de Presidente da República (que exerceria pela segunda vez), por motivo de saúde.

(6) O filho e homônimo de José da Costa Carvalho recebeu o título de Marquês de Monte Alegre em 2-DEZ-1854. N. em 7-FEV-1796 em Salvador (BA).
Fal. em 18-SET-1860 em S. Paulo (SP). Foi Juiz de Fora e Ouvidor em São Paulo (SP), bem como Deputado, Senador (foi o 9º Presidente do Senado), Ministro de Estado, Regente do Império e Presidente da Província de São Paulo no período de 20-JAN-1842 a 17-AGO-1842. Criou, em 1827, o primeiro periódico da capital paulista, o "Farol Paulistano". Casou-se duas vezes: em primeiras núpcias, em torno de 1831, c. Genebra de Barros Leite e, em segundas núpcias, em 1839, c. Maria Isabel de Sousa Alvim.

(7) Palmares foi o maior dos quilombos formados por escravos fugidos a partir do final do Século XVI, abrigando, também, homens livres e forros marginalizados pela sociedade colonial. A partir da ocupação de Pernambuco pelos holandeses, o quilombo cresceu e se consolidou. Zumbi foi o seu principal líder. Palmares foi combatido por várias expedições holandesas e portuguesas, que, apesar de provocarem muitas mortes, não conseguiram destruir o grande quilombo. Só em 1694, sob o comando do bandeirante Domingos Jorge Velho, Palmares foi destruído.

(8) Duarte Coelho n. em Lisboa, onde fal. em 1554. Fº de Gonçalo Coelho. C. c. Brites de Albuquerque. Em 1509 lutou na Índia, na armada de D. Fernando Coutinho. De 1516 a 1517 foi Embaixador junto à Corte do Rei de Sião. Primeiro Donatário de Pernambuco, de cuja capitania tomou posse em 1535. Distinguiu-se na defesa da terra contra os franceses e os Caetés. Enfermo, voltou a Portugal, vindo a falecer em Lisboa em 7-AGO-1554.

(9) Para alguns autores, como Pedro Calmon e José Ubaldino Mota do Amaral, Christoph Linz e Sibald Linz seriam irmãos. Os livros "Paes Barreto do Rio Formoso" e "Wanderley de Sirinhaém", de Noêmia Paes Barreto Brandão, recentemente editados, informam que Sibald e Christoph eram primos, netos de Lambert Simpert Linz e Barbara Gienger e filhos, respectivamente, de Bartolomeu Linz e de Sibald Linz. O autor preferiu seguir as informações contidas no Volume II da revista "Subsídios Genealógicos - Famílias Brasileiras de Origem Germânica", publicado pelo Instituto Genealógico Brasileiro em conjunto com o Instituto Hans Staden, porquanto obtidas pelo Tenente-Coronel Henrique Oscar Wiederspahn após acurada pesquisa na Alemanha, Portugal e Brasil.

(10) Conforme consta do livro "Os Primeiros Colonizadores Nordestinos", de Carlos Xavier Paes Barreto, a Rainha Catarina, que governou Portugal até 1562, durante a menoridade de Dom Sebastião, seu neto, encaminhou carta a Jerônimo de Albuquerque com o seguinte trecho: "Porquanto nos consta estares vivendo nesta conquista nova a lei de Moisés, com trezentas concubinas, mau exemplo para um povo novo, vos ordeno casais com uma filha de D. Cristóvão Melo que vai a meu serviço à Bahia".

(11) Adriano Florentz Boeyens n. em Utrecht, Holanda, em 2-MAR-1459, tendo sido elevado ao sólio pontifício em 9-JAN-1522. Foi o último pontífice não italiano, antes do Papa João Paulo II. Pobre e órfão, lutou desde os primeiros anos de vida para estudar, tendo conseguido formar-se na Universidade de Louvain, da qual chegou a ser Vice-Chanceler. Foi Bispo de Tolosa, preceptor de Carlos V, Imperador da Espanha, e Regente da Espanha com o Cardeal Francisco Ximenes de Cisneros. Conhecido por sua imparcialidade, foi homenageado por todos os reis cristãos. Encontrando-se na Espanha, Adriano VI, ao saber de sua eleição, disse: "Se é verdade, é uma tristeza". Chegando em Roma, assolada pela peste, o Papa revelou a sua caridade, proibindo despesas e pompas na sua coroação. Afastou de si os parasitas, cortesãos, falsos poetas e bufões, ganhando com tais medidas a antipatia dos aproveitadores. Teve um curto pontificado, falecendo em Roma, Itália, em 14-SET-1523.

(12) Diogo Álvares, o Caramuru, também citado como Diogo Álvares Correia, naufragou na altura da Bahia em torno de 1510, ali permanecendo, o que o credencia como um dos primeiros colonizadores do Brasil. Foi o único sobrevivente da nau portuguesa afundada, tendo sido encontrado sem sentidos junto às pedras da beira-mar. Por esse fato, foi chamado pelos índios de "Caramuru", nome que eles davam à moréia, peixe que costuma esconder-se entre as pedras na maré alta, aí ficando preso quando as águas baixam. Durante algum tempo espalhou-se a versão de que "caramuru" significava "filho do fogo" ou "senhor do trovão" e que Diogo Álvares fora assim denominado pelos índios ao matar uma ave com um tiro de mosquetão. Palmilhou o litoral e parte do sertão da Bahia, prestando, com seu conhecimento da região, grande auxílio nas guerras com tribos inimigas. N. em Viana, Portugal, em torno de 1475. Fal. em 5-OUT-1557 em Salvador (BA), tendo sido sepultado no Mosteiro de Jesus. Sua esposa, a índia Paraguassu, foi batizada em Saint-Malo, na França, em 30-JUL-1528, com o nome de Cathèrine du Brésil (Catarina Álvares, no Brasil; o nome foi dado em homenagem a Cathérine des Granches, esposa do navegador que a levou à França, Jacques Cartier, futuro descobridor do Canadá) e faleceu em 26-JAN-1583, tendo sido sepultada na Capela de N. S. da Graça, em Salvador (BA). Segundo Pedro Calmon, Catarina não foi a primeira mulher tupinambá de Diogo Álvares, mas a última. Diogo Álvares Correia, além de cinco filhos naturais que possuía em 1528, teve, com Catarina Álvares os seguintes: Ana, Genebra, Apolônia e Garcia Álvares. Apesar de citado como Diogo Álvares Correia, o historiador Francisco Antônio Dória informa que seu nome restringia-se a Diogo Álvares.

Comentários

Celina Clemente Da Cruz  - 19/01/2016

maravilhosa é a raiz que germina com tronco,galhos e ramos interminaveis isto é ser humano.

Valquirio de Magalhaes Barbalho  - 13/07/2012

Em 9694 ha a identificacao do sogro de Bras Barbalho Feio como Francisco Carvalho Andrade e em 19.390 ele virou Francisco Carvalho de Andrada. Pequena diferenca que pode provocar algum disturbio aos pesquisadores do assunto. Estou tracando a genealogia de minha familia e penso que meu sobrenome Barbalho vem dessa origem, passando pelo Luis Barbalho Bezerra.

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui