Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
69 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54805 )
Cartas ( 21052)
Contos (12086)
Cordel (9483)
Crônicas (21048)
Discursos (3105)
Ensaios - (9892)
Erótico (13118)
Frases (39763)
Humor (17540)
Infantil (3559)
Infanto Juvenil (2307)
Letras de Música (5410)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135479)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4164)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->Trapalhadas -- 16/07/2000 - 00:07 (Pedro Wilson Carrano Albuquerque) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
TRAPALHADAS

Houve muitas trapalhadas
Ao longo de minha vida
E todas foram causadas
Por pessoa distraída
Ou mentes endiabradas
Que não me deram saída.

Dalgumas participei
De outras ouvi falar
Quase todas já narrei
Em uma mesa de bar
Nenhuma eu inventei
Há gente pra confirmar.

No lugar de sentimento
A um amigo enlutado
Transmiti meu cumprimento
Ficando encabulado
Naquele mesmo momento
Pelo ato desastrado.

Pêsames por parabéns
Foi outra rata que dei
Não sei se está em meu "gens"
Atuar como atuei
Daria os meus teréns
Pra saber por que errei.

A um clube militar
Dirigi-me em furreca
Resolvi me bronzear
Após uma boa soneca
Só depois de me deitar
Vi que estava de cueca.

Outra estupenda mancada
Foi um certo atrevidaço
Ao falar coa namorada
Querendo lançar bagaço
Em caixa de goiabada
Pedi jogasse outro "aço".

Soube dum velho amigo
Que falando a conhecido
Sobre mulher cor de trigo
Com um nariz retorcido
Passou por grande perigo
Pois falava com o marido.

Outro levou para casa
Um recibo de motel
Ficando a mulher u a brasa
Pior que u a cascavel
Pra depois cortar sua asa
Para mantê-lo fiel.

Tenho também companheiro
Que carregou u a baiana
Com muita água-de-cheiro
Pra sua modesta cabana
Vendo então que paneleiro
O fizera de banana.

Para você que me goza
E chama de trapalhão
Tenho certeza, seu prosa:
Já sofreu humilhação
Por entrar em bananosa
Ou levar escorregão.

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui