Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
125 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56953 )
Cartas ( 21165)
Contos (12585)
Cordel (10049)
Crônicas (22174)
Discursos (3133)
Ensaios - (8976)
Erótico (13390)
Frases (43476)
Humor (18423)
Infantil (3758)
Infanto Juvenil (2652)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138142)
Redação (2919)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1924)
Textos Religiosos/Sermões (4819)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->O QUE ROUBA-SE DE UM MORTO -- 08/10/2019 - 02:13 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


O QUE ROUBA-SE DE UM MORTO


Há um cemitério 

no meio do bairro.

Onde estarão os vivos

que o deixam tão só


Dizem que os vivos circulam

alguns meio mortos de fome

e arrancam as tampas das covas

e os dentes de ouro dos mortos.


Então chegou  a polícia

e catou o pivete descalço

que andava de bicicleta

no meio das lápides frias


e todo vestindo trapos

disse-lhes, alta voz:

“não roubo não, seu doutor…

trago uma flor tão só…


Diga-me seu polícia

o que se rouba de um morto

que é tão escondido e só


um dia eu  tive uma mãe

e agora só tenho avó.

E mesmo que a flor é murcha

trago com muito amor…”



-------------------------------------------------------------------------------------------------------
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 12 vezesFale com o autor